PERFEIÇÃO RELATIVA

VITÓRIA POR MEIO DE CRISTO

Testemunho e ServiçoVisto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também Ele, igualmente, participou, para que, por Sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida. Hebreus 2:14, 15.

A queda do homem encheu o Céu todo de tristeza, e o coração de Jesus moveu-se de infinita compaixão pelo mundo perdido, a raça caída. Ele contemplou o homem imerso no pecado e na miséria, e sabia que ele não tinha poder moral para vencer, em seu próprio favor, o poder de seu inimigo que não dorme. Em divino amor e piedade, veio à Terra para travar nossas batalhas para nós; pois só Ele poderia vencer o adversário. Veio para unir o homem com Deus, comunicar força divina à alma penitente; e, da manjedoura ao Calvário, percorrer o caminho que seria percorrido pelo homem, dando a cada passo, aos seres humanos, um exemplo perfeito do que eles deviam fazer, e apresentando em Seu caráter o que a humanidade poderia tornar-se quando unida com a Divindade.

 Muitos dizem, porém, que Jesus não era como nós, que Ele não era como nós somos no mundo, que era divino, e que, portanto, não podemos vencer como Ele venceu. Mas isso não é verdade; “porque, na verdade, Ele não tomou [a natureza dos] anjos; mas tomou a descendência de Abraão. … Porque naquilo que Ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados”. Hebreus 2:16-18. Cristo conhece as aflições do pecador; Ele conhece suas tentações. Tomou sobre Si a nossa natureza; foi tentado em todas as coisas do mesmo modo que nós. Ele chorou; foi homem de dores e que sabe o que é padecer.

Como homem, Ele viveu sobre a Terra. Como homem, ascendeu ao Céu. Como homem, é o Substituto da humanidade. Como homem, vive para fazer intercessão por nós. Como homem, virá outra vez com majestoso poder e glória, a fim de buscar os que O amam e para quem está preparando lugar. Devemos alegrar-nos e dar graças porque Deus “estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do Varão que destinou”. 

Ellen G. White, E recebereis poder, Meditação Matinal, 25 de dezembro.

Está disponível a apostila Humanidade de Cristo, 2ª Edição. Trata-se da 1ª Edição enriquecida de vários outros textos inspirados que nos ensinam sobre Jesus. Que tenhamos amor ao tratar deste assunto. Há muita especulação a respeito e o que está escrito está, é inspirado e se acreditamos na inspiração divina através da Ir. Ellen G. White, podemos tirar conclusões enriquecedoras do poder de Deus em nossas vidas. Se quiserem acrescentar algo, questionar, dar opinião, faça. Estamos abertos para aprendizados pautados no amor de Cristo. Caso não concorde, simplesmente ignore. Só não perca tempo querendo rebater ou fazer que nossos estudos não tenham fundamento. A Palavra de Deus não é tribunal de julgamento, mas Palavra Viva, Fundamento Divino, Verdade Absoluta. Tenham uma boa leitura! ACESSE AQUI

VIDAS TRANSFORMADAS

NUNCA IGUALAR O MODELO

 

imitadoresdecristo

 

“Cristo é nosso modelo, o perfeito e santo exemplo que nos é dado seguir. Não podemos nunca igualar o modelo, mas podemos imitá-lo e nos assemelharmos a ele segundo nossa capacidade.” Cristo Triunfante p. 203

Tenho visto algumas pessoas usarem esse texto para defender a crença de que seja impossível ser pela graça de Deus plenamente libertado do pecado. Parece que a aplicação que essas pessoas dão a esse texto é que nunca conseguiremos viver como Jesus, completamente livre do pecado.

Será que mesmo buscando a graça transformadora de Deus teremos sempre ainda algum defeito de caráter não vencido, não abandonado? Será que podemos chegar a essa conclusão nos baseando apenas nesse texto?

O que dizer dos textos a seguir onde vemos o Senhor nos revelar que existe sim a possibilidade de que sejamos plenamente libertados do pecado?

“Nada havia nEle que correspondesse aos sofismas de Satanás. Ele não consentia com o pecado. Nem por um pensamento cedia à tentação. O mesmo se pode dar conosco.” DTN p. 123

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do Céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo.” Olhando Para O Alto p. 297

O que dizer do texto a seguir onde vemos que o Senhor requer de nós a mesma obediência que Cristo prestou?

“A obediência de Cristo não deve ser posta de lado como se fosse completamente diferente da obediência que Ele requer de nós individualmente. Cristo nos mostrou que é possível para toda a humanidade obedecer às leis de Deus.” ME, vol. 3 pág.135

Será impossível ser um cristão?

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” RH, 28/01/1882( Ellen White e a Humanidade de Cristo pág. 150 )

O que dizer do texto a seguir onde veremos que a possibilidade da plena libertação do pecado não somente é possível, mas também extremamente necessária para aqueles que subsistirão no tempo de angústia?

“Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação.[…] Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.”  O Grande Conflito, pág. 623.

Então como interpretar esse texto  em que a serva do Senhor nos afirma que não iremos “nunca igualar o modelo” ?

“Cristo é nosso modelo, o perfeito e santo exemplo que nos é dado seguir. Não podemos nunca igualar o modelo, mas podemos imitá-lo e nos assemelharmos a ele segundo nossa capacidade.” Cristo Triunfante p. 203

Devemos entender que o fato de termos um Modelo que jamais poderá ser igualado não pode ser usado como desculpa para defender a crença de é impossível ser completamente libertado do pecado. É bom lembrar que o homem foi criado não igual a Deus, mas “a semelhança do seu Criador” e mesmo para o homem perfeito criado pelo Senhor haveria progresso contínuo de forma que “quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem,” Quanto mais o homem vivesse mais revelasse a imagem de Deus.

“Quando Adão saiu das mãos do Criador, trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual, a semelhança de seu Criador. “E criou Deus o homem à Sua imagem” (Gên. 1:27), e era Seu intento que quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem, refletindo mais completamente a glória do Criador. Todas as suas faculdades eram passíveis de desenvolvimento; sua capacidade e vigor deveriam aumentar continuamente. […] Mais e mais amplamente teria ele cumprido o objetivo de sua criação, mais e mais teria ele refletido a glória do Criador.” Educação p. 15

Outro detalhe muito importante, mesmo na nova Terra onde definitivamente já não existirá mais o pecado sempre teremos Cristo como nosso modelo e para toda a eternidade estaremos progredindo “em sabedoria, conhecimentos e santidade.”

“Habitar para sempre nesse lar de bem-aventuranças, trazer na alma, corpo e espírito não os traços do pecado e da maldição, mas a perfeita semelhança de nosso Criador, e através de eras eternas progredir em sabedoria, conhecimentos e santidade, explorando sempre novos campos do pensamento, sempre encontrando novas maravilhas e novas glórias, aumentando sempre a capacidade de saber e amar, e sabendo que há ainda diante de nós alegria, amor e sabedoria infinitos […]” Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 55.

Acredito ser mais sensato pensarmos naquele texto como estando simplesmente descrevendo a realidade de que sempre teremos diante de nós um Modelo e que contemplando-O estaremos para toda eternidade crescendo em  sabedoria, conhecimentos e santidade e não como uma desculpa para  continuarmos vivendo no pecado.

Isso fica muito claro no texto a seguir. Não podemos igualar o caráter do nosso Salvador porque Cristo possui um caráter “infinitamente perfeito.”

Para toda eternidade Cristo será um Modelo a ser copiado, mas que nunca será igualado porque é infinita a perfeição de Deus em amor e sabedoria.

“’A perfeita varonilidade’ é definida como sendo ‘a medida da estatura da plenitude de Cristo’. Em outras palavras, a perfeição cristã é ser semelhante a Cristo. Se ‘Deus é amor’, Cristo é amor perfeitamente exemplificado. Não podemos igualar o caráter infinitamente perfeito de Cristo, mas devemos copiá-lo. ( Ellen G. White, Testimonies, vol. 2, pág. 540). Podemos refletir Seu amor e viver sem cometer pecado.(Ver Apoc. 3:21)” (Lição da Escola Sabatina 3° Trim. 1995 lição 7 pág.5)

Bom agora que vimos que por toda eternidade haverá crescimento em santidade e que estaremos mais e mais revelando a imagem do nosso Pai, que tal também pararmos de ficar usando textos que revelam que nossa santidade é um processo que dura a vida inteira para tentar comprovar que sempre teremos algum pecado para vencer e abandonar? Textos como esses:

“Enquanto reinar Satanás, teremos de subjugar o próprio eu e vencer os pecados que nos assaltam; enquanto durar a vida não haverá ocasião de repouso, nenhum ponto a que possamos atingir e dizer: “Alcancei tudo completamente.” A santificação é o resultado de uma obediência que dura a vida toda.” Eventos Finais p. 267

Nunca dizer “Alcancei tudo completamente.” Lembrem-se o crescimento continuará não somente nessa vida como também por toda eternidade.

“A verdadeira santificação é obra diária, continuando por tanto tempo quanto dure a vida. Aqueles que estão batalhando contra tentações diárias, vencendo as próprias tendências pecaminosas e buscando santidade do coração e da vida, não fazem nenhuma orgulhosa proclamação de santidade. Eles são famintos e sedentos de justiça. O pecado parece-lhes excessivamente pecaminoso.”

A santificação continua “por tanto tempo quanto dure a vida.” Sabemos que não apenas essa vida, mas também a vida eterna.

“Estes temas ocuparão o coração, mente e língua dos redimidos ao longo das eras eternas, ao ser-nos reveladas novas explanações, as quais Cristo ansiou abrir a Seus discípulos, mas eles não tiveram fé para esquadrinhar e compreender. Para sempre e sempre surgirão novas visões da perfeição e glória de Cristo.” Olhando Para o Alto MM p. 97

“A lei de Deus é simples, e facilmente compreendida. Caso os filhos dos homens, o quanto possível para eles, obedecessem a esta lei, obteriam força mental e capacidade de discernimento para compreender ainda mais dos desígnios e planos de Deus. E esse avanço seria contínuo, não somente nesta vida, mas nos séculos da eternidade; pois por mais que possam progredir no conhecimento da sabedoria e poder de Deus, há sempre para além uma infinidade ainda. ” Filhos e Filhas de Deus p. 39

Que o Senhor nos ajude e aumente nossa fé no poder libertador da graça de Deus.

“Quem não possui suficiente fé em Cristo para crer que Ele pode guardá-lo de pecar, não tem a fé necessária para entrar no reino de Deus.” Ellen G. White, Review and Herald, 10 de março de 1904 (Lição da Escola Sabatina 3° Trim. 1995 lição 7 pág.5)

“Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal.” GC p. 425

”Cuidado com os adiamentos! Não deixe para depois a decisão de abandonar seus pecados e buscar a pureza de coração através de Jesus. É nesse ponto que milhares têm errado, e se perderão para sempre. Não vou me demorar aqui sobre a brevidade e as incertezas da vida. Mas há um perigo terrível- e não suficientemente compreendido- em adiar o atender ao chamado do Espírito Santo, preferindo permanecer no pecado, pois é isso que acontece quando esse adiamento ocorre. O pecado, por menor que possa parecer, implica risco de perda da vida eterna. Aquilo que não vencermos acabará por nos vencer, e causará a nossa destruição.” Caminho a Cristo pág. 22

Que o nosso maravilhoso Deus seja sempre louvado!!!

Susceptibilidade

corda

Susceptibilidade

“Suscetível indica a probabilidade de acontecer alguma coisa”

“Que possui uma maior probabilidade de contrair certas doenças.”

Sinónimos: melindrosopassívelsensívelsujeito vulnerável

Ser susceptível indica que existe uma maior probabilidade de contrair uma determinada doença, de acontecer alguma coisa. Podemos dizer também, estar sujeito, ser vulnerável a uma determinada doença.

Cristo assumiu a humanidade “com as mesmas susceptibilidades” físicas e mentais que possuímos.

Mesmo Cristo tendo assumido a humanidade com todas as susceptibilidades que possuímos Ele nunca foi contaminado pela doença chamada pecado provando assim a possibilidade de que pela graça de Deus possamos também passar a viver completamente livres da escravidão do pecado mesmo com nossa natureza atual.

“Tive a liberdade e poder para apresentar Jesus, que tomou sobre Si as fraquezas e levou a dor e as tristezas da humanidade, vencendo em nosso favor. Ele foi feito à semelhança de Seus irmãos, com as mesmas susceptibilidades físicas e mentais. Assim como nós, em tudo Ele foi tentado, mas sem pecar; e Ele sabe como socorrer aqueles que são tentados. Estais oprimidos e perplexos? Assim esteve Jesus. Sentis a necessidade de encorajamento? Assim sentia Jesus. Da maneira como vos tenta Satanás, assim tentava ele a majestade do céu.”-RH, 10/02/1885. ( Ellen White e a Humanidade de Cristo pág. 152 )

“Não Se contaminava com a corrupção, era um estranho ao pecado, e contudo orava, e isso muitas vezes com forte clamor e lágrimas. Ele orava por Seus discípulos e por Si mesmo, assim Se identificando com nossas necessidades, com nossas fraquezas e falhas, tão comuns à humanidade” Ellen White e a Humanidade de Cristo p. 140

‘Cristo, o Redentor do mundo, não estava situado onde as influências que O cercavam eram as mais apropriadas para preservar uma vida de pureza e moral imaculada; contudo, Ele não foi contaminado.” Ellen White e a Humanidade de Cristo p. 143

“Mas Jesus, vindo habitar na humanidade, não recebe nenhuma contaminação. Sua presença tem virtude que cura o pecador.” DTN p. 266

“Que cena esta, para ser contemplada pelo Céu! Cristo, que não conhecia o mínimo vestígio de pecado ou contaminação, tomar nossa natureza em seu estado deteriorado.” Ellen White e a Humanidade de Cristo p. 184

“Cristo revestiu Sua divindade com a humanidade, e veio a este mundo para viver uma vida livre da contaminação do pecado, para que os seres humanos, lançando mão da divindade, possam tornar-se participantes da natureza divina, escapando assim da corrupção que há no mundo mediante a sensualidade.” Olhando Para o Alto p. 297

Cristo sujeito as nossas fragilidades.

Cristo sujeito “às fragilidades da humanidade.”E todavia não conheceu pecado. Era o Cordeiro ‘imaculado e incontaminado’”.

“Ele era sujeito às fragilidades da humanidade.” ST, 22/04/1897; Ellen White e a Humanidade de Cristo p. 180

“Tomando sobre Si a natureza humana em seu estado decaído, Cristo não participou, no mínimo que fosse, do seu pecado. Era sujeito às debilidades e fraquezas que atribulam o homem, para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças”. Mat. 8:17. Ele foi tocado com a sensação de nossas fraquezas, e em tudo foi tentado como nós. E todavia não conheceu pecado. Era o Cordeiro ‘imaculado e incontaminado’”. ME vol. 1 p. 256

Cristo nunca cedeu ao pecado nem mesmo em pensamento.

“Ele sofreu ao ser tentado, e sofreu proporcionalmente à perfeição de Sua santidade. Mas o príncipe das trevas não achou nEle ; nem sequer um simples PENSAMENTO OU  SENTIMENTO respondeu à tentação.” Ellen White e a Humanidade de Cristo p. 152

“”Vem o príncipe do mundo”, disse Jesus; “e ele nada tem em Mim.” João 14:30. Nada havia nEle que correspondesse aos sofismas de Satanás. Ele não consentia com o pecado. Nem por um pensamento cedia à tentação. O mesmo se pode dar conosco.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 123.

 

Vimos que Cristo assumiu nossa natureza “com as mesmas susceptibilidades físicas e mentais” que possuímos. Vimos também que Ele “era sujeito às fragilidades da humanidade” mesmo assim Cristo nunca foi contaminado pelo pecado. Isso prova que nossas susceptibilidades e nossas fragilidades não são desculpas para vivermos mergulhados na lama do pecado. Podemos sim viver como Cristo viveu se se buscarmos ter uma comunhão verdadeira com o Pai como Cristo sempre teve. Definitivamente não podemos esperar a glorificação para sermos plenamente libertados da escravidão do pecado. Precisamos entender que a mudança que ocorrerá não glorificação será para aqueles que foram purificados, mas que ainda são sujeitos ou susceptíveis a cometer pecados não mais serão sujeitos ou susceptíveis a cometerem pecados. No texto a seguir descreve claramente a condição de vida dos salvos após a glorificação onde não mais haverá tentador, “nem possibilidade para o mal. Todos os caracteres resistiram à prova do mal, e nenhum será jamais susceptível ao seu poder.”

“Nenhuma árvore da ciência do bem e do mal oferecerá oportunidade para a tentação. Não haverá ali tentador, nem possibilidade para o mal. Todos os caracteres resistiram à prova do mal, e nenhum será jamais susceptível ao seu poder.” Educação p. 312

Na bíblia vemos o apóstolo Paulo descrever essa transformação da seguinte forma. “aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade”

“Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal se revista de imortalidade.

Quando, porém, o que é corruptível se revestir de incorruptibilidade e o que é mortal de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: “A morte foi destruída pela vitória”. 1 Coríntios 15: 53-54

 

Um alerta do Senhor para nós

Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem. […] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões.” Testimonies, vol. 3, pág. 272. Eventos Finais pág.175-176

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo pág.112)

Um dia será tarde demais

“Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886. 26 de dezembro, Olhando Para o Alto pág. 367

Que possamos atender o apelo do nosso maravilhoso Deus e buscar a transformação necessária para nossa salvação em ocasião oportuna.

“Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal.” GC p. 425

”Cuidado com os adiamentos! Não deixe para depois a decisão de abandonar seus pecados e buscar a pureza de coração através de Jesus. É nesse ponto que milhares têm errado, e se perderão para sempre. Não vou me demorar aqui sobre a brevidade e as incertezas da vida. Mas há um perigo terrível- e não suficientemente compreendido- em adiar o atender ao chamado do Espírito Santo, preferindo permanecer no pecado, pois é isso que acontece quando esse adiamento ocorre. O pecado, por menor que possa parecer, implica risco de perda da vida eterna. Aquilo que não vencermos acabará por nos vencer, e causará a nossa destruição.” Caminho a Cristo pág. 22

Os que estiverem esperando que na glorificação sejam plenamente transformados precisam entender que a única transformação que sofrerão aqueles que ainda estiverem no pecado depois do fechamento da porta da graça será a transformação de ser vivo para cinza.

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” Hebreus 4:16

 

Que o nosso maravilhoso Deus nos liberte do pecado em ocasião oportuna!

“Temei a Deus e dai-lhe glória.” Um chamado para santidade