Archive for dezembro \27\UTC 2012|Monthly archive page

Os Dez Mandamentos

  1. lendo a biblia2Não terás outros deuses diante de mim.
  2. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.
  3. Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão, porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.
  4. Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que nele há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia do sábado e o santificou.
  5. Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá.
  6. Não matarás.
  7. Não adulterarás.
  8. Não furtarás.
  9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
  10. Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.

Êxodo 20:3-17

“E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.” Êxodo 31:18

Esta é a lei do Senhor, escrita pelo próprio Deus.  Veremos nos textos bíblicos a seguir que ela é eterna, perfeita e imutável. Veremos também que os homens não são salvos pela lei e sim mediante a graça do nosso Senhor Jesus Cristo. A função da lei é simplesmente revelar nossos pecados.

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices.”  Salmo 19:7

“Escondi a Tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti.” Sal. 119:11.

A lei de Deus é imutável.

“Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.”  Mateus 5:17-19

Como vimos, Jesus não veio mudar a lei e sim cumprir. Ele adverte afirmando que aquele que mudar a lei e assim ensinar aos homens será considerado mínimo no reino dos céus, aquele, “porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.”

O Santuário terrestre era uma cópia do santuário celestial (Êxodo 25:8-9). Vemos em Hebreus 8, 9 e 10 a comprovação da existência do santuário celestial. No santuário celestial o apóstolo João contemplou a arca da Aliança que contém a imutável lei de Deus.

“Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada.” Apocalipse 11:19

A lei e o amor.

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo comoa ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”   “Amarás o teu próximo comoa ti mesmo” Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Destes dois mandamentos,” amar a Deus e Amar ao próximo “dependem” toda a lei e os profetas. A mensagem de Jesus para nós aqui é que  o amor é o grande mandamento, quando realmente amamos a Deus guardamos naturalmente os quatros primeiros mandamentos que se referem a Deus, quando amamos o próximo também de forma natural guardamos os seis últimos mandamentos que se referem ao próximo.

O Senhor deseja escrever Sua lei em nosso coração.

“Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; na sua mente imprimirei as minhas leis, também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” Hebreus 8:10

“Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.” Salmo 40:8

Quando permitimos que o Senhor escreva Sua lei em nosso coração passamos a obedecer todo lei por amor. De fato, “por amor”, é a forma correta de se obedecer a lei. O Senhor é realmente maravilhoso, pois é Ele quem concede para aquele que deseja esse amor que resulta em obediência plena. Deus seja louvado!!!

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” João 14:15

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e  Eu também o amarei e me manifestarei a ele.” João 14:21

A lei a ninguém salva, o único meio dos homens alcançarem a salvação é através da graça maravilhosa do nosso Senhor Jesus Cristo. Somos salvos unicamente pela graça.

“Sendo justificado gratuitamente, por Sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3:24

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.” Efés. 2:8.

“Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.” Romanos 3:31

Os homens não devem pensar que a lei não é mais necessária pelo fato da salvação ser unicamente através da graça. Nos textos bíblicos a seguir veremos que a lei continua sendo fundamental no plano da salvação, é através da lei que vemos nossos defeitos de caráter, é contemplando a lei que nós vemos o quanto necessitamos da salvação em Jesus. A lei é como um espelho que nos revela todas as imundícies da nossa alma, mas será através da graça do nosso Senhor que seremos transformados, purificados e salvos. Deus seja louvado!

“Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.” Romanos 3:20

“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.” Romanos 7:7

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

Pecado é transgressão da lei.

“Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é transgressão da lei.” 1°João 3:4

Onde não há lei também não há transgressão.

“Porque a lei suscita a ira; mas onde não há lei, também não há transgressão.” Romanos 4:15

Como vimos “pecado é transgressão da lei” e “onde não há lei, também não há transgressão.” Quem ousaria olhar para o nosso mundo em nossos dias e afirmar que não existe pecado ou transgressão. Concluímos sem muita dificuldade que existem muitos pecados, temos também que aceitar que ainda existe uma lei.

Que lei é essa? A santa e imutável lei de Deus!

“Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade.” Tiago 2:12

“O que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” Provérbios 28:9

Certa vez o apóstolo Paulo foi acusado de fazer par de uma determinada crença que seus acusadores chamavam “seita dos nazarenos”. A resposta de Paulo aos seus acusadores deixa muito evidente o respeito que ele, Paulo, conservava pela lei de Deus: “Porque, tendo nós verificado que este homem é uma peste e promove sedições entre os judeus esparsos por todo o mundo, sendo também o principal agitador da seita dos nazarenos.” Atos 24:5

“Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas.” Atos 24:14

Toda lei deve ser guardada

“Porque que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto Aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vem a ser transgressor da lei.” Tiago 2:10-12

A palavra de Deus afirma que toda lei deve ser obedecida. O texto bíblico que afirma que toda lei deve ser obedecida, cita o sexto e o sétimo mandamento deixando assim muito evidente para todos que esta lei que deve ser obedecida de forma integral são os dez mandamentos. Isso deveria fazer com que todos pensassem  com muito carinho no quanto mandamento da lei de Deus.

Temos um estudo bíblico intitulado “A Bíblia Fala” em que o estudo número 11 tem como título “A Lei e o Evangelho” gostaria que meus irmãos analisassem algumas questões desse estudo.

10 “Como indica S. Paulo que a pessoa salva pela graça não continuará a viver em pecado?“ Romanos 6:1 e 2, 14 e 15

“Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Romanos 6:1 e 2

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum! Romanos 6:14 e 15

13“De que maneira a pessoa nascida de novo mostrará seu amor a Deus?”

1° João 5:1-3

“Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisso conhecemos que amamos os filhos de Deus; quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus; que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos.” 1° João 5:1-3

14“Que diz a Bíblia acerca da pessoa que professa conhecer a Cristo e todavia recusa obedecer-Lhe? 1° João 2:1-4

“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo; e Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. Ora, sabemos que O temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” 1° João 2:1-4

15“Qual será a atitude da pessoa que foi salva pela graça inigualável de Deus?” Salmo 40:8

“Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.” Salmo 40:8

Vimos na questão número 10 que a pessoa salva pela graça não continuará vivendo em pecado, ou seja, não continuará transgredindo a lei de Deus.

Vimos também nas questões número 13 e 14 que demonstramos nosso amor a Deus quando guardamos Seus mandamentos e aquele que diz que conhece a Deus e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade.

Por fim vimos na questão número 15 que aquele que é salvo pela graça de Deus tem prazer em obedecer ao Senhor e tem a Sua lei dentro do seu coração.

Como procederemos agora com estas afirmações bíblicas? Esta pergunta é para para aqueles irmãos que não acreditam que nós podemos, pelo poder do Senhor Espírito Santo, deixar de viver em pecado. Que não acreditam, que nós podemos pelo poder de Deus, não transgredir a lei do Senhor e que enquanto a Ele estivermos unidos termos uma vida de plena obediência. Àqueles irmãos que não acreditam que nós podemos, pelo poder de Deus, ter a natureza transformada passando a sentir prazer em obedecer tendo Sua lei em nosso coração.

Teria esses irmãos coragem de ministrar esse estudo para aqueles que ainda não conhecem a verdadeira lei do Senhor? Creio que não seria coerente, precisamos acreditar e viver aquilo que ensinamos.

Esperamos que nossos nomes não estejam arrolados entre aqueles que são tidos por Deus como sendo mentirosos por estarem afirmando que conhecem ao Senhor e no entanto não guardam os seus mandamentos. Conhecer e aceitar os mandamentos é algo muito importante, mas para que alcancemos a salvação. Precisamos também conhecer verdadeiramente o Senhor dos mandamentos!

“Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.” Apocalipse 12:17

Nesse verso vemos que o dragão, Satanás persegue a mulher, a igreja, e vai pelejar contra “os restantes da sua descendência” que são os fiéis filhos de Deus dos últimos dias. É muito importante destacar que os fiéis filhos de Deus dos últimos dias são aqueles  “que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.”

Deseja você ser um dos fiéis filhos de Deus que guardam os Seus mandamentos e têm o testemunho de Jesus? Ore a Deus, estude a bíblia e o nosso Senhor lhe concederá essa graça maravilhosa. Fazendo assim você será muito mais feliz nesse mundo e estará em condições de alcançar a vida eterna em um mundo que lhe proporcionará plena felicidade. Deus seja louvado! Nosso Senhor pode e deseja mudar seu coração!

“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse; Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou:Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” Apocalipse 21:1-5

Tentação e Propensão

2Cristo foi tentado em todas as coisas, mas em momento algum teve propensões para pecar.

“Ellen White é as vezes bastante explícita sobre a diferença entre Cristo e as outras pessoas. Em 1890, por exemplo, ela escreveu que Cristo não assumira a natureza dos anjos, porém a humanidade, perfeitamente idêntica à nossa, mas sem mácula do pecado. (…) Sua natureza finita era pura e imaculada. (…) Não devemos tornar-nos comuns e terrenos em nossas ideias, e em nossas ideias pervertidas não devemos pensar que a possibilidade de Cristo ceder às tentações de Satanás degradou Sua humanidade e [que] Ele possuía as mesmas propensões pecaminosas e corruptas do ser humano. (…) Cristo assumiu nossa natureza caída mas não corrompida.” Ms, 57, 1890 (Em Busca de Identidade, pág. 124)

 “A combinação da natureza divina com a humana O fez capaz de ceder às tentações de Satanás. A provação de Cristo aqui foi muito maior do que a de Adão e Eva, pois Cristo tomou a nossa natureza caída, mas não corrompida; e, a menos que Ele desse ouvidos às palavras de Satanás em lugar das palavras de Deus, não seria corrompido.” Manuscrito 57, 1890 (Ellen White e a Humanidade de Cristo pág. 158)

“Eu vos apresento o grande Exemplo […] Ele realmente enfrentou e resistiu às tentações de Satanás como qualquer filho da humanidade. Somente assim poderia Ele ser um exemplo perfeito para o homem. Ele sujeitou-se à humanidade para Se familiarizar com todas as tentações com as quais o homem é assediado. Ele levou sobre Si as fraquezas e carregou as dores dos filhos de Adão.”

“Ele tornou-SE semelhante aos irmãos (Heb. 2:17). Assim como eles, também sentiu alegria e tristeza. Seu corpo era susceptível ao cansaço, como o teu. Sua mente, assim como a tua, podia ser molestada e ficar perplexa. Se tivesse provações, Ele também as teve. … Como um homem, Jesus foi exposto a duras situações, conflitos e tentações. …” Carta, 17  1878  (Ellen White e a Humanidade de Cristo pág. 148 e 149)

Dos textos mencionados podemos concluir que:

1° – Propensão é algo diferente de tentação, pois Cristo teve as tentações, foi tentado em tudo, mas não teve propensões de forma alguma.

2° – Cristo provou que é possível mesmo estando cercado de tentações não ter propensões para pecar.

Para entender melhor, segue uma pequena ilustração:

Dois amigos Paulo e Pedro, ambos casados trabalham em um mesmo lugar. No ambiente de trabalho esses dois amigos tem diariamente contato com muitas mulheres bonitas. Paulo mesmo sendo cristão se vê constantemente lutando com seus desejos carnais. A luta é bem mais difícil quando uma de suas colegas se insinua e faz uma brincadeira provocante. Fato é que Paulo se sente atormentado quando sente esses desejos carnais. Paulo sabe que esta não é uma condição que agrada a Deus, mas não sabe o que fazer para se ver livre desses desejos pecaminosos.

Pedro mesmo trabalhando no mesmo lugar não está tendo os mesmos problemas de Paulo. Pedro ama sua esposa e acima de tudo ama a Deus. Mesmo quando uma mulher lhe provoca não tem o desejo de trair sua esposa ou de entristecer a Deus. Além de não ter o desejo de trair sua esposa ou entristecer a Deus, até mesmo  pensar nesta possibilidade é algo para ele completamente repugnante.

Tentações são circunstâncias a que todos nos estamos sujeitos. Propensão é inclinação ou pendor para o mal presente no coração que não é dominado completamente pelo Senhor Espírito Santo. Propensão é desejo de pecar!

Temos uma natureza pervertida com propensões para pecar, uma natureza que gosta de pecar. Esta natureza precisa ser transformada. Mas graças ao nosso grande Deus a transformação é possível, que através do poder do Senhor Espírito Santo, o homem pode ter sua natureza transformada.

“Jesus continuou: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”.  João 3:6. O coração, por natureza, é mau, e “quem do imundo tirará o puro? Ninguém”.  Jó 14:4. Invenção alguma humana pode encontrar o remédio para a alma pecadora. “A inclinação da carne é inimizade contra Deus; pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser”. Rom. 8:7. “Do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituições, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias”. Mat. 15:19. A fonte do coração se deve purificar para que a corrente se possa tornar pura. Aquele que se esforça para alcançar o Céu por suas próprias obras em observar a lei, está tentando o impossível. Não há segurança para uma pessoa que tenha religião meramente legal, uma forma de piedade. A vida cristã não é uma modificação ou melhoramento da antiga,mas uma transformação da natureza. Tem lugar a morte do eu e do pecado, e uma vida toda nova. Essa mudança só se pode efetuar mediante a eficaz operação do Espírito Santo.” DTN, pág. 172

Esta transformação é o novo nascimento.

“A natureza humana é vil, e o caráter do homem deve ser transformado antes que possa harmonizar-se com o puro e santo no reino imortal de Deus. Essa transformação é o novo nascimento.” ST, 15/11/1883 (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 133 )

Esse é o motivo de Jesus afirmar: “Em verdade, em verdade te digo, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3:3

No novo nascimento nos tornamos co-participantes da natureza divina e então pelo poder de Deus ficamos livres das paixões e corrupções que há no mundo. O momento em que recebemos o poder do Senhor Espírito Santo, nos tornamos vencedores sobre todas as tendências herdadas ou cultivadas para o mal. Neste ponto de libertação recebemos o caráter de Cristo.

 “Pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.”II Pedro 1:4

“Descrevendo aos discípulos a obra oficial do Espírito Santo, Jesus procurou inspirar-lhes a alegria e esperança que Lhe animavam o próprio coração. Regozijava-Se Ele pelas abundantes medidas que providenciara para auxílio de Sua igreja. O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele podia solicitar do Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.” DTN, pág. 671

O resultado é maravilhoso. É um novo estilo de vida onde o pecar se tornou aborrecível, uma mudança radical, pensamentos, impulsos e ações enfim, um estilo de vida em que o coração esta plenamente em harmonia com Deus.

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência. Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com o Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. A vontade, refinada, santificada, encontrará seu mais elevado deleite em fazer o Seu serviço. Quando conhecermos a Deus como nos é dado o privilégio de O conhecer, nossa vida será de contínua obediência. Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível. Como Cristo viveu a lei na humanidade, assim podemos fazer, se nos apegarmos ao Forte em busca de força.” DTN, pág. 668

“Não precisamos reter nenhuma propensão pecaminosa.”

Purificação de todo pecado. “Precisamos compreender que pele fé em Cristo é nosso privilégio ser participante da natureza divina e livrar-nos da corrupção das paixões que há no mundo. Então somos purificados de todo pecado, de todos os defeitos de caráter. Não precisamos reter nenhuma propensão pecaminosa.” Comentários de Ellen G. White, SDABC, vol. 7, pág. 943  ( Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990 pág. 50)

O Senhor perdoa e liberta. Não poderemos entrar no Céu enquanto estivermos corrompidos por velhos gostos, inclinações ou propensões, ídolos, ideias e teorias.

Definição de perdão. ”O perdão de Deus não é meramente um ato judicial pelo qual Ele nos livra da condenação. É não somente perdão pelo pecado, mas livramento do pecado. É o transbordamento de amor redentor que transforma o coração.” O Maior Discurso de Cristo, pág. 114

“Ser perdoado da maneira que Cristo perdoa, é não somente ser perdoado, mas renovado no espírito do nosso entendimento. O Senhor diz: ‘Dar-vos-ei coração novo.’ A imagem de Cristo deve ser gravada  na própria mente, coração e alma. O apóstolo declara: ‘Nós temos a mente de Cristo.’ Sem o, processo transformador que só pode ocorrer pelo poder divino, as propensões originais para pecar permanecem no coração em toda a sua intensidade, para forjar novas algemas, para impor uma escravidão que nunca poderá ser rompida pelo poder humano. Mas os homens não poderão entrar no Céu com seus velhos gostos, inclinações, ídolos, ideias e teorias.”   Ellen G. White, Review and Herald, 19/08/1890  (Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990, pág. 43)

“Deus tomou todas as providências para nossos pensamentos se tornarem puros, elevados, aprimorados e enobrecidos. Ele não só prometeu purificar-nos de toda a injustiça, mas tomou uma real providência para o suprimento da graça que nos erguerá os pensamentos para Ele e nos habilitará a apreciar Sua santidade. Podemos reconhecer que somos possessão de Cristo e que devemos manifestar ao mundo o Seu caráter. Preparados pela graça celestial, tornando-nos revestidos da justiça de Cristo, nas vestes nupciais, e somos habilitados para participar da ceia das bodas. Tornamo-nos um com Cristo, participantes da natureza divina, purificados, aprimorados, elevados, sendo reconhecidos como filhos de Deus – herdeiros de Deus e co-herdeiros de Jesus Cristo.” The Youth’s Instructor, 28 de outubro de 1897. 1990 pág. 43 (Mente Caráter e Personalidade, pág. 660)

“O que deveis compreender é a verdadeira força da vontade. Esta é o poder que governa a natureza do homem, o poder da decisão ou de escolha. Tudo depende da reta ação da vontade. O poder da escolha deu-o Deus ao homem; a ele compete exercê-lo. Não podeis mudar vosso coração, não podeis por vós mesmos consagrar a Deus as vossas afeições; mas podeis escolher servi-Lo. Podeis dar-Lhe a vossa vontade; Ele então operará em vós o querer e o efetuar, segundo a Sua vontade. Desse modo toda a vossa natureza será levada sob o domínio do Espírito de Cristo; vossas afeições centralizar-se-ão nEle; vossos pensamentos estarão em harmonia com Ele. O desejo de bondade e santidade é, em si mesmo é louvável; de nada, porém, valerão essas virtudes, se ficarem somente no desejo. Muitos se perderão enquanto esperam e desejam ser cristãos. Não chegam ao ponto de render a vontade a Deus. Não escolhem agora ser cristãos.” Caminho a Cristo pág. 47

Senhor, eu quero ter o meu coração purificado!

Nosso principal objetivo

1Todos os homens precisam admitir que são pecadores, esta é nossa realidade. Então quando um homem admite ser pecador, porque todos nós somos, seu principal objetivo não deve ser descobrir se é um pecador habitual ou ocasional, se tem ou não o pecado como estilo de vida, se peca muito ou pouco, tentando na verdade se convencer que tem poucos pecados para então se acomodar com o sentimento que poucos pecados é tolerável, se baseando em uma falsa teologia para manter essa tolerância de um estilo de vida com “poucos” pecados. Alguns não somente toleram esse estilo de vida como também se orgulham se sentindo autênticos cristãos, imaginando talvez que uma vida com “poucos” pecados é o máximo que um cristão pode conseguir enquanto estiver neste mundo.

O principal objetivo do homem, ao admitir ser pecador, é descobrir como ficar completamente livre do pecado. Este é o desejo do Senhor para o homem.

“Todo aquele que permanece Nele não vive pecando, todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1 João 3:6

Temos encontrado algumas interpretações estranhas para este texto bíblico. Procuramos de todas as maneiras encontrar desculpas para justificar nossa permanência no pecado. O termo “pecadeiros” tem sido usado constantemente afirmando que, quando o apóstolo João afirma que não podemos permanecer pecando, ele está dizendo que não podemos ser “pecadeiros”, ou seja, não podemos ter o pecado como estilo de vida ou ser pecadores habituais.

Mas será está uma interpretação confiável? O que dizer dos pecados ocasionais? Será que o Senhor os ignora? Não seria estes pecados ocasionais um sinal de que algo dentro de nós ainda precisa ser mudado?

Você já tentou estabelecer uma diferença entre o pecador habitual e o pecador ocasional e analisar a condição destes dois tipos de pecadores? É algo bastante estranho.

Exemplos: Falar mal dos outros todos os dias, pecador habitual. Falar mal dos outros de vez em quando, pecador ocasional. Roubar todas as semanas, pecador habitual. Roubar de vez em quando, pecador ocasional.

Uma grande verdade precisa ser lembrada: pecado é pecado, pecador habitual, pecador ocasional, ambos estão caminhando para a morte.

Cremos que os Adventistas Do Sétimo Dia deveriam ter como princípio a sua opinião baseada e fundamentada na Bíblia e no Espírito de profecia. Vejamos o que a serva do Senhor, Ellen G. White, escreveu sobre 1 João 3:6: 

“Não ganhamos a salvação por nossa obediência; pois a salvação é dom gratuito de Deus, e que obtemos pela fé. Mas a obediência é fruto da fé. “Bem sabeis que Ele Se manifestou para tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado. Qualquer que permanece nEle não peca: qualquer que peca não O viu nem O conheceu”. I João 3:5 e 6. Aí é que está a verdadeira prova. Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai. A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo pág. 61-62.

A serva do Senhor não deixa margem para algum tipo de interpretação que tolere o pecado, habitual ou ocasional, e afirma  que a vida que devemos ter é “exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça.” Esta continua sendo a condição para nossa salvação e será pelo poder de Deus que os salvos alcançarão este objetivo.

“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.”Rom. 6:12-14

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1 João 3:9

 A Lição da Escola Sabatina do 4° trim. 1990 – A Carta aos Romanos, comentando estes textos bíblicos deixa claro que, no coração em que Cristo reina, não existe espaço para o pecado, seja habitual ou ocasional. “Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.”

“O pecado permanece na vida, se não reina mais nela?” Rom. 6:12-14

“Nossa natureza humana decaída certamente continua tendo propensões para o mal. Mas esse “eu” decaído é subjugado diariamente pelo poder de Cristo em nosso íntimo. (Ver Gál. 2:20.) Em Rom. 6:12, Paulo está falando sobre o perigo de ceder aos impulsos de nossa natureza humana decaída. Quando fazemos isso, o pecado reina em nosso corpo. Quando Cristo reina na vida, o pecado não poderá fazê-lo.

João enfatizou a mesma verdade. (Ver 1 S. João3:8-9.) Ele não ensinou que, embora o pecado habitual seja do diabo, o pecado ocasional é permissível. Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.

“Vencer como Cristo venceu. Apegar-se-á o homem ao poder divino, resistindo a Satanás com determinação e perseverança, como Cristo lhe deu exemplo em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação?Deus não pode salvar o homem contra a sua vontade do poder dos ardis de Satanás. O homem precisa utilizar seu poder humano, ajudado pelo divino poder de Cristo, para resistir e vencer, custe o que custar. Em suma, o homem precisa vencer como Cristo venceu.” – Testimonies, vol. 4, pág. 32-33” (Lição da Escola Sabatina 4° trim. 1990 A Carta aos Romanos pág. 74)

Vimos que na lição da escola sabatina tanto o pecado habitual como o ocasional não deve ser tolerado e a serva do Senhor afirma que precisamos vencer “como Cristo venceu.” A possibilidade de pecar continuará existindo, continuaremos sendo susceptíveis ao pecado, mas enquanto Cristo estiver realmente reinando no coração, não pecaremos, seja de forma habitual ou ocasional.

Esta é uma verdade que precisamos enfrentar. Este deve ser o nosso propósito, nosso alvo: eliminar da nossa vida completamente o pecado, habitual ou ocasional. A última geração será composta por servos de Deus que foram transformados pelo Senhor Espírito Santo e obtiveram completa vitória sobre o pecado. Que o Senhor nos ajude e nos transforme.

Para esclarecer melhor pensemos nesta estória: uma pessoa que descobre que é portadora do vírus HIV. Imaginemos que sua  primeira pergunta ao médico foi: “Então doutor eu tenho muitos ou poucos vírus?” Então o médico responde: “Bom, a doença está em sua fase inicial.” Seria ridículo se a pessoa doente interpretasse a resposta do médico como sendo uma afirmação de que ela ainda esta com poucos vírus e se acomodasse, não procurando se tratar e eliminar completamente esta doença do seu organismo. O que aconteceria com esta pessoa? A doença aumentaria, a quantidade de vírus se multiplicaria levando essa pessoa a morte. O que torna uma pessoa aidética é o fato de possuir o vírus HIV, não importando a quantidade. Muitos vírus, poucos vírus, até mesmo um vírus será fatal se o seu portador não for tratado.

O mesmo acontece com o pecado. Apenas um pecado contamina toda a alma:

“Se um pecado é nutrido na alma, ou uma prática errônea conservada na vida, todo o ser é contaminado. O homem torna-se instrumento de injustiça.” DTN, pág. 313

“Qualquer hábito ou prática conducente ao pecado, capaz de trazer desonra sobre Cristo, convém ser posto de lado, seja qual for o sacrifício. Aquilo que desonra a Deus, não pode ser benéfico à alma. A bênção do Céu não pode seguir qualquer homem no violar os eternos princípios do direito. E um pecado alimentado é suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” DTN, pág. 439

Vimos que um pecado se não for eliminado é “suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” Então concluímos que assim como uma pessoa que tem AIDS  de lutar pela eliminação do vírus em seu organismo, nós também devemos lutar pela eliminação completa do pecado em nossa vida. Devemos dar graças a Deus porque a eliminação do pecado de forma plena é possível através do sangue de Jesus.

“Se, porem, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7

“Ponde a vontade do lado de Cristo. Desejai servi-Lo e, agindo sobre Sua Palavra, recebereis força. Seja qual for a má prática, a dominante paixão que, devido à longa condescendência, acorrenta alma e corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. Comunica vida à alma morta em ofensas. Efés. 2:1. Porá em liberdade o cativo preso pela fraqueza, o infortúnio e as cadeias do pecado.” DTN, pág. 203

Certa vez perguntei a um irmão o que ele pensava sobre a possibilidade de perfeição de caráter, passar a viver sem pecar. Este irmão pensou e então respondeu que acreditava ser possível chegar bem perto da perfeição, quase perfeito, uma vida quase sem pecado. Bom este irmão foi sincero e é isso que a maioria pensa. E assim como este irmão, a grande maioria acredita que perfeição de caráter e passar a viver sem pecar é impossível. Algum detalhe, algum pequeno detalhe impediria a plena perfeição.

Vejamos o que a serva do Senhor diz sobre aqueles que não renunciaram “completamente” a seus maus hábitos, cristãos quase perfeitos, uma vida quase sem pecados.

“Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam, porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.” Parábolas de Jesus pág. 118

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e aumente nossa fé. Este é um assunto é essencial e extremamente importante para nossa salvação. Precisamos buscar a plena libertação do pecado para nossa vida e também para que possamos ser mensageiros do Senhor, levando a todos que estão escravizados pelo pecado, esta mensagem maravilhosa, de libertação plena do pecado que o Senhor esta nos oferecendo.

“Quando alguém se volta da imperfeição humana para contemplar a Jesus, dá-se uma divina transformação no caráter. O Espírito de Cristo que opera no coração conforma-o a Sua imagem. Seja pois vosso esforço exaltar a Jesus. Que os olhos do espírito se dirijam ao “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João 1:29. Empenhando-vos nesta obra, lembrai-vos de que “aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados”. Tia. 5:20.” Parábolas de Jesus pág. 250-251

Jesus é o nosso libertador! Falemos a todos que não precisamos mais viver como escravos do pecado.

“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar as boas novas aos quebrantados aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1

NOSSO GRANDE DEUS É REALMENTE MARAVILHOSO!!!

 QUE O SENHOR SEJA LOUVADO HOJE E SEMPRE!!!

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150

O senhor pecado

imagesHá muito tempo surgiu um novo personagem no universo. Aqui vamos chama-lo de senhor pecado. O porquê do seu surgimento é um mistério. O Rei do universo sempre soube que a presença deste personagem causaria muitos sofrimentos.

O Rei lhe deu liberdade para que ficasse bem evidente os efeitos devastadores causados pela presença desse terrível senhor. Com o passar do tempo ficou bem claro que o Rei estava certo. A presença do senhor pecado nos trouxe sofrimentos, doenças, morte, infelicidade e mais uma infinidade de coisas ruins.

O senhor pecado se apoderou do nosso planeta, escravizou os seus habitantes, mas o Filho do Rei veio até nós com a missão de julgá-lo, condená-lo e também resgatar todos que haviam sido escravizados por ele. E assim foi feito. O senhor pecado foi vencido, julgado e condenado pelo Filho do Rei. A sentença foi sua completa destruição. Será destruído Lúcifer porque nele se originou o senhor pecado e ele não o repeliu. Também serão destruídos anjos e homens que insistem em manter a presença do referido senhor no coração. O Rei executará esta sentença somente quando for completada a obra de libertação a todos que desejam se livrar do senhor pecado.

Precisamos saber que o Filho do Rei proveu um meio de libertação para todos que desejarem romper com a escravidão que o senhor pecado impõe. O Filho do Rei derramou Seu próprio sangue e este é o único meio de encontrar cura e libertação completa do senhor pecado àqueles que desejarem. É muito importante também, saber que todos que mantiverem algum tipo de ligação com o senhor pecado serão destruídos juntamente com ele. É extremamente necessário que eliminemos todos os laços com esse senhor condenado.

Mesmo sendo necessário para humanidade romper com o senhor pecado para não ser destruída, a grande maioria das pessoas insistem em continuar unidos a ele. Infelizmente aprendemos gostar do senhor pecado. É difícil de entender o fato de mesmo o senhor pecado causando tantos sofrimentos, ainda insistimos em viver unidos a ele, o levamos para todos os lugares.

O senhor pecado se manifesta em nossa vida familiar  no trabalho, no lazer, enfim, onde quer que estejamos quase sempre lá está ele. Até mesmo para a igreja ele vai conosco, não para que seja expulso da vida das pessoas lá, mas gostamos do senhor pecado. Entramos e saímos com ele. E o pior é que, quando alguém fala alguma coisa contra o senhor pecado na igreja, seus amigos ficam furiosos.

Sem muito esforço, o senhor pecado consegue corroer nossos melhores sentimentos, atos  e momentos. Transforma nosso amor em indiferença, nosso respeito em egoísmo, nossa fé em descrença, nossa alimentação em glutonaria ou intemperança, nosso tempo em recreações banais, nosso encontro com Deus em obrigação. Um cristianismo repleto de teorias, somente teorias.

Triste realidade, o senhor pecado se tornou muito popular. De maneira sorrateira e disfarçada ele se aproxima, conquista corações proporcionando prazeres momentâneos, mas o resultado final é sempre o mesmo, dor, sofrimento e morte.

Algumas pessoas por estarem enganadas e conquistadas, defendem o senhor pecado como se fossem seus advogados. Ignoram o fato de ser esta uma causa perdida uma vez que esse senhor já foi julgado e condenado pelo Rei. Mesmo assim insistem em defendê-lo arrumando uma série de argumentos como natureza, circunstâncias e outros para justificarem a permanência deste senhor em suas vidas. Alguns declaram abertamente: “Impossível viver sem ele!” Quanta amizade, quanto apego, quanta lealdade. Seria melhor que esta relação de amizade, apego e lealdade fosse demonstrada ao Filho do Rei e o resultado, com certeza, seria bem diferente, seria vida abundante e não destruição e morte.

Parece incrível, mas o senhor pecado pode surgir mesmo entre homens que falam em nome do Filho do Rei. Quando algumas pessoas falam coisas que ferem os interesses do senhor pecado, ele se manifesta em reuniões na forma de injustiça contra estas pessoas que ousaram combatê-lo. Parece que o senhor pecado tem pessoas para defende-lo em todos os lugares. Misericórdia Senhor!

Em breve o Filho do Rei aparecerá para destruir o senhor pecado com todos os seus amigos. Se você deseja não ser destruído e alcançar a vida eterna, em nome de Jesus Cristo separe-se completamente do senhor pecado. O Filho do Rei deseja e tem poder suficiente para te livrar.

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado”, ou seja, com o senhor pecado; “antes, Aquele que nasceu de Deus” o Filho do Rei, “o guarda”, “e o maligno” o senhor pecado, Satanás, “não lhe toca.”

Louvado seja o Senhor Jesus Cristo!

Nota: Este texto é uma alegoria sobre a escravidão que escolhemos estar. É também um desabafo contra as ações que o pecado tem provocado na vida dos filhos de Deus. Não queremos ofender ninguém. Porém queremos de uma forma simples, levar a um questionamento sério sobre a vida que levamos e a vida de liberdade que Deus quer que tenhamos. “E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ” Jo 8:32

Esfera Humana

111Mensagens preciosas de Ellen G. White, a serva do Senhor, sobre o assunto de perfeição na esfera humana:

“O ideal de Deus para com Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei um transcrito de Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo; e qual foi a norma dada por Ele a todos quantos nEle crêem? “Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua elevada esfera de ação, assim o homem pode ser perfeito em sua esfera humana.” Conselhos Aos Pais, Professores E Estudantes pág. 365

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera.” Medicina e Salvação, págs. 112 e 113. (Maranata, O Senhoe Vem MM 1977 pág. 225

Não é raro ouvirmos pessoas falarem em perfeição na esfera humana. Bom, a princípio não há nada de errado porque, como vimos, Ellen G. White  escreveu diversas vezes sobre a perfeição na esfera humana.

Infelizmente ao que parece quando algumas pessoas falam de perfeição na esfera humana querem com isso afirmar a existência de perfeição “com defeitos”. Para elas, a perfeição sem defeitos ou sem pecado, é impossível. Então a solução seria buscar essa perfeição na esfera humana na qual ele mesmo tendo algum defeito ou pecado seria considerado perfeito pelo nosso Deus.

Pensar em perfeição com pecado não é ter certa tolerância com o pecado?

Pois bem, enquanto tivermos alguma tolerância com o pecado, a verdadeira piedade não acontecerá. A serva do Senhor afirma: “A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso De Cristo pág. 91

Agora veremos que a serva do Senhor ao citar “perfeição na esfera humana”, não estava se referindo a um tipo de perfeição na qual o homem mesmo tendo algum defeito seria considerado perfeito por Deus: “Nossa conversação deve ser santa. Como Deus é santo em Sua esfera, sejamos santos em nossa esfera. Exultemos no precioso Salvador, o qual morreu para resgatar-nos, e reflitamos a glória de volta a Deus. Unamo-nos com o céu em nossos louvores aqui e com os cânticos dos anjos celestiais na cidade de nosso Deus.” Fé E Obras pág. 79

Será que santidade na esfera humana é também um tipo de santidade onde o Senhor tolera a existência de algum pecado? E o que dizer do verso bíblico a seguir?

“Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.” 2° Coríntios 7:1

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera. Os que recebem a Cristo acham-se entre o número daqueles aos quais são pronunciadas as palavras tão cheias de esperança: “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome.” João 1:12. Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter, um caráter formado à semelhança divina. Ao se processar um caráter tal, a vida, a fé, a pureza da religião, constituem um exemplo edificante para outros. Medicina e Salvação, págs. 112 e 113.; Maranata O Senhor Vem,MM 1977 pág. 225

Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter […]”. Convenhamos irmãos, perfeição com algum defeito não é de forma alguma “o melhor e mais elevado caráter”.

“Ninguém precisa deixar de alcançar em sua esfera a perfeição do caráter cristão. Pelo sacrifício de Cristo, foi tomada providência para que o crente receba todas as coisas que dizem respeito à vida e piedade. Deus nos convida a alcançarmos a norma da perfeição, e põe diante de nós o exemplo do caráter de Cristo. O Salvador mostrou, por meio de Sua humanidade consumada por uma vida de constante resistência ao mal, que, com a cooperação da Divindade, podem os seres humanos alcançar nesta vida a perfeição de caráter. Esta é a certeza que Deus nos dá de que também nós podemos alcançar a vitória completa. “Atos dos Apóstolos, págs. 530-532.(Refletindo A Cristo, MM 1986 pág. 306)

O nosso exemplo, nosso alvo e objetivo deve ser ter o caráter de Cristo e Ele não tinha defeito algum. É nos dado a certeza de que nós também podemos alcançar a vitória completa.

“Os homens e mulheres que se acham à testa de uma missão, necessitam de íntima ligação com Deus, a fim de se conservarem puros, e saberem dirigir criteriosamente a juventude, de modo que os pensamentos de todos sejam impolutos e sãos. Sejam as lições dadas de caráter elevado, enobrecedor, para que a mente se encha de pensamentos puros e semelhantes aos de Cristo. “Qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.” I João 3:3. Como Deus é puro em Sua esfera, assim o homem deve ser na sua. E será puro, se Cristo, a esperança da glória, habitar no interior; pois ele imitará a vida de Cristo e refletirá  Seu caráter.” Obreiros Evangélicos pág. 366

O homem sendo puro em sua esfera imitará a vida de Cristo e refletirá Seu caráter. Imitará o homem a vida de Cristo e refletirá Seu caráter ainda tendo algum defeito, algum pecado?

Como vimos perfeição na esfera humana não é de forma alguma um tipo de perfeição ainda com defeitos ou pecados. Os próximos dois próximos textos nos ajudará entender o significado de perfeição na esfera humana:

 “Ele nos diz que sejamos perfeitos como Ele o é – da mesma maneira. Cumpre-nos ser centros de luz e bênção para o nosso pequeno círculo, da mesma maneira que Ele o é para o Universo. Nada temos de nós mesmos, mas a luz de Seu amor resplandece sobre nós, e devemos refletir-lhe a glória. “Bons na bondade que Ele nos empresta”, podemos ser perfeitos em nossa esfera, da mesma maneira que Deus é perfeito na Sua. Jesus disse: “Sede… perfeitos, como é perfeito vosso Pai.” Mat. 5:48. O maior Discurso De Cristo pág. 77

Há impressões que estão sendo causadas em todo o tempo. Há uma atmosfera que circunda a alma humana, e essa atmosfera é celestial ou infernal. Só há duas linhas distintas. Ou estamos do lado da questão que é de Cristo, ou do lado do inimigo. E se estamos continuamente extraindo raios da gloriosa luz divina, anjos de Deus se encontram ao nosso redor, e há uma atmosfera que circunda a alma humana. Nossa própria atitude, nossas próprias palavras dão testemunho de genuína conversão a todos os que estão dentro da esfera de nossa influência. “O Espírito e a esposa dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha.” Apoc. 22:17; Fé E Obras pág. 65

Aqui podemos encontrar um significado de esfera humana, “nosso pequeno círculo”, nossa “esfera de influência” seria a esfera humana. O universo é a esfera de influência de Deus. Agora não podemos é aceitar de forma alguma a possibilidade de existência de uma perfeição com defeitos ou pecados, sendo essa tal perfeição o máximo que o homem poderá alcançar. Nosso objetivo deve ser viver como Cristo viveu, sem pecado e acreditem pelo poder do Senhor, que isso é possível  o Senhor pode nos conceder essa graça maravilhosa. Deus seja louvado!

 “O grande Mestre veio a nosso mundo, não somente para fazer expiação pelo pecado, mas também para ser um mestre tanto por preceito como pelo exemplo. Veio mostrar ao homem como guardar a lei na humanidade, de modo que ele não tivesse nenhuma desculpa para seguir seu próprio critério imperfeito. Vemos a obediência de Cristo. Sua vida era sem pecado. A obediência durante toda a Sua vida é uma censura à humanidade desobediente. A obediência de Cristo não deve ser posta de lado como se fosse completamente diferente da obediência que Ele requer de nós individualmente. Cristo nos mostrou que é possível para toda a humanidade obedecer às leis de Deus. ”ME, vol. 3 pág. 135

“A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino.Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado.” Nossa Alta Vocação p. 46

“Esta foi a posição que Cristo ocupou quando veio ao nosso mundo, entrando em conflito com o líder rebelde dos anjos caídos. Deus formulou um plano, e Cristo aceitou a posição. Ele concordou em encontrar o inimigo diretamente, como todo ser humano deve fazer. Foram-Lhe providos todos os poderes celestes para ajudá-Lo nesse grande conflito; e o homem, se andasse no caminho e na vontade de Deus, receberia o mesmo poder preservador. As mesmas inteligências celestiais ministram àqueles que serão herdeiros para a salvação, para que possam vencer toda tentação, grande ou pequena, como Cristo venceu.”Olhando Para O Alto pág. 42

 O Filho de Deus era irrepreensível.“Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita.” Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus pág. 154

“Como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam os Seus seguidores. Cumpre-nos viver, em Sua força, a vida de pureza, a vida nobre vivida pelo Salvador.” Testimonies, vol. 8, págs. 286 e 289. Filhos e Filhas de Deus pág. 21

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado De Deus MM 1995,pág. 320

“Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isto é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová.”  Parábolas de Jesus, pág. 312.

“A santificação não é obra de um momento, uma hora, ou um dia. É um contínuo crescimento na graça. Não sabemos um dia qual será nossa luta no dia seguinte. Satanás vive e está ativo, e precisamos cada dia clamar fervorosamente a Deus por auxílio e força para resistir-lhe. Enquanto Satanás reinar, teremos de subjugar o próprio eu, teremos assaltos a vencer, e não há lugar de parada, nenhum ponto a que possamos chegar e dizer que atingimos plenamente. […] A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus coloca-Se como refinador e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação.”     Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 112-114.; Maranata O Senhor Vem pág. 87

Deus seja louvado!

Perfeito em cada fase

planeta-vegetariano-planta-dor“A germinação da semente representa o início da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. A planta precisa crescer ou morrer. Como seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas constante, assim é o desenvolvimento da vida cristã. Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida. Multiplicando-se as oportunidades, ampliar-se-á nossa experiência e crescerá nosso conhecimento. Tornar-nos-emos fortes para assumir as responsabilidades, e nossa maturidade será proporcional aos nossos privilégios.” Parábolas de Jesus, págs. 63, 65-67; Maravilhosa Graça pág. 281

Algumas pessoas explicam este texto estabelecendo um paralelo entre o desenvolvimento físico de uma pessoa com seu desenvolvimento espiritual.

Partindo deste pressuposto, uma criança recém nascida não tem dentes, não anda, no entanto ela é perfeita. Essa criança passará por fases de desenvolvimento nos quais mesmo tendo alguma coisa para ser desenvolvida ela será considerada perfeita levando em consideração a sua idade. A perfeição absoluta será atingida somente quando essa criança atingir a fase adulta onde então ela terá atingido o pleno desenvolvimento do seu aspecto físico. Fica bem evidente que o fator tempo é essencial para o desenvolvimento físico. É impossível para uma criança chegar na fase adulta sem que ela passe pelos anos necessários para ela atingir o pleno desenvolvimento.

Agora eu pergunto:

Será que no plano espiritual o fator tempo também é essencial? Será impossível para uma pessoa atingir a perfeição, a fase “adulta” no plano espiritual sem o fator tempo?

Vamos imaginar a seguinte situação:

Um indivíduo se entrega a Deus, nesse momento ele tem um caráter defeituoso, ainda não aperfeiçoado, uma vida cheia de pecados. O Senhor o aceita e diz: “Tudo bem meu filho, eu te aceito. Mas agora eu preciso de alguns anos, mais ou menos uns dezoito anos. Antes impossível. Durante esse tempo você passará por fases de desenvolvimento até atingir a fase adulta, a perfeição de caráter.”

Isso não lhe parece ridículo?

Será que existem mesmo algumas fases de desenvolvimento do homem nas quais o Senhor o considera perfeito, preparado para a salvação, mesmo que ele ainda tenha algum defeito de caráter não corrigido?

Vamos supor que alguém dê a seguinte resposta: “Sim, essas fases existem e a pessoa que estiver nela é considerada perfeita por Deus, poderá ser salva mesmo que ainda tenha algum defeito de caráter.”

Suponhamos então que uma pessoa morresse em uma dessas fases de desenvolvimento. Essa pessoa morreu tendo ainda algum defeito de caráter, tendo mesmo que um pequeno pecado não vencido, não abandonado. 

Podemos afirmar que essa pessoa não pode ser salva e que aqueles que afirmam o contrário estão completamente enganados.

“A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” Ellen G. White, DTN, pág. 668

“Nossos Traços de Caráter não se Alterarão. Se quereis ser santos no Céu precisais ser primeiro santos na Terra. Os traços de caráter que acalentais na vida não serão modificados pela morte ou pela ressurreição. Saireis da sepultura com a mesma disposição que manifestastes em vosso lar e na sociedade. Jesus não altera o caráter em Sua vinda. A obra de transformação tem de ser efetuada agora. Nossa vida diária está determinando o nosso destino. Precisamos arrepender-nos dos defeitos de caráter, vencê-los pela graça de Cristo e formar um caráter simétrico neste período de prova, a fim de que sejamos habilitados para as mansões lá do alto. Manuscript Releases, vol. 13, pág. 82.” Eventos Finais pág. 295

Considerar que uma pessoa possa ser salva mesmo tendo morrido em uma destas fases de desenvolvimento, com essa “perfeição ainda com defeitos”, é ignorar esses dois últimos textos do Espírito de profecia. É afirmar que o Senhor salvará essa pessoa mesmo estando ela ainda “em pecado,” com algum pecado, mas vimos que o Senhor salva os homens do pecado não em pecado. 

Se existisse a possibilidade do Senhor salvar alguém que morreu em uma dessas fases de desenvolvimento ainda tendo algum defeito de caráter, Ele teria para isso que mudar o caráter dessa tal pessoa na ressurreição ou na volta de Jesus. Vimos, no entanto, que a serva do Senhor afirmou de uma forma muito clara que isso não acontecerá.

Sendo que o caráter não será mudado nem na ressurreição nem na volta de Jesus eu tenho que aceitar a realidade de que, quem morreu com defeitos de caráter perdeu a salvação, a menos que eu pense na possibilidade absurda do Senhor levar para o céu alguém com defeito de caráter.

Eu não posso estabelecer um paralelo entre o desenvolvimento espiritual e o desenvolvimento físico. No desenvolvimento espiritual, o nosso maravilhoso Deus não precisa de tempo para nos transformar. Ele pode e deseja nos transformar agora.

“Em alguns casos de cura, Jesus não concedeu imediatamente a bênção buscada. No caso da lepra, todavia, tão depressa foi feito o apelo, seguiu-se a promessa. Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração talvez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, porém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa.” DTN, pág.266

É verdade que o aperfeiçoamento de caráter normalmente leva muito tempo, mas isso acontece devido nossa negligência e desinteresse em buscar a transformação do nosso caráter e não porque o Senhor não queira ou não tenha poder para nos transformar o quanto antes.

“A santificação não é uma obra instantânea, mas progressiva, assim como a obediência é contínua. Enquanto Satanás nos importunar com suas tentações, a batalha pela vitória sobre o próprio eu terá de ser travada reiteradas vezes; mas pela obediência, a verdade santificará a alma. Os que são leais à verdade irão, pelos méritos de Cristo, vencer toda debilidade de caráter que tem feito com que sejam moldados por toda e multiforme circunstância da vida.” Ellen G. White, Fé e Obras pág. 85

“A santificação é obra, não de um dia ou um ano, mas de toda uma vida. A luta pela conquista do próprio eu, da santidade e do Céu, é luta vitalícia. … A santificação de Paulo foi resultado de um constante conflito consigo mesmo. Disse ele: “Cada dia morro.” I Cor. 15:31. … É pelo esforço incessante que mantemos a vitória sobre as tentações de Satanás. A integridade cristã tem de ser buscada com irresistível energia, e mantida com resoluta firmeza de propósito.” Review and Herald, 15 de outubro de 1908.(Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 26)

É também verdade que aqueles que atingirem a perfeição de caráter continuarão no processo de santificação porque como vimos nos dois últimos textos à santificação é uma obra “progressiva”, é uma obra de “toda uma vida”. Agora a sua santificação consistirá em estar se separando ou recusando todas as propostas do inimigo para pecar. Estarão continuamente enquanto estiverem nesse mundo se separando das coisas que não fazem parte  do reino de Deus.

A integridade cristã deve ser “buscada” e “mantida”. A santificação daqueles que tem um caráter perfeito será a obra de manter a integridade cristã.

Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. […] Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida.” Ellen G. White, Maravilhosa Graça, pág. 281

Como entender esse texto? Mesmo aqueles que possuírem no poder de Deus um caráter perfeito continuarão tendo um crescimento constante. Como entender esse crescimento?

Aqueles que tendo obtido no Senhor um caráter perfeito serão submetidos a provas constantes enquanto estiverem nesse mundo repleto de pecado. A cada prova vencida, a cada fase ou etapa vencida, estes  servos de Deus sairão mais fortalecidos, mais mansos, mais pacientes, mais confiantes no poder de Deus, mais amorosos ao nosso Deus e ao próximo, mais sábios. É neste sentido que os possuidores de perfeição moral continuarão sendo perfeitos em cada fase e com crescimento constante.

O crescimento de uma planta é sim uma boa maneira para entendermos o crescimento e desenvolvimento de um caráter que já é perfeito. Uma planta é perfeita em cada fase de seu desenvolvimento, mas após cada fase ela se torna maior, mais forte, mais bonita. Esse é o motivo da serva do Senhor afirmar:

“A germinação da semente representa o início da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento.” Parábolas de Jesus, págs. 63, 65-67; Maravilhosa Graça, pág. 281

Para finalizar gostaria que os irmãos analisassem mais esse argumento:

Imagina-se que uma pessoa realmente precise de anos ou a vida inteira para o aperfeiçoamento do caráter e ser libertada da escravidão do pecado. Esta pessoa se justifica alegando ainda não ter tido tempo suficiente para essa transformação. Não seria esta uma boa desculpa para pecar?

 Mas a serva do Senhor é muito clara ao afirmar: “Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente. O ideal do caráter cristão, é a semelhança com Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua.” DTN, pág.312

A nossa incredulidade impede que o Senhor faça esta obra maravilhosa em nossa vida. Vamos orar mais irmãos, pedir ao Senhor que aumente nossa fé, vamos parar de arrumar desculpas para o pecado. O Senhor deseja e pode nos dar, antes que seja tarde de mais, a perfeição de caráter, nos livrando completamente do pecado. Que o nosso Senhor seja louvado!

“Deus requer perfeição moral em todos. Os que receberam luz e oportunidades devem, como mordomos de Deus, aspirar à perfeição, e nunca, nunca baixar a norma de justiça a fim de acomodar tendências herdadas e cultivadas para o mal. Cristo tomou sobre Si nossa natureza humana e viveu nossa vida, para mostrar-nos que podemos ser semelhantes a Ele participando da natureza divina.”  Carta 9, 1899. Este Dia Com Deus pág. 30

“Quando Deus deu Seu Filho ao mundo, tornou possível a homens e mulheres serem perfeitos mediante o uso de toda capacidade do seu ser para glória de Deus. Em Cristo deu-lhes as riquezas de Sua graça, e o conhecimento de Sua vontade. Ao esvaziarem-se do eu e aprenderem a andar em humildade, buscando orientação de Deus, os homens estariam capacitados a cumprir o elevado propósito de Deus para eles.” Review and Herald, 22 de abril de 1909. Cuidado De Deus MM 1995, pág. 246

“O ideal de Deus para Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o pensamento humano. “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:48. Este mandamento é uma promessa. O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar.” DTN, pág. 311

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado De Deus MM 1995,pág. 320

Deus quer nos dar perfeição de caráter, perfeição moral, nos livrando da escravidão do pecado para que estejamos realmente preparados para a volta de Jesus. Que o nosso maravilhoso Deus seja louvado!!!

“O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.” 1° Tess. 5:23