O desejo do Senhor para Sua igreja

igrejaNão é raro vermos pessoas arrumando justificativas para a existência e permanência das coisas erradas ou pecados que existem na vida e na igreja. É verdade que não temos o direito de ficarmos julgando nossos irmãos, apontando seus pecados. Mas será que o Senhor deseja que Sua igreja seja composta por pessoas que se conformam em viver no pecado como se não houvesse livramento?

Definitivamente não podemos nos acomodar no pecado. Devemos estar buscando na graça de Deus uma purificação “PESSOAL”, orando uns pelos outros e exortando com amor para que todos sintam o desejo de buscar a verdadeira santificação para que assim a igreja de Deus possa ser purificada. Agindo assim não estaremos envergonhando o nosso Deus nem desonrando o Seu nome.

“Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.”  Efésios 5:27

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”  1 Tessalonicenses 5:23

É o desejo do Senhor encontrar Sua igreja sem mácula e aqueles que serão salvos naquele dia serão encontrados vivendo de forma irrepreensível. Não devemos e não podemos nos acomodar no pecado. Não basta estar na igreja para ser salvo. É necessário uma aceitação real de Jesus. Devemos permitir que Ele nos purifique e nos liberte completamente do pecado.

Certa vez ouvi a seguinte frase: “A igreja não é um museu de santos mas sim um hospital para pecadores.”

Essa frase faz muito sentido, a igreja é realmente um hospital para pecadores. No entanto não devemos permitir que por causa da nossa negligência esse “hospital para pecadores” se transforme em um “museu para pecadores.”

Temos a certeza que nesse “hospital para pecadores” temos um médico maravilhoso, Jesus Cristo, que é perfeitamente capaz de curar completamente essa doença chamada pecado.

Não faz muito tempo ouvi dois pregadores pregarem um mesmo sermão no qual eles colocavam a arca como sendo um símbolo da igreja, sendo assim as características da arca também seriam as características da igreja. Achei estranho quando vi as características da arca que aqueles pregadores estavam destacando. Eles afirmavam que a arca era, “escura, barulhenta e mal cheirosa”. O barulho e o mal cheiro eram provocados pelos animais.

Foi então que percebi que aquele sermão de certa forma criava certa tolerância para com o pecado em nossa igreja como sendo uma coisa natural, inevitável, como sendo algo que temos que aceitar e conviver. Com todo respeito que meus irmãos merecem, até mesmo porque o sermão havia sido pregado por um pastor em outra ocasião e eles trouxeram para a igreja, não concordo com esse tipo de pensamento.

Devemos amar o pecador, mas devemos também odiar o pecado e não sermos tolerantes com ele. Cristo odiava a iniquidade. Hebreus 1:9

  • Nossa maior necessidade

Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 121

Nossa maior e mais urgente necessidade é “um reavivamento da verdadeira piedade.” A primitiva piedade começa quando termina transigência toda com o pecado:

“A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso de Cristo, pág. 91

Se não eliminarmos toda transigência ou tolerância para com o pecado a verdadeira piedade não começará entre nós.

Voltemos às características que segundo aqueles irmãos a arca possuía. Segundo eles a arca era “escura, barulhenta e mal cheirosa”. Em primeiro lugar podemos afirmar definitivamente que a arca não era escura:

“Tinha uma altura de três andares, com apenas uma porta, que ficava ao lado. A luz entrava por cima, e os diversos compartimentos eram de tal maneira arranjados que todos eram iluminados. O material empregado na construção da arca era o cipreste, ou madeira de Gofer, a qual estaria isenta de apodrecimento durante centenas de anos.” Patriarcas e Profetas, pág. 95-96

Deus é luz, a primeira coisa que o Senhor criou em nosso mundo foi a luz. Nosso Deus não gosta das trevas e não permitiria que Seus filhos ficassem tanto tempo confinados em um lugar escuro. Se fosse necessário, assim como a nova Jerusalém não precisará do sol para iluminá-la por causa da presença do Senhor, da mesma forma a presença do Senhor na arca a iluminaria.

Quanto ao barulho na arca é verdade que, quando o dilúvio começou, os animais assustados fizeram muito barulho. Mas novamente perguntamos, será que o Senhor permitiria que Seus filhos ficassem durante tanto tempo confinados em um lugar barulhento? Acredito que não. Isso não faria bem para eles e nosso Deus é um Deus de ordem e não de confusão. (Ver 1Cor. 14:33)

Sendo que a arca era um tipo da igreja então o Senhor não permitiria que ela fosse um lugar com barulho constante. Devemos lembrar que tudo ali era um milagre: a construção da arca, a entrada dos animais na arca, o próprio dilúvio. Seria demais imaginar que o Senhor poderia fazer com que os animais não fizessem constantemente barulho na arca?

E quanto à arca ser mal cheirosa? Podemos afirmar também com certeza que o Senhor não permitiria que Seus Filhos ficassem confinados tantos dias em um ambiente com o ar poluído, com mau cheiro.

“A superfície toda da Terra ficou transformada com o dilúvio. Uma terceira maldição terrível repousou sobre ela em consequência do pecado. Começando a água a baixar, as colinas e montanhas ficaram rodeadas de um mar vasto, ameaçador. Todos os lugares estavam juncados de corpos mortos de homens e animais. O Senhor não permitiria que estes ficassem a decompor-se e contaminar o ar; fez, portanto, da Terra um vasto cemitério. Um vento violento que fez soprar com o fim de enxugar as águas, removeu-os com grande força, levando mesmo em alguns casos os cumes das montanhas, e amontoando árvores, pedras e terra em cima dos corpos dos mortos.” Patriarcas e Profetas, pág. 108-109

Vimos nesse texto que o Senhor providenciou meios para que Noé e sua família não ficassem em um ambiente com o ar poluído após o dilúvio. Podemos então concluir que Deus também não permitiria que eles ficassem todo aquele tempo confinados em um lugar com o ar poluído.

O acampamento de Israel

“Foi ordenada uma limpeza escrupulosa bem como uma ordem estrita por todo o arraial e arredores. Pôs-se em execução um regulamento sanitário completo. A toda pessoa que estivesse imunda por qualquer motivo, era vedado entrar no acampamento. Tais medidas eram indispensáveis para a conservação da saúde em meio de uma multidão tão vasta; e também necessário era que se mantivessem ordem e pureza perfeitas, para que Israel pudesse desfrutar da presença de um Deus santo. Assim Ele declarou: “O Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar e entregar os teus inimigos diante de ti: pelo que o teu arraial será santo.” Patriarcas E Profetas, pág. 375

Vemos também nesse texto a necessidade de “uma limpeza escrupulosa bem como uma ordem estrita por todo o arraial e arredores.” Um regulamento sanitário completo. “Tais medidas eram indispensáveis para a conservação da saúde em meio de uma multidão tão vasta; e também necessário era que se mantivessem ordem e pureza perfeitas, para que Israel pudesse desfrutar da presença de um Deus santo.”

Agora perguntamos: Seria as necessidades para conservação da saúde e para desfrutar da presença de Deus, na arca, diferente daquelas condições necessárias para que o mesmo acontecesse no arraial? A coerência nos obriga dizer que não.

Então temos mais um motivo para concluir que a arca era um lugar limpo.

Não devemos ficar tentando arrumar justificativas para o pecado em nossa vida ou em nossa igreja. O que o Senhor deseja realmente é nos purificar e purificar Sua igreja. É verdade que o joio estará na igreja até o fim. Devemos lembrar de que o joio é a parte da igreja que não herdará a salvação e que será sacudida para fora da igreja pouco antes de Jesus voltar. No final os salvos serão aqueles que farão parte da igreja triunfante. Uma igreja composta por homens e mulheres purificadas pelo sangue de Jesus. Deus seja louvado!

“A infidelidade prevalece em medida alarmante, não apenas no mundo, mas na igreja. Muitos têm chegado a negar doutrinas que são colunas da fé cristã. Os grandes fatos da criação como apresentados pelos escritores inspirados; a queda do homem, a expiação, a perpetuidade da lei – eis aí doutrinas praticamente rejeitadas por grande parte do professo mundo cristão. Milhares que se orgulham de seu conhecimento, consideram uma evidência de fraqueza a implícita confiança na Bíblia, e uma prova de erudição sofismar das Escrituras, e alegorizar e atenuar suas mais importantes verdades. Os cristãos devem estar-se preparando para aquilo que logo irá cair sobre o mundo como terrível surpresa, e esta preparação deve ser feita mediante diligente estudo da Palavra de Deus e pelo levar a vida na conformidade com os seus preceitos. As tremendas questões de eternidade demandam de nossa parte algo mais que uma religião de pensamento, uma religião de palavras e formas, onde a verdade é mantida no recinto exterior. Deus pede um reavivamento e uma reforma.” Profetas e Reis, pág. 626- 627

“Revestida da armadura da justiça de Cristo, a igreja deve entrar em seu conflito final. “Formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras” (Cant. 6:10), deve ela ir a todo o mundo, vencendo e para vencer.” Profetas Reis, pág. 725.

Gostaria que meus irmãos lessem com muita atenção os textos a seguir onde veremos nossa responsabilidade como membros da igreja de Deus:

“Os pastores pregam coisas agradáveis para convirem a esses que professam a religião de um modo carnal. Não ousam pregar a Jesus e as verdades incisivas da Bíblia; pois, se assim fizessem, esses que carnalmente são professos da religião não permaneceriam na igreja. Mas, sendo que muitos deles são ricos, deverão ser conservados, embora não estejam mais em condições de ali se achar do que Satanás e seus anjos. Isto é exatamente como Satanás desejava. Faz-se com que a religião de Jesus pareça popular e honrada aos do mundo. Declara-se ao povo que aqueles que professam a religião serão mais honrados pelo mundo. Tais ensinos diferem mui grandemente dos de Cristo. Sua doutrina e o mundo não podiam estar em paz. Aqueles que O seguiam tinham de renunciar o mundo. Estas coisas agradáveis originaram-se com Satanás e seus anjos. Eles formularam o plano, e cristãos de nome o levaram a efeito. Ensinavam-se fábulas aprazíveis e com facilidade eram recebidas; e hipócritas e declarados pecadores uniram-se com a igreja. Se a verdade tivesse sido pregada em sua pureza, logo teria excluído esta classe. Não havia, porém, diferença entre os professos seguidores de Cristo e o mundo. Vi que se a falsa cobertura tivesse sido retirada dos membros das igrejas, seriam reveladas tais iniqüidades, vilezas e corrupção, que o mais tímido filho de Deus não teria hesitado em chamar a esses professos cristãos pelo seu verdadeiro nome, filhos de seu pai, o diabo; pois suas obras o atestavam.

Deus tinha uma mensagem para a igreja, a qual era sagrada e importante. Ao ser recebida, operaria uma reforma completa na igreja, despertaria o vívido testemunho que dela haveria de expurgar os hipócritas e pecadores, e de novo a traria ao favor de Deus.” Primeiros Escritos, pág. 228

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. (II Ped. 3:12.)  Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, pág. 69

Que o nosso Deus nos ajude!

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: