Archive for março \14\-03:00 2013|Monthly archive page

Restauração da imagem divina

vaso-na-roda-do-oleiro“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:26-27

O fato de homem ter sido criado segundo a imagem divina refere-se tanto ao aspecto físico como ao aspecto espiritual. O homem foi criado com um caráter perfeito em harmonia com a vontade de Deus.

“Quando Adão saiu das mãos do Criador, trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual, a semelhança de seu Criador. “E criou Deus o homem à Sua imagem” (Gên. 1:27), e era Seu intento que quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem, refletindo mais completamente a glória do Criador.” Fé Pela Qual Eu Vivo pág.166

“Criados para serem a “imagem e glória de Deus” (I Cor. 11:7), Adão e Eva tinham obtido prerrogativas que os faziam bem dignos de seu alto destino. Dotados de formas graciosas e simétricas, de aspecto regular e belo, o rosto resplandecendo com o rubor da saúde e a luz da alegria e esperança, apresentavam eles em sua aparência exterior a semelhança dAquele que os criara. Esta semelhança não se manifestava apenas na natureza física. Todas as faculdades do espírito e da alma refletiam a glória do Criador. Favorecidos com elevados dotes espirituais e mentais, Adão e Eva foram feitos um pouco menores do que os anjos (Heb. 2:7), para que não somente pudessem discernir as maravilhas do universo visível, mas também compreender as responsabilidades e obrigações morais.” Educação pág. 20

“O homem deveria ter a imagem de Deus, tanto na aparência exterior como no caráter. Cristo somente é a “expressa imagem” do Pai (Heb. 1:3); mas o homem foi formado à semelhança de Deus. Sua natureza estava em harmonia com a vontade de Deus. A mente era capaz de compreender as coisas divinas. As afeições eram puras; os apetites e paixões estavam sob o domínio da razão. Ele era santo e feliz, tendo a imagem de Deus, e estando em perfeita obediência à Sua vontade.” Patriarcas e Profetas pág. 45

  • Vejamos esse comentário da lição da escola sabatina:

“Mas o que significa para nós ter sido criados à imagem de Deus? (Gên. 1:26 e 27; Sal. 8:4-8.) Refere-se à semelhança física ou espiritual? O comentarista do Antigo Testamento, Gerhard Von Rad, percebeu corretamente que ambas as posições estão aqui.. Essa opinião é endossada por Ellen White: “O homem deveria ter a imagem de Deus, tanto na aparência exterior como no caráter. Cristo somente é a “expressa imagem” do Pai (Heb. 1:3); mas o homem foi formado à semelhança de Deus. Sua natureza estava em harmonia com a vontade de Deus. A mente era capaz de compreender as coisas divinas.” Patriarcas e Profetas pág. 45, (Lição da Escola Sabatina, 3° trim. 1999, Criados por Deus, pág. 49)

  • Consequência do pecado na vida do homem:

“Com o aparecimento do pecado, a imagem de Deus na humanidade se distorceu e precisa ser restaurada. Isso acontecerá pelo plano da salvação. O apóstolo Paulo, cônscio de nossa natureza pecaminosa, apela que “vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Efés. 4:22-24). Usando a mesma ideia, ele escreve: “[…] e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem dAquele que o criou” (Col. 3:10). Ser restaurado `imagem de nosso Criador inclui o novo nascimento (João 3:3; Tito 3:4-7; 1 João 2:29; 3:14). Lição da Escola Sabatina, 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 8.

  • Jesus Cristo a nossa salvação: 

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena; prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; e por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência.] Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isso; ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obcena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos, e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.” Colossenses 3:510

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” 2 Cor. 3:18

O plano da salvação tornou possível para o homem obter perdão dos pecados cometidos – justiça Imputada. O sacrifício de Cristo por nós também tornou possível para nós mediante a atuação do Senhor Espírito Santo ter a imagem e semelhança divina restaurada – justiça Comunicada. Deus seja para sempre louvado!

Quero convidar meus queridos irmãos para lerem alguns textos do espírito de profecia e de lições da escola sabatina que nos revelam questões importantes:

1 – Como a imagem divina é restaurada na vida do homem?

“Embora a imagem moral de Deus tenha sido quase erradicada pelo pecado de Adão, através dos méritos e do poder de Jesus, ela pode ser renovada. O homem pode permanecer com a imagem moral de Deus em seu caráter, pois Jesus a dará. A menos que imagem moral [renovada] de Deus seja vista no homem, ele nunca poderá entrar na cidade de Deus como vencedor.” Comentários de Ellen G. White, DAS Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.078.  Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 13.

“Através da energia criativa do Espírito Santo, as pessoas que aceitam a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor pessoal tornam-se “novas criaturas”. Sua nova natureza não é produto de alguma virtude moral inerente a os seres humanos, requerendo simplesmente ser desenvolvidas. Nem é está nova natureza o produto do desejo ou resolução de fazer o que é correto, a concordância mental com certas doutrinas, nem uma tristeza por males praticados. O novo nascimento significa ser criado novamente, à semelhança de Cristo.” Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 83.

“A promessa de Deus é: “Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração.” Jer. 29:13. O coração inteiro tem de render-se a Deus, ou do contrário não se poderá jamais operar a transformação pela qual é restaurada em nós a Sua semelhança. Por natureza estamos alienados de Deus. O Espírito Santo descreve nossa condição em palavras como estas: “Mortos em ofensas e pecados” (Efés. 2:1); “toda a cabeça está enferma, e todo o coração, fraco”, “não há nele coisa sã.” Isa. 1:5 e 6. Somos retidos nos laços de Satanás, “em cuja vontade” (II Tim. 2:26) estamos presos. Deus deseja curar-nos, libertar-nos. Mas como isto requer uma completa transformação, uma renovação de nossa natureza toda, é necessário rendermo-nos inteiramente a Ele.” Caminho a Cristo pág. 43

“Esse amor é o testemunho de seu discipulado. … Quando os homens se ligam entre si, não pela força do interesse pessoal, mas pelo amor, mostram a operação de uma influência que é superior a toda influência humana. Onde existe esta unidade, é evidente que a imagem de Deus está sendo restaurada na humanidade, que foi implantada nova vida. Mostra que há na natureza divina poder para deter os sobrenaturais agentes do mal, e que a graça de Deus subjuga o egoísmo inerente ao coração natural.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 677 e 678.

“Ninguém é tão vil, ninguém tão decaído, que esteja além da operação desse poder. Em todos quantos querem submeter-se ao Espírito Santo deve ser implantado um princípio novo de vida: a perdida imagem de Deus deve ser restaurada na humanidade.” Parábolas de Jesus pág. 96

“A contemplação de Seu amor, manifestado em Seu Filho, comoverá o coração e despertará as energias da alma como nenhuma outra coisa o poderia fazer. Cristo veio para restaurar na humanidade a imagem divina; e quem quer que dEle desviar os homens, afasta-os da fonte do verdadeiro desenvolvimento, defraudando-os da esperança, do desígnio e da glória da vida. É ladrão e salteador.”  O Desejado de Todas as Nações, pág. 478

“Satanás rejubilava por haver conseguido rebaixar a imagem de Deus na humanidade. Então veio Cristo, a fim de restaurar no homem a imagem de seu Criador. Ninguém, senão Cristo, pode remodelar o caráter arruinado pelo pecado. Veio para expelir os demônios que haviam dominado a vontade. Veio para nos erguer do pó, reformar o caráter manchado, segundo o modelo de Seu divino caráter, embelezando-o com Sua própria glória.” O Desejado de Todas as Nações, págs. 37.

2 – O que representa para o homem ter a imagem divina restaurada e como será o estilo de vida do homem renovado em Cristo?

“Cristo ‘é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda criação’ (Col. 1:15, compare com 2 Cor. 4:4). Portanto Ele pode vir à Terra para renovar a imagem de Deus. Quando viemos a Cristo fomos transformados, “criados em Cristo Jesus para boas obras” (Efés. 2;10). É essencial considerar como  foi elaborado o desenvolvimento do plano da salvação, restaurar em nós a imagem de Deus. A Bíblia , pelo conceito da imagem de Deus, descreve as características que desenvolveremos ao ser esta imagem restaurada. (Gál. 5:22-26; 2 Ped. 1:5-7, etc.) Lição da Escola Sabatina, 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 10.

 “Por causa do pecado, estamos por natureza alienados de Deus, e sua imagem em nós está distorcida. Quando aceitamos a justiça de Cristo como nossa própria, somos reconciliados com Deus, e sua imagem em nós é restaurada. Essa restauração e reconciliação envolve uma mudança da natureza, através da habitação do Espírito Santo. Como Jesus disse a Nicodemos, “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino Deus” (João 3: 3). O apostolo Paulo é ainda mais dramático: “E, assim, se alguém esta em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas “ (2 Cor. 5:17). O novo testamento nos mostra a realidade do novo nascimento, de ser novas criaturas em Cristo (Ver Gál. 5:17-26). A realidade de ser nova criatura em Cristo é evidente na vida dos doze discípulos de Cristo. Em diversas ocasiões, Pedro agiu de modo orgulhoso e autoconfiante (Mat. 16:22; 14:28-30; 26:33-34). E João foi apelidado de filho do trovão (mar.3:17). Mas quando o Espírito Santo viveu em seu coração, eles se tornaram novas criaturas. João se tornou o apóstolo do amor (João 19:26; 20:2; 21:7-20). E Pedro se tornou o apóstolo da humildade ( João 21:15-19). Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 80.

 ‘”É o pecado que nos obscurece o espírito e embota as percepções. Ao ser o pecado expulso de nosso coração, a luz do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo, iluminando Sua palavra e refletida na face da Natureza, declará-Lo-á, cada vez mais plenamente: ‘1misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade. ’  Ê xodó 34:6.”

“Em Sua luz veremos a luz, até que espírito, coração e alma estejam transformados à imagem de Sua santidade.” – Testimonies, vol. 8, pág. 321 e 322. Lição da Escola Sabatina 2° trim. 1984, Sabendo Que Conhecemos a Deus, pág. 11.

3 – A Graça de Cristo rompe a escravidão dos maus hábitos

“Os homens precisam saber que as bênçãos da obediência, em sua plenitude, eles só podem fruir à medida que receberem a graça de Cristo. É Sua graça que dá ao homem poder para obedecer às leis de Deus. É isto que o habilita a quebrar as cadeias do mau hábito. Este é o único poder que o pode tornar e conservar firme no caminho do direito.” A Ciência do Bom Viver, pág. 115.

“Mediante o poder de Cristo homens e mulheres têm quebrado a cadeia do hábito pecaminoso. Têm renunciado ao egoísmo. O profano tem-se tornado reverente; o bêbado, sóbrio; o pervertido, puro. Almas que tinham estampada em si a semelhança de Satanás, têm-se transformado à imagem de Deus.” Atos dos Apóstolos, pág. 476. (Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, pág. 601)

“Aquele que lança mão da justiça de Cristo pode tornar-se homem perfeito em Cristo Jesus. Trabalhando de um ponto de vista elevado, procurando seguir o exemplo de Cristo, cresceremos até alcançar a Sua semelhança, possuindo cada vez maior refinamento.” Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 150

“Para sermos candidatos ao Céu temos de satisfazer aos requisitos da lei: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” Luc. 10:27. Só podemos fazer isto ao nos apegarmos, pela fé, à justiça de Cristo. Contemplando a Jesus receberemos no coração um princípio vivo e que se expande, e o Espírito Santo continua a obra, e o crente prossegue de graça em graça, de força em força, de caráter em caráter. Ele se conforma à imagem de Cristo até que, no crescimento espiritual, alcança a medida da plena estatura de Cristo Jesus. Assim Cristo põe fim à maldição do pecado e livra a alma crente de sua ação e efeito.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 395

“Quando o Espírito de Deus toma posse do coração, transforma a vida. Os pensamentos pecaminosos são afastados, renunciadas as más ações; o amor, a humildade, a paz tomam o lugar da ira, da inveja e da contenda. A alegria substitui a tristeza, e o semblante reflete a luz do Céu. Ninguém vê a mão que suspende o fardo, nem a luz que desce das cortes celestiais. A bênção vem quando, pela fé, a alma se entrega a Deus. Então, aquele poder que olho algum pode discernir, cria um novo ser à imagem de Deus.”  O Desejado de Todas as Nações, pág. 173

4 – Quando a imagem divina deve ser restaurada no do homem?

Já vimos que a imagem divina que precisa ser restaurada representa a renovação do caráter do homem. É bom lembrar que essa renovação deve acontecer em um determinado tempo estabelecido por Deus, esse tempo é o tempo da graça. Tempo em que ainda temos a Jesus como nosso intercessor. Quando Jesus estiver voltando já será “demasiado tarde” para que o caráter seja mudado. Aquele que não aceitar todos os recursos providos por Deus para a transformação do caráter e quando a porta da graça for fechada ainda possuir algum defeito de caráter, perderá a salvação.

“Estamos agora na oficina de Deus, e o processo que nos habilita para o glorioso templo continua nestas horas de graça. Não podemos ser agora indiferentes, negligentes e descuidosos, recusando apartar-nos do pecado, mas devemos estar morrendo para os nossos defeitos de caráter e esperar tornar-nos puros, santos e moldados em caráter, à semelhança de um palácio. Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886.” Olhando Para O Alto pág. 367

Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem. […] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões.” Testimonies, vol. 3, pág. 272. Eventos Finais, pág.175-176

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo, pág.112)

“Pela desobediência, porém, isto se perdeu. Com o pecado a semelhança divina ficou obscurecida, sendo quase que totalmente apagada. Enfraqueceu-se a capacidade física do homem e sua capacidade mental diminuiu; ofuscou-se-lhe a visão espiritual. Tornou-se sujeito à morte. Todavia, o ser humano não foi deixado sem esperança. Por infinito amor e misericórdia foi concebido o plano da salvação, concedendo-se um tempo de graça. Restaurar no homem a imagem de seu Autor, levá-lo de novo à perfeição em que fora criado, promover o desenvolvimento do corpo, espírito e alma para que se pudesse realizar o propósito divino da sua criação – tal deveria ser a obra da redenção. Este é o objetivo da educação, o grande objetivo da vida.”  Educação, págs. 15 e 16.  Fé Pela Qual Eu Vivo, pág.166

“Deus deseja que alcancemos a norma de perfeição que o dom de Cristo nos tornou possível. Ele nos convida a fazer nossa escolha do direito, para nos ligarmos com os instrumentos celestes, adotarmos princípios que hão de restaurar em nós a imagem divina. Na Sua palavra escrita e no grande livro da natureza, Ele revelou os princípios da vida. É nossa obra obter conhecimento destes princípios e, pela obediência, cooperar com Ele na restauração da saúde do corpo bem como da alma.” A Ciência do Bom Viver, págs. 114 e 115.

 “O evangelho tem de ser apresentado, não como uma teoria sem vida, mas como força viva para transformar a vida. Deus deseja que os que recebem Sua graça sejam testemunhas do poder da mesma. Aceita francamente aqueles cuja maneira de proceder mais ofensiva Lhe tem sido; quando se arrependem, comunica-lhes Seu divino Espírito, coloca-os nos mais altos postos de confiança e envia-os ao acampamento dos desleais, para Lhe proclamar a ilimitada misericórdia. Quer que Seus servos dêem testemunho de que, mediante Sua graça, podem os homens possuir caráter semelhante ao de Cristo e regozijar-se na certeza de Seu grande amor. Quer que testifiquemos de que Ele não pode ficar satisfeito, enquanto a raça humana não for reavida e reintegrada em seus santos privilégios de filhos e filhas de Deus.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 826

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim.” João 6:57

“Porquanto aos que te antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de Seu filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” Rom. 8:29

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” 
Gálatas 2:20

“Ele nos chamou para alcançarmos “a glória” – o caráter – “de nosso Senhor Jesus Cristo”; chamou-nos para ser “conformes à imagem de Seu Filho”. II Tess. 2:14; Rom. 8:29.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 341

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem a vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que ao de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus” P. E. pág. 71; Vida e Ensinos pág.112

Que o Senhor seja para sempre louvado!

Co-participantes da natureza divina

natureza“Pelas quais nos tem sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.” 2° Pedro 1:4

Neste texto fantástico vemos que o homem co-participante da natureza divina é libertado “da corrupção das paixões que há no mundo.”

Cristo vivendo neste mundo com a nossa natureza e mesmo assim não tendo sido contaminado com o pecado, sendo sacrificado por nós com Sua morte, tornou possível o perdão para todo aquele que O aceita como Salvador – Justiça Imputada. .

Mas o nosso maravilhoso Deus tem algo a mais para nos oferecer além do perdão.

Jesus Cristo sendo Deus assumindo nossa natureza humana e vivendo completamente livre da contaminação do pecado, construiu uma ponte sobre o abismo que o pecado havia colocado entre Deus e o homem. Jesus Cristo sendo Deus assumindo nossa natureza e vencendo o pecado tornou possível para o homem, pelo poder de Deus, tornar-se participante da natureza divina e também passar a viver uma vida vitoriosa sobre o pecado. Passar a viver como Cristo viveu – Justiça Comunicada. Deus seja louvado!

Nos textos a seguir veremos o que representa para o homem tornar-se co-participante da natureza divina. Que  possamos estar sempre louvando o nosso maravilhoso Deus pelo que fez e pelo que deseja fazer por nós.

“O Senhor Jesus pôs uma ponte sobre o abismo causado pelo pecado. Ele ligou a Terra com o Céu, e o homem finito com o Deus infinito. Jesus, o Redentor do mundo, só podia guardar os mandamentos de Deus da mesma maneira que a humanidade pode guardá-los. “Pelas quais nos têm sido doadas as Suas preciosas e mui grandes promessas para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.” II Ped. 1:4.” Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 140

“Cristo disse: “Assim procedo… como o Pai Me ordenou.” João 14:31. Ele veio ao nosso mundo numa missão da parte do Pai. Veio para superar o abismo que o pecado ocasionou entre Deus e o homem. Deveria ser feita uma provisão para reconciliação, para uma união do humano com a natureza divina. Cristo santificaria todos os que nEle cressem. No dom de Cristo ao mundo Deus proveu a todos um poder para vencer o mal. Ele nos concedeu “preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo”. II Ped. 1:4.” Olhando Para O Alto, pág. 143

“O Filho de Deus a cada passo era assaltado pelos poderes das trevas. Após o Seu batismo foi pelo Espírito levado ao deserto onde por quarenta dias sofreu tentação. Tenho recebido cartas, afirmando que Cristo não podia ter tido a mesma natureza que o homem, pois nesse caso, teria caído sob tentações semelhantes. Se não possuísse natureza humana, não poderia ter sido exemplo nosso. Se não fosse participante de nossa natureza, não poderia ter sido tentado como o homem tem sido. Se não Lhe tivesse sido possível ceder à tentação, não poderia ser nosso Auxiliador. Era uma solene realidade esta de que Cristo veio para ferir as batalhas como homem, em favor do homem. Sua tentação e vitória nos dizem que a humanidade deve copiar o Modelo; deve o homem tornar-se participante da natureza divina.” Mensagens Escolhidas, vol. 2 Pág. 408

“Não hesitamos em dizer-vos que a fim de obter a herança imortal e a natureza eterna, deveis ser vencedores nesta vida probatória. Tudo que macula e mancha a alma precisa ser removido, precisa ser purificado do coração. Temos de saber o que significa ser participante da natureza divina, havendo escapado das corrupções que pela concupiscência há no mundo. Estais dispostos a guerrear contra as concupiscências da carne? Estais prontos a batalhar contra o inimigo de Deus e do homem? Satanás está resolvido a escravizar toda pessoa, se puder fazê-lo; pois realiza um jogo de desespero para conquistar as almas dos homens de Cristo e da vida eterna. Permitireis que ele vos arrebate as graças do Espírito de Deus e implante em vós sua própria natureza corrupta? ou aceitareis a grande provisão da salvação, e, mediante os méritos do Sacrifício Infinito feito em vosso favor, tornar-vos-eis participantes da natureza divina?” Este Dia Com Deus, pág. 173

“Deus tomou todas as providências para nossos pensamentos se tornarem puros, elevados, aprimorados e enobrecidos. Ele não só prometeu purificar-nos de toda a injustiça, mas tomou uma real providência para o suprimento da graça que nos erguerá os pensamentos para Ele e nos habilitará a apreciar Sua santidade. Podemos reconhecer que somos possessão de Cristo e que devemos manifestar ao mundo o Seu caráter. Preparados pela graça celestial, tornando-nos revestidos da justiça de Cristo, nas vestes nupciais, e somos habilitados para participar da ceia das bodas. Tornamo-nos um com Cristo, participantes da natureza divina, purificados, aprimorados, elevados, sendo reconhecidos como filhos de Deus – herdeiros de Deus e co-herdeiros de Jesus Cristo.”  The Youth’s Instructor, 28 de outubro de 1897” Mente, Caráter E Personalidade vol.2, pág. 660

“O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência.O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado. O Senhor requer agora que todo filho e filha de Adão, pela fé em Jesus Cristo, O sirva na natureza humana que temos atualmente. O Senhor Jesus pôs uma ponte sobre o abismo causado pelo pecado. Ele ligou a Terra com o Céu, e o homem finito com o Deus infinito. Jesus, o Redentor do mundo, só podia guardar os mandamentos de Deus da mesma maneira que a humanidade pode guardá-los. “Pelas quais nos têm sido doadas as Suas preciosas e mui grandes promessas para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.” II Ped. 1:4. Precisamos seguir o exemplo de Cristo, tendo em mente Sua qualidade de Filho e Sua humanidade. Não foi como Deus que foi tentado no deserto, nem devia como Deus suportar as contradições dos pecadores contra Si mesmo. Foi a Majestade do Céu que Se tornou homem – humilhou-Se até nossa natureza humana.” Mensagens Escolhidas, vol. 3 Pág. 140

“Tão profundo era o interesse do Senhor nos seres que criara, tão grande Seu amor pelo mundo, que Ele “deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16. Cristo veio para conceder ao homem poder moral, para o elevar, enobrecer e fortalecer, habilitando-o a ser participante da natureza divina, tendo escapado da corrupção que pela concupiscência há no mundo. Provou Ele aos habitantes dos mundos não caídos, e aos seres humanos, que a lei pode ser guardada. Conquanto possuísse a natureza do homem, obedeceu Ele à lei de Deus, vindicando a justiça divina ao exigir que ela fosse obedecida. No juízo a Sua vida será um argumento irrefutável em favor da lei de Deus.” Nos Lugares Celestiais, pág. 38

“Qualquer sacrifício a que pudesse submeter-se um ser humano Cristo suportou, não obstante Satanás fez todo o esforço para seduzi-Lo com tentações; mas quanto maior a tentação, mais perfeito era o sacrifício. Tudo que era possível o homem sofrer no conflito com Satanás, Cristo sofreu em Sua natureza humana e divina combinadas. Obediente, sem pecado até ao final, morreu Ele pelo homem, substituto e penhor seu, suportando tudo que os homens jamais suportam da parte do enganoso tentador, para que possa o homem vencer, tornando-se participante da natureza divina.” Mensagens Escolhidas, vol.1  Pág. 342

Poderemos ser participantes da natureza divina. Seremos todos tentados de maneiras diversas, mas quando somos tentados precisamos recordar que uma provisão foi feita pela qual podemos vencer. … Aquele que realmente crê em Cristo torna-se participante da natureza divina e tem poder do qual se pode valer sob toda tentação. Não cairá em tentação nem será derrotado. Em tempo de prova reclamará as promessas, e por tal meio escapará às corrupções que há no mundo.” Olhando Para O Alto, pág.249

  • Nossa decaída natureza humana ligada com à divindade de Cristo

“Embora não houvesse nenhuma mancha de pecado em Seu caráter, Ele condescendeu em ligar nossa decaída natureza humana com a Sua divindade. Tomando assim a natureza humana, Ele honrou a humanidade. Tendo assumido nossa natureza decaída, Ele demonstrou o que ela poderia tornar-se pela aceitação da ampla provisão que fizera para ela e tornando-se participante da natureza divina.” Carta 81, 1896. Mensagens Escolhidas, vol.  3 Pág. 134

“Não devemos ter dúvidas acerca da perfeita ausência de pecado na natureza humana de Cristo. Nossa fé deve ser uma fé inteligente, olhando para Jesus com perfeita confiança, com plena e inteira fé no Sacrifício expiador. Isto é necessário para que a alma não seja envolvida em trevas. Esse santo Substituto é capaz de salvar perfeitamente; pois Ele apresentou, ao maravilhoso Universo, perfeita e completa humildade em Seu caráter humano, e perfeita obediência a todas as reivindicações de Deus. Poder divino é dado ao homem, para que ele possa tornar-se participante da natureza divina, havendo escapado da corrupção que pela concupiscência há no mundo. Por isso é que o homem arrependido e crente pode tornar-se a justiça de Deus em Cristo.”  Mensagens Escolhidas, vol.  1 Pág. 256

“É essencial que cada súdito do reino de Deus seja obediente à lei de Jeová. … O fato de que a lei é santa, justa e boa, deve ser testificado perante todas as nações, línguas e povos, aos mundos não caídos, aos anjos, serafins e querubins. Os princípios da lei de Deus foram mostrados no caráter de Jesus Cristo, e aquele que coopera com Cristo, tornando-se participante da natureza divina, adquirirá o caráter divino, e tornar-se-á uma ilustração da divina lei. … Maravilhosa Graça, pág. 56

“O exemplo de Cristo é de autoridade para todo filho e filha de Adão. Ele representou em Sua vida a lei de Deus, dando aos homens um exemplo do que a obediência a todo preceito realizará pela natureza humana. Ele é nosso exemplo, e todo aquele que é dotado de faculdades de raciocínio está no dever de seguir-Lhe as pegadas; pois Sua vida é um modelo perfeito para toda a humanidade. Cristo é a consumada norma de caráter a que todo homem pode atingir tornando-se participante da natureza divina. “E estais perfeitos nEle.” Col. 2:10.” Filhos E Filhas De Deus, pág. 137

“O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado. O Senhor requer agora que todo filho e filha de Adão, pela fé em Jesus Cristo, O sirva na natureza humana que temos atualmente.”  Mensagens Escolhidas, vol.  3 Pág. 140

“Poderemos ser participantes da natureza divina. Seremos todos tentados de maneiras diversas, mas quando somos tentados precisamos recordar que uma provisão foi feita pela qual podemos vencer. … Aquele que realmente crê em Cristo torna-se participante da natureza divina e tem poder do qual se pode valer sob toda tentação. Não cairá em tentação nem será derrotado. Em tempo de prova reclamará as promessas, e por tal meio escapará às corrupções que há no mundo.” Olhando Para O Alto, pág. 249

O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja. O Desejado de Todas as Nações, pág. 671.

“De todos os Seus atos piedosos, o Redentor do mundo declara: “Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma.” João 5:30. “Esse mandamento recebi de Meu pai.” João 10:18. Tudo quanto faço é em cumprimento de ordens e da vontade de Meu Pai celestial. A história da vida cotidiana de Jesus é o registro exato do cumprimento do propósito de Deus para com o homem. Sua vida e caráter eram o desdobramento ou a representação da perfeição de caráter que o homem consegue por se tornar participante da natureza divina, e vencendo o mundo na luta diária. The Youth’s Instructor, 23 de abril de 1912.” A Fé Pela Qual Eu Vivo, pág.114

Deus seja para sempre louvado!

Glorificação somente na volta de Jesus

1

Temos uma natureza caída, susceptível ao pecado e isso só será mudado somente na glorificação. Na glorificação, na volta de Jesus essa natureza caída, susceptível ao pecado será erradicada para sempre. Deus seja louvado!

Acreditamos que mesmo o homem estando com esta natureza caída, ele poderá tornar-se co-participante da natureza divina. Assim será libertado da “corrupção das paixões que há no mundo”:

“Pelas quais nos tem sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.” 2° Pedro 1:4

“Vem o príncipe do mundo”, disse Jesus; “ele nada tem em Mim.” João 14:30. Nada havia nEle que correspondesse aos sofismas de Satanás. Ele não consentia com o pecado. Nem por um pensamento cedia à tentação. O mesmo se pode dar conosco. A humanidade de Cristo estava unida à divindade; estava habilitado para o conflito, mediante a presença interior do Espírito Santo. E veio para nos tornar participantes da natureza divina. Enquanto a Ele estivermos ligados pela fé, o pecado não mais terá domínio sobre nós. Deus nos toma a mão da fé, e a leva a apoderar-se firmemente da divindade de Cristo, a fim de atingirmos a perfeição de caráter. DTN, pág. 123

“De todos os Seus atos piedosos, o Redentor do mundo declara: “Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma.” João 5:30. “Esse mandamento recebi de Meu pai.” João 10:18. Tudo quanto faço é em cumprimento de ordens e da vontade de Meu Pai celestial. A história da vida cotidiana de Jesus é o registro exato do cumprimento do propósito de Deus para com o homem. Sua vida e caráter eram o desdobramento ou a representação da perfeição de caráter que o homem consegue por se tornar participante da natureza divina, e vencendo o mundo na luta diária. The Youth’s Instructor, 23 de abril de 1912.” A Fé pela qual eu vivo, pág. 114

Acreditamos que aquele que tem um relacionamento íntimo e contínuo com Jesus pode ser libertado do pecado, pode  passar a viver sem a presença do pecado:

  • “Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1° João 3:6
  • “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.”1° João 3:9
  • “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

Acreditamos que o homem realmente nascido de novo e que está vivendo em comunhão íntima com Cristo, vive para Deus uma vida livre do pecado:

“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos; sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.” Romanos 6:1-14

Acreditamos que essa experiência de libertação do pecado deve ocorrer antes da volta de Jesus. Segundo a palavra de Deus aqueles que serão salvos naquele dia serão encontrados pelo Senhor sem mácula. Os que desejam a salvação devem buscar ao Senhor para que sejam purificados de tal forma que quando o Senhor voltar estejam vivendo de forma irrepreensível:

“Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. Por essa razão, pois, amados, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis.”  2° Pedro 3:11-14

“Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. […] O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” I° Tessalonicenses 5:4-6 e 23

  • O que acontecerá na glorificação?

Precisamos ter uma compreensão muito clara do que realmente acontecerá neste momento. Na glorificação nosso corpo mortal receberá a imortalidade. Nosso corpo corruptível, ou seja, susceptível ao pecado receberá a incorruptibilidade, não mais será susceptível ao pecado.

“Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.” 1 Coríntios 15:52-53; (Ver trabalho Corruptíveis ou Corrompidos?)

O que realmente queremos é que nossos irmãos compreendam que, para aqueles que ainda estiverem em pecado no dia da volta de Jesus, já será “demasiado tarde” para serem purificados, já não haverá mais tempo para buscarem a salvação. Estar com algum pecado no dia da volta de Jesus resultará em perdição eterna:

“Estamos agora na oficina de Deus, e o processo que nos habilita para o glorioso templo continua nestas horas de graça. Não podemos ser agora indiferentes, negligentes e descuidosos, recusando apartar-nos do pecado, mas devemos estar morrendo para os nossos defeitos de caráter e esperar tornar-nos puros, santos e moldados em caráter, à semelhança de um palácio. Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886.” Olhando Para O Alto, pág. 367

Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem.[ …] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões. Testimonies, vol. 3, pág. 272.” Eventos Finais, pág. 175

“Nem todo o que me diz: Senhor; Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres! Então, lhes direi explicitamente. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidadeMateus 7:21-23

Graças a Deus por tão precioso conhecimento que nos concede. Louvado seja Seu nome!


O desejo do Senhor para Sua igreja

igrejaNão é raro vermos pessoas arrumando justificativas para a existência e permanência das coisas erradas ou pecados que existem na vida e na igreja. É verdade que não temos o direito de ficarmos julgando nossos irmãos, apontando seus pecados. Mas será que o Senhor deseja que Sua igreja seja composta por pessoas que se conformam em viver no pecado como se não houvesse livramento?

Definitivamente não podemos nos acomodar no pecado. Devemos estar buscando na graça de Deus uma purificação “PESSOAL”, orando uns pelos outros e exortando com amor para que todos sintam o desejo de buscar a verdadeira santificação para que assim a igreja de Deus possa ser purificada. Agindo assim não estaremos envergonhando o nosso Deus nem desonrando o Seu nome.

“Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.”  Efésios 5:27

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”  1 Tessalonicenses 5:23

É o desejo do Senhor encontrar Sua igreja sem mácula e aqueles que serão salvos naquele dia serão encontrados vivendo de forma irrepreensível. Não devemos e não podemos nos acomodar no pecado. Não basta estar na igreja para ser salvo. É necessário uma aceitação real de Jesus. Devemos permitir que Ele nos purifique e nos liberte completamente do pecado.

Certa vez ouvi a seguinte frase: “A igreja não é um museu de santos mas sim um hospital para pecadores.”

Essa frase faz muito sentido, a igreja é realmente um hospital para pecadores. No entanto não devemos permitir que por causa da nossa negligência esse “hospital para pecadores” se transforme em um “museu para pecadores.”

Temos a certeza que nesse “hospital para pecadores” temos um médico maravilhoso, Jesus Cristo, que é perfeitamente capaz de curar completamente essa doença chamada pecado.

Não faz muito tempo ouvi dois pregadores pregarem um mesmo sermão no qual eles colocavam a arca como sendo um símbolo da igreja, sendo assim as características da arca também seriam as características da igreja. Achei estranho quando vi as características da arca que aqueles pregadores estavam destacando. Eles afirmavam que a arca era, “escura, barulhenta e mal cheirosa”. O barulho e o mal cheiro eram provocados pelos animais.

Foi então que percebi que aquele sermão de certa forma criava certa tolerância para com o pecado em nossa igreja como sendo uma coisa natural, inevitável, como sendo algo que temos que aceitar e conviver. Com todo respeito que meus irmãos merecem, até mesmo porque o sermão havia sido pregado por um pastor em outra ocasião e eles trouxeram para a igreja, não concordo com esse tipo de pensamento.

Devemos amar o pecador, mas devemos também odiar o pecado e não sermos tolerantes com ele. Cristo odiava a iniquidade. Hebreus 1:9

  • Nossa maior necessidade

Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 121

Nossa maior e mais urgente necessidade é “um reavivamento da verdadeira piedade.” A primitiva piedade começa quando termina transigência toda com o pecado:

“A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso de Cristo, pág. 91

Se não eliminarmos toda transigência ou tolerância para com o pecado a verdadeira piedade não começará entre nós.

Voltemos às características que segundo aqueles irmãos a arca possuía. Segundo eles a arca era “escura, barulhenta e mal cheirosa”. Em primeiro lugar podemos afirmar definitivamente que a arca não era escura:

“Tinha uma altura de três andares, com apenas uma porta, que ficava ao lado. A luz entrava por cima, e os diversos compartimentos eram de tal maneira arranjados que todos eram iluminados. O material empregado na construção da arca era o cipreste, ou madeira de Gofer, a qual estaria isenta de apodrecimento durante centenas de anos.” Patriarcas e Profetas, pág. 95-96

Deus é luz, a primeira coisa que o Senhor criou em nosso mundo foi a luz. Nosso Deus não gosta das trevas e não permitiria que Seus filhos ficassem tanto tempo confinados em um lugar escuro. Se fosse necessário, assim como a nova Jerusalém não precisará do sol para iluminá-la por causa da presença do Senhor, da mesma forma a presença do Senhor na arca a iluminaria.

Quanto ao barulho na arca é verdade que, quando o dilúvio começou, os animais assustados fizeram muito barulho. Mas novamente perguntamos, será que o Senhor permitiria que Seus filhos ficassem durante tanto tempo confinados em um lugar barulhento? Acredito que não. Isso não faria bem para eles e nosso Deus é um Deus de ordem e não de confusão. (Ver 1Cor. 14:33)

Sendo que a arca era um tipo da igreja então o Senhor não permitiria que ela fosse um lugar com barulho constante. Devemos lembrar que tudo ali era um milagre: a construção da arca, a entrada dos animais na arca, o próprio dilúvio. Seria demais imaginar que o Senhor poderia fazer com que os animais não fizessem constantemente barulho na arca?

E quanto à arca ser mal cheirosa? Podemos afirmar também com certeza que o Senhor não permitiria que Seus Filhos ficassem confinados tantos dias em um ambiente com o ar poluído, com mau cheiro.

“A superfície toda da Terra ficou transformada com o dilúvio. Uma terceira maldição terrível repousou sobre ela em consequência do pecado. Começando a água a baixar, as colinas e montanhas ficaram rodeadas de um mar vasto, ameaçador. Todos os lugares estavam juncados de corpos mortos de homens e animais. O Senhor não permitiria que estes ficassem a decompor-se e contaminar o ar; fez, portanto, da Terra um vasto cemitério. Um vento violento que fez soprar com o fim de enxugar as águas, removeu-os com grande força, levando mesmo em alguns casos os cumes das montanhas, e amontoando árvores, pedras e terra em cima dos corpos dos mortos.” Patriarcas e Profetas, pág. 108-109

Vimos nesse texto que o Senhor providenciou meios para que Noé e sua família não ficassem em um ambiente com o ar poluído após o dilúvio. Podemos então concluir que Deus também não permitiria que eles ficassem todo aquele tempo confinados em um lugar com o ar poluído.

O acampamento de Israel

“Foi ordenada uma limpeza escrupulosa bem como uma ordem estrita por todo o arraial e arredores. Pôs-se em execução um regulamento sanitário completo. A toda pessoa que estivesse imunda por qualquer motivo, era vedado entrar no acampamento. Tais medidas eram indispensáveis para a conservação da saúde em meio de uma multidão tão vasta; e também necessário era que se mantivessem ordem e pureza perfeitas, para que Israel pudesse desfrutar da presença de um Deus santo. Assim Ele declarou: “O Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar e entregar os teus inimigos diante de ti: pelo que o teu arraial será santo.” Patriarcas E Profetas, pág. 375

Vemos também nesse texto a necessidade de “uma limpeza escrupulosa bem como uma ordem estrita por todo o arraial e arredores.” Um regulamento sanitário completo. “Tais medidas eram indispensáveis para a conservação da saúde em meio de uma multidão tão vasta; e também necessário era que se mantivessem ordem e pureza perfeitas, para que Israel pudesse desfrutar da presença de um Deus santo.”

Agora perguntamos: Seria as necessidades para conservação da saúde e para desfrutar da presença de Deus, na arca, diferente daquelas condições necessárias para que o mesmo acontecesse no arraial? A coerência nos obriga dizer que não.

Então temos mais um motivo para concluir que a arca era um lugar limpo.

Não devemos ficar tentando arrumar justificativas para o pecado em nossa vida ou em nossa igreja. O que o Senhor deseja realmente é nos purificar e purificar Sua igreja. É verdade que o joio estará na igreja até o fim. Devemos lembrar de que o joio é a parte da igreja que não herdará a salvação e que será sacudida para fora da igreja pouco antes de Jesus voltar. No final os salvos serão aqueles que farão parte da igreja triunfante. Uma igreja composta por homens e mulheres purificadas pelo sangue de Jesus. Deus seja louvado!

“A infidelidade prevalece em medida alarmante, não apenas no mundo, mas na igreja. Muitos têm chegado a negar doutrinas que são colunas da fé cristã. Os grandes fatos da criação como apresentados pelos escritores inspirados; a queda do homem, a expiação, a perpetuidade da lei – eis aí doutrinas praticamente rejeitadas por grande parte do professo mundo cristão. Milhares que se orgulham de seu conhecimento, consideram uma evidência de fraqueza a implícita confiança na Bíblia, e uma prova de erudição sofismar das Escrituras, e alegorizar e atenuar suas mais importantes verdades. Os cristãos devem estar-se preparando para aquilo que logo irá cair sobre o mundo como terrível surpresa, e esta preparação deve ser feita mediante diligente estudo da Palavra de Deus e pelo levar a vida na conformidade com os seus preceitos. As tremendas questões de eternidade demandam de nossa parte algo mais que uma religião de pensamento, uma religião de palavras e formas, onde a verdade é mantida no recinto exterior. Deus pede um reavivamento e uma reforma.” Profetas e Reis, pág. 626- 627

“Revestida da armadura da justiça de Cristo, a igreja deve entrar em seu conflito final. “Formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras” (Cant. 6:10), deve ela ir a todo o mundo, vencendo e para vencer.” Profetas Reis, pág. 725.

Gostaria que meus irmãos lessem com muita atenção os textos a seguir onde veremos nossa responsabilidade como membros da igreja de Deus:

“Os pastores pregam coisas agradáveis para convirem a esses que professam a religião de um modo carnal. Não ousam pregar a Jesus e as verdades incisivas da Bíblia; pois, se assim fizessem, esses que carnalmente são professos da religião não permaneceriam na igreja. Mas, sendo que muitos deles são ricos, deverão ser conservados, embora não estejam mais em condições de ali se achar do que Satanás e seus anjos. Isto é exatamente como Satanás desejava. Faz-se com que a religião de Jesus pareça popular e honrada aos do mundo. Declara-se ao povo que aqueles que professam a religião serão mais honrados pelo mundo. Tais ensinos diferem mui grandemente dos de Cristo. Sua doutrina e o mundo não podiam estar em paz. Aqueles que O seguiam tinham de renunciar o mundo. Estas coisas agradáveis originaram-se com Satanás e seus anjos. Eles formularam o plano, e cristãos de nome o levaram a efeito. Ensinavam-se fábulas aprazíveis e com facilidade eram recebidas; e hipócritas e declarados pecadores uniram-se com a igreja. Se a verdade tivesse sido pregada em sua pureza, logo teria excluído esta classe. Não havia, porém, diferença entre os professos seguidores de Cristo e o mundo. Vi que se a falsa cobertura tivesse sido retirada dos membros das igrejas, seriam reveladas tais iniqüidades, vilezas e corrupção, que o mais tímido filho de Deus não teria hesitado em chamar a esses professos cristãos pelo seu verdadeiro nome, filhos de seu pai, o diabo; pois suas obras o atestavam.

Deus tinha uma mensagem para a igreja, a qual era sagrada e importante. Ao ser recebida, operaria uma reforma completa na igreja, despertaria o vívido testemunho que dela haveria de expurgar os hipócritas e pecadores, e de novo a traria ao favor de Deus.” Primeiros Escritos, pág. 228

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. (II Ped. 3:12.)  Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, pág. 69

Que o nosso Deus nos ajude!