Archive for maio \02\-03:00 2013|Monthly archive page

Verdadeira Piedade: intolerância com o pecado

natureza“Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas idéias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não trará o bom fruto da justiça a menos que seja ligada com o reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem efetuar a obra que lhes é designada, e no realizá-la, precisam fundir-se. Review and Herald, 25 de fevereiro de 1902.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 128 

Nossa igreja tem atendido ao chamado do nosso Deus para um reavivamento e reforma. É muito importante que tenhamos pleno conhecimento do que é reavivamento e reforma. Outro fator importantíssimo é sabermos o que em nossa vida precisa ser reavivado e o que precisa ser reformado.

Alguém pode dizer que isto é uma coisa simples e evidente. E isso é verdade. Mas como explicar o fato da maioria não estar atenta para esses detalhes?

  • Todos ou quase todos sabem o que é reavivamento e reforma – definição de reavivamento e reforma:

Segundo o texto inicial da serva do Senhor:

  • Reavivamento:Renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual.”
  • Reforma: “Uma reorganização, uma mudança nas idéias e teorias, hábitos e práticas.”

Agora será que todos “líderes e membros” sabem o que em nossa vida e em nossa igreja precisa ser reavivado e reformado? 

  • O que precisa ser reavivado

“Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la. Nosso Pai celeste está mais disposto a dar Seu Espírito Santo àqueles que Lho peçam, do que pais terrenos o estão a dar boas dádivas a seus filhos. Cumpre-nos, porém, mediante confissão, humilhação, arrependimento e fervorosa oração, cumprir as condições estipuladas por Deus em Sua promessa para conceder-nos Sua bênção. Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração. Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 121.” Eventos Finais, pág. 189

“Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades.” Está muito claro que o que precisa ser reavivado é a “verdadeira piedade.” Não é realmente fácil definir  piedade, mas nos ajudará muito saber quando começa a verdadeira piedade.

  • Quando começa a verdadeira piedade:

“A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso de Cristo pág. 91

Precisamos falar e buscar o reavivamento pois é uma necessidade urgente confirmado no texto acima. Mas não podemos buscar reavivamento e reforma e continuar arrumando desculpas para o pecado. Culpamos nossa natureza, o meio em que vivemos e outras coisas mais e assim aceitamos como sendo inevitável essa miserável condição de escravos do pecado. Misericórdia Senhor! Somos tolerantes com o pecado e se não houver mudança de atitude de nossa parte, a verdadeira piedade não começará porque segundo a serva do Senhor, a verdadeira piedade começa quando termina toda transigência, tolerância, condescendência com o pecado.

  • Somos transigentes ou tolerantes com o pecado

“Há outra questão mais importante que deveria ocupar a atenção das igrejas de hoje. O apóstolo Paulo declara que “todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições”. II Tim. 3:12. Por que é, pois, que a perseguição, em grande parte, parece adormentada? A única razão é que a igreja se conformou com a norma do mundo, e portanto não suscita oposição. A religião que em nosso tempo prevalece não é do caráter puro e santo que assinalou a fé cristã nos dias de Cristo e Seus apóstolos. É unicamente por causa do espírito de transigência com o pecado, por serem as grandes verdades da Palavra de Deus tão indiferentemente consideradas, por haver tão pouca piedade vital na igreja, que o cristianismo, é aparentemente tão popular no mundo. Haja um reavivamento da fé e poder da igreja primitiva, e o espírito de opressão reviverá, reacendendo-se as fogueiras da perseguição.’ O grande Conflito, pág. 48

Acorde povo de Deus! O reavivamento e reforma que estamos buscando precisa ser coerente com o reavivamento e reforma esperado por Deus. Oremos para que a nosso desejo se alinhe com o verdadeiro reavivamento e reforma. Que seja nosso desejo buscar ao Senhor para que tenhamos mais conhecimento e mais fé para que assim seja  eliminado na nossa vida toda tolerância com  o pecado, porque somente assim acontecerá o reavivamento que mais precisamos , o reavivamento da primitiva piedade.

  • O que precisa ser reformado:

Reforma: “Uma reorganização, uma mudança nas idéias e teorias, hábitos e práticas.”

Sinceramente, quando falamos de reforma logo pensamos na alimentação, mas como vimos o conceito de reforma da serva do Senhor é mais abrangente. Precisamos reformar nossos “hábitos e práticas,” que acredito ser a reforma que diz respeito à questão da mordomia, cuidado do nosso corpo, tempo e os bens que o Senhor nos concede.

A reforma também abrange “uma mudança nas idéias e teorias.” Que idéias e teorias nossas precisam ser reformadas? Sem dúvida alguma podemos colocar aqui também aquelas idéias e teorias particulares complacentes com o pecado que precisam, pela graça de Deus, ser eliminadas de nossa vida.

Na décima crença fundamental da nossa igreja, A Experiência da Salvação, encontramos a seguinte declaração: “Por meio de Cristo somos justificados, adotados como filhos e filhas de Deus e libertados do domínio do pecado. Por meio do Espírito nascemos de novo e somos santificados; o Espírito renova nossa mente escreve a lei de Deus, a lei de amor, em nosso coração, e recebemos o poder para levar uma vida santa. Permanecendo nEle, tornamo-nos participantes da natureza divina e temos a certeza da salvação agora e no juízo”

Como vimos nos ensinamentos da nossa igreja que está fundamentada na palavra de Deus encontramos a possibilidade de libertação do domínio do pecado. O senhor Espírito Santo nos concede  “o poder para levar uma vida santa. Não precisamos e não podemos ter idéias e teorias PARTICULARES condescendentes com o pecado. A nossa igreja, que tem a palavra de Deus como regra de Fé, nos ensina que a libertação do pecado é possível.

  • Haverá um reavivamento da verdadeira piedade

“Antes de os juízos finais de Deus caírem sobre a Terra, haverá, entre o povo do Senhor, tal avivamento da primitiva piedade como não fora testemunhado desde os tempos apostólicos. O Espírito e o poder de Deus serão derramados sobre Seus filhos. O Grande Conflito, pág. 464.” Eventos Finais, pág. 185

Peçamos ao Senhor para aumentar nossa fé para que possamos parar de ficar arrumando desculpas para o pecado e pelo poder de Deus eliminar todas idéias e teorias tolerantes com o pecado. Somente assim esta promessa maravilhosa do reavivamento da primitiva piedade poderá se cumprir em nossa geração. Que o Senhor nos ajude!

“O ideal de Deus para Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o pensamento humano. “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:48. Este mandamento é uma promessa. O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar. A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente.” O Desejado De Todas As Nações, pág. 311

Deus seja para sempre louvado!

Filhos de Deus

filhos de Deus“E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.” Efésios 1:5

“Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, e eu vos receberei;
E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.” 2 Coríntios 6:17-18

Nosso maravilhoso Deus por nos amar muito e desejar nossa salvação nos convida para um relacionamento íntimo com Ele. Nosso Deus deseja nos transformar de tal forma que venhamos a viver realmente como filhos de Deus.

  • Quem são os verdadeiros filhos de Deus

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;
Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” João 1:12-13

“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.” Romanos 8:14-15

Filhos de Deus são aqueles que:

  • receberam o Senhor no coração,
  • que nasceram de Deus (novo nascimento) e
  • que são guiados pelo Senhor Espírito Santo.

Tenho orado ao Senhor para que nos transforme de tal forma que vivamos realmente como filho de Deus. Não devemos ficar tentando descobrir se esta ou aquela pessoa é ou não é um filho de Deus. Não temos competência para isto. O que realmente devemos fazer é estar avaliando cada um sua própria vida, pedindo ao Senhor para que nos purifique e nos conceda a graça de viver como filho de Deus. Oremos uns pelos outros. Oremos como Davi sempre orarava: ”Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Salmo 139:33-34

  • Nosso objetivo na caminhada cristã:

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.” Filipenses 2:15

  • Filhos de Deus ou filhos do diabo:

Segundo nosso mestre e salvador Jesus Cristo, o que determina se somos ou não filhos de Deus não é o que dizemos, mas como vivemos. Muitas pessoas chamam a Deus de Pai no entanto não estão dispostas a se entregarem a Ele completamente para serem transformadas e purificadas e se tornarem realmente filhos de Deus. É triste, mas é uma grande verdade que se a nossa vida não revela que se somos realmente filhos de Deus, então somos na realidade um filho do diabo.

“Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou. Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” João 8:42-44

“Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus.” 1 João 3:10

“Mas eles confiam em Cristo, e Cristo não os abandonará. Ele veio a este mundo para tirar os seus pecados e imputar-lhes Sua justiça. Declara que mediante a fé em Seu nome podem obter perdão e caracteres perfeitos semelhantes ao de Cristo. Confessaram-Lhe seus pecados e pediram perdão, e Cristo declara que em virtude de olharem para Ele e nEle crerem, dar-lhes-á o poder de se tornarem filhos de Deus.” Este Dia Com Deus, pág. 224

“Pela fé no sacrifício expiatório de Cristo, os filhos de Adão podem voltar a ser filhos de Deus. Assumindo a natureza humana, Cristo elevou a humanidade. Os homens caídos são colocados na posição em que, mediante a conexão com Cristo, podem na verdade tornar-se dignos do nome de “filhos de Deus”. Caminho a Cristo, pág. 15

“Mediante o arrependimento de seus pecados, a fé em Cristo e a obediência à perfeita lei de Deus, a justiça de Cristo é imputada ao pecador, converte-se em sua justiça e seu nome é registrado no livro da vida do Cordeiro. Converte-se num filho de Deus, um membro da família real.” Testimonies, vol. 3, pág. 371-372

“A igreja de Deus é composta de filhos adotados. Os filhos naturais são órfãos e pródigos – estão fora da família de Deus por causa do seu pecado e por sua escolha de estarem em rebelião contra Deus. Mas quando aceitam a provisão de Deus, eles são adotados na Sua família. A relação agora passa ser de família, fundada em amor.”  Lição da Escola Sabatina 4° trim. 2005, Efésios o evangelhos dos relacionamentos, pág. 32

“Redenção significa libertação de um escravo mediante pagamento. Nas escrituras, redenção significa provisão de Deus em Cristo para nos salvar da escravidão do pecado. O derramamento do sangue de Cristo na cruz pelos nossos pecados tornou possível não só o perdão, mas também a redenção e a adoção na família de Deus (Gál. 4:4-6; Efés. 1:7 e 8). Sem Cristo, nada disso teria sido possível.” Lição da Escola Sabatina 4° trim. 2005, Efésios o evangelhos dos relacionamentos, pág. 33

“João diz: “A luz” – Cristo – “resplandece nas trevas”, isto é, no mundo, “e as trevas não prevaleceram contra ela. … Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” João 1:5-13. A razão por que o mundo incrédulo não é salvo é que eles não escolhem ser iluminados. A velha natureza, nascida do sangue e da vontade da carne, não pode herdar o reino de Deus. Os velhos costumes, as tendências hereditárias, os antigos hábitos, precisam ser abandonados; pois a graça não é herdada. O novo nascimento consiste em ter novos motivos, novos gostos, novas tendências. Os que são gerados para uma nova vida pelo Espírito Santo tornaram-se participantes da natureza divina, e em todos os seus hábitos e práticas eles evidenciam sua relação com Cristo. Quando homens que professam ser cristãos retêm todos os seus defeitos naturais de caráter e disposição, em que sua posição difere da dos mundanos? Eles não apreciam a verdade como santificadora, como refinadora. Não nasceram de novo. […]” E Recebereis Poder, MM 1999, pág. 53

Que todos aqueles que chamam a Deus de Pai possam aceitar, além do perdão, também a purificação completa que o Senhor disponibiliza para cada um de nós e possamos viver realmente como filhos de Deus, honrando e glorificando o Seu nome.

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.” Filipenses 2:15

Deus seja louvado sempre!

 

A última geração

Ultima GeraçãoCostumeiramente nós, adventistas do 7º dia, afirmamos que nossa geração verá Jesus voltar e que até faremos parte dos 144.000 mencionados em Apocalipse 14.

Realmente será um privilégio ver Jesus e até mesmo fazer parte deste grupo seleto. Mas como será que deveremos estar neste momento glorioso? Qual deve ser nossa condição de vida no momento da volta de Cristo? Será que seremos contados entre os salvos na condição de mornidão laudiceana?

A última geração será composta por verdadeiros servos de Deus. O último chamado e a última mensagem de Deus para este mundo será dado de uma forma grandiosa por um povo que vive realmente como Seus filhos. Estes proclamarão, através de palavras e testemunho, o evangelho da libertação porque eles mesmos foram libertados pelo poder de Deus. Darão testemunho para os homens e para todo o universo o que a graça de Deus fez em suas vidas. A graça divina purificou-os completamente em um tempo de grandes dificuldades como nunca houve e permanecerão imaculados aguardando a volta de Jesus. Este testemunho será para a glória de Deus e esta glória iluminará a terra que estará mergulhada em meio às trevas do pecado e os servos do Senhor serão “como luzeiros no mundo”, refletindo o caráter de Cristo.

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

“Nesta última geração, a parábola do grão de mostarda deve alcançar notável e triunfante cumprimento. A pequena semente tornar-se-á uma árvore. A última mensagem de advertência e misericórdia deve ir “a toda nação, e tribo, e língua, e povo” (Apoc. 14:6), para “tomar deles um povo para o Seu nome” (Atos 15:14); e a Terra será iluminada por Sua glória. (Apoc. 18:1.)” Parábolas de Jesus, pág. 79

Que seja o desejo de cada um de nós fazer parte dessa última geração de salvos.

Maior esclarecimento deste assunto pode ser adquirido na apostila: A ÚLTIMA GERAÇÃO.

Deus seja para sempre louvado!