Oração: a força vital do reavivamento

Reaviva-me

“Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 121

Sem dúvida alguma não haverá reavivamento sem oração. Devemos orar muito se realmente desejamos estar preparados para vencer todos os desafios que enfrentaremos nesse mundo e também para o encontro com Jesus.

Tendo em mente a necessidade da oração para o reavivamento, deve ser prioridade dos que querem viver este milagre em Cristo, promover momentos de oração entre os irmãos. Além de estarmos em comunhão constante com o nosso Deus, precisamos atender ao conselho do apóstolo Paulo: “Orai sem cessar” 1° Tes. 5:17.

Muitos livros já foram escritos sobre oração. Vários ensinam como devemos orar, o que devemos e o que não devemos fazer em uma reunião de oração, entre outras abordagens sobre oração. Na lição 2 deste trimestre, onde estamos estudando o assunto Reavivamento e Reforma, temos uma dica do que não devemos fazer para que as bênçãos não sejam roubadas em nossas reuniões:

Quais são algumas das coisas podem roubar as bênçãos dos grupos de oração? Dicas: Falar muito, em vez de orar, orações longas, orações negativas, uma pessoa que domina os momentos de oração. Etc.”  – Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 25, (Comentário adicional na lição de professores)

Temos outro comentário muito interessante sobre oração na lição dessa semana:

“Embora não queiramos dar uma fórmula para a oração, em linhas gerais poderia ser assim: Começamos com louvor e adoração, agradecendo a Deus por Sua bondade para conosco. Em seguida confessamos nossos pecados e defeitos e, em seguida, agradecemos a Deus pelo Seu perdão. Concluímos com súplicas, levando a Ele nossos pedidos, sempre buscando uma atitude de submissão e confiança no poder divino.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 15

Gostaríamos de chamar a atenção dos irmãos para a seguinte frase do comentário acima: “Concluímos com súplicas, levando a Ele nossos pedidos […]”.

Lembramos aos irmãos o conselho de Jesus Cristo: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” Mateus 6:33

Afinal, uma vez que neste trimestre estaremos estudando sobre Reavivamento e Reforma, perguntamos:

  • Quais deverão ser nossas prioridades em nossos pedidos de oração?

Por nossa condição de “mortos em ofensas e pecados” (Ver Efé. 2:4-7, Col. 2:13), é inteligente e seguro pedir que o Senhor nos livre desta situação. Reavivamento e reforma são nossas maiores necessidades e sendo assim deveriam ser nossas maiores prioridades. Então nossos pedidos devem ser:

           SALVAÇÃO:

  • Pedir ao Senhor sabedoria para que possamos compreender e aceitar o sacrifício de Cristo em nosso lugar. Este sacrifício nos liberta totalmente do pecado e não apenas das consequências do pecado. Precisamos também pedir que vivamos a vida que Cristo viveu neste mundo:

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” DTN, pág. 668 

           FÉ NO PODER TRANSFORMADOR:

  • Pedir ao Senhor que aumente nossa fé. Precisamos acreditar na possibilidade de, no poder de Deus, sermos libertado da escravidão do pecado. Precisamos acreditar que quando estivermos realmente cheios do Senhor Espírito Santo, vivermos livre do pecado.

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297. 

            LIBERTAÇÃO:

  • Pedir que o Senhor nos livre de todo pecado. Precisamos parar de menosprezar o poder do Senhor Espírito Santo e de ficar arrumando desculpas para o pecado. Não existem desculpas. Precisamos entender que, naquele dia Ele não desculpará nenhum pecado:

“A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 311. 

            TEMPO DA GRAÇA:

  • Pedir ao Senhor que a obra de libertação do pecado seja urgente para nossa salvação enquanto a porta da graça encontra-se aberta e para chegarmos preparados no tempo de angústia:

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. Ocaso de todos eles é sem esperança. Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.”Signs of The Times, 27 de novembro de 1879 (O batismo do Espírito Santo pág. 112) 

            TRANSFORMADOS:

  • Pedir ao Senhor que nos ilumine para que possamos, entender e aceitar que estar preparado para o tempo de angústia, é estar completamente livre do pecado.

 “Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.Grande Conflito pág. 623  

            REAVIVAMENTO URGENTE:

  • Pedir ao Senhor que, por seu poder e graça, repudiemos o pecado em nossa vida agora. Não podemos tolerar o pecado em nossa vida. Precisamos compreender que o reavivamento que tanto falamos é o reavivamento da primitiva piedade e a primitiva piedade só começa quando termina toda tolerância, toda transigência com o pecado.

 Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la.” MENSAGENS Escolhidas, vol.1 pág. 121

“A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso de Cristo, pág. 91

Não existe reavivamento espiritual com o pecado reinando em nossa vida. Não é difícil entender que Jesus e pecado não se encaixam. “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro.” (Mateus 6:24). É necessário e urgente tomar a decisão de quem será o senhor de nossa vida.

Busque a Deus em oração sincera e confiante. Tome a decisão inteligente ao lado de Cristo e busque a transformação no Senhor Espírito Santo.

Que o Senhor possa nos ajudar para que essas sejam realmente nossas prioridades!

“A oração abre nossa vida ao poder purificador de Deus. Durante a oração, o Espírito Santo examina nosso coração, vemos pecados escondidos e defeitos em nosso caráter que nos impedem de ser as testemunhas poderosas que Ele  espera. A oração nos leva a uma relação íntima com Jesus. Na oração abrimos nossa mente à guia do Espírito Santo e buscamos Sua sabedoria, e não a nossa.” Pr. Mark A. Finley, “O Reavivamento Prometido,” pág. 13

“Uma coisa é certa: não podemos encarar o diabo com nossas próprias forças. A oração é a resposta. Através da oração, Deus nos enche de Sua presença e poder. Através da oração, Ele toca o coração de Seus amados. Blindados com a oração, podemos encarar o inimigo no tempo do fim, mas, com uma vida de oração inconsistente, é impossível viver piedosamente no tempo do fim. Quando nossa conexão com Deus é quebrada, o poder que vem de Deus é cortado. Quando há pouca oração, há pouco poder. A oração é nosso humilde reconhecimento de que não podemos viver a vida cristã sem o poder de Cristo;  é a admissão de nossa incapacidade de enfrentar sozinhos as tentações de Satanás. Mas, por outro lado, através da oração somos mais  que capazes de suportar as tentações. O diabo não é páreo para alguém que ora e confia em Deus.” Pr. Mark A. Finley, “O Reavivamento Prometido,” pág. 16-17

“Quanto mais orarmos, mais permitimos que o Espírito Santo “crucifique” nossos desejos pecaminosos. No grande conflito entre o bem e o mal, a oração permite que Deus opere com mais força em nossa vida.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 21  (Comentário adicional na lição de professores)

Deus seja para sempre louvado!

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: