Lição sobre o Santuário

santuario-celestial

Estamos vivendo os últimos dias da história desse mundo de pecado e sofrimento. Sendo assim, é de grande valia o estudo do Santuário, pois nele “podemos aprender verdades sobre o caráter e a obra de Deus”.

No estudo do santuário e dos rituais ali realizados encontramos a representação de todos os  acontecimentos do plano da salvação. Devemos estudar com muito carinho todo o plano da salvação, o que Senhor já fez e o que Ele está fazendo agora por nós para buscarmos no Senhor o devido preparo para os acontecimentos futuros como fechamento da porta da graça e o fim da intercessão do nosso Salvador que também são representados nos rituais do santuário.

Que o Senhor nos ajude neste trimestre e nos ilumine com o Senhor Espírito Santo para aprendermos realmente todas as “verdades sobre o caráter e a obra de Deus” que nos foram reveladas.

licao-o-santuario1“A Bíblia é clara: o santuário celestial é um lugar real e, a partir dele, podemos aprender verdades sobre o caráter e a obra de Deus.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 3 – Lição do Professor

“A morada do Rei dos reis, em que milhares de milhares O servem, e milhões de milhões estão em pé diante dEle (Dn. 7:10), sim, aquele templo, repleto da glória do trono eterno, onde serafins, seus resplandecentes guardas, velam a face em adoração- não poderia encontrar na estrutura mais magnificente que hajam erigido as mãos humanas, senão pálido reflexo de sua imensidade e glória. Contudo, importantes verdades relativas ao santuário celestial e a grande obra ali levada a efeito pela redenção do homem, eram ensinadas pelo santuário terrestre e seu culto (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 414).

 “Com base na citação do livro O Grande Conflito (acima), o que Ellen G. White quis dizer quando declarou que muitas ‘importantes verdades’ para nossa salvação eram ensinadas no santuário terrestre e seu culto? Quais são essas verdades, e porque elas são importantes?”  lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 9 – Lição do Professor

“Davi também desejava ‘aprender [a verdade de Deus] no Seu templo’ (Sl. 27:4 RC). Qual é a ‘verdade presente’ da mensagem do santuário a ser investigada atentamente nestes últimos dias?” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 49 – Lição do Professor

 “A primeira cena introdutória mostra Cristo, vestido como sumo sacerdote, andando entre os sete candeeiros (Ap. 1:12-20). A segunda mostra a sala do trono celestial, e os versos revelam uma grande variedade de imagem do santuário: trono, tochas de fogo, mar, Cordeiro que foi morto, sangue, taças de ouro cheias de incenso (Ap. 4:5). A terceira cena se refere ao serviço contínuo de intercessão  no contexto do primeiro compartimento do santuário9 celestial (Ap. 8:2-6). A quarta cena, central, nos dá um vislumbre da arca da aliança no segundo compartimento (Ap. 11:19). A quinta cena revela todo tabernáculo no Céu (Ap. 15:5-8). A sexta cena é única, no sentido de que não contém referências explícitas ao santuário, talvez para ilustrar que a obra de Cristo ali esta concluída (Ap. 19:1-10). A cena final trata da gloriosa cidade santa na Terra, retratada como o tabernáculo que ‘descia do Céu’ (Ap. 22:1-8. Um estudo cuidadoso dessas cenas revela que elas são interligadas, mostrando uma progressão interna na salvação realizada por Deus: o fim de Seu ministério como Sumo Sacerdote e, o tabernáculo da Nova Terra.”lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 8 – Lição do Professor

Verdade contestada

“Que aspectos da ‘verdade presente’ da mensagem do santuário são mais centrais e mais fortemente contestados hoje em dia?” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 51 – Lição do Professor

Temos encontrado, infelizmente, algumas pessoas que tem contestado a verdade sobre a necessidade da plena purificação antes do fim da intercessão do Salvador. Nosso coração carnal insisti em não aceitar a renuncia de todo pecado em tempo oportuno para nossa salvação, ou seja, antes do fechamento da porta da graça, que acontece com o fim da intercessão de Cristo por nós. Essa é uma verdade que não pode de forma alguma ser negligenciada.

Temos no estudo bíblico, “As Revelações do Santuário” informações importantes sobre o fim da intercessão de Cristo e o fechamento da porta da graça.

1-      Que evento profético aponta para a obra de Cristo no Santuário Celestial e Seu retorno a essa Terra? Apocalipse 15:8

Antes da volta de Jesus a essa Terra, a Bíblia anuncia o derramamento das sete pragas sobre os que rejeitaram o plano de salvação (AP 16:1-21). Consequentemente a definição dos salvos já foi realizada, pois os justos não sofrerão os efeitos das pragas (Sl 91:7-11; 23:1-6). O início das pragas marca o fim do juízo investigativo e da intercessão de Cristo.

2-      O que vai ocorrer quando Jesus terminar o juízo investigativo? Apocalipse 22:11

Esse evento é chamado de “fechamento da porta da graça”. Quando isso acontecer, cessa o ministério de intercessão do Espírito Santo e não há mais oportunidade de salvação para os ímpios.  Nesse tempo, a humanidade enfrentará uma crise mundial sem precedentes, pois os anjos de Deus não mais estarão segurando os quatro ventos da Terra (Ap 7:1-3). Inicia-se então, o tempo de angústia (Dn 12:1).

Estudo n° 21, “Fechamento Da Porta Da Graça” do estudo bíblico, “As Revelações do Santuário” Autor Pr. Paulo S. Godinho, supervisão e editoração Pr. Sidnei Silva Mendes

Único texto de toda lição onde é mencionado o fechamento da porta da graça.

“Enquanto é transmitido o chamado final de Apocalipse 14:6-12, a porta da graça ainda está aberta, porque as pessoas ainda estão sendo chamadas a se afastar de Babilônia e adorar o Deus verdadeiro.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 136 – Lição do Professor

Sinceramente, é muito pouco ter encontrado em toda a lição apenas um texto que menciona o fechamento da porta da graça. Não existe em toda a lição uma definição clara do que seja o fechamento da porta da graça e do preparo necessário para que possamos estar entre os salvos naquele momento. Não entendemos como em uma lição onde estudamos temas importantes como, dia da expiação, juízo investigativo, Cristo como nosso Sacerdote ou intercessor, enfim, temas que estão relacionados com o fechamento da porta da graça e, no entanto este tema não ser comentado na lição.

Ocasião oportuna

 “Jesus Cristo e o Pai celestial Se reúnem (na linguagem bíblica ‘interceder’ significa ‘reunir-se, a fim de ajudar os seres humanos em suas lutas diárias contra o mal. O primeiro resultado concreto dessa reunião entre o pai celestial e Jesus foi a dádiva do Espírito Santo aos cristãos (At 2). Todo o Céu está unido para nos ajudar em nossas lutas contra o pecado, Satanás e a tentação (Jo. 15:5; Fl 4:13). Jesus Cristo não veio para nos salvar ‘no’ pecado, mas do pecado (Mt 1:21). Hebreus 4:16 explica eloqüentemente por que necessitamos do ministério de intercessão de nosso Sumo Sacerdote: ‘Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e  acharmos graça para socorro em ocasião oportuna’. Estamos constantemente precisando de Jesus e dependemos completamente dEle e do Espírito Santo. O Espírito é chamado Parakletos, o que significa que ‘Ele é alguém chamado para ajudar’, Alguém para estar ao lado(Jo 14:26).”  lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 103 – Lição do Professor

Encontramos este texto que está apenas na lição do professor onde vemos que Cristo veio nos salvar do pecado e não no pecado. Nesse texto a lição destaca a nossa necessidade de Cristo e do Espírito Santo, mas não comenta um detalhe importante de Hebreus 4:16, que é o fato de existir uma “ocasião oportuna” para buscarmos essa ajuda,  não podemos esquecer que depois do fechamento da porta da graça será tarde demais.

  

 Tempo de angústia, justos sem intercessor

“Deixando Ele o santuário, as trevas cobrem os habitantes da Terra. Naquele tempo terrível os justos devem viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Removeu-se a restrição que estivera sobre os ímpios, e Satanás tem domínio completo sobre os que finalmente se encontram impenitentes. Terminou a longanimidade de Deus: O mundo rejeitou a Sua misericórdia, desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seu tempo de graça; o Espírito de Deus, persistentemente resistido, foi, por fim, retirado. Desabrigados da graça divina, não têm proteção contra o maligno. Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústia final.” Grande Conflito pág. 614

 

Confiança na intercessão de Cristo

 Devemos ter confiança na intercessão de Cristo que ocorre agora, mas devemos estar atentos para o fato de que essa intercessão um dia terminará. A lição comenta a confiança que devemos ter na intercessão de Cristo, mas novamente lamentamos por não encontrarmos nada sobre o fim da intercessão.

Advogado e Intercessor

2- Que grande esperança e promessa encontramos em Romanos 8:31-34?

“Porém não precisamos temer. A promessa de que nada nem ninguém pode nos separar do amor de Deus se centraliza em vários pontos importantes: ‘Deus é por nós (v. 31), Deus entregou Seu Filho por nós (v. 33) Deus nos dá graciosamente todas as coisas (v. 32) e Deus nos justifica (v. 33). Jesus Cristo está do nosso lado. Ele é a resposta ao medo da condenação, pois morreu, ressuscitou, e agora esta continuamente intercedendo por nós à direita de Deus, no santuário celestial (v. 34)” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 96 – Lição do Professor

 “A fidelidade de Deus é imutável. Mesmo que sejamos ‘infiéis, Ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-Se a Si mesmo’ (2° Tim. 2:13). Nossa infidelidade ou descrença não mudará a intenção divina para conosco. Suas promessas não são abaladas pelas nossas falhas morais. As promessas ainda estarão disponíveis para nós, porque fidelidade é parte da natureza divina.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 163 – Lição do Professor

 “Porém não precisamos temer. […] e agora esta continuamente intercedendo por nós à direita de Deus, no santuário celestial”

“A fidelidade de Deus é imutável. Mesmo que sejamos ‘infiéis […] Suas promessas não são abaladas pelas nossas falhas morais. As promessas ainda estarão disponíveis para nós

Realmente devemos confiar na intercessão e no amor do nosso Salvador Jesus Cristo, mas devemos temer sim e nos preocupar com a nossa condição atual de escravos do pecado e então buscarmos na intercessão de Jesus o devido preparo para nossa salvação sabendo que há um tempo determinado para isso.

“Quando nos lembramos que ninguém sabe quando seu tempo de graça findará, como ousamos viver despreocupados, desprevenidos para encontrar com nosso Senhor? Como ousamos continuar pecadores e maculados? Por que não temos medo? Por que não estamos perturbados?  Por que não percebemos nosso perigo?  […] O Senhor operaria poderosamente por Seu povo, se este abandonasse as obras das trevas e se revestisse de Sua justiça. […] Manuscrito 13, 8 de junho de 1902

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança. Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo pág.112)

“No tempo de angústia, precisamente antes da vinda de Cristo, os justos serão preservados pelo ministério de anjos celestiais; não haverá segurança para o transgressor da lei de Deus. Os anjos não poderão proteger, então, aqueles que estão a desrespeitar um dos preceitos divinos.” Patriarcas e Profetas pág. 256

“Há esperança para cada um de nós, mas de uma só maneira – apegando-nos a Cristo e empregando toda energia para obter a perfeição de Seu caráter. Essa religião piegas que faz pouco do pecado, e só realça o amor de Deus pelo pecador, encoraja os pecadores a crer que Deus os salvará enquanto continuarem no pecado, sabendo que é pecado. É isso que estão fazendo muitos que professam crer na verdade presente.” Cristo Triunfante pág. 81

 

Dia da Expiação, purificação do santuário e do povo de Deus

 “O ritual do Dia da Expiação aponta para a obra do juízo investigativo realizada por Cristo no santuário celestial e revela as atividades especiais do povo de Deus durante esse tempo.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 75

3- Juízo investigativo. O Dia da Expiação implicava um dia de juízo investigativo divino. Aqueles que não afligissem a alma (literalmente, ‘humilhar-se’ em arrependimento) nesse dia seriam ‘eliminados’, ou seja, estariam condenados (Lv 16:29-30; 23:27,29 e 32). Teólogos judeus modernos reconhecem essa função do Dia da Expiação.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 77

“O sumo sacerdote fazia expiação com o sangue do bode do Senhor, purificando todo o santuário. O mesmo procedimento também efetuava a purificação do povo para que, quando o santuário fosse purificado de todos os pecados das pessoas, elas também fossem purificadas. Nesse sentido, o Dia da Expiação era único, pois somente nesse dia tanto o santuário quanto o povo eram purificados.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 69

“Assim como a atenção do povo de Deus se voltava para o sacerdote, Jesus é o centro exclusivo de nossa atenção. Como as atividades do sumo sacerdote na Terra traziam purificação para as pessoas, igualmente a obra de Jesus no santuário celestial faz o mesmo por nós (Rom. 8:34; 1°João1:9). lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 70

“Se alguém no antigo Israel não seguisse essas instruções, devia ser eliminado e destruído (Lv 23:29,30). O Dia da Expiação realmente significava nada menos do que vida e morte. Ele exigia completa lealdade para  com Deus.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 72

5- Purificação. O Dia da Expiação envolvia uma obra de purificação corporativa para o povo de Deus (Lv 16:30; Ez. 36:25-27; Ml.3:2,3). Mas note que era Deus quem assumia a responsabilidade pela purificação dos que permitiam que Ele fizesse essa obra em sua vida.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 77

Para a nossa salvação devemos entender e aceitar que deveremos ser completamente purificados e libertados da escravidão do pecado antes do fechamento da porta da graça.

“Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor.”  Primeiros Escritos, pág. 71.

“Cumpre-nos remediar os defeitos de caráter, purificar de toda a contaminação o templo da alma. Então a chuva serôdia cairá sobre nós, como caiu a temporã sobre os discípulos no dia de Pentecoste.”   Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 69.

“A chuva serôdia virá, e a bênção de Deus encherá toda alma que estiver purificada de toda contaminação. É nossa obra hoje entregar nossa alma a Cristo, para estarmos preparados para o tempo de refrigério pela presença do Senhor – preparados para o batismo do Espírito Santo.”  Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 191. Eventos Finais pág. 192

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.Grande Conflito pág. 623

 

A forma como vemos o nosso aperfeiçoamento de caráter

 “A consciência pode ser libertada da condenação. Pela fé em Seu sangue, todos podem ser aperfeiçoados em Cristo Jesus. Graças a Deus por não estarmos lidando com impossibilidades. Podemos pretender santificação. Podemos fruir o favor de Deus. Não devemos estar ansiosos acerca do que Cristo e Deus pensam de nós, mas do Deus pensa de Cristo, nosso substituto. (Ellen G White, Mensagens Escolhidas, v.2, p. 32,33)

Pense nas seguintes palavras: “Não devemos estar ansiosos acerca do que Cristo e Deus pensam de nós, mas do Deus pensa de Cristo, nosso substituto.” Como isso nos ajuda a entender o conceito de ser aperfeiçoado ‘em Cristo Jesus?’” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 100 – Lição do Professor

Não podemos nos acomodar com algum pecado e pensar que mesmo que eu permaneça com ele, o Senhor irá olhar para mim e ver Jesus.

O Senhor vê os salvos em Jesus da seguinte forma: Deus olha para o passado desse salvo e vê Jesus que morreu para que ele fosse perdoado. No tempo presente deste salvo, olha e vê Jesus revelado em sua vida, reinando de forma soberana em seu coração.

Não podemos nos enganar com o pensamento de que podemos usar Jesus como uma capa para encobrir nossos pecados não arrependidos e não abandonados.

“Não é genuíno nenhum arrependimento que não opere a reforma. A justiça de Cristo não é uma capa para encobrir pecados não confessados e não abandonados; é um princípio de vida que transforma o caráter e rege a conduta. Santidade é integridade para com Deus; é a inteira entrega da alma e da vida para habitação dos princípios do Céu.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 555

Os seres celestiais cooperarão com o agente humano que procura com fé decidida a perfeição de caráter que se manifeste na ação perfeita. A todo que se empenha nesta obra, Cristo diz: Estou à tua destra, para te auxiliar.” Parábolas De Jesus, p. 332

 

“O Senhor tomou grande cuidado para que tudo nos fosse agradável e aprazível, no entanto, empenhou-Se muito mais para nos conceder o dom por meio do qual podemos aperfeiçoar o caráter cristão, segundo o padrão de Cristo.”   MM Perto Do Céu, p.85

 

“Deus somente aceitará os que estão decididos a ter um alvo elevado. Coloca cada agente humano sob a obrigação de fazer o melhor. De todos é requerido perfeição moral. Nunca devemos abaixar a norma de justiça com o fim de acomodar à prática do mal, tendências herdadas ou cultivadas. Precisamos compreender que imperfeição de caráter é pecado. Todos os justos atributos de caráter habitam em Deus como um todo perfeito e harmonioso, e todo aquele que aceita a Cristo como Salvador pessoal, tem o privilégio de possuir estes atributos.”  Parábolas De Jesus, pág. 330

 

Como reagir diante da aparente demora de Jesus

“A igreja Adventista tem proclamado a mensagem do juízo por muitos anos. Cristo ainda não voltou. Como devemos reagir a essa aparente demora? Por que é importante lembrar que temos uma compreensão limitada do tempo? Pense em algumas das profecias de tempo muito longas e como alguém que viveu naqueles tempos poderia facilmente ter sido desencorajado acerca do que, de sua perspectiva, parecia estar demorando.” lição da Escola Sabatina 4° trim. 2013, “O Santuário” p. 113

Não devemos achar como sendo coisa normal essa longa espera pela volta de Jesus, já era para Jesus ter voltado,  a verdade é que nós estamos retardando a volta de Jesus, é a nossa teimosia em permanecer no pecado que tem impedido nosso devido preparo para que Jesus venha nos buscar.

”Houvessem os adventistas, depois do grande desapontamento de 1844, sustido firme sua fé e seguido avante unidos, segundo a providência de Deus lhes abria o caminho, recebendo a mensagem do terceiro anjo e no poder do Espírito Santo proclamando-a ao mundo, haveriam visto a salvação de Deus, o Senhor teria operado poderosamente com os esforços deles, a obra haveria sido concluída, e Cristo teria vindo antes para receber Seu povo para dar-lhe o seu galardão. Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo houvesse sido assim retardada. … Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do Israel moderna na Canaã celestial. Em nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de pecado e dor por tantos anos. Evangelismo, págs. 695 e 696.” Eventos Finais pág. 24

“Houvesse a igreja de Cristo feito a obra que lhe era designada, como Ele ordenou, o mundo inteiro haveria sido antes advertido, e o Senhor Jesus teria vindo à Terra em poder e grande glória. O Desejado de Todas as Nações, pág. 634.” Eventos Finais pág. 24

“Talvez tenhamos de permanecer muitos anos mais neste mundo por causa de insubordinação, como aconteceu com os filhos de Israel; mas por amor de Cristo, Seu povo não deve acrescentar pecado a pecado, responsabilizando a Deus pela conseqüência de seu próprio procedimento errado. Evangelismo, págs. 695 e 696 Eventos Finais pág. 24-25.”

Não é a vontade de Deus que este mundo de sofrimento continue existido por muito tempo, a verdade é que já era para Jesus ter voltado, é a nossa rebeldia não aceitando de forma real a purificação que o Senhor deseja realizar em nós que tem retardado a volta de Jesus. Que o Senhor nos ajude para que possamos aceitar todas as verdades importantes para nossa salvação, e assim estar preparados para a volta de Jesus e abreviar Sua volta e o fim desse mundo de tanto sofrimento.

“Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão. Parábolas de Jesus, pág. 69.”

Dando o evangelho ao mundo, está em nosso poder apressar a volta de nosso Senhor. Não nos cabe apenas aguardar, mas apressar o dia de Deus. II Ped. 3:12. O Desejado de Todas as Nações, págs. 633 e 634.”  Eventos Finais pág. 25

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. “Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.”  Parábolas De Jesus, pág. 69

Deus seja para sempre louvado!

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: