E. S. Hebreus mensagem para os últimos dias

Estamos estudando no 1ª trimestre de 2022 em nossa lição da Escola Sabatina o livro de Hebreus, “Hebreus mensagens para os últimos dias”.  O livro de Hebreus contém mensagens importantíssimas para nós que vivemos os últimos dias. Vemos nesse livro a atuação de Cristo como sumo sacerdote que está intercedendo por nós no santuário celestial. Nós Adventistas do Sétimo Dia acreditamos que no ritual do santuário temos a revelação de todo plano da salvação. No santuário encontramos toda a representação dos acontecimentos relacionados ao plano da salvação, temos, portanto no santuário, a revelação de acontecimentos já consumados, revelação de acontecimentos que estão em andamento e a revelação de acontecimentos que ocorrerão no futuro, na finalização do grande conflito. Vemos nessa lição várias declarações sobre o início da atuação de Cristo como nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial.

Curioso é que não existe nessa lição nenhuma menção do momento em que Cristo encerra Sua atuação como nosso Advogado, como nosso Intercessor! Nenhuma menção ao fechamento da porta da graça!

O livro de Hebreus encontramos um versículo que menciona algo importantíssimo que foi deixado de lado nessa lição.

“Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”. Hebreus 4:16

Acredito não ser difícil aceitar o fato dessa ocasião oportuna ser enquanto existe graça, enquanto Cristo estiver atuando como nosso Advogado e nosso Intercessor!

Pois bem, na lição do aluno esse verso não aparece escrito em nenhuma parte da lição. Ele só é mencionado na pergunta 6 da lição 5, e o objetivo da pergunta não é destacar nesse verso o seu final, a “ocasião oportuna”.

Vou deixar aqui a pergunta e a resposta sugestiva dada pela lição para provar que na única vez que esse verso é mencionado na lição do aluno o objetivo não é chamar a atenção para a necessidade de buscarmos graça em ocasião oportuna.

6 – Leia Hebreus 4: 9-11, 16. O que somos chamados a fazer?

Resposta sugestiva dada pela lição.

“Entrar no descanso que encontramos no trono da graça por meio da fé e da oração” p. 60

Vejam que falam de entrar no descanso no trono da graça, mas não mencionam o final do verso 16 onde vemos que isso precisa ocorrer em ocasião oportuna. Já na lição do professor na página 62 Hebreus 4:16 aparece escrito duas vezes, mas novamente o foco ao mostrar esse verso não é chamar a atenção para “ocasião oportuna”. Podem conferir na página 62 da lição do professor que não existe ali a menor intenção de revelar a necessidade de buscarmos graça em ocasião oportuna.

As pessoas não são alertadas sobre o fato que um dia será tarde demais para pedir perdão e transformação, isso é lamentável.

As pessoas não estão sendo orientadas para a mensagem de Mateus 7:21 a 23 onde “muitos” dirão ao Senhor “naquele dia”, fizemos isso e aquilo em teu nome, mas, Ele dirá para essas pessoas: “Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”.

Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”. Mateus 7:22,23

Sinceramente é muito triste ver essa omissão da igreja em mencionar algo tão importante. Vejam a seguir que essa questão é relatada no manual da igreja Adventista.

“Depois de Sua ascensão, Cristo começou Seu ministério como Sumo Sacerdote no lugar santo do santuário celestial, sendo este santuário o antítipo do tabernáculo terrestre da primeira disposição. Assim como o tipo, iniciou-se uma obra de juízo investigativo quando Cristo entrou na segunda fase de Seu ministério, no lugar santíssimo, prefigurada no serviço terrestre pelo Dia da Expiação. Esta obra do juízo investigativo no santuário celestial começou em 1844, no fim dos 2300 anos, e terminará no fim do tempo da graça”. (Heb. 4:14; 8:1e2; Lev. 16:12 e 29; Heb. 9:23 e 24; Daniel 8:14; 9:24-27).

Manual da Igreja Adventista Do Sétimo Dia, Esboço de Crenças Doutrinárias, p. 218.

Vejam a crença fundamental da Igreja Adventista do Sétimo Dia número 24!

24. O Ministério de Cristo no Santuário Celestial

Há um santuário no Céu. Nele Cristo ministra em nosso favor, tornando acessíveis aos crentes os benefícios do Seu sacrifício expiatório oferecido uma vez por todas, na cruz. Ele foi empossado como nosso grande Sumo Sacerdote e começou Seu ministério intercessório por ocasião da Sua ascensão. Em 1844, no fim do período profético dos 2.300 dias, Ele iniciou a segunda e última etapa de Seu ministério expiatório. O juízo investigativo revela aos seres celestiais quem dentre os mortos será digno de ter parte na primeira ressurreição. Também torna manifesto quem, dentre os vivos, está preparado para a trasladação ao Seu reino eterno. A terminação do ministério de Cristo assinalará o fim do tempo da graça para os seres humanos, antes do Segundo advento. (Hebreus 1:3; 8:1-5; 9:11-28; Daniel 7:9-27; 8:13 e 14; 9:24-27; Números 14:34; Ezequiel 4:6; Malaquias 3:1; Levíticos 16; Apocalipse 14:12; 20:12; 22:12). 

Intenção de Satanás

“O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

“O grande conflito entre Cristo e Satanás, que tem prosseguido durante quase seis mil anos, logo deve terminar; e o maligno redobra seus esforços para frustrar a obra de Cristo em prol do homem, e prender as almas em suas ciladas. Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado, é o objetivo que ele procura realizar”. O Grande Conflito, p. 518.

Triste ter que mencionar isso, mas a verdade é que essa omissão da igreja não esclarecendo para os membros sobre o fechamento da porta da graça, o término da intercessão de Cristo no santuário celestial está ajudando a Satanás a alcançar seu objetivo que é, “reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado”. O Grande Conflito, p. 518.Manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

A verdade é que a igreja está sendo “politicamente correta”, está revelando somente o que a maioria quer. Se mencionarem o fechamento da porta da graça vão ter que também esclarecer qual é a condição necessária para subsistir no tempo entre o fechamento da porta da graça e a volta de Jesus, tempo em que estarão caindo as setes pragas, tempo em que Cristo não estará mais atuando como Intercessor. Resumindo, a igreja teria que divulgar para todos aquele que talvez seja o texto mais negligenciado e mais omitido do Espírito de profecia, texto do Grande Conflito. Página 623.

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, p. 623.

Muitos Não Compreendem

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que hão de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus. Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do  “refrigério” e da “chuva serôdia” os habilitasse para estar em pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os que recusam ser talhados pelos profetas, e deixam de purificar o espírito na obediência da verdade toda, e se dispõe a crer que seu estado é muito melhor do que realmente é, chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e verão que necessitam ser esculpidos e preparados para a edificação. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes desse tempo sairá a declaração terrivelmente solene de que: “Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.” Apoc. 22:11. Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença”. Primeiros Escritos, p. 71

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia”. Muitos líderes da igreja Adventistas vão responder pelo fato de “muitos” não compreenderem qual deve ser o preparo necessário para subsistirem no tempo de angústia. Terão que responder por estarem ajudando a Satanás a alcançar seu objetivo. “Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado”. O Grande Conflito, p. 518.Manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

Desperta professo povo de Deus antes que seja tarde demais!

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: