O Homem de Romanos 7

Não é difícil vermos pessoas que não acreditam na possibilidade de plena libertação do pecado, usarem Romanos 7:14-19, como argumento para defenderem essa descrença. Argumentam que essa descrição, é a descrição de como vivia o apóstolo Paulo. “Libertação plena do pecado? Impossível Vejam como vivia mesmo o apóstolo Paulo”, E então, citam Romanos 7:14-19. Nesse trabalho veremos que é preciso ignorar muita coisa para usar Romanos 7:14-19 como prova de que é impossível a plena libertação do pecado.  

“Porque bem sabemos que a lei é espiritual. Eu, porém, sou carnal, vendido à escravidão do pecado”. Romanos 7:14

“Sabemos que a lei é divina; mas eu sou humano e fraco e fui vendido ao pecado para ser seu escravo. Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio”. Romanos 7:14-15, BLH

Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim, mas não o realizá-lo. Porque não faço o bem que eu quero, mas o mal que não quero, esse faço”. Romanos 7:18,19 NAA

E eu sei que em mim, isto é, em minha natureza humana, não há nada de bom, pois quero fazer o que é certo, mas não consigo. Quero fazer o bem, mas não o faço. Não quero fazer o que é errado, mas, ainda assim, o faço”. Romanos 7:18,19  NVT

Sinal Vermelho

É bastante comum dispositivos indicando algo de errado, algum perigo com uma luz ou um sinal vermelho. No trânsito o sinal vermelho indica, perigo, pare! Aqueles que usam Romanos 7:14-19 como prova de que é impossível a plena libertação do pecado deveriam imaginar também uma luz vermelha, indicando que algo está errado, muito errado, indicando perigo.  Compreenderemos melhor essa questão na sequência desse estudo!

As pessoas que acreditam que a vida como carnal, “vendido à escravidão do pecado”, como sendo a vida de Paulo, deveriam com sinceridade pensar, analisar o seguinte: Vivendo assim como Paulo poderia ter escrito mensagens como as que veremos a seguir?     

  1. “Sejam meus imitadores, como também eu sou imitador de Cristo”. 1 Coríntios 11:1

Como ele poderia estar imitando a Cristo sendo carnal e vivendo como escravo do pecado? Se Paulo vivia assim temos duas opções: ele estava propositalmente mentindo ou ele tinha uma ideia muito errada do que seja estar realmente imitando a Cristo

2- “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Hebreus 12:14

Como ele poderia falar em santificação estando ele mesmo vivendo como escravo do pecado ?

3 “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria”. Colossenses 3:5

Como ele poderia falar para outros fazer morrer a natureza terrena estando ele mesmo vivendo dominado por ela?

4- “Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros. Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”. Tito 3:3-5

Como Paulo poderia ter se incluído entre os que tinham sidos salvos “mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”, ainda estando vivendo como carnal e escravo do pecado? Vivendo assim o presente de Paulo não seria nem um pouco diferente do seu tempo de “outrora”!

5 “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte”. 2 Coríntios 12:9,10

E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. […] para que em mim habite o poder de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte”.

Em I Cor. 12:9-10 Paulo exalta o poder de Deus que se aperfeiçoa na sua fraqueza, pela graça o poder de Cristo passa habitar nele, então ele pode fazer essa maravilhosa afirmação! “Porque, quando estou fraco, então, sou forte”.

Como conciliar essas afirmações de Paulo em II Cor. 12:9-10, “para que em mim habite o poder de Cristo”,quando estou fraco, então, sou forte”, com Romanos 7:14-19 onde Paulo é fraco e derrotado pela carne, vive como escravo do pecado?

Mesmo uma pessoa em que habita o poder de Cristo, que devido a isso é forte, vive sem conseguir fazer o bem, faz o mal que não quer fazer e vive como escrava do pecado?

Preocupação de Paulo

“Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”. 1 Coríntios 9:27

Se Paulo tinha a preocupação de ao ensinar aos outros ele mesmo não fosse reprovado naquilo que ensinava, como conciliar esses ensinamentos de Paulo que veremos a seguir com suas afirmações em Romanos 7:14, 18-19?

 Vou fazer novamente alguns questionamentos após os ensinamentos de Paulo para revelar ainda mais, o quanto não é coerente tentar defender que essa parte de Romanos 7 representa a vida de uma pessoa convertida.

  1. “Porque bem sabemos que a lei é espiritual. Eu, porém, sou carnal, vendido à escravidão do pecado”. Romanos 7:14
  2. E eu sei que em mim, isto é, em minha natureza humana, não há nada de bom, pois quero fazer o que é certo, mas não consigo. Quero fazer o bem, mas não o faço. Não quero fazer o que é errado, mas, ainda assim, o faço”. Romanos 7:18,19  NVT

Alguns ensinamentos de Paulo

  1. “Sabendo isto: que a nossa velha natureza foi crucificada com ele, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sejamos mais escravos do pecado”. Romanos 6:6

Paulo afirmou que sua velha natureza havia sido crucificada com Cristo para que não continuasse como escravo do pecado. Essa era uma falsa afirmação? Paulo mentiu e sempre viveu como escravo do pecado?

2- “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências”. Romanos 6:12

Paulo estava aconselhando não permitir que o pecado reinasse enquanto ele mesmo continuava vivendo como escravo do pecado?

3- “Porque o pecado não terá domínio sobre vocês, pois vocês não estão debaixo da lei, e sim da graça”. Romanos 6:14

Quando Paulo afirmou que o pecado não teria domínio sobre os que estavam debaixo da graça ele estava mentindo? Sua vida dominada pelo pecado era uma prova que essa firmação dele era mentira?

4- a) “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus”. Romanos 8:8

b)“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. Romanos 12:1

Paulo “sendo carnal vendido a escravidão do pecado”, estava em uma condição que não agrada a Deus pois segundo ele mesmo os que estão na carne não podem agradar a Deus”. Mesmo assim ele aconselhou aos demais a se apresentarem como sacrifício agradável a Deus? Ou seja, ele aconselhou aos outros a fazerem algo que ele mesmo não estava fazendo?

5- “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”. Romanos 8:13

Paulo adverte aos demais quanto ao fato de que se viverem segundo a carne iriam morrer estando ele mesmo, ignorando seu próprio conselho, e   vivendo como “carnal, vendido à escravidão do pecado”?

6- a)logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. E esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim”. Gálatas 2:20

b) “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. 2 Coríntios 5:17

Paulo estava em Cristo quando afirmou “já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”. Ele também afirmou, “se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.

Essas afirmações também não eram verdadeiras na vida de Paulo? Mesmo ele vivendo em Cristo, na prática, nada havia mudado, nada havia de novo, e ele continuava vivendo comocarnal, vendido à escravidão do pecado”?

7- Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”.1 Coríntios 10:13

Paulo afirmou em Romanos 7:14 ser carnal e escravo do pecado, no verso 19 afirmou não conseguia fazer o bem e fazia o mal que não queria, ou seja, vivia completamente dominado pelo pecado. Vivendo assim ele poderia afirmar Deus não “vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”. Paulo poderia fazer essa afirmação se a forma como vivia é aquela descrita em Romanos 7:14-19, sempre vencido pelas tentações, vivendo como escravo do pecado? Que autoridade ele teria para escrever 1 Coríntios 10:13 vivendo assim?

8- “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne”. Gálatas 5:16

Se o que Paulo afirma em Gálatas 5:16 for verdadeiro então a descrição de vida de Romanos 7:14-19 é de uma pessoa que não está andando no Espírito! Ou então, aquela descrição pode ser de alguém que está andando no Espírito, e o que está em Gálatas 5:16 não é verdade, ou seja, Romanos 7:14-19 contradiz Gálatas 5:16 e prova que, quem está no Espírito pode sim satisfazer ou sucumbir aos desejos da carne.

Tempo Verbal

É bem possível que alguém ignore a esses argumentos e se apegue ao fato de Paulo ao escrever Romanos 7:14 usa o tempo verbal no presente, “eu sou”, estando, portanto, descrevendo sua condição no presente! Esteja atento para esse detalhe, tempo verbal!

 “Entre eles também nós todos andamos no passado, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais”. Efésios 2:3 NAA

Em Efésios 2:3 andares segundo as inclinações da carne é coisa do passado!

Alguém ainda pode dizer, é outra epístola outro momento de Paulo. Então vamos para o livro de Romanos.

“Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte”. Romanos 7:5

Romanos 7:5 estar na carne coisa do passado também, vejam Romanos 7, o mesmo capítulo do verso 14.

Romanos 7, verso 5 estar na carne coisa do passado, verso 14 estar na carne no presente!

“Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito”. Romanos 8:4

Romanos 8:4 Paulo afirma estar no PRESENTE entre os que não andam segundo a carne!

Diante de tudo isso acredito que o mais coerente é entender que em Romanos 7:14 Paulo começou a descrever uma situação onde a pessoa está convencida da vontade de Deus, convencida da necessidade da obediência de Sua lei, mas por ainda não conhecer Jesus, não consegue obedecer. Paulo se coloca como personagem dessa situação, dessa alegoria, porque, muito provavelmente, essa era sua realidade antes de conhecer Jesus.

Não se trata de discutir se Paulo já estava convertido, conhecia Jesus, ao escrever Romanos 7, claro que sim, estava convertido, conhecia Jesus!

O que precisa ser compreendido é que em Romanos 7:14-23 Paulo se coloca como personagem de uma alegoria descrevendo a condição de vida de uma pessoa convencida, mas ainda não convertida. Por não estar convertida ainda não tinha experimentado o poder da graça de Deus para transformar e tornar possível a plena obediência!  

Antes de prosseguirmos é interessante que voltemos em Efésios 2:3.

“Entre eles também nós todos andamos no passado, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais”. Efésios 2:3 NAA

Segundo Efésios 2:3 andar segundo a carne fazendo a vontade da carne é estar vivendo como um filho da ira. Não é exatamente isso que está fazendo o personagem de Romanos 7:14-23? Esse personagem segundo Efésios 2:3 está sim vivendo como um filho da ira! As pessoas que defendem que aquela descrição de Romanos 7:14-23 é a descrição de como vivia Paulo já convertido, sendo, portanto, a descrição de como vive uma pessoa convertida. Será que essas compreendem que pensando assim elas estão também defendendo que uma pessoa convertida vive como filho da ira!

Um simples estudo bíblico nos leva a concluir que uma pessoa convertida vive como filho de Deus e não filho da ira.

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”. Filipenses 2:15

Final da alegoria

Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?
Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, sou escravo da lei do pecado
”. Romanos 7:24,25

Em Romanos 7:24-25 Paulo descreve o momento em que a pessoa convencida, mas ainda não convertida reconhece sua “miserável” condição e encontra em Jesus a solução para o livramento dessa condição.

Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?
Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor!”

Começo de uma nova realidade!

“Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1, ARC

Na Bíblia Almeida Revista e Corrigida vemos em Romanos 8:1, claramente, a transição da experiência descrita em Romanos 7:14-19 para uma nova experiência, de não mais andar segundo a carne, mas segundo o Espírito!

Vejam “nenhuma condenação” “para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Transição de uma condição de condenação, vivendo segundo a carne como escrava do pecado, para uma condição de libertação da condenação e da escravidão do pecado, por estar em Cristo, não mais andando segundo a carne, mas segundo o Espírito. Pena que Romanos 8:1 não está assim em todas as Bíblias, porquê dessa forma vemos com muita clareza essa transição.

Eu não entendo também o porquê de Romanos 8:1 não estar também dessa forma na nossa Bíblia de Estudo Andrews, a Bíblia de estudo adventista! A serva do Senhor usou Romanos 8:1 dessa forma em diversas obras. Vou mostrar a seguir dois exemplos.

Romanos 8:1 no Espírito de profecia

“Podemos ir a Jesus e ser purificados, permanecendo diante da lei sem opróbrio e remorsos. “Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1”.  O Grande Conflito, p.477

“É nosso privilégio ir a Jesus e sermos purificados, e apresentar-nos perante a lei sem pejo nem remorso. “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1”. Caminho a Cristo, p. 51

Romanos 8:1 em nossas lições da Escola Sabatina

E possível encontrar também em nossas lições da Escola Sabatina Romanos 8:1 como está na Bíblia Almeida Revista e Corrigida.

“Não importa se somos judeus ou gentios, quando confrontados com nossa pecaminosidade, podemos achar refúgio na justiça de Cristo oferecida pela fé, ‘independentemente das obras da lei’ (Rom. 3:28). Podemos reclamar a promessa de que ‘agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito’ (Rom. 8:1 ARC). Lição da Escola Sabatina, 2º Trim. 2-16, O Evangelho de Mateus, p. 87, lição do professor.

Vejam esse maravilhoso comentário sobre Romanos 7 encontrado no livro Nisto Cremos!

Todos os esforços para se alcançar uma vida de justiça pelos próprios méritos, são condenados. Cristo declarou que todos aqueles que pecaram são ‘escravos do pecado’. Somente o poder divino pode nos emancipar dessa escravidão. Entretanto, Cristo nos assegura: ‘Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres’ (Jo. 8:36). Ele disse que somente seremos capazes de produzir a justiça se permanecemos Nele, porque ‘sem Mim nada podeis fazer’ (Jo. 15:4 e 5). ‘Cada ato de transgressão, cada negligência ou rejeição da graça de Cristo recai sobre vós mesmos; endurece o coração, deprava a vontade, entorpece o entendimento, tornando-vos não só menos inclinados a ceder à terna súplica do Santo Espírito de Deus, como também menos capazes de o fazer’. Até mesmo o apóstolo Paulo fracassou na tentativa de desenvolver vida justa por seus esforços. Ele conhecia o perfeito padrão da lei de Deus, mas não se sentia habilitado a preenchê-lo. Ao recapitular os esforços que havia empreendido, declarou: ‘Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço no que prefiro, e sim o que detesto’. ‘Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço’. Depois salientou o impacto do pecado sobre sua vida. ‘Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim’. A despeito de seus fracassos, ele admirava o perfeito padrão de Deus, dizendo: ‘Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros, outra lei que, guerreando contra lei de minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte”? (Romanos 7:15, 19, 20, 22-24).

Paulo finalmente compreendeu que era necessário o poder divino para torná-lo vitorioso. Por intermédio de Cristo, deixou de lado a vida segundo a carne e começou uma nova vida de acordo com o Espírito (Rom. 7:25; 8:1). Essa nova vida segundo o Espírito é o transformador dom de Deus. Pela graça divina, nós que estamos ‘mortos’ ‘nos delitos e pecados’, nos tornamos vitoriosos (Ef. 2:1, 3, 8-19). O novo nascimento espiritual transforma de tal modo a vida (Jo. 1:13; 3:5) que podemos até mesmo falar de uma nova criação – as ‘coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas’ (2Cor. 5:17). A vida renovada, contudo, não exclui a possibilidade de se cometer pecado (1Jo. 2:1)”. Nisto Cremos, p. 115 – 116

É muito triste constatar que a grande maioria dos adventistas que estudam nossas lições da Escola Sabatina parece não levar em consideração o que nos é ensinado nelas. Fazem com nossas lições o mesmo que fazem com a Bíblia e o Espirito de profecia! Aceitam apenas aquilo que lhes convém! Vejam a seguir dois textos da última lição de Romanos que estudamos em 2010.

O primeiro ” “Romanos 8 é a resposta de Paulo a Romanos 7”. O segundo descreve com precisão as pessoas se escondendo atrás de Romanos 7 para justificar uma vida na permanência da escravidão do pecado. O terceiro revelando claramente que a experiência de Romanos 7 é a de uma pessoa antes de se render a Cristo.

Romanos 8 é a resposta de Paulo a Romanos 7. Em Romanos 7, Paulo fala de frustração, fracasso e condenação. Em Romanos 8, a condenação está anulada, substituída pela liberdade e vitória provida por Jesus Cristo. Em Romanos 7, Paulo disse que se você se recusar a aceitar Jesus Cristo, terá a experiência infeliz ali descrita. Você será escravo do pecado, impossibilitado de fazer o que preferir. Em Romanos 8, ele diz que Cristo Jesus lhe oferece a libertação do pecado e liberdade para fazer o bem que desejar fazer, mas que sua natureza pecaminosa não permite.”. Lição E. S. A Redenção Em Romanos, 3º Trim. 2010, p. 106.

 “Infelizmente, deixando de renovar diariamente sua dedicação a Cristo, muitos cristãos, na realidade, estão servindo ao pecado, por mais que abominem admitir isso. Racionalizam que estão passando pela experiência normal de santificação e que simplesmente têm um longo caminho a percorrer. Assim, em vez de levar os pecados conhecidos a Cristo e pedir a vitória sobre eles, escondem-se atrás de Romanos 7, que lhes diz, pensam eles, que é impossível fazer o que é certo. Na realidade, esse capítulo está dizendo que é impossível fazer o certo quando a pessoa está escravizada ao pecado, mas a vitória é possível em Jesus Cristo”. Lição Escola Sabatina, A Redenção Em Romanos, 3º Trim. 2010, p. 98.

“‘Em Cristo Jesus’ está em contraste com ‘a carne’. Também está em contraste com a experiência detalhada no capítulo 7, em que Paulo em descreve como sendo carnal a pessoa que está sob condenação antes de se render a Cristo, significando que é escrava do pecado. A pessoa está sob a condenação da morte (v. 11, 13 e 24). Serve à ‘lei do pecado’ (v. 23, 25). Essa pessoa está em uma terrível condição de desgraça (v. 24). Lição Escola Sabatina, A Redenção Em Romanos, 3º Trim. 2010, p. 107

Diante de tudo que vimos, só nos resta clamar!

Desperta professo povo de Deus!!!

Publicidade

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: