Archive for the ‘Perfeição’ Category

Rumo à Perfeição

perfeição
Até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. Efés. 4:13.

Grande, solene obra é obter aptidão moral para a sociedade dos puros e dos bem-aventurados. … Unicamente pela conformação com a Palavra de Deus podemos esperar chegar à “medida da estatura completa de Cristo”. Efés. 4:13. Mas assim é preciso, do contrário nunca entraremos no Céu. Sem pureza ou santidade de coração, não podemos ganhar a coroa de glória imortal.

A vida da alma não pode ser mantida, exceto pelo devido exercício das afeições em direção ao Céu, a Cristo, a Deus. O arrependimento e a fé em Cristo para perdão dos pecados, é essencial, mas não tudo quanto é requerido. … A vida do cristão apenas começou agora. Ele precisa… prosseguir “até a perfeição”. Heb. 6:1. Ele precisa levar cativo todo pensamento à obediência de Cristo. Se cremos em Jesus, gostaremos de pensar nEle, de nEle falar e de orar-Lhe. Ele é supremo em nossas afeições. Amamos aquilo que Cristo ama, e aborrecemos aquilo que Ele aborrece. …

A vida cristã não chega nunca a uma parada. É, precisa ser, progressiva. Nosso amor por Cristo deve-se tornar cada vez mais forte. …

Meu irmão, minha irmã, está vossa alma no amor de Deus? Muitos de vós possuem uma percepção crepuscular da excelência de Cristo, e vossa alma freme de regozijo. Anelais mais pleno, mais profundo senso do amor do Salvador. Ansiais entrelaçar vossas afeições mais estreitamente em torno dEle. Não estais satisfeitos. Não desespereis, porém. Dai a Jesus as mais santas e melhores afeições do coração. E prezai como um tesouro cada raio de luz. Acariciai cada desejo da alma quanto a Deus. Dai-vos à cultura dos pensamentos espirituais e da santa comunhão. … Apressai-vos a amadurecer para o Céu. … Custar-nos-á alguma coisa o obter uma experiência cristã, e desenvolver um caráter nobre e verdadeiro. … Mas a multidão vestida de branco dos remidos são os que lavaram as suas vestiduras, e as branquearam no sangue do Cordeiro. Review and Herald, 30 de maio de 1882.

Texto extraído da Meditação Matinal – 1962 – Nossa Mais Alta Vocação, pág. 336 – Destaques acrescentados por nós.

Reforma: vontade de crescer e mudar

Crescer

“Reavivamento é simplesmente um despertar dos mais profundos anseios espirituais. É uma intensificação dos nossos desejos espirituais quando nosso coração é atraído para mais perto de Deus pela influência do Espírito Santo. Reavivamento não implica que não tivemos experiência anterior com Jesus, mas nos chama a uma experiência mais profunda e mais rica. A reforma nos chama para crescer e mudar. Ela nos apela a ir do status quo [estado atual das coisas] espiritual. Convida-nos a reexaminar nossa vida à luz dos valores bíblicos e permitir que o Espírito Santo nos capacite a fazer as mudanças necessárias para viver em obediência à vontade de Deus.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 66 – Lição de Aluno; pág. 120 – Lição de Professor

Nosso maravilhoso Deus está nos chamando para uma “uma experiência mais profunda e mais rica.” Nos chama para um estilo de vida realmente em conformidade com Sua vontade. Para atendermos a esse chamado de Deus precisamos realmente de vontade de crescer e mudar.

Não é difícil de entender que quando este processo divino acontecer em nossa vida, estaremos tão ligados à Cristo que nossas atitudes pecaminosas e ofensivas a Deus, deixarão de existir. Esta é uma realidade para “agora”. Vejamos o que a serva do Senhor afirma sobre esta mudança em nossa vida:

A obra de Cristo em purificar o leproso de sua terrível doença, é uma ilustração de Sua obra em libertar a alma do pecado. O homem que foi ter com Jesus estava cheio de lepra. (…) O mesmo se dá quanto à lepra do pecado – profundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano. (…) Sua presença tem virtude que cura o pecador. Quem quer que Lhe caia de joelhos aos pés, dizendo com fé: “Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo”, ouvirá a resposta: “Quero: sê limpo.” Mat. 8:2 e 3. Em alguns casos de cura, Jesus não concedeu imediatamente a bênção buscada. No caso da lepra, todavia, tão depressa foi feito o apelo, seguiu-se a promessa. Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração talvez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, porém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa. Cristo “Se deu a Si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” Gál. 1:4. E “esta é a confiança que temos nEle, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que Lhe fizemos”. I João 5:14 e 15. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” I João 1:9.” O Desejado de todas as Nações, pág. 266

É necessário estreitarmos nossa ligação com céu, com Cristo. Nossos defeitos de caráter ou natureza não podem servir de desculpas para vivermos uma vida desregrada, sem reforma. Precisamos parar de justificar nossos erros. O pecado que cometemos entristece e ofende nosso Deus.  Precisamos compreender que pecado habitual ou ocasional, muito ou pouco, pequeno ou minúsculo que seja, se não for abandonado pelo poder de Deus nos levará a perdição.

“Deus é amor. Ele manifestou esse amor na dádiva de Seu Filho unigênito. Contudo, o amor de Deus não desculpa o pecado. Deus não desculpa o pecado em Satanás, em Adão ou em Caim, nem desculpará o pecado em algum dos filhos dos homens. A pervertida natureza humana pode deturpar o amor de Deus, transformando-o num atributo de fraqueza; mas a luz está brilhando da cruz do Calvário, para que o homem possa ter idéias corretas e defender teorias que não sejam deturpadas.” EXALTAI-O, pág. 159

“O pecado é um intruso, por cuja presença nenhuma razão se pode dar. É misterioso, inexplicável; desculpá-lo corresponde a defendê-lo. Se para ele se pudesse encontrar desculpa, ou mostrar-se causa para a sua existência, deixaria de ser pecado.” O Grande Conflito, pág. 493.

Nosso desejo de crescer e mudar deve ter como objetivo a completa libertação do pecado: “Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus imaculados no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual resplandeceis como luminares no mundo.” Filipenses 2:15

Que seja nossa escolha! Libertos de todo peso do pecado!

“Quando o homem finito e pecaminoso põe em ação a própria salvação com temor e tremor, Deus é quem efetua nele tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade. Deus não agirá, porém, sem a cooperação do homem. Este precisa exercitar ao máximo suas faculdades; deve colocar-se como apto e dócil aluno na escola de Cristo; e, ao aceitar ele a graça que lhe é oferecida livremente, a presença de Cristo no pensamento e no coração dar-lhe-á firmeza de propósito para desembaraçar-se de todo peso do pecado, a fim de que o coração seja tomado de toda a plenitude de Deus e Seu amor.” ( Ellen G.  White, Fundamentos Da Educação Cristã, pág 134) Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 68 – Lição de Aluno; pág. 122 – Lição de Professor

Não podemos nos comportar como Pedro e Tomé!

“Pedro e Tomé tinham uma notável característica em comum. Eles abordavam a fé a partir de uma perspectiva humana. Pedro confiava no que ele podia fazer; e Tomé, no que podia ver. Eles dependiam de seu imperfeito julgamento humano.” Lição da E. S. Reavivamento e Reforma, pág. 123

Quando falamos da possibilidade do homem passar a viver sem pecar, geralmente parece-nos impossível e inacreditável. Nos portamos, na prática, como Pedro ou como Tomé. Caímos no erro de olhar para nós, para nossas limitações e esquecemos-nos do Deus do impossível que pode fazer milagres em nós.

Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” Fil. 4:13

Esta é uma declaração fortíssima que utilizamos para tantos outros assuntos que acreditamos e que não é diferente para uma purificação divina em nossa vida. Além desta e tantas declarações na palavra de Deus do poder divino disponível para nos libertar do pecado, ainda assim agimos com muita incredulidade. Na realidade também somente acreditamos naquilo que podemos ver (Tomé) e naquilo que podemos fazer (Pedro).

Clamemos que o Senhor aumente nossa fé. Não podemos nos esquecer do poder de Deus. Não podemos continuar abordando as coisas espirituais a “partir de uma perspectiva humana.” Que o Senhor nos ajude a acreditar em Suas promessas. 

“Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne.” Gál. 5:16

Pois quanto a ter morrido, de uma vez por todas morreu para o pecado, mas quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências” Rom. 6:10-12

“Se você crê na promessa – crê que está perdoado e purificado – Deus supre o fato: você é curado, exatamente como Cristo conferiu ao paralítico poder para caminhar quando o homem acreditou que estava curado. Assim é se você crer. “Não espere até sentir que está curado, mas diga: “Creio-o; assim é, não porque eu  o sinta, mas porque Deus o prometeu.” (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 51) Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 71 – Lição de Aluno; pág. 125 – Lição de Professor

Voltar para casa

“Reavivamento pode ser definido de maneiras diferentes. Seja qual for a definição, um aspecto não deve ser esquecido: reavivamento significa voltar para casa. É uma fome intensa de conhecer profundamente o amor do Pai. Reforma é a decisão de responder à orientação do Espírito Santo para mudança e crescimento. É a ecolha de desistir de tudo o que impede o relacionamento mais íntimo com Deus. O filho pródigo não poderia ter ao mesmo tempo  o chiqueiro dos porcos e o banquete do pai.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 70 – Lição de Aluno; pág. 124 – Lição de Professor

É verdade que reavivamento realmente significa voltar para casa, voltar para Deus. Nosso maravilhoso Deus está agindo como um Pai que deseja que Seus filhos voltem para casa. Todos desejam a salvação, voltar para casa. Mas sinceramente, mesmo sabendo não ser possível queremos ao mesmo tempo “o chiqueiro dos porcos e o banquete do pai”, ainda gostamos de coisas que pertencem somente ao chiqueiro dos porcos como músicas, hábitos de alimentação, vestuário, ganância e outras coisas mais. Temos que entender que voltar para casa é voltar para o reino de Deus e para isso o Senhor quer purificar plenamente nosso coração agora. No reino de luz e não existe nenhuma, absolutamente nenhuma comunhão entre as trevas e a luz. O perdão que o Senhor nos concede nos habilita para o reino de Deus e a santificação ou a purificação do nosso coração nos adapta a ele.

“É imputada a justiça pela qual somos justificados; aquela pela qual somos santificados, é comunicada. A primeira é nosso título para o Céu; a segunda, nossa adaptação para ele. Review and Herald, 4 de junho de 1895.” Mensagens Aos Jovens pág. 35 (Cristo Nossa Justiça pág. 108-109)

“Reforma ocorre quando decidimos responder a um amor que não desiste de nós, quando escolhemos desistir de atitudes, hábitos, pensamentos e sentimentos que nos separam dEle.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 70 – Lição de Aluno, pág. 124 – Lição de Professor

Como membros da igreja de Deus temos um excelente conhecimento. O que precisamos é orar mais para que o nosso conhecimento possa ser praticado por cada um de nós para que possamos pregar o evangelho por preceito e exemplo. Precisamos acreditar e aceitar a obra que o Senhor deseja realizar no nosso coração. Quando está obra se tornar realidade, a obediência ao Senhor será natural, espontânea e não mais gostaremos do pecado.

“Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com o Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. […] Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível.” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, pág. 669)  Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 72 – Lição de Aluno, pág. 126 – Lição de Professor

Este texto é maravilhoso. Porém gostaríamos de reescrevê-lo acrescentando duas frases importantes que não foram escritas no texto da lição:

“Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com o Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. A vontade, refinada, santificada, encontrará seu mais elevado deleite em fazer o Seu serviço. Quando conhecermos a Deus como nos é dado o privilégio de O conhecer, nossa vida será de contínua obediência. Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 669

Esta afirmação é importante pelo fato de que na lição 5 – Obediência: fruto do reavivamento, afirmava: “Jesus deu um exemplo do que é uma vida cheia do Espírito Santo. É uma vida de obediência voluntária e humilde submissão à vontade do Pai. É uma vida de oração, dedicada ao serviço e ministério e dominada pelo desejo ardente de ver pessoas salvas no reino do Pai.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 36 – Lição de Aluno

Se Jesus assim vivia, dependia do Espírito Santo e vivia sem pecar, quanto mais nós, a Seu exemplo e comunhão com Deus, precisamos fazer.

“Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.” 1 João 2:6

Podemos ser libertados do pecado!

“Na mudança que se opera quando a alma se entrega a Cristo, há o mais alto senso de liberdade. A expulsão do pecado é ato da própria alma. Na verdade, não possuímos capacidade para livrar-nos do poder de Satanás; mas quando desejamos ser libertos do pecado e, em nossa grande necessidade, clamamos por um poder fora de nós e a nós superior, as faculdades da alma são revestidas da divina energia do Espírito Santo, e obedecem aos ditames da vontade no cumprir o querer de Deus.” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, pág. 466) Comentário adicional na Lição do Professor da E. S. Reavivamento  e Reforma, p.130

Deus seja para sempre louvado!

Quando nos tornarmos instrumentos do Senhor Espírito Santo

Sou Teu Senhor

De tudo que temos lido, estudado e aprendido sobre o final dos tempos, graça de Cristo e atuação do Senhor Espírito Santo em nós, ficam dois resultados que devem pautar nossa busca:

  1. Amor pelas almas, considerando a pregação do evangelho para salvação de todos e;
  2. Sem o Senhor Espírito Santo agindo em nossa vida, nada terá efeito, definitivamente nada.

O resultado nº 1 é nossa missão deixada por Cristo em Mateus 28:19-20: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.

É necessário observar que para este objetivo de pregar o evangelho, o amor de Deus em nós deve ser o principal fundamento e foco para esta missão, deixando para trás o egoísmo, desespero ou medo de perder a salvação. Uma vez envolvidos na missão, não existirá medo e sim certeza como expressa o apóstolo Paulo: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda. 2 Timóteo 4:7-8

O resultado nº 2 é a essência do poder de Deus em nós para a pregação do Evangelho. Poderemos fazer os melhores sermões, escrever os melhores textos, cantar hinos de forma maravilhosa, atender todos os necessitados de nossa cidade, ministrar o máximo de estudos bíblicos, mas se o Senhor Espírito Santo não estiver atuando em nosso coração, de nada servirá. Para toda ação e pensamento nossa vida deve estar cheia de poder, sermos instrumentos do Senhor Espírito Santo.

Ellen G. White, a serva do Senhor, fez a seguinte declaração: “A obra de Cristo em favor do homem não está terminada. Ela continua ainda hoje. Da mesma maneira devem os Seus embaixadores pregar o evangelho e revelar Seu piedoso amor pelas almas perdidas e a perecer. Pela manifestação de interesse altruísta naqueles que necessitam de auxílio devem eles dar uma demonstração prática da verdade do evangelho. Nesta obra está incluído muito mais que mera pregação de sermões. A evangelização do mundo é a obra que Deus confiou aos que saem em Seu nome. Eles devem ser colaboradores de Cristo, revelando aos que perecem o Seu terno e compassivo amor. Deus chama a milhares para trabalharem para Ele, não para pregar aos que já conhecem a verdade para este tempo, mas para advertir os que jamais ouviram a última mensagem de misericórdia. Trabalhai com o coração cheio de um ardente amor pelas pessoas. Realizai obra médico-missionária. Assim obtereis acesso ao coração das pessoas, e o caminho será preparado para uma proclamação mais decidida da verdade. Quem é coobreiro de Cristo nesta abençoada obra médico-missionária? Quem aprendeu as lições do Mestre e sabe como tratar habilmente com as almas pelas quais Cristo morreu? Nós necessitamos, e quanto! de médicos para a alma, que tenham sido educados na escola de Cristo e que possam trabalhar nas fileiras de Cristo. Review and Herald, 17 de dezembro de 1914.” Beneficência Social, pág. 57-58

O Pr. LeRoy Edwon Froom afirma que: “Trabalhar para Deus é uma coisa; mas Deus operar por nosso intermédio é bem diferente. Uma coisa é abandonar o mundo para seguir a Cristo e outra é ser alguém em quem o Espírito Santo habita abundantemente, com Sua plenitude de poder e graça. Ensina-nos o Pentecoste que, o que é necessário não é a mudança de homens, mas homens transformados. Serão os mesmos antigos pregadores, dotados de novo poder, que terminarão a tarefa mundial. E Deus não pode realizar uma obra revolucionária com homens, sem que primeiro tenha feito algo revolucionário pelos homens, mediante a concessão do Espírito Santo.” A Vinda do Consolador, pág. 119

Outro texto fantástico que serve de alerta: “O Espírito Santo é o todo-suficiente equipamento da Igreja. Tão completo é Ele que, havendo apenas cento e vinte membros apostólicos cheios do Espírito, atingiu-se uma extensão maior do que qualquer outra já alcançada desde então, em igual período de tempo, não obstante todas as facilidades de que dispomos. Somos assim forçados a concluir que a maior falta da Igreja remanescente, do que ela necessita acima de tudo, é o poder do Espírito Santo prometido a fim de prepará-la para a sua obra final” A Vinda do Consolador, pág. 130-131.

Entre duas situações: Formalismo e Fanatismo

  • Formalismo

Não podemos nos acomodar em um estilo de vida onde agimos sem amor. É comum irmos à igreja, orarmos, lermos a bíblia, enfim, fazemos tantas coisas simplesmente motivados por um senso de obrigação. Estas são atitudes que caracterizam o  cristianismo legalista sem vida, sem amor. Mesmo assim afirmamos ser  cristãos e vivemos  a triste realidade de estarmos vivendo sem Jesus no coração.

Jesus faz um alerta: “Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?” Mateus 7:22

É uma situação muito triste e mais triste ainda é a resposta de Jesus a estas perguntas: “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” Mateus 7:23

Misericórdia Senhor!

Ellen G. White afirma que “O Senhor tem ricas bênçãos para a Igreja se os seus membros procurarem diligentemente despertar dessa perigosa mornidão. Uma religião de vaidade, palavras desprovidas de vitalidade, um caráter destituído de força moral – estas coisas são salientadas na solene mensagem dirigida pela Testemunha Verdadeira às igrejas, advertindo-as do orgulho, mundanidade, formalismo e auto-suficiência. … Mas, aos humildes, aos sofredores, aos fiéis, aos pacientes, que estão cônscios de sua debilidade e insuficiência, são proferidas palavras de encorajamento: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” Apoc. 3:20. Nosso Senhor demora-Se porque “é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento”. II Ped. 3:9. Quando nós, porém, com todos os remidos, estivermos em pé no mar de vidro, com harpas de ouro e coroas de glória, e diante da imensidão da eternidade, veremos então como foi curto o período de espera e provação. “Bem-aventurados aqueles servos a quem o Senhor, quando vier, os encontre vigilantes.” Luc. 12:37. Testimonies, vol. 5, págs. 483-485.” Exaltai-O, Meditação Matinal – 1992, pág. 339

Um texto surpreendente: “Homens, dons, métodos, legislação, tudo isso é maquinaria morta, a menos que seja vitalizada e tornada eficaz pelo Espírito do Pentecoste. O profeta pode pregar aos ossos no vale, mas é o sopro do Céu que os fará viver. Nossa grande falta não consiste em mais fervor, mais oportunidade, mais força, mais atividade; é a nossa atitude de indiferença para com o Espírito Santo.” A Vinda do Consolador, pág. 131.

Estranho como mensagens tão claras como estas não são levadas em consideração para nos acordar da mornidão espiritual que nos conduz ao formalismo. Infelizmente, enquanto não vermos valor na graça e na obra que Deus quer efetuar em nosso coração através do reavivamento verdadeiro, estaremos fadados ao insucesso da missão. Acordemos povo de Deus!

  • Fanatismo

Algumas vezes quando estudamos sobre o poder e obra do Senhor Espírito Santo em nossa vida, vem a curiosidade sobre os milagres. O fervor pentecostal e o ministérios dos milagres conduzem para o fanatismo.

No entanto, devemos considerar a necessidade de estarmos atentos para alguns detalhes para que realmente tenhamos capacidade de discernimos se determinado reavivamento é falso ou verdadeiro e não cometermos injustiças. Quando os apóstolos receberam o Senhor Espírito Santo, estes foram acusados de estarem bêbados Precisamos lembrar que na igreja primitiva manifestaram-se muitos sinais e prodígios. (Atos 2:43; 3:1-10; 9:32; 9:36; 4:31; 5:12-16). Vemos nestes textos bíblicos pessoas sendo ressuscitadas, curadas, libertadas do inimigo, pessoas sendo curadas até mesmo através da sombra dos apóstolos.

Jesus disse: “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.” Marcos 16:15-18

Infelizmente em nossos dias os sinais e prodígios não ocorrem na mesma freqüência que ocorriam na igreja primitiva. Vejamos como tentamos explicar este fato:

“Fazemos muitas racionalizações sobre o fato de não  ser manifesto o pleno poder do Espírito Santo na igreja hoje. Por exemplo, alguém vai para o Japão, aprende o idioma tão bem  que consegue ser aprovado na banca de examinadores da faculdade em apenas um ano. Dizemos que isso é dom de línguas, mas não é. Apontamos para nossos hospitais e os médicos cristãos, sua capacidade e talento, e dizemos que isso é dom de curar, mas não é. Não  mistifiquemos o poder apenas porque não o experimentamos em sua plenitude.” Pr. Morris L. Venden, Seu Amigo O Espírito Santo, pág. 99

No texto a seguir do Espírito de Profecia veremos a confirmação de que o poder concedido por Deus para operação de sinais e pródigos não se restringia apenas a igreja primitiva. O poder de cura deveria acompanhar o povo de Deus enquanto estivesse pregando o evangelho, desde o início até a volta de Jesus sem interrupção. Entenderemos também o porquê dos sinais e prodígios que ocorriam com muita freqüência na igreja primitiva, não estarem ocorrendo da mesma forma em nossos dias:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: em Meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” Mar. 16:15-18. A tradução de Campbell diz: “Estas miraculosas faculdades acompanharão os crentes.” Os dons não foram circunscritos aos apóstolos, mas estenderam-se aos crentes. Quem os receberá? Aqueles que crerem. Até quando? Não há limitação; a promessa segue paralela com a grande comissão de pregar o evangelho e alcançar o último crente.” Primeiros Escritos, pág. 134

“Que a pregação do evangelho sob esta comissão não terminou com a igreja primitiva é evidente da promessa: “Eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos.” Mat. 28:20. Ele não diz: Estou com vós outros, apóstolos, em toda a parte, até mesmo nos confins da Terra; mas estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos, ou do mundo. Não se refere isto à era judaica, pois esta já tinha findado na cruz. Concluo, então, que a pregação e a fé do primitivo evangelho seriam sempre assistidas com o mesmo auxílio espiritual. A comissão dada aos apóstolos pertencia à era cristã, e compreendia toda ela. Conseqüentemente os dons foram perdidos apenas em virtude da apostasia, e serão revividos com o reavivamento da primitiva fé e prática.” Primeiros Escritos, pág. 135

No futuro quando o verdadeiro reavivamento se tornar uma realidade, novamente haverá a manifestação de muitos sinais e prodígios entre o povo de Deus.

“Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes.” O Grande Conflito, pág. 611 e 612.

Conflito: mornidão e acusações

A mornidão e acusações  são características fundamentais do formalismo e fanatismo.

Dentro da Igreja de Deus, existe um grupo de pessoas que quer viver o evangelho em sua plenitude. Não são melhores que ninguém, no entanto, sabem da verdade e buscam o poder em Deus. Este grupo busca poder para libertar-se do formalismo. Como este grupo representa a minoria, logo sofrem acusações de serem fanáticos pelo que pregam.

É necessário viver e testemunhar a atuação do Senhor Espírito Santo em nossa vida. A serva do Senhor assim descreve:

Devemos orar pelo derramamento do Espírito, como remédio para os doentes de pecado. A igreja precisa estar convertida. E por que nos não prostramos diante do trono da graça, como representantes da igreja e, com coração submisso e espírito contrito, suplicamos fervorosamente que o Espírito Santo seja derramado do Alto sobre nós? Oremos para que quando Ele for graciosamente concedido nosso frio coração seja reavivado, e possamos ter discernimento para compreender que Ele vem de Deus, e recebê-Lo com alegria. Alguns tratam o Espírito como a um hóspede que não é bem-vindo, recusando receber o rico dom, recusando reconhecê-Lo, dEle se desviando, e O condenando como fanatismo. Quando o Espírito Santo trabalha sobre o agente humano, não nos pergunta de que maneira atuará. Freqüentemente move-Se de maneira inesperada. Cristo não veio como os judeus esperavam, Ele não veio de maneira que os glorificasse como nação. (…) Este é o perigo a que a igreja está agora exposta – o de que as invenções de homens finitos determinem a maneira precisa em que o Espírito Santo deve vir. Embora não queiram reconhecê-lo, alguns já o têm feito. E porque o Espírito deve vir… O Espírito Santo não lisonjeia o homem, tampouco atua segundo as ideias de qualquer homem…” Testemunhos para Ministros, pág. 64-66

Devemos ter uma grande atenção para não sermos acusadores dos verdadeiros servos do Senhor. Ao contrário, devemos unirmos e buscar poder juntos, unânimes.  Acusação sempre foi uma obra de Satanás e precisamos estar atentos para não sermos achados como seus seguidores.

Existe uma solução para estes extremos?

Existe! Existe uma busca ao poder de Deus. Existe a postura de deixar Deus agir e cumprir a obra dEle em nossa vida.

Jesus insiste: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Apocalipse 3:20

Outro texto importantíssimo: “Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias”, declara o Senhor. “Porei minhas leis em suas mentes e as escreverei em seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo.” Hebreus 8:10

Estes dois versos resumem o que devemos fazer para não vivermos na formalidade ou no fanatismo. Quando atentarmos para estas necessidades, Jesus morando e reinando em nosso coração e vivendo a santa Lei de Deus em nosso coração, estaremos fazendo a vontade de Deus de forma justa e piedosamente.

Mesmo assim, para Jesus viver em nosso coração e vivermos a vontade de Deus, precisamos do poder de Deus em nossas vidas. Precisamos arrepender-nos, confessar nossos pecados, abandoná-los e acima de tudo deixar-nos ser usados pelo Senhor Espírito Santo. Quando esta obra maravilhosa acontecer em nossas vidas, estaremos refletindo o caráter de Cristo e cumprindo a missão de pregar o evangelho com nossa vida de forma eficaz e divinamente poderosa como aconteceu com os apóstolos durante a festa de Pentecostes.

“Não há nada que Satanás tema tanto como que o povo de Deus limpe o caminho mediante a remoção de todo impedimento, de modo que o Senhor possa derramar o Seu Espírito sobre uma igreja debilitada e uma impenitente congregação. Se Satanás conseguisse o que ele quer, nunca mais haveria outro despertamento, grande ou pequeno, até ao fim do tempo. Mas não ignoramos os seus ardis. É possível resistir-lhe ao poder. Quando o caminho estiver preparado para o Espírito de Deus, a bênção virá.” Mensagem aos Jovens, pág. 133

Enfim, quando nos tornarmos instrumentos do Senhor Espírito Santo, seremos usados para Sua honra e glória cumprindo assim, a obra de Deus em nós e no mundo. Seremos luz e sal neste mundo e então Jesus voltará. Louvado seja o Senhor!

ATENÇÃO!

Estamos procurando prestar serviço aceitável enquanto negligenciamos o único poder pelo qual podemos realizá-lo. Na igreja, como no mundo, tudo é pressa, velocidade, pressão. Somos tão ocupados que não temos tempo para o que é mais necessário. Nossas mãos estão cheias, mas o coração quase sempre vazio. “O movimento missionário vai além do espírito missionário.” – Historical Sketches, pág. 294. Se deplorarmos as limitações de nossas atividade, não deveríamos preocupar-nos muito mais com a nossa mais profunda necessidade? A igreja acha-se atualizada. Dispõe de excelente organização e maravilhosa maquinaria. Suas rodas estão magnificamente ajustadas. Mas falta-lhe poder. A despeito de todas as nossas utilidades, não temos o poder de conversão que deveria marcar a Igreja remanescente. Recuamos no conflito com o mundanismo, a descrença, a injustiça. Enquanto a Igreja está evangelizando o mundo, o mundo está secularizando a Igreja, e assim os esforços desta são neutralizados. A fim de atrair e interessar as pessoas, os pastores recorrem a métodos mundanos, míseros expedientes em lugar do poder do alto. É humilhante pensar em alguns desses expedientes do mundo que são usado, e são tão desnecessários.” A Vinda do Consolador, pág. 131-132

“Como o Espírito Santo veio no Pentecoste, depois de ter sido Cristo entronizado no Céu, assim o Pentecoste virá somente quando Cristo for entronizado como Rei no coração, individualmente. Eis a nossa maior necessidade individual; portanto, também coletiva.” A Vinda do Consolador, pág. 135

A chuva serôdia virá, e a bênção de Deus encherá toda alma que estiver purificada de toda contaminação. É nossa obra hoje entregar nossa alma a Cristo, para estarmos preparados para o tempo de refrigério pela presença do Senhor – preparados para o batismo do Espírito Santo.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 191. Eventos Finais pág. 193

Perto do Céu

wall and opened to sky door on a white background

Em um mundo onde a degradação moral se propaga de forma alarmante, o Senhor tem chamado a cada um de seus filhos para uma vida completamente santificada. O Senhor coloca a nossa disposição Sua graça maravilhosa que é capaz de nos transformar em filhos obedientes, retirando de nós tudo que não está de acordo com os santos princípios dos Céus. Os que atenderem ao chamado do Senhor e se entregarem a Ele serão transformados e, então livres do pecado, viverão a plena santidade. Estes demonstrarão para todo o universo o que a graça de Deus pode fazer na vida do homem. Assim estarão glorificando ao Senhor e iluminado a Terra, revelando o Seu caráter.

Temos que estar atentos ao chamado do Senhor e aceitar a obra que Ele deseja realizar em nossa vida. O Senhor tem nos falado através da Bíblia, lições da escola sabatina e do Espírito de profecia. Não podemos negligenciar ou rejeitar os chamados de nosso Pai que tanto nos ama. Não podemos permitir que os cuidados desta vida nos impeçam de darmos a devida atenção à mensagem do Senhor para nós. Não podemos ler as mensagens que o Senhor nos têm concedido de uma forma superficial, mecânica ou legalista. Precisamos urgentemente entender que a nossa salvação depende da plena compreensão e aceitação dessa mensagem por amor a Ele.

Um exemplo de como o Senhor tem nos chamado para vivermos de acordo com Seus princípios é a Meditação Matinal de 2013, Perto Do Céu.

A seguir selecionamos alguns textos desta meditação onde vemos claramente o desejo do Senhor de nos libertar do pecado e dar nova vida. Oremos para que o Senhor elimine nossa cegueira e rebeldia para que possamos ver e aceitar essa preciosa mensagem:

“Nenhum de nós pode, em sua própria força, representar o caráter de Cristo; mas, se Jesus vive no coração, o espírito que nEle habita se revelará em nós; será suprida toda a nossa deficiência.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 7

“Necessita-se de homens competentes na igreja, trabalhadores bem-sucedidos na vinha do Senhor, homens e mulheres que trabalhem para que a igreja seja transformada à imagem de Cristo, em vez de se conformar aos costumes e práticas do mundo.“ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 7

 “A religião da Bíblia não é uma roupa que podemos pôr e tirar a nosso gosto. Ela é uma influência envolvente, que nos leva a ser pacientes, abnegados seguidores de Cristo, fazendo como Ele fez, andando como Ele andou. […] Essa religião nos ensina a mostrar paciência e tolerância quando somos postos em lugares em que recebemos tratamento rude e injusto. […] Mas se a Palavra de Deus é um princípio permanente em nossa vida, tudo que tivermos de fazer, cada palavra, cada ato mesmo que trivial, revelará que somos sujeitos a Jesus Cristo, que até nossos pensamentos foram levados cativos a Ele.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 18

“Roguem a ­Deus que em vocês efetue completa reforma; que os frutos do Seu Espírito habitem em vocês, e que, por sua vida piedosa, brilhem como luzes no mundo. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 20

“A Palavra de Deus combate todo mau traço de caráter, moldando o homem inteiro, interna e externamente, rebaixando o seu orgulho e presunção e levando-o a introduzir o espírito de Cristo nos menores bem como nos maiores deveres da vida. Ela o ensina a ser inabalável em sua lealdade à justiça e pureza, e, ao mesmo tempo, a ser sempre bondoso e compassivo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 33

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15). Ele salva os seres humanos, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência. Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e mente em tanta conformidade com Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. A vontade, refinada, santificada, encontrará seu mais elevado deleite em fazer Seu serviço (Review and Herald, 14 de julho de 1910).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 34

Oração feita por Ellen White na Assembleia da Associação Geral: “Nosso Pai celestial, nos achegamos a Ti nesta manhã tal qual estamos, necessitados e totalmente dependentes de Ti. Ajuda-nos a ter uma noção clara do que devemos ser e o caráter que devemos desenvolver, a fim de estarmos preparados para nos unir à família celestial na cidade de nosso Deus. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 37

“Não é em nossa fé que devemos confiar, porém nas promessas de Deus. Quando nos arrependemos de nossas transgressões passadas, contra Sua lei, e resolvemos prestar obediência no futuro, devemos crer que Deus, por amor de Cristo nos aceita e perdoa nossos pecados.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 51

“Aqueles que andam na luz da verdade emitirão luz aos que estão ao seu redor. São testemunhas vivas de Cristo. Não se assemelharão aos que seguem o mundo, vivem em trevas morais, sendo amantes de si mesmos e das coisas do mundo, e buscam tesouros terrenos. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 67

“A menos que tenhamos luz em nós mesmos, não poderemos deixar nossa luz brilhar aos outros a fim de atrair a atenção deles para as coisas celestiais. Devemos estar imbuídos do Espírito de Jesus Cristo, ou não poderemos manifestar Cristo em nós, a esperança da glória. Devemos permitir que o Salvador habite em nós, ou seremos incapazes de exemplificar em nossa conduta Sua vida de devoção, Seu amor, Sua bondade, piedade, compaixão, abnegação e pureza. Esse é o nosso sincero desejo. O tema de estudo de nossa vida deve ser: Como ajustarei meu caráter ao padrão bíblico de santidade? […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 83

“O Senhor tomou grande cuidado para que tudo nos fosse agradável e aprazível, no entanto, empenhou-Se muito mais para nos conceder o dom por meio do qual podemos aperfeiçoar o caráter cristão, segundo o padrão de Cristo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 85

Cristo é a grande solução para o pecado. Ninguém pode alegar que as circunstâncias, educação ou temperamento sejam uma desculpa para viver em rebelião contra Deus. Os pecadores são assim por sua escolha deliberada.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 145

“No plano de restaurar nos seres humanos a imagem divina, foi estipulado que o Espírito Santo atuasse na mente humana e fosse, como a presença de Cristo, uma influência modeladora no caráter humano. Aceitando a verdade, as pessoas também se tornam recipientes da graça de Cristo e dedicam sua santificada capacidade humana à obra em que Cristo Se empenhou – os seres humanos se tornam cooperadores de Deus. É com a finalidade de tornar as pessoas instrumentos para Deus que a verdade divina é inculcada em sua compreensão. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 154

“Existem apenas duas classes em todo o Universo: os que creem em Cristo e cuja fé os leva a guardar os mandamentos de Deus, e os que não creem nEle e são desobedientes. […]”Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 167

“Durante trezentos anos, andou [Enoque] com Deus, dando ao mundo o exemplo de uma vida pura e imaculada, uma vida de notável contraste com a vida dos homens daquela geração obstinada e perversa, que desrespeitava abertamente a santa lei de Deus e se vangloriava de estar livre de suas restrições. Mas o testemunho e o exemplo dele foram igualmente ignorados, pois as pessoas amaram o pecado mais do que a santidade. Enoque, porém, serviu a Deus com singeleza de coração, e o Senhor comunicou a ele Sua vontade. Por meio de uma santa visão, revelou-lhe os grandes acontecimentos relacionados à segunda vinda de Cristo. E, finalmente, esse servo favorecido do Senhor foi levado ao Céu pelos anjos sem ver a morte.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 188

“Rogamos àqueles que têm ligação com Deus que orem fervorosamente e que não parem aí, mas trabalhem pela purificação da igreja tanto quanto oram por isso. O tempo presente chama homens e mulheres que tenham firmeza moral e de propósito; homens e mulheres que não sejam moldados ou subjugados por quaisquer influências não santificadas. […] “ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 44

“Sem santificação, diz-nos a Palavra de Deus, ninguém poderá ver o Senhor. Sem pureza de vida é impossível estarmos habilitados a morar com os santos e imaculados anjos, no puro e santo Céu. Nenhum pecado pode haver lá. Nenhuma impureza pode entrar pelos portais de pérola da cidade dourada de Deus. E a questão que compete a nós é: se nos afastamos de todo pecado e satisfazemos as condições que Deus nos propõe para que nos tornemos seus filhos e filhas. Ele requer de nós separação do mundo para que nos tornemos membros da família real. […] Quando todos estivermos prontos, tendo vencido todo pecado, afastado toda iniquidade, estaremos em condições de receber o toque final da imortalidade. [… ]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 38

“A única fé verdadeira é aquela que “atua pelo amor” (Gl 5:6) e purifica o coração. É como o fermento que transforma o caráter. […] O evangelho de Cristo significa piedade prática, uma religião que eleva aquele que a recebe acima do seu estado de depravação natural. Aquele que contempla o Cordeiro de Deus sabe que Ele tira o pecado do mundo. A verdadeira religião trará como resultado um desenvolvimento na vida e no caráter inteiramente diferente daquele que foi visto na vida dos escribas e fariseus. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 55

 “Se pudermos apreciar essa grande bênção, que benefício será para nós! É-nos dado o privilégio de ser colaboradores juntamente com Deus na nossa salvação. Receber e crer é a parte que nos cabe nesse pacto. Devemos receber a Cristo como nosso Salvador pessoal e continuar crendo nEle. Isso significa permanecer em Cristo, demonstrando, em todo o tempo e sob todas as circunstâncias, uma fé nEle que seja uma representação do Seu carátera fé que opera pelo amor e purifica o coração de toda impureza. […] Cada pessoa deve alcançar uma experiência própria. Ninguém pode depender da experiência ou prática de outros para a salvação. Cada um de nós precisa se familiarizar com Cristo para poder representá-Lo devidamente ao mundo. […] Nenhum de nós necessita justificar seu temperamento irritável, o caráter malformado, egoísmo, inveja, ciúmes ou qualquer impureza da mente, do corpo ou do espírito. Deus nos chamou para glória e virtude. Devemos atender ao chamado. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 58

 “Um caráter formado segundo a semelhança divina é o único tesouro que poderemos levar deste mundo para o vindouro. […] Nas reivindicações que fez, Cristo teve em mente nossa natureza. Cristo tomou sobre Si nossa natureza, e veio para trazer poder moral para ser unido ao esforço humano. […] Nosso espírito pode de tal maneira se identificar com o dEle, que seremos um com Ele em nossos pensamentos e intenções. […] O caráter que uma pessoa forma neste mundo determina seu destino para a eternidade.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 61

 “Por vezes, ouve-se um suposto seguidor de Cristo dizer: “Vocês não devem ficar surpresos se eu pareço rude, se falo francamente, se manifesto mau humor: esse é o meu jeito de ser.” Você diz para não ficarmos surpresos! Não estaria o Céu surpreso diante de tais manifestações, tendo em vista o plano da salvação que foi elaborado, o infinito sacrifício feito na cruz do Calvário para que você reflita a imagem de Jesus? Esse “seu jeito” vai entrar no Céu? Suponha que alguém se aproxime dos portais de pérola e diga: “Eu sei que fui rude, fui mau, além da minha inclinação para mentir e roubar, mas quero entrar nas mansões celestiais.” Esse tipo de temperamento achará entrada através dos portais da cidade celestial? Não, não! Somente entrarão lá aqueles que observarem os caminhos de Deus.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 62

 “É privilégio dos filhos de Deus ser libertados do controle das concupiscências da carne e preservar seu peculiar e santo caráter que os distingue dos amantes do mundo. Em seu sentimento moral, em seus hábitos e costumes eles são separados do mundo. Quem são os filhos de Deus? São os membros da família real, e uma “nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9). […] Devemos colocar nossa vontade ao lado da vontade do Senhor e decidir firmemente que, por Sua graça, seremos libertos do pecado (Review and Herald, 1º de agosto de 1893).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 77

 […] Podemos viver no ar puro do Céu. Poderemos fechar a porta para a imaginação impura e os pensamentos não santificados se levarmos nosso coração à presença de Deus por meio da oração sincera. Aqueles cujo coração estiver aberto para receber o apoio e a bênção de Deus andarão em uma atmosfera mais santa do que a da Terra e manterão comunhão constante com o Céu. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 21

 “A Bíblia deve ser estudada com especial interesse, pois contém as informações mais valiosas que seres finitos podem obter e mostram a maneira de nos prepararmos para a vinda do Filho do homem nas nuvens do Céu, levando-nos a abandonar o pecado e nos revestindo das vestes brancas do caráter que nos darão entrada às mansões as quais Cristo disse aos Seus discípulos que estava indo preparar para eles. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 31

“Assim como a figueira estéril, muitos exibem seus galhos cobertos de folhagem diante do Senhor, orgulhosamente alegando ser o povo que guarda Seus mandamentos, enquanto Aquele que examina o coração os encontra destituídos de fruto. [… ] A condenação da figueira estéril tem uma aplicação individual aos professos seguidores que manifestam as tendências naturais de um coração não renovado e em sua vida diária contradizem a fé. Eles não representam o caráter de Cristo ao mundo, pois Cristo não está neles.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 99

“Como o enxerto recebe vida quando ligado à videira, assim o pecador participa da natureza divina quando em união com Cristo. O ser humano finito é ligado com o infinito Deus (Review and Herald, 2 de novembro de 1897).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 113

“Consideraremos um sacrifício de nossa parte trocar o erro pela verdade, as trevas pela luz, a fraqueza pela força, o pecado pela justiça, um nome e uma herança perecíveis na Terra por honras perduráveis e um tesouro imortal? […]”  Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 128

“As verdades da Palavra de Deus devem ser aplicadas a nós, e nós devemos nos apoderar delas. Se assim o fizermos, elas exercerão uma influência santificadora em nossa vida; elas nos moldarão para que possamos nos preparar para o reino da glória; para que no momento em que a porta da graça se fechar, possamos ver o Rei em Sua formosura e estar na presença de Deus para sempre. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 130

“O pecado domina entre o povo de Deus. […] Muitos se apegam a suas dúvidas e a seus pecados cultivados, enquanto se encontram em tão grande engano que dizem e sentem que não necessitam de nada. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 132

“A descoberta desses defeitos deve levá-los a odiar o espelho ou odiar a si mesmos? Devem rejeitar o espelho que revela tais defeitos? Não. Os pecados cultivados, que o espelho fiel revela existirem em seu caráter, fecharão os portais do Céu para sua entrada, a menos que sejam abandonados e eles se tornem perfeitos diante de Deus.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 137

“Quando homens e mulheres reconhecem as exigências da lei de Deus e firmam os pés sobre a plataforma da verdade eterna, colocam-se em uma posição em que o Senhor pode lhes conferir poder moral para que deixem sua luz brilhar claramente diante dos homens, para que eles possam ver suas boas obras e glorifiquem nosso Pai que está no Céu.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 137

“É a graça implantada por Cristo na vida que cria a inimizade contra Satanás. Sem essa graça, continuaríamos cativos de Satanás, servos sempre prontos a lhe cumprir as ordens. O novo princípio no coração cria conflito onde até então reinava a paz. O poder que Cristo comunica nos habilita a resistir ao tirano e usurpador. Sempre que se vê alguém aborrecer o pecado em vez de amá-lo, quando resiste àqueles desejos que exerciam domínio interior e os vence, vê-se aí a operação de um princípio inteiramente de cima (Review and Herald, 18 de julho de 1882).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 159

“Ao crermos no Filho, seremos obedientes a todos os mandamentos do Pai, e teremos vida por meio de Jesus Cristo. […]  Cristo é a nossa esperança e o nosso refúgio. Sua justiça é atribuída apenas ao obediente. Vamos aceitá-la pela fé, para que o Pai não encontre em nós pecado algum (Review and Herald, 21 de setembro de 1886).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 160

“Se a mente é moldada pelos objetos com os quais está mais relacionada, então pensar e falar em Jesus vai capacitá-los para que sejam semelhantes a Ele em espírito e em caráter. Vocês refletirão Sua imagem naquilo que é grandioso, puro e espiritual. Terão a mente de Cristo e Ele os enviará ao mundo como Seus representantes espirituais. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“É o crescer no conhecimento do caráter de Cristo que santifica o coração.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“Cristo jamais deve ser esquecido. […] É Ele quem dissipa todas as nossas dúvidas; é o penhor de todas as nossas esperanças. Quão precioso é o pensamento de que verdadeiramente podemos nos tornar participantes da natureza divina, e assim vencer como Cristo venceu! […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“Por meio do sacrifício de Cristo, o ser humano é capacitado a obedecer. […] O Filho de Deus, revestido da natureza humana e tentado em todos os pontos como nós somos tentados, enfrentou e resistiu aos assaltos do inimigo. Na força dEle, os seres humanos podem obter a vitória, enfrentar o tentador e não ser vencidos por seus ardis e arrogantes ofertas. Ao aceitar Cristo como seu Salvador pessoal, homens e mulheres podem permanecer firmes contra as tentações do inimigo. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 175

”É a submissão ao pecado que traz grande infelicidade ao coração. Não é a pobreza, mas a desobediência que reduz a esperança da pessoa de ganhar a vida eterna, que o Salvador veio conceder-lhe. As verdadeiras riquezas, a verdadeira paz, o verdadeiro contentamento e a felicidade duradoura são encontrados apenas na submissão completa a Deus, na reconciliação perfeita com a vontade dEle. Cristo veio ao nosso mundo viver em imaculada pureza para, assim, mostrar aos pecadores que em Sua força eles também podem obedecer aos santos preceitos de Deus, às leis de Seu reino. Ele veio engrandecer a lei e dignificá-la por meio de Sua perfeita conformidade com seus princípios. Ele unificou a humanidade e a divindade, para que os seres humanos caídos possam se tornar participantes da natureza divina. […] Do Pai foi que Cristo constantemente extraía poder que O capacitava a manter Sua vida livre da mácula ou mancha do pecado (Review and Herald, 4 de julho de 1912).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 178

“Em todos os momentos e em todos os lugares o cristão deve ser aquilo que o Senhor planejou que fosse: uma pessoa livre em Cristo Jesus. O dever cumprido no Espírito de Cristo será realizado com prudência santificada. Seremos guiados como que por uma luz celestial ao mantermos ligação vital com Deus. […] Os que se arrependeram de seus pecados e lançaram o espírito cansado e sobrecarregado aos pés de Cristo, que se submeteram ao Seu jugo e se tornaram Seus colaboradores, serão participantes com Cristo de Seus sofrimentos, como também de Sua natureza divina. […] Jesus é o nosso exemplo, e dEle recebemos força e graça para andar em humildade e contrição diante de Deus (Signs of the Times, 22 de agosto de 1895).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 182

“Os que têm fome e sede de justiça são cheios do profundo desejo de ser semelhantes a Cristo no caráter, de se assemelhar à Sua imagem, de guardar o caminho do Senhor e fazer justiça e juízo. Devemos sempre cultivar o mais sincero desejo pela justiça de Cristo. Nenhum desejo temporal deve atrair e distrair nossa mente a tal ponto de não experimentarmos a fome de espírito de possuir os atributos de Cristo. […] Em meio a problemas e aflições, o coração anseia pelo amor e poder de Deus. Há o intenso desejo de certeza, esperança, fé, confiança. Buscamos o perdão, a paz e a justiça de Cristo. […] Todo aquele que busca o Senhor de todo coração tem fome e sede de justiça. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 183

“[…] Ligado a Ele, a fonte de toda sabedoria, o ser humano pode alcançar o topo da excelência moral!” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 204

“Deixará você as escuras moradas da miséria e do pecado em busca das mansões que Jesus foi preparar para Seus seguidores? Rogamos, em Seu nome, que firme seus pés resolutamente na escada e suba rumo ao alto. Abandone seus pecados, procure vencer seus defeitos de caráter e apegue-­se a Jesus, o caminho, a verdade e a vida. Podemos, cada um de nós, ser vencedores. Nenhum daqueles que perseverar perderá a vida eterna. Os que crerem em Cristo nunca perecerão. Ninguém os arrancará de Sua mão (Signs of the Times, 31 de julho de 1884).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 218

“As pessoas podem falar de liberdade, do Evangelho da liberdade. Mas a influência da esperança evangélica não levará o pecador a considerar a salvação de Cristo como uma questão de livre graça, enquanto continuar vivendo em transgressão à lei de Deus. Quando a luz da verdade nasce em seu espírito, e ele compreende plenamente as reivindicações de Deus e percebe a extensão de suas transgressões, reformará seus caminhos. Irá se tornar leal a Deus mediante o fortalecimento em seu Salvador, e levará uma vida nova e pura.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 283

“Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito {Gál. 5:25}. [ … ] Não podemos discernir espiritualmente o caráter de Deus, ou aceitar a Jesus Cristo pela fé, a menos que nossa vida e caráter sejam marcados pela pureza, “derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo”(2Co. 10:5). [ … ] Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 296

“A fonte do coração se deve purificar para que a corrente se possa tornar pura. Não há segurança para uma pessoa que tenha religião meramente legal, uma forma de piedade. A vida cristã não é uma modificação ou melhoramento da antiga, mas uma transformação da natureza. Tem lugar a morte do eu e do pecado, e uma vida toda nova. Essa mudança só se pode efetuar mediante a eficaz operação do Espírito Santo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 297

“Temos senão um único período de graça para formar o caráter, e nosso destino depende do tipo de caráter que formamos. Os que na Terra formam um caráter que, por meio da graça de Cristo, apresenta o modelo celestial, serão aperfeiçoados pela graciosa influência do Espírito Santo para receber a recompensa eterna. Tornam-se participantes da natureza divina […] . Sabemos que nosso caráter deve ser semelhante ao de Cristo, para que seja um hino de louvor e gratidão a Deus […]. Terão parte na vida eterna aqueles que r4eceberem a bondade, a misericórdia e o amor de Cristo e pela contemplação são transformados à imagem dEle. Os atributos de seu caráter são como os de Cristo e não podem falhar na última prova para o povo de Deus, […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 371

“O trabalho que Deus começou no coração humano mediante Sua luz e conhecimento deve estar continuamente avançando. Cada indivíduo deve estar consciente da própria necessidade. Deve o coração ser esvaziado de toda mancha, purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado, deve ser feito agora. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 360

“Todo aquele que entrar por aquelas portas e caminhar por aquelas ruas terá sido transformado e purificado aqui pelo poder da verdade, e a coroa de glória imortal adornará a fronte do vencedor.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 356

“Como é difícil para Cristo colocar a idéia correta da natureza espiritual de Seu reino na mente de Seus discípulos. Como é difícil para eles reconhecer a necessidade da oração constante, do arrependimento sincero, da conquista cada vez maior da perfeição de caráter, que é o sal da experiência cristã e a evidência da operação do Espírito Santo no coração. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 355

“Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Quando nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isto é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová. [.., ] Não haverá oportunidade futura em que as pessoas poderão se preparar para a eternidade. Nesta vida é que devemos trajar as vestes da justiça de Cristo. Essa é nossa única oportunidade de formar o caráter para o lar que Cristo preparou para os que obedecem aos Seus mandamentos. Rapidamente, os dias do tempo de graça estão terminando. O fim está próximo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 307

“Verdadeira santificação não é nada mais nem menos do que amar a Deus e de todo coração e andar de modo irrepreensível em Seus mandamentos e preceitos. Santificação não é uma emoção, mais um princípio de origem celestial, que coloca todas as paixões e desejos sobre o domínio do Espírito de Deus. Essa obra é efetuada por meio de nosso Senhor e Salvador.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 292

“Jesus recuperou o Céu para o ser humano, suportando a prova a que Adão deixou de resistir, pois Ele obedeceu perfeitamente à lei, e todos os que têm correta compreensão do plano da redenção verão que não podem ser salvos enquanto continuam na transgressão dos santos preceitos de Deus. Precisam cessar de transgredir a lei e se apegar às promessas divinas que se acham a nossa disposição por meio dos méritos de Cristo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 293

“Como Cristo viveu a lei na humanidade, assim podemos fazer, se nos apegarmos ao poderoso Deus em busca de força. Ao compreender que não podemos fazer nada de nós mesmos, receberemos sabedoria do alto para honrar e glorificar a Deus. E contemplando “a glória do Senhor”, seremos “transformados, de glória em glória, à Sua própria imagem” (2 Co. 3:18)” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, 282

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia. “ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 308

Precisamos ter mais que um conhecimento teórico da Verdade

biblia

“Um homem pode pregar sermões agradáveis e entretenedores, no entanto estar distanciado de Cristo no que respeita à experiência religiosa. Ele pode ser elevado ao pináculo da grandeza humana, contudo nunca ter experimentado a obra interior de graça que transforma o caráter. Esse tal é enganado por sua ligação e familiaridade com as verdades sagradas do evangelho, que alcançaram o intelecto, mas não foram levadas ao santuário interior da alma. Temos de ter mais do que uma crença intelectual na verdade.” – Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899.

“Se pudéssemos deixar agora os frios e tradicionais sentimentos que impedem nosso progresso, veríamos a obra de salvar almas sob luz inteiramente diferente.” – Review and Herald, 6 de maio de 1890.

A Teoria da Verdade Não é Suficiente

“Nossas doutrinas podem estar corretas; podemos odiar a doutrina falsa, e não receber aqueles que não são fiéis ao principio: podemos trabalhar com incansável energia; mas mesmo isto não é suficiente. … Uma crença na teoria da verdade não é suficiente. Apresentar esta teoria aos descrentes não o constituirá uma testemunha para Cristo.” -Review and Herald, 3 de fevereiro de 1891.

“O problema com nossa obra tem sido o fato de nos contentarmos em apresentar uma fria teoria da verdade.” – Review and Herald, 28 de maio de 1889.

“Quanto maior poder não acompanharia a pregação da palavra hoje, se os homens se demorassem menos nas teorias e argumentos de homens,e muito mais nas lições de Cristo, e na santidade prática.?’ – Review and Herald, 7 de janeiro de 1890.

A Unica Maneira Pela Qual a Verdade se Torna de Valor Para a Alma

“A verdade não será de qualquer valor para a alma a menos que seja levada ao santuário interior, e santifique a alma. A piedade se degenerará, e a religião se tornará um sentimentalismo inconsequente, a menos que o arado da verdade seja levado a aprofundar-se no solo profundo do coração.” – Review and Herald, 24 de maio de 1892.

“Um conhecimento teórico da verdade é essencial. Mas o conhecimento da maior de todas as verdades não nos salvará; nosso conhecimento deve ser prático…. A verdade deve ser levada para dentro de seus corações, santificando-os e purificando-os de todo mundanismo e sensualidade na vida mais privada. O templo da alma deve ser purificado.” – Review and Herald, 24 de maio de 1887.

“O maior dos enganos do espírito humano, nos dias de Cristo, era que um mero assentimento à verdade constituísse justiça. Em toda experiência humana, o conhecimento teórico da verdade se tem demonstrado insuficiente para a salvação da alma. Não produz os frutos de justiça. Uma ciosa consideração pelo que é classificado verdade teológica, acompanha frequentemente o ódio pela verdade genuína, segundo se manifesta na vida. Os mais negros capítulos da história acham-se repletos do registro de crimes cometidos por fanáticos adeptos de religiões. Os fariseus pretendiam ser filhos de Abraão, e vangloriavam-se de possuir os oráculos de Deus; todavia, essas vantagens não os preservavam do egoísmo, da maliguidade, da ganância e da mais baixa hipocrisia. Julgavam-se os maiores religiosos do mundo, mas sua chamada ortodoxia os levou a crucificar o Senhor da glória.

“O mesmo perigo existe ainda. Muitos se têm na conta de cristãos, simplesmente porque concordam com certos dogmas teológicos. Não introduziram, porém, a verdade na vida prática. Não creram nela nem a amaram; não receberam, portanto, o poder e a graça que advêm mediante a santificação da verdade. Os homens podem professar fé na verdade; mas, se ela não os torna sinceros, bondosos, pacientes, dominados, tomando prazer nas coisas de cima, é uma maldição a seu possuidor e, por meio de sua influência, uma maldição ao mundo.” – O Desejado de Todas as Nações, pág. 291.

“As tremendas questões da eternidade requerem de nós algo mais que uma religião imaginária – uma religião de palavras e formas, onde a verdade é mantida no pátio exterior, para ser admirada como admiramos uma bela flor; requerem algo mais do que uma religião de sentimento, que deixa a confiança em Deus quando surgem provas e dificuldades. Santidade não consiste em profissão, mas em erguer a cruz, fazendo a vontade de Deus.” – Review and Herald, 21 de maio de 1908.

“Na vida de muitos cujos nomes estão nos livros da igreja não tem ocorrido genuína mudança. A verdade tem sido mantida no pátio exterior. Não tem havido conversão genuína, nenhuma obra positiva da graça feita no coração. 

Seu desejo de realizar a vontade de Deus baseia-se em sua inclinação própria, não em profunda convicção do Espírito Santo. Sua conduta não é posta em harmonia com a lei de Deus. Professam aceitar a Cristo como seu Salvador, mas não crêem que Ele lhes dará poder para vencer os seus pecados. Não têm um relacionamento pessoal com o Salvador vivente, e seu caráter revela muitas manchas.” – Review and Herald, 7 de julho de 1904.

“Nossa esperança deve ser constantemente fortalecida pelo conhecimento de que Cristo é nossa justiça. … A deficiente visão que muitos têm tido do ofício e caráter de Cristo, tem-lhes estreitado a experiência religiosa, prejudicando grandemente o progresso na vida divina. A religião pessoal entre nós como um povo, acha-se em baixo nível. Há muita fama, muita maquinaria, muita religião de boca; mas algo mais profundo e mais sólido precisa ser introduzido em nossa vida religiosa. … O que precisamos é conhecer a Deus e o poder de Seu amor, tal como se acham revelados em Cristo, mediante conhecimento experimental. Por meio dos méritos de Cristo, de Sua justiça, que pela fé nos são imputados, cumpre-nos atingir a perfeição do caráter cristão.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 339-341.” 

 “A aceitação de um credo de uma igreja não tem valor algum para quem quer que seja se o coração não estiver verdadeiramente transformado… . Os homens podem ser membros de igreja, e podem aparentemente trabalhar com zelo, realizando uma rotina de deveres ano após ano, e ainda assim ser inconversos.” – Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899.” 

(Textos extraídos da maravilhosa obra Cristo Nossa Justiça,  do Pr. Arthur G. Daniells, p. 86-90 e 92)

O verdadeiro servo de Deus

Bom servoVigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.”  Mateus 24:42-44

O Senhor deseja que nós estejamos atentos, vigilantes e buscando o devido preparo para não sermos encontrados despreparados na volta de Jesus.

Mas como o Senhor quer que vigiemos? Será aquele tipo de vigilância vivendo uma obediência forçada, legalista, que não é motivada pelo amor, mas sim motivada simplesmente pelo medo de perder a salvação?

Devemos lembrar que tudo que não é motivado pelo amor o Senhor não aceita. Esta afirmação é confirmada através do texto da carta de Paulo aos Coríntios: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.” 1 Coríntios 13:1-3

Sempre diante de algum acontecimento que indica que a vinda de Jesus está próxima, as pessoas procuram mais a Deus fazendo a Sua vontade. Mas aqueles que nesses momentos alarmantes buscam a Deus simplesmente motivados pelo medo de perderem a salvação, com o passar do tempo deixam de acreditar que Jesus está voltando e então voltam para aquela vida negligente de conformidade com os erros e costumes mundanos.

A vigilância que o Senhor espera de nós é aquela motivada pelo amor. Aqueles que amam a Deus estarão vigilantes vivendo a santidade no poder do Senhor. Estes verdadeiros servos de Deus foram transformados pelo nosso Senhor Espírito Santo. Portanto possuem inclinação para as coisas do Espírito, sentem prazer nas coisas de Deus e o medo que sentem é o de desonrar o Seu nome, querem viver de forma que glorifique a Deus, estão ansiosos para encontrarem ao Senhor. 

O verdadeiro servo de Deus quando pensa que talvez ainda passe muito tempo antes que Jesus volte sente tristeza. Mesmo assim, continua procurando no poder do Senhor, viver em conformidade com os princípios divinos porque continua querendo viver glorificando ao Senhor. Continua também não querendo desonrar o Seu nome, mesmo sabendo que talvez morra nesse mundo. Continua buscando no Senhor força e poder para que enquanto aqui viver, viva como filho do Rei. 

Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.”  Mateus 24:46

A seguir um comentário precioso de Ellen White a respeito de Mateus 24:46 e de nossa preparação para volta do Senhor:

“Como não sabemos o tempo exato de Sua vinda, somos advertidos a vigiar. “Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!” Luc. 12:37 e 42. Os que vigiam, à espera da vinda do Senhor, não aguardam em ociosa expectativa. A expectação da vinda do Senhor fará os homens temerem-nO, bem como aos Seus juízos contra a transgressão. Deve despertá-los para o grande pecado de Lhe rejeitar os oferecimentos de misericórdia. Os que aguardam o Senhor, purificam a alma pela obediência da verdade. Com a vigilante espera, combinam ativo serviço. Como sabem que o Senhor está às portas, seu zelo é avivado para cooperar com as forças divinas para salvação de almas. Estes são os sábios e fiéis servos que dão “o sustento a seu tempo” à casa do Senhor. Estão declarando a verdade especialmente aplicável a este tempo. Como Enoque, Noé, Abraão e Moisés, cada um declarou a verdade para seu tempo, assim hão de os servos de Cristo agora dar a especial advertência para sua geração.

Mas Cristo apresenta outra classe: “Porém, se aquele mau servo disser consigo: O meu Senhor tarde virá; e começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios, virá o Senhor daquele servo num dia em que O não espera.”  Mat. 24:48-50.

O mau servo diz em seu coração: “O meu Senhor tarde virá.” Não diz que Cristo não virá. Não zomba da idéia de Sua segunda vinda. Mas, em seu coração e por suas ações e palavras declara que a vinda do Senhor demora. Afasta da mente dos outros a convicção de que o Senhor presto virá. Sua influência leva os homens a uma presunçosa, negligente demora. São confirmados em sua mundanidade e torpor. Paixões terrestres, pensamentos corruptos tomam posse da mente. O mau servo come e bebe com os bêbados, une-se com o mundo na busca do prazer. Espanca seus conservos, acusando e condenando aqueles que são fiéis a seu Mestre. Mistura-se com o mundo. Sendo semelhantes, crescem ambos na transgressão. É uma assimilação terrível. É colhido no laço juntamente com o mundo. “Virá o senhor daquele servo… à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas.” Mat. 24:50 e 51.” O Desejado De Todas As Nações, pág. 624-635

Que seja o desejo de cada um de nós termos o coração completamente transformado pela graça de Deus para que vivamos como leais servos que amam ao Senhor e não como um servo mau que está desonrando o nome do Seu Senhor.

“E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.” Ezequiel 36:26-27

“Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?”  Tiago 2:5

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.” Tiago 1:12

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” Romanos 8:28

“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9

“Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos.” 
Deuteronômio 7:9

Deus seja para sempre louvado!