Archive for the ‘Uncategorized’ Category

A vontade de Cristo

“Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma: Como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do meu Pai que me enviou.” João 5:30

Pastor Dennis Priebe em uma mensagem sobre a humanidade de Cristo, fez o seguinte comentário sobre esse verso: “Eu esperaria que Jesus dissesse: Eu Busco a Minha vontade e a vontade do meu Pai, porque elas são iguais.”
Será que tendo esse verso como referência podemos mesmo chegar à conclusão que a vontade de Jesus por algum momento que seja, não esteve em harmonia com a vontade de Deus? Será que no coração de Jesus havia algum tipo de vontade ou desejo, que em algum momento de Sua vida que não estivesse em harmonia com a vontade de Deus?
Jesus nos ensinou em Mateus 22:37-39 o amor a Deus e ao próximo deve reinar plenamente sempre em nosso coração. Ele não poderia fazer aos fariseus a repreensão que fez em Mat. 23:27 chamando-os de sepulcros caiados, limpos por fora e cheios de imundícias por dentro, se Ele mesmo tivesse tido, mesmo que apenas em algum momento em seu coração, algum tipo de desejo ou vontade que não estivesse em harmonia com a vontade de Deus.
Mas retomemos ao questionamento…
Considerando que existem apenas dois caminhos ou atitudes e se a vontade de Deus não operar na vida, certamente a que opera é do inimigo. Jesus ao referir-se a satanás afirmou: “ ele nada tem em Mim” João 14:30. Sobre esta afirmação, irmã Ellen White, inspirada por Deus, deixou-nos escrito:
“Vem o príncipe do mundo”, disse Jesus; “ele nada tem em Mim.” João 14:30. Nada havia nEle que correspondesse aos sofismas de Satanás. Ele não consentia com o pecado. Nem por um pensamento cedia à tentação.” DTN p. 123
Sendo assim, percebe-se claramente quem tinha prioridade no dia a dia de Jesus.
A postura de Jesus sempre foi de servo e alegrava-se em fazer a vontade de Pai.
No Getsêmani Jesus clamou ao Pai, “Meu Pai, se possível, passe de Mim este cálice! Todavia, não seja como Eu quero, e sim como Tu queres.”Mat..26:39. Deste texto pode-se questionar: JESUS NÃO TINHA VONTADE PRÓPRIA?

O texto a seguir da Lição da Escola Sabatina responde:
“Mas, acima de tudo Jesus também teve que fazer escolhas, e a maior delas foi a de ir para a cruz mesmo que sua natureza humana gritasse contra isso. ‘Meu Pai, se possível, passe de Mim este cálice! Todavia, não seja como Eu quero, e sim como Tu queres.’ (Mat.26:39)” Lição E S 2º trim. 2016 prof. O Evangelho de Mateus P. 146
Interessante notar que este texto pode ser mal interpretado por pessoas que acreditam que Jesus tinha propensões para pecar, mas graças ao nosso bom Deus a mesma lição na página 149, encontra-se uma explicação e um texto do Espírito de Profecia esclarecendo a afirmação feita na página 146, não deixando margem para que o mesmo pudesse ser usado fora de contexto e criando especulações contrárias aos escritos inspirados:
“Não era a morte física que Jesus temia quando orou para que o cálice passasse dEle. O cálice que Ele temia era a separação de Deus. Jesus sabia que, para Se tornar pecado por nós, para morrer em nosso lugar, para suportar em Si mesmo a ira de Deus contra o pecado, Ele teria que ser separado do Pai. A transgressão da santa lei de Deus era tão séria que exigia a morte do transgressor. Jesus veio precisamente porque iria tomar essa morte sobre Si, a fim de nos poupar dela. Era isso que estava em jogo com relação a Jesus e a nós.” Lição E S 2º trim. 2016 prof. O Evangelho de Mateus P. 149
Texto do Espírito de Profecia encontrado na referida lição:
“Com as questões do conflito diante de Si, a alma de Cristo Se encheu de terror da separação de Deus. Satanás lhe dizia que, se Ele Se tornasse o penhor de um mundo pecaminoso, seria eterna a separação. Ele Se identificaria com o reino de Satanás, e nunca mais seria um com Deus. […] O tremendo momento havia chegado – aquele momento que decidiria o destino do mundo. Na balança oscilava a sorte da humanidade. Cristo ainda podia recusar-Se a beber o cálice reservado ao homem culpado. Ainda não era tarde demais. Poderia enxugar da fronte o suor de sangue, e deixar perecer o homem em sua iniquidade. Poderia dizer: Receba o pecador o castigo de seu pecado, e Eu voltarei ao Meu Pai. […] (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações p. 687-689) Lição E S 2º trim. 2016 prof. O Evangelho de Mateus P. 149
Fica claro que o que incomodava Jesus naquele momento e mais causava nEle agonia era o medo da separação de Deus. A vontade de Jesus não era contrária a vontade de Deus, era simplesmente de ficar sempre ao lado do Pai. Jesus sabia que em algum momento de Sua missão Ele sentiria essa separação e era isso e somente isso que causava agonia no coração de Jesus.
O texto do Espírito de Profecia é bastante esclarecedor quanto a essa afirmação de Jesus: “Foi o peso do pecado, a sensação de sua terrível enormidade e da separação por ele causada entre Deus e a alma, que quebrantaram o coração do Filho de Deus.” Caminho a Cristo p. 13

VONTADE DE CRISTO SEMPRE AO LADO DA VONTADE DE DEUS

“Cristo foi tentado em todos os pontos como nós; mas Sua vontade foi sempre conservada ao lado da vontade de Deus.” Ellen G. White, NOSSA ALTA VOCAÇÃO MM 1962 p. 105
“Cristo declarou: “Eu desci do Céu não para fazer a Minha vontade, mas a vontade dAquele que Me enviou.” João 6:38. Sua vontade foi ativamente exercida para salvar a alma dos homens. Sua vontade humana era nutrida pela divina.Seus servos hoje fariam bem em perguntar-se a si mesmos: “Que espécie de vontade estou eu, individualmente, cultivando? Tenho eu estado a satisfazer os próprios desejos, mantendo-me em egoísmo e obstinação?” Se assim fazemos, achamo-nos em grande perigo, pois Satanás governará sempre a vontade que não está sob o domínio do Espírito de Deus. Quando pomos a vontade em harmonia com a de Deus, a santa obediência que foi exemplificada na vida de Cristo se mostrará em nossa vida. Nossa Alta Vocação (Meditações Matinais, 1962), pág. 105.
Nota-se nos textos citados que a vontade de Cristo era sempre nutrida pela vontade de Deus. Assim, o resultado era uma harmonia de sentimentos. O mesmo pode se dar com cada pessoa que coloca a sua vontade nas mãos de Deus possibilitando uma vida semelhante à vida como Cristo viveu.
A vida de Cristo era SEMPRE de amor pela justiça SEMPRE aborreceu a iniqüidade:
“Cristo pôde dizer: “Não busco a Minha vontade, mas a vontade do Pai que Me enviou”. João 5:30. DEle é dito: “Amaste a justiça e aborreceste a iniqüidade; por isso Deus, o Teu Deus, Te ungiu com óleo de alegria mais do que a Teus companheiros”. Heb. 1:9. O Pai não Lhe dá “o Espírito por medida”. DTN p.180

É interessante salientar que que o Pastor Dennis Priebe utilizou alguns textos da revista Sinais dos Tempos (Signs of the Times, 29 de outubro de 1894) para a mensagem citada no início deste post. Infelizmente, usou-os de forma suprimida para defender o pensamento de que a vontade de Cristo, de certa forma era igual a noss,. tirando o real sentido da mensagem inspirada à Irmã Ellen G. White. Segue texto para análise:

“A vontade humana de Cristo não o teria levado ao deserto da tentação, jejuar e ser tentado pelo diabo. Não o teria levado a suportar a humilhação, o desprezo, a censura, o sofrimento e a morte. Sua natureza humana se encolheu de todas essas coisas, tão decididamente quanto a nossa se retraiu.” Signs of the Times 29 de outubro de 1894

A parte suprimida é a continuação do texto acima:: “O contraste entre a vida e o caráter de Cristo e de nossa vida e caráter é doloroso de se contemplar.” “Jesus Cristo é nosso exemplo em todas as coisas. Ele começou a vida, passou por suas experiências e terminou seu registro, com uma vontade humana santificada. Ele foi tentado em todos os pontos como nós somos, e ainda assim, porque ele manteve sua vontade entregue e santificado, Ele nunca se inclinou no menor grau para fazer o mal, ou para manifestar rebelião contra Deus” Signs of the Times 29 de outubro de 1894

Com o texto completo percebe-se claramente o objetivo do Senhor para nós é que tenhamos nossa vontade SANTIFICADA.
“Aqueles que têm uma vontade santificada, que está em uníssono com a vontade de Cristo, terão, dia após dia, suas vontades ligadas à vontade de Cristo, que agirá em abençoar os outros e reagirá sobre si mesmos com o poder divino. Muitos cultivam as coisas que guerreiam contra a alma; porque os seus desejos e a sua vontade estão contra Deus e são empregados no serviço de Satanás.” Signs of the Times 29 de outubro de 1894

“Quando o poder de Satanás sobre as almas é quebrado, vemos homens ligando sua vontade à cruz e crucificando a carne com afeições e luxúrias. É de fato uma crucificação de si mesmo; porque a vontade é entregue a Cristo. A vontade do homem não é forte demais quando é santificada e colocada ao lado de Cristo” Signs of the Times 29 de outubro de 1894
“Cristo foi tentado em todos os pontos como nós; mas Sua vontade foi sempre conservada ao lado da vontade de Deus.”NOSSA ALTA VOCAÇÃO MM 1962 p. 105

O Senhor quer o melhor para seus filhos. O caráter santo de Jesus é o maior desejo de Deus. Deve-se “examinar as escrituras”(Jo 5:39), “crer nos profetas do Senhor” (2 Crônicas 20:20) e ser como os “bereanos” (Atos 17:11) para confirmarmos a vontade de Deus em nossa vida. Que Deus guarde!

Anúncios

A ESSÊNCIA DO EVANGELHO

FALSO EVANGELHO DIVULGADO ENTRE NÓS

PRECISAMOS ACREDITAR

NUNCA IGUALAR O MODELO

Sim, estou salvo!

Normalmente alguém pergunta sobre a certeza da salvação. Dificilmente alguém responde que sim, mas a maioria diz não. Certo é que não existe “mais ou menos salvo”. Deus já cumpriu a parte dele ao enviar Jesus para morrer por nossos pecados (João: 3. 16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”) e espera que cumpramos a nossa em viver a vontade dEle em nossa vida.

Paulo, ao fim de sua vida, escreveu uma carta a Timóteo e nela registra a certeza da sua salvação: 2 Timóteo: 4. 8. “Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” Imagina se fosse conosco hoje, poder expressar claramente, que há uma coroa reservada a nós no céu e que será entregue por Deus?

Mas qual a dificuldade? Estamos salvos em Cristo, mas por quê temos tanto receio em falar da certeza da salvação? O que nos impede?

É certo que nos conhecemos. Sabemos das nossas limitações, dos nossos pecados e sabemos que não temos uma vida santificada ou entregue a Deus que nos assegure a salvação. Na verdade, o pecado nos domina e nos faz incapazes de falar como Paulo.

Voltando a Paulo então, o que ele tinha de especial ou qual o segredo de fazê-lo escrever claramente sobre a certeza da salvação?

Quando Paulo teve o encontro com Cristo no caminho a Damasco, sua vida nunca mais foi a mesma. Assim como ele, todos nós somos vasos escolhidos para a glória de Deus nesta terra. Paulo não viveu em dias mais fáceis comparados aos nossos. Vejam este resumo de sua vida: 2 Coríntios: 11. 25. “Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; 26. em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha raça, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; 27. em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejuns muitas vezes, em frio e nudez.”

Tudo isso Paulo viveu com intenso amor a Cristo. Ao conhece-Lo verdadeiramente tomou a decisão: 1 Coríntios: 2. 2. “Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.” Jesus era razão de sua vida. Em outra oportunidade Paulo afirma: 1 Coríntios: 11. 1. “Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.” Paulo imitava Cristo e tanto O amava que também escreveu: Filipenses: 2. 5. “Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus…” Certamente Paulo vivia tudo isso ou seria demagogia pura ter esta frase em sua carta.

Paulo respirava Cristo, tinha uma vida dedicada a Ele. Sua vida não estava dividida entre Deus e o mundo: Gálatas: 2. 20. “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”

Antes de escrever sobre a certeza da salvação, Paulo escreveu: 2 Timóteo: 4. 7. “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” Paulo escolheu fazer a vontade de Deus e a fez plenamente. Se atentarmos a estes fatos e outros não mencionados aqui, certamente diríamos que Paulo merecia a salvação com certeza.

E nós? Não podemos viver como Paulo vivia?

Alguns conselhos de Paulo:

2 Coríntios: 5. 17. “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criaturas é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.”

1 Coríntios: 6. 19. “Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? 20. Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.”

Efésios: 5. 8. “pois outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz.”

1 Tessalonicenses: 5. 15. “Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos. 16. Regozijai-vos sempre. 17. Orai sem cessar. 18. Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. 19. Não extingais o Espírito; 20. não desprezeis as profecias, 21. mas ponde tudo à prova. Retende o que é bom; 22. Abstende-vos de toda espécie de mal.”

Filipenses: 4. 8. “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. 9. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus de paz será convosco.”

Filipenses: 4. 6. “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; 7. e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.”

Definitivamente a salvação é Jesus. Ter Jesus na vida é estar salvo. Ter Jesus na vida não é somente dizer que O tem. É te-Lo como Paulo tinha nas atitudes, pensamentos, palavras, gestos, vivendo a vontade de Deus a despeito de qualquer dificuldade na vida.

Se Jesus estiver em nós plenamente através do Espírito Santo, ao sermos perguntados sobre a certeza da salvação, poderemos responder com toda convicção: SIM, ESTOU SALVO!