Archive for the ‘Libertação’ Category

MM ACIMA DE TODO NOME 2022

Essa é nossa meditação desse ano 2022. Triste mesmo é pensar que muito provavelmente, textos importantíssimos encontrados nessa meditação serão passados desapercebidos pela maioria do professo povo de Deus!

“Cristo é o grande remédio contra o pecado. Ninguém pode alegar que as circunstâncias, a educação ou o temperamento são uma desculpa para viver em rebelião contra Deus. Os pecadores estão nessa condição por escolha deliberada”. MM 2022, A Cima de Todo Nome, p. 27

“Cristo tem todo poder no Céu e na Terra. É o grande Médico a quem temos de invocar quando padecemos de uma enfermidade física ou espiritual”. EGW, MM 2022, A Cima de Todo Nome, p. 29

“Se nos convertermos, não representaremos mais Satanás por meio de um caráter distorcido e unilateral. Em vez disso, em caráter, palavras e atos nos conformaremos com o Modelo perfeito que nos foi dado na vida de Cristo”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 33

“Tenham medo de que sua vontade não seja mantida em sujeição a vontade de Cristo, quer seus traços de caráter herdados e cultivados dominem sua vida”. MM 2022, A Cima de Todo Nome, p. 45.

“Todos os que se esforçam por desculpar ou esconder seus pecados, permitindo que permaneçam nos livros do Céu sem serem confessados e perdoados, serão vencidos por Satanás. Quanto mais exaltada for sua profissão de fé, e mais honrada a posição que ocupam, mais ofensiva é sua conduta à vista de Deus, e mais certa é a vitória de seu grande adversário. Os que se retardam no preparo para o dia de Deus não poderão obtê-lo no tempo de angústia, ou em qualquer ocasião subsequente. O caso de todos esses é sem esperanças”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 51.

“E recebendo a vida derramada por nós na cruz do Calvário que podemos viver a vida de santidade. Essa vida é transmitida a nós quando recebemos Sua palavra, fazendo as coisas que Ele ordenou. Então nos tornamos um com Ele”. EGW, MM 2022, A Cima de Todo Nome, p. 59.

“Pode haver defeitos acentuados no caráter – mau temperamento, disposição irritadiça, espaço para ciúmes e inveja. Contudo, se a pessoa se tornar uma verdadeira discípula de Jesus, o poder da graça divina fará dela uma nova criatura. (Review and Herald, 15 de fevereiro de 1881). EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p.74.

“Via seu povo enganado, satisfeito consigo mesmo e adormecido em pecados. Anelava despertá-los para vida mais santa. A mensagem que Deus lhe dera, destinava-se a acordá-los da letargia, e fazê-los tremer por sua grande iniquidade. Antes de a semente do evangelho poder encontrar guarida, o solo do coração deveria ser revolvido. Antes de lhes ser possível buscar cura em Jesus, precisavam ser despertados para o perigo que corriam em razão das feridas do pecado” O Desejado de Todas as Nações, p. 71. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 85.

“Cristo veio ao mundo afim de revelar esse ideal como único verdadeiro modelo a ser seguido e mostrar o que todo ser humano poderia se tornar. O que, mediante a habitação da divindade na humanidade, se tornariam todos os que O recebessem. Veio para mostrar como homens e mulheres devem ser ensinados conforme convém a filhos de Deus; como devem praticar na Terra os princípios do Céu e viver a vida celestial”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 87

“A obra de Cristo em purificar o leproso de sua terrível doença é uma ilustração de Sua obra em libertar a pessoa do pecado. […] Contudo, colocando a mão sobre o doente, Jesus não sofreu contaminação alguma. Seu toque transmitiu poder e vida. A lepra foi eliminada. O mesmo ocorre quanto à lepra do pecado – profundamente alojada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 99.

“Em seus esforços para alcançar o ideal de Deus, o cristão não deve se desesperar por nada. A perfeição moral e espiritual mediante a graça e o poder de Cristo é prometida a todos”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p.103.

“O trabalho dos apóstolos era apresentar o caráter imaculado de Cristo como o modelo de vida a homens e mulheres”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 107.

“Todos são responsáveis por seus atos enquanto há graça no mundo. Todos têm poder para controlar suas ações. Se são fracos em virtude e pureza de pensamentos e atos, podem obter auxilio do Amigo dos desamparados. Jesus está familiarizado com todas as fragilidades da natureza humana e, caso se peça, dará forças para vencer até mesmo as tentações mais poderosas. Todos podem receber essa força se a buscarem com humildade”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 108.

“Neste momento, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está fazendo expiação por nós, devemos procurar nos tornar perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento nosso Salvador poderia ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra no coração humano algum ponto de apoio em que possa se firmar, algum desejo pecaminoso cultivado, por meio do qual suas tentações se tornam fortes. Mas Cristo declarou sobre Si mesmo:’ Aí vem o príncipe do mundo, e ele não tem poder sobre Mim’ (João 14:30). Satanás não conseguiu achar no Filho de Deus coisa alguma que o habilitasse a alcançar a vitória. Jesus tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia Nele nenhum pecado que Satanás pudesse usar para sua vantagem. Essa é a condição em que devem se encontrar os que resistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, p. 623. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 113.

“Aprofundando-se na alma, este divino amor lhe infunde gratidão. Livra-a de sua debilidade espiritual, do orgulho, da vaidade e do egoísmo, e de tudo o que deforma o caráter cristão”. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 116.

“Não olhem a vida de outros nem os imitem sem se elevar mais acima. Vocês só têm um único Modelo verdadeiro, infalível. Só é seguro seguir Jesus”. EGW,  MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 132.

”Quando Cristo concluir Sua obra como mediador em favor do ser humano, então começará esse tempo de angústia. O destino de cada pessoa terá sido decidido, e não haverá sangue expiatório para purificar do pecado. Quando Jesus deixar Sua posição como intercessor do ser humano junto a Deus, será feito o solene anúncio: ‘Continue o injusto a fazer injustiça, e continue o imundo a ser imundo. O justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se’ (Apoc. 22:11). Então o Espírito de Deus que reprime o mal, será retirado da Terra”. Patriarcas e Profetas, p. 162. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 137

“Contudo, que ninguém se iluda pensando pode transgredir os mandamentos e ainda assim receber o favor de Deus. Justiça e graça andam lado a lado no governo divino. A lei não pode ser transgredida com impunidade. Justiça e juízo são a habitação do Seu trono. Em Cristo, a misericórdia e a verdade se encontraram. A justiça e a paz se beijaram. Foi o próprio Cristo quem entregou a lei no monte Sinai, e Ele não extraiu nem um jota ou til de suas exigências. Entregou a própria vida para expiar a humanidade da transgressão da lei e capacitá-la a obedecer a Seus mandamentos”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 149.

“O mesmo se dá quando contemplamos a Jesus. Tudo para que olhamos reflete Sua imagem, o Sol da justiça. Não podemos ver nehuma outra coisa nem falar de qualquer outra coisa. Sua imagem está impressa na retina da alma e afeta cada parte de nossa vida diária, suavizando e subjugando toda a nossa natureza. Contemplando, ajustamo-nos à semelhança divina, a saber, à semelhança de Cristo. A todos aqueles com quem nos associamos refletimos os brilhantes e alegres raios de Sua justiça. Nosso caráter foi transformado; pois o coração, a alma e a mente são iluminados pelos reflexos Daquele que nos amou e a Si mesmo Se entregou por nós”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 152.

“Alguns parecem sempre estar em busca da pérola celestial, mas não renunciam completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por esse motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a sua cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e do sacrifício. Quase cristãos, mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não totalmente salvos, significa estar não quase, mas completamente perdidos”. Parábolas de Jesus, p. 117. ACIMA DE TODO NOME, p. 153.

“Os santos na Terra devem amar como Jesus amou, caso contrário, não serão santos no Céu. Se a sua simpatia se esgotou, busque a Deus, humilhe o seu coração orgulhoso na presença Dele, caia sobre a Rocha e se despedace. Assim Cristo moldará você à semelhança Dele e o transformará em um vaso de honra”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 158.

“Cristo não falhou nem sentiu desânimo, e seus seguidores têm de manifestar uma fé igualmente resistente. Devem viver como Ele viveu e trabalhar como Ele trabalhou, pois Nele confiam como o grande Obreiro Mestre. Devem possuir valor, energia e perseverança. Embora aparente impossibilidades existam no caminho, por Sua graça seguiram avante. Em vez de lamentar pelas dificuldades, são convidados a transpô-las. […] Seu propósito é que tenham a mais alta influência do Universo, influência que vem da fonte de todo o poder. Precisam ter a força para resistir ao mal, força que nem a Terra, a morte ou o inferno podem dominar; força que os habilitará a vencer como Cristo venceu”. O Desejado de Todas as Nações, p. 547, 548. ACIMA DE TODO NOME, p. 166.

“Se não houvesse nada mais, em todas as Escrituras, que apontasse claramente o caminho para o Céu, nós teríamos aqui nestas palavras [João 3:1 a 16]. Elas nos dizem o que é conversão. Declaram-nos o que temos de fazer para ser salvos. E, meus amigos, desejo dizer a vocês que isso atinge diretamente a raiz da obra superficial no mundo religioso. Opõe-se diretamente à ideia de que podemos nos tornar filhos de Deus sem alguma modificação especial”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 1168

A fim de serem purificados e permanecerem puros, os adventistas do sétimo dia têm de possuir o Espírito Santo em seu coração e lar. O Senhor me revelou que quando o Israel de hoje se humilhar diante Dele e limpar toda mancha que porventura contamine o templo da alma, Ele ouvirá as orações em favor dos enfermos e os abençoará no uso de Seus remédios. Se pela fé o agente humano fizer tudo quanto puder para combater a enfermidade, empregando os métodos simples de tratamentos por Deus providos, seus esforços serão abençoados por Ele”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 169

“Se já houve um tempo em que mais necessitássemos da atuação do Espírito Santo no coração e na vida, esse tempo é o atual, asseguremo-nos desse poder divino pata termos a força de viver uma vida de santidade e renúncia”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 169.

“O poder que criou todas as coisas é o que torna a restaurar a alma à Sua própria semelhança. Para os que guardam o sábado, esse dia é o sinal da santificação. A verdadeira santificação consiste na harmonia com Deus, na imitação de Seu caráter. Essa harmonia e semelhança são alcançadas pela obediência aos princípios que são a transcrição de Seu caráter. E o sábado é o sinal da obediência. Aquele que de coração obedecer ao quarto mandamento obedecerá toda a lei. Será santificado pela obediência”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 185.

“Aquele que não é capaz de resistir à tentação com cada auxílio que foi colocado ao seu alcance não está registrado nos livros dos Céus. O Senhor jamais coloca os seres humanos em situações tão tentadoras que estejam além da sua força para resistir ao mal. O poder divino está sempre pronto para proteger e fortalecer aqueles que se tornaram coparticipantes da natureza divina”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 187.

“Nós que anunciamos a última mensagem de misericórdia a um mundo culpado devemos representar Jesus na pureza e na negação do eu [..]”. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 206

“Devemos ter conduta semelhante à de Cristo em relação aos nossos inimigos. Mas não podemos, a fim de ter paz, acobertar as falhas daqueles que vemos no erro. O Redentor do mundo jamais comprou paz por meio do ocultamento da iniquidade ou de qualquer tipo de transgressão”. EGW, ACIMA DE TODO NOME, p. 207.

“Os cristãos devem ser portadores de luz, que diz a todos com quem entram em contato: ‘Sigam-me, assim como eu sigo a Cristo’. Devem ser exemplos de piedade, que representam a Cristo em palavra, espírito, ação e em todas as interações com irmãos e desconhecidos. Precisam mostrar que seus atos são uma cópia dos atos do grande Modelo”. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 210.

“Os ataques de Satanás são fortes, e seus enganos são sutis, mas os olhos do Senhor estão sobre Seu povo. Sua aflição é grande, o fogo da fornalha parece prestes a consumi-los, mas Jesus os apresentará como o ouro provado no fogo. Suas inclinações terrenas são removidas, para que por meio deles a imagem de Cristo possa ser perfeitamente revelada, (Patriarcas e Profetas, p. 343. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 216.

O ideal de Deus para com Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei uma transcrição do Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo. E qual foi a norma dada por Ele a todos quantos Nele creem? ‘Sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês’. Mateus 5:48. Como Deus é perfeito em Sua elevada esfera de ação, assim homens e mulheres podem ser perfeitos em sua esfera humana”. MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 218.

“Todo meio de graça deve ser diligentemente aproveitado para que o amor de Deus possa influir mais e mais na vida, ‘para que vocês aprovem as coisas excelentes e sejam sinceros e inculpáveis para o dia de Cristo, cheios do fruto da justiça que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus’ (Fp. 1:10 e 11). Sua vida cristã tem de assumir formas vigorosas e dinâmicas. Poderão alcançar a alta norma que lhes é apresentada nas Escrituras, e terão de fazê-lo, se quiserem ser filhos de Deus”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 221.

“Cristo foi o único ser livre de pecado que já existiu na Terra. Apesar disso, viveu por aproximadamente 30 anos entre os ímpios habitantes de Nazaré. Esse fato é uma repreensão aos que pensam depender de lugar, riqueza ou prosperidade para ter uma vida irrepreensível. Tentação, pobreza e adversidade: essa é exatamente a disciplina necessária para o desenvolvimento da pureza e firmeza”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 225.

“Jesus veio ao mundo afim de trazer de volta o caráter de Deus a humanidade e reimprimir na alma humana a imagem divina. Ao longo de toda Sua vida, por meio do esforço contínuo e laborioso, Cristo buscou chamar atenção do mundo para Deus e Suas santas reivindicações, a fim de que os seres humanos se encham do Espírito de Deus, sejam movidos pelo amor e revelem tanto na vida como no caráter os atributos divinos”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 229.

“Os que desejam participar dos benefícios da mediação do Salvador não devem permitir que coisa alguma interfira em seu dever de aperfeiçoar a santidade no temor de Deus”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 232.

“Ensina-lhe que a perfeição de caráter exigida por Ele só pode ser alcançada familiarizando-nos com Sua palavra”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 241.

Como foi nos dias de Cristo, assim se dá agora; os fariseus não conhecem sua necessidade espiritual. A eles se dirige a mensagem: “como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego e nu; aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestidos brancos para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez.” Apoc. 3:17 e 18. Fé e amor são o ouro provado no fogo. Mas no caso de muitos se obscureceu o brilho do ouro, e perdeu-se o tesouro precioso. A justiça de Cristo é para eles um vestido sem uso, uma fonte intacta”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 242.

“No ato de expulsar os profanadores do templo de Jerusalém, Jesus Se anunciara como o Messias, Aquele que deveria purificar as pessoas da contaminação do pecado e tornar Seu povo um templo santo para o Senhor”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 245,

“Se Lhre prestarmos apenas uma obediência parcial, com a metade do coração, Sua promessas não se cumprirão em nós”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 247.

“Resgatado pelo sacrifício de Cristo, lavado do pecado em Seu sangue e revestido de Sua justiça”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p249.

“A lavagem das vestes do caráter precisa acontecer dia após dia, para que, afinal, sejamos encontrados sem ruga, mancha ou qualquer coisa do tipo, mas imaculados diante Daquele a quem prestaremos contas. Essa obra de purificação, assim como Ele é puro, precisa ser realizada de maneira individual. Devemos examinar nossos motivos e nossas ações à luz da sagrada lei de Deus. Devemos perguntar: ‘Este é o caminho do Senhor?’” EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 253.

Por meio da graça de Cristo são possíveis as mais altas realizações no caráter, pois toda pessoa que é posta sob a influência modeladora do Espírito de Deus pode ser transformada no intelecto e no coração”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p; 272,

“A todos os que creem, Cristo provê um novo caráter. Esse caráter, por meio do Seu infinito sacrifício, é a reprodução do Seu próprio”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 276.

“Se reconhecemos o poder do Seu Espírito para nos sujeitar e moldar, poderemos nos apresentar completos diante Dele. […] O Espírito conforma a alma renovada ao modelo, Jesus Cristo. Mediante Sua influência, a inimizade contra Deus se transforma em fé e amor, o orgulho vira humildade. A alma percebe a beleza da verdade. Cristo é honrado em excelência e plenitude de caráter”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 296.

“Cremos sem dúvida alguma que Cristo está para vir em breve. Isso ‘não é uma fábula para nós, é uma realidade. […] Quando Ele vier, não nos purificará de nossos pecados, para remover de nós os defeitos de caráter, nem para nos curar das fraquezas do nosso temperamento e disposição. Se acaso essa obra tiver de ser efetuada em nós, será realizada totalmente antes daquela ocasião. Quando o Senhor vier, os que são santos serão santos ainda. Os que tiverem conservado o corpo e o espírito em santidade, em santificação e honra, receberão então o toque final da imortalidade. Mas os que são injustos, não santificados e sujos, assim permanecerão para sempre. Nenhuma obra se fará então por eles para remover os defeitos e lhes dar um caráter santo. Naquela ocasião, o Refinador não Se ocupará com o processo de purificação para remover-lhes os pecados e a corrupção. Tudo isso deve ser realizado durante o tempo da graça. É agora que essa obra deve ocorrer em nós”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 326,

“Quando oprimidos pelo pecado têm repetido essa súplica! E a todos, o misericordioso Salvador responde: ‘Se o Senhor pode’? ‘Tudo é possível ao que crê’ (Mc. 9:23). É a fé que nos liga ao Céu e nos dá força para resistir aos poderes das trevas. Deus providenciou, em Cristo, meios para vencer todo defeito de caráter e resistir a toda tentação, por mais forte que seja. Mas muitos sentem que lhes falta a fé e, assim, permanecem afastados de Cristo. Que essas pessoas, em sua frágil indignidade, se lancem sobre a misericórdia de seu amável Salvador! Não olhe para si mesmo, mas para Cristo. Aquele que curava os doentes e expulsava os demônios, quando andava entre os seres humanos, é ainda hoje o mesmo poderoso Redentor. A fé que vem pela Palavra de Deus. Portanto, apegue-se à Sua promessa: ‘O que vem a Mim, de modo nenhum o lançarei fora’ (Jo. 6:37). Lance a si mesmo aos Seus pés, com o clamor: ‘Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé’! (Mc. 9:27). Você nunca irá se perder enquanto fizer isso – jamais”! EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 332.

“O ser humano pode se tornar participante da natureza divina. Não há ninguém que não possa pedir auxílio do Céu, quando tentado e provado. Cristo veio para revelar a fonte de Seu poder, a fim de que o ser humano não confiasse jamais em suas capacidades humanas desajudadas. Os que querem vencer devem empenhar ao máximo todas as faculdades de seu ser. Devem lutar pedindo poder divino, de joelhos de Deus. Cristo veio para ser nosso exemplo e nos revelar que podemos ser participantes da natureza divina. Como? Tendo escapado da corrupção que pela cobiça há no mundo. Satanás não alcançou a vitória sobre Cristo. Não pôs o pé sobre a alma do Redentor. Não atingiu a cabeça, se bem que tenha ferido o calcanhar. Cristo, por Seu exemplo, tornou evidente que o ser humano pode permanecer íntegro. É possível a homens e mulheres ter poder para resistir ao mal; poder que nem a Terra nem a morte nem o inferno conseguem dominar; poder que os colocará onde possam vencer como Cristo venceu”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 355.

“Jesus recuperou o Céu para os seres humanos suportando a prova que Adão deixou de resistir, pois Ele obedeceu perfeitamente à lei, e todos os que têm correta compreensão do plano da redenção verão que não podem estar salvos enquanto continuam na transgressão dos santos preceitos de Deus. Precisam cessar de transgredir a lei e se apegar às promessas de Deus que se acham à nossa disposição por meio dos méritos de Cristo”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 368

Desperta professo povo de Deus!

E. S. Hebreus mensagem para os últimos dias

Estamos estudando no 1ª trimestre de 2022 em nossa lição da Escola Sabatina o livro de Hebreus, “Hebreus mensagens para os últimos dias”.  O livro de Hebreus contém mensagens importantíssimas para nós que vivemos os últimos dias. Vemos nesse livro a atuação de Cristo como sumo sacerdote que está intercedendo por nós no santuário celestial. Nós Adventistas do Sétimo Dia acreditamos que no ritual do santuário temos a revelação de todo plano da salvação. No santuário encontramos toda a representação dos acontecimentos relacionados ao plano da salvação, temos, portanto no santuário, a revelação de acontecimentos já consumados, revelação de acontecimentos que estão em andamento e a revelação de acontecimentos que ocorrerão no futuro, na finalização do grande conflito. Vemos nessa lição várias declarações sobre o início da atuação de Cristo como nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial.

Curioso é que não existe nessa lição nenhuma menção do momento em que Cristo encerra Sua atuação como nosso Advogado, como nosso Intercessor! Nenhuma menção ao fechamento da porta da graça!

O livro de Hebreus encontramos um versículo que menciona algo importantíssimo que foi deixado de lado nessa lição.

“Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”. Hebreus 4:16

Acredito não ser difícil aceitar o fato dessa ocasião oportuna ser enquanto existe graça, enquanto Cristo estiver atuando como nosso Advogado e nosso Intercessor!

Pois bem, na lição do aluno esse verso não aparece escrito em nenhuma parte da lição. Ele só é mencionado na pergunta 6 da lição 5, e o objetivo da pergunta não é destacar nesse verso o seu final, a “ocasião oportuna”.

Vou deixar aqui a pergunta e a resposta sugestiva dada pela lição para provar que na única vez que esse verso é mencionado na lição do aluno o objetivo não é chamar a atenção para a necessidade de buscarmos graça em ocasião oportuna.

6 – Leia Hebreus 4: 9-11, 16. O que somos chamados a fazer?

Resposta sugestiva dada pela lição.

“Entrar no descanso que encontramos no trono da graça por meio da fé e da oração” p. 60

Vejam que falam de entrar no descanso no trono da graça, mas não mencionam o final do verso 16 onde vemos que isso precisa ocorrer em ocasião oportuna. Já na lição do professor na página 62 Hebreus 4:16 aparece escrito duas vezes, mas novamente o foco ao mostrar esse verso não é chamar a atenção para “ocasião oportuna”. Podem conferir na página 62 da lição do professor que não existe ali a menor intenção de revelar a necessidade de buscarmos graça em ocasião oportuna.

As pessoas não são alertadas sobre o fato que um dia será tarde demais para pedir perdão e transformação, isso é lamentável.

As pessoas não estão sendo orientadas para a mensagem de Mateus 7:21 a 23 onde “muitos” dirão ao Senhor “naquele dia”, fizemos isso e aquilo em teu nome, mas, Ele dirá para essas pessoas: “Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”.

Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”. Mateus 7:22,23

Sinceramente é muito triste ver essa omissão da igreja em mencionar algo tão importante. Vejam a seguir que essa questão é relatada no manual da igreja Adventista.

“Depois de Sua ascensão, Cristo começou Seu ministério como Sumo Sacerdote no lugar santo do santuário celestial, sendo este santuário o antítipo do tabernáculo terrestre da primeira disposição. Assim como o tipo, iniciou-se uma obra de juízo investigativo quando Cristo entrou na segunda fase de Seu ministério, no lugar santíssimo, prefigurada no serviço terrestre pelo Dia da Expiação. Esta obra do juízo investigativo no santuário celestial começou em 1844, no fim dos 2300 anos, e terminará no fim do tempo da graça”. (Heb. 4:14; 8:1e2; Lev. 16:12 e 29; Heb. 9:23 e 24; Daniel 8:14; 9:24-27).

Manual da Igreja Adventista Do Sétimo Dia, Esboço de Crenças Doutrinárias, p. 218.

Vejam a crença fundamental da Igreja Adventista do Sétimo Dia número 24!

24. O Ministério de Cristo no Santuário Celestial

Há um santuário no Céu. Nele Cristo ministra em nosso favor, tornando acessíveis aos crentes os benefícios do Seu sacrifício expiatório oferecido uma vez por todas, na cruz. Ele foi empossado como nosso grande Sumo Sacerdote e começou Seu ministério intercessório por ocasião da Sua ascensão. Em 1844, no fim do período profético dos 2.300 dias, Ele iniciou a segunda e última etapa de Seu ministério expiatório. O juízo investigativo revela aos seres celestiais quem dentre os mortos será digno de ter parte na primeira ressurreição. Também torna manifesto quem, dentre os vivos, está preparado para a trasladação ao Seu reino eterno. A terminação do ministério de Cristo assinalará o fim do tempo da graça para os seres humanos, antes do Segundo advento. (Hebreus 1:3; 8:1-5; 9:11-28; Daniel 7:9-27; 8:13 e 14; 9:24-27; Números 14:34; Ezequiel 4:6; Malaquias 3:1; Levíticos 16; Apocalipse 14:12; 20:12; 22:12). 

Intenção de Satanás

“O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

“O grande conflito entre Cristo e Satanás, que tem prosseguido durante quase seis mil anos, logo deve terminar; e o maligno redobra seus esforços para frustrar a obra de Cristo em prol do homem, e prender as almas em suas ciladas. Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado, é o objetivo que ele procura realizar”. O Grande Conflito, p. 518.

Triste ter que mencionar isso, mas a verdade é que essa omissão da igreja não esclarecendo para os membros sobre o fechamento da porta da graça, o término da intercessão de Cristo no santuário celestial está ajudando a Satanás a alcançar seu objetivo que é, “reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado”. O Grande Conflito, p. 518.Manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

A verdade é que a igreja está sendo “politicamente correta”, está revelando somente o que a maioria quer. Se mencionarem o fechamento da porta da graça vão ter que também esclarecer qual é a condição necessária para subsistir no tempo entre o fechamento da porta da graça e a volta de Jesus, tempo em que estarão caindo as setes pragas, tempo em que Cristo não estará mais atuando como Intercessor. Resumindo, a igreja teria que divulgar para todos aquele que talvez seja o texto mais negligenciado e mais omitido do Espírito de profecia, texto do Grande Conflito. Página 623.

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, p. 623.

Muitos Não Compreendem

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que hão de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus. Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do  “refrigério” e da “chuva serôdia” os habilitasse para estar em pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os que recusam ser talhados pelos profetas, e deixam de purificar o espírito na obediência da verdade toda, e se dispõe a crer que seu estado é muito melhor do que realmente é, chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e verão que necessitam ser esculpidos e preparados para a edificação. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes desse tempo sairá a declaração terrivelmente solene de que: “Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.” Apoc. 22:11. Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença”. Primeiros Escritos, p. 71

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia”. Muitos líderes da igreja Adventistas vão responder pelo fato de “muitos” não compreenderem qual deve ser o preparo necessário para subsistirem no tempo de angústia. Terão que responder por estarem ajudando a Satanás a alcançar seu objetivo. “Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado”. O Grande Conflito, p. 518.Manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador”. A Grande Esperança, P. 45

Desperta professo povo de Deus antes que seja tarde demais!

Os 144000

“Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome e o nome de seu Pai. Ouvi uma voz do céu como voz de muitas águas, como voz de grande trovão; também a voz que ouvi era como de harpistas quando tangem a sua harpa. Entoavam novo cântico diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém pôde aprender o cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. São estes os que não se macularam com mulheres, porque são castos. São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá. São os que foram redimidos dentre os homens, primícias para Deus e para o Cordeiro; e não se achou mentira na sua boca; não têm mácula”. Apocalipse 14:1-5

“São sem mancha (Apoc.14:5). Estas são grandes palavras. Normalmente falamos acerca de uma perfeição relativa, e um processo de crescimento e maturidade espiritual. Mas a passagem aqui se refere a um estado de impecabilidade, e uma vida sem mácula. E isso não é um mero desejo, mas um fato consumado. O revelador viu que os 144000 eram imaculados. E se se tratava de um fato observado pelo apóstolo, significa que Deus nos pode prover condições para alcança-lo também”. Fernando Chaij, A Vitória da Igreja na Crise Final, CPB, P. 117 – 118.

Lição da Escola Sabatina e os 144000

Se referindo a Apocalipse 14:5, nossa lição da Escola Sabatina faz o seguinte comentário.

“O vocábulo grego que aparece nesse trecho significa ‘irrepreensíveis’, ‘sem mácula’, ‘sem defeito’. A mesma palavra é usada 1º S. Pedro 1:19 para descrever Jesus – ‘sem defeito e sem mácula’. Como poderia ser melhor retratado o caráter dessas ‘primícias para Deus e para o Cordeiro’, do que pelo uso de alguns termos idênticos aos que são utilizados para descrever o nosso Senhor? Eles receberam a justiça de Cristo e refletiram a glória do Seu caráter”.

Caráter sem mancha. Os alvos de Deus para os remidos são elevados, e Sua graça habilitadora é adequada para que sejam alcançados. Precisamos resistir à tendência de reduzir os requisitos de Deus a algum nível inferior que as pessoas julgam poder atingir. Deus nunca prometeu o reino aos que não cumprem os requisitos estabelecidos por Ele. A afirmação de Paulo pode ser nossa: ‘Tudo posso nAquele que me fortalece”. Fil. 4:13. Pelo extraordinário poder de Sua graça em nosso íntimo poderemos estar entre os que entrarão no Céu com ‘um caráter sem mancha nem ruga ou coisa semelhante’ (Mensagens aos Jovens, p. 144). Esta será a experiência de todos os remidos. Os que morrem crendo têm perfeição atual as portas da morte. (ver Col. 2:10.) Os fiéis que viverem até quando Jesus vier experimentarão ininterrupta vitória em virtude da contínua habitação do Espírito Santo no coração deles”. Lição da E. S. 3º Trim. De 1989, Triunfo no Presente e Glória no Futuro, p. 66.

Vamos destacar três pontos desse comentário da nossa lição da Escola Sabatina.

  1. A triste tendência “de reduzir os requisitos de Deus a algum nível inferior que as pessoas julgam poder atingir”. Como é triste vermos membros e pastores da igreja Adventista fazendo isso!
  2. Os 144000 são, segundo nossa lição da Escola Sabatina, os salvos que estiverem vivos quando Cristo voltar.
  3. Os salvos, os 144000, serão encontrados por Cristo tendo um caráter irrepreensível, sem mácula, sem mancha ou coisa semelhante.

Vejamos a seguir um texto do Espírito de profecia sobre os 144000.

“No mar cristalino diante do trono, naquele mar como que de vidro misturado com fogo – tão resplendente é ele pela glória de Deus – está reunida a multidão dos que “saíram vitoriosos da besta, e da sua imagem, e do seu sinal, e do número do seu nome”. Apoc. 15:2. Com o Cordeiro, sobre o Monte Sião, “tendo harpas de Deus”, estão os cento e quarenta e quatro mil que foram remidos dentre os homens; e ouve-se, como o som de muitas águas, e de grande trovão, “uma voz de harpistas, que tocavam com as suas harpas”. E cantavam um “cântico novo diante do trono – cântico que ninguém podia aprender senão os cento e quarenta e quatro mil. É o hino de Moisés e do Cordeiro – hino de livramento. Ninguém, a não ser os cento e quarenta e quatro mil, pode aprender aquele canto, pois é o de sua experiência – e nunca ninguém teve experiência semelhante. “Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai.” “Estes, tendo sido trasladados da Terra, dentre os vivos, são tidos como as primícias para Deus e para o Cordeiro.” Apoc. 14:1-5; 15:3. “Estes são os que vieram de grande tribulação” (Apoc. 7:14); passaram pelo tempo de angústia tal como nunca houve desde que houve nação; suportaram a aflição do tempo da angústia de Jacó; permaneceram sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus. Mas foram livres, pois ‘lavaram os seus vestidos, e os branquearam no sangue do Cordeiro’. ‘Na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante de Deus. ‘Por isso estão diante do trono de Deus, e O servem de dia e de noite no Seu templo; e Aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a Sua sombra.’ Apoc. 7:15. Viram a Terra devastada pela fome e pestilência, o Sol com poder para abrasar os homens com grandes calores, e eles próprios suportaram o sofrimento, a fome e a sede. Mas “jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o Sol, nem ardor algum. Pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima”. Apoc. 7:16 e 17”. O Grande Conflito, p. 648 – 649.

Segundo a serva do Senhor os cento e quarenta e quatro mil são os que “foram remidos dentre os homens”, foram “trasladados da Terra, dentre os vivos”, cantamum cântico novo diante do trono – cântico que ninguém podia aprender senão os cento e quarenta e quatro mil”. Por que somente eles podem aprender aquele canto? Vemos a resposta onde a serva do Senhor repete que somente eles podem aprender aquele canto e então explica o porquê! “Ninguém, a não ser os cento e quarenta e quatro mil, pode aprender aquele canto, pois é o de sua experiência – e nunca ninguém teve experiência semelhante”.

 Afinal qual é essa experiência que somente os cento e quarenta e quatro mil passarão por ela? Nesse texto do Grande Conflito vemos claramente a resposta. Eles “passaram pelo tempo de angústia tal como nunca houve desde que houve nação; suportaram a aflição do tempo da angústia de Jacó; permaneceram sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus”.

Somente os cento e quarenta e quatro mil passarão pelo tempo de angústia e permanecerão “sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus”.

O fato de permanecerem sem intercessor não significa que permanecerão sem Jesus, Jesus estará com eles lhes ajudando a manter uma condição que foi alcançada antes do fechamento da porta da graça. Permanecer sem intercessor significa simplesmente que eles não terão naquela ocasião, se pecarem, oportunidade de pedirem perdão, pois Cristo não estará mais atuando como intercessor no Santíssimo do santuário celestial, estará fechada a porta da graça e decretado a perdição para aqueles que ainda estiverem vivendo em pecado.

“Mas foram livres”, mas foram livres significa que saíram vitoriosos. Aqui temos que destacar algo importantíssimo, se foram vitoriosos é porquê estavam preparados para suportarem aquele momento. Qual é o preparo necessário para sair vitorioso ao passar no tempo de angústia? Encontramos a resposta em um outro texto do Grande Conflito.   

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, p. 623.

 Vemos que a condição necessária para subsistir no tempo de angústia é estar completamente livre do pecado. Vejam que “Na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis” diante de Deus”.  Apoc. 14:5. Assim como Satanás não encontrou pecado em Jesus também não encontrará naqueles que sairão vitoriosos ao passarem pelo tempo de angústia. Por que? Porquê “lavaram os seus vestidos, e os branquearam no sangue do Cordeiro”. Apoc. 7:14.

Vimos informações importantíssimas sobre os cento e quarenta e quatro mil, se desejamos fazer parte desse grupo seleto precisamos parar de ficar arrumando desculpas para o pecado, parar de ficar reduzindo a norma estabelecida por Deus para sermos salvos.

Precisamos para de ficar defendendo o pecado citando personagens bíblicos como Davi, Abraão. Noé e outros. Esses personagens não passaram pelo tempo de angústia sem um intercessor, portanto a experiência deles com Deus de certa forma não reflete a experiência necessária para os que desejam realmente estarem preparados para subsistirem no tempo de angústia. Somente Cristo deve ser o exemplo a ser seguido para enfrentar e sair vitorioso naquele tempo terrível. Os 144000 passarão por uma experiência semelhante a que Cristo passou. Vejam se Cristo cometesse pecado, Se Ele fosse corrompido pelo pecado, Ele não teria a quem recorrer para obter perdão, não haveria quem tivesse provido para Ele um sacrifício lhe possibilitando que pedisse perdão e libertação da condição de corrompido pelo pecado. Resumindo, se Cristo pecasse estaria perdido sem possibilidade de perdão.

“Pudesse Satanás, no mínimo particular, ter levado Cristo a pecar, o teria esmagado a cabeça do Salvador. Como se deu, apenas pode tocar-lhe o calcanhar. Se a cabeça de Cristo tivesse sido tocada, teria perecido a esperança da raça humana. A ira divina teria sobrevindo a Cristo, como sobreveio a Adão. Cristo e a igreja teriam ficado sem esperança”. EGW, MM 2022, ACIMA DE TODO NOME, p. 231

O sacrifício de Cristo tornou possível perdão e transformação para o pecador pela graça de Deus. Cristo não teria alguém que teria feito para Ele o que Ele fez para a humanidade, então se Ele fosse corrompido pelo pecado, repito, estaria também perdido juntamente com toda humanidade. Os 144000 transformados, passarão pelo tempo de angústia na mesma condição pela qual Cristo passou durante toda Sua vida.  Libertados da condição de corrompidos pelo pecado para vida totalmente livre do pecado (ver 2º Pedro 1:4), sem possibilidade de perdão e transformação se novamente forem corrompidos pelo pecado. Para os 144000, durante o tempo de angústia, não existirá mais a promessa de 1° João 2:1, “se pecar temos um Advogado”   porque Cristo não estará mais atuando como intercessor ou como advogado naquele período. Davi, Abraão, Daniel, Paulo e os demais personagens bíblicos não enfrentaram um tempo sem intercessor como os 14400 terão que passar, então repito, somente Cristo deve ser nosso exemplo caso queiramos estar realmente preparados para enfrentarmos e sairmos vitoriosos no tempo de angústia!

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que hão de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus. Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do “refrigério” e da “chuva serôdia” os habilitasse para estar em pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os que recusam ser talhados pelos profetas, e deixam de purificar o espírito na obediência da verdade toda, e se dispõe a crer que seu estado é muito melhor do que realmente é, chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e verão que necessitam ser esculpidos e preparados para a edificação. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes desse tempo sairá a declaração terrivelmente solene de que: “Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.” Apoc. 22:11. Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença”. Primeiros Escritos, p. 71]

Ter somente a Jesus como nosso único exemplo é uma orientação da nossa lição da Escola Sabatina. Pena que a maioria não coloca em prática essa orientação e usa outros exemplos encontrados na Bíblia para justificar, desculpar uma vida de fracasso, uma vida de contínua escravidão no pecado!

“Isso significa que Cristo é Aquele que torna a fé possível e é o exemplo que personifica perfeitamente o que é uma vida de fé. Com Ele, a fé atingiu sua expressão perfeita”. Lição da E. S. 1º Trim. 2022, Hebreus mensagens para os últimos dias, p. 128.

“Outra razão pela qual Jesus adotou nossa natureza humana e viveu entre nós foi para que pudesse ser nosso exemplo, o único que pode ser um modelo da maneira certa de viver diante de Deus”. Lição da E. S. 1º Trim. 2022, Hebreus mensagens para os últimos dias, p. 48.

Acho que é interessante repetir o texto mais negligenciado e mais rejeitado do Espírito de profecia, entre os adventistas do sétimo dia. 

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, p. 623.

Vejam o que acontecerá com os que chegarem no tempo de angústia ainda com algum defeito de caráter chegarem a esse tempo ainda com algum pecado não confessado e não abandonado.

“’As palavras do Senhor a Israel, eram: “E porei contra ti a Minha mão, e purificarei inteiramente as tuas escórias; e tirar-te-ei toda a impureza’. Isa. 1:25. Para o pecado, onde quer que se encontre, “nosso Deus é um fogo consumidor”. Heb. 12:29. O Espírito de Deus consumirá pecado em todos quantos se submeterem a Seu poder. Se os homens, porém, se apegarem ao pecado, ficarão com ele identificados. Então a glória de Deus, que destrói o pecado, tem que destruí-los”. O Desejado De Todas As Nações, pág. 107

A triste realidade na nossa igreja, IASD, em nossos dias!

“’O […] dia do Senhor está perto, […] e se apressa muito” (Sof. 1:14); onde está, porém, o verdadeiro espírito do advento? Quem se está preparando para subsistir nesse tempo de tentação que se acha iminente? O povo a quem Deus confiou as sagradas, solenes e difíceis verdades para este tempo está dormindo em seu posto. Por seu procedimento, diz: ‘Tenho a verdade’, ‘rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta’, ao passo que a testemunha verdadeira o adverte: ‘Não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.’ Apoc. 3:17. Com que fidelidade retratam essas palavras a presente condição da igreja! ‘Não sabes que és desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.’ Pelos servos do Senhor são transmitidas mensagens de advertência ditadas pelo Espírito Santo, e descobertos defeitos de caráter aos que se têm desviado; eles, entretanto, dizem: ‘Isto não se aplica ao meu caso. Recuso a mensagem que me transmitis. Estou fazendo o melhor que posso. Creio na verdade’”. Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 13 e 14.

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”.  Hebreus 4:16

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”. Isaías 55:6

Desperta professo povo de Deus!

Ilha Com Habitantes Infectados Por Uma doença

Um médico vai para uma ilha sabendo que todos habitantes dessa ilha estão infectados por uma determinada doença. Esse médico leva para essa ilha a medicação capaz de tratar essa doença, detalhe importante, se trata de uma doença crônica, enquanto essas pessoas estiverem nessa ilha precisarão de tratamento contínuo, estando nessa ilha se interromperem o tratamento a doença volta a se manifestar com toda sua força.

Então esse médico ao chegar na ilha apresenta a medicação e diz porque levou. Mostra a medicação e dá o diagnóstico que revela a necessidade dessa medicação.

Logicamente os moradores dessa ilha precisam aceitar o diagnóstico para que sintam a necessidade do uso contínuo da medicação apresentada por esse médico.

Notem, se alguém dessa ilha nega ser verdadeiro esse diagnóstico estará chamando esse médico de incompetente e mentiroso. Negando ser verdadeiro o diagnóstico consequentemente, recusarão também a medicação, pois não sentirão a necessidade da mesma.

Aplicação dessa alegoria.

Ilha, nosso mundo: “Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só”. Romanos 3:11,12

Médico, Jesus: “Jesus, respondendo, disse-lhes: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos;
Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento”.
Lucas 5:31,32

Doença, o pecado. “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe”. Salmos 51:5

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Romanos 3:23

Jesus chega e nos dá o diagnóstico:

 “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós”. 1 João 1:8

“Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós”. 1 João 1:10

Medicação oferecida pelo Medico Jesus: A graça de Deus, o sangue de Jesus:

“Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. 1 João 1:7

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça”. 1 João 1:9

Tratamento contínuo enquanto estivermos nesse mundo não transformado.

Nós, os ramos, teremos de estar sempre conectados a Videira, sempre conectados ao nosso Médico, Jesus, caso queiramos ser curados e permanecer curados.

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador.
Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem” João 15:1-6

Resultado do tratamento seguindo rigorosamente as orientações do Médico Jesus: 

“Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” Romanos 6:6

“Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu”. 1 João 3:6

“Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus”.1 João 3:9

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca”. 1 João 5:18

“Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados”. 1 Pedro 2:24

Uma coisa precisa ficar muito clara. Somente o médico Jesus tem capacidade para revelar a situação atual da pessoa, se a doença está sob controle ou não. Somente Deus tem capacidade de saber minhas intenções, conhecer meus sentimentos, nada em nossa vida passa desapercebido para Deus. Por isso temos na Bíblia essa oração do salmista. 

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno”. Salmos 139:23,24.

Entendendo o quão abrangente é a lei de Deus, entenderemos também o fato de somente Deus poder julgar a situação atual da pessoa em relação a doença chamada pecado.

“Diz o salmista: “A lei do Senhor é perfeita.” Quão admirável em sua simplicidade, sua amplitude e perfeição, é a lei de Jeová! É tão breve, que nos é possível decorar facilmente cada preceito, e todavia tão abrangente que exprime toda a vontade de Deus, e toma conhecimento não somente das ações exteriores, mas dos pensamentos e intenções, dos desejos e emoções do coração”. M E vol. 1 p. 217.

Não existe alguém nesse mundo que possa afirmar não ter a doença chamada pecado! Se alguém negar ser possuidor dessa doença estará chamando o médico Jesus de mentiroso, pois Ele nos disse que TODOS pecaram e carecem da glória de Deus.

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Romanos 3:23

Todos nesse mundo possuem propensões, inclinações, tendências pecaminosas herdadas ou cultivadas que somente serão eliminadas ou subjugadas enquanto estiverem seguindo de forma correta o tratamento segundo as orientações do nosso Médico, nosso Senhor Jesus Cristo.

Repito, negou o diagnóstico parou o tratamento com as medicações, a doença chamada pecado volta a predominar com toda sua força. Vejamos novamente 1 João 1:8 e 1:10 na versão Fhillips.

 “Se assumimos a atitude de afirmar: ‘não tenho pecado’, simplesmente negamos o diagnóstico de Deus quanto à nossa condição e nos isolamos de ouvir o que Ele tem a nos dizer”. Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 2, pág. 6

 Precisamos entender que esses versículos estão revelando simplesmente o diagnóstico da doença chamada pecado, nesses versículos Deus não está afirmando que não existe solução para essa doença.

Ler o livro de 1 João e só destacar João 1:8 e 1:10 tentando provar a impossibilidade de plena libertação do pecado é o mesmo que você entrar em um consultório médico e sair levando apenas o diagnóstico de sua doença, ignorando tudo que o médico falou sobre a medicação e o resultado do tratamento se seguido criteriosamente segundo a orientação médica.

Imagina agora também essa possibilidade: A pessoa aceita o diagnóstico como sendo verdadeiro, mas não acredita que a medicação mencionada e oferecida gratuitamente pelo médico, pode neutralizar a doença, não acreditando a pessoa não leva a sério a medicação, usa a medicação de forma incorreta, não usa a dose necessária indicada pelo médico, interrompe o uso da medicação ou até mesmo, nem chega a fazer uso da medicação, e ainda mais, a pessoa baseada em sua experiência de fracasso sai afirmando que essa doença não pode ser neutralizada pela medicação como afirma o médico. Como essa pessoa estaria tratando esse médico que está tentando ajuda-la?  Descaso, ingratidão, menosprezo, descrença e outras coisas mais!

É exatamente assim que muitos estão tratando o Médico Jesus Cristo!

Temos uma doença terrível que precisa ser tratada, em nós mesmos não encontramos solução para essa doença, mas temos o privilégio de também termos um Médico capaz de fazer o impossível para nos salvar.

“Jesus, porém, olhando para eles, disse: Para os homens é impossível, mas não para Deus, porque para Deus todas as coisas são possíveis”. Marcos 10:27

“Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus”. Lucas 18:27

“Porque para Deus nada é impossível”. Lucas 1:37

Temos na palavra de Deus um exemplo de Deus tornando possível algo que é impossível para nós sem Deus. Pedro andando sobre as águas. Mateus 14:29 – 30. Para nós andar sobre as águas é algo impossível, mas Pedro conseguiu enquanto estava olhando para Jesus. É impossível para nós, com nosso próprio poder, viver livre do pecado, se livrar da escravidão do pecado, mas da mesma forma que Pedro fez algo impossível pelo poder de Deus, andar sobre as águas, nós também temos a nossa disposição a graça de Deus que torna possível o impossível para nós, viver livre do pecado enquanto estivermos olhando para Jesus. Logicamente assim como Pedro estava afundando quando desviou o olhar de Jesus, nós também, “afundaremos”, cairemos novamente na escravidão do pecado se desviarmos o olhar de Jesus.

 “Pondo a mão sobre o doente, porém, Jesus não sofreu nenhuma contaminação. Seu contato comunicou poder vitalizante. Foi purificada a lepra. O mesmo se dá quanto à lepra do pecadoprofundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano. “Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres”. Isa. 1:5 e 6. Mas Jesus, vindo habitar na humanidade, não recebe nenhuma contaminação. Sua presença tem virtude que cura o pecador. Quem quer que Lhe caia de joelhos aos pés, dizendo com fé: “Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo”, ouvirá a resposta: “Quero: sê limpo”. Mat. 8:2 e 3” O Desejado de Todas as Nações, p. 266

Acusação de Satanás

“Satanás declarou que os seres humanos não podiam viver sem pecar. Cristo passou por onde Adão tropeçou e caiu, e por uma vida sem pecado colocou a humanidade em terreno vantajoso, a fim de que cada qual pudesse estar perante o Pai, aceito no Amado. Review and Herald, 9 de março de 1905”. MM 1968, NOS LUGARES CELESTIAIS, p. 13.

O Que Cristo Veio Provar

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado de Deus, MM 1995, pág. 320

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do Céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio”. Manuscrito 97, 1909’. MM 1983, Olhando Para o Alto, p. 297.

“Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve”. Salmos 51:7

“Cura-me, Senhor, e serei curado, salva-me, e serei salvo; porque tu és o meu louvor”. Jeremias 17:14

 Desperta professo povo de Deus!

PAROUSIA NATUREZA HUMANA DE CRISTO

“A encarnação e o ‘Filho do Homem’”

“Texto extraído da obra Seventh-day Adventists Answer Questions on Doctrine”. 

Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 9

O que está em negrito é o título do texto extraído do livro Questões sobre Doutrina, publicado pela revista PAROUSIA, o que veremos a seguir é parte desse texto, que iremos comentar nesse artigo.

“[…] Dificilmente poderia ser interpretado, porém, do relato tanto de Isaías como de Mateus, que Jesus era enfermo ou que Ele experimentou as fragilidades que são herança da nossa natureza humana pecaminosa. Mas Ele suportou tudo isso. Não poderia ser que Ele suportasse isso também vicariamente, assim como suportou os pecados do mundo inteiro?

Essas fraquezas, fragilidades, debilidades, falhas são coisas que nós, com nossa natureza caída e pecaminosa, temos de suportar. Para nós elas são naturais, inerentes, mas quando Ele as suportou, Ele as tomou não como algo inerentemente seu, mas Ele as suportou como nosso substituto. Ele as suportou em Sua natureza perfeita e impecável. Outra vez observamos’: Cristo suportou tudo isto vicariamente, da mesma forma que vicariamente Ele suportou as iniquidades de todos nós.

É neste sentido que devemos compreender os escritos de Ellen G. White quando ela se refere ocasionalmente à natureza humana pecaminosa, caída e deteriorada […]”. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 14

“Tudo que Jesus tomou, tudo que Ele suportou, quer seja o fardo e a penalidade de nossas iniquidades, ou as enfermidades e fraquezas de nossa natureza humana – tudo foi assumido e suportado vicariamente”. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 15

Essa revista é uma referência para adventistas, principalmente pastores adventistas sobre a questão, natureza humana de Cristo. Nessa revista os autores buscaram publicações de diversas fontes para defenderem um determinado ponto de vista sobre a natureza humana de Cristo. Eu poderia escrever muita coisa sobre essa revista, mas eu vou comentar apenas a algumas afirmações ali encontradas, que acredito esses comentários vai deixar bem nítido o nível de confiabilidade desta revista. O que mostrarei nesse artigo deverá servir de alerta para aqueles que tem uma opinião formada sobre a humanidade de Cristo tendo essa revista uma fonte de informação, para eles confiável.

O texto que eles retiraram do livro Questões Sobre Doutrina realmente está lá, exatamente igual ao que eles utilizaram nessa revista.  Vou repetir o texto, agora retirado do livro Questões Sobre Doutrina.

O MESMO TEXTO AGORA NO QUESTÕES SOBRE DOUTRINA

“[…] Dificilmente poderia ser interpretado, porém, do relato tanto de Isaías como de Mateus, que Jesus era enfermo ou que Ele experimentou as fragilidades que são herança da nossa natureza humana pecaminosa. Mas Ele suportou tudo isso. Não poderia ser que Ele suportasse isso também vicariamente, assim como suportou os pecados do mundo inteiro?

Essas fraquezas, fragilidades, debilidades, falhas são coisas que nós, com nossa natureza caída e pecaminosa, temos de suportar. Para nós elas são naturais, inerentes, mas quando Ele as suportou, Ele as tomou não como algo inerentemente seu, mas Ele as suportou como nosso substituto. Ele as suportou em Sua natureza perfeita e impecável. Outra vez observamos’: Cristo suportou tudo isto vicariamente, da mesma forma que vicariamente Ele suportou as iniquidades de todos nós.

É neste sentido que devemos compreender os escritos de Ellen G. White quando ela se refere ocasionalmente à natureza humana pecaminosa, caída e deteriorada […]”. Questões Sobre Doutrina, p. 79.

“Tudo que Jesus tomou, tudo que Ele suportou, quer seja o fardo e a penalidade de nossas iniquidades, ou as enfermidades e fraquezas de nossa natureza humana – tudo foi assumido e suportado vicariamente”. Questões Sobre Doutrina, p. 80.

FATO NÃO LEVADO EM CINSIDERAÇÃO

O que os autores da revista PAROUSIA não levaram em consideração é o fato do livro Questões Sobre Doutrina recém-publicado ter uns comentários corrigindo algumas afirmações da primeira edição desse livro.

Não sei se os autores dessa revista não levaram em consideração esse detalhe por não terem conhecimento dessas correções na nova edição desse livro ou se tinham conhecimento e por conveniência ignoraram essas correções.

Fato é que, justamente esse texto usado na revista PAROUSIA sobre a humanidade de Cristo, que afirma que Cristo assumiu nossa natureza apenas no sentido vicário, é um dos textos da primeira edição desse livro que foi corrigido e criticado pelo livro Questões Sobre Doutrina publicado em 2008.

CORREÇÕES APRESENTADAS PELO QUESTÕES SOBRE DOUTRINA 2008

Vejam a seguir a nota do livro Questões Sobre Doutrina recém-editado corrigindo e criticando o texto usado pela revista PAROUSIA.

“As páginas 59 – 62 da edição de 1957 estabelecem a posição bastante curiosa de que Cristo tomou a natureza humana vicariamente de maneira idêntica à que carregou o pecado humano vicariamente. Isso é, de acordo com o livro Questões Sobre Doutrina, em Sua encarnação, Cristo realmente não tomou as enfermidades e fraquezas humanas como sendo suas de maneira inata, mas apenas no sentido vicário ou substituinte.

Essa posição certamente não é exposta no Novo Testamento nem foi sustentada por Ellen White. No Desejado de Todas as Nações ela declara que ‘Jesus aceitou a humanidade quando a raça tinha sido enfraquecida por quatro mil anos de pecado. Como qualquer filho de Adão Ele aceitou os resultados da operação da grande lei de hereditariedade.

E mais: ‘Por quatro mil anos a raça tinha estado decrescendo em força física, em poder mental e em dignidade moral; e Cristo tomou sobre Si as enfermidades da humanidade degenerada’ […]

Desta maneira, de acordo com Ellen White, na encarnação de Cristo de fato, em vez de vicariamente, tomou sobre Si a ‘nossa natureza pecaminosa’ (Review and Herald, 15 de dezembro de 1896, p. 789). Ou, conforme ela diz em citação semelhante, ‘Ele tomou sobre Si mesmo a natureza humana caída e sofredora, degradada e contaminada pelo pecado’ […] Como resultado, Cristo encarnou em um corpo que estava sujeito à fadiga, à dor, e à morte. Tornou-Se um com a humanidade de maneira que ‘é um irmão em nossas fraquezas, mas não em possuir idênticas paixões’” Livro Questões Sobre Doutrina, publicado em 2008, p. 79.

APENAS NO ASPECTO FÍSICO

“’Jesus era apenas semelhante a outros seres humanos em ter um corpo humano físico afetado pelo pecado, mas não o mesmo que os outros seres humanos, porque somente Ele era impecável em sua relação espiritual com Deus”. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 25.

“Resumo: Este artigo provê argumentação para a defesa de que Jesus assumiu uma natureza humana moral e espiritualmente impecável, embora Ele tenha se tornado semelhante aos outros homens do ponto de vista físico”. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 31.

Como vimos a revista PAROUSIA defende claramente que Cristo assumiu a natureza caída apenas no aspecto físico. Defendem essa crença com um propósito: Defender também a crença de que não precisamos seguir de forma exata a vida de Cristo para ser salvo e também defender que não precisamos vencer como Cristo venceu para sermos salvos. Enfim, essa revista defende o pensamento, a crença, da maioria dos membros e pastores adventistas, de que não é possível viver sem pecar. Na prática estão ensinando que podemos ser salvos NO pecado, ainda com algum pecado.

Vejamos a seguir afirmações que não condiz com a verdade da revista PAROUSIA e alguns textos do Espírito de profecia que nos mostram claramente que os ensinamentos dessa revista, está muito distante da verdade, muito distante do que realmente Deus pretende fazer na vida dos que serão salvos.

NÃO DE FORMA EXATA O EXEMPLO DE CRISTO

Revista PAROUSIA, não precisamos seguir de forma exata o exemplo de Cristo para ser salvo.

A soteriologia da posição da ‘natureza não caída’ é coerente com sua ontologia. Os defensores dessa posição não têm de insistir sobre identidade ontológica entre Cristo e nós porque para eles a salvação não é obtida por meio do seguimento exato do exemplo de alguém que em todos os aspectos foi semelhante a eles, mas lutou e saiu vitorioso”. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA HUMANA DE CRISTO, p. 29.

OBEDIÊNCIA SIM DE FORMA EXATA

“Quando atribuímos a Sua natureza humana um poder que não é possível que o homem tenha em seus conflitos com Satanás, destruímos a inteireza de Sua humanidade. Ele concede Sua graça e poder imputados a todos os que O aceitam pela fé. A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem”. Mensagens Escolhidas vol. 3, p. 139.

“Veio ao nosso mundo para manter um caráter puro e sem pecado, e para refutar a mentira de Satanás de que não era possível aos seres humanos guardar a lei de Deus. Cristo veio viver a lei em Seu caráter humano exatamente na maneira pela qual todos podem viver a lei na natureza humana se procederem como Cristo procedeu”. Ellen White e a Humanidade de Cristo, p. 166.

“É requerida obediência exata, e os que dizem não ser possível levar uma vida perfeita, lançam sobre Deus a acusação de injustiça e falsidade”. Review and Herald, 7de fevereiro de 1957, pág. 30. (Lição da Escola Sabatina, 2° trim. 1989, “Triunfo no Presente e Glória no Futuro” pág. 48

NÃO VENCER COMO CRISTO VENCEU

Revista PAROUSIA, não precisamos vencer como Cristo venceu para sermos salvos.

“A vitória de Cristo em ‘carne pecaminosa’ é, para eles, a garantia de que nós também podemos ‘vencer como Ele venceu’. A ideia, contudo, pode ser bem-intencionada, mas deixa de entender que nós não somos chamados para duplicar a vitória de Cristo. De fato, os cristãos não vencem como Jesus venceu, antes, vencemos porque Ele venceu […] “. Revista PAROUSIA, 1º Semestre de 2008. A NATUREZA DE CRISTO, p. 47.

VENCER SIM COMO CRISTO VENCEU

“[…]não somos chamados para duplicar a vitória de Cristo […]”.

“[…] A própria imagem de Deus tem de ser reproduzida na humanidade[…]”.

“É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja. Disse Jesus a respeito do Espírito: “Ele Me glorificará.” O Salvador veio glorificar o Pai pela demonstração de Seu amor; assim o Espírito havia de glorificar a Cristo, revelando ao mundo a Sua graça. A própria imagem de Deus tem de ser reproduzida na humanidade. A honra de Deus, a honra de Cristo, acha-se envolvida no aperfeiçoamento do caráter de Seu povo”. O Desejado De Todas As Nações, p. 671

“Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de sei Filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos”. Romanos 8:29

“[…] De fato, os cristãos não vencem como Jesus venceu […]”.

“Se permanecerem nEle, dEle poderão extrair vitalidade e nutrição, ser imbuídos de Seu Espírito, andar assim como Ele andou, vencer assim como Ele venceu e ser exaltados à Sua destra”. MM 1977 Maranata O Senhor Vem, p. 51

“Como Vencedor, deu-nos Ele a vantagem de Sua vitória, a fim de que, em nossos esforços para resistir às tentações de Satanás, uníssemos nossa fraqueza à Sua força, nossa desvalia aos Seus méritos. E sustidos por Seu poder perdurável, sob forte tentação, podemos resistir, em Seu nome Todo-poderoso, e vencer como Ele venceu”. Signs of the Times, 12 de março de 1912. Nos Lugares Celestiais p. 251

“Nestas palavras indica-se uma obra individual para cada um de nós. Cumpre-nos fazer decididos esforços para vencer como Cristo venceu. Ninguém é dispensado dessa luta. Se as portas da santa cidade se hão de abrir para nós completamente, se havemos de ver o Rei em Sua beleza, temos de vencer agora como Cristo venceu”. MM 1956, Filhos e Filhas de Deus, p. 371

“Não precisamos classificar a obediência de Cristo, por si mesma, como alguma coisa para a qual Ele Se achava particularmente adaptado, por Sua especial natureza divina, pois Ele Se encontrava diante de Deus como o representante do homem e foi tentado como substituto e fiador do homem. Se Cristo possuísse um poder especial que o homem não tem o privilégio de possuir, Satanás ter-se-ia aproveitado desse fato. A obra de Cristo era tirar das reivindicações de Satanás o seu domínio sobre o homem, e só podia fazê-lo da maneira como Ele veio – como homem, tentado como homem e prestando a obediência de um homem”.  Mensagens Escolhidas, vol. 3, p. 139

“Muitos dizem, todavia, que Jesus não real como nós outros, que Ele não esteve no mundo da mesma forma que nós, que Ele era divino e que nós não podemos ser vencedores como Ele foi vencedor. Mas Paulo escreve”: Porque, na verdade, Ele não tomou a natureza dos anjos; mas tomou a descendência de Abraão. Pelo que convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos. ”-RH, o1/04/1892; Ellen White e a Humanidade de Cristo, p. 161.

“O Filho de Deus era irrepreensível. “Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita”. Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus pág. 154.

Diante das afirmações que vimos da revista PAROUSIA, convido meus irmãos para lerem o texto do Espírito de profecia a seguir e responderem uma importante pergunta.

Essa edição da revista PAROUSIA com tais afirmações está contribuindo para preparação dos que subsistirão no tempo de angústia?

 A seguir texto do Grande Conflito para ler, refletir e responder essa importante pergunta!

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia”. O Grande Conflito, pág. 623.

Para finalizarmos deixaremos três textos do Espírito de profecia que deixaram muito claro a mensagem de quem a revista PAROUSIA está defendendo e a mensagem de quem a revista PAROUSIA está contradizendo.

“Satanás declarou que os seres humanos não podiam viver sem pecar. Cristo passou por onde Adão tropeçou e caiu, e por uma vida sem pecado colocou a humanidade em terreno vantajoso, a fim de que cada qual pudesse estar perante o Pai, aceito no Amado. Review and Herald, 9 de março de 1905”. MM 1968, NOS LUGARES CELESTIAIS, p. 13.

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado de Deus, MM 1995, pág. 320

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do Céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas – para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado. Manuscrito 97, 1909”. MM 1983. OLHANDO PARA O ALTO, p. 297

Cuidado irmãos, estudem com muita oração, para não serem apanhados nas ciladas ou mentiras do inimigo. Temos uma importante advertência feita por um profeta inspirado por Deus. “[…]Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço […]”.

“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor”! Jeremias 17:5

AINDA PECADORES

      

Na igreja que frequento tem um irmão, ancião, líder na igreja, que gosta de afirmar diante da igreja, “sempre vamos continuar como pecadores”. Seria bom se ele estivesse fazendo essa afirmação no sentido de que, sem Cristo em nosso coração, por sermos susceptíveis ao pecado, estaremos vivendo em pecado, cometendo pecados. Mas este não é o caso, ao que tudo indica, ele está defendendo a impossibilidade de plena libertação do pecado, o que é comum entre a maioria de membros e pastores da igreja Adventista.   A seguir alguns textos do Espírito de profecia que deve ser vir de alerta para aqueles que acreditam que serão salvos mesmo ainda estando vivendo como pecadores, ainda vivendo na prática do pecado.

“Não há maneira em que possais ser salvos em pecado. Toda pessoa que alcance a vida eterna tem de ser semelhante a Cristo, “santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores“. Heb. 7:26. Os seguidores de Cristo devem resplandecer como luzes no meio de uma geração corrompida e perversa. Review and Herald, 3 de junho de 1884”. MM 1968, Nos lugares Celestiais, p. 160

“A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no peneiramento – a palha separada do trigo precioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que tenha lugar. Ninguém senão os que venceram pelo sangue do Cordeiro e a palavra de seu testemunho será encontrado com os leais e fiéis, sem mácula nem ruga de pecado, sem engano em sua boca. Carta 55, 1886”. MM 1977, Maranata, O Senhor Vem, p. 30.

“A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora na sacudidura  – a palha separada do trigo precioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que tenha lugar. Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380”. Eventos Finais, p. 180

SALVOS DO PECADO E NÃO NO PECADO

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos”. João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência”. O Desejado de Todas as Nações, p. 668

“O desígnio divino não é meramente livrar do sofrimento inevitável resultante do pecado, mas salvar do próprio pecado. A alma, corrompida e deformada, tem de ser purificada, transformada, a fim de poder ser revestida da ‘graça do Senhor nosso Deus’, conforme ‘a imagem de Seu Filho’”. O Maior Discurso de Cristo, p. 61

As sagradas Escrituras confirma essa mensagem da serva do Senhor, Cristo nos salvaria “DOS” nossos pecados.

Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados“”. Mateus 1:21

“Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras”. Tito 2:11-14

PREPARADO PARA VOLTA DE JESUS

O que representa estar realmente preparado para a volta de Jesus? Vejam com atenção os textos bíblicos a seguir.

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.  1 Tessalonicenses 5:23

“Portanto, amados, enquanto esperam estas coisas, empenhem-se para serem encontrados por ele em paz, imaculados e inculpáveis”. 2 Pedro 3:14, NVI.

Desperta professo povo de Deus!