Archive for the ‘Caráter de Cristo’ Tag

O “Caminho” para a libertação

andar como Jesus andou

Temos visto pessoas usando 1° João 1:8 e 1° João 1:10  para justificar a existência e principalmente a permanência do pecado na vida dos homens, sendo portanto segundo essas pessoas impossível que o pecado seja eliminado completamente na vida do homem. Será que essas pessoas estão certas ao chegarem a essa conclusão se baseando nesses dois versos? Que seja o desejo de cada um de nós recebermos do Senhor sabedoria para estudarmos Sua palavra! Que o Senhor Espírito Santo nos ilumine!

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” 1° João 1:8

“Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.”  1 João 1:10

1° João 1:8 e 1° João 1:10 é a declaração de uma condição que todos os homens devem reconhecer, somos todos pecadores e necessitamos da graça de Deus.

Quando acontece o diagnóstico de uma grave doença passa existir a necessidade que, o portador desta doença, aceite o diagnóstico e consequentemente sinta a necessidade também de ser tratado e também aceite o tratamento. 1° João 1:8 é o diagnóstico da doença chamada pecado. Os portadores desta doença são todos os homens. Tratamento: o sangue de Jesus.

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1° João 3:9

Aparentemente existe contradição entre 1° João 1:8, 1° João 1:10 e 1 João 3:9. Mas não existe. Estes versos realmente não se contradizem, mas se completam.

1° João 1:8 e 1° João 1:10  descrevem uma condição que devemos reconhecer como sendo uma realidade na vida de todos os homens para então nos achegarmos a Deus, buscando cura, restauração e libertação.

1° João 3:9 descreve a condição de vida que alcançará todo aquele que realmente estiver vivendo ao lado de Jesus: uma vida livre da escravidão do pecado.                                      

  • O Caminho da libertação

Agora uma mudança da nossa vida como pecadores declarada em 1° João 1:8 para uma vida livre do pecado declarada em 1° João 3:9 existe um Caminho que podemos encontrar nas santas escrituras:

  • “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” 1 João 1:8
  • “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:9
  • “Se dissermos que não temos cometidos pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” 1 João 1:10

Vemos que entre dois versos que nos fala da nossa condição como pecadores está um verso nos mostra o Caminho para a libertação. Nesse verso encontramos o perdão que o Senhor quer nos oferecer (Justiça Imputada) e também a purificação que o Senhor quer operar em nossa vida, (Justiça Comunicada).

“O perdão de Deus não é meramente um ato judicial pelo qual Ele nos livra da condenação. É não somente perdão pelo pecado, mas livramento do pecado. É o transbordamento de amor redentor que transforma o coração.” O Maior Discurso de Cristo, pág. 114

“A religião de Cristo significa mais que o perdão dos pecados; significa remover nossos pecados e encher o vácuo com as graças do Espírito Santo. Significa iluminação divina e regozijo em Deus. Significa um coração despojado do próprio eu e abençoado pela presença de Cristo. Quando Cristo reina na alma há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a perfeição do plano do evangelho são cumpridas na vida. A aceitação do Salvador traz paz perfeita, perfeito amor, segurança perfeita. A beleza e fragrância do caráter de Cristo manifestadas na vida, testificam de que em verdade Deus enviou Seu Filho ao mundo para o salvar.” Parábolas de Jesus, pág. 419-420

“Como o perdão de Deus é identificado com a justificação, os mesmos dois aspectos que se encontram no perdão precisam ser incluídos na definição bíblica da justificação: a)  O ato legal pelo qual Deus declara extinta a culpa do pecador (Rom.8:1)e lhe atribui a justiça de Cristo; e b) a transformação do coração do pecador na experiência do novo nascimento.” Lição da Escola Sabatina, 2° trim. 1990,  Cristo o Único Caminho, pág. 43

Vejamos no texto a seguir  que 1 João 1:9  pode e deve ser aplicado destacando também a purificação que o Senhor deseja realizar em nossa vida e não somente de perdão:

“Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração talvez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, porém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa. Cristo “Se deu a Si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” Gál. 1:4. E “esta é a confiança que temos nEle, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que Lhe fizemos”. I João 5:14 e 15. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” I João 1:9.” DTN, pág. 266

  • Purificação através do sangue de Jesus 

“Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado.” 1 J oão 1:7 

“A religião de Jesus Cristo significa algo mais do que conversa. A justiça de Cristo consiste em ações corretas e boas obras provenientes de motivos puros e altruístas. Justiça exterior, enquanto faltar o adorno interior, de nada valerá. “Ora, a mensagem que, da parte dEle, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nEle treva nenhuma. Se dissermos que mantemos comunhão com Ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado.” I João 1:5-7. Se não temos a luz e o amor de Deus, não somos Seus filhos. Se não ajuntamos com Cristo, espalhamos. Todos temos influência, e essa influência repercute sobre o destino dos outros, para seu bem presente e futuro, ou para sua perda eterna.”  Este Dia Com Deus, pág. 180

“As Escrituras nos ensinam a buscar santificar corpo, alma e espírito a Deus. Nesta obra, devemos ser coobreiros de Deus. Muito se pode fazer para restaurar a imagem moral de Deus no homem, para melhorar as faculdades físicas, mentais e morais. Grandes mudanças se podem operar no organismo físico mediante obediência às leis de Deus e não introduzindo no corpo coisa alguma que contamine. E se bem que não possamos pretender a perfeição da carne, podemos possuir perfeição cristã da alma. Mediante o sacrifício feito em nosso favor, os pecados podem ser perfeitamente perdoados. Nossa confiança não está no que o homem pode fazer; sim, naquilo que Deus pode fazer pelo homem por meio de Cristo. Quando nos entregamos inteiramente a Deus, e cremos plenamente, o sangue de Cristo purifica de todo pecado. A consciência pode ser libertada da condenação. Pela fé em Seu sangue, todos podem ser aperfeiçoados em Cristo Jesus. Graças a Deus por não estarmos lidando com impossibilidades. Podemos pretender santificação.” ME, vol. 2 pág.32

  • Andar como Jesus andou 

“Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:6.

Vejamos um texto maravilhoso da serva do Senhor onde ela menciona 1° João 2:6: 

“Jesus – Nosso Modelo Perfeito”

“Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:6.

Temos diante de nós o exemplo mais elevado e mais santo. Jesus não pecou quer por pensamento, palavra ou ato. Tudo quanto fez, caracterizou-se pela perfeição. Ele nos mostra o caminho por onde andou, dizendo: “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-Me.” Mat. 16:24. Review and Herald, 26 de abril de 1906. Cristo reúne em Sua pessoa a plenitude e perfeição da Divindade, e a da humanidade sem pecado. Ele enfrentou todas as tentações que assaltaram a Adão, e as venceu porque em Sua humanidade confiava no poder divino. Este assunto precisa decididamente ser mais estudado do que o é. Os cristãos não se aprofundam. Contentam-se com uma experiência espiritual de superfície, e por isso só têm os bruxoleios da luz, quando podiam ter muito mais amplo conhecimento, e discernirem com mais clareza a maravilhosa perfeição da humanidade de Cristo, que sobreleva muito acima de toda a grandeza humana e de todo humano poder. A vida de Cristo é uma revelação de como seres humanos se podem tornar por meio da união e comunhão com a natureza divina. … Homens e mulheres inventam desculpas para a sua inclinação para o pecado. O pecado é apresentado como uma necessidade, um mal que não pode ser vencido. O pecado, no entanto, não é uma necessidade. Cristo viveu neste mundo, desde a infância à idade adulta, e no decorrer desse tempo enfrentou e resistiu todas as tentações que assediam os homens. Ele é um modelo perfeito de infância, de juventude e de maturidade. Manuscrito 31, 1911. A vida de Cristo mostrou o que a humanidade pode fazer se participar da natureza divina. Tudo quanto Cristo recebeu de Deus, podemos nós possuir também. Portanto, pedi e recebei. … Que vossa mente seja possuída pelas gloriosas concepções de Deus. Una-se vossa vida, por elos ocultos, à vida de Jesus. Parábolas de Jesus, pág. 149.” Fé Pela Qual Eu Vivo, MM, pág. 219

Agora um texto maravilhoso ressaltando 1 João 3:3:                

“Ser puro como Ele é puro” 

“E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro.” 1 João 3:3

Tenhamos como único objetivo a glória de Deus. Não permitamos que coisa alguma se interponha entre nós e Ele. Se prosseguirmos “em conhecer ao Senhor” saberemos que “a Sua saída será como a alva; e Ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a Terra”. Se somos participantes da natureza divina, refletiremos na vida e no caráter a imagem de nosso Senhor divino. Não podemos ser indolentes em procurar obter essa perfeição de caráter. Não podemos submeter-nos passivamente às nossas circunstâncias, pensando que outros farão a obra para nós. “E a si mesmo se purifica todo o que nEle tem esta esperança, assim como Ele é puro.”  Exaltai-o, pág. 334

Outra preciosidade, agora para 1 João 3:7:

 Justo como Ele é justo”

“Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo.” 1 João 3:7

“Os filhos de Deus não serão como os mundanos, pois a verdade recebida no coração será o meio de purificar o coração e transformar o caráter, e fazer com que o seu recebedor adquira uma mente semelhante à de Deus. A menos que o homem se torne mentalmente semelhante a Deus, ele continuará em sua depravação natural. Se Cristo habitar no coração, Ele será sentido no lar, no escritório, na feira, na igreja. O poder da verdade será manifestado na elevação e enobrecimento da mente, e no abrandamento e submissão do coração, levando o homem todo a ter harmonia com Deus. Aquele que é transformado pela verdade difundirá luz sobre o mundo. Aquele que possui a esperança de Cristo no íntimo purificará a si mesmo assim como Ele é puro. A esperança do aparecimento de Cristo é uma grande esperança, uma esperança de vasto alcance. E a esperança de ver o Rei em Sua formosura, e de ser semelhante a Ele. […] Aquele que espera em Cristo é aperfeiçoado no amor de Deus, e seus propósitos, pensamentos, palavras e ações estão em harmonia com a vontade de Deus expressa nos mandamentos da Sua lei. No coração do homem que espera em Cristo não há nada que guerreie contra algum preceito da lei de Deus. Se o Espírito de Cristo está no coração, o caráter de Cristo será revelado, e haverá mansidão sob provocação, e paciência sob provação. “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça pode ser definida unicamente pela grande norma moral de Deus, os Dez Mandamentos. Não há outra regra pela qual medir o caráter. Signs of the Times, 20 de junho de 1895.”  Refletindo A Cristo, pág. 51

Nos textos que a seguir veremos que a serva do Senhor, ao comentar a primeira epístola de João, revela com muita clareza que é a vontade do Senhor que seus filhos tenham uma vida completamente livre da presença do pecado: 

“Vencer o Mundo Pela Fé”

“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” I João 5:4.

Satanás apresenta hoje em dia as mesmas tentações que apresentava a Cristo, oferecendo-nos os reinos deste mundo em troca de nossa submissão. Mas sobre os que olham a Jesus como autor e consumador de sua fé, as tentações de Satanás não têm poder. Ele não pode fazer pecar aquele que, pela fé, aceita as virtudes dAquele que foi tentado em todos os pontos em que nós o somos, mas sem pecado.

Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16. Aquele que se arrepende de seu pecado e aceita o dom da vida do Filho de Deus, não pode ser vencido. Lançando, pela fé, mão da natureza divina, torna-se filho de Deus. Ele ora, crê. Quando tentado e provado, suplica o poder que Cristo deu ao morrer, e vence pela Sua graça. Isso todo pecador necessita compreender. Ele precisa arrepender-se de seu pecado, precisa crer no poder de Cristo, e aceitar esse poder de salvar e guardá-lo do pecado. Review and Herald, 28 de janeiro de 1909.

O cristão não deve manter seus hábitos pecaminosos e nutrir seus defeitos de caráter; mas ser renovado no espírito de sua mente segundo a semelhança divina. Seja qual for a natureza de vossos defeitos, o Espírito do Senhor vos habilitará a discerni-los, e ser-vos-á dada graça por meio da qual eles sejam vencidos. Pelos méritos do sangue de Cristo podeis ser um vencedor, sim, mais que vencedor. …

A verdade precisa ser recebida no coração, e realizará a santificação do caráter. Ela refinará e elevará a vida, habilitando-vos para a entrada nas mansões que Jesus foi preparar para os que O amam. O Céu vale tudo para nós, e se o perdermos, tudo perderemos.” Manuscrito 51. Filhos e Filhas de Deus, pág. 349 

“Somos Guardados de Pecar”

“Qualquer que permanece nEle não peca.” I João 3:6.

A mera profissão de piedade é destituída de valor. O que permanece em Cristo, esse é cristão. Pois “qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro”. I João 3:3. Em todos os lugares, em todas as nações, nossa juventude deve cooperar com Deus. A única maneira por que uma pessoa pode ser pura, é tornar-se semelhante a Deus no espírito. Como podemos conhecer a Deus? – Estudando Sua Palavra. [ …] É pela fé em Jesus Cristo que a verdade é aceita no coração e o instrumento humano é limpo e purificado. Jesus foi “ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas Suas pisaduras, fomos sarados”. Isa. 53:5. É possível ser sarado enquanto se está conscientemente cometendo pecado? – Não; é a fé genuína que diz: “Sei que tenho cometido pecado, mas que Jesus me perdoou; e daqui em diante resistirei à tentação em Sua força e por Sua força.” “Qualquer que nEle tem esta esperança [permanente nele] purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro. I João 3:3. Tem em sua vida um princípio permanente, que o habilita a vencer a tentação. “Qualquer que permanece nEle não peca.” I João 3:6. Deus tem poder para a pessoa que está em Cristo, quando essa se acha sob tentação. “Qualquer que peca não O viu nem O conheceu.” I João 3:6. Isto é, todo aquele que é um crente genuíno, é santificado pela verdade, na vida e no caráter. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica [não professa praticar] a justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; … porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo.” Ora notai onde está a distinção: “Qualquer que não pratica a justiça e não ama a seu irmão não é de Deus.” I João 3:9 e 10. “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.” I João 3:18. The Youth’s Instructor, 15 de fevereiro de 1894.    Filhos e Filhas de Deus, pág. 297

“Mas notai aqui que a obediência não é mera aquiescência externa, mas sim o serviço de amor. A lei de Deus é uma expressão de Sua própria natureza; é uma corporificação do grande princípio do amor, sendo, daí o fundamento de Seu governo no Céu e na Terra. Se nosso coração é renovado à semelhança de Deus, se o amor divino é implantado na alma, não será então praticado na vida a lei de Deus? Implantado no coração o princípio do amor, renovado o homem segundo a imagem dAquele que o criou, cumpre-se a promessa do novo concerto: “Porei as Minhas leis em seu coração e as escreverei em seus entendimentos.” Heb. 10:16. E se a lei está escrita no coração, não moldará ela a vida? A obediência – nosso serviço e aliança de amor – é o verdadeiro sinal de discipulado. Assim diz a Escritura: “Porque esta é a caridade [ou amor] de Deus: que guardemos os Seus mandamentos.” I João 5:3. “Aquele que diz: Eu conheço-O e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” I João 2:4. É a fé, e ela só, que, em vez de dispensar-nos da obediência, nos torna participantes da graça de Cristo, a qual nos habilita a prestar obediência. Não ganhamos a salvação por nossa obediência; pois a salvação é dom gratuito de Deus, e que obtemos pela fé. Mas a obediência é fruto da fé. “Bem sabeis que Ele Se manifestou para tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado. Qualquer que permanece nEle não peca: qualquer que peca não O viu nem O conheceu”. I João 3:5 e 6. Aí é que está a verdadeira prova. Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai. A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo pág. 61-62

“Há os que professam possuir santidade, que se declaram santos do Senhor, que reclamam como um direito a promessa de Deus, ao mesmo tempo que recusam obediência aos mandamentos de Deus. Esses transgressores da lei reclamam tudo quanto é prometido aos filhos de Deus; mas isto é presunção da parte deles, pois João nos diz que o verdadeiro amor a Deus se revelará na obediência a todos os Seus mandamentos. Não basta crer na teoria da verdade, fazer uma profissão de fé em Cristo, crer que Jesus não é um impostor, e que a religião da Bíblia não é uma fábula artificialmente composta. “Aquele que diz: Eu conheço-O”, escreveu João, “e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a Sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado: nisto conhecemos que estamos nEle.” I João 2:4 e 5. “Aquele que guarda os Seus mandamentos nEle está, e Ele nele.” I João 3:24.

João não ensinou que a salvação devia ser adquirida pela obediência, mas que a obediência é fruto da fé e do amor. “E bem sabeis que Ele Se manifestou para tirar os nossos pecados”, disse, “e nEle não há pecado. Qualquer que permanece nEle não peca; qualquer que peca não O viu nem O conheceu.” I João 3:5 e 6. Se estivermos em Cristo, se o amor de Deus estiver no coração, nossos sentimentos, pensamentos e ações estarão em harmonia com a vontade de Deus. O coração santificado está em harmonia com os preceitos da lei de Deus.” Atos dos Apóstolos, pág. 562-563 

O Caminho para alcançarmos uma vida livre da escravidão do pecado é Jesus. Não existe nada em nossa vida que não possa ser mudado por esta graça maravilhosa. Devemos parar de justificar o pecado e aceitarmos de fato, em espírito e em verdade, a Jesus. Clamemos poder ao Senhor Espírito Santo para que possa nos transformar e nos libertar completamente da presença e poder do pecado. Que o Senhor seja louvado!!!

A Lição da Escola Sabatina, 4° trim. 1990, A Carta aos Romanos, pág.74, diz assim:

 “O pecado permanece na vida, se não reina mais nela?” Rom. 6:12-14

“Nossa natureza humana decaída certamente continua tendo propensões para o mal. Mas esse “eu” decaído é subjugado diariamente pelo poder de Cristo em nosso íntimo. (Ver Gál. 2:20.) Em Rom. 6:12, Paulo está falando sobre o perigo de ceder aos impulsos de nossa natureza humana decaída. Quando fazemos isso, o pecado reina em nosso corpo. Quando Cristo reina na vida, o pecado não poderá fazê-lo.

João enfatizou a mesma verdade. (Ver 1 S. João3:8-9.) Ele não ensinou que, embora o pecado habitual seja do diabo, o pecado ocasional é permissível. Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.”

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

Jesus pode nos guardar de tropeçar

não quero tropeçarUm texto formidável para reflexão:

Jesus pode nos guardar de tropeçar

“Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória.”  Judas 24

1-De quantos pecados Jesus pode nos livrar? Judas 24; 1° cor. 10:13; Efé. 6:16

Não somente Jesus pode nos livrar da apostasia, Ele também pode nos proteger de cair em pecado, e ainda nos apresenta “imaculados diante de Sua glória” (Judas 24). Uma vez que não temos de enfrentar qualquer tentação além de nossa capacidade para resistir quando somos fortalecidos pelo Senhor (1° Cor. 10:13), não há motivos para sermos vencidos por qualquer tentação. Com “escudo da fé, com o qual podeis apagar todos os dardos inflamados do maligno.” (Efé. 6:16) Todos é uma palavra absoluta; não há forma alguma de Satanás atingir a quem está protegido por Cristo.

Argumentar que, por causa das tendências humanas naturais para o pecado, há alguns pecados que não conseguimos vencer é depreciar o poder de Cristo. Ele promete poder para vencer a qualquer tentação, venha de onde vier; e promete neutralizar todos os ataques de Satanás contra nós. Por que duvidar dEle?

2-Que outras promessas encorajadoras temos a respeito do poder de Cristo para nos fazer vitoriosos? João 10:29; Efés. 3:20; Heb. 2:18

As implicações dessas promessas são enormes. Cristo pode nos dar a vitória sobre o orgulho, intolerância, egoísmo, inveja, desonestidade, impureza, amargura e hipocrisia. Ele pode colocar paz onde havia paixão, amor onde havia ódio, e confiança onde havia medo.

“Estamos nos preparando para encontrar-nos com Aquele que, acompanhado por uma comitiva de santos anjos, há de aparecer nas nuvens do céu, para dar aos fiéis e justos o toque final da imortalidade. Quando Ele vier, não nos há de purificar de nossos pecados, remover de nós os defeitos que há em nosso caráter, ou curar-nos das fraquezas de nosso temperamento e disposição. Se acaso esta obra houver de ser efetuada em nós, sê-lo-á totalmente antes daquela ocasião.” Ellen G. White, Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 355

Será que você está pensando que, pelo fato de não ter vencido alguns pecados, Cristo irá desculpa-los e salvar você com seus pecados? Qual o remédio para essa atitude?

Lição da Escola Sabatina, “Iluminados Pelo Espírito” 3° trim. 1995, lição 7, pág. 2

Outro texto:

Onde o pecado é abundante, a graça de Deus é mais abundante ainda (Rom. 5:20), não para equilibrar ou desculpar, mas para perdoar e remover o pecado. “A fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo nosso Senhor” (Rom. 5:21). A justiça da qual Paulo está falando é a justiça de Cristo que, quando aceita, subjuga o pecado e nos fortifica para viver em harmonia com a vontade de Deus. Temos que conservar bem claro na mente que Cristo pode nos livrar de cair. Não é requerido de nós que, em momento algum, vivamos pela nossa própria força. Pela graça, avançamos com a força de nosso Salvador, a nós concedida pelo Espírito Santo (Rom. 14:4; Efé. 3:15-16). A graça de Deus determina, coloca-nos e nos conserva no caminho da verdade.

“Por meio da poderosa atuação do Espírito Santo que o governo de Satanás será vencido e subjugado. É o Espírito Santo que convence do pecado e o expele da alma com a permissão do agente humano. … Através dos méritos de Cristo pode o homem habilitar-se para exercer as mais nobres faculdades do seu ser e libertar-se do pecado.” Ellen G. White, Minha Consagração Hoje, (Meditações Matinais, 1989, pág. 43). O Senhor não nos permitirá contentar com menos do que a completa vitória que Ele nos concede (1° João 5:4; Fil. 3:14-15)

O padrão do antigo testamento

Perfeição é conformidade com o caráter de Deus. O evangelho é o meio para remover todos os obstáculos e providenciar todos os recursos para conseguir essa conformidade (Rom. 1:16-17; 2° Cor. 4:3-7; 3:17-18).

O que pensaria você a respeito de um sapateiro que coloca uma sola errada em seu sapato, ou de um mecânico que não consegue consertar um defeito visível? É claro que perderia a confiança neles e tentaria encontrar melhor atendimento em outro lugar.

O que pensaria você a respeito de Deus se Ele pudesse apenas salvar a pessoa de parte de seus pecados, mas, pelas Suas limitações deixasse ainda algum resíduo de pecado nessa pessoa? Claro que não iríamos atribuir todo poder e majestade a Deus, nem olharíamos o plano da salvação como algo completo e competente. Mas, graças a Deus, não temos que chegar a essa conclusão. Ele fez uma provisão completa, de acordo com a perfeição de caráter que Ele requer (2° Crôn. 16:9; Sal. 18:30-32; 1° João 2:5).

Lição da Escola Sabatina, “Iluminados Pelo Espírito” 3° trim. 1995, lição 7, pág. 3A

Só nos resta dizer:

Amém! Louvado seja Senhor! Faça a obra que precisa ser feita em meu coração em nome de Jesus.

Impossível viver como Jesus. Será?

ddddAlguém bastante influente na igreja afirmou ao meu filho que nós não podemos comparar a obediência que Cristo prestou a Deus com a obediência que o Senhor espera de nós. Segundo esta pessoa “Cristo era Deus”, “Cristo era divino e humano” e nós “somos apenas humanos.”

Mas será realmente impossível para qualquer ser humano ter a vida transformada a ponto de conseguir, pelo poder de Deus, passar a viver como Jesus viveu?

Será que realmente é impossível para qualquer homem ou mulher passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado?

Os propósitos da encarnação de Cristo: Viver completamente livre da presença do pecado para nos salvar (Mateus 1:21) e também provar para toda humanidade e todo universo que é possível sim, ao homem pelo poder de Deus, passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado.

É extremamente importante compreendermos o que Jesus fez por nós para que possamos compreender também o que Jesus pode e deseja fazer em nós (Tito 2:11-12). 

“O estudo da encarnação de Cristo é um campo frutífero, o qual recompensará o pesquisador que escavar bem fundo, em busca da verdade escondida’ (SDABC, vol.7, pág.443).” Ellen White e a Humanidade De Cristo,  pág. 14.

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” RH, 28/01/1882 (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150)

A seguir outros textos da lição da Escola Sabatina que elucidam o assunto da possibilidade de vivermos a vida de Jesus:  

  • Cristo Nosso Exemplo

“Porque Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vos também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu Senhor, nem o enviado maior do que Aquele que O enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.” S. João 13:15-17.

“Na missão de Cristo no mundo, Seus seguidores acham o propósito e direção de sua própria missão. A direção é a dos milhões de criaturas sobre a Terra com suas necessidades, interesses e atividades. O propósito é o de que todas essas pessoas sejam salvas e o reino de Cristo seja restaurado. E uma vez que estamos vivendo nos últimos dias da história desse mundo, essa missão de reconciliação, advertência, e restauração tem uma urgência imensa. Jesus disse que assim como o Pai O enviou ao mundo, também Ele enviava os discípulos ao mundo. (Ver S. João 17: 18; 20:21.) Esta pensamento foi o tema do estudo da lição da última semana, mas tem ainda outra dimensão. Fala-nos sobre nosso remetente e o propósito de nossa missão no mundo. Fala sobre o tipo de obra que somos chamados a realizar, mas também realça o tipo de vida que os seguidores de Cristo deveriam viver e como sua missão no mundo deve ser cumprida.

Alguns dirão agora que a vida e obra de Cristo no mundo era por demais particular, e, portanto, muito diferente da nossa. Assim, Ele não pode constituir um modelo para nós. Em certo sentido, obviamente, tal observação está correta. Afinal de contas, Ele era o Cristo, o Filho do Deus vivo (S. Mat. 16:13-16). Jesus possuía características que as Escrituras atribuem somente a Deus. (Ver S. Mat. 18:18-20; S. João 3:2; 5:17-29, etc.)  Contudo, a Bíblia também nos diz que Jesus foi verdadeiramente homem. Ele é chamado o Filho do homem, expressão utilizada mais de 80 vezes nos Evangelhos para indicar que “como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam Os Seus seguidores.” Meditações Matinais, 1956, pág.21. Achado na semelhança de homem, Jesus tornou-Se um de nós. (Ver Rom. 8:3; Fil. 2:8; S. João 3:2; Heb. 2:10-17.) Ele esteve sujeito as nossas enfermidades e fraquezas; identificou-Se co nossas necessidades, fragilidades e falhas. Ele também submeteu-Se a todas as condições humilhantes do homem neste mundo, e em tudo foi tentado como nós (Heb. 2:14-18), somente com uma exceção: Jesus não pecou (Heb. 4:15). De Sua Filiação e origem divina podemos saber qual foi o propósito de Sua vida e missão no mundo. Nenhum ser humano poderia ter-nos dado isto. Em Sua humanidade, contudo, Jesus nos mostrou como viver neste mundo, e como podemos cumprir o propósito e missão de nossa vida. “Cristo veio a este mundo, sujeitou-Se à vontade de Seu Pai, com um grande propósito- mostrar aos homens e mulheres o que Deus deseja que eles sejam e o que, mediante Sua graça, podem ser.” – Medicina e Salvação, pág. 42.

(Lição da Escola Sabatina “O Cristão no Mundo”, 3° Trim. de 1982, toda pág. 49)

  • No Poder de Deus

“E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança. E maravilharan-se os homens, dizendo: Quem é Este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” S. Mateus 8;26-27

“Realmente, que tipo de homem é esse? É importante ressaltar aqui Jesus não acalmou as ondas e aquietou os ventos pelo poder de Sua divindade intrínseca. Ele pôs isso de lado. O poder de Jesus no mundo – seja da natureza ou do homem – era poder de Deus em resposta a Seu pedido como homem. É, portanto, um poder que Deus pode confiar a qualquer crente que põe sua total confiança em Deus como Jesus o fez.

“Não era como o “Senhor da Terra, do mar e do Céu” que repousava em sossego. Esse poder, depusera-o Ele, e diz: “Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma.” João 5:30. Confiava no poder de Seu Pai. Foi pela fé – no amor e cuidado de Deus – que Jesus repousou, e o poder que impôs silêncio à tempestade, foi o poder de Deus.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 249

Que promessa existe de que os crentes podem ter o tipo de poder que Jesus teve em Seus dias? S. Mar. 16:16-20; S. Mat. 17:14-21

“A pergunta é importante por uma série de razões: Se quiséssemos, poderíamos realmente tornar-nos reflexos do que Jesus foi na carne humana. Pela ajuda do Espírito Santo poderíamos vencer nossas tendências hereditárias. (Ver O Desejado de Todas as Nações pág. 501 e A Ciência do Bom Viver pág. 171.) Em lugar de nos controlarem, podemos mantê-las sob controle e mudá-las. (Ver S.D.A. Bible Commentary, vol. 4, pág. 1138; vol. 6, pág. 1101; Parábolas de Jesus, pág. 313 e Testemunhos para Ministros, pág. 259.) Se quiséssemos, o efeito de nossa vida coletiva neste mundo poderia ter uma extensão muito mais ampla, mesmo maior do que a obra de Jesus, como Ele disse que seria. (Ver S. João 14:12 e O Desejado de Todas as Nações, pág. 496e 497.) Se quiséssemos, a obra que Cristo nos confiou poderia realmente em breve realizada.

A Escritura afirma que poderíamos realmente ter o poder de resistir ao mal. (Ver 1° João 3:9 e 10). Mas se falhamos em fazê-lo, é porque não exercemos o dom da fé. (Ver S. Mat. 17: 14-20.) Como Ellen White uma vez escreveu tão poderosamente. “Ele [Cristo] veio ao mundo para manifestar a glória de Deus, a fim de que o homem fosse erguido por Seu poder restaurador. Deus Se revelou nEle, para que Se pudesse manifestar neles. Jesus não revelou qualidades, nem exerceu poderes que os homens não possam possuir mediante a fé nEle. Sua perfeita humanidade é a que todos os Seus seguidores podem possuir, se forem sujeitos a Deus como Ele o foi.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 497

(Lição da Escola Sabatina “O Cristão no Mundo” 3° Trim. de 1982, toda pág. 54)

Misericórdia Senhor! Quando vejo a grande obra que o Senhor deseja realizar em minha vida, clamo pela misericórdia do Senhor. Reconheço que muita coisa ainda precisa ser mudada em minha vida. Clamo para que o Senhor aumente a minha fé, aumente a fé dos meus irmãos, para que juntos possamos buscar alcançar este objetivo maravilhoso. Que possamos estar orando uns pelos outros e glorificarmos o nome de Deus cumprindo a missão que o Senhor nos confiou da forma que Ele deseja.

Devemos deixar bem claro: as pessoas que acreditam que, pelo poder de Deus, o homem pode passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado, nunca dirão de uma forma arrogante que são perfeitas ou que estão vivendo sem pecar. Estando vivendo de forma irrepreensível, isso lhes será imperceptível. Esta graça maravilhosa será percebida pelas pessoas ao redor. Estas testificarão que eles realmente estão andando com Jesus. Enquanto estiverem contemplando a Jesus terão sempre uma opinião humilde a respeito de si mesma e estarão sempre buscando mais e mais do Seu amor, de Sua pureza e do Seu caráter.

“Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo fosse assim retardada. Não era desígnio Seu que Seu povo, Israel, vagueasse quarenta anos no deserto. Ele prometera levá-los diretamente à terra de Canaã, e ali estabelecê-los como um povo santo, sadio e feliz. Aqueles, porém, a quem havia sido pregado primeiramente, não entraram “por causa da sua incredulidade.” Heb. 3:19. Seus corações encheram-se de murmuração, rebelião e ódio, e Ele não pôde cumprir Seu concerto com eles. Por quarenta anos a incredulidade, murmurações e rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do moderno Israel na Canaã celeste. Em nenhum dos casos as promessas de Deus estiveram em falta. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo do Senhor que nos têm conservado neste mundo de pecado e dor por tantos anos.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 68.

“A igreja ilumina o mundo, não por sua declaração de piedade, mas por sua manifestação do poder transformador e santificador da verdade na vida e no caráter (carta 46.1893)”. O Reavivamento Verdadeiro, pág. 58.

“Servos de Deus, com o rosto iluminado a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do céu.” Grande Conflito, pág. 343

Que o Senhor Espírito Santo nos ilumine para que possamos compreender e aceitar a obra grandiosa que o Senhor deseja realizar em nossa vida!

Esfera Humana

111Mensagens preciosas de Ellen G. White, a serva do Senhor, sobre o assunto de perfeição na esfera humana:

“O ideal de Deus para com Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei um transcrito de Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo; e qual foi a norma dada por Ele a todos quantos nEle crêem? “Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua elevada esfera de ação, assim o homem pode ser perfeito em sua esfera humana.” Conselhos Aos Pais, Professores E Estudantes pág. 365

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera.” Medicina e Salvação, págs. 112 e 113. (Maranata, O Senhoe Vem MM 1977 pág. 225

Não é raro ouvirmos pessoas falarem em perfeição na esfera humana. Bom, a princípio não há nada de errado porque, como vimos, Ellen G. White  escreveu diversas vezes sobre a perfeição na esfera humana.

Infelizmente ao que parece quando algumas pessoas falam de perfeição na esfera humana querem com isso afirmar a existência de perfeição “com defeitos”. Para elas, a perfeição sem defeitos ou sem pecado, é impossível. Então a solução seria buscar essa perfeição na esfera humana na qual ele mesmo tendo algum defeito ou pecado seria considerado perfeito pelo nosso Deus.

Pensar em perfeição com pecado não é ter certa tolerância com o pecado?

Pois bem, enquanto tivermos alguma tolerância com o pecado, a verdadeira piedade não acontecerá. A serva do Senhor afirma: “A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso De Cristo pág. 91

Agora veremos que a serva do Senhor ao citar “perfeição na esfera humana”, não estava se referindo a um tipo de perfeição na qual o homem mesmo tendo algum defeito seria considerado perfeito por Deus: “Nossa conversação deve ser santa. Como Deus é santo em Sua esfera, sejamos santos em nossa esfera. Exultemos no precioso Salvador, o qual morreu para resgatar-nos, e reflitamos a glória de volta a Deus. Unamo-nos com o céu em nossos louvores aqui e com os cânticos dos anjos celestiais na cidade de nosso Deus.” Fé E Obras pág. 79

Será que santidade na esfera humana é também um tipo de santidade onde o Senhor tolera a existência de algum pecado? E o que dizer do verso bíblico a seguir?

“Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.” 2° Coríntios 7:1

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera. Os que recebem a Cristo acham-se entre o número daqueles aos quais são pronunciadas as palavras tão cheias de esperança: “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome.” João 1:12. Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter, um caráter formado à semelhança divina. Ao se processar um caráter tal, a vida, a fé, a pureza da religião, constituem um exemplo edificante para outros. Medicina e Salvação, págs. 112 e 113.; Maranata O Senhor Vem,MM 1977 pág. 225

Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter […]”. Convenhamos irmãos, perfeição com algum defeito não é de forma alguma “o melhor e mais elevado caráter”.

“Ninguém precisa deixar de alcançar em sua esfera a perfeição do caráter cristão. Pelo sacrifício de Cristo, foi tomada providência para que o crente receba todas as coisas que dizem respeito à vida e piedade. Deus nos convida a alcançarmos a norma da perfeição, e põe diante de nós o exemplo do caráter de Cristo. O Salvador mostrou, por meio de Sua humanidade consumada por uma vida de constante resistência ao mal, que, com a cooperação da Divindade, podem os seres humanos alcançar nesta vida a perfeição de caráter. Esta é a certeza que Deus nos dá de que também nós podemos alcançar a vitória completa. “Atos dos Apóstolos, págs. 530-532.(Refletindo A Cristo, MM 1986 pág. 306)

O nosso exemplo, nosso alvo e objetivo deve ser ter o caráter de Cristo e Ele não tinha defeito algum. É nos dado a certeza de que nós também podemos alcançar a vitória completa.

“Os homens e mulheres que se acham à testa de uma missão, necessitam de íntima ligação com Deus, a fim de se conservarem puros, e saberem dirigir criteriosamente a juventude, de modo que os pensamentos de todos sejam impolutos e sãos. Sejam as lições dadas de caráter elevado, enobrecedor, para que a mente se encha de pensamentos puros e semelhantes aos de Cristo. “Qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.” I João 3:3. Como Deus é puro em Sua esfera, assim o homem deve ser na sua. E será puro, se Cristo, a esperança da glória, habitar no interior; pois ele imitará a vida de Cristo e refletirá  Seu caráter.” Obreiros Evangélicos pág. 366

O homem sendo puro em sua esfera imitará a vida de Cristo e refletirá Seu caráter. Imitará o homem a vida de Cristo e refletirá Seu caráter ainda tendo algum defeito, algum pecado?

Como vimos perfeição na esfera humana não é de forma alguma um tipo de perfeição ainda com defeitos ou pecados. Os próximos dois próximos textos nos ajudará entender o significado de perfeição na esfera humana:

 “Ele nos diz que sejamos perfeitos como Ele o é – da mesma maneira. Cumpre-nos ser centros de luz e bênção para o nosso pequeno círculo, da mesma maneira que Ele o é para o Universo. Nada temos de nós mesmos, mas a luz de Seu amor resplandece sobre nós, e devemos refletir-lhe a glória. “Bons na bondade que Ele nos empresta”, podemos ser perfeitos em nossa esfera, da mesma maneira que Deus é perfeito na Sua. Jesus disse: “Sede… perfeitos, como é perfeito vosso Pai.” Mat. 5:48. O maior Discurso De Cristo pág. 77

Há impressões que estão sendo causadas em todo o tempo. Há uma atmosfera que circunda a alma humana, e essa atmosfera é celestial ou infernal. Só há duas linhas distintas. Ou estamos do lado da questão que é de Cristo, ou do lado do inimigo. E se estamos continuamente extraindo raios da gloriosa luz divina, anjos de Deus se encontram ao nosso redor, e há uma atmosfera que circunda a alma humana. Nossa própria atitude, nossas próprias palavras dão testemunho de genuína conversão a todos os que estão dentro da esfera de nossa influência. “O Espírito e a esposa dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha.” Apoc. 22:17; Fé E Obras pág. 65

Aqui podemos encontrar um significado de esfera humana, “nosso pequeno círculo”, nossa “esfera de influência” seria a esfera humana. O universo é a esfera de influência de Deus. Agora não podemos é aceitar de forma alguma a possibilidade de existência de uma perfeição com defeitos ou pecados, sendo essa tal perfeição o máximo que o homem poderá alcançar. Nosso objetivo deve ser viver como Cristo viveu, sem pecado e acreditem pelo poder do Senhor, que isso é possível  o Senhor pode nos conceder essa graça maravilhosa. Deus seja louvado!

 “O grande Mestre veio a nosso mundo, não somente para fazer expiação pelo pecado, mas também para ser um mestre tanto por preceito como pelo exemplo. Veio mostrar ao homem como guardar a lei na humanidade, de modo que ele não tivesse nenhuma desculpa para seguir seu próprio critério imperfeito. Vemos a obediência de Cristo. Sua vida era sem pecado. A obediência durante toda a Sua vida é uma censura à humanidade desobediente. A obediência de Cristo não deve ser posta de lado como se fosse completamente diferente da obediência que Ele requer de nós individualmente. Cristo nos mostrou que é possível para toda a humanidade obedecer às leis de Deus. ”ME, vol. 3 pág. 135

“A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino.Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado.” Nossa Alta Vocação p. 46

“Esta foi a posição que Cristo ocupou quando veio ao nosso mundo, entrando em conflito com o líder rebelde dos anjos caídos. Deus formulou um plano, e Cristo aceitou a posição. Ele concordou em encontrar o inimigo diretamente, como todo ser humano deve fazer. Foram-Lhe providos todos os poderes celestes para ajudá-Lo nesse grande conflito; e o homem, se andasse no caminho e na vontade de Deus, receberia o mesmo poder preservador. As mesmas inteligências celestiais ministram àqueles que serão herdeiros para a salvação, para que possam vencer toda tentação, grande ou pequena, como Cristo venceu.”Olhando Para O Alto pág. 42

 O Filho de Deus era irrepreensível.“Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita.” Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus pág. 154

“Como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam os Seus seguidores. Cumpre-nos viver, em Sua força, a vida de pureza, a vida nobre vivida pelo Salvador.” Testimonies, vol. 8, págs. 286 e 289. Filhos e Filhas de Deus pág. 21

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado De Deus MM 1995,pág. 320

“Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isto é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová.”  Parábolas de Jesus, pág. 312.

“A santificação não é obra de um momento, uma hora, ou um dia. É um contínuo crescimento na graça. Não sabemos um dia qual será nossa luta no dia seguinte. Satanás vive e está ativo, e precisamos cada dia clamar fervorosamente a Deus por auxílio e força para resistir-lhe. Enquanto Satanás reinar, teremos de subjugar o próprio eu, teremos assaltos a vencer, e não há lugar de parada, nenhum ponto a que possamos chegar e dizer que atingimos plenamente. […] A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus coloca-Se como refinador e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação.”     Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 112-114.; Maranata O Senhor Vem pág. 87

Deus seja louvado!

Terra Iluminada

luz“Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande vos: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apoc. 14:6-7

Este verso de Apocalipse revela a grande missão que o Senhor tem para o Seu povo nesses últimos dias: pregar o evangelho eterno ao mundo todo – ”Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apoc. 14:6-7

Outro verso interessante revela o que acontecerá quando evangelho eterno for pregado a todo o mundo de uma forma poderosa. “Depois destas coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra se iluminou com a sua glória.” Apoc. 18:1

A TERRA SERÁ ILUMINADA.

Como a terra será iluminada? Pelas obras dos filhos de Deus.

O anjo de Apoc. 18:1 representa um grande movimento mundial no qual os filhos de Deus iluminarão a terra por estarem refletindo de forma plena o caráter de Cristo:

“Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam a vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” Mat. 5:14-16

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

É bom lembrar que as obras praticadas pelos filhos de Deus é o resultado da graça maravilhosa do Senhor ter atuado na vida deles, foram purificados “mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo.” Não são legalistas tentando fazer obras para serem salvos, suas obras é o fruto do Espírito Santo. Eram trevas agora “no Senhor são luz” e andarão como filhos da luz:

“Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso salvador a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.[…]”  Tito 3:4-7

“Mas o fruto do Espírito é; amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.” Gál. 5:22-25

“Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz.” Efésios 5:8

Agora podemos entender como os filhos de Deus glorificarão o nome de Deus e como obedecer a ordem divina ” Temei a Deus e dai-lhe glória” Apoc. 14:7

Eles glorificarão o nome de Deus porque foram transportados das trevas para Sua maravilhosa luz:

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz;  […] 1° Ped. 2:9

As obras desses filhos de Deus testificam do poder do Senhor em salvar homens do pecado. Eles estarão vivendo de uma forma que realmente glorifica o nome de Deus. Estarão proclamando pelo testemunho as virtudes do Senhor.

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

Estamos vivendo o tempo do juízo, o tempo do fim, o Senhor nos convida para um relacionamento real com Ele. O senhor deseja nos transformar em filhos da luz.

 Quando o Senhor disser: “Feito está!” Apoc.16:17, já será tarde demais para essa transformação. A partir desse momento o Senhor estará voltando “para retribuir a cada um, segundo as suas obras.”

“E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.” Apoc. 22:12

Quando o Senhor voltar cada caso já estará decidido, aquele que foi transformado pela graça maravilhosa de Deus estando então completamente purificado de todo pecado, refletindo plenamente o caráter de Cristo será salvo desse mundo de dor e sofrimento.

Aquele que rejeitou a graça transformadora de Deus, que ainda permanece como filho das trevas, terá perdido a vida eterna e será destruído pela manifestação da glória do Senhor na Sua vinda.

Então o Senhor apela para cada um de nós: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração […]” Heb. 3:15

“Tendo, pois, a Jesus, O Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou nos céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos um sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, antes, foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” Heb. 4:14-16

Que seja o desejo de cada um de nós sermos transformados pelo Senhor, “em ocasião oportuna” antes que seja tarde demais:

“Porque Ele diz: Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação.”2° Cor. 6:2

“Não retarda o Senhor a Sua promessa, como alguns a julga demorada; pelo contrário, Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” 2° Ped. 3:9

O Senhor deseja te salvar e fazer de você um instrumento de salvação a outros. Não quer você nesse mundo de trevas, ser luz refletindo o caráter de Cristo?

Aceite a Jesus de uma forma real, permita que Jesus transforme sua vida, lhe purificando completamente para que você nesse mundo de trevas seja luz “no Senhor.”

“Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a  escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua Glória se vê sobre ti.” Isaías 60:1-2 

Senhor eu quero brilhar por Ti!

Que o nosso Senhor seja louvado!