Archive for the ‘Filhos de Deus’ Tag

Filhos de Deus

filhos de Deus“E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.” Efésios 1:5

“Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, e eu vos receberei;
E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.” 2 Coríntios 6:17-18

Nosso maravilhoso Deus por nos amar muito e desejar nossa salvação nos convida para um relacionamento íntimo com Ele. Nosso Deus deseja nos transformar de tal forma que venhamos a viver realmente como filhos de Deus.

  • Quem são os verdadeiros filhos de Deus

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;
Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” João 1:12-13

“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.” Romanos 8:14-15

Filhos de Deus são aqueles que:

  • receberam o Senhor no coração,
  • que nasceram de Deus (novo nascimento) e
  • que são guiados pelo Senhor Espírito Santo.

Tenho orado ao Senhor para que nos transforme de tal forma que vivamos realmente como filho de Deus. Não devemos ficar tentando descobrir se esta ou aquela pessoa é ou não é um filho de Deus. Não temos competência para isto. O que realmente devemos fazer é estar avaliando cada um sua própria vida, pedindo ao Senhor para que nos purifique e nos conceda a graça de viver como filho de Deus. Oremos uns pelos outros. Oremos como Davi sempre orarava: ”Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Salmo 139:33-34

  • Nosso objetivo na caminhada cristã:

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.” Filipenses 2:15

  • Filhos de Deus ou filhos do diabo:

Segundo nosso mestre e salvador Jesus Cristo, o que determina se somos ou não filhos de Deus não é o que dizemos, mas como vivemos. Muitas pessoas chamam a Deus de Pai no entanto não estão dispostas a se entregarem a Ele completamente para serem transformadas e purificadas e se tornarem realmente filhos de Deus. É triste, mas é uma grande verdade que se a nossa vida não revela que se somos realmente filhos de Deus, então somos na realidade um filho do diabo.

“Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou. Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” João 8:42-44

“Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus.” 1 João 3:10

“Mas eles confiam em Cristo, e Cristo não os abandonará. Ele veio a este mundo para tirar os seus pecados e imputar-lhes Sua justiça. Declara que mediante a fé em Seu nome podem obter perdão e caracteres perfeitos semelhantes ao de Cristo. Confessaram-Lhe seus pecados e pediram perdão, e Cristo declara que em virtude de olharem para Ele e nEle crerem, dar-lhes-á o poder de se tornarem filhos de Deus.” Este Dia Com Deus, pág. 224

“Pela fé no sacrifício expiatório de Cristo, os filhos de Adão podem voltar a ser filhos de Deus. Assumindo a natureza humana, Cristo elevou a humanidade. Os homens caídos são colocados na posição em que, mediante a conexão com Cristo, podem na verdade tornar-se dignos do nome de “filhos de Deus”. Caminho a Cristo, pág. 15

“Mediante o arrependimento de seus pecados, a fé em Cristo e a obediência à perfeita lei de Deus, a justiça de Cristo é imputada ao pecador, converte-se em sua justiça e seu nome é registrado no livro da vida do Cordeiro. Converte-se num filho de Deus, um membro da família real.” Testimonies, vol. 3, pág. 371-372

“A igreja de Deus é composta de filhos adotados. Os filhos naturais são órfãos e pródigos – estão fora da família de Deus por causa do seu pecado e por sua escolha de estarem em rebelião contra Deus. Mas quando aceitam a provisão de Deus, eles são adotados na Sua família. A relação agora passa ser de família, fundada em amor.”  Lição da Escola Sabatina 4° trim. 2005, Efésios o evangelhos dos relacionamentos, pág. 32

“Redenção significa libertação de um escravo mediante pagamento. Nas escrituras, redenção significa provisão de Deus em Cristo para nos salvar da escravidão do pecado. O derramamento do sangue de Cristo na cruz pelos nossos pecados tornou possível não só o perdão, mas também a redenção e a adoção na família de Deus (Gál. 4:4-6; Efés. 1:7 e 8). Sem Cristo, nada disso teria sido possível.” Lição da Escola Sabatina 4° trim. 2005, Efésios o evangelhos dos relacionamentos, pág. 33

“João diz: “A luz” – Cristo – “resplandece nas trevas”, isto é, no mundo, “e as trevas não prevaleceram contra ela. … Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” João 1:5-13. A razão por que o mundo incrédulo não é salvo é que eles não escolhem ser iluminados. A velha natureza, nascida do sangue e da vontade da carne, não pode herdar o reino de Deus. Os velhos costumes, as tendências hereditárias, os antigos hábitos, precisam ser abandonados; pois a graça não é herdada. O novo nascimento consiste em ter novos motivos, novos gostos, novas tendências. Os que são gerados para uma nova vida pelo Espírito Santo tornaram-se participantes da natureza divina, e em todos os seus hábitos e práticas eles evidenciam sua relação com Cristo. Quando homens que professam ser cristãos retêm todos os seus defeitos naturais de caráter e disposição, em que sua posição difere da dos mundanos? Eles não apreciam a verdade como santificadora, como refinadora. Não nasceram de novo. […]” E Recebereis Poder, MM 1999, pág. 53

Que todos aqueles que chamam a Deus de Pai possam aceitar, além do perdão, também a purificação completa que o Senhor disponibiliza para cada um de nós e possamos viver realmente como filhos de Deus, honrando e glorificando o Seu nome.

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.” Filipenses 2:15

Deus seja louvado sempre!

 

A última geração

Ultima GeraçãoCostumeiramente nós, adventistas do 7º dia, afirmamos que nossa geração verá Jesus voltar e que até faremos parte dos 144.000 mencionados em Apocalipse 14.

Realmente será um privilégio ver Jesus e até mesmo fazer parte deste grupo seleto. Mas como será que deveremos estar neste momento glorioso? Qual deve ser nossa condição de vida no momento da volta de Cristo? Será que seremos contados entre os salvos na condição de mornidão laudiceana?

A última geração será composta por verdadeiros servos de Deus. O último chamado e a última mensagem de Deus para este mundo será dado de uma forma grandiosa por um povo que vive realmente como Seus filhos. Estes proclamarão, através de palavras e testemunho, o evangelho da libertação porque eles mesmos foram libertados pelo poder de Deus. Darão testemunho para os homens e para todo o universo o que a graça de Deus fez em suas vidas. A graça divina purificou-os completamente em um tempo de grandes dificuldades como nunca houve e permanecerão imaculados aguardando a volta de Jesus. Este testemunho será para a glória de Deus e esta glória iluminará a terra que estará mergulhada em meio às trevas do pecado e os servos do Senhor serão “como luzeiros no mundo”, refletindo o caráter de Cristo.

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

“Nesta última geração, a parábola do grão de mostarda deve alcançar notável e triunfante cumprimento. A pequena semente tornar-se-á uma árvore. A última mensagem de advertência e misericórdia deve ir “a toda nação, e tribo, e língua, e povo” (Apoc. 14:6), para “tomar deles um povo para o Seu nome” (Atos 15:14); e a Terra será iluminada por Sua glória. (Apoc. 18:1.)” Parábolas de Jesus, pág. 79

Que seja o desejo de cada um de nós fazer parte dessa última geração de salvos.

Maior esclarecimento deste assunto pode ser adquirido na apostila: A ÚLTIMA GERAÇÃO.

Deus seja para sempre louvado! 

Estamos retardando a volta de Jesus

PRIORIDADESEstamos vivendo em um mundo terrível e assustador. Violência, promiscuidade, doenças, desastres naturais, falta de amor e a morte fazem parte do nosso dia a dia sem necessidade de pedir licença para entrar. A cada dia que passa fica mais insuportável continuar vivendo nesse mundo de lutas e sofrimento. Não é fácil ver crianças morrendo com câncer, mães perdendo os filhos para as drogas e tantas outras coisas terríveis acontecendo. Queremos ver o fim de todo esse sofrimento e angústia.

A solução é a volta de Jesus urgente! Nosso Deus então estabelecerá uma nova Terra onde já não haverá mais lágrimas e mortes:

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse; Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou:Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” Apocalipse 21:1-5

Mas se a solução é a volta de Jesus por que Ele ainda não voltou?

  • ESTAMOS RETARDANDO A VOLTA DE JESUS.

Conheço um senhor que já deve ter uns 80 anos. Um dos primeiros adventistas da nossa cidade. Um senhor experiente, sofrido, cansado. Ficou viúvo não faz muito tempo e sua falecida esposa era uma cristã verdadeira. Este senhor deve sentir uma falta tremenda daquela companheira de tantos anos.

Outro dia eu estava na casa deste senhor  e ele estava me mostrando as medicações que toma diariamente. Estávamos conversando sobre sua falecida esposa, sobre as dificuldades do nosso mundo então falei da volta de Jesus como um conforto, como nossa esperança para o fim definitivo e total de todo sofrimento. Foi então que aquele senhor falou em um tom discreto de lamentação, quase reclamando para Deus a seguinte frase: “Está demorando demais.”

No fundo é isso que sentimos. Aqueles que desejam a volta de Jesus sentam que Ele está demorando demais.

Em uma carta enviada pelo presidente mundial da Igreja Adventista Do Sétimo Dia aos funcionários das instituições adventistas em 2010, encontramos uma declaração importante sobre a volta de Jesus:

“Confiamos no fato de que todo o Céu espera derramar o Espírito Santo, com poder infinito, para a conclusão da obra de Deus na terra. Reconhecemos que a vinda de Jesus tem sido atrasada e que era o anelo de nosso Senhor ter vindo há décadas atrás.”  Pr. Ted N. C. Wilson, presidente mundial da Igreja Adventista (Documento original foi votado no concílio Anual da Associação Geral em 11/10/2010)

Vimos que o próprio presidente mundial da Igreja Adventista admite que a volta de Jesus tem sido retardada e que  era o desejo do Senhor ter voltado há décadas atrás.

Vejamos a declaração da serva do Senhor ao deixar muito evidente o fato de que realmente a volta de Jesus tem sido retardada:

“Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo houvesse sido assim retardada. […]” Eventos Finais pág. 24

  • AS PROMESSAS DE DEUS SÃO CONDICIONAIS.

“Em suas mensagens aos homens, os anjos de Deus apresentam o tempo como sendo muito breve. (Rom. 13:11 e 12; I Cor. 7:29; I Tess. 4:15 e 17; Heb. 10:25; Tia. 5:8 e 9; I Ped. 4:7; Apoc. 22:6 e 7.) Assim me tem sempre sido apresentado. Verdade é que o tempo se tem prolongado além do que esperávamos nos primitivos dias desta mensagem. Nosso Salvador não apareceu tão breve como esperávamos. Falhou, porém, a Palavra de Deus? Absolutamente! Cumpre lembrar que as promessas e as ameaças de Deus são igualmente condicionais. (Jer. 18:7-10; Jon. 3:4-10.) …” Eventos Finais pág. 24

Uma vez que as promessas de Deus são condicionais precisamos identificar a condição ou condições que precisam ser cumpridas para que Jesus volte. É extremamente importante analisarmos os próximos textos escritos pela serva do Senhor:

”Houvessem os adventistas, depois do grande desapontamento de 1844, sustido firme sua fé e seguido avante unidos, segundo a providência de Deus lhes abria o caminho, recebendo a mensagem do terceiro anjo e no poder do Espírito Santo proclamando-a ao mundo, haveriam visto a salvação de Deus, o Senhor teria operado poderosamente com os esforços deles, a obra haveria sido concluída, e Cristo teria vindo antes para receber Seu povo para dar-lhe o seu galardão. … Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo houvesse sido assim retardada. … Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do Israel moderna na Canaã celestial. Em nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de pecado e dor por tantos anos. Evangelismo, págs. 695 e 696.” Eventos Finais pág. 24

“Houvesse a igreja de Cristo feito a obra que lhe era designada, como Ele ordenou, o mundo inteiro haveria sido antes advertido, e o Senhor Jesus teria vindo à Terra em poder e grande glória. O Desejado de Todas as Nações, pág. 634.” Eventos Finais pág. 24

“Talvez tenhamos de permanecer muitos anos mais neste mundo por causa de insubordinação, como aconteceu com os filhos de Israel; mas por amor de Cristo, Seu povo não deve acrescentar pecado a pecado, responsabilizando a Deus pela conseqüência de seu próprio procedimento errado. Evangelismo, págs. 695 e 696 Eventos Finais pág. 24-25.”

Temos a tendência de culparmos a Deus por tudo que acontece. Não entendendo o por quê de Jesus ainda não ter voltado, muitos O culpam por essa história de horror e sofrimento estar se prolongando por tantos anos. Não reconhecem que a culpa é NOSSA  e não de Deus:

“Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do Israel moderna na Canaã celestial. Em nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de pecado e dor por tantos anos. Evangelismo, págs. 695 e 696.” Eventos Finais pág. 24

Os responsáveis pelo retardamento da volta de Jesus somos nós mesmos e não Deus. Em reconhecimento desta verdade o presidente mundial da Igreja Adventista, Pr. Ted Wilson, fez a seguinte declaração na mesma carta citada anteriormente:

“Reconhecemos que nem sempre temos dado prioridade ao dever de buscar a Deus pela oração e em Sua Palavra pelo derramamento do poder do Espírito Santo na chuva Serôdia. Humildemente confessamos que, em nossa vida pessoal, em nossas práticas administrativas e nas reuniões das comissões, com frequência, temos agido com nossas próprias forças. Muitas vezes, a missão de Deus salvar o mundo perdido não tem ocupado o primeiro lugar em nosso coração. Às vezes, em nossa intensa busca por fazer boas coisas, temos negligenciado o mais importante: conhecê-Lo. Com frequência, ambições mesquinhas, inveja e relacionamentos pessoais fragilizados têm subjugado nosso anelo pelo reavivamento e pela reforma e nos levado a trabalhar em nossa força humana, em vez de na de Seu divino poder.” Pr. Ted N. C. Wilson, presidente mundial da Igreja Adventista (Documento original foi votado no concílio Anual da Associação Geral em 11/10/2010)

Vejamos também o apelo feito por este abençoado servo do Senhor:

“Arrependamo-nos de nossa indiferença, de nosso mundanismo e nossa falta de paixão por Cristo e Sua Missão. Sentimos que Cristo nos chama a um relacionamento profundo com Ele, mediante oração e estudo da bíblia, e a um mais ardente compromisso de transmitir Sua mensagem para os últimos dias ao mundo. Regozijamo-nos de que “é privilégio de todo cristão não somente aguardar, mais apressar a vinda do Salvador” (Atos dos Apóstolos, . 600). Pr. Ted N. C. Wilson, presidente mundial da Igreja Adventista (Documento original foi votado no concílio Anual da Associação Geral em 11/10/2010)

Este apelo descreve exatamente o que está faltando em nós e que nos faz retardar a volta de Jesus. Precisamos experimentar um arrependimento sincero, um cristianismo real, sem hipocrisia. Precisamos permitir que Jesus tome posse de todo o nosso coração. Precisamos permitir que a graça do Senhor nos transforme a tal ponto que o caráter de Cristo seja refletido perfeitamente em nós.

“Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter e Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. Parábolas de Jesus, pág. 69.” Eventos Finais pág. 25

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” 2 Pedro 3:9

Alguns julgam que a vinda de Jesus é demorada porque o Senhor está retardando Sua promessa. Na verdade o que está acontecendo é que o Senhor, por ser longânimo e por desejar que nenhum de nós se perca, espera pelo nosso arrependimento.

“A longa noite de trevas é probante, mas em misericórdia é adiada a manhã, porque se o Mestre viesse, quantos se achariam desapercebidos!” Testimonies, vol. 2, pág. 194.  Eventos Finais, pág. 24

Precisamos parar de atrasar a volta de Jesus e fazer exatamente o contrário, apressá-la. Podemos fazer isto pelo  poder de Deus ao nos entregarmos completamente ao Senhor.

“Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, pág. 69.”

“Dando o evangelho ao mundo, está em nosso poder apressar a volta de nosso Senhor. Não nos cabe apenas aguardar, mas apressar o dia de Deus. II Ped. 3:12.” O Desejado de Todas as Nações, págs. 633 e 634. (Eventos Finais, pág. 25)

  • Podemos contribuir para o fim desse mundo de sofrimento.

“Ele… pôs ao nosso alcance, mediante a cooperação com Ele, levar esta cena de miséria a termo.” Educação, pág. 264 (Eventos Finais, pág. 25)

Ao apressar a volta de Jesus estaremos apressando o fim deste mundo de sofrimento e dor. Isto também me tem motivado a trabalhar para o Senhor. Sempre que vejo coisas que me entristece, sinto-me motivado para o trabalho de pregação do evangelho para a libertação do pecado que nos enraíza neste mundo. Esta libertação  conduz-nos a um cristianismo real e autêntico, com homens e mulheres refletindo plenamente o caráter de Cristo, declarando estarem preparados e dignos para o encontro com o nosso Senhor Jesus Cristo.

  • A geração que encontrará com Jesus.

A última geração será composta por pessoas completamente consagradas ao Senhor e preparada para o encontro com Ele em breve. Queremos fazer parte deste grupo consagrado e liberto do pecado para iluminar a Terra refletindo o caráter de Cristo:

“Pela fé Enoque “foi trasladado para não ver a morte, … visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus”. Heb. 11:5. Em meio de um mundo condenado à destruição por sua iniqüidade, viveu Enoque uma vida de tão íntima comunhão com Deus que não lhe foi permitido cair sob o poder da morte. O caráter piedoso deste profeta representa o estado de santidade que deve ser alcançado por aqueles que hão de ser “comprados da Terra” (Apoc. 14:3), por ocasião do segundo advento de Cristo.” PP, pág. 88

“Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter e Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.” Parábolas de Jesus, pág. 69. (Eventos Finais, pág. 25)

Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro a fim de proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes.”  GC pág.612

“Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. Por essa razão, pois, amados, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis.”  2° Pedro 3:11-14

O Senhor deseja que busquemos O busquemos através de uma consagração real, para que assim possamos abreviar o fim deste mundo de sofrimento e a volta do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Que Deus seja para sempre louvado!

Iª João e a vitória sobre o pecado

busca

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” 1° João 1:8

“As ideias de perfeição e viver sem pecado foram tão combatidas que o próprio termo “combatidas” já deveria nos alertar quanto a atos e palavras que nada têm de cristãos. João não está negando a obra de Deus, que acabou de afirmar. A questão, no verso 8, tem a ver com a nossa afirmativa de que não temos pecado. Essa é uma mentira arrogante, baseada na autoconfiança de que tenhamos alcançado um estado no qual vivamos sem pecado, por nós mesmos. Isso transforma numa brincadeira o dom de Deus em Jesus Cristo.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 2, pág. 4

O texto acima citado deixa claro que as ideias de perfeição e viver sem pecado foram muito “combatidas.” Nada mudou desde 1997 quando este texto foi escrito e cada vez mais têm sido combatidas.

A lição da escola sabatina faz aplicação de 1ª João 1:8, quando pessoas tomadas de arrogância e baseadas em sua alto confiança, alegam ter alcançado um estado no qual estão vivendo sem pecado por suas próprias forças. É certo que esse tipo de atitude deve ser “combatido,” embora com base na experiência de Jesus Cristo em lidar com as pessoas, o termo mais apropriado aqui seria orientado com amor e não combatido.

Aqui, faz-se necessário alguns questionamentos:

  • O que dizer das pessoas que acreditam na perfeição de caráter e na possibilidade de viver sem pecar não por suas próprias forças, mas como o resultado da graça do Senhor que transforma e purifica? 
  • que dizer de pessoas que reconhecem que mesmo tendo obtido a perfeição de caráter e de estarem vivendo sem pecar, jamais pronunciarão de forma arrogante que são perfeitas e que já não estão pecando mais, porque elas mesmas não terão consciência de já terem obtido essa condição?
  • O que dizer  de pessoas que mesmo acreditando que é possível para o homem passar a viver sem pecar, reconhecem que os que alcançarem essa graça maravilhosa e sempre como o salmista, estarão fazendo a seguinte oração: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. Salmos 139:23-24?
  • O que dizer das pessoas que acreditam na possibilidade do homem passar a viver sem pecar pela graça de Deus, mas que também reconhecem que a possibilidade de pecar continuará existindo e que essa condição de estar vivendo sem pecar só será mantida enquanto o homem estiver mantendo um relacionamento íntimo e constante com Cristo?
  • Será que essas pessoas também precisam ser combatidas? Será que elas merecem serem chamadas de fanáticas, extremistas, perfeccionistas, hereges e outras coisas mais?

“Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” 1° João 1:10

“Como podemos fazer com que Deus seja visto como mentiroso?” 1° João 1:10

“Note como esse verso aparece na versão de Fhillips: “Se assumimos atitude de afirmar: ‘Não tenho pecado’, simplesmente negamos o diagnóstico de Deus quanto à nossa condição e nos isolamos de ouvir o que Ele tem a nos dizer”

“Mais do que isso, assumimos a mentira do diabo, que garantiu a Eva que ela não morreria como resultado do seu pecado, mas que se tornaria como Deus. O diabo sempre tentou representar Deus de acordo com uma natureza pecaminosa.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 2, pág. 6

Comentando este verso, a lição da escola sabatina destaca o fato de que quando afirmamos não termos cometidos pecados fazemos com que Deus seja visto como mentiroso. E isso é uma grande verdade, quando negamos que temos cometido pecados, fazemos com que o Senhor seja visto como mentiroso porque segundo a palavra de Deus todos os homens são pecadores. Rom. 5:12

O homem deve reconhecer e aceitar o “diagnóstico” de Deus, aceitar que é pecador, escravo do pecado para que possa então aceitar ao Senhor como seu libertador.

Agora gostaria que os irmãos analisassem com muito carinho o seguinte argumento:

Uma vez que segundo a palavra de Deus o Senhor é capaz de libertar e curar o homem plenamente, prova disso são os textos seguintes,

  • “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados de coração e proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1
  • “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32
  • “Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” Isa. 58:8.

Negar o fato de que o Senhor pode libertar o homem da escravidão do pecado, lhe dando condições para que ele passe a viver sem pecar, esta também não é uma forma de afirmar que o Senhor é mentiroso?

“Quem subsistirá no tempo de angústia? Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação […] Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.” O Grande Conflito, pág. 623.

“É requerida obediência exata, e os que dizem não ser possível levar uma vida perfeita, lançam sobre Deus a acusação de injustiça e falsidade.” Reimpressões de Review and Herald, vol. 6, pág. 519; ver também Review and Herald, 7 de fevereiro de 1957, pág. 30.

Agora veremos três versos importantíssimos de Iª João:

  • “Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1° João 3:6;
  • “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.”1° João 3:9;
  • “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18.

Não existem contradições entre Iª João 1:8 e 10 Iª João 3:6, 3:9, 5:18. Estes versos não se contradizem, mas se completam:

  • Iª João 1:8 e 10 representam a condição que o homem deve reconhecer para que possa aceitar ao Senhor como seu salvador;
  • Iª João 3:6, 3:9, 5:18, retratam a condição de vida sem o pecado que o homem terá enquanto Jesus Cristo estiver reinando no seu coração.

“Qual o resultado da salvação?”

“Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1° João 3:6

“Não é necessário questionar se João está falando de determinado pecado ou do pecado em geral. Todo pecado  procede do diabo (1° João 4:8). Enquanto permitirmos que o Espírito Santo atue em nossa mente, Ele nos livrará de pecar. ‘É possível ser sarado enquanto se está conscientemente cometendo pecado? Não; é a fé genuína que diz: Sei que tenho cometido pecado, mas que Jesus me perdoou; e daqui em diante resistirei à tentação em Sua força e por Sua força.’ ‘Qualquer que nEle tem esta esperança [permanece nEle] purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.’ Tem em sua alma um princípio permanente, que o abilita a vencer a tentação. Qualquer que permanece nEle não peca.’ Deus tem poder para a alma que está em Cristo, quando essa alma se acha sob tentação.’” Ellen G. White, Filhos e Filhas de Deus, MM 1956, pág. 297.

“Você não pode sucumbir aos desejos da natureza pecaminosa e ainda dizer que permanece unido a Jesus. Jesus não está dizendo que o cristão jamais peca,  mas que o pecado sempre será considerado pelo cristão como separação de Deus.  O compromisso não é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” (1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 6, pág. 4

Este texto é fantástico! Está claro que: “Enquanto permitirmos que o Espírito Santo atue em nossa mente, Ele nos livrará de pecar.”

Uma observação importantíssima sobre a última frase deste texto da lição da escola sabatina:

O compromisso não é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” (1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.”

O homem não pode deixar de firmar um compromisso ou sentir o desejo de, no poder de Deus não pecar mais, simplesmente porque ele tem a Jesus como seu advogado. Isso seria o homem sentir-se livre para pecar devido o fato de ter um advogado. O correto seria:  O compromisso é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” ( 1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.”

O próprio texto da lição da escola sabatina deixa claro que, aquele que tem a fé genuína, firma o compromisso de no poder de Deus não pecar mais:

“É possível ser sarado enquanto se está conscientemente cometendo pecado? Não; é a fé genuína que diz: Sei que tenho cometido pecado, mas que Jesus me perdoou; e daqui em diante resistirei à tentação em Sua força e por Sua força.”

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1° João 3:9

“Havendo mostrado o sublime privilégio dos cristãos, o apóstolo volve-se rapidamente para a consequência de sermos filhos de Deus. “Todo aquele que permanece nEle não vive pecando” (1° João 3:6). Integridade moral e espiritual não é uma simples opção na vida cristã. Um estilo de vida santificado é a indicação de que a pessoa é filho de Deus. Do contrário, não faz sentido afirmar que Jesus “Se manifestou para tirar os pecados, e nEle não existe pecado” (verso 5).

O apóstolo nos provê uma teologia do pecado em apenas em alguns versos. O pecado é algo muito grave. Ele nos diz o que é pecado: “a transgressão da lei” (1° João 3:4); “ilegalidade” (RSV). Ele nos diz como se originou o pecado: “o diabo vive pecando desde o princípio” (verso 8). Ele nos diz como o pecado é desfeito: Jesus “Se manifestou para tirar os pecados” (verso 5). Ele diz que devemos estar conscientes dos perigos do pecado: “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém” (verso 7). Ele nos diz que pecar é negar a Jesus (verso 6) e tornar-se “filho do diabo” (verso 10).

O que nossa lição ensina é como o pecado e a justiça, como ser filhos das trevas e filhos de Deus são questões diametralmente opostas. O ponto debatido tem que ver com fé e estilo de vida. Em quem devemos crer? De acordo com quem ser moldado a vida? A resposta cristã é clara: o Filho de Deus, que apareceu “para destruir as obras do diabo” (1° João 3:8). E o dever dos cristãos também é claro: “Aqueles que têm essa esperança em Cristo”, aguardando Sua volta, “purificam-se a si mesmos, assim como Cristo é puro” (verso 3, BLH).

Pureza envolve libertação do pecado. “Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado; pois a natureza de Deus permanece nele, e ele não pode pecar porque é nascido de Deus.” (verso 9, RSV). João não estava ensinando que é impossível que os crentes nascidos de novo escolham pecar (ver 1° João 2:1). O que o apóstolo estava ensinando era que enquanto o Espírito Santo reina na mente e no coração, o pecado não pode penetrar ali. O Espírito concede libertação do cativeiro do pecado, de modo que ninguém possa alegar que é cristão e continuar pecando. A direção é mudada:do pecado para justiça, das trevas para luz, deste mundo para o mundo por vir, de filhos do diabo para filhos de Deus. A suprema evidência de que se é filho de Deus consiste em ser semelhante a Ele.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 6, pág. 4A

 “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

“A realidade da vitória sobre o pecado. A certeza cristã tem que ver com a libertação do poder do pecado: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado” (1° João 5:18). Aqui  não é insinuado que o crente não pode cair ou fracassar. Essa questão já foi resolvida em 1° João 2:1. O que é dito aí é que os crentes, enquanto forem dominados pelo Espírito Santo, não irão pecar. Jesus, “Aquele que nasceu de Deus”, livra-os de cair. Ele efetua isso pelo poder do Seu Santo Espírito. Eles não serão escravos do pecado, não viverão sem ajuda sob o poder do pecado, não amarão o pecado e terão vitória pelo poder da habitação do Espírito Santo em seu íntimo. Os cristãos que nasceram de novo escaparam da escravidão do pecado (Rom. 6:14; 8:1 e 2). Eles são agora “escravos da justiça” (Rom. 6:18). O poder de Cristo guarda-os de continuarem no pecado. Jesus é nossa vitória. E não temos substituto; daí a advertência final: “Guardai-vos dos ídolos” (1° João 5:21)” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 11, pág. 4A

Na primeira epístola de João encontramos uma mensagem poderosa de vitória sobre o pecado mediante o poder de Deus. Precisamos aceitar a dura realidade de que somos escravos do pecado, mas também precisamos aceitar que Cristo pode nos libertar dessa escravidão para que possamos viver como verdadeiros filhos de Deus.

“Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio, Para isto, se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.” 1° João 3:8

“Sabeis também que Ele se manifestou para tirar os pecados, e nEle não existe pecado.” 1° João 3:5

No poder de Deus somos chamados:

  • Para sermos puros como Jesus é puro – “Todo aquele que nEle tem essa esperança torna-se puro, como Ele é puro” 1° João 3:3
  • Vivermos como Jesus viveu – “Aquele que afirma permanecer nEle deve também viver como Ele viveu.” 1° João 2:6
  • Sermos justos como Jesus é justo – “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo.” 1° João 3:7

“Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai.” Ellen G. White, Caminho a Cristo, pág. 61

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

Que o nosso maravilhoso Deus seja eternamente louvado!

Santificados e Humildes

1“Segue a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” Hebreus 12:14

O Senhor nos chama para uma vida santificada. No poder do Senhor e somente nEle, poderemos ser mais que vencedores sobre todas as tentações, sobre todos nossos defeitos de caráter herdados ou cultivados. “O sangue de Jesus, Seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1° João 1:7

Se realmente almejamos a salvação temos que ter como objetivo a perfeição de caráter, uma vida completamente livre da escravidão do pecado. No poder do Senhor Espírito Santo isso é possível.

“A santificação não é obra de um momento, uma hora, ou um dia. É um contínuo crescimento na graça. Não sabemos um dia qual será nossa luta no dia seguinte. Satanás vive e está ativo, e precisamos cada dia clamar fervorosamente a Deus por auxílio e força para resistir-lhe. Enquanto Satanás reinar, teremos de subjugar o próprio eu, teremos assaltos a vencer, e não há lugar de parada, nenhum ponto a que possamos chegar e dizer que atingimos plenamente. [ …] A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus coloca-Se como refinador e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação.”     Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 112-114.; Maranata O Senhor Vem pág. 87

Agora, será que nessa busca por perfeição de caráter não existe o perigo de que alguns se tornem arrogantes, fanáticos, se sentindo superiores aos demais irmãos?

Sim, claro que existe essa possibilidade e de fato isso acontecerá. Satanás sempre procurou usar pessoas fanáticas, extremistas para confundir as pessoas sinceras e atrapalhar a obra do Senhor. É nosso objetivo aqui destacar como será o comportamento daqueles que realmente foram santificados pelo Senhor.

Será que os verdadeiros filhos de Deus, santificados, dirão de forma arrogante que são perfeitos? Dirão que estão vivendo sem pecar e se sentindo superiores? Será que esses santos do Senhor, por estarem vivendo completamente livres do pecado, sentirão que não necessitam mais do Senhor?

É bom deixar bem claro que aqueles que realmente foram santificados pelo Senhor jamais dirão de uma forma arrogante que são perfeitos, que estão vivendo sem pecar. Por estarem contemplando a Jesus sempre estarão buscando mais do Seu amor e de sua pureza, sempre terão uma opinião humilde a respeito de si mesmo. Mesmo que esses servos do Senhor estejam vivendo sem pecar ou mesmo que eles tenham alcançado a perfeição de caráter, eles não perceberão que esse nível de santidade já terá se tornado uma realidade na vida deles, isso será para eles “imperceptível”. Assim afirma Ellen White, a serva do Senhor:

“É o Espírito Santo, o Consolador, que Jesus disse que havia de mandar ao mundo, que nos muda o caráter à imagem de Cristo; e quando isto é efetuado, refletimos como em um espelho a glória do Senhor. Isto é, o caráter daquele que assim contempla a Cristo é-Lhe tão semelhante, que quem o olha vê o próprio caráter de Cristo a refletir-se como de um espelho. De maneira imperceptível para nós mesmos, somos transformados de dia em dia, de nossa própria maneira de ser e vontade, para os modos e a vontade de Cristo, para a beleza de Seu caráter. Assim crescemos à estatura de Cristo e, inconscientemente, refletimos-Lhe a imagem. Review and Herald, 28 de abril de 1891.” Nossa Alta Vocação pág. 56

“É nosso privilégio, por meio de diligente estudo da Palavra, aprender em que ponto não estamos revelando os princípios dessa Palavra em nossa vida diária. E quando o espelho nos revela os nossos defeitos, devemos com fervorosa oração e fé procurar removê-los e estar à altura do padrão que nos é dado. Ao nos esforçarmos por alcançar a perfeição que Deus deseja para nós, de maneira imperceptível a nós a imagem de Deus será revelada em palavras, obras e espírito. O humano será moldado pelo divino. Carta 300, 1907.” Este Dia Com Deus pág. 179

O apóstolo Paulo é um exemplo de como se comportará os santificados no Senhor, vejamos o que a serva do Senhor escreveu a seu respeito.

 “O apóstolo Paulo havia sido arrebatado até o terceiro Céu, e tinha visto e ouvido coisas que não poderiam ser proferidas; contudo, sua humilde afirmação é: “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo.” Filip. 3:12. Que os anjos do Céu escrevam as vitórias de Paulo ao combater o bom combate da fé. Que o Céu se rejubile em sua marcha firme rumo do Céu e que, ao manter ele em vista o prêmio, considere tudo o mais como escória. Os anjos se regozijam ao contar seus triunfos, mas Paulo mesmo não se vangloria de suas conquistas. A atitude de Paulo é a atitude que cada seguidor de Cristo deveria tomar ao prosseguir na luta pela coroa imortal.” Atos Dos Apóstolos pág. 562

Vejamos outro texto bastante esclarecedor:

“Desejo dizer a todos aqueles a quem foi revelada a glória de Deus: “Nunca tereis a menor propensão para afirmar: ‘Sou santo, estou santificado.'” Depois de minha primeira visão da glória, eu não pude discernir a luz mais brilhante. Pensaram que minha vista estava perdida; mas, quando tornei a acostumar-me com as coisas deste mundo, pude ver outra vez. É por isso que eu vos digo que nunca deveis gabar-vos, afirmando: “Sou santo, estou santificado”, pois isso constitui a mais segura evidência de que não conheceis as Escrituras nem o poder de Deus. Deixai que Deus o escreva em Seus livros, se quiser fazê-lo, mas vós nunca o deveis dizer. Eu nunca ousei dizer: “Sou santa, sou sem pecado”, mas procuro fazer de todo o meu coração o que acho ser a vontade de Deus, e tenho a doce paz de Deus em minha alma. Posso confiar o cuidado de minha alma a Deus, como a um fiel Criador, e sei que Ele guardará o que foi entregue aos Seus cuidados. A minha comida e bebida é fazer a vontade do meu Mestre.” Mensagens Escolhidas vol. 3 pág. 355

Um ponto também muito importante é esclarecer o fato que os verdadeiros filhos de Deus nunca dirão ou sentirão que não mais necessitam do Senhor. Eles jamais esquecerão o que nosso salvador nos disse: “Eu Sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” João 15:5

Esta sempre será uma oração daqueles que realmente foram santificados pelo Senhor:  “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Sal. 139:23 e 24.

“O poder de uma vida mais alta, mais pura e mais nobre é nossa grande necessidade. O mundo tem ocupado demais os nossos pensamentos, e o reino de Deus muito pouco. Em Seus esforços para alcançar o ideal de Deus para si, o cristão não deve desesperar de coisa alguma. A perfeição moral e espiritual mediante a graça e o poder de Cristo é prometida a todos. Jesus é a fonte de poder, a origem da vida. Ele nos leva a Sua Palavra, e da árvore da vida nos apresenta as folhas para a saúde de almas enfermas de pecado. Ele nos leva ao trono de Deus, e põe em nossa boca uma oração pela qual somos levados a íntimo contato com Ele próprio. Em nosso benefício põe em operação os instrumentos todo-poderosos do Céu. Em cada passo tocamos Seu vivo poder.” Atos Dos Apóstolos pág. 478

O Senhor nos ordena: “Portanto, sede perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48

Devemos ter sempre em mente: “Tudo posso naquele que me fortalece.” Fil. 4:13

Os salvos pelo poder do Senhor estarão vivendo de forma irrepreensível quando Jesus voltar: “O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.” 1° Tess. 5:23

O Senhor deseja nos transformar e nos purificar completamente para nossa salvação. Entreguemos-nos a Deus para que Ele possa viver e reinar em nosso coração: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Apocalipse 3:20

Que o nosso maravilhoso Deus seja louvado!!!