Archive for the ‘Pecadeiros’ Tag

Agir como os bereanos

biblia

“Estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a Palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. De sorte que creram muitos deles, e também mulheres gregas da classe nobre, e não poucos varões.” Atos 17:11 e 12.

Os bereanos foram elogiados pelo apóstolo Paulo pelo fato deles, após receberem informações ou orientações deste apóstolo, recorriam à palavra de Deus e então verificavam se o que ouviram estavam em harmonia com a palavra de Deus.

Temos alguns estudos bíblicos onde citamos os bereanos como exemplo a serem seguido. Ensinamos que o nosso mestre maior é nosso Senhor Jesus Cristo e que todos devem verificar na bíblia se as informações que estão recebendo estão de acordo com a palavra de Deus. Ensinamos que devemos agir como os bereanos agiam.

  • Os adventistas também devem fazer como os bereanos

É bom lembrar que esse exemplo dos bereanos deve ser seguido também por nós adventistas. Veremos a seguir um texto onde a serva do Senhor nos dá um precioso conselho:

“Satanás se esforça constantemente por atrair a atenção para o homem, em lugar de Deus. Induz o povo a olhar para os bispos, pastores, professores de teologia, como seus guias, em vez de examinarem as Escrituras a fim de, por si mesmos, aprenderem seu dever. Então, dominando o espírito desses dirigentes, pode influenciar as multidões de acordo com sua vontade.” Grande Conflito, pág. 595

Vejamos também um interessante artigo da revista adventista comentando a necessidade de cada crente “examinar por si mesmo” a Palavra de Deus:

“A igreja adventista nasceu como movimento de ruptura com a tradição, com a vontade particular e com todas as demais fontes externas que se sobrepunham às Escrituras como a Palavra viva de Deus. Essa igreja prega a necessidade de uma experiência individual de cada crente com a palavra. Não basta que se aprenda acerca de Deus na igreja, com os pastores e lendo livros. Cada crente precisa aprender por si mesmo a vontade de Deus, por meio de Sua Palavra. De acordo com Ellen White, é estratégia de Satanás levar os crentes “a olhar para os bispos, pastores, professores de teologia, como seus guias, em vez de examinarem as Escrituras a fim de, por si mesmos, aprenderem seu dever.” Nesse capítulo do livro, ela usa as expressões “por si mesmo” e “por nós mesmos” diversas vezes, enfatizando a experiência individual com a palavra de Deus como sendo indispensável e insubstituível. Essa experiência não é emocional nem formal. É viva, direta, inteligente e transformadora. Enquanto estuda as Escrituras, o crente não busca apenas uma experiência emocional que o faça se sentir feliz e  confiante,  confortado e tocado nos sentimentos. Em vez disso, essa experiência o envolve como um todo indivisível, incluindo o intelecto, que deve ser esclarecido e instruído com a verdade revelada.” Revista Ministério,  nov/dez 2011, “As Escrituras e o reavivamento”, pág. 20

  • Um bom motivo para seguirmos o exemplo dos bereanos

Fazendo uma análise da atitude dos bereanos, vemos que não é pecado conferir ou discordar das palavras que não estão de acordo com o evangelho eterno. Paulo sendo considerado um servo de Deus e suas atitudes e palavras assim demonstravam, elogiou a postura deles ao conferirem na bíblia o que havia pregado. A serva do Senhor descreveu assim os bereanos:

“A mente dos bereanos não se achava limitada pelo preconceito. Estavam dispostos a pesquisar a veracidade das doutrinas pregadas pelos apóstolos. Estudavam a Bíblia, não por curiosidade, mas para que pudessem aprender o que havia sido escrito a respeito do Messias prometido. Diariamente examinavam os relatos inspirados; e ao compararem texto com texto, anjos celestiais se colocavam ao lado deles, iluminando-lhes a mente e impressionando-lhes o coração. Onde quer que as verdades do evangelho sejam proclamadas, os que honestamente desejam proceder com retidão serão levados a exame diligente das Escrituras. Se nas cenas finais da história da Terra, aqueles a quem são proclamadas verdades decisivas seguissem o exemplo dos bereanos, examinando diariamente as Escrituras, e comparando com a Palavra de Deus as mensagens a eles levadas, haveria hoje em dia grande número de pessoas leais aos preceitos da lei de Deus, onde agora existem relativamente poucos. Mas quando são apresentadas verdades bíblicas impopulares, muitos se recusam a pesquisá-las. Embora incapazes de refutar os claros ensinos da Escritura, manifestam extrema relutância em estudar as evidências oferecidas. Alguns presumem que mesmo sendo essas doutrinas verdades incontestes, pouco importa aceitarem ou não a nova luz; e apegam-se a fábulas agradáveis usadas pelo inimigo para desviar as almas. Assim são suas mentes cegadas pelo erro, e eles ficam separados do Céu. Todos serão julgados de acordo com a luz que tem sido dada. O Senhor envia Seus embaixadores com a mensagem de salvação, e aos que ouvem Ele faz responsáveis pela maneira por que tratam as palavras de Seus servos. Os que sinceramente buscam a verdade pesquisarão cuidadosamente, à luz da Palavra de Deus, as doutrinas a eles apresentadas.” Atos dos Apóstolos, pág. 231-232

Não queremos desmerecer ou desrespeitar os servos ou ungidos do Senhor, que prontamente se entregam ao privilégio e responsabilidade de dividir o pão espiritual na casa de Deus. Também devemos lembrar que Jesus profetizou sobre os “falsos profetas” e Ele mesmo deu o conselho: “examinai as escrituras”. Não devemos confiar apenas nas pessoas “boas e superiores” e negligenciar o estudo por nós mesmos da palavra de Deus. Não devemos, neste tempo do fim, colocar nossa salvação nos conhecimentos humanos, mas devemos buscá-la na fonte. O texto a seguir nos chama atenção para algumas características de extrema importância:

“Grandes homens e mulheres, bem como pessoas professamente boas, podem realizar terríveis atos em seu preconceito e posição de exaltação própria, lisonjeando-se por estarem prestando um serviço a Deus. De nada resolve confiar neles. A verdade, a verdade bíblica, é o que vocês e eu queremos a todo custo. Como os nobres bereanos, desejamos esquadrinhar as Escrituras diariamente com fervorosa oração, para saber o que é a verdade e depois obedecer-lhe a qualquer custo, sem referência a pessoas superiores ou boas. Se a verdade está na Bíblia, podemos encontrá-la ali, assim como os grandes e bons da Terra. Minha prece é que Deus nos ajude a ser sábios para a salvação.”Carta 35b, 1877. Cristo Triunfante, MM 2002, pág. 77

Devemos realmente compreender e aceitar a necessidade de examinarmos a bíblia por nós mesmos guiados pelo nosso Senhor Espírito Santo. Muitos irmãos não tendo o gosto pela leitura da palavra de Deus estão aceitando ensinamentos que não estão em harmonia com a palavra de Deus. Alguns irmãos estudam a bíblia mas rejeitam as verdades reveladas claramente pela palavra de Deus que desmascaram as mentiras pregadas pelos pregadores populares.  Nós não podemos deixar de ser o povo que segue o “assim diz o Senhor” para ser o povo que segue o “assim diz o pastor”ou “assim diz o doutor”.  Devemos rejeitar todo ensinamento que não estiver fundamentado na palavra de Deus  mesmo que esse ensinamento venha de um “pastor famoso” ou de um “doutor.”

Existe em nossos dias pregadores que estão pregando o que as pessoas querem ouvir e não o que elas precisam ouvir. Com esse tipo de pregação eles continuam famosos e também conduzindo os ouvintes, que não se comportam como os bereanos, para a perdição eterna.

Pregadores que “só realça o amor de Deus pelo pecador” e que assim os induz ao pensamento que nós poderemos obter a salvação mesmo tendo ainda alguns pecados não confessados e não abandonados. 

O que não podemos é ser pecadeiros” é o que muitos estão dizendo. Se tornou um jargão famoso em nosso meio para justificar nossa conduta de pecadores ocasionais. Será que o pecado ocasional não leva também o homem para a perdição?

Outro dia alguém muito conceituado na igreja me mandou uma mensagem na qual ele afirma que Cristo nos salvará da presença do pecado somente na glorificação. Será isso realmente verdade? Será realmente que o homem que ainda estiver com algum pecado não abandonado no momento em que Jesus estiver voltando poderá mesmo assim ser salvo?

Para encontrar respostas para essas indagações devemos com oração obedecer ao conselho do nosso mestre e salvador Jesus Cristo.

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.” João 5:39

Devemos orar e estudar muito para que não sejamos crentes e propagadores de uma “religião piegas” como se refere a Serva do Senhor:

“Há esperança para cada um de nós, mas de uma só maneira – apegando-nos a Cristo e empregando toda energia para obter a perfeição de Seu caráter. Essa religião piegas que faz pouco do pecado, e só realça o amor de Deus pelo pecador, encoraja os pecadores a crer que Deus os salvará enquanto continuarem no pecado, sabendo que é pecado. É isso que estão fazendo muitos que professam crer na verdade presente.” Cristo Triunfante, MM 2002, pág. 80

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” Mateus 1:21

“Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. […] O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” I° Tessalonicenses 5:4-6 e 23

Deus seja para sempre louvado!

Nosso principal objetivo

1Todos os homens precisam admitir que são pecadores, esta é nossa realidade. Então quando um homem admite ser pecador, porque todos nós somos, seu principal objetivo não deve ser descobrir se é um pecador habitual ou ocasional, se tem ou não o pecado como estilo de vida, se peca muito ou pouco, tentando na verdade se convencer que tem poucos pecados para então se acomodar com o sentimento que poucos pecados é tolerável, se baseando em uma falsa teologia para manter essa tolerância de um estilo de vida com “poucos” pecados. Alguns não somente toleram esse estilo de vida como também se orgulham se sentindo autênticos cristãos, imaginando talvez que uma vida com “poucos” pecados é o máximo que um cristão pode conseguir enquanto estiver neste mundo.

O principal objetivo do homem, ao admitir ser pecador, é descobrir como ficar completamente livre do pecado. Este é o desejo do Senhor para o homem.

“Todo aquele que permanece Nele não vive pecando, todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1 João 3:6

Temos encontrado algumas interpretações estranhas para este texto bíblico. Procuramos de todas as maneiras encontrar desculpas para justificar nossa permanência no pecado. O termo “pecadeiros” tem sido usado constantemente afirmando que, quando o apóstolo João afirma que não podemos permanecer pecando, ele está dizendo que não podemos ser “pecadeiros”, ou seja, não podemos ter o pecado como estilo de vida ou ser pecadores habituais.

Mas será está uma interpretação confiável? O que dizer dos pecados ocasionais? Será que o Senhor os ignora? Não seria estes pecados ocasionais um sinal de que algo dentro de nós ainda precisa ser mudado?

Você já tentou estabelecer uma diferença entre o pecador habitual e o pecador ocasional e analisar a condição destes dois tipos de pecadores? É algo bastante estranho.

Exemplos: Falar mal dos outros todos os dias, pecador habitual. Falar mal dos outros de vez em quando, pecador ocasional. Roubar todas as semanas, pecador habitual. Roubar de vez em quando, pecador ocasional.

Uma grande verdade precisa ser lembrada: pecado é pecado, pecador habitual, pecador ocasional, ambos estão caminhando para a morte.

Cremos que os Adventistas Do Sétimo Dia deveriam ter como princípio a sua opinião baseada e fundamentada na Bíblia e no Espírito de profecia. Vejamos o que a serva do Senhor, Ellen G. White, escreveu sobre 1 João 3:6: 

“Não ganhamos a salvação por nossa obediência; pois a salvação é dom gratuito de Deus, e que obtemos pela fé. Mas a obediência é fruto da fé. “Bem sabeis que Ele Se manifestou para tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado. Qualquer que permanece nEle não peca: qualquer que peca não O viu nem O conheceu”. I João 3:5 e 6. Aí é que está a verdadeira prova. Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai. A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo pág. 61-62.

A serva do Senhor não deixa margem para algum tipo de interpretação que tolere o pecado, habitual ou ocasional, e afirma  que a vida que devemos ter é “exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça.” Esta continua sendo a condição para nossa salvação e será pelo poder de Deus que os salvos alcançarão este objetivo.

“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.”Rom. 6:12-14

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1 João 3:9

 A Lição da Escola Sabatina do 4° trim. 1990 – A Carta aos Romanos, comentando estes textos bíblicos deixa claro que, no coração em que Cristo reina, não existe espaço para o pecado, seja habitual ou ocasional. “Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.”

“O pecado permanece na vida, se não reina mais nela?” Rom. 6:12-14

“Nossa natureza humana decaída certamente continua tendo propensões para o mal. Mas esse “eu” decaído é subjugado diariamente pelo poder de Cristo em nosso íntimo. (Ver Gál. 2:20.) Em Rom. 6:12, Paulo está falando sobre o perigo de ceder aos impulsos de nossa natureza humana decaída. Quando fazemos isso, o pecado reina em nosso corpo. Quando Cristo reina na vida, o pecado não poderá fazê-lo.

João enfatizou a mesma verdade. (Ver 1 S. João3:8-9.) Ele não ensinou que, embora o pecado habitual seja do diabo, o pecado ocasional é permissível. Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.

“Vencer como Cristo venceu. Apegar-se-á o homem ao poder divino, resistindo a Satanás com determinação e perseverança, como Cristo lhe deu exemplo em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação?Deus não pode salvar o homem contra a sua vontade do poder dos ardis de Satanás. O homem precisa utilizar seu poder humano, ajudado pelo divino poder de Cristo, para resistir e vencer, custe o que custar. Em suma, o homem precisa vencer como Cristo venceu.” – Testimonies, vol. 4, pág. 32-33” (Lição da Escola Sabatina 4° trim. 1990 A Carta aos Romanos pág. 74)

Vimos que na lição da escola sabatina tanto o pecado habitual como o ocasional não deve ser tolerado e a serva do Senhor afirma que precisamos vencer “como Cristo venceu.” A possibilidade de pecar continuará existindo, continuaremos sendo susceptíveis ao pecado, mas enquanto Cristo estiver realmente reinando no coração, não pecaremos, seja de forma habitual ou ocasional.

Esta é uma verdade que precisamos enfrentar. Este deve ser o nosso propósito, nosso alvo: eliminar da nossa vida completamente o pecado, habitual ou ocasional. A última geração será composta por servos de Deus que foram transformados pelo Senhor Espírito Santo e obtiveram completa vitória sobre o pecado. Que o Senhor nos ajude e nos transforme.

Para esclarecer melhor pensemos nesta estória: uma pessoa que descobre que é portadora do vírus HIV. Imaginemos que sua  primeira pergunta ao médico foi: “Então doutor eu tenho muitos ou poucos vírus?” Então o médico responde: “Bom, a doença está em sua fase inicial.” Seria ridículo se a pessoa doente interpretasse a resposta do médico como sendo uma afirmação de que ela ainda esta com poucos vírus e se acomodasse, não procurando se tratar e eliminar completamente esta doença do seu organismo. O que aconteceria com esta pessoa? A doença aumentaria, a quantidade de vírus se multiplicaria levando essa pessoa a morte. O que torna uma pessoa aidética é o fato de possuir o vírus HIV, não importando a quantidade. Muitos vírus, poucos vírus, até mesmo um vírus será fatal se o seu portador não for tratado.

O mesmo acontece com o pecado. Apenas um pecado contamina toda a alma:

“Se um pecado é nutrido na alma, ou uma prática errônea conservada na vida, todo o ser é contaminado. O homem torna-se instrumento de injustiça.” DTN, pág. 313

“Qualquer hábito ou prática conducente ao pecado, capaz de trazer desonra sobre Cristo, convém ser posto de lado, seja qual for o sacrifício. Aquilo que desonra a Deus, não pode ser benéfico à alma. A bênção do Céu não pode seguir qualquer homem no violar os eternos princípios do direito. E um pecado alimentado é suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” DTN, pág. 439

Vimos que um pecado se não for eliminado é “suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” Então concluímos que assim como uma pessoa que tem AIDS  de lutar pela eliminação do vírus em seu organismo, nós também devemos lutar pela eliminação completa do pecado em nossa vida. Devemos dar graças a Deus porque a eliminação do pecado de forma plena é possível através do sangue de Jesus.

“Se, porem, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7

“Ponde a vontade do lado de Cristo. Desejai servi-Lo e, agindo sobre Sua Palavra, recebereis força. Seja qual for a má prática, a dominante paixão que, devido à longa condescendência, acorrenta alma e corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. Comunica vida à alma morta em ofensas. Efés. 2:1. Porá em liberdade o cativo preso pela fraqueza, o infortúnio e as cadeias do pecado.” DTN, pág. 203

Certa vez perguntei a um irmão o que ele pensava sobre a possibilidade de perfeição de caráter, passar a viver sem pecar. Este irmão pensou e então respondeu que acreditava ser possível chegar bem perto da perfeição, quase perfeito, uma vida quase sem pecado. Bom este irmão foi sincero e é isso que a maioria pensa. E assim como este irmão, a grande maioria acredita que perfeição de caráter e passar a viver sem pecar é impossível. Algum detalhe, algum pequeno detalhe impediria a plena perfeição.

Vejamos o que a serva do Senhor diz sobre aqueles que não renunciaram “completamente” a seus maus hábitos, cristãos quase perfeitos, uma vida quase sem pecados.

“Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam, porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.” Parábolas de Jesus pág. 118

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e aumente nossa fé. Este é um assunto é essencial e extremamente importante para nossa salvação. Precisamos buscar a plena libertação do pecado para nossa vida e também para que possamos ser mensageiros do Senhor, levando a todos que estão escravizados pelo pecado, esta mensagem maravilhosa, de libertação plena do pecado que o Senhor esta nos oferecendo.

“Quando alguém se volta da imperfeição humana para contemplar a Jesus, dá-se uma divina transformação no caráter. O Espírito de Cristo que opera no coração conforma-o a Sua imagem. Seja pois vosso esforço exaltar a Jesus. Que os olhos do espírito se dirijam ao “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João 1:29. Empenhando-vos nesta obra, lembrai-vos de que “aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados”. Tia. 5:20.” Parábolas de Jesus pág. 250-251

Jesus é o nosso libertador! Falemos a todos que não precisamos mais viver como escravos do pecado.

“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar as boas novas aos quebrantados aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1

NOSSO GRANDE DEUS É REALMENTE MARAVILHOSO!!!

 QUE O SENHOR SEJA LOUVADO HOJE E SEMPRE!!!

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150