Archive for the ‘pecado’ Tag

Uma doença chamada pecado

Jesus Cura“Por perto e por longe encontram-se almas vergadas ao peso de um sentimento de culpa. Não são as penas, as labutas, a pobreza que degradam a humanidade. É a culpa, o mau proceder. Isso traz desassossego e descontentamento. Cristo quer que Seus servos ajudem as almas enfermas de pecado.” DTN, pág. 822

“Como um meio de vencer preconceitos e conseguir acesso às mentes, a obra médico-missionária precisa ser feita, não em um ou dois lugares apenas, mas em muitos lugares onde a verdade ainda não foi proclamada. Cumpre-nos trabalhar como médico-missionários evangélicos para curar as almas enfermas de pecado, dando-lhes a mensagem de salvação. Esta obra derrubará preconceitos como nenhuma outra coisa o pode fazer. Testimonies, vol. 9, pág. 211.; Evangelismo pág. 515 

“Pondo a mão sobre o doente, porém, Jesus não sofreu nenhuma contaminação. Seu contato comunicou poder vitalizante. Foi purificada a lepra. O mesmo se dá quanto à lepra do pecado – profundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano. “Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres.” Isa. 1:5 e 6. Mas Jesus, vindo habitar na humanidade, não recebe nenhuma contaminação. Sua presença tem virtude que cura o pecador. Quem quer que Lhe caia de joelhos aos pés, dizendo com fé: “Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo”, ouvirá a resposta: “Quero: sê limpo.” Mat. 8:2 e 3” DTN, pág. 266

Nestes textos vemos claramente que estamos com uma terrível doença, nossa enfermidade é o pecado: “Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres.” Isa. 1:5.

Vejam que a serva do Senhor compara esta doença com uma lepra que esta profundamente arraigada em nosso ser, uma doença mortal que não pode ser curada mediante o poder humano: “O mesmo se dá quanto à lepra do pecado – profundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano.” Basta um pecado para contaminar toda a alma e levar a morte.

“Se um pecado é nutrido na alma, ou uma prática errônea conservada na vida, todo o ser é contaminado. O homem torna-se instrumento de injustiça”DTN, pág. 313.

Qualquer hábito ou prática conducente ao pecado, capaz de trazer desonra sobre Cristo, convém ser posto de lado, seja qual for o sacrifício. Aquilo que desonra a Deus, não pode ser benéfico à alma. A bênção do Céu não pode seguir qualquer homem no violar os eternos princípios do direito. E um pecado alimentado é suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros. Se o pé ou a mão seriam cortados, ou mesmo arrancado o olho, para salvar o corpo da morte, quanto mais zelosos deveríamos ser em lançar fora o pecado, que traz morte à alma!” DTN, pág. 439

Quando falamos de uma infecção mortal não importamos com a quantidade de bactéria.  Tememos mesmo quando se trata de apenas uma bactéria. Não acredito que alguém brincaria com uma seringa despreocupadamente ao saber que ela tem apenas uma bactéria mortal. Porque não tratamos a doença chamada pecado com a mesma seriedade? Se não ficamos tranquilos por termos apenas algumas bactérias mortais, também não deveríamos nos acomodar com a condição de possuidores de “apenas alguns pecados”? Se o possuidor da bactéria mortal se não procurar o devido tratamento fatalmente irá morrer. O mesmo se dá com a doença chamada pecado: é a cura ou a morte.  As bactérias tem a capacidade de se reproduzirem e o mesmo acontece com o pecado, um pecado leva a outro que finalmente levará a morte. “E um pecado alimentado é suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” DTN, pág. 439

Um pecado conduz ao segundo, e o segundo prepara o caminho para o terceiro, e assim por diante. Como fiéis mensageiros de Deus, precisamos implorar constantemente que sejamos guardados por Seu poder. Se nos desviarmos do dever por um pouquinho que seja, corremos o risco de seguir uma trajetória de pecado que termina em perdição. Há esperança para cada um de nós, mas só de um modo: apegando-nos a Cristo e empregando todas as energias para alcançar a perfeição de Seu caráter.” Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 154-155

Febre e dor podem ser indicativos de que uma doença infecciosa está se instalando. O procedimento correto seria procurar um médico para que ele através de exames obtivesse um diagnóstico preciso para então tratar dos sintomas e principalmente da causa. É comum acontecer do indivíduo ao sentir tais sintomas, dor, febre, não procurar o médico e começar se tratar por conta própria ao fazer uso de analgésicos e antitérmicos. Isso poderá ser fatal, porque se for o caso de uma infecção que estiver se instalando, quando este indivíduo procurar o médico, a doença já estará avançada e mais difícil de ser tratada e, quem sabe, até mesmo em uma condição  irreversível.

No caso da doença chamada pecado o diagnóstico já foi dado. Toda a humanidade está corrompida e contaminada pelo pecado. “Toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo.”  Isa. 1:5 e 6. Temos resistência em aceitar este diagnóstico, mas é a realidade.

Tratar somente dos sintomas não resolve. É necessário um tratamento intensivo para que, eliminado a causa desta doença, os sintomas desapareçam. Temos certa resistência em reconhecer a necessidade de um tratamento sério para eliminação completa do pecado em nossa vida. Demonstramos certa negligência e muitos de nós gostamos da ideia de que “um pouco de pecado é normal.” Lembremos que é melhor um remédio amargo que salva do que um veneno doce que mata.

Tratando somente os sintomas, não vencemos a doença e nos acomodamos com a situação. Passamos a viver com ela aguardando algum acontecimento futuro que nos livre completamente. Vivemos de forma negligente e acomodada porque olhamos ao redor e pensamos: “Está tudo bem. Não está tão mal assim. Afinal tem muita gente mais doente do que eu.”

A negligência no plano espiritual é menos aceitável porque o tratamento é de graça e está ao alcance de todos. Por que então permanecermos doentes? A cura para doença chamada pecado é perfeitamente possível, tanto para aquela cultivada ou adquirida, como para aquela hereditária. Então por que permanecermos doentes?

“É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.” DTN, pág. 671

O que está em jogo é a vida eterna. Aquele que permanecer doente negligenciando o tratamento perderá a vida eterna. Com tratamento de graça, cura perfeitamente possível e a vida eterna em jogo, porque ainda permanecer doente?

Algumas questões sérias e pessoais a repeito da doença pecado:

  • Não entrará coisa alguma que contamine a cidade santa:

“Jesus não menciona essa pureza cerimonial como uma das condições de entrar em Seu reino, mas indica a necessidade da pureza de coração. “A sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura.” Tia. 3:17. Na cidade de Deus não entrará coisa alguma que contamine. Todos quantos houverem de ser seus moradores, hão de se ter tornado aqui puros de coração. A pessoa que está aprendendo de Jesus manifestará crescente desagrado pelas maneiras descuidosas, pela linguagem indecente e pensamentos vulgares. Quando Cristo habita no coração, haverá pureza e refinamento de idéias e maneiras.” O Maior Discurso De Cristo, pág. 24-25

“Todos os que penetrarem na cidade de Deus, hão de fazê-lo pela porta estreita – por angustiante esforço, pois “não entrará nela coisa alguma que contamine“. Apoc. 21:27. Mas ninguém que tenha caído deve se desesperar. Homens encanecidos, uma vez honrados por Deus, podem ter envilecido suas almas, sacrificando a virtude no altar da luxúria; mas se  arrependem, abandonam o pecado e voltam-se para Deus, há ainda esperança para eles. Aquele que declara: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apoc. 2:10), faz também o convite: “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que Se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” Isa. 55:7. Deus odeia o pecado, mas ama o pecador. “Eu sararei sua perversão”, Ele declara, “Eu voluntariamente os amarei.” Osé. 14:4.” Profetas e Reis, pág. 84

“Se quereis ser santos no Céu precisais ser primeiro santos na Terra. Os traços de caráter que acalentais na vida não serão modificados pela morte ou pela ressurreição. Saireis da sepultura com a mesma disposição que manifestastes em vosso lar e na sociedade. Jesus não altera o caráter em Sua vinda. A obra de transformação tem de ser efetuada agora. Nossa vida diária está determinando o nosso destino. Precisamos arrepender-nos dos defeitos de caráter, vencê-los pela graça de Cristo e formar um caráter simétrico neste período de prova, a fim de que sejamos habilitados para as mansões lá do alto.” Manuscript Releases, vol. 13, pág. 82. (Eventos Finais pág. 295; Visões do Céu pág. 54)

Como vimos não entrará coisa alguma que contamine a cidade de Deus, vimos também que a “cura” ou transformação deve ser efetuada antes da volta de Jesus. Devemos então rogar ao Senhor para que sejamos purificados antes que seja demasiado tarde.

“Quando nos lembramos  que ninguém sabe quando seu tempo de graça findará, como ousamos viver despreparados, desprevenidos para encontrar com nosso Senhor? Como ousamos continuar pecadores e maculados? Por que não temos medo? Por que não estamos perturbados? Por que não percebemos nosso perigo? […] O Senhor operaria poderosamente por Seu povo, se este abandonasse as obras das trevas e se revestisse de Sua justiça. […]”– Manuscrito 13, 8 de junho de 1902, “O Povo de Deus Deve Ser Portador de Luz”. Olhando Para O Alto MM, pág. 167

“Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886. 26 de dezembro, Olhando Para o Alto, pág. 367

  • Como ser curado dessa doença chamada pecado: 

“Em Seus esforços para alcançar o ideal de Deus para si, o cristão não deve desesperar de coisa alguma. A perfeição moral e espiritual mediante a graça e o poder de Cristo é prometida a todos. Jesus é a fonte de poder, a origem da vida. Ele nos leva a Sua Palavra, e da árvore da vida nos apresenta as folhas para a saúde de almas enfermas de pecado. Ele nos leva ao trono de Deus, e põe em nossa boca uma oração pela qual somos levados a íntimo contato com Ele próprio. Em nosso benefício põe em operação os instrumentos todo-poderosos do Céu. Em cada passo tocamos Seu vivo poder.” Atos dos Apóstolos, pág. 478

  •  Há cura para almas enfermas de pecado:

“Toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo. Desde a planta do pé até à cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo.”  Isa. 1:5 e 6.

“Há remédio para a alma enferma de pecado. Esse remédio está em Jesus. Precioso Salvador! Sua graça é suficiente para o mais fraco dos seres; e o mais forte precisa também possuir Sua graça, do contrário perecerá.

Vi como essa graça poderia ser obtida. Ide ao vosso quarto e, ali a sós, rogai a Deus: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.” Sal. 51:10. Sede fervorosos, sede sinceros. A oração fervente pode muito. À semelhança de Jacó, lutai em oração. Angustiai-vos. Jesus, no jardim, suou grandes gotas de sangue; deveis fazer um esforço. … Longe de mim que eu cesse de vos admoestar. Jovens amigos, buscai ao Senhor de todo o vosso coração. Ide com zelo, e quando sentirdes sinceramente que sem o auxílio de Deus perecereis, quando anelardes por Ele como o cervo brama pelas correntes das águas, então o Senhor presto vos fortalecerá. Então a vossa paz sobrepujará todo o entendimento. Se esperais salvação, precisais orar. Dedicai tempo. Não sejais apressados nem descuidosos em vossas orações. Rogai a Deus que em vós opere completa reforma, que os frutos do Seu Espírito habitem em vós, e brilheis como luzes no mundo. Não sejais obstáculo nem maldição para a causa de Deus; podeis ser um auxílio, uma bênção. Diz-vos Satanás que não é possível desfrutar plena e abundante salvação? Não acrediteis.

Vi que é privilégio de todo cristão fruir as profundas atuações do Espírito de Deus. Uma doce paz celestial penetrará a mente, e dar-vos-á prazer meditar em Deus e no Céu. Deleitar-vos-eis nas gloriosas promessas de Sua Palavra. … Se os professos cristãos amam mais a Jesus que ao mundo, gostarão de falar nEle, o seu melhor amigo, em quem se concentram suas mais altas afeições. Ele veio em auxílio deles quando sentiram sua condição de perdidos prestes a perecer. Quando cansados e carregados de pecado, volveram-se para Ele. Jesus lhes removeu o fardo da culpa e do pecado, tirou-lhes a dor e o pranto, e mudou toda a direção de suas afeições. As coisas que outrora amavam, agora aborrecem; e as que aborreciam, amam agora. Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 51-53. (Maranata O Senhor Vem, pág. 67)

Podemos pensar na igreja como sendo um hospital em que as pessoas chegam para serem tratadas de uma doença chamada pecado. Neste hospital há recursos suficientes para que esta doença seja curada de forma plena, completa. Chegamos à igreja com defeitos de caráter que não devemos permitir que permaneçam em nossa vida.

Infelizmente enxergamos a igreja somente como um hospital e não queremos sair dele, como se fosse o melhor lugar pra ficarmos… Não! Temos um grande médico capaz de nos curar, Cristo Jesus. Temos um ótimo lugar para viver com Ele que não seja em um hospital. Parece que as pessoas gostam de permanecerem como doentes, não é o desejo do Senhor que fiquemos nesse hospital sempre como doentes nunca alcançando a cura, morrendo “doentes.”

A última geração será composta por pessoas completamente “curadas,” que receberão “alta hospitalar” e serão levadas para “casa”. A pátria dos salvos.

“Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o Seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.” Hebreus 11:16

“Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o salvador, o Senhor Jesus Cristo.” Filipenses 3:20

  • “Há bálsamo em Gileade” para cura total desta doença chamada pecada:

“Existem pessoas a ser revividas; muitas para receber a alegria da salvação em sua própria alma. Elas erraram e não estiveram edificando um reto caráter, mas Deus alegra-Se em restaurá-las, a alegria de Seu ungido. Isso dará eficiência e felicidade e santificada segurança – um testemunho vivente. Dize aos pobres descoroçoados que se extraviaram dos caminhos retos… dize-lhes que não precisam se desesperar. Há cura, limpeza para toda alma que vier a Cristo. Há bálsamo em Gileade; há um Médico ali. Carta 93, 1896.” Olhando Para O Alto, pág. 281

“O sacrifício expiatório é pleno e suficiente. É o novo concerto, selado com Seu sangue, que foi derramado por muitos para remissão de pecados. Foi o que Cristo declarou na última ceia. Para os que bebem em fé há neste cálice pacificação, eficaz purificação da vida. É o bálsamo de Gileade, que Deus proveu para restaurar saúde e sanidade à humanidade enferma pelo pecado. SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 1.102.” Fé Pela Qual Eu Vivo pág. 301

“Somos trazidos à obra na igreja com defeitos de caráter, mas não devemos conservá-los. Precisamos ser preparados e ajustados para a construção. Devemos ser “cooperadores de Deus”, pois somos “lavoura de Deus”, “edifício de Deus”. Em vista disso, devemos evitar que o templo seja poluído pelo pecado. Devemos ser pedras vivas, não mortas, pedras vivas que reflitam a imagem de Cristo. Devemos ser adoradores em espírito e em verdade. Manuscrito 49, 1886 (Manuscript Releases, vol. 3, págs. 230-232).” Cristo triunfante pág. 155

  •  O Senhor não deseja retardar esta cura: 

“A obra de Cristo em purificar o leproso de sua terrível doença, é uma ilustração de Sua obra em libertar a alma do pecado. O homem que foi ter com Jesus estava cheio de lepra. O mortal veneno da moléstia penetrara-lhe todo o corpo. Os discípulos procuraram impedir o Mestre de o tocar; pois aquele que tocava num leproso, tornava-se por sua vez imundo. Pondo a mão sobre o doente, porém, Jesus não sofreu nenhuma contaminação. Seu contato comunicou poder vitalizante. Foi purificada a lepra. O mesmo se dá quanto à lepra do pecado – profundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada por poder humano. “Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres.” Isa. 1:5 e 6. Mas Jesus, vindo habitar na humanidade, não recebe nenhuma contaminação. Sua presença tem virtude que cura o pecador. Quem quer que Lhe caia de joelhos aos pés, dizendo com fé: “Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo”, ouvirá a resposta: “Quero: sê limpo.” Mat. 8:2 e 3. Em alguns casos de cura, Jesus não concedeu imediatamente a bênção buscada. No caso da lepra, todavia, tão depressa foi feito o apelo, seguiu-se a promessa. Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração talvez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, porém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa. Cristo “Se deu a Si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” Gál. 1:4. E “esta é a confiança que temos nEle, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que Lhe fizemos”. I João 5:14 e 15. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” I João 1:9.” DTN, Pág. 266 

“Clara visão espiritual é necessária para discernir entre a palha e o trigo, entre a ciência de Satanás e a da Palavra da verdade. Cristo, o grande Médico, veio ao nosso mundo a fim de dar saúde e paz e perfeição de caráter a todos quantos O receberam.” Nossa Alta Vocação, MM 1962  pág.107

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

Os Dez Mandamentos

  1. lendo a biblia2Não terás outros deuses diante de mim.
  2. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.
  3. Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão, porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.
  4. Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que nele há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia do sábado e o santificou.
  5. Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá.
  6. Não matarás.
  7. Não adulterarás.
  8. Não furtarás.
  9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
  10. Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.

Êxodo 20:3-17

“E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.” Êxodo 31:18

Esta é a lei do Senhor, escrita pelo próprio Deus.  Veremos nos textos bíblicos a seguir que ela é eterna, perfeita e imutável. Veremos também que os homens não são salvos pela lei e sim mediante a graça do nosso Senhor Jesus Cristo. A função da lei é simplesmente revelar nossos pecados.

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices.”  Salmo 19:7

“Escondi a Tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti.” Sal. 119:11.

A lei de Deus é imutável.

“Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.”  Mateus 5:17-19

Como vimos, Jesus não veio mudar a lei e sim cumprir. Ele adverte afirmando que aquele que mudar a lei e assim ensinar aos homens será considerado mínimo no reino dos céus, aquele, “porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.”

O Santuário terrestre era uma cópia do santuário celestial (Êxodo 25:8-9). Vemos em Hebreus 8, 9 e 10 a comprovação da existência do santuário celestial. No santuário celestial o apóstolo João contemplou a arca da Aliança que contém a imutável lei de Deus.

“Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada.” Apocalipse 11:19

A lei e o amor.

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo comoa ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”   “Amarás o teu próximo comoa ti mesmo” Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Destes dois mandamentos,” amar a Deus e Amar ao próximo “dependem” toda a lei e os profetas. A mensagem de Jesus para nós aqui é que  o amor é o grande mandamento, quando realmente amamos a Deus guardamos naturalmente os quatros primeiros mandamentos que se referem a Deus, quando amamos o próximo também de forma natural guardamos os seis últimos mandamentos que se referem ao próximo.

O Senhor deseja escrever Sua lei em nosso coração.

“Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; na sua mente imprimirei as minhas leis, também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” Hebreus 8:10

“Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.” Salmo 40:8

Quando permitimos que o Senhor escreva Sua lei em nosso coração passamos a obedecer todo lei por amor. De fato, “por amor”, é a forma correta de se obedecer a lei. O Senhor é realmente maravilhoso, pois é Ele quem concede para aquele que deseja esse amor que resulta em obediência plena. Deus seja louvado!!!

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” João 14:15

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e  Eu também o amarei e me manifestarei a ele.” João 14:21

A lei a ninguém salva, o único meio dos homens alcançarem a salvação é através da graça maravilhosa do nosso Senhor Jesus Cristo. Somos salvos unicamente pela graça.

“Sendo justificado gratuitamente, por Sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3:24

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.” Efés. 2:8.

“Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.” Romanos 3:31

Os homens não devem pensar que a lei não é mais necessária pelo fato da salvação ser unicamente através da graça. Nos textos bíblicos a seguir veremos que a lei continua sendo fundamental no plano da salvação, é através da lei que vemos nossos defeitos de caráter, é contemplando a lei que nós vemos o quanto necessitamos da salvação em Jesus. A lei é como um espelho que nos revela todas as imundícies da nossa alma, mas será através da graça do nosso Senhor que seremos transformados, purificados e salvos. Deus seja louvado!

“Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.” Romanos 3:20

“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.” Romanos 7:7

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

Pecado é transgressão da lei.

“Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é transgressão da lei.” 1°João 3:4

Onde não há lei também não há transgressão.

“Porque a lei suscita a ira; mas onde não há lei, também não há transgressão.” Romanos 4:15

Como vimos “pecado é transgressão da lei” e “onde não há lei, também não há transgressão.” Quem ousaria olhar para o nosso mundo em nossos dias e afirmar que não existe pecado ou transgressão. Concluímos sem muita dificuldade que existem muitos pecados, temos também que aceitar que ainda existe uma lei.

Que lei é essa? A santa e imutável lei de Deus!

“Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade.” Tiago 2:12

“O que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” Provérbios 28:9

Certa vez o apóstolo Paulo foi acusado de fazer par de uma determinada crença que seus acusadores chamavam “seita dos nazarenos”. A resposta de Paulo aos seus acusadores deixa muito evidente o respeito que ele, Paulo, conservava pela lei de Deus: “Porque, tendo nós verificado que este homem é uma peste e promove sedições entre os judeus esparsos por todo o mundo, sendo também o principal agitador da seita dos nazarenos.” Atos 24:5

“Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas.” Atos 24:14

Toda lei deve ser guardada

“Porque que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto Aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vem a ser transgressor da lei.” Tiago 2:10-12

A palavra de Deus afirma que toda lei deve ser obedecida. O texto bíblico que afirma que toda lei deve ser obedecida, cita o sexto e o sétimo mandamento deixando assim muito evidente para todos que esta lei que deve ser obedecida de forma integral são os dez mandamentos. Isso deveria fazer com que todos pensassem  com muito carinho no quanto mandamento da lei de Deus.

Temos um estudo bíblico intitulado “A Bíblia Fala” em que o estudo número 11 tem como título “A Lei e o Evangelho” gostaria que meus irmãos analisassem algumas questões desse estudo.

10 “Como indica S. Paulo que a pessoa salva pela graça não continuará a viver em pecado?“ Romanos 6:1 e 2, 14 e 15

“Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Romanos 6:1 e 2

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum! Romanos 6:14 e 15

13“De que maneira a pessoa nascida de novo mostrará seu amor a Deus?”

1° João 5:1-3

“Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisso conhecemos que amamos os filhos de Deus; quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus; que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos.” 1° João 5:1-3

14“Que diz a Bíblia acerca da pessoa que professa conhecer a Cristo e todavia recusa obedecer-Lhe? 1° João 2:1-4

“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo; e Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. Ora, sabemos que O temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” 1° João 2:1-4

15“Qual será a atitude da pessoa que foi salva pela graça inigualável de Deus?” Salmo 40:8

“Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.” Salmo 40:8

Vimos na questão número 10 que a pessoa salva pela graça não continuará vivendo em pecado, ou seja, não continuará transgredindo a lei de Deus.

Vimos também nas questões número 13 e 14 que demonstramos nosso amor a Deus quando guardamos Seus mandamentos e aquele que diz que conhece a Deus e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade.

Por fim vimos na questão número 15 que aquele que é salvo pela graça de Deus tem prazer em obedecer ao Senhor e tem a Sua lei dentro do seu coração.

Como procederemos agora com estas afirmações bíblicas? Esta pergunta é para para aqueles irmãos que não acreditam que nós podemos, pelo poder do Senhor Espírito Santo, deixar de viver em pecado. Que não acreditam, que nós podemos pelo poder de Deus, não transgredir a lei do Senhor e que enquanto a Ele estivermos unidos termos uma vida de plena obediência. Àqueles irmãos que não acreditam que nós podemos, pelo poder de Deus, ter a natureza transformada passando a sentir prazer em obedecer tendo Sua lei em nosso coração.

Teria esses irmãos coragem de ministrar esse estudo para aqueles que ainda não conhecem a verdadeira lei do Senhor? Creio que não seria coerente, precisamos acreditar e viver aquilo que ensinamos.

Esperamos que nossos nomes não estejam arrolados entre aqueles que são tidos por Deus como sendo mentirosos por estarem afirmando que conhecem ao Senhor e no entanto não guardam os seus mandamentos. Conhecer e aceitar os mandamentos é algo muito importante, mas para que alcancemos a salvação. Precisamos também conhecer verdadeiramente o Senhor dos mandamentos!

“Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.” Apocalipse 12:17

Nesse verso vemos que o dragão, Satanás persegue a mulher, a igreja, e vai pelejar contra “os restantes da sua descendência” que são os fiéis filhos de Deus dos últimos dias. É muito importante destacar que os fiéis filhos de Deus dos últimos dias são aqueles  “que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.”

Deseja você ser um dos fiéis filhos de Deus que guardam os Seus mandamentos e têm o testemunho de Jesus? Ore a Deus, estude a bíblia e o nosso Senhor lhe concederá essa graça maravilhosa. Fazendo assim você será muito mais feliz nesse mundo e estará em condições de alcançar a vida eterna em um mundo que lhe proporcionará plena felicidade. Deus seja louvado! Nosso Senhor pode e deseja mudar seu coração!

“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse; Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou:Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” Apocalipse 21:1-5

Nosso principal objetivo

1Todos os homens precisam admitir que são pecadores, esta é nossa realidade. Então quando um homem admite ser pecador, porque todos nós somos, seu principal objetivo não deve ser descobrir se é um pecador habitual ou ocasional, se tem ou não o pecado como estilo de vida, se peca muito ou pouco, tentando na verdade se convencer que tem poucos pecados para então se acomodar com o sentimento que poucos pecados é tolerável, se baseando em uma falsa teologia para manter essa tolerância de um estilo de vida com “poucos” pecados. Alguns não somente toleram esse estilo de vida como também se orgulham se sentindo autênticos cristãos, imaginando talvez que uma vida com “poucos” pecados é o máximo que um cristão pode conseguir enquanto estiver neste mundo.

O principal objetivo do homem, ao admitir ser pecador, é descobrir como ficar completamente livre do pecado. Este é o desejo do Senhor para o homem.

“Todo aquele que permanece Nele não vive pecando, todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1 João 3:6

Temos encontrado algumas interpretações estranhas para este texto bíblico. Procuramos de todas as maneiras encontrar desculpas para justificar nossa permanência no pecado. O termo “pecadeiros” tem sido usado constantemente afirmando que, quando o apóstolo João afirma que não podemos permanecer pecando, ele está dizendo que não podemos ser “pecadeiros”, ou seja, não podemos ter o pecado como estilo de vida ou ser pecadores habituais.

Mas será está uma interpretação confiável? O que dizer dos pecados ocasionais? Será que o Senhor os ignora? Não seria estes pecados ocasionais um sinal de que algo dentro de nós ainda precisa ser mudado?

Você já tentou estabelecer uma diferença entre o pecador habitual e o pecador ocasional e analisar a condição destes dois tipos de pecadores? É algo bastante estranho.

Exemplos: Falar mal dos outros todos os dias, pecador habitual. Falar mal dos outros de vez em quando, pecador ocasional. Roubar todas as semanas, pecador habitual. Roubar de vez em quando, pecador ocasional.

Uma grande verdade precisa ser lembrada: pecado é pecado, pecador habitual, pecador ocasional, ambos estão caminhando para a morte.

Cremos que os Adventistas Do Sétimo Dia deveriam ter como princípio a sua opinião baseada e fundamentada na Bíblia e no Espírito de profecia. Vejamos o que a serva do Senhor, Ellen G. White, escreveu sobre 1 João 3:6: 

“Não ganhamos a salvação por nossa obediência; pois a salvação é dom gratuito de Deus, e que obtemos pela fé. Mas a obediência é fruto da fé. “Bem sabeis que Ele Se manifestou para tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado. Qualquer que permanece nEle não peca: qualquer que peca não O viu nem O conheceu”. I João 3:5 e 6. Aí é que está a verdadeira prova. Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai. A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo pág. 61-62.

A serva do Senhor não deixa margem para algum tipo de interpretação que tolere o pecado, habitual ou ocasional, e afirma  que a vida que devemos ter é “exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça.” Esta continua sendo a condição para nossa salvação e será pelo poder de Deus que os salvos alcançarão este objetivo.

“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.”Rom. 6:12-14

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1 João 3:9

 A Lição da Escola Sabatina do 4° trim. 1990 – A Carta aos Romanos, comentando estes textos bíblicos deixa claro que, no coração em que Cristo reina, não existe espaço para o pecado, seja habitual ou ocasional. “Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.”

“O pecado permanece na vida, se não reina mais nela?” Rom. 6:12-14

“Nossa natureza humana decaída certamente continua tendo propensões para o mal. Mas esse “eu” decaído é subjugado diariamente pelo poder de Cristo em nosso íntimo. (Ver Gál. 2:20.) Em Rom. 6:12, Paulo está falando sobre o perigo de ceder aos impulsos de nossa natureza humana decaída. Quando fazemos isso, o pecado reina em nosso corpo. Quando Cristo reina na vida, o pecado não poderá fazê-lo.

João enfatizou a mesma verdade. (Ver 1 S. João3:8-9.) Ele não ensinou que, embora o pecado habitual seja do diabo, o pecado ocasional é permissível. Todo pecado é do diabo, e se Cristo vive na vida pelo Espírito Santo, o pecado não poderá existir ali.

“Vencer como Cristo venceu. Apegar-se-á o homem ao poder divino, resistindo a Satanás com determinação e perseverança, como Cristo lhe deu exemplo em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação?Deus não pode salvar o homem contra a sua vontade do poder dos ardis de Satanás. O homem precisa utilizar seu poder humano, ajudado pelo divino poder de Cristo, para resistir e vencer, custe o que custar. Em suma, o homem precisa vencer como Cristo venceu.” – Testimonies, vol. 4, pág. 32-33” (Lição da Escola Sabatina 4° trim. 1990 A Carta aos Romanos pág. 74)

Vimos que na lição da escola sabatina tanto o pecado habitual como o ocasional não deve ser tolerado e a serva do Senhor afirma que precisamos vencer “como Cristo venceu.” A possibilidade de pecar continuará existindo, continuaremos sendo susceptíveis ao pecado, mas enquanto Cristo estiver realmente reinando no coração, não pecaremos, seja de forma habitual ou ocasional.

Esta é uma verdade que precisamos enfrentar. Este deve ser o nosso propósito, nosso alvo: eliminar da nossa vida completamente o pecado, habitual ou ocasional. A última geração será composta por servos de Deus que foram transformados pelo Senhor Espírito Santo e obtiveram completa vitória sobre o pecado. Que o Senhor nos ajude e nos transforme.

Para esclarecer melhor pensemos nesta estória: uma pessoa que descobre que é portadora do vírus HIV. Imaginemos que sua  primeira pergunta ao médico foi: “Então doutor eu tenho muitos ou poucos vírus?” Então o médico responde: “Bom, a doença está em sua fase inicial.” Seria ridículo se a pessoa doente interpretasse a resposta do médico como sendo uma afirmação de que ela ainda esta com poucos vírus e se acomodasse, não procurando se tratar e eliminar completamente esta doença do seu organismo. O que aconteceria com esta pessoa? A doença aumentaria, a quantidade de vírus se multiplicaria levando essa pessoa a morte. O que torna uma pessoa aidética é o fato de possuir o vírus HIV, não importando a quantidade. Muitos vírus, poucos vírus, até mesmo um vírus será fatal se o seu portador não for tratado.

O mesmo acontece com o pecado. Apenas um pecado contamina toda a alma:

“Se um pecado é nutrido na alma, ou uma prática errônea conservada na vida, todo o ser é contaminado. O homem torna-se instrumento de injustiça.” DTN, pág. 313

“Qualquer hábito ou prática conducente ao pecado, capaz de trazer desonra sobre Cristo, convém ser posto de lado, seja qual for o sacrifício. Aquilo que desonra a Deus, não pode ser benéfico à alma. A bênção do Céu não pode seguir qualquer homem no violar os eternos princípios do direito. E um pecado alimentado é suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” DTN, pág. 439

Vimos que um pecado se não for eliminado é “suficiente para operar a degradação do caráter e desencaminhar a outros.” Então concluímos que assim como uma pessoa que tem AIDS  de lutar pela eliminação do vírus em seu organismo, nós também devemos lutar pela eliminação completa do pecado em nossa vida. Devemos dar graças a Deus porque a eliminação do pecado de forma plena é possível através do sangue de Jesus.

“Se, porem, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7

“Ponde a vontade do lado de Cristo. Desejai servi-Lo e, agindo sobre Sua Palavra, recebereis força. Seja qual for a má prática, a dominante paixão que, devido à longa condescendência, acorrenta alma e corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. Comunica vida à alma morta em ofensas. Efés. 2:1. Porá em liberdade o cativo preso pela fraqueza, o infortúnio e as cadeias do pecado.” DTN, pág. 203

Certa vez perguntei a um irmão o que ele pensava sobre a possibilidade de perfeição de caráter, passar a viver sem pecar. Este irmão pensou e então respondeu que acreditava ser possível chegar bem perto da perfeição, quase perfeito, uma vida quase sem pecado. Bom este irmão foi sincero e é isso que a maioria pensa. E assim como este irmão, a grande maioria acredita que perfeição de caráter e passar a viver sem pecar é impossível. Algum detalhe, algum pequeno detalhe impediria a plena perfeição.

Vejamos o que a serva do Senhor diz sobre aqueles que não renunciaram “completamente” a seus maus hábitos, cristãos quase perfeitos, uma vida quase sem pecados.

“Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam, porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.” Parábolas de Jesus pág. 118

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e aumente nossa fé. Este é um assunto é essencial e extremamente importante para nossa salvação. Precisamos buscar a plena libertação do pecado para nossa vida e também para que possamos ser mensageiros do Senhor, levando a todos que estão escravizados pelo pecado, esta mensagem maravilhosa, de libertação plena do pecado que o Senhor esta nos oferecendo.

“Quando alguém se volta da imperfeição humana para contemplar a Jesus, dá-se uma divina transformação no caráter. O Espírito de Cristo que opera no coração conforma-o a Sua imagem. Seja pois vosso esforço exaltar a Jesus. Que os olhos do espírito se dirijam ao “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João 1:29. Empenhando-vos nesta obra, lembrai-vos de que “aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados”. Tia. 5:20.” Parábolas de Jesus pág. 250-251

Jesus é o nosso libertador! Falemos a todos que não precisamos mais viver como escravos do pecado.

“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar as boas novas aos quebrantados aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1

NOSSO GRANDE DEUS É REALMENTE MARAVILHOSO!!!

 QUE O SENHOR SEJA LOUVADO HOJE E SEMPRE!!!

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150

O senhor pecado

imagesHá muito tempo surgiu um novo personagem no universo. Aqui vamos chama-lo de senhor pecado. O porquê do seu surgimento é um mistério. O Rei do universo sempre soube que a presença deste personagem causaria muitos sofrimentos.

O Rei lhe deu liberdade para que ficasse bem evidente os efeitos devastadores causados pela presença desse terrível senhor. Com o passar do tempo ficou bem claro que o Rei estava certo. A presença do senhor pecado nos trouxe sofrimentos, doenças, morte, infelicidade e mais uma infinidade de coisas ruins.

O senhor pecado se apoderou do nosso planeta, escravizou os seus habitantes, mas o Filho do Rei veio até nós com a missão de julgá-lo, condená-lo e também resgatar todos que haviam sido escravizados por ele. E assim foi feito. O senhor pecado foi vencido, julgado e condenado pelo Filho do Rei. A sentença foi sua completa destruição. Será destruído Lúcifer porque nele se originou o senhor pecado e ele não o repeliu. Também serão destruídos anjos e homens que insistem em manter a presença do referido senhor no coração. O Rei executará esta sentença somente quando for completada a obra de libertação a todos que desejam se livrar do senhor pecado.

Precisamos saber que o Filho do Rei proveu um meio de libertação para todos que desejarem romper com a escravidão que o senhor pecado impõe. O Filho do Rei derramou Seu próprio sangue e este é o único meio de encontrar cura e libertação completa do senhor pecado àqueles que desejarem. É muito importante também, saber que todos que mantiverem algum tipo de ligação com o senhor pecado serão destruídos juntamente com ele. É extremamente necessário que eliminemos todos os laços com esse senhor condenado.

Mesmo sendo necessário para humanidade romper com o senhor pecado para não ser destruída, a grande maioria das pessoas insistem em continuar unidos a ele. Infelizmente aprendemos gostar do senhor pecado. É difícil de entender o fato de mesmo o senhor pecado causando tantos sofrimentos, ainda insistimos em viver unidos a ele, o levamos para todos os lugares.

O senhor pecado se manifesta em nossa vida familiar  no trabalho, no lazer, enfim, onde quer que estejamos quase sempre lá está ele. Até mesmo para a igreja ele vai conosco, não para que seja expulso da vida das pessoas lá, mas gostamos do senhor pecado. Entramos e saímos com ele. E o pior é que, quando alguém fala alguma coisa contra o senhor pecado na igreja, seus amigos ficam furiosos.

Sem muito esforço, o senhor pecado consegue corroer nossos melhores sentimentos, atos  e momentos. Transforma nosso amor em indiferença, nosso respeito em egoísmo, nossa fé em descrença, nossa alimentação em glutonaria ou intemperança, nosso tempo em recreações banais, nosso encontro com Deus em obrigação. Um cristianismo repleto de teorias, somente teorias.

Triste realidade, o senhor pecado se tornou muito popular. De maneira sorrateira e disfarçada ele se aproxima, conquista corações proporcionando prazeres momentâneos, mas o resultado final é sempre o mesmo, dor, sofrimento e morte.

Algumas pessoas por estarem enganadas e conquistadas, defendem o senhor pecado como se fossem seus advogados. Ignoram o fato de ser esta uma causa perdida uma vez que esse senhor já foi julgado e condenado pelo Rei. Mesmo assim insistem em defendê-lo arrumando uma série de argumentos como natureza, circunstâncias e outros para justificarem a permanência deste senhor em suas vidas. Alguns declaram abertamente: “Impossível viver sem ele!” Quanta amizade, quanto apego, quanta lealdade. Seria melhor que esta relação de amizade, apego e lealdade fosse demonstrada ao Filho do Rei e o resultado, com certeza, seria bem diferente, seria vida abundante e não destruição e morte.

Parece incrível, mas o senhor pecado pode surgir mesmo entre homens que falam em nome do Filho do Rei. Quando algumas pessoas falam coisas que ferem os interesses do senhor pecado, ele se manifesta em reuniões na forma de injustiça contra estas pessoas que ousaram combatê-lo. Parece que o senhor pecado tem pessoas para defende-lo em todos os lugares. Misericórdia Senhor!

Em breve o Filho do Rei aparecerá para destruir o senhor pecado com todos os seus amigos. Se você deseja não ser destruído e alcançar a vida eterna, em nome de Jesus Cristo separe-se completamente do senhor pecado. O Filho do Rei deseja e tem poder suficiente para te livrar.

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado”, ou seja, com o senhor pecado; “antes, Aquele que nasceu de Deus” o Filho do Rei, “o guarda”, “e o maligno” o senhor pecado, Satanás, “não lhe toca.”

Louvado seja o Senhor Jesus Cristo!

Nota: Este texto é uma alegoria sobre a escravidão que escolhemos estar. É também um desabafo contra as ações que o pecado tem provocado na vida dos filhos de Deus. Não queremos ofender ninguém. Porém queremos de uma forma simples, levar a um questionamento sério sobre a vida que levamos e a vida de liberdade que Deus quer que tenhamos. “E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ” Jo 8:32

É Deus exato?

Temos alguns estudos bíblicos que são preparados para que na pregação do evangelho os adventistas possam estudar com os não adventistas. Gostaria de analisar o  estudo número 15 do estudo “A Bíblia Fala” que tem como título, “É Deus Exato?”

Este estudo tem o seguinte texto como introdução:

“Enquanto conversava com o ministro de sua igreja, disse uma senhora: “Eu sei que não estou procedendo como devia, mas Deus compreenderá. Estou certa de que Ele passará por alto os pequeninos pecados que faço, contanto que eu seja sincera.” Parece ser esta a atitude de muitos professos cristãos. Estão, com efeito, dizendo, por suas ações, que Deus não é exato, que Ele fecha os olhos ao pecado, contanto que a pessoa professe ser sincera em sua maneira de proceder. A bíblia diz que Deus salva Seu povo dos seus pecados, mas em parte alguma diz que os salvará nos seus pecados.

Ensina a bíblia que Deus tem determinadas leis no universo, e que essas leis existem para proteger a liberdade de Suas criaturas. Existem porque Deus viu que a violação desses princípios traria doenças, tristezas e morte a seus violadores. Em Provérbios 16:25 diz Salomão: “Há caminho, que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte.”

O homem que tome arsênico, pensando tratar-se de um xarope para tosse, morrerá tão depressa como outro que tomou o mesmo veneno sabendo que o é. Aquilo que o homem pensa, não modifica a substância do que bebe. O pensar uma pessoa que o errado seja certo, não consegue transformar o errado em certo, o mal em bem.

Verdade é que Deus por vezes tem passado por alto alguns atos maus da humanidade. Agora, porém, já concedeu ao homem bastante esclarecimento, de modo que não há desculpa para o pecado. Disse Jesus aos fariseus: “Se fosseis cegos, não teríeis pecado algum, mas, porque agora dizeis: Nós vemos, subsiste o vosso pecado.” S. João 9:40. S. Paulo, em Atos 17:30, afirma que nos tempos da ignorância dom homem Deus passou por alto sua conduta pecaminosa, mas agora lhe ordena que se arrependa.”

Temos neste estudo também alguns exemplos bíblicos de como é exata a obediência que o Senhor requer do homem. Saul, Uzá, Adão, mulher de Ló, homem de Deus.

Já fiz com algumas pessoas este estudo tentando mostrar sempre que Deus não desculpará as pessoas que deliberadamente não querem obedecer ao Senhor, não querem por exemplo guardar o sábado, se abster de alimentos impróprios que destroem o santuário de Deus, enfim não querem obedecer a Deus segundo as orientações da bíblia.

Descobri recentemente que antes que nós adventistas ministremos este estudo aos não adventistas é necessário que nós o façamos a nós mesmos.

Ou será que o Senhor é exato, apenas para os não adventistas?  Na verdade nossa responsabilidade é maior, vamos recapitular uma parte do texto que nos prova que realmente nossa responsabilidade é maior.

Afirmamos que não somos cegos e que não somos ignorantes quanto a vontade de Deus. Então com certeza o Senhor não passará por alto nossos pecados. Deus está clamando pelo nosso arrependimento, por uma mudança de conduta do nosso povo.

Vejamos um texto, no qual, a serva do Senhor, de uma forma muito clara afirma que Deus deseja livrar a “todos” dos seus pecados e não em seus pecados:

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” DTN pág. 668

Veja bem este texto tem aplicações para todos, adventistas e não adventistas.

Na verdade como povo que possui mais luz, temos uma responsabilidade maior de sermos mais santos, mais puros.

“Somos da mesma fé, membros de uma família, filhos todos do mesmo Pai celestial, tendo a mesma bendita esperança da imortalidade. Quão íntimo e terno não deveria ser o laço que nos une! O povo do mundo observa-nos para ver se nossa fé está exercendo influência santificadora sobre nosso coração. São rápidos para discernir qualquer defeito de nossa vida, qualquer incoerência de nossos atos. Não lhe demos ocasião para vituperar nossa fé. …”Maravilhosa Graça pág. 208

“Nós, como povo, professamos possuir mais verdades do que qualquer outro na Terra. Neste caso, nossa conduta e caráter devem também corresponder à nossa profissão.”Testemunhos Seletos vol. 2 pág. 12

O Senhor deseja que ensinemos não apenas por preceitos, mas também pelo exemplo.

“A vida de Cristo deve ser revelada na humanidade. O homem foi o ato culminante da criação de Deus, formado à imagem de Deus e destinado a ser Sua similitude; mas Satanás tem procurado obliterar a imagem de Deus no homem e imprimir-lhe sua própria imagem. O homem é muito precioso a Deus porque foi formado à Sua imagem. Este fato deve impressionar-nos com a importância de ensinar, por preceito e exemplo,o pecado de contaminar, pela condescendência com o apetite ou por qualquer outra prática pecaminosa, o corpo que deve representar a Deus para o mundo. …”Exaltai-O MM 1992 pág.48

“O Filho unigênito do infinito Deus, através de Suas palavras e de Seu exemplo prático, deixou-nos um exemplo simples, que devemos imitar. Por meio de Suas palavras Ele nos ensinou a obedecer a Deus, e por experiência própria nos mostra como podemos obedecer a Deus. Esta é precisamente a obra que Ele deseja todo homem faça: obedecer a Deus inteligentemente, e por preceito e exemplo ensinar aos outros o que precisam fazer, de modo a serem obedientes filhos de Deus.

Jesus ajudou o mundo todo a obter um conhecimento inteligente de Sua missão e obra divinas. Ele veio para representar o caráter do Pai ao nosso mundo, e ao estudarmos a vida, as palavras e obras de Jesus Cristo, seremos auxiliados de todas as maneiras no aprendizado da obediência a Deus; ao imitarmos o exemplo que Ele nos deixou, seremos cartas vivas, conhecidas e lidas por todos os homens. Somos instrumentos humanos vivos para representar no caráter a Jesus Cristo perante o mundo.

Cristo deu não apenas regras explícitas mostrando como podemos nos tornar filhos obedientes, mas também nos mostrou através de Sua própria vida e caráter como fazer as coisas que são corretas e aceitáveis diante de Deus, de modo a não haver desculpa para não fazermos as coisas que são agradáveis a Sua vista. …

O Grande Mestre veio ao nosso mundo para estar à testa da humanidade, e desse modo erguê-la e santificá-la por meio de Sua santa obediência a todos os requisitos divinos, mostrando que é possível obedecer a todos os mandamentos de Deus. Ele demonstrou que uma vida toda de obediência é possível. Como o Pai deu o Seu Filho, assim Ele dá ao mundo homens escolhidos, representativos, para exemplificarem em sua vida a vida de Jesus Cristo. Manuscrito 1, 1892.” Cuidado De Deus pág.  344

“Se Adão não pôde suportar a menor das provas, não poderia ter resistido a uma prova maior, caso houvessem sido confiadas a ele maiores responsabilidades.Se tivesse sido designada a Adão alguma prova grande, aqueles cujo coração, se inclina para o mal desculpar-se-iam então, dizendo: “Isto é uma coisa trivial, e Deus não é tão exigente a respeito de coisas pequenas”. E haveria contínua transgressão em coisas consideradas pequenas, as quais ficam sem reprovação humana. O Senhor, porém, tornou patente que o pecado, em qualquer grau, é ofensivo para Ele.” Patriarcas e Profetas, pág. 61

“É requerida obediência exata, e os que dizem não ser possível levar uma vida perfeita, lançam sobre Deus a acusação de injustiça e falsidade.” – Reimpressões De Review and Herald, vol. 6pág. 519, ver também Review and Herald, 7de fevereiro de 1957, pág. 30. (Lição da Escola Sabatina, 2° trim. 1989, “Triunfo no Presente e Glória no Futuro” pág. 48

Deus seja para sempre louvado!

A Verdade que Liberta

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.”João 8:32

Todas as vezes que ouvia ou lia esta frase pensava como as pessoas dessas ou daquelas igrejas precisam conhecer a verdade sobre o sábado, sobre o santuário, a volta de Jesus, Lei de Deus,  nova Terra e outras verdades que nós Adventistas acreditamos. Podia pensar em pessoas de todas as igrejas que precisavam conhecer a verdade para serem libertadas. Pensava em todos exceto nos Adventistas do 7° Dia.

Hoje as primeiras pessoas que eu penso são os Adventistas do 7° Dia. Incluindo a mim, é claro.

O que causou esta mudança?

Sem dúvida alguma, foi o fato de Deus ter aberto os meus olhos para que eu visse detalhes muito importantes neste texto como:

  1. Para quem Jesus estava falando.
  2. A que tipo de conhecimento Jesus estava se referindo.
  3. O que realmente é a verdade.
  4. Segundo este texto, do que as pessoas precisam ser libertadas.

1.       Para quem Jesus estava falando:

Entre as pessoas que estavam ouvindo Jesus estavam os “descendentes de Abraão” (verso 33) – então Jesus estava falando também para o povo de Israel.

Hoje acreditamos que a igreja Adventista do 7° Dia é o “Israel de Deus”. Gál. 6:16

Sendo assim, como Jesus mostrou que esta mensagem se aplicava também ao povo de Israel, hoje também devemos aplicá-la a nós Adventistas do 7° Dia que somos o “Israel de Deus”. Na verdade acredito que esta mensagem deve ser  primeiro direcionada para os Adventistas do 7° Dia, na sequência deste estudo compreenderemos o porquê.

2.       A que tipo de conhecimento Jesus estava se referindo.

É possível que uma pessoa tenha grande conhecimento da Bíblia Sagrada, personagens, datas, profecias e mesmo assim não ter a vida transformada? Sim é possível.

São pessoas que possuem conhecimento apenas teórico e não prático da palavra de Deus. Aprendem, aprendem, mas não praticam. Não permitem que a palavra os transforme e não se entregam a Deus de forma real.

Sem dúvida alguma o conhecimento a que Jesus estava Se referindo era de entrega, de compromisso com Deus, um conhecimento prático do poder transformador de Deus.

“Um homem pode pregar sermões agradáveis e entretenedores, no entanto estar distanciado de Cristo no que respeita à experiência religiosa. Ele pode ser elevado ao pináculo da grandeza humana, contudo nunca ter experimentado a obra interior de graça que transforma o caráter. Esse tal é enganado por sua ligação e familiaridade com as verdades sagradas do evangelho, que alcançaram o intelecto, mas não foram levadas ao santuário interior da alma. Temos de ter mais do que uma crença intelectual na verdade.”Review and Herald 14/02/1899 (Cristo Nossa Justiça pág. 86 e 87)

“Um conhecimento teórico da verdade é essencial. Mas  o conhecimento da maior de todas as verdades não nos salvará; nosso conhecimento deve ser prático.[…] A verdade deve ser levada para dentro de seus corações, santificando-os e purificando-os de todo mundanismo e sensualidade na vida mais privada. O templo da alma deve ser purificado.”- Review and Herald 24/05/1887 ( Cristo Nossa Justiça pág. 88)

3.       O que realmente é a verdade.

Antes não pensava que os Adventistas precisavam conhecer a verdade porque para mim a verdade era um conjunto de crenças que estão em harmonia com a Bíblia. Bom, então deduzia que pelo fato dos Adventistas já conhecer este conjunto de crenças não necessitavam mais do conhecimento da verdade.

Hoje acredito que a verdade é um conjunto de crenças que estão em harmonia com a Bíblia e muito mais.

A verdade é Jesus: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” João 14:6

A verdade é o Senhor Espírito Santo: “…E o Espírito é o que da testemunho, porque o Espírito é a verdade.” 1 João 5:6

Precisamos conhecer a Jesus de uma forma muito íntima, muito pessoal, permitir que o Senhor Espírito Santo faça morada no nosso coração.

Jesus é a verdade que precisamos conhecer. Você conhece Jesus?

4.       Do que as pessoas realmente precisam ser libertadas.

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” Jo 8:32

Algumas das pessoas para as quais Jesus estava falando não gostaram e disseram: “Responderam-lhe: Somos, descendência de Abrão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes tu: Sereis livres?” João 8:33

Jesus agora de uma forma muito clara esclarece a questão e fala para todos do que as pessoas precisam ser libertadas.

“Replicou-lhe Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Todo o que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não fica sempre na casa; o filho, sim, para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”João 8:34-36

 A libertação oferecida por Jesus é a libertação plena, real, da escravidão do pecado. Isso é maravilhoso!

O pecado prende, escraviza: “Quanto ao perverso, as suas iniquidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.” Provérbios 5:22

Mas Jesus liberta:

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”João 8:36

“O Espírito do Senhor Deus esta sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas- novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1

Vejamos agora este comentário maravilhoso que a serva do Senhor faz desta parte das escrituras.

“Toda alma que recusa entregar-se a Deus, acha-se sob o domínio de outro poder. Não pertence a si mesma. Pode falar de liberdade, mas está na mais vil servidão. Não lhe é permitido ver a beleza da verdade, pois sua mente se encontra sob o poder de Satanás. Enquanto se lisonjeia de seguir os ditames de seu próprio discernimento, obedece à vontade do príncipe das trevas. Cristo veio quebrar as algemas da escravidão do pecado para a alma.”Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.”A lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus”nos liberta”da lei do pecado e da morte”. Rom. 8:2.

Não há constrangimento na obra da redenção. Não se exerce nenhuma força externa. Sob a influência do Espírito de Deus, o homem é deixado livre para escolher a quem há de servir. Na mudança que se opera quando a alma se entrega a Cristo, há o mais alto senso de liberdade. A expulsão do pecado é ato da própria alma. Na verdade, não possuímos capacidade para livrar-nos do poder de Satanás; mas quando desejamos ser libertos do pecado e, em nossa grande necessidade, clamamos por um poder fora de nós e a nós superior, as faculdades da alma são revestidas da divina energia do Espírito Santo, e obedecem aos ditames da vontade no cumprir o querer de Deus.

A única condição em que é possível o libertamento do homem, é tornar-se ele um com Cristo. “A verdade vos libertará” (João 8:32); e Cristo é a verdade. O pecado só pode triunfar, enfraquecendo a mente e destruindo a liberdade da alma. A sujeição a Deus é restauração do próprio ser – da verdadeira glória e dignidade do homem. A lei divina, à qual somos postos em sujeição, é a ”lei da liberdade”. Tia. 2:12.” DTN, pág.  466

É fantástico o que o Senhor quer fazer em nossa vida. O Senhor quer nos libertar da escravidão do pecado!

“Seja qual for a má prática, a dominante paixão que, devido à longa condescendência, acorrenta alma e corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. Comunica vida à alma morta em ofensas. Efés. 2:1. Porá em liberdade o cativo preso pela fraqueza, o infortúnio e as cadeias do pecado.” DTN. Pág. 203

Hoje me entristece constatar que mesmo entre nós Adventistas do 7° Dia são poucos os que acreditam nesta libertação e mais ainda, ver que estes poucos são chamados de extremistas, perfeccionistas e outras coisas mais. Esse é o motivo que me faz pensar primeiro em nosso povo, Adventistas do 7° Dia quando leio ”Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Um dia pregaremos essa mensagem para o mundo com grande poder, mas antes, temos que acreditar nela!

No texto a seguir podemos ver o que causou uma grande angústia em Jesus no momento em que Ele estava morrendo para nos salvar. Convido meus irmãos para lerem este texto com muita atenção, pedindo a iluminação de Deus.

“E agora, estava a morrer o Senhor da glória, o Resgate da raça. Entregando a preciosa vida, não foi Cristo sustido por triunfante alegria. Tudo eram opressivas sombras. Não era o temor da morte que O oprimia. Nem a dor e a ignomínia da cruz Lhe causavam a inexprimível angústia. Cristo foi o príncipe dos sofredores; mas Seu sofrimento provinha do senso da malignidade do pecado, o conhecimento de que, mediante a familiaridade com o mal, o homem se tornara cego à enormidade do mesmo. Cristo viu quão profundo é o domínio do pecado no coração humano, quão poucos estariam dispostos a romper com seu poder.” DTN, pág. 752

Depois de ter lido este texto análise sua situação. Você esta entre os que acreditam ou entre os que não acreditam que o homem pode romper com a escravidão do pecado?

Vamos acreditar nesta possibilidade, orar uns pelos outros para que estejamos preparados para o encontro com o Senhor.

“Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do Israel moderno na Canaã celestial. Em nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de pecado e dor por tantos anos. Manuscrito 4, 1883.” ME,  vol.1 pág. 69