Archive for the ‘Perfeição de caráter’ Tag

Perfeição de caráter

Testemunho e Serviço

Ellen G. White, a serva do Senhor, afirma que “O caráter formado segundo a semelhança divina é o único tesouro que deste mundo podemos levar para o futuro. Aqueles que nesta vida estão sob a instrução de Cristo, levarão consigo, para as mansões celestes, todo aprendizado divino. E no Céu deveremos progredir continuamente.” Parábolas de Jesus, pág. 332.

Não é difícil de entender que precisamos urgentemente de uma mudança de vida. Os traços mundanos de nosso caráter precisam ser transformados pela graça de Cristo, mediante o poder do Senhor Espírito Santo, para sermos dignos de passar pelos portões celestiais.

Selecionamos alguns conselhos inspirados para nossa atenção e aprendizado:

  • O único tesouro que levaremos deste mundo

“Um caráter formado segundo a semelhança divina é o único tesouro que poderemos levar deste mundo para o vindouro. […]  

[…] Nas reivindicações que fez, Cristo teve em mente nossa natureza. Cristo tomou sobre Si nossa natureza, e veio para trazer poder moral para ser unido ao esforço humano. […] Nosso espírito pode de tal maneira se identificar com o dEle, que seremos um com Ele em nossos pensamentos e intenções. […]

[…] O caráter que uma pessoa forma neste mundo determina seu destino para a eternidade.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 61

  • Qual deve ser nosso tema de estudo

“A menos que tenhamos luz em nós mesmos, não poderemos deixar nossa luz brilhar aos outros a fim de atrair a atenção deles para as coisas celestiais. Devemos estar imbuídos do Espírito de Jesus Cristo, ou não poderemos manifestar Cristo em nós, a esperança da glória. Devemos permitir que o Salvador habite em nós, ou seremos incapazes de exemplificar em nossa conduta Sua vida de devoção, Seu amor, Sua bondade, piedade, compaixão, abnegação e pureza. Esse é o nosso sincero desejo. O tema de estudo de nossa vida deve ser: Como ajustarei meu caráter ao padrão bíblico de santidade? […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 83

  • O que cada um deve avaliar em sua própria vida

“No instante em que o convite celestial alcançou seus ouvidos, sua resposta foi: “Sim, Senhor, eu creio na verdade”? Mas, pelas ações da sua vida, você demonstrou descrer? Abrigou você a verdade em seu coração? Permitiu que o poder transformador dela tomasse posse de seu ser? Foi a graça santificadora introduzida em seu caráter?Como você se encontra? […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 92

  • Porque devemos desejar a perfeição de caráter

“A descoberta desses defeitos deve levá-los a odiar o espelho ou odiar a si mesmos? Devem rejeitar o espelho que revela tais defeitos? Não. Os pecados cultivados, que o espelho fiel revela existirem em seu caráter, fecharão os portais do Céu para sua entrada, a menos que sejam abandonados e eles se tornem perfeitos diante de Deus.”  Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 137

“Deus somente aceitará os que estão decididos a ter um alvo elevado. Coloca cada agente humano sob a obrigação de fazer o melhor. De todos é requerido perfeição moral. Nunca devemos abaixar a norma de justiça com o fim de acomodar à prática do mal, tendências herdadas ou cultivadas. Precisamos compreender que imperfeição de caráter é pecado. Todos os justos atributos de caráter habitam em Deus como um todo perfeito e harmonioso, e todo aquele que aceita a Cristo como Salvador pessoal, tem o privilégio de possuir estes atributos.”  Parábolas De Jesus, pág. 330

“Percebem que possuem uma parte a desempenhar na obra de salvação. Vigiam e oram e trabalham pela salvação de seus semelhantes. Moldados e transformados pelo Espírito Santo, adquirem a profundidade, a amplitude e a estabilidade do caráter cristão. Beneficiam-se da contínua felicidade espiritual. Ao seguir os passos de Cristo, identificam-se com Ele em Seus planos abnegados. Tais cristãos não são frios nem insensíveis. Eles têm o coração cheio de abnegado amor pelos pecadores. Lançam para longe de si toda ambição profana, todo egoísmo. O contato com as coisas profundas de Deus os torna cada vez mais semelhantes ao seu Salvador. Exultam em Seus triunfos; enchem-­se de Seu regozijo. Dia a dia crescem, até a estatura completa de homens e mulheres em Cristo. […]”  Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 92

  • Podemos “ser libertados do controle das concupiscências da carne”

“É privilégio dos filhos de Deus ser libertados do controle das concupiscências da carne e preservar seu peculiar e santo caráter que os distingue dos amantes do mundo. Em seu sentimento moral, em seus hábitos e costumes eles são separados do mundo. Quem são os filhos de Deus? São os membros da família real, e uma “nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9). […] Devemos colocar nossa vontade ao lado da vontade do Senhor e decidir firmemente que, por Sua graça, seremos libertos do pecado (Review and Herald, 1º de agosto de 1893).”  Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 77

“Deixará você as escuras moradas da miséria e do pecado em busca das mansões que Jesus foi preparar para Seus seguidores? Rogamos, em Seu nome, que firme seus pés resolutamente na escada e suba rumo ao alto. Abandone seus pecados, procure vencer seus defeitos de caráter e apegue-­se a Jesus, o caminho, a verdade e a vida. Podemos, cada um de nós, ser vencedores. Nenhum daqueles que perseverar perderá a vida eterna. Os que crerem em Cristo nunca perecerão. Ninguém os arrancará de Sua mão (Signs of the Times, 31 de julho de 1884).”   Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 218

“Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito {Gál. 5:25}. [ … ] Não podemos discernir espiritualmente o caráter de Deus, ou aceitar a Jesus Cristo pela fé, a menos que nossa vida e caráter sejam marcados pela pureza, “derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo”(2Co. 10:5). [ … ] MM Perto Do Céu, pág.296

  • Como alcançar a perfeição de caráter

“Ninguém diga: Não posso corrigir meus defeitos de caráter. Se chegardes a essa decisão, certamente deixareis de alcançar a vida eterna. A impossibilidade está em nossa própria vontade. Se não quiserdes não vencereis. A dificuldade real vem da corrupção de um coração não santificado, e da involuntariedade de se submeter à direção de Deus.” Parábolas De Jesus, pág. 331

“Cristo, porém, não nos deu garantia alguma de que é fácil alcançar perfeição de caráter. Não se herda caráter perfeito e nobre. Não o recebemos por acaso. O caráter nobre é ganho por esforço individual mediante os méritos e a graça de Cristo. Deus dá os talentos e as faculdades mentais; nós formamos o caráter. É formado por combates árduos e relutantes com o próprio eu. As tendências herdadas devem ser banidas por um conflito após outro. Devemos esquadrinhar-nos detidamente e não permitir que permaneça traço algum incorreto.” Parábolas De Jesus, pág. 331

“Nenhum de nós pode, em sua própria força, representar o caráter de Cristo; mas, se Jesus vive no coração, o espírito que nEle habita se revelará em nós; será suprida toda a nossa deficiência.” Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 7

“O Senhor tomou grande cuidado para que tudo nos fosse agradável e aprazível, no entanto, empenhou-Se muito mais para nos conceder o dom por meio do qual podemos aperfeiçoar o caráter cristão, segundo o padrão de Cristo.”   Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 85

 “A condenação da figueira estéril tem uma aplicação individual aos professos seguidores que manifestam as tendências naturais de um coração não renovado e em sua vida diária contradizem a fé. Eles não representam o caráter de Cristo ao mundo, pois Cristo não está neles.” Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 99

“No plano de restaurar nos seres humanos a imagem divina, foi estipulado que o Espírito Santo atuasse na mente humana e fosse, como a presença de Cristo, uma influência modeladora no caráter humano. Aceitando a verdade, as pessoas também se tornam recipientes da graça de Cristo e dedicam sua santificada capacidade humana à obra em que Cristo Se empenhou – os seres humanos se tornam cooperadores de Deus. É com a finalidade de tornar as pessoas instrumentos para Deus que a verdade divina é inculcada em sua compreensão. […]”  Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 154

“Se a mente é moldada pelos objetos com os quais está mais relacionada,então pensar e falar em Jesus vai capacitá-los para que sejam semelhantes a Ele em espírito e em caráter. Vocês refletirão Sua imagem naquilo que é grandioso, puro e espiritual. Terão a mente de Cristo e Ele os enviará ao mundo como Seus  representantes espirituais. [… ]” Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 162

“É o crescer no conhecimento do caráter de Cristo que santifica o coração.” Meditação Matinal 2013 – Perto Do Céu, pág. 162

Os seres celestiais cooperarão com o agente humano que procura com fé decidida a perfeição de caráter que se manifeste na ação perfeita. A todo que se empenha nesta obra, Cristo diz: Estou à tua destra, para te auxiliar.” Parábolas De Jesus, pág. 332

  • Os que alcançarem a perfeição de caráter nunca dirão de uma forma arrogante que são perfeitos, essa perfeição será imperceptível para eles mesmos.

“É o Espírito Santo, o Consolador, que Jesus disse que havia de mandar ao mundo, que nos muda o caráter à imagem de Cristo; e quando isto é efetuado, refletimos como em um espelho a glória do Senhor. Isto é, o caráter daquele que assim contempla a Cristo é-Lhe tão semelhante, que quem o olha vê o próprio caráter de Cristo a refletir-se como de um espelho. De maneira imperceptível para nós mesmos, somos transformados de dia em dia, de nossa própria maneira de ser e vontade, para os modos e a vontade de Cristo, para a beleza de Seu caráter. Assim crescemos à estatura de Cristo e, inconscientemente, refletimos-Lhe a imagem. Review and Herald, 28 de abril de 1891.” Meditação Matinal – Nossa Alta Vocação pág. 56

  • Constante marcha avante preparação para transladação

“A santificação não é obra de um momento, uma hora, ou um dia. É um contínuo crescimento na graça. Não sabemos um dia qual será nossa luta no dia seguinte. Satanás vive e está ativo, e precisamos cada dia clamar fervorosamente a Deus por auxílio e força para resistir-lhe. Enquanto Satanás reinar, teremos de subjugar o próprio eu, teremos assaltos a vencer, e não há lugar de parada, nenhum ponto a que possamos chegar e dizer que atingimos plenamente. [ …] A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus coloca-Se como refinador e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação.”     Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 112-114; Maranata O Senhor Vem, pág. 87

  • Nosso objetivo: Perfeição, ter o caráter de Cristo

“O ideal do caráter cristão, é a semelhança com Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua. Jesus foi em todas as coisas feito semelhante a Seus irmãos. Tornou-Se carne, da mesma maneira que nós. Tinha fome, sede e fadiga. Sustentava-Se com alimento e refrigerava-Se pelo sono. Era Deus em carne. Ele compartilhou da sorte do homem; não obstante, foi o imaculado Filho de Deus. Seu caráter deve ser o nosso. Diz o Senhor dos que nEle crêem: “Neles habitarei, e entre eles andarei; e Eu serei o seu Deus e eles serão o Meu povo.” II Cor. 6:16.” O Desejado De Todas As Nações, pág. 311

Satanás tenta de todas as maneiras fazer com que os homens não acreditem na perfeição de caráter porque ele sabe que quando o povo de Deus acreditar e no poder do Senhor alcançar um estilo de vida no qual estejam refletindo o caráter de Cristo o Senhor voltará e estabelecerá o Seu reino e destruirá Satanás e seu reino de trevas.  

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. “Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.”  Parábolas De Jesus, pág. 69

Senhor aumente nossa fé e purifique completamente nosso coração! Deus seja louvado!

Perto do Céu

wall and opened to sky door on a white background

Em um mundo onde a degradação moral se propaga de forma alarmante, o Senhor tem chamado a cada um de seus filhos para uma vida completamente santificada. O Senhor coloca a nossa disposição Sua graça maravilhosa que é capaz de nos transformar em filhos obedientes, retirando de nós tudo que não está de acordo com os santos princípios dos Céus. Os que atenderem ao chamado do Senhor e se entregarem a Ele serão transformados e, então livres do pecado, viverão a plena santidade. Estes demonstrarão para todo o universo o que a graça de Deus pode fazer na vida do homem. Assim estarão glorificando ao Senhor e iluminado a Terra, revelando o Seu caráter.

Temos que estar atentos ao chamado do Senhor e aceitar a obra que Ele deseja realizar em nossa vida. O Senhor tem nos falado através da Bíblia, lições da escola sabatina e do Espírito de profecia. Não podemos negligenciar ou rejeitar os chamados de nosso Pai que tanto nos ama. Não podemos permitir que os cuidados desta vida nos impeçam de darmos a devida atenção à mensagem do Senhor para nós. Não podemos ler as mensagens que o Senhor nos têm concedido de uma forma superficial, mecânica ou legalista. Precisamos urgentemente entender que a nossa salvação depende da plena compreensão e aceitação dessa mensagem por amor a Ele.

Um exemplo de como o Senhor tem nos chamado para vivermos de acordo com Seus princípios é a Meditação Matinal de 2013, Perto Do Céu.

A seguir selecionamos alguns textos desta meditação onde vemos claramente o desejo do Senhor de nos libertar do pecado e dar nova vida. Oremos para que o Senhor elimine nossa cegueira e rebeldia para que possamos ver e aceitar essa preciosa mensagem:

“Nenhum de nós pode, em sua própria força, representar o caráter de Cristo; mas, se Jesus vive no coração, o espírito que nEle habita se revelará em nós; será suprida toda a nossa deficiência.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 7

“Necessita-se de homens competentes na igreja, trabalhadores bem-sucedidos na vinha do Senhor, homens e mulheres que trabalhem para que a igreja seja transformada à imagem de Cristo, em vez de se conformar aos costumes e práticas do mundo.“ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 7

 “A religião da Bíblia não é uma roupa que podemos pôr e tirar a nosso gosto. Ela é uma influência envolvente, que nos leva a ser pacientes, abnegados seguidores de Cristo, fazendo como Ele fez, andando como Ele andou. […] Essa religião nos ensina a mostrar paciência e tolerância quando somos postos em lugares em que recebemos tratamento rude e injusto. […] Mas se a Palavra de Deus é um princípio permanente em nossa vida, tudo que tivermos de fazer, cada palavra, cada ato mesmo que trivial, revelará que somos sujeitos a Jesus Cristo, que até nossos pensamentos foram levados cativos a Ele.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 18

“Roguem a ­Deus que em vocês efetue completa reforma; que os frutos do Seu Espírito habitem em vocês, e que, por sua vida piedosa, brilhem como luzes no mundo. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 20

“A Palavra de Deus combate todo mau traço de caráter, moldando o homem inteiro, interna e externamente, rebaixando o seu orgulho e presunção e levando-o a introduzir o espírito de Cristo nos menores bem como nos maiores deveres da vida. Ela o ensina a ser inabalável em sua lealdade à justiça e pureza, e, ao mesmo tempo, a ser sempre bondoso e compassivo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 33

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15). Ele salva os seres humanos, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência. Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e mente em tanta conformidade com Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. A vontade, refinada, santificada, encontrará seu mais elevado deleite em fazer Seu serviço (Review and Herald, 14 de julho de 1910).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 34

Oração feita por Ellen White na Assembleia da Associação Geral: “Nosso Pai celestial, nos achegamos a Ti nesta manhã tal qual estamos, necessitados e totalmente dependentes de Ti. Ajuda-nos a ter uma noção clara do que devemos ser e o caráter que devemos desenvolver, a fim de estarmos preparados para nos unir à família celestial na cidade de nosso Deus. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 37

“Não é em nossa fé que devemos confiar, porém nas promessas de Deus. Quando nos arrependemos de nossas transgressões passadas, contra Sua lei, e resolvemos prestar obediência no futuro, devemos crer que Deus, por amor de Cristo nos aceita e perdoa nossos pecados.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 51

“Aqueles que andam na luz da verdade emitirão luz aos que estão ao seu redor. São testemunhas vivas de Cristo. Não se assemelharão aos que seguem o mundo, vivem em trevas morais, sendo amantes de si mesmos e das coisas do mundo, e buscam tesouros terrenos. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 67

“A menos que tenhamos luz em nós mesmos, não poderemos deixar nossa luz brilhar aos outros a fim de atrair a atenção deles para as coisas celestiais. Devemos estar imbuídos do Espírito de Jesus Cristo, ou não poderemos manifestar Cristo em nós, a esperança da glória. Devemos permitir que o Salvador habite em nós, ou seremos incapazes de exemplificar em nossa conduta Sua vida de devoção, Seu amor, Sua bondade, piedade, compaixão, abnegação e pureza. Esse é o nosso sincero desejo. O tema de estudo de nossa vida deve ser: Como ajustarei meu caráter ao padrão bíblico de santidade? […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 83

“O Senhor tomou grande cuidado para que tudo nos fosse agradável e aprazível, no entanto, empenhou-Se muito mais para nos conceder o dom por meio do qual podemos aperfeiçoar o caráter cristão, segundo o padrão de Cristo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 85

Cristo é a grande solução para o pecado. Ninguém pode alegar que as circunstâncias, educação ou temperamento sejam uma desculpa para viver em rebelião contra Deus. Os pecadores são assim por sua escolha deliberada.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 145

“No plano de restaurar nos seres humanos a imagem divina, foi estipulado que o Espírito Santo atuasse na mente humana e fosse, como a presença de Cristo, uma influência modeladora no caráter humano. Aceitando a verdade, as pessoas também se tornam recipientes da graça de Cristo e dedicam sua santificada capacidade humana à obra em que Cristo Se empenhou – os seres humanos se tornam cooperadores de Deus. É com a finalidade de tornar as pessoas instrumentos para Deus que a verdade divina é inculcada em sua compreensão. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 154

“Existem apenas duas classes em todo o Universo: os que creem em Cristo e cuja fé os leva a guardar os mandamentos de Deus, e os que não creem nEle e são desobedientes. […]”Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 167

“Durante trezentos anos, andou [Enoque] com Deus, dando ao mundo o exemplo de uma vida pura e imaculada, uma vida de notável contraste com a vida dos homens daquela geração obstinada e perversa, que desrespeitava abertamente a santa lei de Deus e se vangloriava de estar livre de suas restrições. Mas o testemunho e o exemplo dele foram igualmente ignorados, pois as pessoas amaram o pecado mais do que a santidade. Enoque, porém, serviu a Deus com singeleza de coração, e o Senhor comunicou a ele Sua vontade. Por meio de uma santa visão, revelou-lhe os grandes acontecimentos relacionados à segunda vinda de Cristo. E, finalmente, esse servo favorecido do Senhor foi levado ao Céu pelos anjos sem ver a morte.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 188

“Rogamos àqueles que têm ligação com Deus que orem fervorosamente e que não parem aí, mas trabalhem pela purificação da igreja tanto quanto oram por isso. O tempo presente chama homens e mulheres que tenham firmeza moral e de propósito; homens e mulheres que não sejam moldados ou subjugados por quaisquer influências não santificadas. […] “ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 44

“Sem santificação, diz-nos a Palavra de Deus, ninguém poderá ver o Senhor. Sem pureza de vida é impossível estarmos habilitados a morar com os santos e imaculados anjos, no puro e santo Céu. Nenhum pecado pode haver lá. Nenhuma impureza pode entrar pelos portais de pérola da cidade dourada de Deus. E a questão que compete a nós é: se nos afastamos de todo pecado e satisfazemos as condições que Deus nos propõe para que nos tornemos seus filhos e filhas. Ele requer de nós separação do mundo para que nos tornemos membros da família real. […] Quando todos estivermos prontos, tendo vencido todo pecado, afastado toda iniquidade, estaremos em condições de receber o toque final da imortalidade. [… ]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 38

“A única fé verdadeira é aquela que “atua pelo amor” (Gl 5:6) e purifica o coração. É como o fermento que transforma o caráter. […] O evangelho de Cristo significa piedade prática, uma religião que eleva aquele que a recebe acima do seu estado de depravação natural. Aquele que contempla o Cordeiro de Deus sabe que Ele tira o pecado do mundo. A verdadeira religião trará como resultado um desenvolvimento na vida e no caráter inteiramente diferente daquele que foi visto na vida dos escribas e fariseus. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 55

 “Se pudermos apreciar essa grande bênção, que benefício será para nós! É-nos dado o privilégio de ser colaboradores juntamente com Deus na nossa salvação. Receber e crer é a parte que nos cabe nesse pacto. Devemos receber a Cristo como nosso Salvador pessoal e continuar crendo nEle. Isso significa permanecer em Cristo, demonstrando, em todo o tempo e sob todas as circunstâncias, uma fé nEle que seja uma representação do Seu carátera fé que opera pelo amor e purifica o coração de toda impureza. […] Cada pessoa deve alcançar uma experiência própria. Ninguém pode depender da experiência ou prática de outros para a salvação. Cada um de nós precisa se familiarizar com Cristo para poder representá-Lo devidamente ao mundo. […] Nenhum de nós necessita justificar seu temperamento irritável, o caráter malformado, egoísmo, inveja, ciúmes ou qualquer impureza da mente, do corpo ou do espírito. Deus nos chamou para glória e virtude. Devemos atender ao chamado. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 58

 “Um caráter formado segundo a semelhança divina é o único tesouro que poderemos levar deste mundo para o vindouro. […] Nas reivindicações que fez, Cristo teve em mente nossa natureza. Cristo tomou sobre Si nossa natureza, e veio para trazer poder moral para ser unido ao esforço humano. […] Nosso espírito pode de tal maneira se identificar com o dEle, que seremos um com Ele em nossos pensamentos e intenções. […] O caráter que uma pessoa forma neste mundo determina seu destino para a eternidade.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 61

 “Por vezes, ouve-se um suposto seguidor de Cristo dizer: “Vocês não devem ficar surpresos se eu pareço rude, se falo francamente, se manifesto mau humor: esse é o meu jeito de ser.” Você diz para não ficarmos surpresos! Não estaria o Céu surpreso diante de tais manifestações, tendo em vista o plano da salvação que foi elaborado, o infinito sacrifício feito na cruz do Calvário para que você reflita a imagem de Jesus? Esse “seu jeito” vai entrar no Céu? Suponha que alguém se aproxime dos portais de pérola e diga: “Eu sei que fui rude, fui mau, além da minha inclinação para mentir e roubar, mas quero entrar nas mansões celestiais.” Esse tipo de temperamento achará entrada através dos portais da cidade celestial? Não, não! Somente entrarão lá aqueles que observarem os caminhos de Deus.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 62

 “É privilégio dos filhos de Deus ser libertados do controle das concupiscências da carne e preservar seu peculiar e santo caráter que os distingue dos amantes do mundo. Em seu sentimento moral, em seus hábitos e costumes eles são separados do mundo. Quem são os filhos de Deus? São os membros da família real, e uma “nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9). […] Devemos colocar nossa vontade ao lado da vontade do Senhor e decidir firmemente que, por Sua graça, seremos libertos do pecado (Review and Herald, 1º de agosto de 1893).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 77

 […] Podemos viver no ar puro do Céu. Poderemos fechar a porta para a imaginação impura e os pensamentos não santificados se levarmos nosso coração à presença de Deus por meio da oração sincera. Aqueles cujo coração estiver aberto para receber o apoio e a bênção de Deus andarão em uma atmosfera mais santa do que a da Terra e manterão comunhão constante com o Céu. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 21

 “A Bíblia deve ser estudada com especial interesse, pois contém as informações mais valiosas que seres finitos podem obter e mostram a maneira de nos prepararmos para a vinda do Filho do homem nas nuvens do Céu, levando-nos a abandonar o pecado e nos revestindo das vestes brancas do caráter que nos darão entrada às mansões as quais Cristo disse aos Seus discípulos que estava indo preparar para eles. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 31

“Assim como a figueira estéril, muitos exibem seus galhos cobertos de folhagem diante do Senhor, orgulhosamente alegando ser o povo que guarda Seus mandamentos, enquanto Aquele que examina o coração os encontra destituídos de fruto. [… ] A condenação da figueira estéril tem uma aplicação individual aos professos seguidores que manifestam as tendências naturais de um coração não renovado e em sua vida diária contradizem a fé. Eles não representam o caráter de Cristo ao mundo, pois Cristo não está neles.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 99

“Como o enxerto recebe vida quando ligado à videira, assim o pecador participa da natureza divina quando em união com Cristo. O ser humano finito é ligado com o infinito Deus (Review and Herald, 2 de novembro de 1897).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 113

“Consideraremos um sacrifício de nossa parte trocar o erro pela verdade, as trevas pela luz, a fraqueza pela força, o pecado pela justiça, um nome e uma herança perecíveis na Terra por honras perduráveis e um tesouro imortal? […]”  Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 128

“As verdades da Palavra de Deus devem ser aplicadas a nós, e nós devemos nos apoderar delas. Se assim o fizermos, elas exercerão uma influência santificadora em nossa vida; elas nos moldarão para que possamos nos preparar para o reino da glória; para que no momento em que a porta da graça se fechar, possamos ver o Rei em Sua formosura e estar na presença de Deus para sempre. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 130

“O pecado domina entre o povo de Deus. […] Muitos se apegam a suas dúvidas e a seus pecados cultivados, enquanto se encontram em tão grande engano que dizem e sentem que não necessitam de nada. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 132

“A descoberta desses defeitos deve levá-los a odiar o espelho ou odiar a si mesmos? Devem rejeitar o espelho que revela tais defeitos? Não. Os pecados cultivados, que o espelho fiel revela existirem em seu caráter, fecharão os portais do Céu para sua entrada, a menos que sejam abandonados e eles se tornem perfeitos diante de Deus.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 137

“Quando homens e mulheres reconhecem as exigências da lei de Deus e firmam os pés sobre a plataforma da verdade eterna, colocam-se em uma posição em que o Senhor pode lhes conferir poder moral para que deixem sua luz brilhar claramente diante dos homens, para que eles possam ver suas boas obras e glorifiquem nosso Pai que está no Céu.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 137

“É a graça implantada por Cristo na vida que cria a inimizade contra Satanás. Sem essa graça, continuaríamos cativos de Satanás, servos sempre prontos a lhe cumprir as ordens. O novo princípio no coração cria conflito onde até então reinava a paz. O poder que Cristo comunica nos habilita a resistir ao tirano e usurpador. Sempre que se vê alguém aborrecer o pecado em vez de amá-lo, quando resiste àqueles desejos que exerciam domínio interior e os vence, vê-se aí a operação de um princípio inteiramente de cima (Review and Herald, 18 de julho de 1882).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 159

“Ao crermos no Filho, seremos obedientes a todos os mandamentos do Pai, e teremos vida por meio de Jesus Cristo. […]  Cristo é a nossa esperança e o nosso refúgio. Sua justiça é atribuída apenas ao obediente. Vamos aceitá-la pela fé, para que o Pai não encontre em nós pecado algum (Review and Herald, 21 de setembro de 1886).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 160

“Se a mente é moldada pelos objetos com os quais está mais relacionada, então pensar e falar em Jesus vai capacitá-los para que sejam semelhantes a Ele em espírito e em caráter. Vocês refletirão Sua imagem naquilo que é grandioso, puro e espiritual. Terão a mente de Cristo e Ele os enviará ao mundo como Seus representantes espirituais. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“É o crescer no conhecimento do caráter de Cristo que santifica o coração.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“Cristo jamais deve ser esquecido. […] É Ele quem dissipa todas as nossas dúvidas; é o penhor de todas as nossas esperanças. Quão precioso é o pensamento de que verdadeiramente podemos nos tornar participantes da natureza divina, e assim vencer como Cristo venceu! […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 162

“Por meio do sacrifício de Cristo, o ser humano é capacitado a obedecer. […] O Filho de Deus, revestido da natureza humana e tentado em todos os pontos como nós somos tentados, enfrentou e resistiu aos assaltos do inimigo. Na força dEle, os seres humanos podem obter a vitória, enfrentar o tentador e não ser vencidos por seus ardis e arrogantes ofertas. Ao aceitar Cristo como seu Salvador pessoal, homens e mulheres podem permanecer firmes contra as tentações do inimigo. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 175

”É a submissão ao pecado que traz grande infelicidade ao coração. Não é a pobreza, mas a desobediência que reduz a esperança da pessoa de ganhar a vida eterna, que o Salvador veio conceder-lhe. As verdadeiras riquezas, a verdadeira paz, o verdadeiro contentamento e a felicidade duradoura são encontrados apenas na submissão completa a Deus, na reconciliação perfeita com a vontade dEle. Cristo veio ao nosso mundo viver em imaculada pureza para, assim, mostrar aos pecadores que em Sua força eles também podem obedecer aos santos preceitos de Deus, às leis de Seu reino. Ele veio engrandecer a lei e dignificá-la por meio de Sua perfeita conformidade com seus princípios. Ele unificou a humanidade e a divindade, para que os seres humanos caídos possam se tornar participantes da natureza divina. […] Do Pai foi que Cristo constantemente extraía poder que O capacitava a manter Sua vida livre da mácula ou mancha do pecado (Review and Herald, 4 de julho de 1912).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 178

“Em todos os momentos e em todos os lugares o cristão deve ser aquilo que o Senhor planejou que fosse: uma pessoa livre em Cristo Jesus. O dever cumprido no Espírito de Cristo será realizado com prudência santificada. Seremos guiados como que por uma luz celestial ao mantermos ligação vital com Deus. […] Os que se arrependeram de seus pecados e lançaram o espírito cansado e sobrecarregado aos pés de Cristo, que se submeteram ao Seu jugo e se tornaram Seus colaboradores, serão participantes com Cristo de Seus sofrimentos, como também de Sua natureza divina. […] Jesus é o nosso exemplo, e dEle recebemos força e graça para andar em humildade e contrição diante de Deus (Signs of the Times, 22 de agosto de 1895).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 182

“Os que têm fome e sede de justiça são cheios do profundo desejo de ser semelhantes a Cristo no caráter, de se assemelhar à Sua imagem, de guardar o caminho do Senhor e fazer justiça e juízo. Devemos sempre cultivar o mais sincero desejo pela justiça de Cristo. Nenhum desejo temporal deve atrair e distrair nossa mente a tal ponto de não experimentarmos a fome de espírito de possuir os atributos de Cristo. […] Em meio a problemas e aflições, o coração anseia pelo amor e poder de Deus. Há o intenso desejo de certeza, esperança, fé, confiança. Buscamos o perdão, a paz e a justiça de Cristo. […] Todo aquele que busca o Senhor de todo coração tem fome e sede de justiça. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 183

“[…] Ligado a Ele, a fonte de toda sabedoria, o ser humano pode alcançar o topo da excelência moral!” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 204

“Deixará você as escuras moradas da miséria e do pecado em busca das mansões que Jesus foi preparar para Seus seguidores? Rogamos, em Seu nome, que firme seus pés resolutamente na escada e suba rumo ao alto. Abandone seus pecados, procure vencer seus defeitos de caráter e apegue-­se a Jesus, o caminho, a verdade e a vida. Podemos, cada um de nós, ser vencedores. Nenhum daqueles que perseverar perderá a vida eterna. Os que crerem em Cristo nunca perecerão. Ninguém os arrancará de Sua mão (Signs of the Times, 31 de julho de 1884).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 218

“As pessoas podem falar de liberdade, do Evangelho da liberdade. Mas a influência da esperança evangélica não levará o pecador a considerar a salvação de Cristo como uma questão de livre graça, enquanto continuar vivendo em transgressão à lei de Deus. Quando a luz da verdade nasce em seu espírito, e ele compreende plenamente as reivindicações de Deus e percebe a extensão de suas transgressões, reformará seus caminhos. Irá se tornar leal a Deus mediante o fortalecimento em seu Salvador, e levará uma vida nova e pura.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 283

“Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito {Gál. 5:25}. [ … ] Não podemos discernir espiritualmente o caráter de Deus, ou aceitar a Jesus Cristo pela fé, a menos que nossa vida e caráter sejam marcados pela pureza, “derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo”(2Co. 10:5). [ … ] Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 296

“A fonte do coração se deve purificar para que a corrente se possa tornar pura. Não há segurança para uma pessoa que tenha religião meramente legal, uma forma de piedade. A vida cristã não é uma modificação ou melhoramento da antiga, mas uma transformação da natureza. Tem lugar a morte do eu e do pecado, e uma vida toda nova. Essa mudança só se pode efetuar mediante a eficaz operação do Espírito Santo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 297

“Temos senão um único período de graça para formar o caráter, e nosso destino depende do tipo de caráter que formamos. Os que na Terra formam um caráter que, por meio da graça de Cristo, apresenta o modelo celestial, serão aperfeiçoados pela graciosa influência do Espírito Santo para receber a recompensa eterna. Tornam-se participantes da natureza divina […] . Sabemos que nosso caráter deve ser semelhante ao de Cristo, para que seja um hino de louvor e gratidão a Deus […]. Terão parte na vida eterna aqueles que r4eceberem a bondade, a misericórdia e o amor de Cristo e pela contemplação são transformados à imagem dEle. Os atributos de seu caráter são como os de Cristo e não podem falhar na última prova para o povo de Deus, […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 371

“O trabalho que Deus começou no coração humano mediante Sua luz e conhecimento deve estar continuamente avançando. Cada indivíduo deve estar consciente da própria necessidade. Deve o coração ser esvaziado de toda mancha, purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado, deve ser feito agora. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 360

“Todo aquele que entrar por aquelas portas e caminhar por aquelas ruas terá sido transformado e purificado aqui pelo poder da verdade, e a coroa de glória imortal adornará a fronte do vencedor.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 356

“Como é difícil para Cristo colocar a idéia correta da natureza espiritual de Seu reino na mente de Seus discípulos. Como é difícil para eles reconhecer a necessidade da oração constante, do arrependimento sincero, da conquista cada vez maior da perfeição de caráter, que é o sal da experiência cristã e a evidência da operação do Espírito Santo no coração. […]” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 355

“Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Quando nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isto é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová. [.., ] Não haverá oportunidade futura em que as pessoas poderão se preparar para a eternidade. Nesta vida é que devemos trajar as vestes da justiça de Cristo. Essa é nossa única oportunidade de formar o caráter para o lar que Cristo preparou para os que obedecem aos Seus mandamentos. Rapidamente, os dias do tempo de graça estão terminando. O fim está próximo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 307

“Verdadeira santificação não é nada mais nem menos do que amar a Deus e de todo coração e andar de modo irrepreensível em Seus mandamentos e preceitos. Santificação não é uma emoção, mais um princípio de origem celestial, que coloca todas as paixões e desejos sobre o domínio do Espírito de Deus. Essa obra é efetuada por meio de nosso Senhor e Salvador.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 292

“Jesus recuperou o Céu para o ser humano, suportando a prova a que Adão deixou de resistir, pois Ele obedeceu perfeitamente à lei, e todos os que têm correta compreensão do plano da redenção verão que não podem ser salvos enquanto continuam na transgressão dos santos preceitos de Deus. Precisam cessar de transgredir a lei e se apegar às promessas divinas que se acham a nossa disposição por meio dos méritos de Cristo.” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 293

“Como Cristo viveu a lei na humanidade, assim podemos fazer, se nos apegarmos ao poderoso Deus em busca de força. Ao compreender que não podemos fazer nada de nós mesmos, receberemos sabedoria do alto para honrar e glorificar a Deus. E contemplando “a glória do Senhor”, seremos “transformados, de glória em glória, à Sua própria imagem” (2 Co. 3:18)” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, 282

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia. “ Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, pág. 308

Impossível viver como Jesus. Será?

ddddAlguém bastante influente na igreja afirmou ao meu filho que nós não podemos comparar a obediência que Cristo prestou a Deus com a obediência que o Senhor espera de nós. Segundo esta pessoa “Cristo era Deus”, “Cristo era divino e humano” e nós “somos apenas humanos.”

Mas será realmente impossível para qualquer ser humano ter a vida transformada a ponto de conseguir, pelo poder de Deus, passar a viver como Jesus viveu?

Será que realmente é impossível para qualquer homem ou mulher passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado?

Os propósitos da encarnação de Cristo: Viver completamente livre da presença do pecado para nos salvar (Mateus 1:21) e também provar para toda humanidade e todo universo que é possível sim, ao homem pelo poder de Deus, passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado.

É extremamente importante compreendermos o que Jesus fez por nós para que possamos compreender também o que Jesus pode e deseja fazer em nós (Tito 2:11-12). 

“O estudo da encarnação de Cristo é um campo frutífero, o qual recompensará o pesquisador que escavar bem fundo, em busca da verdade escondida’ (SDABC, vol.7, pág.443).” Ellen White e a Humanidade De Cristo,  pág. 14.

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” RH, 28/01/1882 (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150)

A seguir outros textos da lição da Escola Sabatina que elucidam o assunto da possibilidade de vivermos a vida de Jesus:  

  • Cristo Nosso Exemplo

“Porque Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vos também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu Senhor, nem o enviado maior do que Aquele que O enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.” S. João 13:15-17.

“Na missão de Cristo no mundo, Seus seguidores acham o propósito e direção de sua própria missão. A direção é a dos milhões de criaturas sobre a Terra com suas necessidades, interesses e atividades. O propósito é o de que todas essas pessoas sejam salvas e o reino de Cristo seja restaurado. E uma vez que estamos vivendo nos últimos dias da história desse mundo, essa missão de reconciliação, advertência, e restauração tem uma urgência imensa. Jesus disse que assim como o Pai O enviou ao mundo, também Ele enviava os discípulos ao mundo. (Ver S. João 17: 18; 20:21.) Esta pensamento foi o tema do estudo da lição da última semana, mas tem ainda outra dimensão. Fala-nos sobre nosso remetente e o propósito de nossa missão no mundo. Fala sobre o tipo de obra que somos chamados a realizar, mas também realça o tipo de vida que os seguidores de Cristo deveriam viver e como sua missão no mundo deve ser cumprida.

Alguns dirão agora que a vida e obra de Cristo no mundo era por demais particular, e, portanto, muito diferente da nossa. Assim, Ele não pode constituir um modelo para nós. Em certo sentido, obviamente, tal observação está correta. Afinal de contas, Ele era o Cristo, o Filho do Deus vivo (S. Mat. 16:13-16). Jesus possuía características que as Escrituras atribuem somente a Deus. (Ver S. Mat. 18:18-20; S. João 3:2; 5:17-29, etc.)  Contudo, a Bíblia também nos diz que Jesus foi verdadeiramente homem. Ele é chamado o Filho do homem, expressão utilizada mais de 80 vezes nos Evangelhos para indicar que “como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam Os Seus seguidores.” Meditações Matinais, 1956, pág.21. Achado na semelhança de homem, Jesus tornou-Se um de nós. (Ver Rom. 8:3; Fil. 2:8; S. João 3:2; Heb. 2:10-17.) Ele esteve sujeito as nossas enfermidades e fraquezas; identificou-Se co nossas necessidades, fragilidades e falhas. Ele também submeteu-Se a todas as condições humilhantes do homem neste mundo, e em tudo foi tentado como nós (Heb. 2:14-18), somente com uma exceção: Jesus não pecou (Heb. 4:15). De Sua Filiação e origem divina podemos saber qual foi o propósito de Sua vida e missão no mundo. Nenhum ser humano poderia ter-nos dado isto. Em Sua humanidade, contudo, Jesus nos mostrou como viver neste mundo, e como podemos cumprir o propósito e missão de nossa vida. “Cristo veio a este mundo, sujeitou-Se à vontade de Seu Pai, com um grande propósito- mostrar aos homens e mulheres o que Deus deseja que eles sejam e o que, mediante Sua graça, podem ser.” – Medicina e Salvação, pág. 42.

(Lição da Escola Sabatina “O Cristão no Mundo”, 3° Trim. de 1982, toda pág. 49)

  • No Poder de Deus

“E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança. E maravilharan-se os homens, dizendo: Quem é Este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” S. Mateus 8;26-27

“Realmente, que tipo de homem é esse? É importante ressaltar aqui Jesus não acalmou as ondas e aquietou os ventos pelo poder de Sua divindade intrínseca. Ele pôs isso de lado. O poder de Jesus no mundo – seja da natureza ou do homem – era poder de Deus em resposta a Seu pedido como homem. É, portanto, um poder que Deus pode confiar a qualquer crente que põe sua total confiança em Deus como Jesus o fez.

“Não era como o “Senhor da Terra, do mar e do Céu” que repousava em sossego. Esse poder, depusera-o Ele, e diz: “Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma.” João 5:30. Confiava no poder de Seu Pai. Foi pela fé – no amor e cuidado de Deus – que Jesus repousou, e o poder que impôs silêncio à tempestade, foi o poder de Deus.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 249

Que promessa existe de que os crentes podem ter o tipo de poder que Jesus teve em Seus dias? S. Mar. 16:16-20; S. Mat. 17:14-21

“A pergunta é importante por uma série de razões: Se quiséssemos, poderíamos realmente tornar-nos reflexos do que Jesus foi na carne humana. Pela ajuda do Espírito Santo poderíamos vencer nossas tendências hereditárias. (Ver O Desejado de Todas as Nações pág. 501 e A Ciência do Bom Viver pág. 171.) Em lugar de nos controlarem, podemos mantê-las sob controle e mudá-las. (Ver S.D.A. Bible Commentary, vol. 4, pág. 1138; vol. 6, pág. 1101; Parábolas de Jesus, pág. 313 e Testemunhos para Ministros, pág. 259.) Se quiséssemos, o efeito de nossa vida coletiva neste mundo poderia ter uma extensão muito mais ampla, mesmo maior do que a obra de Jesus, como Ele disse que seria. (Ver S. João 14:12 e O Desejado de Todas as Nações, pág. 496e 497.) Se quiséssemos, a obra que Cristo nos confiou poderia realmente em breve realizada.

A Escritura afirma que poderíamos realmente ter o poder de resistir ao mal. (Ver 1° João 3:9 e 10). Mas se falhamos em fazê-lo, é porque não exercemos o dom da fé. (Ver S. Mat. 17: 14-20.) Como Ellen White uma vez escreveu tão poderosamente. “Ele [Cristo] veio ao mundo para manifestar a glória de Deus, a fim de que o homem fosse erguido por Seu poder restaurador. Deus Se revelou nEle, para que Se pudesse manifestar neles. Jesus não revelou qualidades, nem exerceu poderes que os homens não possam possuir mediante a fé nEle. Sua perfeita humanidade é a que todos os Seus seguidores podem possuir, se forem sujeitos a Deus como Ele o foi.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 497

(Lição da Escola Sabatina “O Cristão no Mundo” 3° Trim. de 1982, toda pág. 54)

Misericórdia Senhor! Quando vejo a grande obra que o Senhor deseja realizar em minha vida, clamo pela misericórdia do Senhor. Reconheço que muita coisa ainda precisa ser mudada em minha vida. Clamo para que o Senhor aumente a minha fé, aumente a fé dos meus irmãos, para que juntos possamos buscar alcançar este objetivo maravilhoso. Que possamos estar orando uns pelos outros e glorificarmos o nome de Deus cumprindo a missão que o Senhor nos confiou da forma que Ele deseja.

Devemos deixar bem claro: as pessoas que acreditam que, pelo poder de Deus, o homem pode passar a viver com o coração completamente livre da presença do pecado, nunca dirão de uma forma arrogante que são perfeitas ou que estão vivendo sem pecar. Estando vivendo de forma irrepreensível, isso lhes será imperceptível. Esta graça maravilhosa será percebida pelas pessoas ao redor. Estas testificarão que eles realmente estão andando com Jesus. Enquanto estiverem contemplando a Jesus terão sempre uma opinião humilde a respeito de si mesma e estarão sempre buscando mais e mais do Seu amor, de Sua pureza e do Seu caráter.

“Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo fosse assim retardada. Não era desígnio Seu que Seu povo, Israel, vagueasse quarenta anos no deserto. Ele prometera levá-los diretamente à terra de Canaã, e ali estabelecê-los como um povo santo, sadio e feliz. Aqueles, porém, a quem havia sido pregado primeiramente, não entraram “por causa da sua incredulidade.” Heb. 3:19. Seus corações encheram-se de murmuração, rebelião e ódio, e Ele não pôde cumprir Seu concerto com eles. Por quarenta anos a incredulidade, murmurações e rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do moderno Israel na Canaã celeste. Em nenhum dos casos as promessas de Deus estiveram em falta. É a incredulidade, o mundanismo, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo do Senhor que nos têm conservado neste mundo de pecado e dor por tantos anos.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 68.

“A igreja ilumina o mundo, não por sua declaração de piedade, mas por sua manifestação do poder transformador e santificador da verdade na vida e no caráter (carta 46.1893)”. O Reavivamento Verdadeiro, pág. 58.

“Servos de Deus, com o rosto iluminado a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do céu.” Grande Conflito, pág. 343

Que o Senhor Espírito Santo nos ilumine para que possamos compreender e aceitar a obra grandiosa que o Senhor deseja realizar em nossa vida!

Tempo Sem Intercessor

Tempo

“E me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles.” Êxodo 25:8

O santuário que Moisés construiu com seus rituais era símbolo ou “sombra” do verdadeiro santuário que está nos Céus construído pelo Senhor. Vemos em Êxodo 25:9 que o santuário terrestre foi construído segundo um modelo que foi mostrado para Moisés:

“Segundo tudo o que Eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis.” Êxodo 25:9

“Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que assentou à destra do trono da Majestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.” Hebreus 8:1-2

Todo ritual do santuário e as “leis referentes ao santuário” foram escritos por Moisés em um livro e colocado ao lado da arca da Aliança do Senhor – Deuteronômio 31:24-26. Em Hebreus 10:1 afirma que todo esse ritual era uma representação ou sombra do que Cristo faria por nós como cordeiro que foi sacrificado e de Sua atuação para nos salvar no santuário celestial:

“Porque, tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.” Hebreus 10:1

Para um melhor conhecimento do santuário celestial é nescessário lermos Hebreus 8,9 e 10, Apocalipse 11:19. Estes textos bíblicos e outros comprovam a existência de um santuário celestial onde Cristo está intercedendo por nós.

Para um estudo mais detalhado sobre o santuário e seus rituais recomendamos o estudo dos livros: “O Ritual do Santuário” do Pr. M.L. Andreasen e “Cristo Em Seu Santuário” de Ellen G. White. Com a ajuda do Senhor Espírito Santo, ao estudarmos o santuário terrestre com seus rituais, compreenderemos melhor os acontecimentos no santuário celestial e, consequentemente, o plano da salvação.

“A intercessão de Cristo no santuário celestial, em prol do homem, é tão essencial ao plano da redenção, como o foi Sua morte sobre a cruz. Pela Sua morte iniciou essa obra, para cuja terminação ascendeu ao Céu, depois de ressurgir. Pela fé devemos penetrar até o interior do véu, onde nosso Precursor entrou por nós (Heb. 6:20). Ali se reflete a luz da cruz do Calvário. Ali podemos obter intuição mais clara dos mistérios da redenção.” Cristo Em Seu Santuário, pág.118

“O assunto do santuário e do juízo de investigação, deve ser claramente compreendido pelo povo de Deus.” Cristo Em Seu Santuário, pág.117

Neste artigo, queremos apresentar de forma resumida apenas a atuação final de Cristo no santuário celestial para nos salvar.

Como Adventistas do 7° Dia acreditamos que a partir de 1844, Jesus passou do lugar santo para o santíssimo no santuário celestial, dando início então, ao juízo investigativo.

O dia de Expiação no santuário terrestre representava o último período de Cristo no santuário celestial. O dia da Expiação representa o tempo do juízo investigativo, o tempo em que Cristo atua como nosso Sumo Sacerdote intercedendo por nós.

Aqui faz-se necessário um entendimento sobre o que acontecia no santuário neste dia da Expiação:

O dia da expiação era um dia importantíssimo para a nação de Israel. Era um sábado, dia santo para nação, dia de purificação, dia para serem purificados de todos os seus pecados. Levítico 15: 31-32

Todos deveriam estar com as atenções voltadas para o santuário. Era aquele um momento solene para todos, tempo de reflexão e oração.

O ano todos os pecados de todos que tomavam parte nos rituais eram trazidos para o santuário e ali depositados de uma forma simbólica. Durante o ano aquele que pecava tinha a oportunidade de confessar seus pecados cumprir um determinado ritual e então obter o perdão.

O dia da expiação era o único dia em que o sumo sacerdote entrava no segundo compartimento do santuário, chamado santíssimo. Neste dia era feito purificação do santuário. Aquele que não tomasse parte nos rituais do santuário, especialmente no dia da expiação seria expulso de Israel. Levítico 23:29.

É sempre bom lembrar que todo o ritual era apenas uma representação do que Cristo faria e está fazendo por nós. Sempre foi através do que Jesus fez por nós que o homem pode ser perdoado e restaurado.

O dia da expiação representava a última etapa do tempo no qual o pecador tem a oportunidade de confessar seus pecados e obter o perdão e restauração.

Hoje, no santuário celestial, Jesus está cumprindo esta etapa final do ritual. Estamos vivendo o dia da expiação, tempo do juízo investigativo em que Jesus atua como nosso intercessor oferecendo o Seu próprio sacrifício para que possamos, após termos confessado com verdadeiro arrependimento, obter o perdão e a purificação. Hebreus 9:11-12.

Quando terminar o juízo investigativo, Cristo não estará mais atuando como intercessor. Tendo findado a intercessão,  a porta da graça se fecha e inicia-se o tempo de angústia. Neste momento, os salvos serão aqueles que terão alcançado pela graça de Deus a libertação da escravidão do pecado, vivendo em plena harmonia com os princípios do Senhor. Pela graça de Deus, durante o tempo de angústia, os salvos permanecerão vivendo sem pecar, diante de um Deus santo, mesmo sem intercessor.

Durante o tempo de angústia Cristo não estará atuando como intercessor pelos homens. Mas naquele momento terrível de lutas, Cristo estará presente na vida dos salvos porque um dia Ele prometeu: “[…] E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mateus 28:20.

Esta citação de Mateus 28:20 não configura intercessão, mas presença. Cristo não estará atuando como intercessor pelos salvos, mas estará capacitando-os a viverem de forma irrepreensível, sem mácula diante de Deus, somente através da graça maravilhosa de Jesus. Os salvos simplesmente estarão vivendo a vida santificada que escolheram viver antes do fechamento da porta da graça. Passarão o tempo de angústia porque acreditaram e viveram segundo as palavras de Jesus: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” João 15:5

Ao passo que os salvos serão aqueles que estarão vivendo de forma irrepreensível quando fechar a porta da graça os perdidos serão aqueles que, ainda estarão vivendo como escravos do pecado, ainda terão pecados não confessados e não abandonados. Ao fechar a porta da graça será tarde demais para eles obterem o perdão, tarde demais para serem salvos. Eles negligenciaram o tempo oportuno para obterem a salvação. 

A seguir relacionamos alguns textos de Ellen G. White, a serva do Senhor, sobre tempo em que os salvos terão que viver sem um intercessor, fechamento da porta da graça, como os salvos deverão estar vivendo quando a porta da graça fechar, como eles viverão durante o tempo de angústia:

  • Tempo Sem Intercessor

“Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai.” Apoc. 14:1-5. “Estes, tendo sido trasladados da Terra, dentre os vivos, são tidos como as primícias para Deus e para o Cordeiro.” Apoc. 15:3. “Estes são os que vieram de grande tribulação” (Apoc. 7:14); passaram pelo tempo de angústia tal como nunca houve desde que houve nação; suportaram a aflição do tempo da angústia de Jacó; permaneceram sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus. O Grande Conflito, págs. 648 e 649.” Eventos Finais, pág. 268

“Deixando Ele o santuário, as trevas cobrem os habitantes da Terra. Naquele tempo terrível os justos devem viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Removeu-se a restrição que estivera sobre os ímpios, e Satanás tem domínio completo sobre os que finalmente se encontram impenitentes. Terminou a longanimidade de Deus: O mundo rejeitou a Sua misericórdia, desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seu tempo de graça; o Espírito de Deus, persistentemente resistido, foi, por fim, retirado. Desabrigados da graça divina, não têm proteção contra o maligno. Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústia final.” Grande Conflito, pág. 614

“Enquanto Jesus oficiava no santuário, era impossível serem derramadas as pragas; mas, terminando ali a Sua obra, e encerrando-se a Sua intercessão, nada havia para deter a ira de Deus, e ela irrompeu com fúria sobre a cabeça desabrigada do pecador culpado, que desdenhou a salvação e odiou a correção. Naquele tempo terrível, depois de finalizada a mediação de Jesus, os santos passaram a viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Cada caso estava decidido, cada jóia contada. Jesus demorou um momento no compartimento exterior do santuário celestial, e os pecados que tinham sido confessados enquanto Ele esteve no lugar santíssimo, foram colocados sobre Satanás, o originador do pecado, que deve sofrer o castigo deles.” História Da Redenção, pág. 403

“Retirando-Se Jesus do lugar santíssimo, ouvi o tilintar das campainhas sobre Suas vestes; e, ao sair Ele, uma nuvem de trevas cobriu os habitantes da Terra. Não havia então mediador entre o homem culpado e Deus, que fora ofendido. Enquanto Jesus permanecera entre Deus e o homem culposo, achava-se o povo sob repressão; quando, porém, Ele saiu de entre o homem e o Pai, essa restrição foi removida, e Satanás teve completo domínio sobre os que afinal não se arrependeram. Enquanto Jesus oficiava no santuário, era impossível serem derramadas as pragas; mas, terminando ali a Sua obra, e encerrando-se a Sua intercessão, nada havia para deter a ira de Deus, e ela irrompeu com fúria sobre a cabeça desabrigada do pecador culpado, que desdenhou a salvação e odiou a correção. Naquele tempo terrível, depois de finalizada a mediação de Jesus, os santos passaram a viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Cada caso estava decidido, cada jóia contada. Jesus demorou um momento no compartimento exterior do santuário celestial, e os pecados que tinham sido confessados enquanto Ele esteve no lugar santíssimo, foram colocados sobre Satanás, o originador do pecado, que deve sofrer o castigo deles.” Primeiros Escritos, pág. 280

  •  Tempo Sem Um Mediador 

“Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do “refrigério” e da “chuva serôdia” os habilitasse para estar em pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os que … deixam de purificar o espírito na obediência da verdade, … chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e verão que necessitam ser esculpidos e preparados para a edificação. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes desse tempo sairá a declaração terrivelmente solene de que: “Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.” Apoc. 22:11.”  Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 60 (Cuidado de Deus, pág. 353)

“Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal. Enquanto o juízo investigativo prosseguir no Céu, enquanto os pecados dos crentes arrependidos estão sendo removidos do santuário, deve haver uma obra especial de purificação, ou de afastamento de pecado, entre o povo de Deus na Terra. Esta obra é mais claramente apresentada nas mensagens do capítulo 14 de Apocalipse.[…]” Cristo Em Seu Santuário, pág. 99

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem a vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que ao de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus” P.E., pág. 71; Vida e Ensinos, pág. 112

  • Fechamento da Porta da Graça

“Quem vos descreverá as lamentações que se levantarão, quando, na linha divisória que separa tempo e eternidade, o justo Juiz erguer a voz e declarar: “É tarde demais!” Por muito tempo estiveram abertos os amplos portais do Céu, e os mensageiros celestes convidaram e rogaram: “Quem quiser, receba de graça da água da vida.” Apoc. 22:17. “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração.” Heb. 3:15. Mas afinal sai o decreto: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se.” Apoc. 22:11.” Cristo Triunfante, pág. 78

“Os cristãos professos que chegarem ao tempo de angústia sem estarem preparados, confessarão em seu desespero os seus pecados perante o mundo com palavras de angústia consumidora, ao passo que os ímpios exultam de sua agonia. O caso de todos estes é sem esperança. Quando Cristo Se levantar e deixar o Lugar Santíssimo, começará o tempo de angústia, estará decidido o caso de cada pessoa, e não haverá sangue expiatório para purificar do pecado e corrupção. Quando sai do Santíssimo, Jesus fala em tom decisivo e autoridade real: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se. E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.” Apoc. 22:11 e 12. Signs of the Times, 27 de novembro de 1879.” Recebereis Poder, pág. 343

“Quando Jesus Se erguer, no Lugar Santíssimo, depuser Suas vestes intercessoras, e vestir Seus trajes de vingança, sairá a ordem: “Continue o injusto fazendo injustiça… o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se. E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão”. Apoc. 22:11 e 12. Testimonies, vol. 8, págs. 313-315.” Refletindo a Cristo, pág. 304

“Os sinais da vinda de Cristo estão-se cumprindo rapidamente. Satanás vê que não lhe resta senão pouco tempo para operar, e tem posto seus agentes a trabalhar no sentido de revoltar as pessoas do mundo, para que os homens sejam enganados, iludidos, e se conservem ocupados e absorvidos até que termine o tempo da graça, e para sempre se feche a porta da misericórdia.” Conselhos Aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 414

“Quando a obra de investigação se encerrar, examinados e decididos os casos dos que em todos os séculos professaram ser seguidores de Cristo, então, e somente então, se encerrará o tempo da graça, fechando-se a porta da misericórdia. Assim, esta breve sentença – “As que estavam preparadas entraram com Ele para as bodas, e fechou-se a porta” – nos conduz através do ministério final do Salvador, ao tempo em que se completará a grande obra para salvação do homem.” Cristo Em Seu Santuário, pág. 101

“A mesma figura do casamento é apresentada na parábola do capítulo 22 de Mateus, onde claramente se representa o juízo de investigação como ocorrendo antes das bodas. Previamente às bodas vem o rei para ver os convidados (Mat. 22:11), a fim de verificar se todos têm trajes nupciais, vestes imaculadas do caráter lavadas e embranquecidas no sangue do Cordeiro (Apoc. 7:14). O que é encontrado em falta, é lançado fora, mas todos os que, sendo examinados, se verificar terem vestes nupciais, são aceitos por Deus e considerados dignos de participar de Seu reino e assentar-se em Seu trono. Esta obra de exame do caráter, para determinar quem está preparado para o reino de Deus, é a do juízo de investigação, obra final do santuário do Céu. Quando a obra de investigação se encerrar, examinados e decididos os casos dos que em todos os séculos professaram ser seguidores de Cristo, então, e somente então, se encerrará o tempo da graça, fechando-se a porta da misericórdia. Assim, esta breve sentença – “As que estavam preparadas entraram com Ele para as bodas, e fechou-se a porta” – nos conduz através do ministério final do Salvador, ao tempo em que se completará a grande obra para salvação do homem.” Cristo Em Seu Santuário, pág. 101

“Quando se encerrar a obra do juízo de investigação, o destino de todos terá sido decidido, ou para a vida, ou para a morte. O tempo da graça finaliza pouco antes do aparecimento do Senhor nas nuvens do céu. Cristo, no Apocalipse, prevendo aquele tempo, declara: “Quem é injusto, faça injustiça ainda; quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda. E, eis que cedo venho, e o Meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.” Apoc. 22:11 e 12. 

Os justos e os ímpios estarão ainda a viver sobre a Terra em seu estado mortal: estarão os homens a plantar e a construir, comendo e bebendo, todos inconscientes de que a decisão final, irrevogável, foi pronunciada no santuário celestial. Antes do dilúvio, depois que Noé entrou na arca, Deus o encerrou ali, e excluiu os ímpios; mas, durante sete dias, o povo, não sabendo que seu destino se achava determinado, continuou em sua vida de descuido e de amor aos prazeres, zombando das advertências sobre o juízo iminente. “Assim”, diz o Salvador, “será também a vinda do Filho do homem.” Mat. 24:39. Silenciosamente, despercebida como o ladrão à meia-noite, virá a hora decisiva que determina o destino de cada homem, sendo retraída para sempre a oferta de misericórdia ao homem culpado.

“Vigiai, pois, … para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo.” Mar. 13:35 e 36. Perigosa é a condição dos que, cansando-se de vigiar, volvem às atrações do mundo. Enquanto o homem de negócios está absorto em busca de lucros, enquanto o amante dos prazeres procura satisfazer aos mesmos, enquanto a escrava da moda está a arranjar os seus adornos – pode ser que naquela hora o Juiz de toda a Terra pronuncie a sentença: “Pesado foste na balança, e foste achado em falta.” Dan. 5:27. O Grande Conflito, págs. 479-491.” Cristo Em Seu Santuário, pág. 119-120

  • Como os salvos estarão vivendo durante o fechamento da porta da graça e o  tempo de angústia.

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo.Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.Grande Conflito, pág. 623

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem a vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que ao de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus” P. E. pág. 71; Vida e Ensinos, pág. 112

  • Satanás quer prender os homens no pecado até que seja tarde de mais.

“O grande conflito entre Cristo e Satanás, que tem prosseguido durante quase seis mil anos, logo deve terminar; e o maligno redobra seus esforços para frustrar a obra de Cristo em prol do homem, e prender as almas em suas ciladas. Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado, é o objetivo que ele procura realizar. Não se fazendo um esforço especial para resistir ao seu poder, prevalecendo a indiferença na igreja e no mundo, Satanás não se preocupa; pois que não se acha em perigo de perder os que está levando em cativeiro, à sua vontade. Mas ao ser chamada a atenção para as coisas eternas, e almas indagarem: “Que é necessário que eu faça para me salvar?” ele está a postos, procurando opor seu poder ao de Cristo, e neutralizar a influência do Espírito Santo.” Grande Conflito, pág. 518

“O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador. Quando a indiferença prevalece entre os cristãos, Satanás não se preocupa. Mas quando as pessoas indagam: “O que é necessário fazer para ser salvo?”, ele procura opor seu poder ao de Cristo e neutralizar a influência do Espírito Santo.” A Grande Esperança, pág. 26

É triste constatar que mesmo entre aqueles que deveriam estar alertando nosso povo contra as ciladas do inimigo encontramos pessoas pregando que não há necessidade nem mesmo possibilidade do homem se livrar completamente da presença do pecado antes da glorificação, agindo assim sem ter consciência, tais pregadores na verdade estão ajudando Satanás “manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador.” Estão ajudando Satanás a manter os  homens  em pecado até que seja demasiado tarde para se buscar a salvação. Misericórdia Senhor!

“Os sinais da vinda de Cristo estão-se cumprindo rapidamente. Satanás vê que não lhe resta senão pouco tempo para operar, e tem posto seus agentes a trabalhar no sentido de revoltar as pessoas do mundo, para que os homens sejam enganados, iludidos, e se conservem ocupados e absorvidos até que termine o tempo da graça, e para sempre se feche a porta da misericórdia.” Conselhos Aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 414

  • Um alerta para cada um de nós.

“Quando nos lembramos  que ninguém sabe quando seu tempo de graça findará, como ousamos viver despreparados, desprevenidos para encontrar com nosso Senhor? Como ousamos continuar pecadores e maculados? Por que não temos medo? Por que não estamos perturbados? Por que não percebemos nosso perigo? […] O Senhor operaria poderosamente por Seu povo, se este abandonasse as obras das trevas e se revestisse de Sua justiça. […]”– Manuscrito 13, 8 de junho de 1902, “O Povo de Deus Deve Ser Portador de Luz”. Olhando Para O Alto MM, pág. 167

“Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886. 26 de dezembro, Olhando Para o Alto pág. 367

 “Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem. […] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões.” Testimonies, vol. 3, pág. 272. Eventos Finais, pág. 175-176

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. O Batismo do Espírito Santo, pág. 112

É interessante percebermos o quanto de conhecimento que temos disponível sobre os assuntos abordados. Infelizmente nossas prioridades mundanas nos cegam ou tapam nossos ouvidos para não atendermos às verdades do Senhor. Muitas vezes, pela nossa falta de tempo, deixamos de atender o clamor do céu e preferimos ouvir pessoas que consideramos “doutores no assunto”, creditando neles nossa salvação.

Estejam atentos e preparados filhos de Deus: “Crede no SENHOR vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis…” 2 Crônicas 20:20.

Deus seja louvado no nosso viver!

A perfeição de Abraão

abraaoAo tratar do assunto “perfeição” alguns irmãos acreditam que o Senhor pode considerar perfeito um homem que em determinadas ocasiões peca, um homem que em determinadas ocasiões ainda demonstra algum defeito de caráter. Para comprovar esta crença citam a vida de Abraão como um exemplo de homem considerado perfeito na bíblia embora ainda revelasse em sua vida atos de uma pessoa imperfeita. (Veja Nisto Cremos pág. 160) 

Existe a possibilidade que Senhor considere um homem justo, íntegro, reto ou perfeito estando ele ainda em pecado, demonstrando ainda possuir algum defeito de caráter? Vejamos a seguir textos da lição da escola sabatina que nos mostram em que condições o Senhor considera um homem justo. 

– Quando Deus considera justo

Quando o Senhor considera que um homem é justo, que foi justificado em Jesus Cristo, é porque ele foi libertado da condenação e também libertado do pecado.

Vejamos este comentário da lição da escola sabatina:

“O estudo do verbo imputar no Antigo Testamento revela que Deus nunca considera que alguém é alguma coisa que ele não é. Por exemplo, Finéias foi considerado como justo porque, em virtude de sua união com Deus, ele era justo. (Ver Sal. 106:30 e 31; Núm. 25:10-13.) Pode-se dizer a mesma coisa de Abraão. A justiça lhe foi imputada porque sua fé envolveu total união com o Deus do concerto eterno. A imputação expressava a realidade de que a justiça de Deus tomara posse da vida de Abraão. Como é salientado pela lição, a imputação da justiça (justificação) é a concessão da justiça de Cristo ao crente pelo Espírito Santo. Esta experiência é a fonte de nosso poder espiritual.” Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990, pág. 63 – Cristo O Único Caminho

“Em nenhuma das 41 vezes que o verbo justificar é usado no Antigo Testamento Hebraico Deus declara justo a alguém que não o é . por exemplo, Êxodo 23:7 diz o seguinte:”Da falsa acusação te afastarás; não matarás o inocente e o justo, porque não justificarei o ímpio.” O ponto é que o Senhor nunca declara justo àquele que não se tornou justo pela relação do conserto com Ele. Essa relação abrange a presença de Deus na vida. Ele declara justos àqueles que são justos em virtude de Sua presença na vida deles. Sal. 143:2 diz que “frente a Ti nenhum vivente é justo” (BJ). (Comparar com Jó 9:15.) Nenhuma pessoa, nem mesmo Jó, pode afirmar que possui justiça independentemente do Senhor. Justiça à vista de Deus é o resultado de Sua presença divina no coração do crente. (Ver Isaías 51:7; 61:3; 32:15 e 16; 45:24; Sal. 103:17 e 18; Osé. 10:12.) lemos em Isaías 53:11: “O meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos .” A frase também pode ser traduzida desta maneira: “Pelo seu conhecimento o Meu Servo justo fará com que muitos se tornem justos.”

J. A. Ziesler comenta:”Também é possível que eles sejam justos devido à ação vicária do Servo e na medida em que outros O reconheçam como seu representante […] O Servo pode ser a causa não de muitos serem considerados justos, mas de realmente de serem justos.”- The Meaning of Righteousness in Paul (Cambridge: University press, 1972), pág.19.

H.H. Rowley diz o seguinte sobre o mesmo verso: “A palavra traduzida por justificar é comumente um termo forense, que significa declarar que a pessoa está com a razão. Aqui, porém, ela não pode ter esse significado. Se homens que estão cientes do seu pecado são declarado justos, isto se dá porque eles se tornaram justos. Separaram-se de seus pecados e foram purificados em sua natureza interior.” From Moses to Qumran:Studies in the Old Testament (Nova Iorque: Associated Press, 1963), pág. 102.

Romanos 6:18 descreve os cristãos que experimentam a justificação: “E, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.”Para satisfazer os reclamos da lei, nossa fé tem de apoderar-se da justiça de Cristo, aceitando-a como nossa justiça. Mediante a união com Cristo, mediante a aceitação de Sua justiça pela fé, podemos ser habilitados para fazer as obras de Deus e ser cooperadores de Cristo.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 374 ver também a pág. 394

Estude também Romanos 10:6-10; 8:9e10; 6:7; Gál.2:16 a 3:9

Lição da Escola Sabatina 2° trim. 1990, “Cristo O Único Caminho” pág. 46 e 47.

Vimos na lição que são considerados justos aqueles que: Separaram-se de seus pecados e foram purificados em sua natureza interior.”

Vamos analisar o que a serva do Senhor escreveu sobre a vida de Abraão e analisar se o Senhor realmente o considerou perfeito ignorando seus pecados ocasionais e analisar também o tipo de obediência que o Senhor requer do homem.

“Deus havia chamado Abraão para ser o pai dos fiéis, e sua vida devia ser um exemplo de fé para as gerações subseqüentes. Mas sua fé não tinha sido perfeita. Mostrara falta de confiança em Deus, ocultando o fato de que Sara era sua esposa, e novamente com o seu casamento com Hagar. Para que atingisse a mais elevada norma, Deus o sujeitou a outra prova, a mais severa que o homem jamais foi chamado a suportar. Em uma visão da noite foi-lhe determinado que se dirigisse à terra de Moriá, e ali oferecesse seu filho em holocausto sobre um monte que lhe seria mostrado.” Ellen G. White, Patriarcas e Profetas pág. 147

Vemos claramente que no momento em que Abraão cometeu os pecados ao ocultar que Sara era sua esposa e se casar com Hagar, naquele momento, Abraão ainda não havia atingido  a mais elevada norma”. Se Abraão ainda não havia atingido a “mais elevada norma” então nós não podemos afirmar que naquele momento Abraão era considerado perfeito, porque “a mais elevada norma” é o estado de santidade que o Senhor requer do homem, a perfeição de caráter e Abraão ainda não havia atingido esse nível de santidade.

“O sacrifício exigido de Abraão não foi somente para seu próprio bem, nem apenas para o benefício das gerações que se seguiram; mas também foi para instrução dos seres destituídos de pecado, no Céu e em outros mundos. O campo do conflito entre Cristo e Satanás – campo este em que o plano da salvação se encontra formulado – é o compêndio do Universo. Porquanto Abraão mostrara falta de fé nas promessas de Deus, Satanás o acusara perante os anjos e perante Deus de ter deixado de satisfazer as condições do concerto, e de ser indigno das bênçãos do mesmo concerto. Deus desejou provar a lealdade de Seu servo perante o Céu todo, para demonstrar que nada menos que perfeita obediência pode ser aceito, e para patentear de maneira mais ampla, perante eles, o plano da salvação.” Patriarcas e Profetas pág. 154-155

O Senhor não aceita nada menos que perfeita obediência”. Ele não ignora os pecados ocasionais. Não podemos ter como referência o momento em que Abraão estava demonstrando falta de fé. A principal lição de Abraão para nós não são suas faltas e sim aquele momento que ele estava disposto a sacrificar seu filho demonstrando total  confiança em Deus. O Senhor havia sujeitado Abraão a esta prova para que ele atingisse “a mais elevada norma” e pela graça de Deus ele foi vitorioso. Foi naquele momento que Abraão pôde ser considerado justo, íntegro e perfeito.

“Os seres celestiais cooperarão com o agente humano que procura com fé decidida a perfeição de caráter que se manifeste na ação perfeita. A todo que se empenha nesta obra, Cristo diz: Estou à tua destra, para te auxiliar.” Ellen G. White, Parábolas de Jesus pág. 332

Oração: “Ensina-me o Teu caminho, para que eu não erre. Qual é o Teu desejo a meu respeito? Que farei para honrar-Te, meu Deus?” Ellen G. White, Eventos Finais, pág. 71

Deus, somente Deus seja louvado em nossa vida!

Precisamos Acreditar

2“Portanto, sede perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48

 “Segue a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” Hebreus 12:14

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

 “A fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” 2°Tim. 3:17

 “Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo. Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” 1° Pedro 1:13-16

Estes nos mostram a santidade e pureza que o Senhor deseja que seja revelada em nossa vida. Quando lemos textos assim normalmente nos sentimos desanimados, olhamos para nossas imperfeições de caráter, pensamos no nosso passado…

Quantas vezes prometemos para o Senhor que seria diferente e não foi, olhamos para os nossos fracassos e então chegamos a seguinte conclusão: É possível melhorar algumas coisas em minha vida! Mas, a santidade que o Senhor espera de mim, vida sem mácula, sem pecado, de forma irrepreensível com um caráter perfeito isso é impossível.

Então começamos arrumar desculpas para os nossos defeitos de caráter. Culpamos nossa natureza, nosso mundo, nossa família, nossa igreja, culpamos Satanás. No caso de Satanás é bem verdade que ele tem uma parcela de culpa em nossos pecados. No entanto devemos nos lembrar que o Senhor não permite que Satanás nos tente além de nossas forças:

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” I° Cor. 10:13

Isso significa que quando pecamos o principal culpado somos nós mesmos, porque escolhemos pecar. Escolhemos viver como escravos do pecado.

Precisamos acreditar que existe no Senhor poder suficiente para nos livrar dessa escravidão. Devemos nos lembrar das mensagens contidas na palavra de Deus que nos revelam que o nosso maravilhoso Deus pode e deseja nos transformar e nos purificar completamente: 

“Sara-me, Senhor, e sararei; salva-me, e serei salvo; porque Tu és o meu louvor.” Jer. 17:14

 “Confia do Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.” Prov. 16:3

 “Vinde, então, e argüi-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” Isa. 1:18.

 “O sangue de Jesus, Seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1° João 1:7

 “Tudo posso naquele que me fortalece.” Fil. 4:13

Precisamos acreditar, precisamos ter fé porque sem fé é impossível agradar a Deus. Nossa fé é o nosso recipiente, o vaso onde o Senhor colocará Suas bênçãos. É lógico que quanto maior o recipiente, o vaso, maior será a quantidade de bênçãos recebidas. 

“Ora, sem fé é impossível agradar-Lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que O buscam.” Heb. 11:6.

Mas você pode afirmar: “Tudo bem, eu entendi, mas não depende somente da lógica ou da razão, no fundo eu continuo não tendo aquela fé que o Senhor gostaria que eu tivesse.”

E você tem razão, não depende da lógica ou da razão, a fé é um dom de Deus, e se concluímos que não temos fé suficiente devemos pedir ao nosso Deus e então com certeza ele nos dará a fé que necessitamos.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.” Efésios 2:8

Não devemos ficar com os braços cruzados. Devemos orar e estudar a palavra de Deus e crer que o Senhor nos dará a vitória, então a cada prova vencida a nossa confiança em Deus aumentará.

A verdade é que é necessário um milagre para que um descrente passe a acreditar, e está aquém da nossa capacidade explicar com exatidão como acontecem milagres. Agora o mais importante é deixar, o nosso maravilhoso Deus, operar esse milagre no nosso coração!!!

Temos na palavra de Deus o relato de uma linda experiência de um homem com Jesus, que nos ajudará entender como deve ser nossa atitude para com Deus se não temos fé suficiente:

“E um, dentre a multidão, respondeu: Mestre, trouxe-te o meu filho, possesso de um espírito mudo; e este onde quer que o apanha, lança-o por terra, e ele espuma, rilha os dentes e vai definhando. Roguei a teus discípulos que o expelissem, e eles não puderam. Então, Jesus lhes disse: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-mo. E trouxeram-lhe; quando ele viu a Jesus, o espírito imediatamente o agitou com violência, e, caindo ele por terra, revolvia-se espumando. Perguntou Jesus ao pai do menino: Há quanto tempo isso lhe sucede? Desde a infância, respondeu; e muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o matar; mas, se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. Ao que lhe respondeu Jesus: Se tu podes! Tudo é possível ao que crê. E imediatamente o pai do menino exclamou com lágrimas: Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!” Marcos 9:17-24

Jesus viu que aquele homem não tinha fé suficiente. Ele não tinha plena confiança no poder de Jesus a ponto de ter certeza de que Ele poderia libertar seu filho. “Mas, se tu podes alguma coisa.” Jesus então lhe responde: “Tudo é possível ao que crê.”

Aquele pai agora, com lágrimas nos olhos diz para Jesus: Sim Senhor eu acredito, mas, não da forma que o Senhor gostaria que eu acreditasse. “Ajuda-me na minha falta de fé!” O resultado foi maravilhoso, aquele pai foi atendido em seu pedido.

Quando olhamos para nossa vida cheia de pecado, cheia de fracassos, devemos também orar a Jesus, pedir a Ele libertação plena da escravidão do pecado, para que o Senhor tire do nosso coração tudo aquilo que O desagrada. Se sentirmos que o nosso pedido de libertação não está sendo feito com fé, com confiança de que o Senhor nos atenderá, deveremos então repetir a oração daquele pai: Senhor não tenho fé suficiente, ajuda-me na minha incredulidade.

O resultado não será diferente, o Senhor nos atenderá e nos concederá essa graça maravilhosa.

Que Deus seja louvado!!!

Meus queridos irmãos, vamos orar ao nosso Deus:

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” Sal. 51:10 “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que q neve.” Sal. 51:7 – O resultado será realmente maravilhoso.

Como o salmista, também poderemos louvar ao nosso grandioso Deus com essas palavras: “Esperei confiantemente pelo Senhor; Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. E me pós nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no Senhor.” Sal. 40:1-3

E finalmente: “O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.” 1° Tess. 5:23

Que Deus seja louvado!!!