Archive for the ‘Perfeição’ Tag

Perfeição

cross salvation heaven

Existe uma divergência de opinião quanto o significado da perfeição cristã:

  • Alguns acreditam que o Senhor considera perfeito o homem que está vivendo com a plenitude do Senhor Espírito Santo. Portanto está completamente livre da escravidão do pecado, está vivendo sem pecar.
  • Outros acreditam que o Senhor considera perfeito o homem que deixou de pecar de forma habitual, deixou de ser “pecadeiro”. Neste caso o homem pode ser considerado perfeito por Deus mesmo cometendo pecados ocasionalmente.

Afinal quem está com a verdade? Quando o Senhor considera um homem perfeito?

Façamos algumas considerações. Você levaria para casa um carro zero Km que você acabou de comprar após o vendedor lhe dizer que ele apresentará pequenos defeitos ocasionalmente? Você levaria para casa uma televisão que você acabou de comprar após o vendedor lhe dizer que ela apresentará pequenas interferências na imagem apenas ocasionalmente?

Creio que a resposta de todos seria: Não, não levaria e exigiria um carro ou uma televisão que estivesse funcionando de forma “perfeita” sem nenhum defeito nem mesmo ocasionalmente.

Francamente, o mesmo critério que nós usamos para avaliar perfeição de coisas, nós usamos  para avaliar perfeição de pessoas.

Na verdade não consideramos perfeita uma pessoa que mente ocasionalmente ou que sente raiva de alguém ocasionalmente enfim na prática não consideramos perfeita uma pessoa que peca ocasionalmente.

Agora fica uma pergunta para aqueles que acreditam que o Senhor considera perfeita a pessoa que peca apenas ocasionalmente:

Será que nós somos mais exigentes do que o Senhor no que diz respeito à perfeição?

É bom lembrar que: “Raramente um pecado permanecerá só, ou restrito ao âmbito da transgressão de um preceito ou uma proibição da lei moral. Há sempre uma complicação da desobediência, que leva a consciência pervertida a uma extensão maior de enredamento, entrando em tentações maiores, pecando mais e mais. […]”. Carta 22, 1893. Cristo Triunfante, pág. 171

Pecado não é somente o que fazemos de errado, é pecado também todo pensamento e sentimento contrário à vontade de Deus. O pecado ocasional é um indicativo de que algo ainda está errado no coração do homem.

Perfeito para o Senhor é o homem que foi libertado pela graça de Deus tanto do pecado habitual como do pecado ocasional.

Parece que os homens não querem ter uma mudança radical na vida. Então estão tentando mudar o conceito de perfeição do Senhor para adaptá-lo a vida pecaminosa que levam. Esta atitude acalma a consciência no presente, mas conduz a morte no futuro. Misericórdia!

Este é o objetivo do Senhor para o homem: “A fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” 2 Tim. 3:17

Para alcançar esta perfeição, Deus proveu sua graça salvadora que atua na vida do homem, com o objetivo de torná-lo nova criatura em Cristo: “Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

Alguns afirmam que a perfeição que o Senhor espera de nós é uma perfeição na esfera humana. Perfeição na esfera humana é para estas pessoas um tipo de perfeição em que o Senhor considera perfeito mesmo o homem que peca apenas ocasionalmente. Nos textos que veremos a seguir, veremos que a perfeição na esfera humana não pode ser interpretada como sendo um tipo de perfeição com pecados ocasionais e sim uma perfeição que imita a vida de Cristo, que reflete o seu caráter:

“Como Deus é puro em Sua esfera, assim o homem deve ser na sua. E será puro, se Cristo, a esperança da glória, habitar no interior; pois ele imitará a vida de Cristo e refletirá Seu caráter. Obreiros Evangélicos, pág. 366.” Cuidado De Deus, pág. 16

“O ideal de Deus para Seus filhos é mais elevado do que possa alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei uma transcrição de Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo. E qual a norma que Ele deu para ser alcançada por todos os que nEle crêem? – “Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua alta esfera de ação, assim pode o homem sê-lo em sua esfera humana. O ideal do caráter cristão é a semelhança com Cristo. À nossa frente se abre um caminho de progresso constante. Temos um objetivo a alcançar, uma norma a satisfazer, que incluem tudo que é bom, e puro, e nobre e elevado. Deve haver contínuo esforço e constante progresso para a frente e para cima, rumo da perfeição de caráter. Manuscrito 16, 1896.”  Cuidado De Deus pág. 178

O Senhor deseja que todos tenham um caráter perfeito que se “manifesta na ação perfeita”, não com pecado, nem mesmo ocasional:

“Os seres celestiais cooperarão com o agente humano que procura com fé decidida a perfeição de caráter que se manifeste na ação perfeita. A todo que se empenha nesta obra, Cristo diz: Estou à tua destra, para te auxiliar.” Parábolas De Jesus, pág. 332

“Como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam os Seus seguidores. Cumpre-nos viver, em Sua força, a vida de pureza, a vida nobre vivida pelo Salvador.”  Testimonies, vol. 8, págs. 286 e 289. Filhos e Filhas de Deus pág. 21

“O Filho de Deus era irrepreensível. Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita.”  Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus, pág. 154

“Portanto, sede perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48

Ellen G. White descreve este verso de Mateus 5:48 da seguinte forma:

 “O ideal de Deus para Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o pensamento humano. “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:48. Este mandamento é uma promessa. O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar. 

A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente. O ideal do caráter cristão, é a semelhança com Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua. Jesus foi em todas as coisas feito semelhante a Seus irmãos. Tornou-Se carne, da mesma maneira que nós. Tinha fome, sede e fadiga. Sustentava-Se com alimento e refrigerava-Se pelo sono. Era Deus em carne. Ele compartilhou da sorte do homem; não obstante, foi o imaculado Filho de Deus. Seu caráter deve ser o nosso. Diz o Senhor dos que nEle crêem: “Neles habitarei, e entre eles andarei; e Eu serei o seu Deus e eles serão o Meu povo.” II Cor. 6:16. Cristo é a escada que Jacó viu, tendo a base na Terra, e o topo chegando à porta do Céu, ao próprio limiar da glória. Se aquela escada houvesse deixado de chegar à Terra, por um único degrau que fosse, teríamos ficado perdidos. Mas Cristo vem ter conosco onde nos achamos. Tomou nossa natureza e venceu, para que, revestindo-nos de Sua natureza, nós pudéssemos vencer. Feito “em semelhança da carne do pecado” (Rom. 8:3), viveu uma vida isenta de pecado. Agora, por Sua divindade, firma-Se ao trono do Céu, ao passo que, pela Sua humanidade, Se liga a nós. Manda-nos que, pela fé nEle, atinjamos à glória do caráter de Deus. Portanto, devemos ser perfeitos, assim como “é perfeito vosso Pai que está nos Céus”. Mat. 5:48.” DTN, pág. 311-312

Este texto define claramente que, para o Senhor, perfeição é a completa eliminação do pecado. Não existe no coração em que Cristo reina espaço para o pecado tanto o habitual como o ocasional:

  • “O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás.”
  • Cristo “Tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar.”
  • “Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua.”
  • “Não há desculpas para pecar.” DTN pág. 311-312

“Cristo não afirmou que o atingir a perfeição de caráter seja coisa fácil. É um conflito, uma batalha e uma marcha dia a dia. É por muita tribulação que entramos no reino do Céu. Para partilharmos com Cristo de Sua glória, precisamos participar de Seus sofrimentos. … Ele venceu por nós. Seremos, então, tímidos e covardes em face das provas que encontramos em nosso caminho?”  Filhos e Filhas de Deus, pág. 198

“Não nos devemos sentar, esperando que nos sobrevenha, por maneira miraculosa, uma mudança de caráter quando Jesus aparecer nas nuvens do céu com poder e grande glória.”  The Youth’s Instructor, 24 de agosto de 1893. Filhos e Filhas de Deus pág. 9

A natureza pecaminosa do homem será erradicada somente na glorificação, então até aquele dia nós continuaremos sendo susceptíveis ao pecado.

Com esta natureza enfraquecida, o homem mesmo após ter sido  libertado da escravidão do pecado pela graça de Deus, continuará necessitando e buscando a cada momento de sua vida, forças em Jesus para continuar livre da escravidão do pecado. Jamais existirá uma ocasião ou uma situação em que o homem possa dizer, “não preciso mais de Jesus.”

Outro detalhe importante é que a pessoa que atingiu a perfeição de caráter jamais dirá de uma forma arrogante que tem um caráter perfeito ou que está vivendo sem pecar por estarem contemplando a Jesus. Estas pessoas estarão sempre almejando mais e mais de Seu caráter e de Sua pureza e tendo uma opinião humilde a respeito de si mesmo. Esta condição de perfeição de caráter é “imperceptível” para aquele que a tem. Outras pessoas com as quais convive é que testificarão que este homem conhece e está andando com Jesus.

“Devemos conservar o Senhor sempre diante de nós. Os que fazem isso, andam com Deus, como fez Enoque, e imperceptivelmente para eles, tornam-se um com o Pai e o Filho.” Filhos e Filhas de Deus, pág. 296

“Todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” II Cor. 3:18. “Devemos conservar o Senhor sempre diante de nós. Os que fazem isso, andam com Deus, como fez Enoque, e imperceptivelmente para eles, tornam-se um com o Pai e o Filho. Realiza-se dia a dia na mente e no coração uma mudança, e as inclinações naturais e os caminhos naturais são moldados segundo o caminho e o Espírito de Deus. Eles crescem em conhecimento espiritual, e vão-se desenvolvendo até à estatura completa de homens e mulheres em Cristo Jesus. Refletem para o mundo o caráter de Cristo e, permanecendo nEle e Ele neles, cumprem a missão para que foram chamados a ser filhos de Deus – tornam-se a luz do mundo, uma cidade edificada sobre um monte, que se não pode ocultar. “Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos.” Mat. 5:15. Os que foram iluminados de cima, irradiam os brilhantes raios do Sol da Justiça.” The Youth’s Instructor, 25 de outubro de 1894.  Filhos e Filhas de Deus, pág. 296

Nos textos a seguir são fundamentais para compreendermos até que ponto o Senhor quer nos transformar:

“O homem não se elevará acima de suas concepções sobre a verdade, pureza e santidade.” Patriarcas e Profetas, pág.91

“Lembre-se de que nunca alcançará mais elevada norma que a que se propuser. Fixe pois alto seu alvo e passo a passo, embora com esforços dolorosos, abnegação e sacrifício, suba até ao topo a escada do progresso.” Parábolas de Jesus, pág. 331

“Jamais se levantará o homem acima de sua norma de pureza, de bondade ou de verdade.” Grande Conflito,  pág. 555

“O Senhor tem plenitude de graça para outorgar a todo aquele que quiser receber o dom celeste. O Espírito Santo levará as aptidões confiadas por Deus ao serviço de Cristo, e moldará e afeiçoará o instrumento humano segundo o modelo divino, na proporção em que o agente humano desejar a transformação. The Youth’s Instructor, 5 de julho de 1894.” Filhos e Filhas de Deus, pág. 28

Falamos de reavivamento, de busca do Senhor Espírito Santo, mas precisamos compreender que o reavivamento que necessitamos é o da “verdadeira piedade”. Também devemos compreender que a “verdadeira piedade” começa quando termina toda “transigência” com o pecado.

Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la. Nosso Pai celeste está mais disposto a dar Seu Espírito Santo àqueles que Lho peçam, do que pais terrenos o estão a dar boas dádivas a seus filhos. Cumpre-nos, porém, mediante confissão, humilhação, arrependimento e fervorosa oração, cumprir as condições estipuladas por Deus em Sua promessa para conceder-nos Sua bênção.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 121

“A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso De Cristo pág. 91

É necessário e urgente pararmos de arrumar desculpas para o pecado. É o tempo oportuno de rogar ao nosso Deus para que Ele aumente nossa fé para que não tenhamos nenhuma “transigência” ou tolerância com o pecado. Que o Senhor nos ajude e guarde!

 “Tudo posso naquele que me fortalece” Fil. 4:13

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

“Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886. 26 de dezembro, Olhando Para o Alto pág. 367

“Quem não possui suficiente fé em Cristo para crer que Ele pode guardá-lo de pecar, não tem a fé necessária para entrar no reino de Deus.” Ellen G. White, Review and Herald, 10 de março de 1904 (Lição da Escola Sabatina 3° Trim. 1995 lição 7 pág.5)

“ Quem subsistirá no tempo de angústia? “Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia. O Grande Conflito, pág. 623.

“É requerida obediência exata, e os que dizem não ser possível levar uma vida perfeita, lançam sobre Deus a acusação de injustiça e falsidade.” – Reimpressões De Review and Herald, vol. 6pág. 519, ver também Review and Herald, 7de fevereiro de 1957, pág. 30. (Lição da Escola Sabatina, 2° trim. 1989, “Triunfo no Presente e Glória no Futuro” pág. 48

“Há esperança para cada um de nós, mas de uma só maneira – apegando-nos a Cristo e empregando toda energia para obter a perfeição de Seu caráter. Essa religião piegas que faz pouco do pecado, e só realça o amor de Deus pelo pecador, encoraja os pecadores a crer que Deus os salvará enquanto continuarem no pecado, sabendo que é pecado. É isso que estão fazendo muitos que professam crer na verdade presente.” Cristo Triunfante pág. 81

Deus seja louvado!

Plena obediência e perfeição em Mateus 5

Sem título-1Mateus 5:17-20

17) Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.

18) Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra.

19) Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.

20) Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus; jamais entrareis no reino dos céus.

Como nós adventistas gostamos de usar este texto! Especialmente os versos 17 e 18 onde vemos Jesus afirmar não ter vindo revogar a lei.

Muitos cristãos acreditam que Jesus mudou a lei. Acreditam que a lei do Novo Testamento não é a mesma lei que foi entregue a Moisés, os dez mandamentos. Mas este texto não deixa margem para nenhuma dúvida. Jesus não veio revogar a lei e afirma: “até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra.”  (verso 18)

Lembro-me quando eu ainda criança, a irmã Isabel, “dona Belinha” me ensinando a palavra de Deus me mostrou este importante texto. Isso foi muito importante para o meu entendimento sobre a imutabilidade da lei de Deus. Sim, esse texto realmente é fundamental e deve ser usado sempre que for necessário para orientar aqueles irmãos que pensam que Jesus veio revogar a lei.

É realmente muito importante a nossa compreensão e aceitação do fato da lei de Deus ser irrevogável. Mas também é fundamental a nossa compreensão e aceitação de que essa lei que é irrevogável também deve ser “obedecida” na sua totalidade. Uma simples aceitação intelectual da lei do Senhor de nada adiantará se essa aceitação não for acompanhada de obediência motivada pelo amor.

É extremamente necessário entendermos que nesse texto além de Jesus informar que a lei é irrevogável Ele nos fala também da importância da “obediência” e também temos que aceitar que a mensagem de Jesus sobre obediência é para “todos,” não adventistas e também para os adventistas. Veremos que Jesus deixa muito claro que não podemos nos contentar apenas com um conhecimento teórico sobre a lei. Após Jesus afirmar que a lei é irrevogável Ele começa a falar sobre a importância da obediência completa, real e motivada pelo amor, é o que veremos a partir do verso 19 do capítulo 5 do evangelho de Mateus.

“Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.” Mateus 5:19

Aquele que violar, (anular, suprimir, desrespeitar ou transgredir) os mandamentos de Deus “posto que dos menores, e assim ensinar aos homens” perderá a salvação, “aquele, porém, que os observar e ensinar” esse alcançará a salvação.

Jesus afirma que os salvos serão aqueles que observam os mandamentos do Senhor e ensinam os homens a fazerem o mesmo.  Muitos se contentam apenas com uma aceitação teórica dos mandamentos de Deus como se isso fosse suficiente para alcançar a salvação, essas pessoas estão enganadas. Salvos serão aqueles que observam os mandamentos e ensinam os homens a fazerem o mesmo e não aqueles que possuem apenas um conhecimento teórico da lei.

  •  Somos salvos pela graça de Deus.

“Sendo justificado gratuitamente, por Sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3:24

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.” Efés. 2:8

Somos salvos unicamente pela graça do nosso maravilhoso Deus. É a graça do nosso Deus que nos restaura e nos purifica, é a graça do nosso Senhor que transforma homens transgressores em servos obedientes aos mandamentos do Senhor.

Não somos salvos pelas obras, mas as obras testificam se fomos ou não fomos salvos. Os salvos guardam os mandamentos de Deus não para serem salvos, mas porque foram salvos. Na verdade a presença do pecado na vida do homem é um indicativo de que ele ainda não aceitou completamente a graça salvadora do nosso Senhor.

  • Graça que transforma e purifica.

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

Somos salvos pela graça, mas isso não nos da o direito de permanecermos no pecado, pela graça somos transformados em “um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.”

Voltemos ao evangelho de Mateus capítulo 5, agora no verso 20 onde continuaremos vendo a importância da obediência aos mandamentos de Deus para a nossa salvação:

“Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus; jamais entrareis no reino dos céus.” Mateus 5:20

Após Jesus afirmar ser necessário obediência aos mandamentos para salvação Ele nos diz no verso 20 que se não possuirmos uma justiça muito superior a dos escribas e fariseus jamais entraremos no reino dos céus.

Bom, então se almejamos a salvação devemos observar como estes escribas e fariseus viviam para evitarmos cometer os mesmos erros que eles cometiam.

  •  Jesus reprova os escribas e fariseus

23) Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os primeiros mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!

24) Guias cegos, que coais o mosquito e engolis o camelo!

25) Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas, porque limpais o exterior do copo e do prato, mas estes, por dentro, estão cheios de rapina e intemperança!

26) Fariseu cego, limpa primeiro o interior do copo, para que também o seu exterior fique limpo!

27) Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!

28) Assim vós também exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniquidade.

29) Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque edificais os sepulcros dos profetas, adornais os túmulos dos justos

30) e dizeis: Se tivéssemos vividos nos dias de nossos pais, não teríamos sidos seus cúmplices no sangue dos profetas!

31)Assim, contra vós mesmos, testificais que sois filhos dos que mataram os profetas.

32) Enchei vos vós, pois, a medida de vossos pais.

33) Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?

34) Por isso eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas. A uns matareis e crucificareis; a outros açoitareis nas vossas sinagogas e perseguireis de cidade em cidade.         

Mateus 23:23-34

Os escribas e fariseus reprovados por Jesus eram possuidores de grande conhecimento da palavra de Deus, considerados com sendo “doutores da lei.” Isso deixa evidente que apenas o conhecimento teórico da palavra de Deus não é o suficiente para que o homem seja aprovado por Deus. Jesus os reprovou porque não praticavam o que ensinavam.

“Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus. Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem.” Mateus 23:2-3

No capítulo 23 de Mateus Jesus reprova os escribas e fariseus os chamando de hipócritas 7 vezes, isso nos revela o quanto o Senhor abomina essa religiosidade falsa, fingida que ainda hoje muitos possuem.

Não meus queridos irmãos, não agrada ao Senhor que hoje vivamos como escribas e fariseus modernos, peçamos ao Senhor Espírito Santo para que Ele nos transforme de uma forma completa, nos transformando em verdadeiros filhos de Deus cheios de amor e não somente conhecedores, mas também praticantes, mediante o poder de Deus, dos ensinamentos do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. 

Não podemos ser, queridos irmãos, escribas e fariseus modernos extremamente cuidadosos na fidelidade dos dízimos e ofertas, no entanto negligenciando o amor, a “justiça, misericórdia e a fé.” Não podemos ser como  “sepulcros caiados” limpos por fora e por dentro cheios de imundícies, um coração repleto de ódio, inveja, ganância e outras coisa que desagradam ao nosso Deus. Pessoas que aos olhos dos homens parecem justos, mas “por dentro, estão cheios de hipocrisia e de iniquidade.”

Interessante é que Jesus profetizou sobre o ódio e a perseguição que sofreriam os servos de Deus enviados para reprovarem essa falsa religiosidade:

“Por isso eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas. A uns matareis e crucificareis; a outros açoitareis nas vossas sinagogas e perseguireis de cidade em cidade.”  Mateus 23: 34       

Infelizmente não é difícil de constatar que mesmo em nossos dias aqueles que ousam falar contra essa falsa religiosidade ainda são caluniados, odiados e perseguidos.

Voltemos para Mateus 5 onde veremos que a obediência aos mandamentos do Senhor continua sendo fundamental na vida dos filhos de Deus, não como meio de salvação mas sim como testemunho de que foram salvos do pecado pela graça maravilhosa do nosso Senhor:

21) Ouvistes ao que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento.

22) Eu, porém, vos digo que todo aquele que se irar contra o seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.

23) Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,

24) deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta.

25) Entra em acordo sem demora com o seu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejais recolhido na prisão.

26) Em verdade te digo que não saíras dali, enquanto não pagares o último centavo.

27) Ouvistes que foi dito: Não matarás.

28) Eu, porém, vos digo: Qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela.

29) Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca  um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno.

30) E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno.

31) Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.

32) Eu, porém, vos digo: Qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; aquele que casar co a repudiada comete adultério.

33) Também ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás rigorosamente para com o Senhor os teus juramentos.

34) E, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo céu, por ser o trono de Deus;

35) nem pela terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser cidade do grande Rei;

36) nem jureis pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto.

37) Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disso passar vem do maligno.

38) Ouviste  que foi dito: Olho por olho, dente por dente.

39) Eu, porém, vos digo: Não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra;

40) e, ao que demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa.

41) Se alguém te obrigar andar a uma milha, vai com ele duas.

42) Dá a quem te pede e não volte as costas ao que deseja que lhe deseja que lhe emprestes.

43) Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo.

44) Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;

45) para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque Ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.

46) Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo?

47) E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo?

Mateus 5:21- 47

Creio ter ficado bastante evidente pelas palavras de Jesus, que continua sendo necessário uma plena e real obediência aos mandamentos do Senhor. Devemos dar um basta a religiosidade aparente, que se constitui apenas de nome de igreja, cargos, cristãos legalistas cheios de atividades, mas que seriam também chamados de hipócritas por Jesus por ainda estarem com o coração repleto de rancor, inveja, ganância e tantas outras coisas que desagradam ao nosso Deus.

Os verdadeiros filhos de Deus são aqueles que se entregaram a Ele completamente, foram totalmente transformados pelo nosso Senhor Espírito Santo. A obediência destes servos de Deus é completa e por amor, não é falsa ou forçada. É uma obediência natural que procede do coração que está com desejos e sentimentos em harmonia com a vontade do Senhor, um coração em que Jesus Cristo está reinando completamente.

“Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque Ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.  Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo?” Mateus 23:43-46

Quando Jesus nos fala sobre obediência Ele também nos fala do amor, na verdade tudo que fazemos para Deus somente será aceito se for feito por amor. (Ver 1° Cor. 13)

 “Mestre, qual é o grande mandamento na lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo comoa ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”   “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

“Destes dois mandamentos,” amar a Deus e Amar ao próximo “dependem” toda a lei e os profetas. A mensagem de Jesus para nós aqui é que o amor é o grande mandamento. Quando realmente amamos a Deus, guardamos naturalmente os quatros primeiros mandamentos que se referem a Deus, quando amamos o próximo também de forma natural guardamos os seis últimos mandamentos que se referem ao próximo.

Nosso Senhor sabe que se O amarmos, naturalmente guardaremos Seus mandamentos:

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” João 14:15

Jesus revelou a obediência que o Senhor espera de seus filhos em Mateus 23. Vimos também na palavra de Deus que, é através do amor que procede do coração que foi transformado por Deus, que o homem presta a verdadeira obediência. O apóstolo Paulo afirma inspirado pelo Senhor que o amor “é o vínculo da perfeição”:

“Acima de tudo isso, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.” Col. 3:14

O Senhor está disposto a nos conceder um coração amoroso, que obedece, para que passemos a viver um cristianismo real, verdadeiro e sem hipocrisia. O Senhor quer e pode nos conceder a capacidade de amar, assim teremos o amor que nos leva a obediência, o amor que nos leva a perfeição, o amor que “é o vínculo da perfeição.” O amor que nos leva a perfeição de caráter, uma vida completamente livre da escravidão do pecado, uma vida livre da presença do pecado enquanto estivermos unidos ao Senhor. A perfeição de caráter é possível pelo poder de Deus. Nascemos como escravos do pecado, mas isso pode ser mudado por Deus. Deus seja louvado!

“E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos; e guardareis os meus juízos, e os observeis.” Ezequiel 36:26-27

Agora podemos entender a ordem do Senhor no final do capítulo 5 do evangelho de Mateus.

“Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mateus 5:48

Deus seja para sempre louvado!

Iª João e a vitória sobre o pecado

busca

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” 1° João 1:8

“As ideias de perfeição e viver sem pecado foram tão combatidas que o próprio termo “combatidas” já deveria nos alertar quanto a atos e palavras que nada têm de cristãos. João não está negando a obra de Deus, que acabou de afirmar. A questão, no verso 8, tem a ver com a nossa afirmativa de que não temos pecado. Essa é uma mentira arrogante, baseada na autoconfiança de que tenhamos alcançado um estado no qual vivamos sem pecado, por nós mesmos. Isso transforma numa brincadeira o dom de Deus em Jesus Cristo.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 2, pág. 4

O texto acima citado deixa claro que as ideias de perfeição e viver sem pecado foram muito “combatidas.” Nada mudou desde 1997 quando este texto foi escrito e cada vez mais têm sido combatidas.

A lição da escola sabatina faz aplicação de 1ª João 1:8, quando pessoas tomadas de arrogância e baseadas em sua alto confiança, alegam ter alcançado um estado no qual estão vivendo sem pecado por suas próprias forças. É certo que esse tipo de atitude deve ser “combatido,” embora com base na experiência de Jesus Cristo em lidar com as pessoas, o termo mais apropriado aqui seria orientado com amor e não combatido.

Aqui, faz-se necessário alguns questionamentos:

  • O que dizer das pessoas que acreditam na perfeição de caráter e na possibilidade de viver sem pecar não por suas próprias forças, mas como o resultado da graça do Senhor que transforma e purifica? 
  • que dizer de pessoas que reconhecem que mesmo tendo obtido a perfeição de caráter e de estarem vivendo sem pecar, jamais pronunciarão de forma arrogante que são perfeitas e que já não estão pecando mais, porque elas mesmas não terão consciência de já terem obtido essa condição?
  • O que dizer  de pessoas que mesmo acreditando que é possível para o homem passar a viver sem pecar, reconhecem que os que alcançarem essa graça maravilhosa e sempre como o salmista, estarão fazendo a seguinte oração: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. Salmos 139:23-24?
  • O que dizer das pessoas que acreditam na possibilidade do homem passar a viver sem pecar pela graça de Deus, mas que também reconhecem que a possibilidade de pecar continuará existindo e que essa condição de estar vivendo sem pecar só será mantida enquanto o homem estiver mantendo um relacionamento íntimo e constante com Cristo?
  • Será que essas pessoas também precisam ser combatidas? Será que elas merecem serem chamadas de fanáticas, extremistas, perfeccionistas, hereges e outras coisas mais?

“Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” 1° João 1:10

“Como podemos fazer com que Deus seja visto como mentiroso?” 1° João 1:10

“Note como esse verso aparece na versão de Fhillips: “Se assumimos atitude de afirmar: ‘Não tenho pecado’, simplesmente negamos o diagnóstico de Deus quanto à nossa condição e nos isolamos de ouvir o que Ele tem a nos dizer”

“Mais do que isso, assumimos a mentira do diabo, que garantiu a Eva que ela não morreria como resultado do seu pecado, mas que se tornaria como Deus. O diabo sempre tentou representar Deus de acordo com uma natureza pecaminosa.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 2, pág. 6

Comentando este verso, a lição da escola sabatina destaca o fato de que quando afirmamos não termos cometidos pecados fazemos com que Deus seja visto como mentiroso. E isso é uma grande verdade, quando negamos que temos cometido pecados, fazemos com que o Senhor seja visto como mentiroso porque segundo a palavra de Deus todos os homens são pecadores. Rom. 5:12

O homem deve reconhecer e aceitar o “diagnóstico” de Deus, aceitar que é pecador, escravo do pecado para que possa então aceitar ao Senhor como seu libertador.

Agora gostaria que os irmãos analisassem com muito carinho o seguinte argumento:

Uma vez que segundo a palavra de Deus o Senhor é capaz de libertar e curar o homem plenamente, prova disso são os textos seguintes,

  • “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados de coração e proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados.” Isaías 61:1
  • “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32
  • “Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” Isa. 58:8.

Negar o fato de que o Senhor pode libertar o homem da escravidão do pecado, lhe dando condições para que ele passe a viver sem pecar, esta também não é uma forma de afirmar que o Senhor é mentiroso?

“Quem subsistirá no tempo de angústia? Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação […] Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.” O Grande Conflito, pág. 623.

“É requerida obediência exata, e os que dizem não ser possível levar uma vida perfeita, lançam sobre Deus a acusação de injustiça e falsidade.” Reimpressões de Review and Herald, vol. 6, pág. 519; ver também Review and Herald, 7 de fevereiro de 1957, pág. 30.

Agora veremos três versos importantíssimos de Iª João:

  • “Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1° João 3:6;
  • “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.”1° João 3:9;
  • “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18.

Não existem contradições entre Iª João 1:8 e 10 Iª João 3:6, 3:9, 5:18. Estes versos não se contradizem, mas se completam:

  • Iª João 1:8 e 10 representam a condição que o homem deve reconhecer para que possa aceitar ao Senhor como seu salvador;
  • Iª João 3:6, 3:9, 5:18, retratam a condição de vida sem o pecado que o homem terá enquanto Jesus Cristo estiver reinando no seu coração.

“Qual o resultado da salvação?”

“Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.” 1° João 3:6

“Não é necessário questionar se João está falando de determinado pecado ou do pecado em geral. Todo pecado  procede do diabo (1° João 4:8). Enquanto permitirmos que o Espírito Santo atue em nossa mente, Ele nos livrará de pecar. ‘É possível ser sarado enquanto se está conscientemente cometendo pecado? Não; é a fé genuína que diz: Sei que tenho cometido pecado, mas que Jesus me perdoou; e daqui em diante resistirei à tentação em Sua força e por Sua força.’ ‘Qualquer que nEle tem esta esperança [permanece nEle] purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.’ Tem em sua alma um princípio permanente, que o abilita a vencer a tentação. Qualquer que permanece nEle não peca.’ Deus tem poder para a alma que está em Cristo, quando essa alma se acha sob tentação.’” Ellen G. White, Filhos e Filhas de Deus, MM 1956, pág. 297.

“Você não pode sucumbir aos desejos da natureza pecaminosa e ainda dizer que permanece unido a Jesus. Jesus não está dizendo que o cristão jamais peca,  mas que o pecado sempre será considerado pelo cristão como separação de Deus.  O compromisso não é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” (1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 6, pág. 4

Este texto é fantástico! Está claro que: “Enquanto permitirmos que o Espírito Santo atue em nossa mente, Ele nos livrará de pecar.”

Uma observação importantíssima sobre a última frase deste texto da lição da escola sabatina:

O compromisso não é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” (1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.”

O homem não pode deixar de firmar um compromisso ou sentir o desejo de, no poder de Deus não pecar mais, simplesmente porque ele tem a Jesus como seu advogado. Isso seria o homem sentir-se livre para pecar devido o fato de ter um advogado. O correto seria:  O compromisso é de não pecar mais; “se, todavia, alguém pecar” ( 1° João 2:1), pode contar com Cristo como seu advogado celestial.”

O próprio texto da lição da escola sabatina deixa claro que, aquele que tem a fé genuína, firma o compromisso de no poder de Deus não pecar mais:

“É possível ser sarado enquanto se está conscientemente cometendo pecado? Não; é a fé genuína que diz: Sei que tenho cometido pecado, mas que Jesus me perdoou; e daqui em diante resistirei à tentação em Sua força e por Sua força.”

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” 1° João 3:9

“Havendo mostrado o sublime privilégio dos cristãos, o apóstolo volve-se rapidamente para a consequência de sermos filhos de Deus. “Todo aquele que permanece nEle não vive pecando” (1° João 3:6). Integridade moral e espiritual não é uma simples opção na vida cristã. Um estilo de vida santificado é a indicação de que a pessoa é filho de Deus. Do contrário, não faz sentido afirmar que Jesus “Se manifestou para tirar os pecados, e nEle não existe pecado” (verso 5).

O apóstolo nos provê uma teologia do pecado em apenas em alguns versos. O pecado é algo muito grave. Ele nos diz o que é pecado: “a transgressão da lei” (1° João 3:4); “ilegalidade” (RSV). Ele nos diz como se originou o pecado: “o diabo vive pecando desde o princípio” (verso 8). Ele nos diz como o pecado é desfeito: Jesus “Se manifestou para tirar os pecados” (verso 5). Ele diz que devemos estar conscientes dos perigos do pecado: “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém” (verso 7). Ele nos diz que pecar é negar a Jesus (verso 6) e tornar-se “filho do diabo” (verso 10).

O que nossa lição ensina é como o pecado e a justiça, como ser filhos das trevas e filhos de Deus são questões diametralmente opostas. O ponto debatido tem que ver com fé e estilo de vida. Em quem devemos crer? De acordo com quem ser moldado a vida? A resposta cristã é clara: o Filho de Deus, que apareceu “para destruir as obras do diabo” (1° João 3:8). E o dever dos cristãos também é claro: “Aqueles que têm essa esperança em Cristo”, aguardando Sua volta, “purificam-se a si mesmos, assim como Cristo é puro” (verso 3, BLH).

Pureza envolve libertação do pecado. “Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado; pois a natureza de Deus permanece nele, e ele não pode pecar porque é nascido de Deus.” (verso 9, RSV). João não estava ensinando que é impossível que os crentes nascidos de novo escolham pecar (ver 1° João 2:1). O que o apóstolo estava ensinando era que enquanto o Espírito Santo reina na mente e no coração, o pecado não pode penetrar ali. O Espírito concede libertação do cativeiro do pecado, de modo que ninguém possa alegar que é cristão e continuar pecando. A direção é mudada:do pecado para justiça, das trevas para luz, deste mundo para o mundo por vir, de filhos do diabo para filhos de Deus. A suprema evidência de que se é filho de Deus consiste em ser semelhante a Ele.” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 6, pág. 4A

 “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

“A realidade da vitória sobre o pecado. A certeza cristã tem que ver com a libertação do poder do pecado: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado” (1° João 5:18). Aqui  não é insinuado que o crente não pode cair ou fracassar. Essa questão já foi resolvida em 1° João 2:1. O que é dito aí é que os crentes, enquanto forem dominados pelo Espírito Santo, não irão pecar. Jesus, “Aquele que nasceu de Deus”, livra-os de cair. Ele efetua isso pelo poder do Seu Santo Espírito. Eles não serão escravos do pecado, não viverão sem ajuda sob o poder do pecado, não amarão o pecado e terão vitória pelo poder da habitação do Espírito Santo em seu íntimo. Os cristãos que nasceram de novo escaparam da escravidão do pecado (Rom. 6:14; 8:1 e 2). Eles são agora “escravos da justiça” (Rom. 6:18). O poder de Cristo guarda-os de continuarem no pecado. Jesus é nossa vitória. E não temos substituto; daí a advertência final: “Guardai-vos dos ídolos” (1° João 5:21)” Lição da Escola Sabatina, Deus é Amor, 2° trim. de 1997, lição 11, pág. 4A

Na primeira epístola de João encontramos uma mensagem poderosa de vitória sobre o pecado mediante o poder de Deus. Precisamos aceitar a dura realidade de que somos escravos do pecado, mas também precisamos aceitar que Cristo pode nos libertar dessa escravidão para que possamos viver como verdadeiros filhos de Deus.

“Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio, Para isto, se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.” 1° João 3:8

“Sabeis também que Ele se manifestou para tirar os pecados, e nEle não existe pecado.” 1° João 3:5

No poder de Deus somos chamados:

  • Para sermos puros como Jesus é puro – “Todo aquele que nEle tem essa esperança torna-se puro, como Ele é puro” 1° João 3:3
  • Vivermos como Jesus viveu – “Aquele que afirma permanecer nEle deve também viver como Ele viveu.” 1° João 2:6
  • Sermos justos como Jesus é justo – “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo.” 1° João 3:7

“Se habitamos em Cristo, se o amor de Deus habita em nós, nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas ações estão em harmonia com a vontade de Deus tal como se expressa nos preceitos de Sua santa lei. “Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça está definida no padrão da santa lei de Deus, expressa nos dez preceitos dados no Sinai.” Ellen G. White, Caminho a Cristo, pág. 61

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

Que o nosso maravilhoso Deus seja eternamente louvado!

Esfera Humana

111Mensagens preciosas de Ellen G. White, a serva do Senhor, sobre o assunto de perfeição na esfera humana:

“O ideal de Deus para com Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei um transcrito de Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo; e qual foi a norma dada por Ele a todos quantos nEle crêem? “Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua elevada esfera de ação, assim o homem pode ser perfeito em sua esfera humana.” Conselhos Aos Pais, Professores E Estudantes pág. 365

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera.” Medicina e Salvação, págs. 112 e 113. (Maranata, O Senhoe Vem MM 1977 pág. 225

Não é raro ouvirmos pessoas falarem em perfeição na esfera humana. Bom, a princípio não há nada de errado porque, como vimos, Ellen G. White  escreveu diversas vezes sobre a perfeição na esfera humana.

Infelizmente ao que parece quando algumas pessoas falam de perfeição na esfera humana querem com isso afirmar a existência de perfeição “com defeitos”. Para elas, a perfeição sem defeitos ou sem pecado, é impossível. Então a solução seria buscar essa perfeição na esfera humana na qual ele mesmo tendo algum defeito ou pecado seria considerado perfeito pelo nosso Deus.

Pensar em perfeição com pecado não é ter certa tolerância com o pecado?

Pois bem, enquanto tivermos alguma tolerância com o pecado, a verdadeira piedade não acontecerá. A serva do Senhor afirma: “A verdadeira piedade começa quando termina toda transigência com o pecado.” O Maior Discurso De Cristo pág. 91

Agora veremos que a serva do Senhor ao citar “perfeição na esfera humana”, não estava se referindo a um tipo de perfeição na qual o homem mesmo tendo algum defeito seria considerado perfeito por Deus: “Nossa conversação deve ser santa. Como Deus é santo em Sua esfera, sejamos santos em nossa esfera. Exultemos no precioso Salvador, o qual morreu para resgatar-nos, e reflitamos a glória de volta a Deus. Unamo-nos com o céu em nossos louvores aqui e com os cânticos dos anjos celestiais na cidade de nosso Deus.” Fé E Obras pág. 79

Será que santidade na esfera humana é também um tipo de santidade onde o Senhor tolera a existência de algum pecado? E o que dizer do verso bíblico a seguir?

“Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.” 2° Coríntios 7:1

“Nosso Salvador entende tudo acerca da natureza humana, e diz a cada ser humano: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48. Como Deus é perfeito em Sua esfera, assim deve o homem ser perfeito em sua esfera. Os que recebem a Cristo acham-se entre o número daqueles aos quais são pronunciadas as palavras tão cheias de esperança: “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome.” João 1:12. Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter, um caráter formado à semelhança divina. Ao se processar um caráter tal, a vida, a fé, a pureza da religião, constituem um exemplo edificante para outros. Medicina e Salvação, págs. 112 e 113.; Maranata O Senhor Vem,MM 1977 pág. 225

Estas palavras nos declaram que não devemos contentar-nos com nada menos do que o melhor e mais elevado caráter […]”. Convenhamos irmãos, perfeição com algum defeito não é de forma alguma “o melhor e mais elevado caráter”.

“Ninguém precisa deixar de alcançar em sua esfera a perfeição do caráter cristão. Pelo sacrifício de Cristo, foi tomada providência para que o crente receba todas as coisas que dizem respeito à vida e piedade. Deus nos convida a alcançarmos a norma da perfeição, e põe diante de nós o exemplo do caráter de Cristo. O Salvador mostrou, por meio de Sua humanidade consumada por uma vida de constante resistência ao mal, que, com a cooperação da Divindade, podem os seres humanos alcançar nesta vida a perfeição de caráter. Esta é a certeza que Deus nos dá de que também nós podemos alcançar a vitória completa. “Atos dos Apóstolos, págs. 530-532.(Refletindo A Cristo, MM 1986 pág. 306)

O nosso exemplo, nosso alvo e objetivo deve ser ter o caráter de Cristo e Ele não tinha defeito algum. É nos dado a certeza de que nós também podemos alcançar a vitória completa.

“Os homens e mulheres que se acham à testa de uma missão, necessitam de íntima ligação com Deus, a fim de se conservarem puros, e saberem dirigir criteriosamente a juventude, de modo que os pensamentos de todos sejam impolutos e sãos. Sejam as lições dadas de caráter elevado, enobrecedor, para que a mente se encha de pensamentos puros e semelhantes aos de Cristo. “Qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.” I João 3:3. Como Deus é puro em Sua esfera, assim o homem deve ser na sua. E será puro, se Cristo, a esperança da glória, habitar no interior; pois ele imitará a vida de Cristo e refletirá  Seu caráter.” Obreiros Evangélicos pág. 366

O homem sendo puro em sua esfera imitará a vida de Cristo e refletirá Seu caráter. Imitará o homem a vida de Cristo e refletirá Seu caráter ainda tendo algum defeito, algum pecado?

Como vimos perfeição na esfera humana não é de forma alguma um tipo de perfeição ainda com defeitos ou pecados. Os próximos dois próximos textos nos ajudará entender o significado de perfeição na esfera humana:

 “Ele nos diz que sejamos perfeitos como Ele o é – da mesma maneira. Cumpre-nos ser centros de luz e bênção para o nosso pequeno círculo, da mesma maneira que Ele o é para o Universo. Nada temos de nós mesmos, mas a luz de Seu amor resplandece sobre nós, e devemos refletir-lhe a glória. “Bons na bondade que Ele nos empresta”, podemos ser perfeitos em nossa esfera, da mesma maneira que Deus é perfeito na Sua. Jesus disse: “Sede… perfeitos, como é perfeito vosso Pai.” Mat. 5:48. O maior Discurso De Cristo pág. 77

Há impressões que estão sendo causadas em todo o tempo. Há uma atmosfera que circunda a alma humana, e essa atmosfera é celestial ou infernal. Só há duas linhas distintas. Ou estamos do lado da questão que é de Cristo, ou do lado do inimigo. E se estamos continuamente extraindo raios da gloriosa luz divina, anjos de Deus se encontram ao nosso redor, e há uma atmosfera que circunda a alma humana. Nossa própria atitude, nossas próprias palavras dão testemunho de genuína conversão a todos os que estão dentro da esfera de nossa influência. “O Espírito e a esposa dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha.” Apoc. 22:17; Fé E Obras pág. 65

Aqui podemos encontrar um significado de esfera humana, “nosso pequeno círculo”, nossa “esfera de influência” seria a esfera humana. O universo é a esfera de influência de Deus. Agora não podemos é aceitar de forma alguma a possibilidade de existência de uma perfeição com defeitos ou pecados, sendo essa tal perfeição o máximo que o homem poderá alcançar. Nosso objetivo deve ser viver como Cristo viveu, sem pecado e acreditem pelo poder do Senhor, que isso é possível  o Senhor pode nos conceder essa graça maravilhosa. Deus seja louvado!

 “O grande Mestre veio a nosso mundo, não somente para fazer expiação pelo pecado, mas também para ser um mestre tanto por preceito como pelo exemplo. Veio mostrar ao homem como guardar a lei na humanidade, de modo que ele não tivesse nenhuma desculpa para seguir seu próprio critério imperfeito. Vemos a obediência de Cristo. Sua vida era sem pecado. A obediência durante toda a Sua vida é uma censura à humanidade desobediente. A obediência de Cristo não deve ser posta de lado como se fosse completamente diferente da obediência que Ele requer de nós individualmente. Cristo nos mostrou que é possível para toda a humanidade obedecer às leis de Deus. ”ME, vol. 3 pág. 135

“A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino.Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado.” Nossa Alta Vocação p. 46

“Esta foi a posição que Cristo ocupou quando veio ao nosso mundo, entrando em conflito com o líder rebelde dos anjos caídos. Deus formulou um plano, e Cristo aceitou a posição. Ele concordou em encontrar o inimigo diretamente, como todo ser humano deve fazer. Foram-Lhe providos todos os poderes celestes para ajudá-Lo nesse grande conflito; e o homem, se andasse no caminho e na vontade de Deus, receberia o mesmo poder preservador. As mesmas inteligências celestiais ministram àqueles que serão herdeiros para a salvação, para que possam vencer toda tentação, grande ou pequena, como Cristo venceu.”Olhando Para O Alto pág. 42

 O Filho de Deus era irrepreensível.“Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita.” Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus pág. 154

“Como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam os Seus seguidores. Cumpre-nos viver, em Sua força, a vida de pureza, a vida nobre vivida pelo Salvador.” Testimonies, vol. 8, págs. 286 e 289. Filhos e Filhas de Deus pág. 21

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. […] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas- para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado.”- Manuscrito 97, 16 de outubro de 1909, “ Eu Sou a Videira Verdadeira”, sermão pregado em San José, Califórnia. Olhando Para O Alto MM, pág. 297.

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado De Deus MM 1995,pág. 320

“Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isto é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová.”  Parábolas de Jesus, pág. 312.

“A santificação não é obra de um momento, uma hora, ou um dia. É um contínuo crescimento na graça. Não sabemos um dia qual será nossa luta no dia seguinte. Satanás vive e está ativo, e precisamos cada dia clamar fervorosamente a Deus por auxílio e força para resistir-lhe. Enquanto Satanás reinar, teremos de subjugar o próprio eu, teremos assaltos a vencer, e não há lugar de parada, nenhum ponto a que possamos chegar e dizer que atingimos plenamente. […] A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus coloca-Se como refinador e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação.”     Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 112-114.; Maranata O Senhor Vem pág. 87

Deus seja louvado!

Perfeito em cada fase

planeta-vegetariano-planta-dor“A germinação da semente representa o início da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. A planta precisa crescer ou morrer. Como seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas constante, assim é o desenvolvimento da vida cristã. Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida. Multiplicando-se as oportunidades, ampliar-se-á nossa experiência e crescerá nosso conhecimento. Tornar-nos-emos fortes para assumir as responsabilidades, e nossa maturidade será proporcional aos nossos privilégios.” Parábolas de Jesus, págs. 63, 65-67; Maravilhosa Graça pág. 281

Algumas pessoas explicam este texto estabelecendo um paralelo entre o desenvolvimento físico de uma pessoa com seu desenvolvimento espiritual.

Partindo deste pressuposto, uma criança recém nascida não tem dentes, não anda, no entanto ela é perfeita. Essa criança passará por fases de desenvolvimento nos quais mesmo tendo alguma coisa para ser desenvolvida ela será considerada perfeita levando em consideração a sua idade. A perfeição absoluta será atingida somente quando essa criança atingir a fase adulta onde então ela terá atingido o pleno desenvolvimento do seu aspecto físico. Fica bem evidente que o fator tempo é essencial para o desenvolvimento físico. É impossível para uma criança chegar na fase adulta sem que ela passe pelos anos necessários para ela atingir o pleno desenvolvimento.

Agora eu pergunto:

Será que no plano espiritual o fator tempo também é essencial? Será impossível para uma pessoa atingir a perfeição, a fase “adulta” no plano espiritual sem o fator tempo?

Vamos imaginar a seguinte situação:

Um indivíduo se entrega a Deus, nesse momento ele tem um caráter defeituoso, ainda não aperfeiçoado, uma vida cheia de pecados. O Senhor o aceita e diz: “Tudo bem meu filho, eu te aceito. Mas agora eu preciso de alguns anos, mais ou menos uns dezoito anos. Antes impossível. Durante esse tempo você passará por fases de desenvolvimento até atingir a fase adulta, a perfeição de caráter.”

Isso não lhe parece ridículo?

Será que existem mesmo algumas fases de desenvolvimento do homem nas quais o Senhor o considera perfeito, preparado para a salvação, mesmo que ele ainda tenha algum defeito de caráter não corrigido?

Vamos supor que alguém dê a seguinte resposta: “Sim, essas fases existem e a pessoa que estiver nela é considerada perfeita por Deus, poderá ser salva mesmo que ainda tenha algum defeito de caráter.”

Suponhamos então que uma pessoa morresse em uma dessas fases de desenvolvimento. Essa pessoa morreu tendo ainda algum defeito de caráter, tendo mesmo que um pequeno pecado não vencido, não abandonado. 

Podemos afirmar que essa pessoa não pode ser salva e que aqueles que afirmam o contrário estão completamente enganados.

“A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” Ellen G. White, DTN, pág. 668

“Nossos Traços de Caráter não se Alterarão. Se quereis ser santos no Céu precisais ser primeiro santos na Terra. Os traços de caráter que acalentais na vida não serão modificados pela morte ou pela ressurreição. Saireis da sepultura com a mesma disposição que manifestastes em vosso lar e na sociedade. Jesus não altera o caráter em Sua vinda. A obra de transformação tem de ser efetuada agora. Nossa vida diária está determinando o nosso destino. Precisamos arrepender-nos dos defeitos de caráter, vencê-los pela graça de Cristo e formar um caráter simétrico neste período de prova, a fim de que sejamos habilitados para as mansões lá do alto. Manuscript Releases, vol. 13, pág. 82.” Eventos Finais pág. 295

Considerar que uma pessoa possa ser salva mesmo tendo morrido em uma destas fases de desenvolvimento, com essa “perfeição ainda com defeitos”, é ignorar esses dois últimos textos do Espírito de profecia. É afirmar que o Senhor salvará essa pessoa mesmo estando ela ainda “em pecado,” com algum pecado, mas vimos que o Senhor salva os homens do pecado não em pecado. 

Se existisse a possibilidade do Senhor salvar alguém que morreu em uma dessas fases de desenvolvimento ainda tendo algum defeito de caráter, Ele teria para isso que mudar o caráter dessa tal pessoa na ressurreição ou na volta de Jesus. Vimos, no entanto, que a serva do Senhor afirmou de uma forma muito clara que isso não acontecerá.

Sendo que o caráter não será mudado nem na ressurreição nem na volta de Jesus eu tenho que aceitar a realidade de que, quem morreu com defeitos de caráter perdeu a salvação, a menos que eu pense na possibilidade absurda do Senhor levar para o céu alguém com defeito de caráter.

Eu não posso estabelecer um paralelo entre o desenvolvimento espiritual e o desenvolvimento físico. No desenvolvimento espiritual, o nosso maravilhoso Deus não precisa de tempo para nos transformar. Ele pode e deseja nos transformar agora.

“Em alguns casos de cura, Jesus não concedeu imediatamente a bênção buscada. No caso da lepra, todavia, tão depressa foi feito o apelo, seguiu-se a promessa. Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração talvez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, porém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa.” DTN, pág.266

É verdade que o aperfeiçoamento de caráter normalmente leva muito tempo, mas isso acontece devido nossa negligência e desinteresse em buscar a transformação do nosso caráter e não porque o Senhor não queira ou não tenha poder para nos transformar o quanto antes.

“A santificação não é uma obra instantânea, mas progressiva, assim como a obediência é contínua. Enquanto Satanás nos importunar com suas tentações, a batalha pela vitória sobre o próprio eu terá de ser travada reiteradas vezes; mas pela obediência, a verdade santificará a alma. Os que são leais à verdade irão, pelos méritos de Cristo, vencer toda debilidade de caráter que tem feito com que sejam moldados por toda e multiforme circunstância da vida.” Ellen G. White, Fé e Obras pág. 85

“A santificação é obra, não de um dia ou um ano, mas de toda uma vida. A luta pela conquista do próprio eu, da santidade e do Céu, é luta vitalícia. … A santificação de Paulo foi resultado de um constante conflito consigo mesmo. Disse ele: “Cada dia morro.” I Cor. 15:31. … É pelo esforço incessante que mantemos a vitória sobre as tentações de Satanás. A integridade cristã tem de ser buscada com irresistível energia, e mantida com resoluta firmeza de propósito.” Review and Herald, 15 de outubro de 1908.(Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 26)

É também verdade que aqueles que atingirem a perfeição de caráter continuarão no processo de santificação porque como vimos nos dois últimos textos à santificação é uma obra “progressiva”, é uma obra de “toda uma vida”. Agora a sua santificação consistirá em estar se separando ou recusando todas as propostas do inimigo para pecar. Estarão continuamente enquanto estiverem nesse mundo se separando das coisas que não fazem parte  do reino de Deus.

A integridade cristã deve ser “buscada” e “mantida”. A santificação daqueles que tem um caráter perfeito será a obra de manter a integridade cristã.

Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. […] Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida.” Ellen G. White, Maravilhosa Graça, pág. 281

Como entender esse texto? Mesmo aqueles que possuírem no poder de Deus um caráter perfeito continuarão tendo um crescimento constante. Como entender esse crescimento?

Aqueles que tendo obtido no Senhor um caráter perfeito serão submetidos a provas constantes enquanto estiverem nesse mundo repleto de pecado. A cada prova vencida, a cada fase ou etapa vencida, estes  servos de Deus sairão mais fortalecidos, mais mansos, mais pacientes, mais confiantes no poder de Deus, mais amorosos ao nosso Deus e ao próximo, mais sábios. É neste sentido que os possuidores de perfeição moral continuarão sendo perfeitos em cada fase e com crescimento constante.

O crescimento de uma planta é sim uma boa maneira para entendermos o crescimento e desenvolvimento de um caráter que já é perfeito. Uma planta é perfeita em cada fase de seu desenvolvimento, mas após cada fase ela se torna maior, mais forte, mais bonita. Esse é o motivo da serva do Senhor afirmar:

“A germinação da semente representa o início da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento.” Parábolas de Jesus, págs. 63, 65-67; Maravilhosa Graça, pág. 281

Para finalizar gostaria que os irmãos analisassem mais esse argumento:

Imagina-se que uma pessoa realmente precise de anos ou a vida inteira para o aperfeiçoamento do caráter e ser libertada da escravidão do pecado. Esta pessoa se justifica alegando ainda não ter tido tempo suficiente para essa transformação. Não seria esta uma boa desculpa para pecar?

 Mas a serva do Senhor é muito clara ao afirmar: “Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente. O ideal do caráter cristão, é a semelhança com Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua.” DTN, pág.312

A nossa incredulidade impede que o Senhor faça esta obra maravilhosa em nossa vida. Vamos orar mais irmãos, pedir ao Senhor que aumente nossa fé, vamos parar de arrumar desculpas para o pecado. O Senhor deseja e pode nos dar, antes que seja tarde de mais, a perfeição de caráter, nos livrando completamente do pecado. Que o nosso Senhor seja louvado!

“Deus requer perfeição moral em todos. Os que receberam luz e oportunidades devem, como mordomos de Deus, aspirar à perfeição, e nunca, nunca baixar a norma de justiça a fim de acomodar tendências herdadas e cultivadas para o mal. Cristo tomou sobre Si nossa natureza humana e viveu nossa vida, para mostrar-nos que podemos ser semelhantes a Ele participando da natureza divina.”  Carta 9, 1899. Este Dia Com Deus pág. 30

“Quando Deus deu Seu Filho ao mundo, tornou possível a homens e mulheres serem perfeitos mediante o uso de toda capacidade do seu ser para glória de Deus. Em Cristo deu-lhes as riquezas de Sua graça, e o conhecimento de Sua vontade. Ao esvaziarem-se do eu e aprenderem a andar em humildade, buscando orientação de Deus, os homens estariam capacitados a cumprir o elevado propósito de Deus para eles.” Review and Herald, 22 de abril de 1909. Cuidado De Deus MM 1995, pág. 246

“O ideal de Deus para Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o pensamento humano. “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:48. Este mandamento é uma promessa. O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar.” DTN, pág. 311

“O homem caiu. A imagem de Deus nele se acha deformada. Por causa da desobediência ele se tornou depravado em suas inclinações e debilitado em suas faculdades, aparentemente incapaz de esperar qualquer outra coisa além de tribulação e castigo. Mas Deus, por intermédio de Cristo, planejou um escape, e diz a todos: “Portanto, sede vós perfeitos.” Mat. 5:48. O Seu propósito é que o homem seja correto e digno diante dEle, e assim o Seu plano não será frustrado. Ele enviou o Seu Filho a este mundo a fim de pagar a penalidade do pecado, e mostrar ao homem como viver uma vida sem pecado.” Signs of the Times, 30 de março de 1904. Cuidado De Deus MM 1995,pág. 320

Deus quer nos dar perfeição de caráter, perfeição moral, nos livrando da escravidão do pecado para que estejamos realmente preparados para a volta de Jesus. Que o nosso maravilhoso Deus seja louvado!!!

“O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.” 1° Tess. 5:23

Precisamos Acreditar

2“Portanto, sede perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” Mat. 5:48

 “Segue a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” Hebreus 12:14

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

 “A fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” 2°Tim. 3:17

 “Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo. Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” 1° Pedro 1:13-16

Estes nos mostram a santidade e pureza que o Senhor deseja que seja revelada em nossa vida. Quando lemos textos assim normalmente nos sentimos desanimados, olhamos para nossas imperfeições de caráter, pensamos no nosso passado…

Quantas vezes prometemos para o Senhor que seria diferente e não foi, olhamos para os nossos fracassos e então chegamos a seguinte conclusão: É possível melhorar algumas coisas em minha vida! Mas, a santidade que o Senhor espera de mim, vida sem mácula, sem pecado, de forma irrepreensível com um caráter perfeito isso é impossível.

Então começamos arrumar desculpas para os nossos defeitos de caráter. Culpamos nossa natureza, nosso mundo, nossa família, nossa igreja, culpamos Satanás. No caso de Satanás é bem verdade que ele tem uma parcela de culpa em nossos pecados. No entanto devemos nos lembrar que o Senhor não permite que Satanás nos tente além de nossas forças:

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” I° Cor. 10:13

Isso significa que quando pecamos o principal culpado somos nós mesmos, porque escolhemos pecar. Escolhemos viver como escravos do pecado.

Precisamos acreditar que existe no Senhor poder suficiente para nos livrar dessa escravidão. Devemos nos lembrar das mensagens contidas na palavra de Deus que nos revelam que o nosso maravilhoso Deus pode e deseja nos transformar e nos purificar completamente: 

“Sara-me, Senhor, e sararei; salva-me, e serei salvo; porque Tu és o meu louvor.” Jer. 17:14

 “Confia do Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.” Prov. 16:3

 “Vinde, então, e argüi-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” Isa. 1:18.

 “O sangue de Jesus, Seu filho, nos purifica de todo pecado.” 1° João 1:7

 “Tudo posso naquele que me fortalece.” Fil. 4:13

Precisamos acreditar, precisamos ter fé porque sem fé é impossível agradar a Deus. Nossa fé é o nosso recipiente, o vaso onde o Senhor colocará Suas bênçãos. É lógico que quanto maior o recipiente, o vaso, maior será a quantidade de bênçãos recebidas. 

“Ora, sem fé é impossível agradar-Lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que O buscam.” Heb. 11:6.

Mas você pode afirmar: “Tudo bem, eu entendi, mas não depende somente da lógica ou da razão, no fundo eu continuo não tendo aquela fé que o Senhor gostaria que eu tivesse.”

E você tem razão, não depende da lógica ou da razão, a fé é um dom de Deus, e se concluímos que não temos fé suficiente devemos pedir ao nosso Deus e então com certeza ele nos dará a fé que necessitamos.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.” Efésios 2:8

Não devemos ficar com os braços cruzados. Devemos orar e estudar a palavra de Deus e crer que o Senhor nos dará a vitória, então a cada prova vencida a nossa confiança em Deus aumentará.

A verdade é que é necessário um milagre para que um descrente passe a acreditar, e está aquém da nossa capacidade explicar com exatidão como acontecem milagres. Agora o mais importante é deixar, o nosso maravilhoso Deus, operar esse milagre no nosso coração!!!

Temos na palavra de Deus o relato de uma linda experiência de um homem com Jesus, que nos ajudará entender como deve ser nossa atitude para com Deus se não temos fé suficiente:

“E um, dentre a multidão, respondeu: Mestre, trouxe-te o meu filho, possesso de um espírito mudo; e este onde quer que o apanha, lança-o por terra, e ele espuma, rilha os dentes e vai definhando. Roguei a teus discípulos que o expelissem, e eles não puderam. Então, Jesus lhes disse: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-mo. E trouxeram-lhe; quando ele viu a Jesus, o espírito imediatamente o agitou com violência, e, caindo ele por terra, revolvia-se espumando. Perguntou Jesus ao pai do menino: Há quanto tempo isso lhe sucede? Desde a infância, respondeu; e muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o matar; mas, se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. Ao que lhe respondeu Jesus: Se tu podes! Tudo é possível ao que crê. E imediatamente o pai do menino exclamou com lágrimas: Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!” Marcos 9:17-24

Jesus viu que aquele homem não tinha fé suficiente. Ele não tinha plena confiança no poder de Jesus a ponto de ter certeza de que Ele poderia libertar seu filho. “Mas, se tu podes alguma coisa.” Jesus então lhe responde: “Tudo é possível ao que crê.”

Aquele pai agora, com lágrimas nos olhos diz para Jesus: Sim Senhor eu acredito, mas, não da forma que o Senhor gostaria que eu acreditasse. “Ajuda-me na minha falta de fé!” O resultado foi maravilhoso, aquele pai foi atendido em seu pedido.

Quando olhamos para nossa vida cheia de pecado, cheia de fracassos, devemos também orar a Jesus, pedir a Ele libertação plena da escravidão do pecado, para que o Senhor tire do nosso coração tudo aquilo que O desagrada. Se sentirmos que o nosso pedido de libertação não está sendo feito com fé, com confiança de que o Senhor nos atenderá, deveremos então repetir a oração daquele pai: Senhor não tenho fé suficiente, ajuda-me na minha incredulidade.

O resultado não será diferente, o Senhor nos atenderá e nos concederá essa graça maravilhosa.

Que Deus seja louvado!!!

Meus queridos irmãos, vamos orar ao nosso Deus:

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” Sal. 51:10 “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que q neve.” Sal. 51:7 – O resultado será realmente maravilhoso.

Como o salmista, também poderemos louvar ao nosso grandioso Deus com essas palavras: “Esperei confiantemente pelo Senhor; Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. E me pós nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no Senhor.” Sal. 40:1-3

E finalmente: “O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.” 1° Tess. 5:23

Que Deus seja louvado!!!