Archive for the ‘Salvação’ Tag

Restauração da imagem divina

vaso-na-roda-do-oleiro“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:26-27

O fato de homem ter sido criado segundo a imagem divina refere-se tanto ao aspecto físico como ao aspecto espiritual. O homem foi criado com um caráter perfeito em harmonia com a vontade de Deus.

“Quando Adão saiu das mãos do Criador, trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual, a semelhança de seu Criador. “E criou Deus o homem à Sua imagem” (Gên. 1:27), e era Seu intento que quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem, refletindo mais completamente a glória do Criador.” Fé Pela Qual Eu Vivo pág.166

“Criados para serem a “imagem e glória de Deus” (I Cor. 11:7), Adão e Eva tinham obtido prerrogativas que os faziam bem dignos de seu alto destino. Dotados de formas graciosas e simétricas, de aspecto regular e belo, o rosto resplandecendo com o rubor da saúde e a luz da alegria e esperança, apresentavam eles em sua aparência exterior a semelhança dAquele que os criara. Esta semelhança não se manifestava apenas na natureza física. Todas as faculdades do espírito e da alma refletiam a glória do Criador. Favorecidos com elevados dotes espirituais e mentais, Adão e Eva foram feitos um pouco menores do que os anjos (Heb. 2:7), para que não somente pudessem discernir as maravilhas do universo visível, mas também compreender as responsabilidades e obrigações morais.” Educação pág. 20

“O homem deveria ter a imagem de Deus, tanto na aparência exterior como no caráter. Cristo somente é a “expressa imagem” do Pai (Heb. 1:3); mas o homem foi formado à semelhança de Deus. Sua natureza estava em harmonia com a vontade de Deus. A mente era capaz de compreender as coisas divinas. As afeições eram puras; os apetites e paixões estavam sob o domínio da razão. Ele era santo e feliz, tendo a imagem de Deus, e estando em perfeita obediência à Sua vontade.” Patriarcas e Profetas pág. 45

  • Vejamos esse comentário da lição da escola sabatina:

“Mas o que significa para nós ter sido criados à imagem de Deus? (Gên. 1:26 e 27; Sal. 8:4-8.) Refere-se à semelhança física ou espiritual? O comentarista do Antigo Testamento, Gerhard Von Rad, percebeu corretamente que ambas as posições estão aqui.. Essa opinião é endossada por Ellen White: “O homem deveria ter a imagem de Deus, tanto na aparência exterior como no caráter. Cristo somente é a “expressa imagem” do Pai (Heb. 1:3); mas o homem foi formado à semelhança de Deus. Sua natureza estava em harmonia com a vontade de Deus. A mente era capaz de compreender as coisas divinas.” Patriarcas e Profetas pág. 45, (Lição da Escola Sabatina, 3° trim. 1999, Criados por Deus, pág. 49)

  • Consequência do pecado na vida do homem:

“Com o aparecimento do pecado, a imagem de Deus na humanidade se distorceu e precisa ser restaurada. Isso acontecerá pelo plano da salvação. O apóstolo Paulo, cônscio de nossa natureza pecaminosa, apela que “vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Efés. 4:22-24). Usando a mesma ideia, ele escreve: “[…] e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem dAquele que o criou” (Col. 3:10). Ser restaurado `imagem de nosso Criador inclui o novo nascimento (João 3:3; Tito 3:4-7; 1 João 2:29; 3:14). Lição da Escola Sabatina, 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 8.

  • Jesus Cristo a nossa salvação: 

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena; prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; e por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência.] Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isso; ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obcena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos, e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.” Colossenses 3:510

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” 2 Cor. 3:18

O plano da salvação tornou possível para o homem obter perdão dos pecados cometidos – justiça Imputada. O sacrifício de Cristo por nós também tornou possível para nós mediante a atuação do Senhor Espírito Santo ter a imagem e semelhança divina restaurada – justiça Comunicada. Deus seja para sempre louvado!

Quero convidar meus queridos irmãos para lerem alguns textos do espírito de profecia e de lições da escola sabatina que nos revelam questões importantes:

1 – Como a imagem divina é restaurada na vida do homem?

“Embora a imagem moral de Deus tenha sido quase erradicada pelo pecado de Adão, através dos méritos e do poder de Jesus, ela pode ser renovada. O homem pode permanecer com a imagem moral de Deus em seu caráter, pois Jesus a dará. A menos que imagem moral [renovada] de Deus seja vista no homem, ele nunca poderá entrar na cidade de Deus como vencedor.” Comentários de Ellen G. White, DAS Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.078.  Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 13.

“Através da energia criativa do Espírito Santo, as pessoas que aceitam a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor pessoal tornam-se “novas criaturas”. Sua nova natureza não é produto de alguma virtude moral inerente a os seres humanos, requerendo simplesmente ser desenvolvidas. Nem é está nova natureza o produto do desejo ou resolução de fazer o que é correto, a concordância mental com certas doutrinas, nem uma tristeza por males praticados. O novo nascimento significa ser criado novamente, à semelhança de Cristo.” Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 83.

“A promessa de Deus é: “Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração.” Jer. 29:13. O coração inteiro tem de render-se a Deus, ou do contrário não se poderá jamais operar a transformação pela qual é restaurada em nós a Sua semelhança. Por natureza estamos alienados de Deus. O Espírito Santo descreve nossa condição em palavras como estas: “Mortos em ofensas e pecados” (Efés. 2:1); “toda a cabeça está enferma, e todo o coração, fraco”, “não há nele coisa sã.” Isa. 1:5 e 6. Somos retidos nos laços de Satanás, “em cuja vontade” (II Tim. 2:26) estamos presos. Deus deseja curar-nos, libertar-nos. Mas como isto requer uma completa transformação, uma renovação de nossa natureza toda, é necessário rendermo-nos inteiramente a Ele.” Caminho a Cristo pág. 43

“Esse amor é o testemunho de seu discipulado. … Quando os homens se ligam entre si, não pela força do interesse pessoal, mas pelo amor, mostram a operação de uma influência que é superior a toda influência humana. Onde existe esta unidade, é evidente que a imagem de Deus está sendo restaurada na humanidade, que foi implantada nova vida. Mostra que há na natureza divina poder para deter os sobrenaturais agentes do mal, e que a graça de Deus subjuga o egoísmo inerente ao coração natural.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 677 e 678.

“Ninguém é tão vil, ninguém tão decaído, que esteja além da operação desse poder. Em todos quantos querem submeter-se ao Espírito Santo deve ser implantado um princípio novo de vida: a perdida imagem de Deus deve ser restaurada na humanidade.” Parábolas de Jesus pág. 96

“A contemplação de Seu amor, manifestado em Seu Filho, comoverá o coração e despertará as energias da alma como nenhuma outra coisa o poderia fazer. Cristo veio para restaurar na humanidade a imagem divina; e quem quer que dEle desviar os homens, afasta-os da fonte do verdadeiro desenvolvimento, defraudando-os da esperança, do desígnio e da glória da vida. É ladrão e salteador.”  O Desejado de Todas as Nações, pág. 478

“Satanás rejubilava por haver conseguido rebaixar a imagem de Deus na humanidade. Então veio Cristo, a fim de restaurar no homem a imagem de seu Criador. Ninguém, senão Cristo, pode remodelar o caráter arruinado pelo pecado. Veio para expelir os demônios que haviam dominado a vontade. Veio para nos erguer do pó, reformar o caráter manchado, segundo o modelo de Seu divino caráter, embelezando-o com Sua própria glória.” O Desejado de Todas as Nações, págs. 37.

2 – O que representa para o homem ter a imagem divina restaurada e como será o estilo de vida do homem renovado em Cristo?

“Cristo ‘é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda criação’ (Col. 1:15, compare com 2 Cor. 4:4). Portanto Ele pode vir à Terra para renovar a imagem de Deus. Quando viemos a Cristo fomos transformados, “criados em Cristo Jesus para boas obras” (Efés. 2;10). É essencial considerar como  foi elaborado o desenvolvimento do plano da salvação, restaurar em nós a imagem de Deus. A Bíblia , pelo conceito da imagem de Deus, descreve as características que desenvolveremos ao ser esta imagem restaurada. (Gál. 5:22-26; 2 Ped. 1:5-7, etc.) Lição da Escola Sabatina, 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 10.

 “Por causa do pecado, estamos por natureza alienados de Deus, e sua imagem em nós está distorcida. Quando aceitamos a justiça de Cristo como nossa própria, somos reconciliados com Deus, e sua imagem em nós é restaurada. Essa restauração e reconciliação envolve uma mudança da natureza, através da habitação do Espírito Santo. Como Jesus disse a Nicodemos, “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino Deus” (João 3: 3). O apostolo Paulo é ainda mais dramático: “E, assim, se alguém esta em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas “ (2 Cor. 5:17). O novo testamento nos mostra a realidade do novo nascimento, de ser novas criaturas em Cristo (Ver Gál. 5:17-26). A realidade de ser nova criatura em Cristo é evidente na vida dos doze discípulos de Cristo. Em diversas ocasiões, Pedro agiu de modo orgulhoso e autoconfiante (Mat. 16:22; 14:28-30; 26:33-34). E João foi apelidado de filho do trovão (mar.3:17). Mas quando o Espírito Santo viveu em seu coração, eles se tornaram novas criaturas. João se tornou o apóstolo do amor (João 19:26; 20:2; 21:7-20). E Pedro se tornou o apóstolo da humildade ( João 21:15-19). Lição da Escola Sabatina 2° trim. de 1999, A Natureza do Homem, pág. 80.

 ‘”É o pecado que nos obscurece o espírito e embota as percepções. Ao ser o pecado expulso de nosso coração, a luz do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo, iluminando Sua palavra e refletida na face da Natureza, declará-Lo-á, cada vez mais plenamente: ‘1misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade. ’  Ê xodó 34:6.”

“Em Sua luz veremos a luz, até que espírito, coração e alma estejam transformados à imagem de Sua santidade.” – Testimonies, vol. 8, pág. 321 e 322. Lição da Escola Sabatina 2° trim. 1984, Sabendo Que Conhecemos a Deus, pág. 11.

3 – A Graça de Cristo rompe a escravidão dos maus hábitos

“Os homens precisam saber que as bênçãos da obediência, em sua plenitude, eles só podem fruir à medida que receberem a graça de Cristo. É Sua graça que dá ao homem poder para obedecer às leis de Deus. É isto que o habilita a quebrar as cadeias do mau hábito. Este é o único poder que o pode tornar e conservar firme no caminho do direito.” A Ciência do Bom Viver, pág. 115.

“Mediante o poder de Cristo homens e mulheres têm quebrado a cadeia do hábito pecaminoso. Têm renunciado ao egoísmo. O profano tem-se tornado reverente; o bêbado, sóbrio; o pervertido, puro. Almas que tinham estampada em si a semelhança de Satanás, têm-se transformado à imagem de Deus.” Atos dos Apóstolos, pág. 476. (Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, pág. 601)

“Aquele que lança mão da justiça de Cristo pode tornar-se homem perfeito em Cristo Jesus. Trabalhando de um ponto de vista elevado, procurando seguir o exemplo de Cristo, cresceremos até alcançar a Sua semelhança, possuindo cada vez maior refinamento.” Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 150

“Para sermos candidatos ao Céu temos de satisfazer aos requisitos da lei: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” Luc. 10:27. Só podemos fazer isto ao nos apegarmos, pela fé, à justiça de Cristo. Contemplando a Jesus receberemos no coração um princípio vivo e que se expande, e o Espírito Santo continua a obra, e o crente prossegue de graça em graça, de força em força, de caráter em caráter. Ele se conforma à imagem de Cristo até que, no crescimento espiritual, alcança a medida da plena estatura de Cristo Jesus. Assim Cristo põe fim à maldição do pecado e livra a alma crente de sua ação e efeito.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 395

“Quando o Espírito de Deus toma posse do coração, transforma a vida. Os pensamentos pecaminosos são afastados, renunciadas as más ações; o amor, a humildade, a paz tomam o lugar da ira, da inveja e da contenda. A alegria substitui a tristeza, e o semblante reflete a luz do Céu. Ninguém vê a mão que suspende o fardo, nem a luz que desce das cortes celestiais. A bênção vem quando, pela fé, a alma se entrega a Deus. Então, aquele poder que olho algum pode discernir, cria um novo ser à imagem de Deus.”  O Desejado de Todas as Nações, pág. 173

4 – Quando a imagem divina deve ser restaurada no do homem?

Já vimos que a imagem divina que precisa ser restaurada representa a renovação do caráter do homem. É bom lembrar que essa renovação deve acontecer em um determinado tempo estabelecido por Deus, esse tempo é o tempo da graça. Tempo em que ainda temos a Jesus como nosso intercessor. Quando Jesus estiver voltando já será “demasiado tarde” para que o caráter seja mudado. Aquele que não aceitar todos os recursos providos por Deus para a transformação do caráter e quando a porta da graça for fechada ainda possuir algum defeito de caráter, perderá a salvação.

“Estamos agora na oficina de Deus, e o processo que nos habilita para o glorioso templo continua nestas horas de graça. Não podemos ser agora indiferentes, negligentes e descuidosos, recusando apartar-nos do pecado, mas devemos estar morrendo para os nossos defeitos de caráter e esperar tornar-nos puros, santos e moldados em caráter, à semelhança de um palácio. Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886.” Olhando Para O Alto pág. 367

Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem. […] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões.” Testimonies, vol. 3, pág. 272. Eventos Finais, pág.175-176

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo, pág.112)

“Pela desobediência, porém, isto se perdeu. Com o pecado a semelhança divina ficou obscurecida, sendo quase que totalmente apagada. Enfraqueceu-se a capacidade física do homem e sua capacidade mental diminuiu; ofuscou-se-lhe a visão espiritual. Tornou-se sujeito à morte. Todavia, o ser humano não foi deixado sem esperança. Por infinito amor e misericórdia foi concebido o plano da salvação, concedendo-se um tempo de graça. Restaurar no homem a imagem de seu Autor, levá-lo de novo à perfeição em que fora criado, promover o desenvolvimento do corpo, espírito e alma para que se pudesse realizar o propósito divino da sua criação – tal deveria ser a obra da redenção. Este é o objetivo da educação, o grande objetivo da vida.”  Educação, págs. 15 e 16.  Fé Pela Qual Eu Vivo, pág.166

“Deus deseja que alcancemos a norma de perfeição que o dom de Cristo nos tornou possível. Ele nos convida a fazer nossa escolha do direito, para nos ligarmos com os instrumentos celestes, adotarmos princípios que hão de restaurar em nós a imagem divina. Na Sua palavra escrita e no grande livro da natureza, Ele revelou os princípios da vida. É nossa obra obter conhecimento destes princípios e, pela obediência, cooperar com Ele na restauração da saúde do corpo bem como da alma.” A Ciência do Bom Viver, págs. 114 e 115.

 “O evangelho tem de ser apresentado, não como uma teoria sem vida, mas como força viva para transformar a vida. Deus deseja que os que recebem Sua graça sejam testemunhas do poder da mesma. Aceita francamente aqueles cuja maneira de proceder mais ofensiva Lhe tem sido; quando se arrependem, comunica-lhes Seu divino Espírito, coloca-os nos mais altos postos de confiança e envia-os ao acampamento dos desleais, para Lhe proclamar a ilimitada misericórdia. Quer que Seus servos dêem testemunho de que, mediante Sua graça, podem os homens possuir caráter semelhante ao de Cristo e regozijar-se na certeza de Seu grande amor. Quer que testifiquemos de que Ele não pode ficar satisfeito, enquanto a raça humana não for reavida e reintegrada em seus santos privilégios de filhos e filhas de Deus.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 826

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim.” João 6:57

“Porquanto aos que te antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de Seu filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” Rom. 8:29

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” 
Gálatas 2:20

“Ele nos chamou para alcançarmos “a glória” – o caráter – “de nosso Senhor Jesus Cristo”; chamou-nos para ser “conformes à imagem de Seu Filho”. II Tess. 2:14; Rom. 8:29.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 341

“Vi também que muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem a vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que ao de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus” P. E. pág. 71; Vida e Ensinos pág.112

Que o Senhor seja para sempre louvado!

Salvos pela graça não pelas obras

SALVAO~1Não é raro vermos as pessoas que acreditam ser possível para o homem pelo poder de Deus ficar livre da escravidão do pecado, serem acusadas de estarem ensinando salvação pelas obras ou a possibilidade do homem atingir alguma condição na qual não precise mais de Jesus.

Este artigo tem como objetivo deixar muito claro que não pregamos salvação pelas obras e muito menos que o homem de alguma forma em algum tempo não precisará mais de Jesus. Somos salvos unicamente pela graça e sempre precisaremos de Jesus. O homem nunca atingirá algum estágio no qual ele não precise mais de Jesus.

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”  Mateus 1:21

Somos salvos por Jesus o que precisamos compreender é que Jesus nos salva dos nossos pecados. É neste detalhe que temos dificuldade de entender e aceitar. Parece que  quereremos a salvação apenas das consequências dos pecados e não dos próprios pecados. Na verdade nos acomodamos no pecado. Gostamos do pecado. Mas pecado nos prende e nos escraviza.

Quanto ao ímpio, as suas iniquidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.” Provérbios 5:22

“Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.” João 8:34

Em Jesus podemos ter a libertação: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32

  • Salvação pela graça

“Sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no Seu sangue, para demonstrar a Sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; para demonstração da Sua justiça neste tempo presente, para que Ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.” Rom. 3:24-26.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.” Efés. 2:8 

  • Como a graça atua na vida do homem.

Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

A graça de Deus se manifesta na vida do homem o renovando. Faz com que ele passe a viver livre do pecado. Assim o Senhor purifica para Si um povo “zeloso de boas obras.” 

As obras não são um meio de salvação, mas sim o resultado da salvação. O homem salvo pela graça, salvo por Jesus terá em sua vida obras que são o resultado da atuação do Senhor Espírito Santo na vida:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5:22

  • Participantes da natureza divina.

Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude; pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.”  2 Pedro 1:3-4

 Quando o homem mediante o poder de Deus se torna participante da natureza divina ele é libertado “da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.”

Lembrando que essa liberdade só será mantida enquanto esse homem estiver com Jesus, vivendo completamente ao lado dEle. Porque Jesus nos disse: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”  João 15:5

“Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.” 1 João 1:8

“Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” 1 João 1:10

Em 1João 1:8 e 1 João 1:10 vemos a condição de pecadores que devemos reconhecer para termos uma compreensão clara do quanto necessitamos de Cristo para nossa salvação.

Os próximos textos nos revelam o tipo de vida daqueles que realmente estão ao lado de Jesus:

  • “Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu.” 1 João 3:6
  • “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.” 1 João 3:9
  •  “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes,  Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1 João 5:18
  • “Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” 1 João 2:4

Devemos compreender que 1 João 2:4 não tem aplicação apenas para aqueles que esqueceram do mandamento do sábado.

Convido meus irmãos para lerem nos próximos textos escritos pela serva do Senhor, Ellen G. White, onde vemos a graça de Deus salvando homens pecadores, transformando-os em fiéis servos de Deus, homens livres da escravidão do pecado. Deus seja para sempre louvado!

“Conquanto tenhamos de estar em harmonia com a lei de Deus, não somos salvos pelas obras da lei; contudo, não podemos ser salvos sem obediência. A lei é a norma pela qual é avaliada o caráter. Mas não podemos absolutamente guardar os mandamentos de Deus sem a graça regeneradora de Cristo. Só Jesus pode purificar-nos de todo pecado. Ele não nos salva pela lei, nem nos salvará na desobediência à lei.” Fé e Obras, pág. 95

“Jovens amigos, estais destinados ao juízo, e pela graça de Cristo podeis prestar obediência aos mandamentos de Deus, e adquirir a cada dia fortaleza e resistência de caráter, de modo que não necessitais falhar ou desanimar-vos. A graça divina foi abundantemente provida para cada pecador, de modo que cada um se possa empenhar no conflito e sair vitorioso. Não vos torneis indolentes; não vos lisonjeeis de que podereis ser salvos andando segundo os traços naturais de vosso caráter – que podereis ir conforme a corrente do mundo, e condescender com o próprio eu e agradar-lhe, e todavia ser capazes de resistir às forças do mal em tempo de crise, e sair vitoriosos no aceso da luta. … Precisais aprender cada dia a obedecer às ordens do Comandante dos exércitos do Senhor. The Youth’s Instructor, 7 de novembro de 1895. Nossa Alta Vocação, pág. 74

 

“A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo, pág. 62-63

“Graça é favor imerecido, e o crente é justificado sem qualquer mérito seu próprio, sem nenhum direito a alegar a Deus. É ele justificado pela redenção que há em Cristo Jesus, que está nas cortes do Céu como substituto e penhor do pecador. Mas, conquanto seja justificado por virtude dos méritos de Cristo, não é ele livre para praticar a injustiça. A fé opera por amor e purifica a alma. A fé desabrocha e floresce e traz uma colheita de fruto precioso. Onde há fé, aparecem as boas obras. Os doentes são visitados, cuidados os pobres, não se negligenciam os órfãos e as viúvas, são vestidos os desnudos, alimentados os pobres. Cristo andou fazendo o bem, e quando homens a Ele se unem, amam os filhos de Deus, e a mansidão e a verdade lhes guiam os passos. A expressão do semblante revela sua experiência, e os homens os conhecem como os que estiveram com Jesus e dEle aprenderam. Cristo e o crente tornam-se um, e Sua formosura de caráter se revela naqueles que se acham vitalmente ligados com a Fonte de poder e amor. Cristo é o grande depositário da justificadora justiça e da graça santificante.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 398

“A graça de Cristo e a lei de Deus são inseparáveis. Em Jesus a misericórdia e a verdade se encontraram, a justiça e a paz se beijaram. Em Sua vida e caráter Ele não só revela o caráter de Deus, mas a possibilidade do homem. Era Ele o representante de Deus e o exemplo da humanidade. Apresentou ao mundo o que a humanidade poderia tornar-se quando, pela fé, unida à divindade. O Filho unigênito de Deus tomou sobre Si a natureza do homem, plantando Sua cruz entre a Terra e o Céu. Pela cruz o homem foi atraído para Deus, e Deus para o homem. A justiça transferiu-se de sua elevada e respeitável posição, e as cortes celestiais, os exércitos da santidade, achegaram-se à cruz, prostrando-se com reverência; pois junto da cruz foi satisfeita a justiça. Pela cruz o pecador foi atraído para fora da fortaleza do pecado, da confederação do mal, e a cada nova aproximação da cruz seu coração se abranda e em penitência ele brada: “Foram meus pecados que crucificaram o Filho de Deus.” Junto da cruz abandona ele seus pecados, e pela graça de Cristo transforma-se o seu caráter. O Redentor ergue do pó o transgressor e coloca-o sob a guia do Espírito Santo. Ao contemplar o Redentor, encontra o pecador esperança, certeza e alegria. A fé apega-se amorosamente a Cristo. A fé opera pelo amor e purifica a alma.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 349

O Senhor deu Seu Filho unigênito para resgatar-nos do pecado. Somos feitura dEle, somos Seus representantes no mundo, e Ele espera que revelemos o verdadeiro valor do homem por nossa pureza de vida e pelos fervorosos esforços para recuperar a pérola de grande valor. Nosso caráter deve ser moldado de acordo com a semelhança divina e reformado pela fé que atua por amor e purifica o coração. A graça de Deus embelezará, enobrecerá e santificará o caráter. O servo do Senhor que trabalha inteligentemente será bem-sucedido. Nosso Salvador disse: Ele fará maiores obras do que estas; “porque Eu vou para junto do Pai.” João 14:12. EXALTAI-O pág. 48

“As condições do “velho concerto” eram: Obedece e vive – “cumprindo-os [estatutos e juízos] o homem, viverá por eles” (Ezeq. 20:11; Lev. 18:5); mas “maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei”. Deut. 27:26. O “novo concerto” foi estabelecido com melhores promessas: promessas do perdão dos pecados, e da graça de Deus para renovar o coração, e levá-lo à harmonia com os princípios da lei de Deus. “Este é o concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a Minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração. … Porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais Me lembrarei dos seus pecados.” Jer. 31:33 e 34. A mesma lei que fora gravada em tábuas de pedra, é escrita pelo Espírito Santo nas tábuas do coração. Em vez de cuidarmos em estabelecer nossa própria justiça, aceitamos a justiça de Cristo. Seu sangue expia os nossos pecados. Sua obediência é aceita em nosso favor. Então o coração renovado pelo Espírito Santo produzirá os “frutos do Espírito”. Mediante a graça de Cristo viveremos em obediência à lei de Deus, escrita em nosso coração. Tendo o Espírito de Cristo, andaremos como Ele andou.” Patriarcas e Profetas, pág. 372

Os salvos em Cristo devem permanecer nEle! A vida destes salvos deve estar em conformidade com a vida do Salvador. Oremos para que todos sejamos revestidos de seu amor e vivamos para demonstrar a vontade de estar com Ele eternamente… Deus seja louvado sempre em nossa vida!