Archive for julho \29\UTC 2015|Monthly archive page

Perfeição com Desenvolvimento e Crescimento

 

uma-arvore

“Não pode haver vida sem crescimento.”

“A germinação da semente representa o início da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. A planta precisa crescer ou morrer. Como seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas constante, assim é o desenvolvimento da vida cristã. Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida. Multiplicando-se as oportunidades, ampliar-se-á nossa experiência e crescerá nosso conhecimento. Tornar-nos-emos fortes para assumir as responsabilidades, e nossa maturidade será proporcional aos nossos privilégios.” MARAVILHOS GRAÇA MM. 1974 p. 281

“A germinação da semente representa o começo da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma figura do desenvolvimento do caráter. Não pode haver vida sem crescimento. A planta ou deve crescer ou morrer. Assim como seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas contínuo, assim é o crescimento do caráter. Nossa vida pode ser perfeita em cada estágio de seu desenvolvimento; contudo, se o propósito de Deus para conosco se cumpre, haverá constante progresso.” Educação, págs. 105 e 106.

Temos informações importantíssimas nesses textos:

  • “não pode haver vida sem crescimento.”
  • “Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento”
  • “contudo haverá progresso contínuo”
  • “haverá constante progresso”

Alguns infelizmente entendendo que “não pode haver vida sem crescimento,” e que portanto deve haver na perfeição que podemos ter em cada fase de desenvolvimento um progresso contínuo, concluem que essa perfeição em cada fase, é uma perfeição relativa onde sempre haverá algo para ser corrigido, sempre algum pecado para ser abandonado.

Será que realmente podemos chegar à conclusão que devido o fato de sabermos que “não pode haver vida sem crescimento” e que sempre “haverá constante progresso” eu sempre terei uma perfeição relativa com pecados para serem vencidos e abandonados? Sendo, portanto impossível alcançar uma perfeição absoluta, ou seja, estar sem pecados para serem vencidos e abandonados?

A resposta é: Não!

Constatar que sempre deve haver progresso e desenvolvimento no plano espiritual não é o suficiente para comprovar que sempre teremos uma perfeição relativa, tendo sempre algum pecado para ser vencido e abandonado.

Crescimento e desenvolvimento antes do pecado.

“Quando Adão saiu das mãos do Criador, trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual, a semelhança de seu Criador. “E criou Deus o homem à Sua imagem” (Gên. 1:27), e era Seu intento que quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem, refletindo mais completamente a glória do Criador. Todas as suas faculdades eram passíveis de desenvolvimento; sua capacidade e vigor deveriam aumentar continuamente. Vasto era o alvo oferecido a seu exercício, e glorioso o campo aberto à sua pesquisa. Os mistérios do universo visível – as “maravilhas dAquele que é perfeito nos conhecimentos” (Jó 37:16) convidavam o homem ao estudo. Aquela comunhão com Seu criador, face a face e toda íntima, era o seu alto privilégio. Houvesse ele permanecido fiel a Deus, e tudo isto teria sido seu para sempre. Através dos séculos infindáveis, teria ele continuado a obter novos tesouros de conhecimentos, a descobrir novas fontes de felicidade e a alcançar concepções cada vez mais claras da sabedoria, do poder e do amor de Deus. Mais e mais amplamente teria ele cumprido o objetivo de sua criação, mais e mais teria ele refletido a glória do Criador.” Educação p. 15

Ao homem ao ser criado, em seu estado de perfeição, todas “as suas faculdades eram passíveis de desenvolvimento; sua capacidade e vigor deveriam aumentar continuamente.” Mesmo em seu estado de perfeição vemos que haveria no homem progresso e desenvolvimento no plano espiritual, pois vemos que o homem foi criado à imagem de Deus e era o desejo do Senhor que, “quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem.” Constatamos então que haveria desenvolvimento e crescimento no plano espiritual para o homem mesmo em seu estado de perfeição antes do pecado. Fica evidente que eu não preciso então pensar que crescimento e desenvolvimento no plano espiritual só podem existir enquanto ainda temos pecados para serem vencidos e abandonados. Existe a possibilidade de progresso, desenvolvimento e crescimento no plano espiritual mesmo não havendo pecado, é o que aconteceria no homem criado por Deus mesmo que ele não pecasse. Quanto mais o homem vivesse mais revelaria a imagem de Deus, ”mais e mais teria ele refletido a glória do Criador.”

“Enquanto permanecessem fiéis à lei divina, sua capacidade para saber, vivenciar e amar, cresceria continuamente. Estariam constantemente a adquirir novos tesouros de saber, a descobrir novas fontes de felicidade, e a obter concepções cada vez mais claras do incomensurável, infalível amor de Deus.” Patriarcas e Profetas p.51

Vimos que quando Adão foi criado, “trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual, a semelhança de seu Criador. E criou Deus o homem à Sua imagem.” Vemos que mesmo em seu estado de pureza haveria no homem um progresso ou um desenvolvimento da sua condição, pois, “quanto mais o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem.”

Vimos claramente à existência de desenvolvimento e crescimento do homem mesmo em seu estado de santidade plena, mesmo estando sem pecado.

Precisamos ter como objetivo um desenvolvimento e crescimento espiritual até que não tenhamos mais pecados e entender que mesmo depois que essa condição seja alcançada ainda existirá crescimento e desenvolvimento. Sendo que: “Onde há saúde espiritual aí há crescimento.” O homem deve ter consciência de que: ”Não há limite para seu desenvolvimento.”

“Irmãos, quereis ter um crescimento cristão restrito, ou fareis sadio progresso na vida religiosa? Onde há saúde espiritual aí há crescimento. O filho de Deus cresce à plena estatura de homem ou mulher em Cristo. Não há limite para seu desenvolvimento.” Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 96-98.

Desenvolvimento na nova Terra

“Habitar para sempre nesse lar de bem-aventuranças, trazer na alma, corpo e espírito não os traços do pecado e da maldição, mas a perfeita semelhança de nosso Criador, e através de eras eternas progredir em sabedoria, conhecimentos e santidade, explorando sempre novos campos do pensamento, sempre encontrando novas maravilhas e novas glórias, aumentando sempre a capacidade de saber e amar, e sabendo que há ainda diante de nós alegria, amor e sabedoria infinitos – tal é o objetivo a que aponta a esperança cristã, para o qual prepara a educação cristã. Conseguir essa educação e auxiliar outros a alcançá-la deve ser o objetivo da vida cristã.”  Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 55.

Os salvos completamente libertados do pecado tendo então “perfeita semelhança de nosso Criador” irão, “através de eras eternas progredir em sabedoria, conhecimentos e santidade.”

Já vimos que era plano de Deus que no homem criado por Deus mesmo estando vivendo livre do pecado haveria crescimento e desenvolvimento no plano espiritual. Agora temos também a informação que o homem estará vivendo totalmente livre do pecado na nova Terra irá “através de eras eternas progredir em sabedoria, conhecimentos e santidade.”

Não podemos desculpar a permanência de qualquer pecado em nós, o Senhor deseja nos libertar completamente mediante a atuação do Senhor Espírito Santo em nossa vida, pela graça de Deus poderemos “vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal,” o Senhor deseja, “ gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.”

Dar Morte à Tentação

“As mais baixas paixões têm sua sede no corpo, e por seu intermédio operam. As palavras “carne” ou “carnal” ou ainda “concupiscência da carne” envolvem a natureza inferior, corrupta; a carne por si mesma não pode agir contrariamente à vontade de Deus. É-nos ordenado crucificar a carne com suas afeições e concupiscências. Como o faremos? Devemos infligir sofrimento ao corpo? Não; mas dar morte à tentação do pecado. Os pensamentos corruptos devem ser expulsos. Todo o pensamento deve ser levado cativo a Jesus Cristo. Toda propensão animal deve ser sujeita às faculdades mais altas da alma. O amor de Deus deve reinar supremo; Cristo deve ocupar um trono não dividido. Nosso corpo deve ser considerado como havendo sido comprado. Os membros do corpo devem tornar-se instrumentos de justiça. O Lar Adventista, págs. 127 e 128.” MCP vol.1 p. 236

Vencer as paixões

“Alguns reconhecerão o mal das condescendências pecaminosas, todavia se desculparão dizendo que não lhes é possível vencer as paixões. Isso é coisa terrível de ser admitida por qualquer pessoa que profere o nome de Cristo. “Qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.” II Tim. 2:19. Por que essa fraqueza? É porque as propensões animais têm sido fortalecidas pelo exercício, até que tomaram ascendência sobre as faculdades superiores. Homens e mulheres carecem de princípios. Estão morrendo espiritualmente, por haverem tão longamente nutrido seus apetites naturais, que sua capacidade de governar-se parece haver desaparecido. As paixões inferiores de sua natureza têm tomado as rédeas, e o que devia ser o poder dirigente tem-se tornado o servo da paixão corrupta. A alma é mantida na mais baixa servidão. A sensualidade tem extinguido o desejo de santidade, e ressecado o viço espiritual.” CONSELHOS SOBRE SAÚDE p. 617

Vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal

“Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.” DTN p.671

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do Céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio.[…] As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas – para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado. Manuscrito 97, 1909.” Olhando para o Alto .297

“Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por Ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis.” 2º Pedro 3:14

Que o nosso maravilhoso Deus possa ser louvado e glorificado em nossa vida!!!

 

 

 

 

Anúncios

A Essência do Evangelho

cura_espiritual

 

Vemos muitas pessoas falando a sobre a necessidade da pregação do evangelho, mas é importante sabermos qual é a essência do evangelho, qual deve ser nosso propósito na pregação do evangelho. Não devemos ter como propósito apenas levar informações e conhecimento na pregação do evangelho. Nosso propósito principal deve ser levar para as pessoas que recebem o evangelho a plena libertação do pecado. Além de levar informações importantes da palavra de Deus também devemos apresentar para as pessoas que estão sendo evangelizadas, o Senhor Jesus que liberta e transforma vidas arruinadas pelo pecado.

A glória, a plenitude, a perfeição do plano do evangelho são cumpridas na vida quando há, plena libertação do pecado como resultado de Cristo estar reinando na alma.

“A religião de Cristo significa mais que o perdão dos pecados; significa remover nossos pecados e encher o vácuo com as graças do Espírito Santo. Significa iluminação divina e regozijo em Deus. Significa um coração despojado do próprio eu e abençoado pela presença de Cristo. Quando Cristo reina na alma há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a perfeição do plano do evangelho são cumpridas na vida. A aceitação do Salvador traz paz perfeita, perfeito amor, segurança perfeita. A beleza e fragrância do caráter de Cristo manifestadas na vida, testificam de que em verdade Deus enviou Seu Filho ao mundo para o salvar.” PJ p. 419-420

“Quando a verdade controla a vida, há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a inteireza do plano do evangelho é cumprida na vida. A luz da verdade dimana do templo da alma. O entendimento apodera-se de Cristo. Manuscrito 164, 1898.” Cuidado de Deus MM 1995 p. 286

Não podemos pensar que o verdadeiro evangelho seja condescendente com o pecado.

“O evangelho de Cristo não dá licença aos homens para transgredirem a lei, pois foi pela transgressão que se abriram sobre o nosso mundo as comportas da aflição.” Fé e Obras p. 96

Transformação e libertação

A pregação do evangelho é muito mais que levar informações sobre determinados temas da palavra de Deus como, a volta de Jesus, nova Terra, sobre a morte e outros. Devemos levar essas e outras informações, mas principalmente falar da essência do evangelho que é revelar o poder de Deus em transformar vidas e libertar do pecado para honra e glória de Deus.

 “A religião de Cristo transforma o coração. Torna o homem de espírito mundano, de espírito celeste. Sob sua influência, o egoísta se torna abnegado, pois este é o caráter de Cristo. O homem desonesto, astucioso, torna-se reto, de modo que se torna para ele uma segunda natureza o fazer aos outros como quereria que lhe fizessem a ele. O dissoluto transforma-se da impureza para a pureza. Forma hábitos corretos; pois o evangelho de Cristo tornou-se para ele um cheiro de vida para vida. Southern Watchman, 7 de fevereiro de 1905.”  Filhos e Filhas de Deus MM 1956 p. 12

Um “tempo de graça” com um determinado objetivo.

Na pregação do evangelho não podemos de maneira alguma omitir a importantíssima informação de que no plano da salvação o Senhor nos concede um tempo de graça para que possamos mediante Seu poder alcançarmos novamente a perfeição de caráter.

“O verdadeiro objetivo da educação é restaurar a imagem de Deus na alma. No princípio Deus criou o homem à Sua semelhança. Dotou-o de nobres qualidades. Sua mente era bem equilibrada, e todas as faculdades de seu ser estavam em harmonia entre si. Mas a queda e seus efeitos perverteram estes dons. O pecado mareou e quase obliterou a imagem de Deus no homem. Foi para restaurar a mesma que se concebera o plano da salvação, e se concedera ao homem um tempo de graça. Levá-lo novamente à perfeição em que a princípio fora criado – é o grande objetivo da vida, objetivo este que constitui a base de todos os outros. É o trabalho dos pais e professores, na educação da juventude, cooperar com o propósito divino; e, assim fazendo, são cooperadores de Deus.” Patriarcas e Profetas, pág. 595.

“A magnificência do evangelho é fundar-se ele sobre o princípio da restauração, na raça caída, da imagem divina por uma constante manifestação de beneficência. Deus honrará esse princípio onde quer que se manifeste.” Testemunhos Seletos vol. 3 p. 147

“É a glória do evangelho que está fundamentada sobre o princípio de restaurar na raça caída a imagem divina por meio da constante manifestação de benevolência. Essa obra começou nas cortes celestiais. … A Divindade moveu-se de compaixão pela raça, e o Pai, o Filho e o Espírito Santo deram-Se a Si mesmos ao estabelecerem o plano da redenção.” Conselhos Sobre Saúde, pág. 222.

“Deus nos ordenou: “Sede santos, porque Eu sou santo.” I Ped. 1:16. E um inspirado apóstolo declara que, sem santidade, “ninguém verá o Senhor”. Heb. 12:14. Santidade é harmonia com Deus. Pelo pecado, a imagem divina foi desfigurada no homem, e quase obliterada; é a obra do evangelho restaurar o que se havia perdido; e cumpre-nos cooperar com a instrumentalidade divina nessa obra. E como podemos chegar à harmonia com Deus, como nos é possível receber-Lhe a imagem, a menos que obtenhamos conhecimento a Seu respeito? Foi esse conhecimento que Cristo veio ao mundo para nos revelar.” EXALTAI-O  MM 1992 p. 280

Salvação DOS nossos pecados

O anjo disse que Jesus nos salvaria DOS nossos pecados. “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o Seu povo dos pecados deles.” Mateus 1:21

Muitos ao pregarem o evangelho estão omitindo a informação de que Jesus nos salva DOS nossos pecados e levando muitos a acreditarem na mentira de que serão salvos NOS seus pecados.

“Por meio de todo artifício possível, Satanás tem procurado invalidar o sacrifício do Filho de Deus, tornar inútil Sua expiação e Sua missão um fracasso. Ele tem afirmado que a morte de Cristo tornou desnecessária a obediência à lei e possibilitou que o pecador caísse nas boas graças de um Deus santo sem abandonar o seu pecado. Ele tem declarado que a norma do Antigo Testamento foi rebaixada no evangelho e que os homens podem ir a Cristo, não para serem salvos de seus pecados, mas em seus pecados.” Fé e Obras p.90

“Mas orar em nome de Cristo significa muito. Quer dizer que havemos de aceitar-Lhe o caráter, manifestar-Lhe o espírito e fazer Suas obras. A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” DTN, pág. 668

“Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” Hebreus 4:16

 “Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por Ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis.” 2º Pedro 3:14