Archive for maio \31\UTC 2013|Monthly archive page

Tempo de Angústia

Tempo de angústiaAntes da segunda vinda de Jesus haverá “um tempo de angústia.” Será este um tempo terrível para todos. Satanás deseja nossa perdição e está lutando para que os homens permaneçam ignorando a preparação necessária e assim, sejam encontrados despreparados para enfrentarem o tempo de angústia. Queremos então, através deste artigo, alertar o nosso povo para a preparação necessária e que com o poder de Deus, enfrentarmos e subsistirmos neste tempo de crise como nunca houve.

“A experiência de Jacó durante aquela noite de luta e angústia, representa a prova pela qual o povo de Deus deverá passar precisamente antes da segunda vinda de Cristo. O profeta Jeremias, em santa visão, olhando para este tempo, disse: “Ouvimos uma voz de tremor, de temor mas não de paz. … Por que se têm tornado macilentos todos os rostos? Ah! porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante! e é tempo de angústia para Jacó; ele porém será livrado dela.” Jer. 30:5-7.” Patriarcas e Profetas, pág. 201.

“O povo de Deus será então imerso naquelas cenas de aflição e angústia descritas pelo profeta como o tempo de angústia de Jacó. “Assim diz o Senhor: Ouvimos uma voz de tremor, de temor mas não de paz. … Por que se têm tornado macilentos todos os rostos? Ah! porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante! e é tempo de angústia para Jacó; ele porém será livrado dela.” Jer. 30:5-7. A noite de angústia de Jacó, quando lutou em oração para obter livramento da mão de Esaú (Gên. 32:24-30), representa a experiência do povo de Deus no tempo de tribulação.”   Grande Conflito, pág. 616

“O “tempo de angústia como nunca houve” está prestes a manifestar-se sobre nós; e necessitaremos de uma experiência que agora não possuímos, e que muitos são demasiado indolentes para obter. Dá-se muitas vezes o caso de se supor maior a angústia do que em realidade o é; não se dá isso, porém, com relação à crise diante de nós. A mais vívida descrição não pode atingir a grandeza daquela prova.” O Grande Conflito, págs. 621 e 622. Eventos Finais pág. 255

“Se Jacó não se houvesse arrependido previamente do pecado de obter a primogenitura pela fraude, Deus não poderia ter ouvido sua oração e misericordiosamente preservado sua vida. Assim no tempo de angústia, se o povo de Deus houvesse de ter pecados não confessados, para aparecerem diante deles enquanto torturados pelo temor e angústia, abater-se-iam; o desespero lhes cortaria a fé, e não poderiam ter confiança para pleitearem com Deus seu livramento. Mas, conquanto tenham uma intuição profunda de sua indignidade, não terão faltas ocultas a revelar. Seus pecados ter-se-ão apagado pelo sangue expiatório de Cristo, e eles não os podem trazer à lembrança. Satanás leva muitos a crer que Deus não tomará em consideração a sua infidelidade nas menores coisas da vida; mas o Senhor mostra em Seu trato com Jacó que Ele não pode de maneira alguma sancionar ou tolerar o mal. Todos os que se esforçam por desculpar ou esconder seus pecados, e permitem que eles permaneçam nos livros do Céu, sem serem confessados ou perdoados, serão vencidos por Satanás. Quanto mais exaltada for a sua profissão, e mais honrada a posição que ocupam, mais ofensiva é a sua conduta aos olhos de Deus, e mais certo a vitória do grande adversário.” Patriarcas e Profetas pág. 202

  • O SENHOR te ouça no dia da angústia, o nome do Deus de Jacó te proteja. Salmos 20:1

O tempo de angústia será aquele período entre o fechamento da porta da graça e a volta de Jesus. Nesta oportunidade  estarão caindo as sete pragas e Jesus não mais estará atuando como intercessor no santuário celestial.

Precisamos compreender vividamente como devemos nos preparar agora para que não sejamos encontrados despreparados para enfrentarmos o tempo de angústia.

Atentemos aos textos a seguir para as seguintes questões:

  • Como deve ser nossa preparação para o tempo de angústia;
  • No tempo de angústia como estarão vivendo aqueles que realmente buscaram no Senhor o devido preparo para aquele momento;
  • O que acontecerá com aqueles que negligenciaram as oportunidades oferecidas pelo nosso Deus para se prepararem para o tempo de angústia.

1 – Como deve ser nossa preparação para o tempo de angústia

“O “tempo de angústia como nunca houve” está prestes a manifestar-se sobre nós; e necessitaremos de uma experiência que agora não possuímos, e que muitos são demasiado indolentes para obter. Dá-se muitas vezes o caso de se supor maior a angústia do que em realidade o é; não se dá isso, porém, com relação à crise diante de nós. A mais vívida descrição não pode atingir a grandeza daquela prova. E agora, enquanto o precioso Salvador está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. A providência de Deus é a escola na qual devemos aprender a mansidão e humildade de Jesus. O Senhor está sempre a colocar diante de nós, não o caminho que preferiríamos, o qual nos parece mais fácil e agradável, mas os verdadeiros objetivos da vida. Ninguém poderá negligenciar ou adiar esta obra sem grave perigo para a sua alma.” Maranata O Senhor Vem, pág. 273

“Vivemos hoje no grande dia da expiação. No cerimonial típico, enquanto o sumo sacerdote fazia expiação por Israel, exigia-se de todos que afligissem a alma pelo arrependimento do pecado e pela humilhação, perante o Senhor, para que não acontecesse serem extirpados dentre o povo. De igual modo, todos quantos desejem seja seu nome conservado no livro da vida, devem, agora, nos poucos dias de graça que restam, afligir a alma diante de Deus, em tristeza pelo pecado e em arrependimento verdadeiro. Deve haver um exame de coração, profundo e fiel. O espírito leviano e frívolo, alimentado por tantos cristãos professos, deve ser deixado. Há uma luta intensa diante de todos os que desejam subjugar as más tendências que lutam pelo predomínio. A obra de preparação é uma obra individual. Não somos salvos em grupos. A pureza e devoção de um, não suprirá a falta dessas qualidades em outro. Embora todas as nações devam passar em juízo perante Deus, examinará Ele o caso de cada indivíduo, com um escrutínio tão íntimo e penetrante como se não houvesse outro ser na Terra. Cada um deve ser provado, e achado sem mancha ou ruga, ou coisa semelhante.” EXALTAI-O, pág. 331

“O caminho da libertação do pecado é a crucifixão do eu, e conflito com os poderes das trevas. Ninguém se desanime em vista das provas cruéis a serem enfrentadas no tempo da angústia de Jacó, que ainda se encontra em sua frente. Devem trabalhar diligentemente, ansiosamente, não para aquele tempo, mas para hoje. O que necessitamos é ter conhecimento da verdade como é em Cristo, agora, e agora uma experiência pessoal. Nestas preciosas horas de graça, temos uma experiência viva e profunda a adquirir. Formaremos assim um caráter que assegurará nosso livramento no tempo da angústia.” Nossa Alta Vocação, pág. 319

“Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do “refrigério” e da “chuva serôdia” os habilitasse para estar em pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os que … deixam de purificar o espírito na obediência da verdade, … chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e verão que necessitam ser esculpidos e preparados para a edificação. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes desse tempo sairá a declaração terrivelmente solene de que: “Quem é injusto faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.” Apoc. 22:11. Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença. Primeiros Escritos, pág. 71.

2 – No tempo de angústia como estarão vivendo aqueles que realmente buscaram no Senhor o devido preparo para aquele momento:

“Estes são os que vieram de grande tribulação” (Apoc. 7:14); passaram pelo tempo de angústia tal como nunca houve desde que houve nação; suportaram a aflição do tempo da angústia de Jacó; permaneceram sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus. Mas foram livres, pois “lavaram os seus vestidos, e os branquearam no sangue do Cordeiro”. “Na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis” diante de Deus. “Por isso estão diante do trono de Deus, e O servem de dia e de noite no Seu templo; e Aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a Sua sombra.” Apoc. 7:15. Viram a Terra devastada pela fome e pestilência, o Sol com poder para abrasar os homens com grandes calores, e eles próprios suportaram o sofrimento, a fome e a sede. Mas “nunca mais terão fome, nunca mais terão sede; nem Sol nem calma alguma cairá sobre eles”. O Grande Conflito, págs. 648 e 649.

“No tempo de angústia, se o povo de Deus tivesse pecados não confessados que surgissem diante deles enquanto torturados pelo temor e angústia, seriam vencidos; o desespero suprimir-lhes-ia a fé, e não poderiam ter confiança para suplicar de Deus o livramento. Mas, ao mesmo tempo em que têm uma profunda intuição de sua indignidade, não possuem falta oculta para revelar. Seus pecados foram examinados e extinguidos no juízo; não os podem trazer à lembrança.”  O Grande Conflito, pág. 620.

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.Grande Conflito pág. 623

3 – O que acontecerá com aqueles que negligenciaram as oportunidades oferecidas pelo nosso Deus para se prepararem para o tempo de angústia:

 “Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo, pág. 112)

“No tempo de angústia, precisamente antes da vinda de Cristo, os justos serão preservados pelo ministério de anjos celestiais; não haverá segurança para o transgressor da lei de Deus. Os anjos não poderão proteger, então, aqueles que estão a desrespeitar um dos preceitos divinos.” Patriarcas e Profetas pág. 256

  • Intenção de Satanás

 “O grande conflito entre Cristo e Satanás, que tem prosseguido durante quase seis mil anos, logo deve terminar; e o maligno redobra seus esforços para frustrar a obra de Cristo em prol do homem, e prender as almas em suas ciladas. Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado, é o objetivo que ele procura realizar.

Não se fazendo um esforço especial para resistir ao seu poder, prevalecendo a indiferença na igreja e no mundo, Satanás não se preocupa; pois que não se acha em perigo de perder os que está levando em cativeiro, à sua vontade. Mas ao ser chamada a atenção para as coisas eternas, e almas indagarem: “Que é necessário que eu faça para me salvar?” ele está a postos, procurando opor seu poder ao de Cristo, e neutralizar a influência do Espírito Santo.” Grande Conflito pág. 518”

“O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos”. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão o Salvador. Quando a indiferença prevalece entre os cristãos, Satanás não se preocupa.” Grande Esperança, pág. 26     

“Os acontecimentos ligados ao final do tempo da graça e obra de preparo para o período de angústia, acham-se claramente apresentados. Multidões, porém, não possuem maior compreensão destas importantes verdades do que teriam se nunca houvessem sido reveladas. Satanás vigia para impedir toda impressão que os faria sábios para a salvação, e o tempo de angústia os encontrará sem o devido preparo.” O Grande Conflito, pág. 594

  • Precisamos acordar povo de Deus!

Deus iniciou uma grande obra em nós e deseja terminá-la. Aceitemos e peçamos agora poder dos altos céus para que esta obra seja feita em nossa vida enquanto há tempo. Que o Senhor possa nos purificar completamente preparando-nos para enfrentarmos no poder do Senhor, o tempo de angústia. Que o nosso maravilhoso Deus seja louvado pelo que fez e pelo que deseja fazer por nós!

“Quando nos lembramos  que ninguém sabe quando seu tempo de graça findará, como ousamos viver despreparados, desprevenidos para encontrar com nosso Senhor? Como ousamos continuar pecadores e maculados? Por que não temos medo? Por que não estamos perturbados? Por que não percebemos nosso perigo? […] O Senhor operaria poderosamente por Seu povo, se este abandonasse as obras das trevas e se revestisse de Sua justiça. […]”- Manuscrito 13, 8 de junho de 1902, “O Povo de Deus Deve Ser Portador de Luz”. Olhando Para O Alto MM, pág. 167

“Há esperança para cada um de nós, mas de uma só maneira – apegando-nos a Cristo e empregando toda energia para obter a perfeição de Seu caráter. Essa religião piegas que faz pouco do pecado, e só realça o amor de Deus pelo pecador, encoraja os pecadores a crer que Deus os salvará enquanto continuarem no pecado, sabendo que é pecado. É isso que estão fazendo muitos que professam crer na verdade presente.A verdade é mantida à parte de sua vida e essa é a razão pela qual não mais tem o poder de convencer e converter a alma. Deve haver um esforço de cada nervo, fibra e músculo para deixar o mundo, seus costumes, práticas e modas.” Cristo Triunfante, MM 2002,  pág. 80

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo.Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.Grande Conflito pág. 623

Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR.” Isaías 55:6-8

“Concentra-te e examina-te ò nação que não tens pudor, antes que saia o decreto, pois o dia se vai como palha; antes que venha sobre ti o furor da ira do Senhor, sim, antes que venha sobre ti o dia da ira do Senhor.” Sofonias 2:1-2

Abra seu coração, deixe Deus agir e venceremos. Deus seja sempre louvado!

Anúncios

Quase salvo é o mesmo que completamente perdido

Tarde demais!

Normalmente afirmamos ou simplesmente imaginamos que o Senhor irá ignorar alguns “pequenos detalhes” ou alguns “pequenos pecados” em nossa vida quando Jesus voltar. Desta maneira nos tornamos tolerantes com aqueles pecados que consideramos pequenos. Não sabemos se o mesmo acontece em outros países, mas aqui no Brasil temos aquilo que as pessoas chamam de “jeitinho brasileiro” para situações de dificuldades ou impossibilidades. Parece que queremos aplicar o “jeitinho brasileiro” como solução para eliminar alguns “pequenos” detalhes que poderiam impedir a nossa salvação.

Ao conversar com uma irmã na fé, ela disse que “no final o Senhor irá completar o que estiver faltando em nós”. Infelizmente este parece ser o pensamento de muitos. Assim afirmam: “Deus nos salvará naquele dia mesmo que ainda tenhamos alguns pequenos detalhes na vida ou no caráter que ainda precisa de mudança.” Será mesmo? É correto esse tipo de pensamento? Podemos confiar nestas afirmações? Onde está escrito?

No texto a seguir do Espírito de profecia, comentando a queda de Adão, veremos claramente que os pecados que consideramos pequenos também são ofensivos para Deus. Estes devem ser eliminados da nossa vida pelo poder do Senhor em tempo oportuno para que alcancemos a salvação. Leiamos:

“Se Adão não pôde suportar a menor das provas, não poderia ter resistido a uma prova maior, caso houvessem sido confiadas a ele maiores responsabilidades. Se tivesse sido designada a Adão alguma prova grande, aqueles cujo coração, se inclina para o mal desculpar-se-iam então, dizendo: “Isto é uma coisa trivial, e Deus não é tão exigente a respeito de coisas pequenas”. E haveria contínua transgressão em coisas consideradas pequenas, as quais ficam sem reprovação humana. O Senhor, porém, tornou patente que o pecado, em qualquer grau, é ofensivo para Ele.” Patriarcas E profetas, pág. 60-61

  • O jovem rico

“Ainda te falta uma coisa”

“E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe. E disse ele: Todas essas coisas tenho observado desde a minha mocidade. E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me. Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico.” Lucas 18:18-23

Deus exige do homem obediência plena. Existe na graça de Deus poder suficiente para tornar o homem completamente obediente à Sua lei. Não existe necessidade do Senhor ignorar alguma coisa na vida daqueles que serão salvos. Deus seja louvado!

“Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14 

  • Fidelidade em tudo antes que seja demasiado tarde

Salvação em Cristo é algo de valor inestimável e um assunto seríssimo. Devemos orar e estudar muito para que não sejamos enganados pelo inimigo e também para não sermos usados por ele para enganar outras pessoas. Precisamos urgentemente parar de arrumar desculpas para o pecado e então buscar ao Senhor de todo coração para que o nosso maravilhoso Deus possa realmente “nos remir de toda a iniquidade.”

Assim afirma a serva do Senhor:

Devemos ser ligeiros em discernir o perigo. Devemos reconhecer o odioso caráter do pecado, e expulsá-lo da vida. Os que põem por obra a Palavra sabem que em Jesus há poder, que pela fé se torna sua posse. Achar-se-ão revestidos da justiça que será aceita por Deus, pois é a justiça de Cristo. Revestidos dessa armadura de Deus, o escudo celestial, com êxito resistem às astúcias da serpente. Ninguém tem um só momento a perder. … A preocupação quanto à eternidade é de importância suficiente para que se torne prioridade sobre qualquer outro empreendimento. “Que farei para me salvar?” deve ser a grande e solene pergunta que nos preocupe agora.” Nos Lugares Celestiais, pág. 48

Outro texto de alerta contra nossa condescendência com “infidelidade nas pequenas coisas da vida”:

“Satanás leva muitos a crer que Deus não toma em consideração sua infidelidade nas pequenas coisas da vida; mas o Senhor mostra, em seu trato com Jacó, que de maneira nenhuma sancionará ou tolerará o mal. Todos os que se esforçam por desculpar ou esconder seus pecados, permitindo que permaneçam nos livros do Céu, sem serem confessados e perdoados, serão vencidos por Satanás. Quanto mais exaltada for a sua profissão, e mais honrada a posição que ocupam, mais ofensiva é a sua conduta à vista de Deus, e mais certa é a vitória de seu grande adversário. Os que se retardam no preparo para o dia de Deus, não o poderão obter no tempo de angústia, ou em qualquer ocasião subsequente. O caso de todos estes é sem esperanças. Os professos cristãos que vêm ao último e terrível conflito, sem se acharem preparados, confessarão em seu desespero os seus pecados com palavras de angústia consumidora enquanto os ímpios exultam de sua agonia. Estas confissões são do mesmo caráter que a de Esaú ou de Judas. Os que as fazem, lamentam o resultado da transgressão, mas não a culpa da mesma.” O Grande Conflito, pág. 620

  • Quase salvo o mesmo que completamente perdido

Certa vez perguntei a um irmão se ele acreditava ser possível passar a viver livre da presença do pecado. Ele me respondeu que seria possível ficar quase completamente livre do pecado, quase, mas não completamente.

No texto a seguir veremos que aquele que não aceitar o poder libertador de Deus para renunciar completamente aos seus maus hábitos permitindo que ainda permaneça em sua vida alguns detalhes, considerados pelos homens como pequenos, o máximo que esta pessoa conseguirá é a condição de quase salvos. A verdade é estar, não quase, mas sim completamente perdidos. Reflitam:

“Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam, porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos, mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.” Parábolas de Jesus, pág. 118

  • Como estarão os salvos na volta de Jesus

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.O Grande Conflito, pág. 623.

“Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. […] O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” I° Tessalonicenses 5:4-6 e 23

“Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. Por essa razão, pois, amados, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis.”  2° Pedro 3:11-14

Deus seja para sempre louvado!

Filhos da Luz

luz“O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor.” Colossenses 1:13

“É propósito do Salvador que os seres humanos, purificados e santificados, sejam Sua mão ajudadora. Agradeçamos por este grande privilégio Àquele “que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz; o qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor”. Col. 1:12 e 13.” Atos Dos Apóstolos, pág. 478

“Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” João 8:12

“Cristo é a luz do mundo. Por meio dEle a luz está brilhando entre as trevas morais. Se Ele não fosse a luz, as trevas não seriam manifestas, pois a luz revela as trevas. Quanto mais clara é a luz, tanto mais se manifesta o contraste entre a luz e as trevas. Remova-se a luz, e só restarão as trevas. Cristo declarou qual é a nossa posição. “Quem Me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.” João 8:12. Ele mesmo é a brilhante Estrela da Manhã. É o Sol da justiça, o esplendor da glória de Seu Pai. Ele é “a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem”. João 1:9. Como Médico e Curador, Ele veio restaurar a imagem moral de Deus que foi perdida pela transgressão. Quando Cristo habita na alma pela fé, Ele torna aquele que O ama inteiramente luz no Senhor. É certo que muitos que dizem crer na verdade têm apenas uma fé nominal. Não são praticantes da Palavra. Professam crer, mas sua profissão não os converterá. … Quando Cristo habita no coração, Sua presença é evidente. Boas e agradáveis palavras e ações revelam o Espírito de Cristo. É manifestada suavidade de temperamento. Não há explosões de ira, nem obstinação, nem ruins suspeitas. Não há ódio no coração quando.[…] idéias e métodos… não são aceitos e apreciados pelos outros. […] Quando a verdade controla a vida, há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a inteireza do plano do evangelho é cumprida na vida. A luz da verdade dimana do templo da alma. O entendimento apodera-se de Cristo. Manuscrito 164, 1898.” Cuidado de Deus, MM 1995, pág. 286

Os que são santificados pela verdade, são qual luzes ardentes e resplandecentes, iluminando a todos quantos se encontram na casa. As boas obras revelar-se-ão em todo verdadeiro crente. O Senhor não pode aceitar coisa alguma senão a perfeição de caráter, a integridade para com Deus. Qualquer serviço com coração dividido testificará perante os seres celestes que deixastes de copiar o Modelo. The Youth’s Instructor, 13 de outubro de 1892.” Filhos E Filhas De Deus, MM 1956, pág.138

  •  Andai como filhos da luz

“Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas.” 1 Tessalonicenses 5:5

“Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz” Efésios 5:8

“Tendo definido a vida cristã como andando em amor, com uma visão do juízo iminente, Paulo agora se volta para terceiro aspecto: andar como filhos da luz. Como é de seu  estilo, ele faz outro contraste: no passado, vocês eram filhos das trevas, mas agora são filhos da luz (Efés. 5:8).

Se a escuridão representa a antiga vida, a luz representa a nova. O apóstolo reconhece que os crentes se moveram das trevas para luz (v.8). Desde a conversão, eles se tornaram luz no Senhor; isto é, refletores do caráter daquele que disse: “Eu sou a luz do mundo” (João 8:12). Costumamos comparar luz com conhecimento intelectual, conhecimento dos fatos; e escuridão, com ignorância dos fatos. Embora exista alguma verdade nessa ideia, leia Efésios 5:8-14 e responda a esta pergunta:

A que Paulo compara andar na luz? Mais especificamente, refere-se apenas ao conhecimento intelectual ou a vida moral e à conduta do cristão? Por que essa resposta é importante?

Note que Paulo é tão firme quanto a viver livre da mancha moral que ele não apenas nos adverte a afastar-nos dos que fazem mal, mas também nos chama para reprová-los.” Texto extraído da Lição da Escola Sabatina, 4° trim. 2005, “Efésios: o evangelho dos relacionamentos”, pág. 126

“É praticando em nossa vida os puros princípios do evangelho de Cristo que honramos e glorificamos nosso Pai, que está no Céu. Ao fazer isso, estamos refletindo sobre o escuro mundo ao nosso redor a luz dada pelo Céu. Pecadores serão levados a admitir que não somos os filhos das trevas, mas os filhos da luz. Como eles saberão isso? Pelos frutos que produzimos. Homens podem ter seus nomes no livro da igreja; isso, porém, não os torna filhos da luz. Podem ocupar posições honrosas e receber o louvor dos homens; isso, porém, não os torna filhos da luz. … Precisa haver uma profunda obra da graça – o amor de Deus no coração, e esse amor é expresso pela obediência.” EXALTAI-O, MM 1992,  pág. 267

  • Não temos correspondido ao chamado de Deus para representa-Lo como filhos da luz.

“O grande pecado do povo de Deus no tempo presente consiste em não apreciarmos o valor das bênçãos que Deus nos tem outorgado. Servimos a Deus com o coração dividido. Acariciamos algum ídolo e adoramos em seu relicário. A verdade de Deus é elevada e santa, santificando a alma, se for introduzida na vida e entretecida com o caráter. Deus está procurando tornar-nos com Sua verdade um povo separado e peculiar. Esta é a influência da verdade. Nossa obediência e devoção não estão à altura de nossa luz e privilégios, e as sagradas obrigações que repousam sobre nós, de andarmos como filhos da luz, não são cumpridas por nós. Como cristãos, não correspondemos a nossa elevada vocação. Advertências e repreensões nos têm sido dadas por Deus, mas só têm tido influência sobre nós durante algum tempo, porque não consideramos ser a obra de nossa vida prosseguir para a frente e para o alto, em direção ao alvo, ao prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus.” Este Dia Com Deus, MM 1980, pág. 48

 “E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.” João 3:19-20

“Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz do SENHOR.” Isaías 2:5

É o desejo do Senhor que os Seu povo, os filhos da luz, ilumine toda a Terra refletindo o caráter de Cristo. Que seja também o  nosso desejo. Precisamos entregar o coração a Deus sem reservas, para que Ele possa nos transformar e nos purificar completamente. Desta maneira seremos libertados da escravidão do pecado e também deste mundo repleto de sofrimento e dor.

  • O povo que professa ter mais luz tem a responsabilidade de ser também mais puro

“O povo do mundo observa-nos para ver se nossa fé está exercendo influência santificadora sobre nosso coração. São rápidos para discernir qualquer defeito de nossa vida, qualquer incoerência de nossos atos. Não lhe demos ocasião para vituperar nossa fé.” Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 246

“Nós, como povo, professamos possuir mais verdades do que qualquer outro na Terra. Neste caso, nossa conduta e caráter devem também corresponder à nossa profissão.” Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 12

 “Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.”  João 1:4-5

“Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam a vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” Mat. 5:14-16

“O Senhor fez ampla provisão para que as graças celestiais sejam abundantemente supridas a todos, a fim de que a verdade como esta é em Jesus ocupe o primeiro lugar no coração e preencha sempre o templo da alma. Então haverá total devoção a Deus, e os verdadeiros crentes se tornarão pescadores de homens. Orarão por sabedoria e andarão de acordo com a oração: “Vós sois a luz do mundo.” Mat. 5:14. “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:16. Carta 48, 1897.” Cristo Triunfante, MM 2002, pág. 230

“Roguem a Deus que em vocês efetue completa reforma, que os frutos do Seu Espírito habitem em vocês, e que, por sua vida piedosa, brilhem como luzes no mundo.”(Signs of the Times, 18 de novembro de 1886); Perto Do Céu, MM 2013, pág. 20

“Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua Glória se vê sobre ti.” Isaías 60:1-2

“Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.” Fil. 2:15

  • Uma séria advertência:

“Esta é a mensagem que dele ouvimos e transmitimos a vocês: Deus é luz; nele não há treva alguma. Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.” 1 João 1:5-6

  • Uma preciosa promessa:

“Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7

Deus seja para sempre louvado!

Justiça de Cristo: imputada e comunicada

Justiça de Cristo

“Despertai para a justiça, e não pequeis”, adverte Paulo. “Voltai a ter espírito verdadeiramente sóbrio, e cessai de pecar”, traduz o Dr. Weymouth. Falta alguma coisa na vida daquele que não alcançou a vitória em Jesus. Essa pessoa acha-se espiritualmente adormecida e precisa despertar, ou está enferma espiritualmente, e carece de auxílio.

Estava um dia o evangelista Moody conversando com um escocês que, após uma conversão aparentemente maravilhosa, recaíra nas garras de um hábito pecaminoso.

– Que há comigo? Não haverá auxílio para mim? Rogou ele ao homem de Deus.

– Meu amigo, respondeu Moody, seu mal é que o senhor aceitou apenas metade do Evangelho. Cristo não só morreu para salvá-lo da pena do pecado (esta é a metade do Evangelho); a outra metade é o fato de a Ele haver sido dado todo o poder no Céu e na Terra, para lhe dar a vitória sobre a influência dominante do pecado.

O bendito evangelho abrange tanto a purificação da mancha do pecado, como a vitória sobre o seu poder. Por meio de Cristo essa vitória pode pertencer-vos!”

Texto extraído das Meditações Matinais 1960, “DÁ-NOS HOJE”, pág. 96 

  • Justiça Imputada e Justiça Comunicada

“É imputada a justiça pela qual somos justificados; aquela pela qual somos santificados, é comunicada. A primeira é nosso título para o Céu; a segunda, nossa adaptação para ele. Review and Herald, 4 de junho de 1895.” Mensagens Aos Jovens pág. 35 (Cristo Nossa Justiça, pág. 108-109)

Para nossa salvação nosso Senhor Jesus Cristo, mesmo não tendo sido contaminado com o pecado, foi sacrificado e sofreu a penalidade dos nossos pecados. Este sacrifício de Jesus Cristo tornou possível para o pecador arrependido que aceita a Jesus obter o perdão. Esta é a Justiça imputada representando um direto de todas as pessoas verdadeiramente arrependidas.

 “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens.” Tito 2:11

Mas nosso maravilhoso Deus tem algo mais a nos oferecer. Jesus Cristo vivendo em nosso mundo e não tendo sido contaminado com o pecado, preparou o caminho para todo aquele que O aceita como salvador passe a viver livre da escravidão do pecado.

Mediante a atuação do nosso Senhor Espírito Santo podemos ser transformados em “novas criaturas” (1Cor 5:17) e passaremos a viver como nosso Senhor Jesus Cristo viveu. Nosso Pai tornou possível para o homem passar a viver completamente livre da presença do pecado. O poder do Senhor Espírito Santo para vivermos a vida de Cristo é a justiça comunicada.

“Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras. Tito 2:12-14

Ainda Tito exalta: “Fala disto, e exorta e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze.” Tito 2:15

  • Nos textos a seguir veremos com muita clareza tanto a Justiça Imputada como Justiça Comunicada

“Era possível a Adão, antes da queda, formar um caráter justo pela obediência à lei de Deus. Mas deixou de o fazer e, devido ao seu pecado, nossa natureza se acha decaída, e não podemos tornar-nos justos. Visto como somos pecaminosos, profanos, não podemos obedecer perfeitamente a uma lei santa. Não possuímos justiça em nós mesmos com a qual pudéssemos satisfazer às exigências da lei de Deus.

Mas Cristo nos proveu um meio de escape. Viveu na Terra em meio de provas e tentações como as que nos sobrevêm a nós. Viveu uma vida sem pecado. Morreu por nós, e agora Se oferece para nos tirar os pecados e dar-nos Sua justiça. Se vos entregardes a Ele e O aceitardes como vosso Salvador, sereis então, por pecaminosa que tenha sido vossa vida, considerados justos por Sua causa. O caráter de Cristo substituirá o vosso caráter, e sereis aceitos diante de Deus exatamente como se não houvésseis pecado. (Perdoados, Justiça Imputada)

E ainda mais, Cristo mudará o coração. Nele habitará, pela fé. Pela fé e contínua submissão de vossa vontade a Cristo, deveis manter essa ligação com Ele; e enquanto isso fizerdes, Ele operará em vós o querer e o efetuar, segundo a Sua vontade. Podereis então dizer: “A vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e Se entregou a Si mesmo por mim.” Gál. 2:20. Disse Jesus a Seus discípulos: “Não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.” Mat. 10:20. Assim, atuando Cristo em vós, manifestareis o mesmo espírito e praticareis as mesmas obras – obras de justiça e obediência.”(Transformados, Justiça Comunicada)

Louvado seja o Senhor por este precioso ensinamento através de Sua serva Ellen G. White em Caminho a Cristo, pág. 62-63.

“As condições do “velho concerto” eram: Obedece e vive – “cumprindo-os [estatutos e juízos] o homem, viverá por eles” (Ezeq. 20:11; Lev. 18:5); mas “maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei”. Deut. 27:26. O “novo concerto” foi estabelecido com melhores promessas: promessas do perdão dos pecados,[Justiça, Imputada] e da graça de Deus para renovar o coração, e levá-lo à harmonia com os princípios da lei de Deus.[Justiça, Comunicada] Este é o concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a Minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração. … Porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais Me lembrarei dos seus pecados.” Jer. 31:33 e 34. A mesma lei que fora gravada em tábuas de pedra, é escrita pelo Espírito Santo nas tábuas do coração. Em vez de cuidarmos em estabelecer nossa própria justiça, aceitamos a justiça de Cristo. Seu sangue expia os nossos pecados. Sua obediência é aceita em nosso favor. Então o coração renovado pelo Espírito Santo produzirá os “frutos do Espírito”. Mediante a graça de Cristo viveremos em obediência à lei de Deus, escrita em nosso coração. Tendo o Espírito de Cristo, andaremos como Ele andou.” Patriarcas e Profetas, pág. 372

A seguir textos que nos falam do poder transformador do Senhor disponível para nossa salvação que correspondem à Justiça Comunicada.

“O poder divino unir-se-á aos nossos esforços e, ao apegar-nos a Deus com a mão da fé, Cristo nos comunicará Sua sabedoria e justiça. Assim, por Sua graça, seremos habilitados a edificar sobre o firme fundamento.” Manuscrito 27, 1886.

“Pela vida que vivemos mediante a graça de Cristo, forma-se o caráter. A beleza original começa a ser restaurada na alma. São comunicados os atributos do caráter de Cristo, começando a refletir-se a imagem do Divino.” DTN, pág. 312

“Cristo leva o castigo pelas transgressões passadas, e comunica ao homem Sua justiça tornando-lhe possível observar a santa lei de Deus.” SDABC, vol.6, pág. 1092

“Abundante graça foi provida para que o crente possa manter-se livre do pecado; pois todo o Céu, com seus recursos ilimitados, foi posto à nossa disposição. Devemos servir-nos da fonte da salvação.”  Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 394

“Contemplando a Jesus receberemos no coração um princípio vivo e que se expande, e o Espírito Santo continua a obra, e o crente prossegue de graça em graça, de força em força, de caráter em caráter. Ele se conforma à imagem de Cristo até que, no crescimento espiritual, alcança a medida da plena estatura de Cristo Jesus. Assim Cristo põe fim à maldição do pecado e livra a alma crente de sua ação e efeito.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 395

“O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar.” DTN, pág. 311

“Em Cristo, Deus proveu meios para subjugar todo mau traço, e resistir a toda tentação, por mais forte que seja.” A Ciência do Bom Viver, pág. 65

“Na religião de Cristo, há uma influência regeneradora, que transforma o ser todo, levantando o homem acima de todo vício degradante e vil, elevando os pensamentos e desejos para Deus e o Céu. Ligado ao Ser infinito, o homem se faz participante da natureza divina. Contra ele não têm efeito os dardos do mal; pois que está revestido da armadura da justiça de Cristo.” Conselhos Aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 51-52

É comum vermos pessoas enganadas e enganando a outros com uma mensagem que induz o pecador a crer que o Senhor, no final, desculpará alguns pecados não vencidos. Desta maneira descrevem a justiça de Cristo como se fosse uma capa para cobrir pecados não confessados e não abandonados. Nosso maravilhoso Deus proveu meios para que o homem fosse perdoado e purificado totalmente. Mediante o poder divino em nós não há necessidade de desculparmos nossas atitudes erradas e ainda justificarmos a permanência do pecado em nossa vida. Não existe nenhuma desculpa que justifique ou favoreça a atuação pecaminosa em nós. 

  • Não há desculpas para pecar.

 “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não está no pecado; Aquele que nasceu de Deus o protege, e o Maligno não o atinge.” 1 João 5:18

 “A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente.” Desejado De Todas As Nações, pág. 311

  • A justiça de Cristo não é uma capa.

“Não é genuíno nenhum arrependimento que não opere a reforma. A justiça de Cristo não é uma capa para encobrir pecados não confessados e não abandonados; é um princípio de vida que transforma o caráter e rege a conduta. Santidade é integridade para com Deus; é a inteira entrega da alma e da vida para habitação dos princípios do Céu.” DTN, pág. 555-556

“A justiça de Cristo não encobrirá pecado algum acariciado. O homem pode ser intimamente transgressor da lei; todavia, se não comete um ato visível de transgressão, pode ser considerado, pelo mundo, possuidor de grande integridade. A lei de Deus, porém, lê os segredos do coração. Todo ato é julgado pelos motivos que o sugeriram. Somente quem estiver de acordo com os princípios da lei de Deus, permanecerá em pé no Juízo. Deus é amor. Demonstrou Ele este amor na dádiva de Cristo. Quando “deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16), nada reteve de Sua possessão adquirida. Deu todo o Céu, do qual podemos tirar poder e eficiência para não sermos repelidos nem derrotados por nosso grande adversário. Mas o amor de Deus não O leva a desculpar o pecado. Não o desculpou em Satanás; não o escusou em Adão ou em Caim; nem o desculpará em qualquer outro homem. Não tolerará nossos pecados, e não passará por sobre nossos defeitos de caráter. Espera que vençamos em Seu nome.” Parábolas de Jesus, pág. 316

  • Estamos rejeitando ou subestimando aquela que é considerada a maior manifestação de poder do Senhor Espírito Santo na vida do homem.

“Esse trabalho de purificação do Espírito Santo tem sido considerado Sua maior obra. Você encontrará essa declaração em Testemunhos Para Igreja, vol. 7, pág. 143: “A maior manifestação do Seu poder [do Espírito Santo] é vista no fato de a natureza humana ser elevada à perfeição do caráter de Cristo.” Pr. Morris L. Venden, Seu amigo O Espírito Santo, pág.61-62

Para nossa salvação precisamos ter uma compreensão muito clara do que nosso maravilhoso Deus fez por nós e também do que Ele deseja fazer em nós. Que possamos em nossas orações pedir ao nosso Deus que aumente nossa fé para que tenhamos o perdão e também a purificação completa oferecida por Deus.

“Porque o salário do pecado é a morte.” (Rom. 6:23) significa que aquele que pecou está sujeito à morte eterna incondicional. Nossa resolução de nos comportarmos bem no futuro não altera a sentença. Somente se aceitarmos o Substituto Divino poderemos ter perdão, absolvição e poder de viver sem cometer pecado.” Lição Escola Sabatina “Cristo O Único Caminho”, 2° Trim. 1990, pág. 46)

  • “Perdão e absolvição” = Justiça Imputada.
  • “Poder de viver sem cometer pecado” = Justiça Comunicada.

“Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros seguidores de Cristo possuirão. Foi dado à igreja “que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente” (Apoc. 19:8), “sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante”. Efés. 5:27. O linho fino, diz a Escritura, “é a justiça dos santos”. Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam como Salvador pessoal.” Parábolas de Jesus, pág. 310

“Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isso é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça.” Parábolas de Jesus pág. 312

Com a ajuda do Espírito Santo, homens e mulheres podem sair da mediocridade e viver uma vida pura e santa. Aqueles que professam crer, mas não praticam isso, mentem contra a verdade. […] Como pode o Senhor Se agradar daqueles que não fazem esforço algum para atingir um padrão elevado? Não alegam eles ter recebido uma verdade elevada e enobrecedora? […] 

Deus não pede que homens e mulheres submetam nada que não seja para sua saúde física ou espiritual, mas pede que submetam os maus hábitos degradantes e debilitantes que, se cultivados, os excluirão do Céu. Ele lhes deixa espaço para todo prazer que pode ser desfrutado sem culpa e lembrado sem remorso. Ele lhes pede, para o seu bem presente e eterno, que cultivem virtudes que tragam saúde ao corpo e força ao espírito. Pensamentos puros e hábitos corretos são necessários para a felicidade do homem, como ser humano e como cristão. Tudo que degrada o caráter deve ser vencido se desejamos contemplar o Rei em Sua beleza. […]

O Senhor pode e ajudará todo aquele que buscar Sua ajuda no esforço de se tornar mais puro e santo. […] Têm sido feitos esforços sinceros a fim de vencer as inclinações naturais para o mal, para conquistar hábitos e práticas que fizeram parte da vida antes de conhecer a verdade? São os que alegam crer na verdade desleixados e desordeiros no lar, sem qualquer semelhança com Cristo na vida diária, como antes, enquanto professam aceitar o Salvador? Se sim, eles não estão rendendo louvores Àquele que os chamou das trevas. Eles não se revestiram da justiça de Cristo.

Empenhem-se em fazer firmes progressos. Purifiquem-se “de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus” (2Co 7:1). Sejam asseados e disciplinados no vestir, e bondosos e corteses em suas maneiras. Sejam puros e refinados, pois o Céu é a própria essência da pureza e do refinamento. Como Deus é puro e santo em Seu contexto, devemos ser em nosso contexto. 

Leiam de forma atenta e cuidadosa a parábola da veste nupcial e façam uma aplicação pessoal das lições que ela transmite. […] Aqueles que fazem profissão de fé, mas permanecem imutáveis em hábitos e práticas, são representados […] pelo homem que entrou na festa sem a veste nupcial (Review and Herald, 26 de fevereiro de 1901).” Meditação Matinal 2013 – Perto do Céu, 21 de abril disponível em: <http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/ 2013/md42013.html#21> Acesso em: 14 mai 2013.

Ó Deus, obrigado por esta graça. Louvado seja seu nome pela morte de Cristo para nossa salvação e seu poder para nossa transformação em pessoas santas para Sua honra e glória. Capacita-nos para estarmos juntos nas as mansões celestiais em breve… Louvado Sejas sempre Senhor, Pai Maravilhoso!

O trigo e o joio

Trigo e joio

“Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo; mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. e, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. e os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.”  Mateus 13:24-30

É verdade que o joio estará presente na igreja até o fim, mas temos que compreendermos algumas lições importantíssimas contidas nessa parábola:

  • O joio foi semeado pelo inimigo. Deus pela Sua misericórdia e para que o trigo não seja prejudicado o tolera na igreja. No entanto não é o desejo do Senhor que parte dos membros permaneça como joio na igreja. Todos tem direito à salvação e transformação à semelhança do caráter de Cristo;
  • Precisamos ter uma compreensão muito clara do fato de que no final o joio será queimado. Isto significa que aqueles que são representados pelo joio se não buscarem ao Senhor para mudarem essa condição, no final da história, mesmo estando na igreja perderão a vida eterna e serão queimados no lago de fogo;
  • Também precisamos entender que o que determina a diferença entre o trigo e o joio é o caráter. Nosso maravilhoso Deus tem poder para mudar o nosso caráter se assim desejarmos, Deus pode transformar joio em trigo. Deus seja louvado! Não podemos, portanto nos acomodar na condição de joio.
  • Até o fim existirá trigo joio na igreja, membros defeituosos na igreja

“Nem todos os que professam ser obreiros de Cristo são verdadeiros discípulos. Entre os que trazem Seu nome, e que são mesmo contados entre Seus obreiros, há alguns que não O representam no caráter. … Até ao fim dos tempos, haverá joio no meio do trigo.” Meditação Matina 1971, Vidas Que Falam, pág. 318

“Não tem Deus uma igreja viva? Ele tem uma igreja, mas esta é a igreja militante, e não a igreja triunfante. Entristecemo-nos de que haja membros defeituosos, de que haja joio no meio do trigo. Jesus disse: “O reino dos Céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo; mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou o joio no meio do trigo e retirou-se. E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que tem, então, joio? E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-lo? Porém ele lhes disse: não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi ao ceifeiros: Colhei primeiro o joio e atai-o em molhos para o queimar; mas o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.” Mat. 13:24 e 25, 27-30. A Igreja Remanescente pág. 41

  • É o caráter que determina a diferença entre o trigo e o joio

“É permitido ao joio crescer entre o trigo, desfrutar os mesmos privilégios de sol e chuva; mas no tempo da ceifa será vista “a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e o que não O serve”. Mal. 3:18. Cristo mesmo decidirá quem é digno de ser membro da família celestial. Julgará todo homem segundo suas palavras e obras. A profissão de fé nada pesa na balança. O caráter é que decide o destino. O Salvador não aponta a um tempo em que todo o joio se tornará trigo. O trigo e o joio crescem juntos até à ceifa, o fim do mundo. Então o joio será atado em molhos para ser queimado, e o trigo será recolhido no celeiro de Deus. “Então, os justos resplandecerão como o Sol, no reino de seu Pai.” Mat. 13:43. “Mandará o Filho do homem os Seus anjos, e eles colherão do Seu reino tudo o que causa escândalo e os que cometem iniqüidade. E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali, haverá pranto e ranger de dentes.” Mat. 13:41 e 42.” Parábolas de Jesus, pág.74-75

“O homem finito é propenso a julgar mal o caráter, mas Deus não deixou a obra de julgar e de fazer pronunciamentos sobre o caráter com aqueles que para isto não estão preparados. Não devemos dizer o que constitui o trigo e o que constitui o joio. O tempo da colheita determinará completamente o caráter das duas classes especificadas sob a figura de joio e de trigo. A obra de separação é dada aos anjos de Deus, e não entregue nas mãos de qualquer homem.” A  Igreja Remanescente pág. 44

“Na parábola do trigo e do joio, vemos a razão de o joio não ser arrancado; era para que o trigo não fosse desarraigado também com o joio. A opinião e o juízo humanos ocasionariam graves erros. Mas para que não se cometesse um erro e uma simples haste de trigo fosse desarraigada, diz o Mestre: “Deixai crescer ambos juntos até a ceifa” (Mat. 13:30); então os anjos arrancarão o joio, que será destinado à destruição. Conquanto em nossas igrejas, que pretendem crer em verdades avançadas, haja pessoas em faltas e erros, como o joio em meio do trigo, Deus é longânimo e paciente. Ele reprova e adverte o errante, mas não destrói os que são vagarosos em aprender a lição que lhes quer ensinar; Ele não desarraiga o joio do meio do trigo. O joio e o trigo devem crescer juntos até a ceifa; quando o trigo chegar ao seu completo desenvolvimento, e pelo caráter que apresentar quando amadurecido, ele se distinguirá perfeitamente do joio. A Igreja Remanescente pág. 42

  • Não precisamos ser joio

Não temos competência para avaliar se nossos irmãos são joio ou trigo. O que devemos fazer é com oração verificarmos nossa própria vida e caráter. Não podemos nos acomodar na condição de joio. Constantemente como Davi devemos orar:

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.” Salmos 139:23-24

Não precisamos ser joio nós mesmos, só porque não haverá apenas trigo na colheita. Aqueles que rejeitam a vida e o caráter de Jesus, recusando-se a ser como Ele, declaram-se em conflito com Deus. “Quem não é por mim é contra mim”, declara Cristo, “e quem comigo não ajunta espalha.” Mat. 12:30. Cristo Triunfante, pág. 41

  • Devemos refletir o caráter de Jesus

“Devemos refletir o caráter de Jesus. Em toda parte, quer na igreja, no lar, ou nas relações sociais com os nossos vizinhos, devemos deixar que apareça a encantadora imagem de Jesus. Não podemos fazer isso se não estivermos cheios de Sua plenitude. Se ficássemos mais familiarizados com Jesus, haveríamos de amá-Lo por Sua bondade e excelência, e haveríamos de desejar ficar tão semelhantes ao Seu caráter divino que todos soubessem que temos estado com Jesus, e aprendido dEle.” Meditação Matinal 1992 – Exaltai-O, pág. 267

“Jesus ajudou o mundo inteiro a obter inteligente conhecimento de Sua divina missão e obra. Ele veio representar o caráter do Pai para o nosso mundo, e, ao estudarmos a vida, as palavras e as obras de Jesus Cristo, somos ajudados em todo o sentido na educação da obediência a Deus; e, seguindo o exemplo que Ele nos deu, somos cartas vivas, conhecidas e lidas por todos os homens. Somos os vivos agentes humanos para representar no caráter a Jesus Cristo para o mundo. Cristo não somente deu claros preceitos que mostram como podemos tornar-nos filhos obedientes, mas mostrou-nos em Sua própria vida e caráter como fazer o que é correto e agradável a Deus, de modo que não houvesse desculpa para não fazermos aquilo que é agradável à Sua vista.” Meditação Matinal 1992 – Exaltai-O, pág. 170

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim.” João 6:57

 “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

 “Jesus é a luz do mundo, e deveis moldar vossa vida segundo a Sua. Achareis ajuda em Cristo para a formação de um caráter firme, simétrico e belo. Satanás não pode tornar de nenhum efeito a luz que irradia de um caráter assim. O Senhor tem uma obra para cada um de nós. Ele não toma providência para sermos sustidos pela influência do louvor e afagos humanos; é Seu intento que toda pessoa permaneça na força do Senhor. Deus nos deu Seu melhor dom, sim, Seu Filho unigênito, para, revestindo-nos de Sua própria perfeição de caráter, elevar-nos, enobrecer-nos e habilitar-nos para o lar em Seu reino. Jesus veio ao mundo e viveu como espera que Seus seguidores vivam.” Meditação Matinal 1992 – Exaltai-O, pág. 242

  • A Igreja Triunfante Será Fiel e Semelhante a Cristo

“A obra está prestes a concluir-se. Os membros da igreja militante que se houverem demonstrado fiéis, tornar-se-ão a igreja triunfante.” Evangelismo, pág. 707. Eventos Finais pág. 62″

  • Quando chegará o fim

O fim desse mundo de sofrimento chegará quando os membros da igreja de Deus se revelarem em Seu favor, vivendo uma vida de obediência e deixarem de viver para o pecado. Precisamos urgentemente parar de arrumar desculpas para nossos defeitos pecaminosos, quando temos poder em Cristo para a vitória. Não mais devemos nos contentar com uma vida na condição de joio tendo um caráter defeituoso. Precisamos urgentemente buscar no Senhor forças para viver um cristianismo real, puro, sem hipocrisia. Misericórdia Senhor!

Quando assim fizermos, quando buscarmos verdadeiramente refletir o caráter de Cristo seremos trigo. Amém! Que o Senhor nos ajude e desperte o Seu povo.

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. (II Ped. 3:12.)  Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, pág. 69

Deus seja para sempre louvado!

Vale de ossos secos

Vale de ossos secosUm determinado discípulo pede a Jesus permissão para primeiro sepultar seu pai antes de segui-Lo. Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos. Mateus 8:22

Como adventistas do sétimo dia acreditamos que os mortos não sabem de coisa alguma e muito menos fazem alguma coisa. Então quem são esses mortos mencionados por Jesus que deveriam se ocupar do sepultamento do pai daquele discípulo?

“Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.” Romanos 6:13

O apóstolo Paulo também nos exorta a apresentar-nos a Deus “como vivos dentre os mortos,” novamente perguntamos: Quem são esses mortos mencionados pelo apóstolo Paulo?

  • Mortos em ofensas e pecados

Mortos espiritualmente, são aqueles que ainda não foram vivificados pelo nosso Senhor Jesus Cristo, ainda estão vivendo “em ofensas e pecados.”

“Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus.” Efésios 2:4-7

“E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas,” Colossenses 2:13

“E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.” Efésios 2:1-2

  • Mortos, ainda estão em trevas.

“Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade); aprovando o que é agradável ao Senhor e não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe. Mas todas estas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta. Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará.” Efésios 5:8-14

Mortos espiritualmente são aqueles que ainda estão em trevas, ainda não são luz no Senhor, ainda não estão vivendo como filhos da luz, ainda não atenderam ao chamado do Senhor para se levantarem dentre os mortos aceitando a promessa de serem  iluminados por Jesus Cristo.

“O pecado corrompe tudo – mente, pensamento, ações, desejos, vontade etc. – e, como tal, a natureza deles é depravada; dentro deles existe conflito perpétuo. Essa natureza espiritualmente corrupta e falida torna os pecadores “filhos da ira” (v.3) – filhos que merecem o juízo de Deus. Então, qual é a condição dos incrédulos? Estão mortos no pecado. Selarão seu destino, decidindo viver “segundo as inclinações da … carne (v.3) e tornando-se filhos sujeitos à ira de Deus. Estão mortos – mortos em sentido de finalidade, humanamente falando.” Lição da Escola Sabatina, 4° trim. 2005, “Efésios o evangelhos dos relacionamentos,” pág. 57

“Paulo era mestre em transmitir as grandes verdades de Deus.Em Efésios 2:1-3, ele descreveu o apuro dos incrédulos: mortos em pecado, escravos de Satanás, vivendo de acordo com os desejos da carne, condenados como filhos da ira, desesperados e destituídos,  incapazes de salvar  a si mesmo.” Lição da Escola Sabatina, 4° trim. 2005, “Efésios o evangelhos dos relacionamentos,” pág. 58

  • Vivos para Deus, mortos para o pecado.

Morto para Deus é aquele que está vivendo no pecado ou em pecado. Vivo para Deus é aquele que morreu para o pecado.

Aquele que realmente está vivo está vivendo para Deus, morreu para o pecado. Este é um novo homem no qual seu coração não é mais dominado pelo pecado, mas pelo nosso maravilhoso Deus. Deus seja louvado!

“Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;” Romanos 6:10-12

“Primeiro, Ele “nos deu vida juntamente com Cristo” (Efés. 2:5). Aqueles que creem em Cristo e morrem com Ele se tornam participantes do seu poder e ressurreição, e são espiritualmente vivificados juntamente com os Senhor ressuscitado (Rom. 6:8-11).” Lição da Escola Sabatina, 4° trim. 2005, “Efésios o evangelhos dos relacionamentos,” pág. 58

  • Mensagem também para a igreja de Deus

Mortos espiritualmente – Não podemos afirmar ser esta uma condição somente daqueles que estão fora da igreja de Deus. Infelizmente, muitos de nós, professos cristãos pertencentes à igreja de Deus, podemos ser contados entre aqueles que estão mortos espiritualmente.

Simplesmente por pertencermos a uma determinada igreja e concordarmos com suas doutrinas, iludimo-nos pensando que isso é suficiente para afirmarmos que estamos vivos, mas como diz as escrituras: “tens nome de que vives,” mas o Senhor pode afirmar que estamos “mortos”.

É necessário mais que o conhecimento e aceitação teórica da palavra de Deus para que possamos ser contados entre os que realmente estão “vivos.” É necessário também que permitamos que a graça de Deus nos transforme e nos purifique completamente.

  • “Tens nome de que vives, e estás morto.”

“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. Apocalipse 3:1

“A advertência da fiel Testemunha, dirigida à igreja de Sardes, reza como segue: “Tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Lembra-te pois do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te.” Apoc. 3:1-3. O pecado especialmente atribuído a essa igreja era que deixara de confirmar os que estavam prestes a morrer. Porventura esta advertência não se aplicaria também a nós? Examinemos individualmente nosso coração à luz da Palavra Divina e seja todo o nosso empenho pôr em ordem nossa vida diante de Deus com o auxílio de Cristo.” Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 253

  • O Grande Conflito, pág. 310 e 311:

“Quando o Salvador indicou a Seus seguidores os sinais de Sua volta, predisse o estado de apostasia que havia de existir precisamente antes de Seu segundo advento. Haveria, como nos dias de Noé, a atividade e a agitação das ocupações mundanas e da procura de prazeres – comprar, vender, plantar, edificar, casar, dar-se em casamento – com olvido de Deus e da vida futura. Para os que viverem nesse tempo, a advertência de Cristo é: “Olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.” “Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do homem.” Luc. 21:34 e 36.

A condição da igreja neste tempo é indicada nas palavras do Salvador, em Apocalipse: “Tens nome de que vives, e estás morto.” E aos que se recusam despertar de seu descuidoso sentimento de segurança, é dirigido este aviso solene: “Se não vigiares, virei a ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.” Apoc. 3:1 e 3.

Era necessário que os homens fossem advertidos do perigo; que se despertassem a fim de preparar-se para os acontecimentos solenes ligados ao final do tempo da graça. Declara o profeta de Deus: “O dia do Senhor é grande e mui terrível e quem o poderá sofrer?” Quem estará em pé quando aparecer Aquele que é tão puro de olhos que não pode ver o mal, e não pode contemplar a vexação?” Joel 2:11; Hab. 1:13. Para os que clamam: “Deus meu! nós … Te conhecemos”, e não obstante têm traspassado Seu concerto, e se apressaram após outro deus (Osé. 8:2 e 1; Sal. 16:4), ocultando a iniquidade no coração e amando os caminhos da injustiça, para esses o dia do Senhor são trevas e não luz, “completa escuridade, sem nenhum resplendor”. Amós 5:20.

“E há de ser que naquele tempo”, diz o Senhor, “esquadrinharei a Jerusalém com lanternas e castigarei os homens que estão assentados sobre as suas fezes, que dizem no seu coração: O Senhor não faz bem nem mal.” Sof. 1:12. “Visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniquidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos.” Isa. 13:11. “Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar”; “será saqueada a sua fazenda, e assoladas as suas casas.” Sof. 1:18 e 13.

O profeta Jeremias, prevendo esse tempo terrível, exclamou: “Estou ferido no meu coração!” “Não posso calar; porque tu, ó minha alma, ouviste o som da trombeta e o alarido da guerra. Quebranto sobre quebranto se apregoa.” Jer. 4:19 e 20.

“Aquele dia é um dia de indignação, dia de angústia e de ânsia, dia de alvoroço e desolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de alarido.” Sof. 1:15 e 16. “Eis que o dia do Senhor vem, … para pôr a Terra em assolação e destruir os pecadores dela.” Isa. 13:9.

Ante a perspectiva desse grande dia, a Palavra de Deus, com expressões as mais solenes e impressivas, apela para Seu povo a fim de que desperte da letargia espiritual e busque Sua face, com arrependimento e humilhação: “Tocai a buzina em Sião, e clamai em alta voz no monte da Minha santidade. Perturbem-se todos os moradores da Terra, porque o dia do Senhor vem, ele está perto.” “Santificai um jejum, proclamai um dia de proibição. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai os filhinhos, … saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu tálamo. Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar.”

“Convertei-vos a Mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração e não os vossos vestidos, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque Ele é misericordioso, compassivo, e tardio em irar-Se, e grande em beneficência.” Joel 2:1, 15-17, 12 e 13.

“A fim de preparar um povo para estar em pé no dia de Deus, deveria realizar-se uma grande obra de reforma. Deus viu que muitos dentre Seu povo professo não estavam edificando para a eternidade, e em Sua misericórdia estava prestes a enviar uma mensagem de advertência a fim de despertá-los de seu torpor e levá-los a preparar-se para a vinda de Jesus.”

  • Uma triste situação na igreja de Deus

“Quando o êxito se deve a ambição humana, acontece precisamente como se alguém estabelecesse uma empresa financeira mundana. Nesse caso, a Igreja assemelha-se a um barco fúnebre, singrando o oceano, e dirigido por formas sem vida. Homens mortos no cordame, um morto como timoneiro, mortos nos camarotes, todos mortos, arrastados silenciosamente pelo sinistro mar de morte. Comparativamente à vida vibrante do Espírito Santo, existem muitas igrejas formais, com um morto no púlpito e almas mortas no auditório. E então escreve o dedo do Céu: “tens nome de que vives, e estás morto”. É certo que nada há mais inconveniente, como diz um escritor, do que um pregador morto ocupando o púlpito e pregando para a mortos no auditório.” A Vinda do Consolador, pág. 102

  • Vale de ossos secos

“Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR. Assim diz o Senhor DEUS a estes ossos: Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis. E porei nervos sobre vós e farei crescer carne sobre vós, e sobre vós estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis, e sabereis que eu sou o SENHOR. Então profetizei como se me deu ordem. E houve um ruído, enquanto eu profetizava; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso. E olhei, e eis que vieram nervos sobre eles, e cresceu a carne, e estendeu-se a pele sobre eles por cima; mas não havia neles espírito. E ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor DEUS: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. E profetizei como ele me deu ordem; então o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo. Então me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; nós mesmos estamos cortados.” Ezequiel 37:4-11

“Essa analogia dos ossos secos não se aplica somente ao mundo, mas também aos que têm sido favorecidos por grande luz; pois eles são também semelhantes aos esqueletos do vale. Têm a forma de homens, a estrutura do corpo, mas não têm vida espiritual. A parábola não deixa, porém, os ossos secos meramente ligados em forma de homens; pois não basta que haja simetria de membros e feições. O fôlego de vida tem de vivificar os corpos, para que possam ficar em pé e pôr-se em atividade. Esses ossos representam a casa de Israel, a igreja de Deus, e a esperança da igreja é a vivificante influência do Espírito Santo. O Senhor precisa soprar sobre os ossos secos, para que vivam. O Espírito de Deus, com Seu poder vivificador, precisa estar em todo ser humano, para que todo músculo e nervo espiritual esteja em atividade. Sem o Espírito Santo, sem o fôlego de Deus, há entorpecimento da consciência e perda de vida espiritual. Muitos que se acham destituídos de vida espiritual têm os seus nomes nos registros da igreja, mas não estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. Eles podem estar ligados à igreja, mas não estão unidos ao Senhor. Podem ser diligentes na realização de um certo conjunto de deveres, e ser considerados como pessoas que vivem; muitos, porém, se encontram entre os que têm nome de que vivem, e estão mortos. (Apoc. 3:1.) SDA Bible Commentary, vol. 4, págs. 1.165 e 1.166.” E Recebereis poder, pág.45

“O Espírito de Deus, com Seu poder vivificante, deve encontrar-Se em cada instrumento humano, para que sejam postos em ação cada nervo e músculo espirituais. Sem o Espírito Santo, sem o alento de Deus, fica entorpecida a consciência e há perda de vida espiritual. Muitos que não possuem vida espiritual têm os nomes nos registros da igreja, mas não estão escritos no livro da vida do Cordeiro. Podem estar filiados a uma igreja, mas não se acham unidos ao Senhor. Podem ser ativos no desempenho de certas funções e ser considerados pessoas que vivem, mas estão mortos. A menos que a alma esteja genuinamente convertida a Deus;  a menos que o vital sopro de Deus ative a alma para a vida espiritual; a menos que os que professam a verdade sejam motivados por princípios celestiais, não terão da semente incorruptível que vive e permanece para sempre. A menos que confiem na justiça de Cristo com sua única segurança, que copiem Seu caráter e trabalhem co Seu espírito, eles se acham nus, não tendo as vestes de Sua justiça. Muitas vezes os mortos passam por vivos; pois aqueles que procuram alcançar o que chamam de salvação por suas próprias ideias, não tem Deus operando neles tanto o querer como o efetuar segundo a Sua boa vontade. Esta classe está bem representada pelo vale de ossos secos que Ezequiel viu na visão. Aqueles a quem foram confiados os tesouros da verdade e contudo se encontram mortos em ofensas e pecados, necessitam ser recriados em Cristo Jesus.” Review and Herald, 17 de janeiro de 1893; A Vinda do Consolador, pág. 235-236

Mortos espiritualmente ou vivendo em ofensas e pecados – aqueles que permanecerem nessa condição receberão no final a morte literal e eterna. Não devemos ficar tentando descobrir se este ou aquele irmão pode ser contado entre esses mortos. Não temos competência para isto. O que realmente precisamos fazer é uma avaliação PRÓPRIA, sempre orando como o salmista: “Sonda-me, o Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Sal. 139:23-24

Fazendo assim, vivificados por Cristo alcançaremos uma condição na qual não estaremos mais vivendo como escravos do pecado.

Que seja sempre o nosso desejo estar entre aqueles que foram vivificados por Cristo e que estarão recebendo essa maravilhosa mensagem do Senhor:

“E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo – pela graça sois salvos.”  Efésios 2:1-5

Deus seja para sempre louvado!