Archive for julho \27\UTC 2013|Monthly archive page

Obediência: fruto do reavivamento

obediência

O comentário de Sábado a tarde nos traz a linda história de Evan Roberts. Um jovem de 26 anos que liderou um movimento de reavivamento no País de Gales em 1904, quando se uniu aos amigos da igreja fazendo intercessão, estudando a Bíblia e compartilhando a fé. O comentário diz assim:

“Em resposta, o Espírito Santo foi derramado. Vidas foram transformadas. Em seis meses, houve 100 mil conversões no pequeno País de Gales. Os resultados desse reavivamento foram visto em todo o país. Durante todo o dia milhares de pessoas se aglomeraram nas igrejas para orar. Trabalhadores das minas de carvão, rudes e que viviam praguejando, foram transformados em senhores bondosos e corteses. Mesmo os pôneis das minas de carvão tiveram que aprender novas palavras de comando, porque os mineiros não estavam mais praguejando sobre eles! Vidas obedientes e transformadas brotavam de corações convertidos. Essa é uma evidência irrefutável do verdadeiro reavivamento.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 31 – Lição de Aluno, pág. 55 – Lição deProfessor

Esta história está também relatada no livro O Reavivamento Prometido do mesmo autor da lição, o Pr. Mark Finley. No relato do livro, ele coloca uma informação imprescindível que não foi relatada no comentário da lição. Segue a informação:

“(…) Evan Roberts, de 26 anos, tinha orado por treze anos para que sua vida fosse totalmente controlada pelo Espírito Santo. Ele implorou a Deus por um coração não dividido, um coração totalmente comprometido com o reino de Deus. Evan frequentemente orava noite adentro intercedendo pelos adolescentes e jovens de sua igreja.” O Reavivamento Prometido, pág. 11 (destaque acrescentado)

Esta informação é importantíssima ao fato da obediência ser fruto do reavivamento verdadeiro. O coração não dividido é um coração decidido, um coração que quer estar cheio de Deus. Ou ele é conduzido pelo Espírito Santo ou é conduzido pelo inimigo. O coração dividido ainda é do inimigo. Evan Roberts orava para ser obediente.

Em pesquisa a mais informações sobre o Reavivamento no País de Gales, encontramos na internet o mesmo relato acrescido de outra informação preciosa:

“No dia seguinte Evan Roberts reuniu os jovens da igreja e começou a passar a sua visão para o avivamento. Ele ensinou que o povo orasse uma oração simples: “Envia o Espírito Santo agora, em nome de Jesus Cristo”. Roberts também enfatizou quatro pontos fundamentais para o avivamento:

  • A confissão aberta de qualquer pecado não confessado;
  • O abandono de qualquer ato duvidoso;
  • A necessidade de obedecer prontamente tudo que o Espírito Santo ordenasse;
  • A confissão de Cristo abertamente.” (O Fogo do Reavivamento, por Wesley L. Duewel – http://www.avivamentoja.com/ pmwiki.php?n=Passado.Gales)

Vemos assim a grande necessidade de comunhão com Deus. A obediência é o fruto desta comunhão. O pecado nos separa de Deus. Louvado seja o Senhor do universo que nos concede o Santo Espírito para nos guiar na verdade e transformar a nossa vida.

Obediência

Ao criar o Adão e Eva, Deus os instruiu na maneira em que deveriam viver. Mas foi pela desobediência às instruções divinas que Adão e Eva conheceram o pecado, amaldiçoando toda a Terra. Agora para nosso tempo, Deus quer nos restaurar ou recriar para a eternidade.

Ellen G. White, a serva do Senhor, descreve esta questão da seguinte maneira: “Adão e Eva ousaram transgredir as ordens do Senhor, e o terrível resultado de seu pecado deveria constituir uma advertência para nós, a fim de não seguirmos seu exemplo de desobediência. … Não existe genuína santificação a não ser pela obediência à verdade. Aqueles que amam a Deus de todo o coração, também hão de amar a todos os Seus mandamentos. O coração santificado anda em harmonia com os preceitos da lei de Deus; porque eles são santos, justos e bons.” Santificação, pág. 67.

Como vimos, Deus espera homens e mulheres comprometidos com suas orientações e com Sua vida. Ele quer que o obedeçamos por amor a Ele. Assim descrevem os textos bíblicos a seguir:

“Porque esta é a aliança que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo;” Hebreus 8:10

“Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração.” Salmos 40:8

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” 2 Timóteo 3:16-17

Tipos de obediência

Possuímos 2 tipos de obediência:

  • Obediência por Amor com intensidade plena
  • Obediência legalista e parcial

A primeira por amor é o desejo de Deus. Sendo de intensidade plena denota-se que não deve existir coração dividido. O coração deve estar cheio do Senhor Espírito Santo conduzindo-nos para um relacionamento de amor, comunhão e compromisso em refletir o caráter de Cristo.

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.” Mateus 6:24

Por obediência legalista entende-se o cumprimento aos mandamentos de Deus motivados pela obrigação ou pelo medo de perder a salvação. Nesta obediência a motivação, infelizmente não é o amor. A intensidade da obediência neste caso, é parcial, ou seja, conseguimos manter obediência acreditando que entre um erro ou outro, seremos perdoados pelo amor de Deus, mesmo tendo consciência do pecado cometido. Devemos lembrar que não foi a quantidade de mordidas ou de frutos comidos que condenaram Adão e Eva no Éden, mas o pecado deles foi a desobediência à ordem de Deus.

“Mas unicamente vivendo em obediência a Sua palavra podemos pedir o cumprimento das promessas que nos faz. O salmista diz: “Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá.” Sal. 66:18. Se Lhe prestamos apenas uma obediência parcial, com a metade do coração, Suas promessas não se cumprirão em nós.” Patriarcas e Profetas, pág. 227

Sobre a verdadeira obediência a serva do Senhor diz: “Unicamente aqueles que prestarem a Deus plena e implícita obediência, serão aptos para as mansões de cima. Deus sabe que não apreciaríamos Seus mais raros dons se não fôssemos perfeitamente submissos para Lhe obedecer, tendo sempre em vista a Sua glória. E em observar o caminho do Senhor há grande recompensa.” Nos Lugares Celestiais, Meditação Matinal – 1968, pág. 155

Interessante observar que a lição menciona sobre o fato da obediência plena possuir um alto preço. Temos vários exemplos na Bíblia e mesmo na história de pessoas que sofreram martírio por manterem-se fiéis e obedientes ao Senhor. Devemos levar em consideração que mesmo nós, nos dias finais deste mundo, poderemos passar pela mesma provação e se amarmos a Deus plenamente, iremos glorificá-Lo com nossa vida. A lição traz a seguinte frase: “Não está fora do campo das possibilidades que alguém que esteja lendo estas palavras agora um dia tenha que entregar a vida por causa do Senhor.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 33 – Lição de Aluno, pág. 57 – Lição deProfessor

Existe um modelo de obediência?

Sim! Existe. O Senhor Jesus Cristo. Podemos ter certeza desta afirmação nos seguintes textos:

“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” Filipenses 2:5-8

“Aquele que subsistiu “em forma”, ou na própria essência de Deus, “aniquilou-Se a Si mesmo (RC; ou, como se diz o texto original grego do Novo Testamento), “a Si mesmo Se esvaziou” de Seus privilégios e prerrogativas como igual a Deus e se tornou “servo”. Jesus era um servo da vontade do Pai. Ele “a Si mesmo Se humilhou, tornando-Se obediente até a morte e morte de cruz” (Fp 2:8). Jesus deu um exemplo do que é uma vida cheia do Espírito Santo. É uma vida de obediência voluntária e humilde submissão à vontade do Pai. É uma vida de oração, dedicada ao serviço e ministério e dominada pelo desejo ardente de ver pessoas salvas no reino do Pai.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 36 – Lição de Aluno, pág. 60 – Lição de Professor

“O Grande Mestre veio ao nosso mundo para estar à testa da humanidade, e desse modo erguê-la e santificá-la por meio de Sua santa obediência a todos os requisitos divinos, mostrando que é possível obedecer a todos os mandamentos de Deus. Ele demonstrou que uma vida toda de obediência é possível. Como o Pai deu o Seu Filho, assim Ele dá ao mundo homens escolhidos, representativos, para exemplificarem em sua vida a vida de Jesus Cristo. Manuscrito 1, 1892.” O Cuidado de Deus, Meditação Matinal – 1995, pág. 344

A obediência tal qual a de Cristo é o alvo ou nível de obediência esperado de nós. O mesmo poder espiritual disponível para a vitória de Cristo é extensivo a nós também.

A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino. Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado.” Nossa Alta Vocação, Meditação Matinal – 1962, pág. 46

A obediência, o Senhor Espírito Santo e nós

Queremos chamar a atenção dos irmãos para dois personagens importantíssimos desta lição:

  1. O Senhor Espírito Santo – em todas as páginas da lição, em cada dia de estudo, é mencionado a pessoa especial do Senhor Espírito Santo. Ele atuava na vida de Cristo desde o Seu nascimento. Atuou também na vida dos seguidores de Cristo sendo imprescindível na conversão dos mesmos, transformando-os em novas criaturas em Cristo Jesus (2ª Cor. 5:17). Louvado seja o Senhor Deus porque o mesmo poder transformador de vidas está disponível a nós. A serva do Senhor assim escreveu a respeito do Senhor Espírito Santo: “A promessa do Espírito Santo não é limitada a algum século ou raça. Cristo declarou que a divina influência do Espírito deveria estar com Seus seguidores até o fim. Desde o dia do Pentecoste até ao presente, o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendem inteiramente ao Senhor e a Seu serviço. A todos os que aceitam a Cristo como um Salvador pessoal, o Espírito Santo vem como consolador, santificador, guia e testemunha. Quanto mais intimamente os crentes andam com Deus, tanto mais clara e poderosamente testificam do amor do Redentor e da Sua graça salvadora. Os homens e mulheres que através dos longos séculos de perseguição e prova desfrutaram, em larga escala, a presença do Espírito em sua vida, permaneceram como sinais e maravilhas no mundo. Revelaram, diante dos anjos e dos homens, o transformador poder do amor que redime.” Atos dos Apóstolos, p. 49 – Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 37 – Lição de Aluno, pág. 61 – Lição de Professor
  2. Segundo personagem: Nós. Sim, eu e você. Os estudantes da lição. Somos importantíssimos porque tudo pode mudar com nossa atitude de entrega e obediência. Os discípulos Cristo só tiveram a transformação real quando buscaram de coração e receberam o Senhor Espírito Santo na vida deles. Precisamos envolver-nos em busca do verdadeiro reavivamento como fez Evan Roberts. Precisamos entregar-nos a Deus e deixá-Lo fazer a obra que já iniciou. Não podemos achar que a maneira que estamos vivendo esteja agradando a Deus e que isto seja o máximo de nossa obediência. Nosso alvo precisa estar além do que enxergamos. Precisamos enxergar com os olhos da fé. É preciso que nos deixemos esvaziar e mudar nossa vida pelo Senhor Espírito Santo. Esta promessa é para agora. Não deixemos passar nem um dia a mais para tomarmos uma atitude inteligente de estar ao lado do Amor de Deus. Coloquemo-nos à disposição dEle em nome de Jesus!

“A promessa pessoal de Cristo através do Espírito Santo é purificadora. O Espírito Santo busca o íntimo do nosso ser. Ele penetra em nossos pensamentos, purifica nosso coração e concede poder à nossa vida espiritual. (…) Jesus promete trabalhar através do ministério do Espírito Santo em nossa vida para completar o que Ele começou.” O Reavivamento Prometido, pág. 52

“Você pode não ser tudo o que deseja ser, mas não é o que foi um dia. E o Espírito Santo está agora apelando para que possa ir mais fundo ainda. (…) O poder que Deus quer nos dar hoje é o poder de superar os pecados que nos assediam. É o poder sobre os hábitos viciantes e pensamentos impuros. É o poder de vencer as más palavras e atos impensados.” O Reavivamento Prometido, pág. 53

“Cristo tomou a humanidade e suportou o ódio do mundo para que pudesse revelar a homens e mulheres que estes poderiam viver sem pecado, que suas palavras, atos, seu espírito, poderiam ser santificados para Deus. Podemos ser cristãos perfeitos se manifestarmos esse poder em nossa vida. Quando a luz do Céu repousar sobre nós continuamente, representaremos a Cristo. Foi a justiça revelada em Sua vida que O distinguiu do mundo e despertou seu ódio. As palavras de Cristo são ditas para Seu povo em todas as épocas – para nós sobre quem o fim dos séculos é chegado. Manuscrito 97, 1909.” Olhando para o alto, Meditação Matinal – 1983, pág. 297

Deus seja Louvado em nossos lábios e em nossa vida de obediência!

Anúncios

Precisamos ter mais que um conhecimento teórico da Verdade

biblia

“Um homem pode pregar sermões agradáveis e entretenedores, no entanto estar distanciado de Cristo no que respeita à experiência religiosa. Ele pode ser elevado ao pináculo da grandeza humana, contudo nunca ter experimentado a obra interior de graça que transforma o caráter. Esse tal é enganado por sua ligação e familiaridade com as verdades sagradas do evangelho, que alcançaram o intelecto, mas não foram levadas ao santuário interior da alma. Temos de ter mais do que uma crença intelectual na verdade.” – Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899.

“Se pudéssemos deixar agora os frios e tradicionais sentimentos que impedem nosso progresso, veríamos a obra de salvar almas sob luz inteiramente diferente.” – Review and Herald, 6 de maio de 1890.

A Teoria da Verdade Não é Suficiente

“Nossas doutrinas podem estar corretas; podemos odiar a doutrina falsa, e não receber aqueles que não são fiéis ao principio: podemos trabalhar com incansável energia; mas mesmo isto não é suficiente. … Uma crença na teoria da verdade não é suficiente. Apresentar esta teoria aos descrentes não o constituirá uma testemunha para Cristo.” -Review and Herald, 3 de fevereiro de 1891.

“O problema com nossa obra tem sido o fato de nos contentarmos em apresentar uma fria teoria da verdade.” – Review and Herald, 28 de maio de 1889.

“Quanto maior poder não acompanharia a pregação da palavra hoje, se os homens se demorassem menos nas teorias e argumentos de homens,e muito mais nas lições de Cristo, e na santidade prática.?’ – Review and Herald, 7 de janeiro de 1890.

A Unica Maneira Pela Qual a Verdade se Torna de Valor Para a Alma

“A verdade não será de qualquer valor para a alma a menos que seja levada ao santuário interior, e santifique a alma. A piedade se degenerará, e a religião se tornará um sentimentalismo inconsequente, a menos que o arado da verdade seja levado a aprofundar-se no solo profundo do coração.” – Review and Herald, 24 de maio de 1892.

“Um conhecimento teórico da verdade é essencial. Mas o conhecimento da maior de todas as verdades não nos salvará; nosso conhecimento deve ser prático…. A verdade deve ser levada para dentro de seus corações, santificando-os e purificando-os de todo mundanismo e sensualidade na vida mais privada. O templo da alma deve ser purificado.” – Review and Herald, 24 de maio de 1887.

“O maior dos enganos do espírito humano, nos dias de Cristo, era que um mero assentimento à verdade constituísse justiça. Em toda experiência humana, o conhecimento teórico da verdade se tem demonstrado insuficiente para a salvação da alma. Não produz os frutos de justiça. Uma ciosa consideração pelo que é classificado verdade teológica, acompanha frequentemente o ódio pela verdade genuína, segundo se manifesta na vida. Os mais negros capítulos da história acham-se repletos do registro de crimes cometidos por fanáticos adeptos de religiões. Os fariseus pretendiam ser filhos de Abraão, e vangloriavam-se de possuir os oráculos de Deus; todavia, essas vantagens não os preservavam do egoísmo, da maliguidade, da ganância e da mais baixa hipocrisia. Julgavam-se os maiores religiosos do mundo, mas sua chamada ortodoxia os levou a crucificar o Senhor da glória.

“O mesmo perigo existe ainda. Muitos se têm na conta de cristãos, simplesmente porque concordam com certos dogmas teológicos. Não introduziram, porém, a verdade na vida prática. Não creram nela nem a amaram; não receberam, portanto, o poder e a graça que advêm mediante a santificação da verdade. Os homens podem professar fé na verdade; mas, se ela não os torna sinceros, bondosos, pacientes, dominados, tomando prazer nas coisas de cima, é uma maldição a seu possuidor e, por meio de sua influência, uma maldição ao mundo.” – O Desejado de Todas as Nações, pág. 291.

“As tremendas questões da eternidade requerem de nós algo mais que uma religião imaginária – uma religião de palavras e formas, onde a verdade é mantida no pátio exterior, para ser admirada como admiramos uma bela flor; requerem algo mais do que uma religião de sentimento, que deixa a confiança em Deus quando surgem provas e dificuldades. Santidade não consiste em profissão, mas em erguer a cruz, fazendo a vontade de Deus.” – Review and Herald, 21 de maio de 1908.

“Na vida de muitos cujos nomes estão nos livros da igreja não tem ocorrido genuína mudança. A verdade tem sido mantida no pátio exterior. Não tem havido conversão genuína, nenhuma obra positiva da graça feita no coração. 

Seu desejo de realizar a vontade de Deus baseia-se em sua inclinação própria, não em profunda convicção do Espírito Santo. Sua conduta não é posta em harmonia com a lei de Deus. Professam aceitar a Cristo como seu Salvador, mas não crêem que Ele lhes dará poder para vencer os seus pecados. Não têm um relacionamento pessoal com o Salvador vivente, e seu caráter revela muitas manchas.” – Review and Herald, 7 de julho de 1904.

“Nossa esperança deve ser constantemente fortalecida pelo conhecimento de que Cristo é nossa justiça. … A deficiente visão que muitos têm tido do ofício e caráter de Cristo, tem-lhes estreitado a experiência religiosa, prejudicando grandemente o progresso na vida divina. A religião pessoal entre nós como um povo, acha-se em baixo nível. Há muita fama, muita maquinaria, muita religião de boca; mas algo mais profundo e mais sólido precisa ser introduzido em nossa vida religiosa. … O que precisamos é conhecer a Deus e o poder de Seu amor, tal como se acham revelados em Cristo, mediante conhecimento experimental. Por meio dos méritos de Cristo, de Sua justiça, que pela fé nos são imputados, cumpre-nos atingir a perfeição do caráter cristão.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 339-341.” 

 “A aceitação de um credo de uma igreja não tem valor algum para quem quer que seja se o coração não estiver verdadeiramente transformado… . Os homens podem ser membros de igreja, e podem aparentemente trabalhar com zelo, realizando uma rotina de deveres ano após ano, e ainda assim ser inconversos.” – Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899.” 

(Textos extraídos da maravilhosa obra Cristo Nossa Justiça,  do Pr. Arthur G. Daniells, p. 86-90 e 92)

Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento

Testemunho e Serviço

O comentário de Sábado a tarde da lição diz assim:

“O propósito do reavivamento é encher nosso coração com tanto amor por Jesus que almejemos compartilhar esse amor com todas as pessoas. No genuíno reavivamento, nosso coração é despertado para a bondade, compaixão, perdão e poder de Deus. Ficamos encantados por Seu amor e somos transformados por Sua graça. De tal maneira que não podemos ficar em silêncio.

Em contrapartida, um “reavivamento” que focaliza “apenas a experiência espiritual” erra o alvo. Se o reavivamento desenvolve atitudes críticas com relação às pessoas que não estão à altura do nosso “padrão de santidade”, certamente não é inspirado pelo Céu. Se a ênfase do reavivamento é simplesmente mudar o comportamento exterior, em vez de mudar o coração, algo está errado.

O genuíno reavivamento nunca leva ao egocentrismo ou, especialmente, à autossuficiência ou autoexaltação, mas a uma altruísta preocupação com os outros. Quando nosso coração é renovado pela graça de Deus, desejamos abençoar e servir os que estão em necessidade. Todo o reavivamento genuíno leva a uma ênfase renovada na missão e no serviço.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 24 – Lição de Aluno, pág. 42 – Lição de Professor

Temos na lição dessa semana uma definição clara e precisa do genuíno reavivamento e seu propósito. O verdadeiro reavivamento se manifesta em servos de Deus com o coração repleto de amor. Servos de Deus que de forma natural e espontânea, dão testemunho da alegria e satisfação que estão sentindo por terem Cristo reinando no seu coração. Servos de Deus sem egocentrismo, auto suficiência, auto exaltação, espírito de critica ou de julgamento. Nos verdadeiros servos reinam somente amor e o grande desejo de levar a todos a salvação que eles próprios estão desfrutando em Cristo Jesus. Esse é o reavivamento que devemos buscar e que pala graça de Deus, iremos alcançar.

Firmados na necessidade do reavivamento verdadeiro precisamos ter consciência de que não devemos estabelecer nossas “próprias normas” de vida para o testemunho e serviço. Existe uma norma “estabelecida por Deus”. Esta norma não deve ser baixada ou adaptada aos nossos próprios critérios imperfeitos. É a “norma de Deus” e ponto.

Leiamos em oração os textos a seguir:

“Deve ser nosso objetivo sempre alcançar a norma estabelecida por Deus. Devemos erguer-nos acima da gélida atmosfera em que temos vivido até agora, e com a qual Satanás desejaria circundar nossas almas, e respirar na santificada atmosfera do céu.” Review and Herald, 6 de maio 1890 (Cristo Nossa Justça, pág 105)

“Deus requer perfeição moral em todos. Os que receberam luz e oportunidades devem, como mordomos de Deus, aspirar à perfeição, e nunca, nunca baixar a norma de justiça a fim de acomodar tendências herdadas e cultivadas para o mal. Cristo tomou sobre Si nossa natureza humana e viveu nossa vida, para mostrar-nos que podemos ser semelhantes a Ele participando da natureza divina. Podemos ser santos, como Cristo foi santo na natureza humana. Por que, então, há tantos caracteres desagradáveis no mundo? É porque eles não suspeitam que suas maneiras desagradáveis e sua linguagem rude e descortês constituem o resultado de um coração pecaminoso.” Este Dia com Deus – MM 1980, pág. 30

A causa de fracasso dos reavivamentos modernos

“Nas verdades de Sua Palavra, Deus deu aos homens a revelação de Si mesmo; e a todos os que as aceitam servem de escudo contra os enganos de Satanás. Foi a negligência destas verdades que abriu a porta aos males que tanto se estão generalizando agora no mundo religioso. Tem-se perdido de vista, em grande parte, a natureza e importância da lei de Deus. Uma concepção errônea do caráter, perpetuidade e vigência da lei divina, tem ocasionado erros quanto à conversão e santificação, resultando em baixar, na igreja, a norma da piedade. Aqui deve encontrar-se o segredo da falta do Espírito e poder de Deus nos avivamentos de nosso tempo.” Grande Conflito, pág. 465

A norma determinada por Deus é a mesma norma que Cristo viveu no mundo. Logo, Cristo é nosso exemplo perfeito e como Ele devemos viver. Esta norma nos oferece uma comunhão tal com Deus que nossa vida se torna completamente livre da escravidão do pecado, libertação plena do pecado.

É bom frisar que não estamos falando sobre a vida livre da “possibilidade de pecar” antes da glorificação. Estamos falando de vidas livres do pecado enquanto estiverem realmente com Jesus reinando de forma “plena no coração”. Esta é a condição que deverá ser alcançada antes do fechamento da porta da graça por aqueles que desejam subsistir no tempo de angústia. Leiamos o texto a seguir que comprova esta afirmação:

“Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.” O Grande Conflito, pág. 623.

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” 1 Tessalonicenses 5:23

Devemos sempre ter como objetivo alcançar a norma estabelecida por Deus

“O Espírito trabalha no coração do homem de acordo com o seu desejo e consentimento, nele implantando natureza nova; mas a classe representada pelas virgens loucas contentou-se com uma obra superficial.” Parábolas de Jesus, pág. 411

“Lembre-se de que nunca alcançará mais elevada norma que a que se propuser. Fixe pois alto seu alvo e passo a passo, embora com esforços dolorosos, abnegação e sacrifício, subi até ao topo a escada do progresso.” Parábolas de Jesus, pág. 331

“É lei, tanto da natureza intelectual como da espiritual, que, pela contemplação, nos transformamos. O espírito gradualmente se adapta aos assuntos com os quais lhe é permitido ocupar-se. Identifica-se com aquilo que está acostumado a amar e reverenciar. Jamais se levantará o homem acima de sua norma de pureza, de bondade ou de verdade. Se o eu é o seu mais alto ideal, nunca atingirá ele qualquer coisa mais elevada. Antes, cairá constantemente. A graça de Deus unicamente tem poder para soerguer o homem. Abandonado a si mesmo, seu caminho inevitavelmente será em direção descendente.” Grande Conflito, pág. 555

“É uma lei do espírito humano que, pelo contemplar, somos transformados. O homem não se elevará acima de suas concepções sobre a verdade, pureza e santidade. Se o espírito nunca é exaltado acima do nível da humanidade, se não é pela fé elevado a contemplar a sabedoria e o amor infinitos, o homem estará constantemente a submergir mais e mais.” Patriarcas e Profetas, pág. 91

Se tivermos por objetivo alcançar nossas próprias normas e não a norma estabelecida por Deus, o máximo que alcançaremos será nossas normas imperfeitas. Qual deve ser nosso propósito em buscar alcançar a norma “estabelecida por Deus?”

Para responder essa pergunta gostaríamos de chamar a atenção dos irmãos para a última frase do texto da lição de sábado: “Todo o reavivamento genuíno leva a uma ênfase renovada na missão e no serviço”.

Nosso propósito ao buscar o reavivamento genuíno e alcançar a norma estabelecida por Deus, não deve ser, como já foi citado, desenvolver um comportamento critico, de auto exaltação ou qualquer outro atributo que desagrade ao nosso Deus.

Nosso objetivo em buscar o reavivamento genuíno deve ser cumprir a missão e o serviço que o Senhor nos confiou. A missão e o serviço resultam em sermos instrumentos usados pelo Senhor para libertar as pessoas que estão sofrendo nas garras de Satanás. É imprescindível que sejamos luz para que elas possam ver e aceitar a proteção dos braços amorosos de Jesus.

Este mundo é horrível! Desastres naturais, violência, fome, doenças, pessoas sofrendo e morrendo. Devemos ter como objetivo viver  e pregar o evangelho, e assim abreviar a volta de Jesus e o fim desse mundo de tanto sofrimento. O apóstolo Pedro em sua segunda carta expressa assim:

“Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira santa e piedosa, esperando o dia de Deus e apressando a sua vinda. Naquele dia os céus serão desfeitos pelo fogo, e os elementos se derreterão pelo calor. Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça.” 2 Pedro 3:11-13

Esta e a nossa missão e deve ser o nosso maior objetivo cumpri-la.

Algumas citações animadoras para o tempo do fim:

“A boa-nova é que Ele terá uma geração final de homens e mulheres comprometidos a quem usará para completar Sua missão na Terra.” Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pág. 93.

“O mundo que espera e o Universo que assiste devem ver, de uma vez por todas, que a obra da cruz está terminada na vida do povo de Deus. Em outras palavras, Deus deseja desenvolver um grupo de pessoas, no fim dos tempos, que estejam apaixonadas para conhecê-Lo, absolutamente convencidas de que Seu caminho é o melhor e totalmente dispostas a compartilhar o Seu amor com os outros.” Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pág. 45.

“Quando Deus tiver um grupo de pessoas cujo objetivo principal for agradá-Lo, Ele derramará Seu Espírito em abundância. Quando orarmos pelo derramamento do Espírito Santo, nosso objetivo não será ter um derramamento do Espírito Santo, nosso objetivo não será ter um poder sobrenatural. O Espírito Santo dá testemunho de Jesus. Ele glorifica a Jesus em nossa vida (João 15:26; 16:14).” Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pag. 66.

“Quando Deus tiver um povo totalmente comprometido com Jesus, submisso à Sua vontade, revelando Seu caráter amoroso ao mundo, Ele derramará Seu Espírito no poder do Pentecostes para terminar sua obra.” Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pag. 91.

“Todo o Céu nos contempla. A história das eras está brilhando sobre esta geração final de adventistas. Deus quer fazer na vida de cada um de nós “infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos”. Efésios 3:20. “Cristo confiou à igreja um sagrado encargo. Cada membro deve ser um conduto através do qual Deus possa comunicar ao mundo os tesouros da Sua graça, as insondáveis riquezas de Cristo. Não há nada que o Salvador deseje tanto como agentes que representem ao mundo Seu Espírito e Seu caráter. Nada existe que o mundo necessite mais do que a manifestação do amor do Salvador através da humanidade. Todo o Céu está a espera de homens e mulheres cujo intermédio Deus possa revelar o poder do cristianismo. (Atos dos Apóstolos, p. 600)”.” Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pag. 83.

O que o Senhor está esperando?

“Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.” Parábolas De Jesus pág. 69

Como a missão que o Senhor nos confiou será cumprida?

“Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro a fim de proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes. […]  A mensagem há de ser levada não tanto por argumentos como pela convicção profunda do Espírito de Deus.” Grande Conflito pág., 612; Mark Finley, O Reavivamento Prometido, pag. 83.

Deus seja Louvado!

Gente como Jesus

111

Textos extraídos da Meditação Matinal: FILHOS E FILHAS DE DEUS, 1956, pág. 154-156

Perfeitos como Cristo é Perfeito

E, sendo Ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que Lhe obedecem. Heb. 5:9.

Como o Filho de Deus nosso Salvador assumiu a verdadeira natureza humana. Somos filhos e filhas de Deus. A fim de saber como nos conduzir circunspectamente, precisamos seguir o caminho indicado pelos passos de Cristo. Por trinta anos Ele viveu a vida de um homem perfeito, satisfazendo a mais elevada norma de perfeição. Carta 89, 1897. Nossa obra é esforçar-nos por atingir, em nossa esfera de ação, a perfeição que Cristo alcançou em Sua vida terrestre, em todos os aspectos do caráter. Manuscrito 253.

Para avançarmos sem tropeçar, precisamos ter a certeza de que uma mão onipotente nos susterá, e uma piedade infinita é exercida em nosso favor, caso venhamos a cair. Unicamente Deus é capaz de ouvir em todo tempo nosso grito de socorro. Solene é o pensamento de que a remoção de uma única salvaguarda da consciência, o deixar de cumprir uma boa resolução, a formação de um hábito errôneo, pode trazer em resultado, não somente nossa própria ruína, mas a dos que em nós confiaram. Nossa única segurança é seguir os passos do Mestre, confiar implicitamente quanto à proteção nAquele que diz: “Segue-Me.” Nossa contínua oração deve ser: “Dirige os meus passos nos Teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem.” Sal. 17:5. Signs of the Times, 28 de julho de 1881.

Toda faculdade com que o Criador nos dotou, deve ser cultivada ao mais alto grau de perfeição, para que estejamos aptos a fazer a maior quantidade de bem de que sejamos capazes. Para purificar e refinar nosso caráter, precisamos a graça de Cristo a nós dada, a qual nos habilitará a ver e corrigir nossas deficiências, e aperfeiçoar o que há de excelente em nosso caráter. Pacific Health Journal, abril de 1890.

O Filho de Deus era irrepreensível. Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita. Testimonies, vol. 3, pág. 336.

Santos Como Cristo é Santo

Sede santos, porque Eu sou santo. I Ped. 1:16.

Com o limitado poder que temos, cumpre-nos ser tão santos em nossa esfera, como Deus na Sua. Review and Herald, 1° de novembro de 1892. Deus espera que edifiquemos caráter de acordo com a norma que pôs diante de nós. Devemos colocar um tijolo após o outro, acrescentando graça a graça, descobrindo nossos pontos fracos, e corrigindo-os de acordo com as orientações dadas. Quando se vê uma fenda nas paredes de uma mansão, sabemos que algo está errado no edifício. Na edificação de nosso caráter, freqüentemente vêem-se fendas. A não ser que tais defeitos sejam remediados, a casa ruirá quando a tempestade da prova a atingir.

Deus nos dá força, a faculdade do raciocínio, tempo, para que possamos construir caráter sobre o qual Ele possa colocar o selo de Sua aprovação. Deseja que cada um de Seus filhos forme um caráter nobre, pela realização de atos nobres e puros, para que afinal possa apresentar uma estrutura simétrica, um belo templo honrado pelo homem e por Deus. Na edificação de nosso caráter, devemos edificar sobre Cristo. Ele é o fundamento seguro – fundamento que jamais poderá ser abalado. A tempestade da tentação e da prova não pode abalar o edifício que está cravado na Rocha Eterna.

Aquele que se quer transformar num belo edifício para o Senhor deve cultivar cada faculdade do ser. Somente pelo devido uso dos talentos é que o caráter se pode desenvolver harmoniosamente. Trazemos assim para o fundamento aquilo que na Palavra é representado como ouro, prata, pedras preciosas – material que suportará a prova dos fogos purificadores de Deus. Orientação da Criança, págs. 165 e 166. Santidade… é inteira entrega da vontade a Deus; é viver por toda a palavra que sai da boca de Deus; é fazer a vontade de nosso Pai celestial; é confiar em Deus na provação, tanto nas trevas como na luz; é andar pela fé e não pela vista; é apoiar-se em Deus com indiscutível confiança, descansando em Seu amor. Atos dos Apóstolos, pág. 51.

Vencer como Cristo Venceu

Tenho-vos dito isso, para que em Mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo. João 16:33.

Satanás atacou mais fortemente a Cristo do que nunca o fará a nós. Muito era o que se achava em jogo na pessoa de Cristo – se Este ou Satanás seria vencedor. Se Cristo resistisse a suas mais poderosas tentações, e Satanás não conseguisse levá-Lo a pecar, sabia que devia perder o poder de que dispunha, e ser afinal castigado com a destruição eterna. Portanto Satanás trabalhava com grande poder para levar Cristo a praticar uma ação injusta, pois assim obteria vantagem sobre Ele. … Nunca podereis ser tentados de maneira tão decidida e cruel como foi nosso Salvador. Satanás estava no Seu encalço a todo momento. The Youth’s Instructor, abril de 1873.

Apoderar-se-á o homem do poder divino e, com decisão e perseverança resistirá a Satanás, como Cristo lhe deu o exemplo em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação? Deus não pode, contra vontade do homem, salvá-lo do poder das artimanhas de Satanás. O homem deve agir com sua força, ajudado pelo poder de Cristo, de modo a resistir e vencer seja qual for o custo para si. Em suma, o homem deve vencer como Cristo venceu. E então, pela vitória que é seu privilégio obter pelo todo-poderoso nome de Jesus, pode-se tornar herdeiro de Deus e co-herdeiro de Jesus Cristo. Tal não seria o caso, se Cristo sozinho alcançasse a vitória. O homem deve fazer sua parte; ele deve ser vencedor por si mesmo, mediante a força e a graça que lhe são dadas por Cristo. O homem precisa ser cooperador de Cristo na obra de vencer, e então será co-participante de Cristo em Sua glória. Testimonies, vol. 4, págs. 32 e 33.

O Salvador venceu para mostrar ao homem como ele pode vencer. Todas as tentações de Satanás, Cristo enfrentava com a Palavra de Deus. Confiando nas promessas divinas, recebia poder para obedecer aos mandamentos de Deus, e o tentador não podia alcançar vantagem. A Ciência do Bom Viver, pág. 181.

Em Seu nome, pela Sua graça, o homem pode ser vitorioso, da mesma maneira por que Cristo o foi. The Youth’s Instructor, 30 de junho de 1892.

A Palavra: a base do reavivamento

Palavra Luz

Somos criacionistas, por isso acreditamos que todas as coisas foram criadas por Deus. Nós, Adventistas do 7° Dia, acreditamos também que o Senhor criou todas as coisas aqui na Terra  em 6 dias, descansou no 7°, abençoou-o e santificou-o. (Gênesis 2:7).

Leiamos a seguir um texto esclarecedor da lição da escola sabatina desta semana, reafirmando nossa crença  no poder de criação da palavra de Deus:

“Há valor sábio conselho do ser humano. Todos já fomos ajudados pelos conselhos de outros. O problema é que o conselho humano não tem o poder de realizar a transformação que a Palavra de Deus opera. A Palavra de Deus é um vivo, dinâmico e poderoso agente de transformação. O mesmo poder que estava na palavra  pronunciada por Deus na criação está na Palavra escrita de Deus. Ao aceitar os mandamentos e promessas de Deus pela fé, recebemos o poder do Espírito Santo para fazer a vontade de Cristo.

“A energia criadora que trouxe à existência os mundos está na Palavra de Deus. Essa Palavra comunica poder e gera vida. Cada ordenança é uma promessa; aceita voluntariamente, recebida na alma, traz consigo a vida do Ser infinito. Transforma a natureza restaurando-a à imagem de Deus.” (Ellen G. White, Educação, p. 126)

Uma leitura casual da Palavra de Deus muito raramente produz reavivamento espiritual. Estudar a Bíblia para provar uma teoria, ou para convencer alguém de seus erros, produz bem pouco beneficio para nossa vida espiritual. A transformação ocorre quando em oração lemos a Palavra de Deus, pedindo que o Espírito Santo nos dê poder para ser mais semelhantes a Jesus. A verdadeira transformação acontece quando pedimos que o Deus da Criação no recrie à Sua imagem. A mudança ocorre quando os ensinamentos de Jesus nas Escrituras se tornam parte de nossa vida, e vivemos “de toda palavra que procede da boca de Deus” (MT 4:4).” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 19 – Lição de Aluno, pág. 31 – Lição de Professor

 Ele confirma nossa crença no poder de criação da palavra pronunciada pelo Senhor e afirma de que existe o mesmo poder em Sua palavra escrita. Este poder na palavra escrita de Deus pode nos recriar e restaurar em nós a imagem de Deus. Deus seja louvado!

Não é isto realmente maravilhoso?

Da mesma forma que Deus que criou todas as coisas perfeitas, inclusive o homem perfeito, pelo poder de Sua palavra pronunciada, pode HOJE manifestar o mesmo poder através da palavra escrita e restaurar em nós a perfeição de caráter para nossa libertação da escravidão do pecado e restaurando em nós a imagem divina.

Louvado seja o Senhor! Isto significa que o mesmo poder que criou o homem livre do pecado, está a disposição HOJE, para libertá-lo. Assim o homem livre e transformado passa a viver em comunhão contínua, livre do pecado, enquanto estiver realmente fortalecido pela palavra de Deus.

Podemos agora entender melhor o porquê de Davi inspirado pelo Senhor escrever:

“Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” Salmos 119:11

E entendemos ainda mais quando a serva do Senhor afirma que não existe desculpa para pecar:

 “A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 311.

 Não haverá reavivamento se o pecado reinar em nossa vida. Há poder na oração e na Palavra de Deus para nossa libertação. A grande verdade é que, se estamos nos arrastando no pecado, é porque estamos negligenciando ou rejeitando o poder oferecido pelo Senhor que está a nossa disposição para nos libertar e restaurar como afirma o texto a seguir:

“Hebreus capítulo 4 está repleto de significado, especialmente o verso 12. Cada expressão, é significativa. Cada palavra é cheia de riquezas. Vamos estudá-lo, expressão por expressão, sentindo seu impacto prático em nossa vida hoje. “A Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes.” A Bíblia é a Palavra escrita, e Jesus é a Palavra viva (Jo 1:1,14). Jesus é o Verbo que Se fez carne. Se você quiser  descobrir como se parece a Palavra vivida na humanidade, olhe para Jesus. Sua Palavra é viva e concede vida. É uma palavra criadora (Sl 33:6,9). Na Palavra, encontramos o Cristo vivo por meio de Seu Espírito, e ele transforma nossa vida. Sua Palavra é eficaz. A palavra grega traduzida como eficaz e energes, da qual temos a palavra energia. Como Ellen G. White tão apropriadamente afirma: “A energia criadora que trouxe à existência os mundos, está na Palavra de Deus. Essa Palavra comunica poder e gera vida. Cada ordenança é uma promessa; aceita voluntariamente, recebida na alma, traz consigo a vida do Ser infinito. Transforma a natureza, restaurando-a à imagem de Deus” (Educação, p. 126). Recriação requer o poder de criação, e esse  poder e encontrado na palavra de Deus.
A imagem de uma espada afiada ou de uma “espada de dois gumes” é uma expressão comum para Palavra de Deus (Ef 6:17;  Ap 1:16; 19:13-15). Essa expressão é seguida em Hebreus 4:12 por três pares: 1) alma e espírito; 2) juntas e medulas; 3) pensamentos e propósitos. Um estudo cuidadoso desses pares revela a profundidade de seu significado. Alma e espírito representam as faculdades espirituais; juntas e medulas as habilidades físicas; pensamentos e propósitos as faculdades mentais. A lição é que a palavra de Deus tem a capacidade criadora para transformar nossa natureza. Ela rege cada aspecto da vida e comportamento humanos.” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 37-38, (Comentário adicional na lição de professores)

Diante de tantas evidencias de que existe poder para restaurar em nós a imagem divina, fica difícil entender o porquê de sermos tão relutantes em acreditar que é possível para nós, agora, a libertação do pecado.

Tenhamos sabedoria, Irmãos! Oremos pedindo ao Senhor que aumente a nossa fé, que Ele elimine nossa cegueira espiritual para que possamos ver e aceitar a grande obra de restauração e de libertação do pecado. É uma obra maravilhosa que o Senhor quer realizar em nossa vida para que estejamos realmente preparados para volta do nosso Senhor Jesus.

“Assim como o sincero estudo da Bíblia gerou movimentos reavivamentistas no passado, acreditamos que isso acontecerá novamente nos últimos dias. O Espírito Santo Se moverá sobre uma geração de cristãos adventistas comprometidos que descobriram na Palavra de Deus a vontade dEle e tem paixão por anunciá-la ao mundo. Eles encontrarão graça, força e esperança em Sua Palavra e nela descobrirão os encantos incomparáveis de Cristo. Por isso, Deus honrará seu comprometimento derramando o Espírito Santo em abundância sobre eles e todo o mundo será iluminado com a glória da mensagem dos três anjos. O Espírito Santo será derramado sem medida, o evangelho será levado aos confins da Terra e Jesus Cristo voltará (Mat. 24:14).” Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 17 – Lição de Aluno, pág 29 – Lição de Professor

“Os que se esforçam por obedecer a todos os mandamentos de Deus defrontarão oposição e escárnio. Apenas em Deus ser-lhes-á possível subsistir. A fim de suportarem a prova que diante deles está, devem compreender a vontade de Deus como se acha revelada em Sua Palavra; poderão honrá-Lo, unicamente, tendo uma concepção correta de Seu caráter, governo e propósitos, e agindo de acordo com estes. Pessoa alguma, a não ser os que fortaleceram o espírito com as verdades da Escritura, poderá resistir no último grande conflito.” O Grande Conflito, p. 593 – Lição E. S. 3° Trim. 2013, pág. 23 – Lição de Aluno, pág 35 – Lição de Professor

 O que a Palavra de Deus pode fazer em nossa vida:

“Olhando sempre a Jesus com os olhos da fé, seremos fortalecidos. Deus fará as mais preciosas revelações a Seu povo faminto e sequioso. Verificarão que Cristo é um Salvador pessoal. Ao alimentarem-se de Sua palavra, acharão que ela é espírito e vida. A palavra destrói a natureza carnal, terrena, e comunica nova vida em Cristo Jesus. O Espírito Santo vem ter com a alma como Consolador. Pela transformadora influência de Sua graça, a imagem de Deus se reproduz no discípulo; torna-se uma nova criatura. O amor toma o lugar do ódio, e o coração adquire a semelhança divina. É isto que significa viver “de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Isto é comer o Pão que desce do Céu.” O Desejado de Todas as Nações, p. 391

“A vida espiritual precisa ser mantida pela comunhão com Cristo por meio de Sua Palavra. A mente precisa deter-se nela, o coração dela encher-se. A Palavra de Deus entesourada no coração e santamente nutrida e obedecida, por meio do poder da graça de Cristo pode tornar o homem justo, e justo conservá-lo; mas toda influência humana, toda invenção terrena é destituída de poder para comunicar força e sabedoria ao homem. Não pode refrear a paixão, ou corrigir a deformidade do caráter. A menos que a verdade de Deus reja o coração, a consciência é deformada. Nessas sociedades mundanas todavia a mente é desviada da Palavra de Deus. Os homens não são levados a torná-la seu estudo e o guia da vida.” Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 125

 “Riquezas, honras terrestres e humana grandeza nunca poderão salvar uma alma da morte; Jesus Se propôs que nenhuma atração de natureza terrena levasse homens ao Seu lado. Unicamente a beleza da verdade celeste devia atrair os que O seguissem. O caráter do Messias fora desde há muito predito na profecia, e era Seu desejo que os homens O aceitassem em razão do testemunho da Palavra de Deus.” O Desejado de Todas as Nações, p. 43

Devemos considerar como sendo um privilégio nosso a oportunidade de revelar para o mundo o poder de criação existente na Palavra pronunciada de Deus. Como faremos isto? Revelando AGORA para todos, pelo nosso testemunho de uma vida completamente santificada, o mesmo poder transformador e restaurador existente na Palavra escrita de Deus. Será assim que a Terra será iluminada com os servos de Deus restaurados e transformados revelando o caráter de Cristo.

Deus seja louvado!

Carne versus Espírito

Carne versus Espírito

“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3:3

“O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.” João 3:6

É interessante observar nestes versos a condição divina para sermos dignos de ver o reino de Deus. Não deve ser teoria, precisa prática. Tem que haver novo nascimento no Senhor Espírito Santo.

É notável quando a pessoa nasce no Senhor Espírito Santo: “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.” Mateus 7:20. Quem não nasceu ainda continua produzindo frutos da carne e quem nasceu, produz o fruto do Espírito.

Notemos as diferenças dos frutos:

Frutos da carne

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5:19-21

Frutos do Espírito

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.” Gálatas 5:22-23

Nosso maravilhoso Deus nos chama para um novo nascimento, uma nova vida gerada do Senhor Espírito Santo. A natureza humana está pervertida, nascemos com tendências para o mal, produzimos naturalmente os frutos da carne, “adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas.” Se almejamos realmente a salvação devemos buscar o novo nascimento e no poder de Deus, renovar essa experiência diariamente e viver pelo Espírito de Deus. Um novo homem com um novo coração, agora governado pela graça de Deus. Novos desejos e novos propósitos. Uma vida que realmente glorifica nosso Deus.

Pendor da carne e o pendor do Espírito

“Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” Romanos 8:5-9

A palavra de Deus é muito clara. Diante deste texto devemos analisar individualmente a condição que vivo e então descobrir se estou andando segundo a carne ou segundo o Espírito.

1)     Estou andando segundo a carne tornando-me inimigo de Deus? Minhas inclinações canais me fazem viver em pecado, sem observância à lei de Deus sabendo que isto resultará em morte eterna?

2)     Estou andando segundo o Espírito, com inclinações espirituais que me guardam de pecar, fortificando-me para as coisas de Deus que me conduz para a vida e para a paz que realmente agrada a Deus tendo Sua lei escrita em meu coração?

Devo aceitar estas importantes verdades da palavra de Deus. Se realmente o Senhor Espírito Santo habita em mim eu não estarei na carne ou dominado pela carne. Também devo saber que eu não pertenço a Cristo se o Espírito de Deus não estiver em mim, dominando minha vida.

Para o cristão verdadeiro – andar dominado pelas paixões da carne tem que ser coisa do passado.

“Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Romanos 8:4

“Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.” Romanos 7:5

“Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.” Efésios 2:3

Vitória sobre a carne e vida no Espírito

Na palavra de Deus encontramos muitos textos nos orientando qual o caminho que devemos seguir para alcançarmos uma vida vitoriosa no poder de Deus. Vejamos:

Cristo nos fortalece:

 “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.” Filipenses 4:13

O Espírito Santo nos regenera:

“Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador.” Tito 3:5-6

A graça de Deus se manifesta trazendo salvação nos remindo de toda iniquidade:

 “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,
Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

Deus seja louvado pelo que já fez e pelo que deseja fazer em nós.

Outros textos para nossa reflexão e oração:

  “Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.”  Efésios 5:17-18

“Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”  João 15:4-5

 “E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera.” Efésios 3:19-20

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” Gálatas 5:16

Não podemos nos acomodar em uma vida de escravos do pecado e dominados pelas paixões da carne. Deus pode nos libertar e nos restaurar. Busquemos no Senhor esta libertação e restauração em tempo oportuno.

“Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” 2 Coríntios 10:3-5

“Ora, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado; para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus.” 1 Pedro 4:1-2

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.” Gálatas 5:22-25

Como filhos de Deus não podemos ficar arrumando desculpas para uma vida escravizada no pecado. Deus deseja e tem poder para mudar até nossa natureza humana. Nossas tendências carnais devem ser vencidas e subjugadas pelo poder de Deus.

Queridos irmãos, busquemos no Senhor o poder que Ele nos concede para uma vida completamente livre do pecado. Deixemos Deus agir onde não temos condições de mexer.

“E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal.” 2 Coríntios 4:11

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.”  2 Coríntios 5:17

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”  Gálatas 2:20

Deus seja sempre louvado!