Archive for fevereiro \21\UTC 2013|Monthly archive page

Salvos pela graça não pelas obras

SALVAO~1Não é raro vermos as pessoas que acreditam ser possível para o homem pelo poder de Deus ficar livre da escravidão do pecado, serem acusadas de estarem ensinando salvação pelas obras ou a possibilidade do homem atingir alguma condição na qual não precise mais de Jesus.

Este artigo tem como objetivo deixar muito claro que não pregamos salvação pelas obras e muito menos que o homem de alguma forma em algum tempo não precisará mais de Jesus. Somos salvos unicamente pela graça e sempre precisaremos de Jesus. O homem nunca atingirá algum estágio no qual ele não precise mais de Jesus.

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”  Mateus 1:21

Somos salvos por Jesus o que precisamos compreender é que Jesus nos salva dos nossos pecados. É neste detalhe que temos dificuldade de entender e aceitar. Parece que  quereremos a salvação apenas das consequências dos pecados e não dos próprios pecados. Na verdade nos acomodamos no pecado. Gostamos do pecado. Mas pecado nos prende e nos escraviza.

Quanto ao ímpio, as suas iniquidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.” Provérbios 5:22

“Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.” João 8:34

Em Jesus podemos ter a libertação: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32

  • Salvação pela graça

“Sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no Seu sangue, para demonstrar a Sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; para demonstração da Sua justiça neste tempo presente, para que Ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.” Rom. 3:24-26.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.” Efés. 2:8 

  • Como a graça atua na vida do homem.

Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

A graça de Deus se manifesta na vida do homem o renovando. Faz com que ele passe a viver livre do pecado. Assim o Senhor purifica para Si um povo “zeloso de boas obras.” 

As obras não são um meio de salvação, mas sim o resultado da salvação. O homem salvo pela graça, salvo por Jesus terá em sua vida obras que são o resultado da atuação do Senhor Espírito Santo na vida:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5:22

  • Participantes da natureza divina.

Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude; pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.”  2 Pedro 1:3-4

 Quando o homem mediante o poder de Deus se torna participante da natureza divina ele é libertado “da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.”

Lembrando que essa liberdade só será mantida enquanto esse homem estiver com Jesus, vivendo completamente ao lado dEle. Porque Jesus nos disse: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”  João 15:5

“Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.” 1 João 1:8

“Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” 1 João 1:10

Em 1João 1:8 e 1 João 1:10 vemos a condição de pecadores que devemos reconhecer para termos uma compreensão clara do quanto necessitamos de Cristo para nossa salvação.

Os próximos textos nos revelam o tipo de vida daqueles que realmente estão ao lado de Jesus:

  • “Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu.” 1 João 3:6
  • “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.” 1 João 3:9
  •  “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes,  Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1 João 5:18
  • “Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” 1 João 2:4

Devemos compreender que 1 João 2:4 não tem aplicação apenas para aqueles que esqueceram do mandamento do sábado.

Convido meus irmãos para lerem nos próximos textos escritos pela serva do Senhor, Ellen G. White, onde vemos a graça de Deus salvando homens pecadores, transformando-os em fiéis servos de Deus, homens livres da escravidão do pecado. Deus seja para sempre louvado!

“Conquanto tenhamos de estar em harmonia com a lei de Deus, não somos salvos pelas obras da lei; contudo, não podemos ser salvos sem obediência. A lei é a norma pela qual é avaliada o caráter. Mas não podemos absolutamente guardar os mandamentos de Deus sem a graça regeneradora de Cristo. Só Jesus pode purificar-nos de todo pecado. Ele não nos salva pela lei, nem nos salvará na desobediência à lei.” Fé e Obras, pág. 95

“Jovens amigos, estais destinados ao juízo, e pela graça de Cristo podeis prestar obediência aos mandamentos de Deus, e adquirir a cada dia fortaleza e resistência de caráter, de modo que não necessitais falhar ou desanimar-vos. A graça divina foi abundantemente provida para cada pecador, de modo que cada um se possa empenhar no conflito e sair vitorioso. Não vos torneis indolentes; não vos lisonjeeis de que podereis ser salvos andando segundo os traços naturais de vosso caráter – que podereis ir conforme a corrente do mundo, e condescender com o próprio eu e agradar-lhe, e todavia ser capazes de resistir às forças do mal em tempo de crise, e sair vitoriosos no aceso da luta. … Precisais aprender cada dia a obedecer às ordens do Comandante dos exércitos do Senhor. The Youth’s Instructor, 7 de novembro de 1895. Nossa Alta Vocação, pág. 74

 

“A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção. “Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Efés. 2:8. Mas “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tia. 2:17. Jesus disse de Si mesmo, antes de descer à Terra: “Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:8. E justamente antes de ascender para o Céu, declarou: “Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no Seu amor.” João 15:10. Diz a Escritura: “Nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou.” I João 2:3 e 6. “Pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Ped. 2:21. A condição de vida eterna é hoje justamente a mesma que sempre foi – exatamente a mesma que foi no paraíso, antes da queda de nossos primeiros pais – perfeita obediência à lei de Deus, perfeita justiça. Se a vida eterna fosse concedida sob qualquer condição inferior a essa, correria perigo a felicidade do Universo todo. Estaria aberto o caminho para que o pecado, com todo o seu cortejo de infortúnios e misérias, se imortalizasse.” Caminho a Cristo, pág. 62-63

“Graça é favor imerecido, e o crente é justificado sem qualquer mérito seu próprio, sem nenhum direito a alegar a Deus. É ele justificado pela redenção que há em Cristo Jesus, que está nas cortes do Céu como substituto e penhor do pecador. Mas, conquanto seja justificado por virtude dos méritos de Cristo, não é ele livre para praticar a injustiça. A fé opera por amor e purifica a alma. A fé desabrocha e floresce e traz uma colheita de fruto precioso. Onde há fé, aparecem as boas obras. Os doentes são visitados, cuidados os pobres, não se negligenciam os órfãos e as viúvas, são vestidos os desnudos, alimentados os pobres. Cristo andou fazendo o bem, e quando homens a Ele se unem, amam os filhos de Deus, e a mansidão e a verdade lhes guiam os passos. A expressão do semblante revela sua experiência, e os homens os conhecem como os que estiveram com Jesus e dEle aprenderam. Cristo e o crente tornam-se um, e Sua formosura de caráter se revela naqueles que se acham vitalmente ligados com a Fonte de poder e amor. Cristo é o grande depositário da justificadora justiça e da graça santificante.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 398

“A graça de Cristo e a lei de Deus são inseparáveis. Em Jesus a misericórdia e a verdade se encontraram, a justiça e a paz se beijaram. Em Sua vida e caráter Ele não só revela o caráter de Deus, mas a possibilidade do homem. Era Ele o representante de Deus e o exemplo da humanidade. Apresentou ao mundo o que a humanidade poderia tornar-se quando, pela fé, unida à divindade. O Filho unigênito de Deus tomou sobre Si a natureza do homem, plantando Sua cruz entre a Terra e o Céu. Pela cruz o homem foi atraído para Deus, e Deus para o homem. A justiça transferiu-se de sua elevada e respeitável posição, e as cortes celestiais, os exércitos da santidade, achegaram-se à cruz, prostrando-se com reverência; pois junto da cruz foi satisfeita a justiça. Pela cruz o pecador foi atraído para fora da fortaleza do pecado, da confederação do mal, e a cada nova aproximação da cruz seu coração se abranda e em penitência ele brada: “Foram meus pecados que crucificaram o Filho de Deus.” Junto da cruz abandona ele seus pecados, e pela graça de Cristo transforma-se o seu caráter. O Redentor ergue do pó o transgressor e coloca-o sob a guia do Espírito Santo. Ao contemplar o Redentor, encontra o pecador esperança, certeza e alegria. A fé apega-se amorosamente a Cristo. A fé opera pelo amor e purifica a alma.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 349

O Senhor deu Seu Filho unigênito para resgatar-nos do pecado. Somos feitura dEle, somos Seus representantes no mundo, e Ele espera que revelemos o verdadeiro valor do homem por nossa pureza de vida e pelos fervorosos esforços para recuperar a pérola de grande valor. Nosso caráter deve ser moldado de acordo com a semelhança divina e reformado pela fé que atua por amor e purifica o coração. A graça de Deus embelezará, enobrecerá e santificará o caráter. O servo do Senhor que trabalha inteligentemente será bem-sucedido. Nosso Salvador disse: Ele fará maiores obras do que estas; “porque Eu vou para junto do Pai.” João 14:12. EXALTAI-O pág. 48

“As condições do “velho concerto” eram: Obedece e vive – “cumprindo-os [estatutos e juízos] o homem, viverá por eles” (Ezeq. 20:11; Lev. 18:5); mas “maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei”. Deut. 27:26. O “novo concerto” foi estabelecido com melhores promessas: promessas do perdão dos pecados, e da graça de Deus para renovar o coração, e levá-lo à harmonia com os princípios da lei de Deus. “Este é o concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a Minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração. … Porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais Me lembrarei dos seus pecados.” Jer. 31:33 e 34. A mesma lei que fora gravada em tábuas de pedra, é escrita pelo Espírito Santo nas tábuas do coração. Em vez de cuidarmos em estabelecer nossa própria justiça, aceitamos a justiça de Cristo. Seu sangue expia os nossos pecados. Sua obediência é aceita em nosso favor. Então o coração renovado pelo Espírito Santo produzirá os “frutos do Espírito”. Mediante a graça de Cristo viveremos em obediência à lei de Deus, escrita em nosso coração. Tendo o Espírito de Cristo, andaremos como Ele andou.” Patriarcas e Profetas, pág. 372

Os salvos em Cristo devem permanecer nEle! A vida destes salvos deve estar em conformidade com a vida do Salvador. Oremos para que todos sejamos revestidos de seu amor e vivamos para demonstrar a vontade de estar com Ele eternamente… Deus seja louvado sempre em nossa vida!

Anúncios

Atalaias do Senhor

  • Trombeta ao MundoIntenção de Satanás – Satanás quer prender os homens no pecado até que seja tarde de mais.

“O grande conflito entre Cristo e Satanás, que tem prosseguido durante quase seis mil anos, logo deve terminar; e o maligno redobra seus esforços para frustrar a obra de Cristo em prol do homem, e prender as almas em suas ciladas. Reter o povo em trevas e impenitência, até que termine a mediação do Salvador e não mais haja sacrifício pelo pecado, é o objetivo que ele procura realizar. Não se fazendo um esforço especial para resistir ao seu poder, prevalecendo a indiferença na igreja e no mundo, Satanás não se preocupa; pois que não se acha em perigo de perder os que está levando em cativeiro, à sua vontade. Mas ao ser chamada a atenção para as coisas eternas, e almas indagarem: “Que é necessário que eu faça para me salvar?” ele está a postos, procurando opor seu poder ao de Cristo, e neutralizar a influência do Espírito Santo.” Grande Conflito, pág. 518

“O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador. Quando a indiferença prevalece entre os cristãos, Satanás não se preocupa. Mas quando as pessoas indagam: “O que é necessário fazer para ser salvo?”, ele procura opor seu poder ao de Cristo e neutralizar a influência do Espírito Santo.” A Grande Esperança, pág. 26

Mas, se quando o atalaia vir que vem a espada, e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo, e a espada vier, e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniquidade, porém o seu sangue requererei da mão do atalaia. A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois ouvirás a palavra da minha boca, e lha anunciarás da minha parte”.  Ezequiel 33:6-7

Atalaias, vigias ou sentinelas eram as pessoas que as ficavam sobre os muros das cidades alertando o povo ao sinal de qualquer perigo que os ameaçasse. Atalaias do Senhor são pessoas que devem alertar a igreja, o povo de Deus dos perigos existentes e das intenções malignas do inimigo.

Vimos que é intenção do inimigo prender os homens em trevas e sem arrependimento até que termine a intercessão do Salvador, prendendo-os em trevas, sem abandonarem seus pecados. Satanás sabe que aqueles que estiverem em impenitência ou no pecado até o momento que já não existir mediador, estarão perdidos para sempre.

Onde estão os “atalaias” que deveriam estar alertando nosso povo? Os atalaias deveriam estar alertando as pessoas quanto ao fato do inimigo estar tentando prender as pessoas no pecado até que termine o tempo da graça. Parece que os atalaias estão dormindo diante de uma situação que pode levar muitos para a perdição. Misericórdia Senhor!

Devemos orar muito. Estudar muito. Nossa salvação deve ser prioridade para nós assim como foi para  Jesus que pagou o preço de Sua vida por nós. Precisamos acordar para que, cheios do Espírito Santo, sermos instrumentos nas mãos do Senhor, orientando nossos irmãos para que não sejam enganados pelas artimanhas do inimigo.

 “Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados.” Isaías 58:1

  • Os “atalaias” não serão populares.

Os mensageiros de Deus não serão aceitos pela maioria. Serão chamados de fanáticos, extremistas e outras coisas mais… Vejamos os textos a seguir que comprovam essa afirmação:

“Hoje, como nos séculos anteriores, a apresentação de qualquer verdade que reprove os pecados e erros dos tempos, suscitará oposição. “Todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.” João 3:20. Ao verem os homens que não podem sustentar sua atitude pelas Escrituras, decidir-se-ão muitos a mantê-la a todo transe, e, com espírito mau, atacam o caráter e intuitos dos que permanecem na defesa da verdade impopular. É o mesmo expediente que tem sido adotado em todos os tempos. Elias foi acusado de ser o perturbador de Israel, Jeremias de traidor, Paulo de profanador do templo. Desde aquele tempo até hoje, os que desejam ser fiéis à verdade têm sido denunciados como sediciosos, hereges ou facciosos.” Grande Conflito, pág. 458

“A Reprovação Desperta o Ódio”

“O mesmo espírito que produziu a rebelião no Céu, ainda inspira a rebelião na Terra. … A reprovação do pecado suscita ainda o espírito de ódio e resistência. Quando a consciência é advertida pelas mensagens divinas, Satanás leva os homens a justificar-se e a procurar a simpatia de outros em seu caminho de pecado. Em vez de corrigirem seus erros, indignam-se contra aquele que reprova, como se fora ele a causa única da dificuldade. Desde os dias do justo Abel até ao nosso tempo, este é o espírito que tem sido manifestado para com os que ousam condenar o pecado. O Grande Conflito, pág. 500.” Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, pág. 525

  • O que o Senhor espera de nós e dos líderes de nossa igreja.

O Senhor declara a todos os ministros: “A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da Minha boca e lha anunciarás da Minha parte.” Ezeq. 33:7. … Estas palavras do profeta declaram a solene responsabilidade que repousa sobre os que são designados como vigias da igreja, mordomos dos mistérios de Deus. […] Têm os sentinelas sobre os muros de Sião o privilégio de viver tão perto de Deus, e ser tão susceptíveis às impressões de Seu Espírito, que Ele possa operar por meio deles, para avisar os pecadores do perigo que correm, indicando-lhes o lugar de segurança. Obreiros Evangélicos, págs. 13-15. (Maravilhosa Graça, pág. 26)

“Mas, se quando o atalaia vir que vem a espada, não tocar a trombeta, e não for avisado o povo; se a espada vier, e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniquidade, mas o seu sangue demandarei da mão do atalaia. A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da Minha boca, e lha anunciarás da Minha parte. Se Eu disser ao ímpio: ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para desviar o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniquidade, mas o seu sangue Eu o demandarei da tua mão. Mas, quando tu tiveres falado para desviar o ímpio do seu caminho, para que se converta dele, e ele se não converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniquidade, mas tu livraste a tua alma.” Ezeq. 33:6-9. (Testemunhos Seletos vol. 2, pág. 297-298)

“Os que apresentam a verdade não devem entrar em qualquer controvérsia. Devem pregar o evangelho com tamanha fé e com tanto fervor que o interesse seja despertado. Pelas palavras que falam, as orações que fazem, a influência que exercem, devem semear sementes que produzirão fruto para a glória de Deus. Não deve haver vacilação. A trombeta tem que dar o sonido certo. A atenção do povo deve ser atraída para a mensagem do terceiro anjo. Os servos de Deus não devem agir à semelhança de sonâmbulos, mas como homens que se preparam para a volta de Cristo.” Review and Herald, 2 de março de 1905. Evangelismo, pág. 119

“Os atalaias sobre os muros de Sião devem ser vigilantes e não dormir nem de dia nem de noite. Mas se não receberam a mensagem dos lábios de Cristo, suas trombetas darão sonido incerto. Irmãos e irmãs, Deus os chama, tanto a pastores quanto a leigos, a Lhe ouvirem a voz, que lhes fala por meio de Sua Palavra. Seja a Sua verdade recebida no coração, para que vocês se tornem espirituais por Seu poder vivo e santificador. Então se transmita a distinta mensagem para este tempo de atalaia para atalaia, sobre os muros de Sião.” Manuscrito 152, 1897. (Cristo Triunfante, pág. 346)

“A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da Minha boca, e lha anunciarás da Minha parte.” Ezeq. 33:7. Os atalaias necessitam viver bem achegados a Deus, para ouvir-Lhe a palavra e serem impressionados por Seu Espírito, de modo a que o povo não espere neles em vão. “Se Eu disser ao ímpio: Ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para desviar o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, mas o seu sangue Eu o demandarei da tua mão. Mas, quando tu tiveres falado para desviar o ímpio do seu caminho, para que se converta dele, e ele se não converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniquidade, mas tu livraste a tua alma.” Ezeq. 33:8 e 9. Os embaixadores de Cristo devem cuidar que não venham, pela sua infidelidade, a perder a própria alma e a dos que os ouvem. Testemunho Seletos, vol. 1, pág. 534

  • Responsabilidades dos nossos líderes.

Devemos orar pela liderança da nossa igreja, pelos nossos pastores. Deus os designou para uma grande missão. Nos textos a seguir veremos a grande obra que os nossos líderes tem para realizar e como eles serão cobrados;

“Que lição esta a homens em posição de responsabilidade hoje na igreja de Deus. Que solene advertência quanto à necessidade de tratar-se fielmente os erros que levam desonra à causa da verdade! Que ninguém que declare ser depositário da lei de Deus, lisonjeie-se a si mesmo com o pensamento de que a deferência que externamente mostrarem para com os mandamentos de Deus os preservará da aplicação da justiça divina. Que ninguém se recuse a ser reprovado pela prática do mal, nem acuse os servos de Deus por serem demasiado zelosos em procurar limpar o campo de obras maléficas. Um Deus que odeia o pecado apela aos que se declaram guardadores de Sua lei, a que se afastem de toda iniquidade. A negligência em se arrepender e render voluntária obediência acarretará sobre homens e mulheres hoje tão sérias consequências como as que vieram sobre o antigo Israel. Há um limite além do qual os juízos de Jeová não podem mais ser detidos. A desolação de Jerusalém nos dias de Jeremias é uma solene advertência ao moderno Israel, de que os conselhos e advertências dados por meio de pessoas escolhidas não podem ser desrespeitados impunemente.” Profetas e Reis, pág. 416-417

“O ministro de Cristo não deve apresentar ao povo apenas as verdades mais agradáveis, retendo outras que lhes possam causar mágoa. Deve ele observar com profunda solicitude o desenvolvimento do caráter. Se vir que alguém no rebanho está acariciando o pecado, precisa como fiel pastor dar-lhe instrução da Palavra de Deus que se aplique ao caso. Permitisse-lhes ele prosseguirem confiadamente sem advertência, e seria responsabilizado por suas almas. O pastor que cumpre seu alto encargo deve dar a seu povo, fiel instrução sobre cada ponto da fé cristã, mostrando-lhes o que precisam ser e fazer para se apresentarem perfeitos no dia de Deus. Unicamente aquele que é um fiel ensinador da verdade poderá, ao fim de seu trabalho, dizer como Paulo: “Estou limpo do sangue de todos.” Atos 20:26.” Atos dos Apóstolos, pág. 394

“Deus responsabilizou Eli, como sacerdote e juiz de Israel, pela condição moral e religiosa de Seu povo, e, em sentido especial, pelo caráter de seus filhos. Ele devia a princípio ter tentado restringir o mal por meio de medidas brandas; mas, se estas não dessem resultado, devê-lo-ia ter subjugado pelos meios mais severos. Incorreu no desagrado do Senhor por não reprovar o pecado e executar a justiça no pecador. Não se pôde contar com ele para que Israel fosse conservado puro. Aqueles que têm muito pouca coragem para reprovar o mal, ou que pela indolência ou falta de interesse não fazem um esforço ardoroso para purificar a família ou a igreja de Deus, são responsáveis pelos males que possam resultar de sua negligência ao dever. Somos precisamente tão responsáveis pelos males que poderíamos ter impedido nos outros pelo exercício da autoridade paterna ou pastoral, como se esses atos tivessem sido nossos.” Patriarcas e Profetas, pág. 578

 “A maior necessidade do mundo é a de homens – homens que se não comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens, cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Educação, págs. 56 e 57.

Que o Senhor nos ajude. Vamos orar pela liderança da nossa igreja e pelos nossos pastores!

Deus seja louvado!

Laodicéia e a rejeição da Justiça de Cristo

3“Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.” Apocalipse 3:16-17

A descrição da condição dos laodiceanos é uma descrição triste e verdadeira da condição que prevalece em nossos dias entre o povo de Deus. Cristãos mornos, mas que mesmo assim, de uma forma arrogante dizem ser ricos, abastados e afirmam que não precisam de coisa alguma. Ignoram que são desgraçados, miseráveis, pobres, cegos e nus.

Nosso Deus por nos amar muito e desejar a nossa salvação, nos convida para uma mudança de vida, nos chama para um novo estilo de vida no qual Ele possa reinar de forma absoluta e completa em nosso coração. Cristãos vivendo um cristianismo real e verdadeiro, sem hipocrisia. Cristãos completamente transformados pela graça maravilhosa de Deus.

Depois de descrever a triste situação dos cristãos laodiceanos, Deus dá um maravilhoso conselho em busca dos corações sinceros:

“Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” Apocalipse 3:18

O Senhor afirma que os laodiceanos estão nus e os aconselha que busquem roupas brancas para que não apareça a vergonha da sua nudez.

Precisamos compreender os planos de Deus para nossa vida para atendermos este conselho divino. É extremamente importante compreendermos o que representa a nudez dos laodiceanos e que “roupas brancas” são estas que o Senhor nos aconselha que busquemos para que não apareça a vergonha da nossa nudez.

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.” Gálatas 3:27

Um cristão que não está nu diante do Senhor é um cristão que está “revestido” de Cristo Jesus. Um cristão que, como o apóstolo Paulo, pode dizer: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

A seguir algumas características essenciais de uma pessoa  “revestida” de Cristo Jesus:

  • Uma nova vida em Cristo Jesus

“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos; Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” Romanos 6:1-14

Sim, meus queridos irmãos, o Senhor nos chama para um novo estilo de vida onde estaremos pelo poder transformador da graça de Deus vivendo livres da escravidão do pecado. Os cristãos que serão salvos, serão aqueles que alcançarão essa experiência com Cristo e que também estarão pelo poder de Deus renovando diariamente essa experiência com nosso Salvador. Não há vida sem Jesus. Somos susceptíveis ao pecado e, a qualquer momento que nos afastamos do Senhor, estaremos vivendo como escravos do pecado.

A graça que o nosso Deus nos oferece nos transforma e nos purifica, preparando-nos para o encontro com o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

“Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.” Tito 2:11-14

  •  Vestes Brancas

As vestes brancas que o Senhor quer nos conceder representam o caráter de Cristo que o Senhor irá comunicar ou conceder a todo aquele que aceitar e se submeter à obra transformadora e purificadora do nosso Senhor o Espírito Santo.

“Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo” Tito 3:5

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” Gálatas 5:16

“Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o pensamento à obediência de Cristo” 2 Coríntios 10:5

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai,João 6:57

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado, antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1° João 5:18

“Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.”  1 João 1:7

Serão salvos aqueles que: “lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro”: “E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.” Apocalipse 7:14

As características acima negritadas são dos cristãos que estarão preparados para o encontro com o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, quando Ele vier sobre as nuvens do céu com poder e grande glória:

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”
1 Tessalonicenses 5:23

“Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegrará no meu Deus; porque me vestiu de roupas de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como um noivo se adorna com turbante sacerdotal, e como a noiva que se enfeita com as suas jóias.” Isaías 61:10

O Senhor tem as vestes brancas para nos oferecer. Quer nos conceder o caráter de Cristo. O Senhor deseja que tenhamos um caráter puro, uma vida livre da escravidão do pecado. Permanecer no pecado é rejeitar as vestes brancas ou o caráter de Cristo que o Senhor quer nos oferecer.

Vamos atender o convite do nosso maravilhoso Deus:

“Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” Apocalipse 3:18

Mensagem aos laodiceanos, mensagem para o povo de Deus

“O Senhor nos mostra aqui que a mensagem a ser apresentada a Seu povo pelos pastores a quem Ele chamou para adverti-lo, não é uma mensagem de paz e segurança. Não é meramente teórica, mas prática em todo particular. O povo de Deus é representado na mensagem aos laodiceanos como em uma posição de segurança carnal. Sentem-se bem, pois se imaginam em exaltada condição de realizações espirituais. “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.” Apoc. 3:17 Que maior engano pode sobrevir à mente humana que a confiança de estar correto, quando se está totalmente errado! A mensagem da Testemunha Verdadeira encontra o povo de Deus em triste engano, todavia sincero nesse engano. Eles não sabem que sua condição é deplorável à vista de Deus. Enquanto aqueles que são abordados se lisonjeiam de achar-se em exaltada condição espiritual, a mensagem da Testemunha Verdadeira destrói sua segurança com a surpreendente denúncia de seu verdadeiro estado espiritual de cegueira, pobreza e miséria. Esse testemunho tão incisivo e severo não pode ser um engano, pois é a Testemunha Verdadeira quem fala, e Seu Testemunho tem de ser correto. Difícil é aos que se acham seguros em suas realizações, e que se acreditam ricos em conhecimento espiritual, receber a mensagem que declara acharem-se enganados e necessitados de todas as graças espirituais. O coração não santificado é “enganoso… mais do que todas as coisas, e perverso”. Jer. 17:9. Vi que muitos se estão lisonjeando de ser bons cristãos, os quais não têm um raio de luz de Cristo. Não têm por si mesmos uma viva experiência na vida religiosa. Necessitam de profunda e completa obra de humilhação de si mesmos diante de Deus, antes de experimentarem sua verdadeira necessidade de diligente, perseverante esforço para obter as preciosas graças do Espírito.” Testemunhos Seletos vol. 1, pág. 328

O que representa a nudez dos laodiceanos

“Que é que constitui a infelicidade e a nudez dos que se julgam ricos e abastados? É a necessidade da justiça de Cristo. Em sua própria justiça eles são representados como vestidos de trapos da imundícia, e, embora se encontrem nessa condição, eles se lisonjeiam pensando que estão vestidos com a justiça de Cristo. Poderia haver maior ilusão do que esta? Segundo é exposto pelo profeta, podem estar clamando: “Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este” (Jer. 7:4), enquanto seu coração está cheio de tráfico profano e transações injustas. Os átrios do templo da alma podem ser o antro de inveja, orgulho, paixão, ruins suspeitas, amargura e formalismo vazio. Cristo olha pesarosamente para Seu povo professo que se sente rico e abastado no conhecimento da verdade, estando porém destituído da verdade na vida e no caráter e inconsciente de sua condição. Em pecado e descrença, consideram levianamente as advertências e os conselhos de Seus servos e tratam Seus embaixadores com escárnio e desdém, ao passo que suas palavras de censura são consideradas contos ociosos. O discernimento parece ter-se ausentado, e eles não conseguem fazer distinção entre a luz que Deus lhes envia e as trevas oriundas do inimigo de sua alma.” Este Dia Com Deus, MM 1980, pág. 226

“A menos que eles confiem na justiça de Cristo como sua única segurança, a menos que copiem Seu caráter, trabalhem em Seu espírito, estarão despidos, não possuem as vestes de Sua justiça.” SDABC, vol. 4, pág. 1166.

Vejamos a mesagem de Deus à serva do Senhor sobre o que as vestes brancas do Senhor tem para nos oferecer:

“Quando os que estão buscando a salvação se recusarem a fracassar ou se desanimar, encontrarão paz e descanso no Senhor. Cristo os vestirá com Sua justiça. Ele lhes proverá um coração puro e espírito novo.” Mensagens Escolhidas vol. 1 pág. 400

 “Os vestidos brancos são a pureza de caráter, a justiça de Cristo comunicada ao pecador. É na verdade uma vestimenta de textura celeste, que só se pode comprar de Cristo por uma vida de voluntária obediência.” Testemunhos Seletos vol. 1, pág. 478

“Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros seguidores de Cristo possuirão. Foi dado à igreja “que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente” (Apoc. 19:8), “sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante”. Efés. 5:27. O linho fino, diz a Escritura, “é a justiça dos santos”. Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam como Salvador pessoal.” Parábolas de Jesus, pág. 310

Pela graça de Deus é possível para o homem passar a viver como Cristo viveu:

 “Tende em mente que a vitória e a obediência de Cristo são as de um verdadeiro ser humano. Em nossas conclusões, cometemos muitos erros devido a nossas idéias errôneas acerca da natureza humana de nosso Senhor. Quando atribuímos a Sua natureza humana um poder que não é possível que o homem tenha em seus conflitos com Satanás, destruímos a inteireza de Sua humanidade. Ele concede Sua graça e poder imputados a todos os que O aceitam pela fé. A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem.” Mensagens Escolhidas vol. 3, p. 139

“A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino. Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado.” Nossa Alta Vocação, p. 46

 “Esta foi a posição que Cristo ocupou quando veio ao nosso mundo, entrando em conflito com o líder rebelde dos anjos caídos. Deus formulou um plano, e Cristo aceitou a posição. Ele concordou em encontrar o inimigo diretamente, como todo ser humano deve fazer. Foram-Lhe providos todos os poderes celestes para ajudá-Lo nesse grande conflito; e o homem, se andasse no caminho e na vontade de Deus, receberia o mesmo poder preservador. As mesmas inteligências celestiais ministram àqueles que serão herdeiros para a salvação, para que possam vencer toda tentação, grande ou pequena, como Cristo venceu.” Olhando Para O Alto, pág. 42

“Cristo venceu como Homem sem pecado, não caído, perfeito. Como Messias Ele obteve vitória sobre as tentações do inimigo, tornando-nos possível vencer como Ele venceu. Devemos vencer em todo encontro com o inimigo. Devemos ser vitoriosos tornando-nos participantes da natureza divina, escapando à corrupção que há no mundo mediante a sensualidade. Cada vitória que Ele conquistou em Sua humanidade torna-nos possível obter a vitória, por recebê-Lo e nEle crer. “Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus.” João 1:12. Cada vitória que Ele conquistou na humanidade assegura-nos seus genuínos frutos. Cada ataque derrotado de Satanás marca a ocasião de uma vitória para a humanidade.[…]” Olhando Para O Alto, pág. 11

“Nestas palavras indica-se uma obra individual para cada um de nós. Cumpre-nos fazer decididos esforços para vencer como Cristo venceu. Ninguém é dispensado dessa luta. Se as portas da santa cidade se hão de abrir para nós completamente, se havemos de ver o Rei em Sua beleza, temos de vencer agora como Cristo venceu. …” Filhos E Filhas De Deus, pág. 371

 “Precisamos compreender que pele fé em Cristo é nosso privilégio ser participante da natureza divina e livrar-nos da corrupção das paixões que há no mundo. Então somos purificados de todo pecado, de todos os defeitos de caráter. Não precisamos reter nenhuma propensão pecaminosa.” Comentários de Ellen G. White, SDABC, vol. 7, pág. 943  (Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990, pág. 50)

“Cristo não só morreu como nosso sacrifício, mas viveu como nosso exemplo. Em Sua natureza humana, Ele Se apresenta completo, perfeito, imaculado. Ser um cristão é ser como Cristo. Todo o nosso ser, nossa alma, o corpo, o espírito, devem ser purificados, enobrecidos, santificados, até que reflitamos a Sua imagem e imitemos o Seu exemplo.” RH, 28/01/1882 (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 150)

“Foram tomadas amplas providências para que o homem finito e decaído possa estar tão ligado com Deus que, por meio da mesma Fonte pela qual Cristo venceu em Sua natureza humana ele consiga resistir firmemente a todas as tentações, como Cristo o fez.” Manuscrito 94, 1893  ( Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 166 )

“É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja. Disse Jesus a respeito do Espírito: “Ele Me glorificará.” O Salvador veio glorificar o Pai pela demonstração de Seu amor; assim o Espírito havia de glorificar a Cristo, revelando ao mundo a Sua graça. A própria imagem de Deus tem de ser reproduzida na humanidade. A honra de Deus, a honra de Cristo, acha-se envolvida no aperfeiçoamento do caráter de Seu povo.” DTN,  pág. 671

“Cristo […] não transgrediu a lei de Deus em nenhum detalhe. Mais que isso, Ele eliminou qualquer desculpa do homem caído que pudesse alegar alguma razão para não guardar a lei de Deus. Cristo estava cercado das fraquezas da humanidade, era afligido com as mais ferozes tentações, tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, e mesmo assim desenvolveu um caráter reto. Nenhuma mancha de pecado foi encontrada sobre Ele.”-ST, 16/01/1896  (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 173)

“Em nosso favor, Ele deixou de lado Suas vestes reais, desceu do trono celestial e condescendeu em cobrir Sua divindade com a humildade, tornando-Se como um de nós, a não ser pelo pecado, para que a Sua vida e caráter pudessem ser um padrão para todos imitarem, a fim de poderem ter o precioso dom da vida eterna.”-YI, 20/10/1886  (Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 154)

“Cristo veio para sofrer em favor da raça caída, pois Satanás se gabara de que ninguém poderia resistir aos seus ardis e viver uma vida imaculada neste mundo. Revestido com a natureza humana, o Redentor sujeitou-Se a todas as tentações com as quais são cercados os seres humanos, e venceu em todos os aspectos. O registro de Sua vida é entregue ao mundo, para que ninguém tenha dúvidas quanto ao poder da graça de Deus. Para cada pessoa que se empenha em busca da perfeição do caráter cristão, este mundo torna-se um campo de batalha, no qual se trava o conflito entre o bem e o mal. E todos os que confiam em Cristo obterão a vitória.Carta 38, 1907. Cristo Triunfante, pág. 32

“A perfeita humanidade de Cristo é a mesma que podemos ter mediante ligação com Ele. Como Deus, Cristo não pôde ser tentado, como não o foi, em relação com Sua lealdade no Céu. Mas ao humilhar-Se assumindo a nossa natureza, podia ser tentado. Não assumira nem mesmo a natureza dos anjos, porém a humanidade, perfeitamente idêntica à nossa, mas sem a mácula do pecado. …” Cristo Triunfante, pág. 208

 “Em nossa própria força, é-nos impossível escapar a os clamores de nossa natureza caída. Satanás trar-nos-á tentações por esse lado. Cristo sabia que o inimigo viria a toda criatura humana, para se aproveitar da fraqueza hereditária e, por suas falsas insinuações, enredar todos cuja confiança não se firma em Deus. E, passando pelo terreno que devemos atravessar nosso Senhor nos preparou o caminho para a vitória.”DTN, pág. 71

“O Filho de Deus era irrepreensível.“Precisamos ter como alvo essa perfeição, e vencer como Ele venceu, caso queiramos ter um lugar à Sua direita.” Testimonies, vol. 3, pág. 336. Filhos e Filhas de Deus, pág. 154

“Como era Jesus revestido da natureza humana, assim pretende Deus que sejam os Seus seguidores. Cumpre-nos viver, em Sua força, a vida de pureza, a vida nobre vivida pelo Salvador.” Testimonies, vol. 8, págs. 286 e 289. Filhos e Filhas de Deus, pág. 21

“Como um povo estamos sob o perigo de sermos separados do Sol da Justiça. Devemos santificar-nos a Deus mediante a obediência à verdade. Nossa consciência deve ser purificada de obras mortas para servirmos ao Deus vivente. Santificação significa perfeito amor, perfeita obediência, inteira conformidade com a vontade de Deus. Se nossa vida estiver ajustada à vida de Cristo mediante a santificação da mente, alma e corpo, nosso exemplo será uma poderosa influência no mundo. Não somos perfeitos, mas é nosso privilégio desvencilharmo-nos dos laços do egoísmo e do pecado e seguir em frente rumo à perfeição.” Cuidado De Deus, MM 1995, pág. 295

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo” Filipenses 2:15

A partir das informações adquiridas até aqui, indicamos a leitura da compilação sobre o assunto, clicando neste link: LAODICÉIA E A REJEIÇÃO DA JUSTIÇA DE CRISTO

Deus seja para sempre louvado!

Agradável, mas perigosa e fatal

1Ultimamente tem surgido em nossas igrejas e na sociedade algumas mensagens que, se não forem analisadas à luz da palavra de Deus, podem levar as pessoas a acreditarem que poderão ser salvas mesmo ainda estando com algum pecado não confessado e não abandonado.

Seguem algumas destas afirmações:

  • “Não podemos é ter o pecado como estilo de vida”
  • “O que não podemos é ser pecadeiros”
  • “Perfeição na esfera humana.”

Este último, a título de exemplo, “perfeição na esfera humana”, alguns a utilizam querendo indicar a existência de um tipo de perfeição com pecados que, por algum motivo, o Senhor irá ignorá-los considerando o portador desta “perfeição”, perfeito em condições de ser salvo.

Outro dia encontrei em um de nossos livros a seguinte afirmação: “Agora suponhamos que eu morra aqui mesmo. Ainda tenho defeitos. Ainda há crescimentos que não atingi. Isso quer dizer que estou perdido? É claro que não. O registro perfeito de Cristo ainda me cobre. […]”

Convenhamos que este tipo de mensagem realmente pode ser agradável para quem lê ou ouve este texto. Todavia devemos estar atentos, pois ela é também perigosa e fatal. Mas será que existe a possibilidade de alcançarmos a salvação ainda tendo defeitos de caráter, ainda tendo alguma mácula em seu caráter?

Acredito que o Senhor julgará os homens de acordo com a luz que eles receberam. Pode ser que alguns alcancem a salvação mesmo tendo morrido fazendo algo que consideramos pecado, mas mesmo essas pessoas eu não posso afirmar que serão salvas ainda estando em pecado. O que acontece é que, o que é considerado pecado para aquele que tem conhecimento não é considerado para aquele que ainda está na ignorância.

Mas agora vamos pensar nas pessoas que tem o conhecimento da vontade de Deus, mas não possuem a prática desse conhecimento, não vivem em plena harmonia com a vontade do Senhor. Pensemos também naquelas que tem acesso ao conhecimento da vontade de Deus e mesmo assim permanecem na ignorância por estarem negligenciando todas as orientações de Deus para levarem uma vida santa.

Analisemos alguns textos da serva do Senhor, para que então encontremos respostas para essas indagações:

“O ideal de Deus para Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o pensamento humano. “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos Céus.” Mat. 5:48. Este mandamento é uma promessa. O plano da redenção visa ao nosso completo libertamento do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar. A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação. Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem desculpas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo filho de Deus, arrependido e crente.” DTN, pág. 312

O texto afirma claramente que o Senhor: “[…] tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda alma arrependida, para guardá-la de pecar” e em sua continuidade afirma também que “Não há desculpas para pecar”.

Uma vez que o Senhor tomou providências para que o homem possa viver livre do pecado não há nenhuma justificativa para que o homem seja salvo mesmo ainda estando em pecado sendo que não há desculpa para o pecado.

“A promessa do Salvador é dada sob condição. “Se Me amardes”, diz, “guardareis os Meus mandamentos.” João 14:15. Ele salva os homens, não em pecado, mas do pecado; e os que O amam manifestarão seu amor pela obediência.” DTN, pág. 668

Esse texto é muito claro o Senhor salva os homens do pecado não em pecado.

“Justiça é fazer o bem, e é pelos atos que todos serão julgados. Nosso caráter é revelado pelo que fazemos. As obras mostram se a fé é genuína.” Parábolas De Jesus, pág. 312

“A justiça de Cristo não encobrirá pecado algum acariciado. O homem pode ser intimamente transgressor da lei; todavia, se não comete um ato visível de transgressão, pode ser considerado, pelo mundo, possuidor de grande integridade. A lei de Deus, porém, lê os segredos do coração. Todo ato é julgado pelos motivos que o sugeriram. Somente quem estiver de acordo com os princípios da lei de Deus, permanecerá em pé no Juízo. Deus é amor. Demonstrou Ele este amor na dádiva de Cristo. Quando “deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16), nada reteve de Sua possessão adquirida. Deu todo o Céu, do qual podemos tirar poder e eficiência para não sermos repelidos nem derrotados por nosso grande adversário. Mas o amor de Deus não O leva a desculpar o pecado. Não o desculpou em Satanás; não o escusou em Adão ou em Caim; nem o desculpará em qualquer outro homem. Não tolerará nossos pecados, e não passará por sobre nossos defeitos de caráter. Espera que vençamos em Seu nome.” Parábolas De Jesus, pág. 316

“Cristo, porém, não nos deu garantia alguma de que é fácil alcançar perfeição de caráter. Não se herda caráter perfeito e nobre. Não o recebemos por acaso. O caráter nobre é ganho por esforço individual mediante os méritos e a graça de Cristo. Deus dá os talentos e as faculdades mentais; nós formamos o caráter. É formado por combates árduos e relutantes com o próprio eu. As tendências herdadas devem ser banidas por um conflito após outro. Devemos esquadrinhar-nos detidamente e não permitir que permaneça traço algum incorreto.” Parábolas De Jesus, pág. 331

Queridos irmãos, “nosso caráter é revelado pelo que fazemos”, sendo assim o Senhor não poder considerar de forma alguma pessoa com algum defeito de caráter como sendo uma pessoa perfeita. Ele não irá ignorar nossos pecados. Espera que pelo Seu poder fiquemos completamente livres do pecado e apela para que não permitamos a permanência de “traço algum incorreto” em nosso caráter.

Atentemos agora com fé e carinho, o seguintes textos:

“Quando Cristo vier, nosso corpo vil deverá ser transformado, e feito segundo Seu corpo glorioso, mas o caráter vil não se tornará santo então. A transformação do caráter precisa ocorrer antes de Sua vinda. Nossa natureza precisa ser pura e santa; importa possuir a mente de Cristo, de modo que Ele veja com prazer Sua imagem refletida em nossa vida. […] José conservou sua integridade quando cercado de idólatras no Egito, em meio de pecado e blasfêmia e de influências corruptoras. Quando tentado a desviar-se da senda da virtude, sua resposta foi: “Como, pois, faria eu este tamanho mal, e pecaria contra Deus?” Gên. 39:9. Enoque, José e Daniel confiavam numa força que era infinita. Eis o único caminho seguro para os cristãos seguirem em nossos dias. […] Review and Herald, 1º de setembro de 1885” Nossa Alta Vocação, pág. 276

“Os pais criam em alto grau a atmosfera do círculo doméstico, e quando há desinteligência entre os pais, os filhos participam do mesmo espírito. Tornai fragrante a atmosfera do lar mediante terna solicitude. Se vos alienastes e deixastes de ser cristãos bíblicos, convertei-vos; pois o caráter que apresentardes no tempo de graça será o caráter que tereis por ocasião da vinda de Cristo. Se desejais ser santos no Céu, deveis sê-lo primeiro na Terra. Os traços de caráter que nutrirdes na vida não se mudarão pela morte ou pela ressurreição. Saireis do sepulcro com a mesma disposição que manifestáveis no lar e na sociedade. Jesus não muda o caráter em Sua vinda. A obra de transformação precisa ser feita agora. Nossa vida diária está determinando nosso destino. Carta 18b, 1891.” O Lar Adventista pág. 16

“Nossos traços de caráter não se alterarão:

Se quereis ser santos no Céu precisais ser primeiro santos na Terra. Os traços de caráter que acalentais na vida não serão modificados pela morte ou pela ressurreição. Saireis da sepultura com a mesma disposição que manifestastes em vosso lar e na sociedade. Jesus não altera o caráter em Sua vinda. A obra de transformação tem de ser efetuada agora. Nossa vida diária está determinando o nosso destino. Precisamos arrepender-nos dos defeitos de caráter, vencê-los pela graça de Cristo e formar um caráter simétrico neste período de prova, a fim de que sejamos habilitados para as mansões lá do alto. Manuscript Releases, vol. 13, pág. 82.” Eventos Finais, pág. 295

É muito claro! O caráter não é modificado pela morte ou pela ressurreição, nem na volta de Jesus. Os salvos serão aqueles que terão alcançado a vitória pelo poder de Deus sobre todo defeito de caráter antes da morte, ou antes da volta de Jesus, mais precisamente antes do fechamento da porta da graça.

A serva do Senhor, Ellen G. White, nos alerta sobre o perigo e fatalidade em ouvir e dar créditos a mensagens que colocam em risco nossa salvação:

“Há esperança para cada um de nós, mas de uma só maneira – apegando-nos a Cristo e empregando toda energia para obter a perfeição de Seu caráter. Essa religião piegas que faz pouco do pecado, e só realça o amor de Deus pelo pecador, encoraja os pecadores a crer que Deus os salvará enquanto continuarem no pecado, sabendo que é pecado. É isso que estão fazendo muitos que professam crer na verdade presente.” Cristo Triunfante, pág. 81

  • Satanás trabalha para que todos vivam como derrotados caminhando para a morte eterna:

“O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” Prov. 28:13. Se os que escondem e desculpam suas faltas pudessem ver como Satanás exulta sobre eles, como escarnece de Cristo e dos santos anjos, pelo procedimento deles, apressar-se-iam a confessar seus pecados e deixá-los. Por meio dos defeitos do caráter, Satanás trabalha para obter o domínio da mente toda, e sabe que, se esses defeitos forem acariciados, será bem-sucedido. Portanto, está constantemente procurando enganar os seguidores de Cristo com seu fatal sofisma de que lhes é impossível vencer. Mas Jesus apresenta em seu favor Suas mãos feridas, Seu corpo moído; e declara a todos os que desejam segui-Lo: “A Minha graça te basta.” II Cor. 12:9. “Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Por que o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve.” Mat. 11:29 e 30. Ninguém, pois, considere incuráveis os seus defeitos. Deus dará fé e graça para vencê-los.” Cristo Em Seu Santuário, pág. 118

  • Cuidado com as teorias humanas:

“Posto que a vida do cristão deva ser caracterizada pela humildade, não deveria assinalar-se pela tristeza e depreciação de si mesmo. É privilégio de cada um viver de tal maneira que Deus o aprove e abençoe. Não é da vontade de nosso Pai celestial que sempre estejamos sob condenação e trevas. O andar cabisbaixo e com o coração cheio de preocupações não constitui prova de verdadeira humildade. Podemos ir a Jesus e ser purificados, permanecendo diante da lei sem opróbrio e remorsos. “Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1.

Por meio de Jesus os decaídos filhos de Adão se tornam “filhos de Deus”. “Assim O que santifica, como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não Se envergonha de lhes chamar irmãos.” Heb. 2:11. A vida cristã deve ser de fé, vitória e alegria em Deus. “Todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.” I João 5:4. Com acerto disse Neemias, servo de Deus: “A alegria do Senhor é a vossa força.” Nee. 8:10. E Paulo diz: “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.” Filip. 4:4. “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” I Tess. 5:16-18.

São estes os frutos da conversão e santificação bíblica; e é porque os grandes princípios da justiça apresentados na lei de Deus são com tanta indiferença considerados pelo mundo cristão, que esses frutos são tão raramente testemunhados. É por isso que tão pouco se manifesta dessa profunda e estável obra do Espírito de Deus, a qual assinalava os avivamentos em anos anteriores.

É ao contemplar que somos transformados. E, negligenciando os preceitos sagrados nos quais Deus revelou aos homens a perfeição e santidade de Seu caráter, e atraindo o espírito do povo aos ensinos e teorias humanos, que de estranho poderá haver no conseqüente declínio na viva piedade da igreja? Diz o Senhor: “A Mim Me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.” Jer. 2:13.” Grande Conflito, pág. 478

  • Não devemos ser negligentes na luta contra o pecado, o fim está próximo:

“Considerando a brevidade do tempo, nós como povo devemos vigiar e orar, e em caso algum permitir que sejamos desviados da solene obra de preparo para o grande acontecimento à nossa frente. Por isso que o tempo aparentemente se estende, muitos se tornaram descuidados e indiferentes em relação a suas palavras e ações. Não reconhecem o perigo em que se acham, e não vêem nem compreendem a misericórdia de nosso Deus em lhes estender o tempo de graça, a fim de que tenham tempo para formar o caráter para a vida futura imortal. Cada momento é do mais alto valor. O tempo lhes é concedido, não para ser empregado em seguir sua própria comodidade e tornarem-se habitantes da Terra, mas para ser empregado na obra de vencer cada defeito de seu caráter e em ajudar os outros, pelo exemplo e pelo esforço pessoal, a verem a beleza da santidade. Deus tem sobre a Terra um povo que, com fé e santa esperança, está acompanhando o rolo da profecia a cumprir-se rapidamente, e buscando purificar a alma na obediência à verdade, a fim de que não sejam encontrados sem as vestes nupciais quando Cristo aparecer. … Os sinais preditos na profecia estão-se cumprindo rapidamente em volta de nós. Isto deve despertar todo verdadeiro seguidor de Cristo, levando-o a zelosa ação. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 503-505.” Exaltai-O, pág. 352

“Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Carta 60, 1886. 26 de dezembro, Olhando Para o Alto, pág. 367

“Não nos devemos sentar, esperando que nos sobrevenha, por maneira miraculosa, uma mudança de caráter quando Jesus aparecer nas nuvens do céu com poder e grande glória. Não, meus jovens amigos, somos destinados ao juízo, e a graça nos é assegurada aqui nesta vida, a fim de formarmos caracteres para a vida futura, imortal. The Youth’s Instructor, 24 de agosto de 1893.” Filhos E filhas De Deus, pág. 9

Entre nós, há os que, como Acã, farão confissões quando for demasiado tarde para se salvarem. […] Eles não estão em harmonia com o que é correto. Desprezam o testemunho positivo que atinge o coração, e gostariam que fossem silenciados todos os que fazem repreensões.” Testimonies, vol. 3, pág. 272. Eventos Finais, pág. 175-176

“Os pretensos crentes, que chegam despreparados ao tempo de angústia, confessarão, em seu desespero, seus pecados perante o mundo em palavras de angústia, enquanto que os ímpios exultam sobre seu desespero. O caso de todos eles é sem esperança.  Os que adiaram a preparação para o dia de Deus não podem fazer essa preparação no tempo de angústia nem em qualquer período futuro.” – Signs of the Times, 27 de novembro de 1879. (O Batismo do Espírito Santo, pág.112)

Vejamos o que acontecerá com aqueles que “não renunciam completamente seus maus hábitos”:

“Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam, porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos mas não plenamente, parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.” Parábolas De Jesus, pág. 118

Ficou muito claro e definido aqui que os que pensam entrar no céu sem preparo ou esperando que Cristo nos transformará quando Ele voltar, perderão a vida eterna. Clamamos em nome de Cristo nosso Salvador, antes que seja demasiado tarde, que O busquem e mude o estilo de vida a glorificá-lo em sua vida em atos, palavras, pensamentos e ações.

Oremos pelos nossos pregadores e por nós, para que a mensagem pura da Palavra de Deus se faça eloquente em nossas igrejas, para uma transformação santificada segundo a vontade dEle. Que sejamos como os bereanos, podendo distinguir o certo e o errado à luz do “Assim diz o Senhor”:

“E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus. Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” Atos 17:10-11

Que o Senhor Espírito Santo me purifique eliminando completamente a presença do pecado em nossa vida!

Seja esta nossa oração, nosso desejo, nosso objetivo.

Antes que seja demasiado tarde

Um texto maravilhoso para nossa reflexão:

“Pedras Vivas Para o Templo Celestial”

“No qual todo edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito. Efés. 2:21 e 22. Se não reagirmos positivamente à luz que nos é concedida e prestarmos-lhe a devida obediência, mantendo nossa alma no amor de Deus e permanecendo em Cristo, aquilo que para nós se tornaria uma bênção passa a ser uma maldição. É o enganador, não o Espírito da verdade, que nos faz crer que não podemos tornar-nos puros e santos, um povo poderoso separado do mundo, unidos uns aos outros com amor mediante Cristo. Não precisamos esperar nenhum outro quinhão além daquele concedido a nosso Senhor. Quanto mais louvor o coração prestar a Deus maior será a inimizade de Satanás com os seguidores de Jesus. … O templo judaico foi edificado com pedras lavradas e mediante grande dispêndio de tempo, dinheiro e trabalho, elas foram cortadas da montanha e talhadas para caberem em seu lugar no edifício antes de ser reunidas, de modo que quando o edifício foi completado não se ouviu som de martelo ou machado em sua edificação. As pedras que estão no templo sagrado de Deus não são colhidas das montanhas da Judéia mas reunidas das nações, tribos, línguas e povos. Não são material sem vida que precisa ser preparado com martelo e cinzel, mas pedras vivas que emitem luz. A grande talhadeira da verdade as extraiu da pedreira do mundo e as colocou na mão do grande Construtor Mestre, o Senhor do templo, e Ele as está lavrando em Sua oficina, que é este mundo, para que todas as protuberâncias ásperas e as imperfeições sejam removidas, cinzeladas e modeladas pela verdade de Deus, polidas e refinadas, prontas para ocuparem seu lugar no templo espiritual de Deus a fim de que possam crescer como um templo santo para Ele. Estamos agora na oficina de Deus, e o processo que nos habilita para o glorioso templo continua nestas horas de graça. Não podemos ser agora indiferentes, negligentes e descuidosos, recusando apartar-nos do pecado, mas devemos estar morrendo para os nossos defeitos de caráter e esperar tornar-nos puros, santos e moldados em caráter, à semelhança de um palácio. Quando Cristo vier, será então demasiado tarde para que os erros sejam corrigidos, demasiado tarde para que o caráter seja mudado, demasiado tarde para obter um caráter santo. Agora é o tempo da preparação; agora é o tempo em que podemos ter nossos defeitos removidos; agora é o tempo em que nossos pecados devem ser submetidos, de antemão ao juízo, ser confessados e pelo arrependimento obter perdão para nossos nomes. Que Deus ajude aqueles que ensinam a verdade a serem modelos de piedade, repletos de mansidão e de bons frutos. Ellen G. White, Carta 60, 1886.

Você acha difícil uma vida assim? Lembre-se que para Deus não existe dificuldade ou impossibilidade. 

  • Deus pode mudar nossa natureza:

“Jesus continuou: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”.  João 3:6. O coração, por natureza, é mau, e “quem do imundo tirará o puro? Ninguém”. Jó 14:4. Invenção alguma humana pode encontrar o remédio para a alma pecadora. “A inclinação da carne é inimizade contra Deus; pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser”. Rom. 8:7. “Do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituições, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias”. Mat. 15:19. A fonte do coração se deve purificar para que a corrente se possa tornar pura. Aquele que se esforça para alcançar o Céu por suas próprias obras em observar a lei, está tentando o impossível. Não há segurança para uma pessoa que tenha religião meramente legal, uma forma de piedade. A vida cristã não é uma modificação ou melhoramento da antiga, mas uma transformação da natureza. Tem lugar a morte do eu e do pecado, e uma vida toda nova. Essa mudança só se pode efetuar mediante a eficaz operação do Espírito Santo.” DTN, pág. 172.

“Não precisamos reter nenhuma propensão pecaminosa”

Purificação de todo pecado. “Precisamos compreender que pele fé em Cristo é nosso privilégio ser participante da natureza divina e livrar-nos da corrupção das paixões que há no mundo. Então somos purificados de todo pecado, de todos os defeitos de caráter. Não precisamos reter nenhuma propensão pecaminosa.” Comentários de Ellen G. White, SDABC, vol. 7, pág. 943  ( Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990 pág. 50)

Que o Senhor Espírito Santo faça esta obra em nossa vida! Deus seja louvado sempre!…

Para um estudo mais aprofundado sobre a mudança de natureza que Deus pode operar em nós, sugerimos a leitura da apostila no seguinte link: Mudança de Natureza.

Propensões para pecar eliminadas antes do fechamento da porta da graça

2Já tratamos neste blog a respeito da diferença entre tentação e propensão para pecar (Tentação e Propensão). Voltamos agora na questão tempo em que, devemos ser achados sem pecado e sem propensões sabendo que a transformação de caráter começa agora e devemos permitir que o poder do Senhor Espírito Santo faça esta obra desde já. 

As propensões para pecar serão erradicadas da vida daqueles que serão salvos antes do fechamento da porta da graça.

“Ser perdoado de maneira que Cristo perdoa, é não somente ser perdoado, mas renovado no espírito do nosso entendimento. O Senhor diz:  ‘Dar-vos-ei coração novo’. A imagem de Cristo deve ser gravada na própria mente coração e alma. O apostolo declara: ‘Nos temos a mente de Cristo’. Sem o processo transformador que só pode ocorrer pelo poder divino, as propensões originais para pecar permanecem no coração em toda a sua intensidade, para forjar novas algemas, para impor uma escravidão que nunca poderá ser rompida pelo poder humano. Mas os homens não poderão entrar no céu com os velhos gostos, inclinações, ídolos, ideias e teorias. Ellen G. White, Review and Herald, 19 de agosto de 1890”.  Lição da Escola Sabatina 2° Trim. 1990, pág. 43.

“Porque os que se inclinam para a carne cogitam para das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” Romanos 8:5-9

Existem para o homem duas possibilidades:

  • 1ª: Estar na “carne” e ter inclinações ou propensões para o pecado, “coisas da carne”
  • 2ª: Estar no Espírito e ter as inclinações ou propensões para as “coisas do Espírito.”

Sendo assim não é possível que os selados cheios do Senhor Espírito Santo ainda retenham alguma propensão ou inclinação para o pecado. Os selados são susceptíveis as propensões para pecar. Eles estarão susceptíveis a terem propensões para o mal devido o fato de ainda possuírem uma natureza pecaminosa, mas uma coisa é ser susceptível a ter propensões pecaminosas a outra é ter estas propensões se manifestando na vida.

Pecar é cometer atos que não estão de acordo com os preceitos do Senhor, mas devemos lembrar que pecar é também sentir o desejo de cometer tais atos.

Aqueles que ainda possuem as propensões pecaminosas não estão sendo guiados pelo Espírito e sim pela carne. Romanos 8:4-5

Permitir que estas propensões pecaminosas ou inclinações para pecar continuem existindo na vida é pecado. É um indicativo que ainda há na vida uma rejeição do poder libertador do Senhor Espírito Santo.

É propósito do Senhor que o homem passe a viver exatamente como Cristo viveu, sem pecado e sem propensões para pecar.

Jesus nunca teve propensões para pecar:

“Seja cuidadoso, exageradamente cuidadoso, ao tratar da natureza humana de Cristo. Não O apresente diante das pessoas como um homem com propensões para o pecado.” Carta 8 1895  (Carta de Baker em Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 171- 173)

“Nunca, de maneira alguma, deixe a mais leve impressão sobre as mentes humanas de que havia uma mancha ou inclinação para a corrupção sobre Cristo, ou que, de alguma maneira, Ele cedeu à corrupção.” Carta 8 1895  (Carta de Baker em Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág. 171- 173)

Vejamos como é o estilo de vida que o Senhor deseja para todos os homens:

“Não precisamos classificar a obediência de Cristo, por si mesma, como alguma coisa para a qual Ele Se achava particularmente adaptado, por Sua especial natureza divina, pois Ele Se encontrava diante de Deus como o representante do homem e foi tentado como substituto e fiador do homem. Se Cristo possuísse um poder especial que o homem não tem o privilégio de possuir, Satanás ter-se-ia aproveitado desse fato. A obra de Cristo era tirar das reivindicações de Satanás o seu domínio sobre o homem, e só podia fazê-lo da maneira como Ele veio – como homem, tentado como homem e prestando a obediência de um homem. […]” Mensagens Escolhidas vol. 3, pág. 139.

“Tende em mente que a vitória e a obediência de Cristo são as de um verdadeiro ser humano. Em nossas conclusões, cometemos muitos erros devido a nossas idéias errôneas acerca da natureza humana de nosso Senhor. Quando atribuímos a Sua natureza humana um poder que não é possível que o homem tenha em seus conflitos com Satanás, destruímos a inteireza de Sua humanidade. Ele concede Sua graça e poder imputados a todos os que O aceitam pela fé. A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem.” Mensagens Escolhidas vol. 3, pág. 139.

“A obediência de Cristo a Seu Pai era a mesma obediência que é requerida do homem. O homem não pode vencer as tentações de Satanás sem combinar o poder divino com o seu auxílio. Assim foi com Jesus Cristo: Ele podia lançar mão do poder divino. Ele não veio ao nosso mundo para prestar a obediência de um Deus inferior a um superior, mas como homem, para obedecer à Santa Lei de Deus, e desta maneira Ele é nosso exemplo. O Senhor Jesus veio ao nosso mundo, não para revelar o que Deus podia fazer, e, sim, o que o homem podia realizar, mediante a fé no poder de Deus para ajudar em toda emergência. O homem deve, pela fé, ser participante da natureza divina e vencer toda tentação com que é assaltado. Nossa Alta Vocação, pág. 46.

Os selados terão subjugados pelo poder do Senhor Espírito Santo toda propensão pecaminosa antes do fechamento da porta da graça. Os selados estarão prestando a Deus a verdadeira obediência, aquela que vem do coração. O pecado será para eles algo aborrecível, como Jesus eles amarão a justiça e odiarão a iniquidade. Heb. 1:9

“Toda a verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele por tal forma Se identificará com os nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com o Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. A vontade, refinada, santificada, encontrará seu mais elevado deleite em fazer o Seu serviço. Quando conhecermos a Deus como nos é dado o privilégio de O conhecer, nossa vida será de contínua obediência. Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível.” D.T.N. pág. 668.

Durante o tempo de angústia os selados não manifestarão arrogância dizendo ou sentindo que foram completamente libertados do pecado. Mas podemos afirmar que eles no tempo de angústia já não mais terão propensões para pecar devido o fato da serva do Senhor afirmar que neste tempo os salvos, os selados não terrão “falta oculta para revelar” como mostram os textos a seguir:

“Embora o povo de Deus esteja rodeado de inimigos que se esforçam por destruí-lo, a angústia que sofrem não é, todavia, o medo da perseguição por causa da verdade; receiam não se terem arrependido de todo pecado, e que, devido a alguma falta, não se cumpra a promessa do Salvador: “Eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo.” Apoc. 3:10.” Grande Conflito pág. 619.

“Mas, ao mesmo tempo em que têm uma profunda intuição de sua indignidade, não possuem falta oculta para revelar. Seus pecados foram examinados e extinguidos no juízo; não os podem trazer à lembrança.” Grande Conflito, pág. 620.

O próximo texto é bastante esclarecedor e comprova que durante o tempo de angústia os salvos pelo poder de Deus deverão estar vivendo completamente livres da presença do pecado:

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia.” Grande Conflito pág. 623

“Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. Nem mesmo por um pensamento poderia nosso Salvador ser levado a ceder ao poder da tentação. Satanás encontra nos corações humanos algum ponto em que pode obter apoio; algum desejo pecaminoso é acariciado, por meio do qual suas tentações asseguram a sua força. Mas Cristo declarou de Si mesmo: “Aproxima-se o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim.” João 14:30. Satanás nada pôde achar no Filho de Deus que o habilitasse a alcançar a vitória. Tinha guardado os mandamentos de Seu Pai, e não havia nEle pecado que Satanás pudesse usar para a sua vantagem. Esta é a condição em que devem encontrar-se os que subsistirão no tempo de angústia. O Grande Conflito, pág. 623. (Eventos Finais pág. 267)

Na glorificação a mudança na vida dos salvos não será a erradicação das propensões pecaminosas, isso já terá acontecido antes do fechamento da porta da graça, a mudança que ocorrerá na glorificação na vida dos salvos é que eles não mais serão susceptíveis a terem propensões para pecar porque neste momento será erradicada a natureza pecaminosa. Que Deus seja louvado!

Nosso Deus é maravilhoso. Ele proporcionou meios para que a nossa natureza pudesse ser transformada. Podemos ser co-participantes da natureza divina, passando a viver pelo poder do nosso Senhor Espírito Santo sem pecar e sem propensões para pecar. É fantástico o Senhor está disposto a nos livrar do pecado e das propensões pecaminosas. Não precisaremos, portanto, reter nenhuma propensão pecaminosa.

Devemos vencer no poder do Senhor o pecado e propensões para pecar, antes que seja demasiado tarde.